~Zacartis

Zacartis
Revolta
Nome: ♠ Príncipe de Deviluke ♠
Status: Usuário
Sexo: Masculino
Localização: Salvador, Bahia, Brasil
Aniversário: 26 de Março
Idade: 17
Cadastro:

Messias Distorcido - Bits o' Tales #1


Postado

Olá pra você que visita meu perfil.

Quando a vida te der limões, faça uma limonada. Isso, claro, se você souber fazer uma limonada. Talvez com tais limões, você possa fazer uma raspadinha. Possa fazer uma arte. Talvez faça um smoothie de limão. Talvez possa usá-la como instrumento de tortura, até. A beleza no humano é dependente de sua total capacidade de transformar a matéria. E como nenhuma não há uma receita de bolo nem um link da internet: "20 coisas que se pode fazer com um limão", as criações que podem surgir de um simples limão são, se não infinitas, tendenciosas ao mesmo.
Pois bem, a inspiração para o poeta é a semente para o agricultor, pois ele a modela de forma que de uma coisa tão simples e bruta, surja a mais bela poesia.
Mas não pensem que nós criamos tudo de uma vez só. Não, na confecção de um livro, não linearizamos nosso pensamento apenas para criar o livro. Até por que, por mais domável que seja a fera da inspiração, ela também só pode fazer aquilo que está em seu raio de alcance. E note, pois há várias inspirações com variados raios de alcance.
E com tal ideia em mente, eu parei para pensar comigo mesmo: "O que fazer com as pequenas histórias que produzo mas não surgem como um livro?" É por causa disso que criei um projeto, o Bits o' Tales, que será apenas pequenas histórias que escrevo para depletar meu âmbito de inspiração e que, também, servirá de pequenos tira gostos para aqueles que se deliciam com uma boa história.
Inclusive, caso alguma das histórias do Bits o' Tales desperte a sua vontade de querer estender a pequena história, vou amar que o faça. Qualquer história que desperte-lhe o interesse de criar, sei lá, uma fic, será muito bem vinda. Porém, vou pedir que dê-me os devidos créditos caso faça o mesmo e que me peça antes de postar sua fic baseada em um conto meu.
Pois bem, o meu primeiro conto nesse Bits o' Tales vai ser O Messias Distorcido. Essa foi criada em uma inspiração massacradora, com destruição selvagem e sangue repleto de adrenalina. Espero que gostem. Não esqueçam de compartilhar e, claro, comentar, caso gostem desse pequeno projeto.
Sem mais delongas, vamos à história!

++++++++++++++++++++++++++++++++++++

O Messias Distorcido


Sua espada dançava ferozmente empunhada em suas mãos desgastadas e vermelhas nas articulações. O vital líquido escarlate que era projetado das goelas trucidadas pela a espada amolada era despejada em sua pálida pele alastrada por cicatrizes e cortes profundos. Apenas a sua capa de lã de um cordeiro que o mesmo abateu protegia sua pele mal tratada.
Era natural produzir um massacre tão grotesco com sua espada, punhos e pontapés. O cheiro de sangue era como um forte feromônio para o ruivo psicótico, um excitador de tamanha intensidade que deixava ele com um largo sorriso diante de todo o minúsculo holocausto. Suas pupílas contraiam, sua boca salivava, seu coração batia lentamente e sua respiração era calma e devagar. Era como se ele degustasse o mais fino vinho diante de uma mesa e importantes homens.
A violência era saudável para o adolescente de olhos castanhos. Sua ideologia expurgava a paz mundial, e o mesmo ficava a beira de projetar seu almoço pela a glote ao ouvir cínicas e melosas palavras sobre perdão, compaixão e paz.
O chamavam de "Messias Distorcido", o vicioso assassino. Ele pregava uma filosofia tão distorcida quanto o seu título: o mal para o bem.
Para que haja um, deve haver o seu "anti-um", ou o equilíbrio não existe. Para que se estabeleça a paz, deve haver a sua perspectiva psicopata. O caos, a discórdia e a violência eram precisos para a ordem, a ganância e a paz. Por isso tal matança, por isso tal destruição.
E ora, com tantos líderes que espalham a palavra do bem e da fé, por que não existir o expoente do mal? Por que não produzir um ser que relampeje o mal a cada momento que se cria um benéfica ação? O adolescente acreditava que ele produzia um trabalho sacrificante. Ele acreditava que a sua vida era destinada a tal e que ele ajudava o mundo a ser um lugar melhor por existir o eixo do mal, que é ele.
E por mais que tentassem induzi-lo a pensar o contrário, o Messias Distorcido nunca cogitou a ideia de criar o bem sem o mal. Nunca deu ouvidos àqueles que imploravam pelo fim de suas ações, pois ele pensava que eles apenas não tinham a capacidade mental de entender tal supra-sumo.
Seu Modus Operandi era simples, porém mortal. Em um vilarejo ele jogava a sua mistura de pólvora com alguns materiais altamente explosivos. O mesmo esfarelava, com cuidado, tal preparado sobre uma enorme tora de madeira cravada com cruzes em todo o local. Terminado tal feito, ele espalhava gasolina sobre a tora e criava uma trilha até um lugar repleto de combustível, como um mercadinho ou uma lenharia. Ateado fogo, o som de explosões e do fogo intenso acordava os habitantes, e a queima do local combustível alertava os mesmos. Era aí que o massacre começava.
Ele pulava por dentro de janelas, as estilhaçando, e degolava um por um, sem se importar com quem era. Nem os animais eram poupados de tamanha dilaceração da vila. E assim que havia ensanguentado cada casa, ele deixava como refém um único garoto, a qual ele traumatizaria o bastante para que o mesmo pudesse espalhar a existência do Messias Distorcido para outras cidades.
Ele se orgulhava disso? E muito. Ele se achava não mais um Messias, mas o próprio Deus quando ele fazia isso.
Ele fazia, o mal
Pelo o bem.
Ele era o Messias Distorcido.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...