~Skyler-- - Clan Fantasy

Skyler--
[[+;; i'm a {g}irl.
Nome: ⊱✿. { スカイラー } .✿⊰
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 9 de Outubro
Idade: 17
Cadastro:

Blood War - Ficha


Postado


{ℬ𝓵𝓸𝓸𝓭 𝔀𝓪𝓻}

EM CONSTRUÇÃO








❝Ɛυ ѕєι qυє νσcє̂ ѕαвє qυє мιηнα мєητє ηα̃σ єѕтά ηιѕѕσ αgσяα
Ɲαɗα qυє νσcє̂ ρσѕѕα мαητєя, єητα̃σ мє мαητєηнα ɗєѕαηιмαɗσ
Ƈσмσ αѕ ρєɗяαѕ ɗєητяσ ɗ'άgυα єм qυє νσcє̂ αηɗα єм cιмα ραяα ѕєя мαιѕ αƖτσ
мα̃σѕ qυє νσcє̂ נυητσυ ρσяqυє νσcє̂ נυяσυ qυє єѕρєяαяια ραяα ѕємρяє

Aρєηαѕ συτяσ fяάgιƖ cσяαçα̃σ ɗє αηנσ
Ƈαιηɗσ єм αѕαѕ ɗє cнυмвσ ɗєѕρєɗαçαɗαѕ




Mostrar Spoiler: ❝Fomos 𝔞𝔪𝔞𝔩𝔡𝔦ç𝔬𝔞𝔡𝔞𝔰 por nosso sangue, condenadas a 𝓋𝒾𝓋𝑒𝓇 𝑒𝓉𝑒𝓇𝓃𝒶𝓂𝑒𝓃𝓉𝑒 a sua mercê, em meio ao ᶜᵃᵒˢ e a ᵍᵘᵉʳʳᵃ imploramos... Por favor nos ᔕᗩᒪᐯᕮ.❞
[i]








Nome completo:


- 𝑀𝒶𝓇𝓎 𝒟𝒾 𝒜𝓃𝑔𝑒𝓁𝑜 -


ℳary — Variante inglesa do nome Maria em português. Parece ter duas origens: do hebraico Miriam, formado por mar (mestre) e ram (poderoso); ou também do hebraico myriam ("vidente", "senhora soberana").
𝓓i 𝓐ngelo — É um sobrenome italiano, e significa ao pé da letra “Dos Anjos”.





Nacionalidade:


𝓝aturalmente italiana com descendência japonesa por parte da mãe.






Idade


𝓔stá em seus 16 anos de idade; 𝓝asceu em 09/10/2000, sendo assim ℒibriana ♎






Aparência:









Kisaragi Momo - Kagerou project

ℳary é dona de uma beleza um tanto exótica.

𝓢uas madeixas são alaranjadas com uma parte meio preta por baixo, e por mais estranho que seja são coloridas naturalmente. Seu corte é um tanto irregular e repicado, combinando com suas madeixas lisas que ocupam até metade do seu pescoço para cima. Sua franja tem um corte em “V” que ocupa toda sua testa, ele é igualmente repicado e possui duas “pontas” que cruzam uma a outra. Ainda falando de sua franja, na lateral dela há duas mechas, uma maior que a outra (no caso o lado esquerdo é maior que o direito), sob o lado direito de sua cabeça está preso (com uma xuxa azul) a parte mais longa de seu cabelo irregular, assim que solta seu cabelo passa a ocupar até um pouco abaixo de seus ombros. Apesar de não ter escolhido o corte, Mary não se sente desconfortável com seu cabelo, ela muitas vezes o acha bem fofo do jeito que é, e o corta regularmente assim que percebe que o mesmo cresceu, já que não gosta muito de cabelo grande. O seu cabelo é uma das partes mais chamativas de Mary, pode ser considerado uma de suas particularidades, já ele não é nem um pouco “comum”, tanto de corte como de cor.

𝓢eu olhos, apesar de possuir uma cor escura um tanto “neutra”, eles são bem destacados graças ao cabelo de Mary, provavelmente é o primeiro lugar que olham. É chamativo de fato, a garota possui um belo par de olhos cor de carvão, grandes, redondos e brilhantes, porém melancólicos muitas vezes, principalmente quando triste ou pensativa demais. Seus olhos refletem diretamente sua personalidade, olhos determinados, olhos melancólicos, olhos animados, Mary sabe expressar muito bem suas emoções através de seus olhos de forma muito profunda, como dizem “os olhos são o espelho da alma”, essa frase faz todo o sentido quando se trata de Mary. Suas sobrancelhas são finas e alaranjadas como seu cabelo, seus cílios são grandes e bem destacados com rímel, o que contribui para ter um olhar chamativo.

𝓢ua pele é branca, não chega a ser extremamente pálida e sem cor, mas ainda sim pode ser considerada como uma pessoa muito branca, do tipo que se você apertar seu pulso a marca de seus dedos ficam muito visíveis em sua pele. Sua pele é um tanto macia, graças aos cremes e hidratantes que passa, Mary tem uma certa vaidade com sua pele, não gosta de pegar sol, dorme com mascara e odeia sair sem pelo menos um creme na bolsa, tem um certo pavor de rugas e manchas, por isso espere muitas horas perdidas no banheiro por conta dela. Graças a isso, Mary acabou tendo o cheiro de pêssego impregnado em sua pele, é possível sentir um leve cheiro de pêssego quando próximo dela. Seu queixo é fino, porém graças as suas bochechas grandes e “apertáveis” não chegam a ser seu maior destaque. Seu rosto é desprovido de falhas, sardas, sinais ou rugas, a garota foi abençoada com um rosto bonito, sua parte menos falha. Seu nariz é um pouco fino e levemente arrebitado, seus lábios são finos e levemente corados, como se ela estivesse com um batom natural, sempre com uma camada de gloss de pêssego neles.

𝓝ão tem o que reclamar de seu corpo, é totalmente proporcional. Apesar de possuir um corpo farto e com curvas, não chegar a ser totalmente percebido por terceiros, apenas para ela mesma quando está despida, graças as suas roupas despojadas ou pelo seu jeito infantil. Seus seios são um tanto fartos, sua coxa é grossa, porém quando chega até o joelho vai diminuindo e ficando cada vez mais fina até chegar ao tornozelo. Magra, apesar de tudo, tanto que alguns ossinhos são visíveis, como nas costas, no tornozelo e até mesmo na clavícula, seus braços e pescoços também chegam a ser um pouco finos se comparar com o resto do seu corpo. Possui 1,62 de altura, e pesa 43kg.






Personalidade:



𝓢e você desse adjetivos para descrever a personalidade de Mary, com certeza seria: 𝓘nfantil e 𝓟essimista.

𝓐 garota possui um charme natural, Mary é o tipo de pessoa que consegue cativar uma pessoa em poucos segundos, seja em uma conversa, uma ação, ou até mesmo uma palhaçada, Mary é facilmente notada por todos a sua volta, por mais que não queira, é uma pessoa extremamente popular e carismática. Ás vezes se sente incomodada, desde criança sempre foi uma garota que recebia o máximo de atenção possível, mas apenas por que ela era de família rica e nobre, muitas pessoas se alienavam ao desejo de ter Mary por perto apenas por achar que ganharia algo da mesma, e isso foi algo que resultou um certo trauma nela. Mary é extremamente insegura com as pessoas, dúvida muito de suas intenções e se tudo que elas fazem são mesmo por pura vontade ou se tem um interesse escondido atrás. Na visão dela, cada pessoa tem uma mascara bem colocada, e ela é apenas uma criança inocente que tenta ver o mundo de forma diferente do original. Ela é do tipo Sínica, ela sabe identificar muito bem uma pessoa falsa e interesseira, mas Mary não consegue dizer “Não”, por mais terrível que seja a pessoa, e isso é um dos grandes defeitos dela, ela é muito “gentil”. Com seus amigos de verdade, Mary é como uma vela acendendo, a garota emite um brilho radiante, ações e expressões extremamente verdadeiras, deixa muito bem exposto seu lado infantil.

ℳary é uma pessoa extremamente infantil, age muitas vezes como uma criança, graça aos mimos da época de sua infância, Mary tem uma simplória visão do mundo externo, como sempre viveu em seu pequeno mundo interno sempre tendo tudo que deseja, pode ser considerada extremamente inocente. Mary é uma garota muito simples, é capaz de se sentir feliz com pequenos gestos de gentileza para ela, contanto que seja sincero, nada mais importa. Muitas pessoas se perguntam se ela trocou de mente com uma criança de 10 anos, por motivos da alaranjada ser uma das pessoas mais idiotas do mundo, com seus amigos claro, Mary é do tipo que cai fácil em brincadeiras e não consegue fazer nada sozinha, se fizer, pode ter certeza de que ela fez errado ou mal feito. A garota é muito desastrada e desajeitada, Mary é do tipo que não consegue ficar um dia sem tropeçar ou deixar algo cair, faz jus ao “Dojikko”.



𝓐 parte mais delicada e desagradável da personalidade de Mary é o seu incrível pessimismo. A garota é totalmente insegura, apesar de meiga, educada e infantil, e que muitas pessoas afirmam que seu sorriso é extremamente reconfortante, Mary tem o péssimo habito de sempre se colocar pra baixo assim que pode. Não se sente confortável consigo mesma, e muitas vezes afirma que “queria ser normal”, queria ter tido uma vida mais normal junto com a família, queria ter amigos que não fossem interesseiros e a tratassem como uma pessoa comum igual as outras, gostaria de não ser uma criança que desconhece o mundo exterior, gostaria de não ter medo de encarar o mundo e os seus problemas, e acima de tudo, queria não estar doente. Mary sofre de daltonismo acromático, e ao mesmo tempo sofre de um fenômeno chamado “Sinestesia”, sendo os dois considerados muito raros. Mary não consegue ver as cores, mas consegue senti-las no som. Isso é uma coisa que ela guarda em segredo, poucas são as pessoas que sabem de seus problemas, não gosta de sentir olhares de pena ou que se aproximem dela só por causa do seu problema, como aconteceu no passado, Mary se sente muito inútil e insignificante por causa disso.

ℳary tenta sempre se superar ao máximo, por isso é facilmente notada. A garota é determinada, gosta de experimentar e fazer coisas novas, ela é do tipo que tenta ao máximo não parecer uma coitadinha, também tentando provar a si mesmo que mesmo com sua doença ela é capaz de viver normalmente e fazer as coisas como qualquer outra. Se ela não pensasse dessa forma, provavelmente se tornaria uma pessoa melancólica e sem vontade de fazer nada, Mary tenta superar seu pessimismo e sorrir na frente dos outros para não preocupa-los, pode ser considerado outra defeito da garota, ela não é muito aberta com seus sentimentos. É o tipo de pessoa que esconde todos seus problemas com um sorriso, esquecendo que tem pessoas com quem ela pode confiar, quando ela confia, ela desabafa, chora, e se sente mais leve, mas como ela nunca recebeu esse tipo de atenção na vida, provavelmente demorará um pouco para que a garota se abra tão facilmente para alguém. Agora não falando de sua parte desagradável, e já chegando em suas qualidades, Mary é uma pessoa que se destaca em tudo que faz. Seja em canto, em dança, em pitura, Mary adora eventos artísticos onde ela põe o seu coração e seus sentimentos nele, é uma das poucas coisas que ela faz bem feita. Mary é extremamente sensível, chega a ser também muito romântica, gosta de citar poemas e ler livros do gênero, sua vida foi sonhando com contos de fadas e príncipes encantados, e sempre acreditou que seu dia de encontrar seu príncipe chegaria.







História:



❝Mary-chan, você é especial tá?Não se esqueça disso❞

▶ Mary nasceu em uma família relativamente rica na Itália, porém se mudou para o Japão ainda quando pequena. Era uma vida "Perfeita", pelo menos era o que muitos de fora pensavam. Mary de fato nunca foi uma garota que passou dificuldades na vida ou precisou de alguma coisa material, afinal ela tinha tudo que quisesse em suas mãos, e muitas pessoas ansiavam por aquilo, mas a verdade era que Mary não tinha o básico do básico, que era simplesmente amor e atenção de sua própria família.
Doloroso, muito doloroso.
Mary era a bonequinha de pano dos "Di Angelos", que estavam brincando de casinha e ser uma família feliz. "Pode dar tudo para essa garota, contanto que faça ela ficar calada e a distraia, não importa o que ela quer, dê a ela" Era isso que o patriarca dos Di Angelos falava para seus secretários e empregados. Porém Mary só queria passar um dia harmonioso com ele, já não tinha muita confiança por possuir seu daltonismo e não conseguir ver as cores, ver seu pai se distanciando por motivo nenhum foi doloroso. A verdade era que Mary se parecia muito com a mãe, que morreu em seu nascimento, além do Di Angelo achar que Mary tem peso de culpa em sua morte, por isso a trata friamente sempre que pode.
Teve um breve período da vida de Mary em que ela foi vitima de bullying, os colegas que não a suportavam por tirar toda a atenção apenas para ela sempre a maltratavam, agrediam e humilhavam. Diziam que se não fosse da família dos "Di Angelos" ninguém olharia para ela ou a desse atenção, ela era apenas uma boneca que atraia as pessoas por puro interesse e dinheiro. O pior era que eles estavam certos, tirou a prova disso quando um professor a defendeu de uma das pessoas que faziam bullying com ela, porém tudo isso para ter uma certa moral com a família e receber uma recompensa. Mary chorou quando viu a cena de seu pai dando dinheiro para o professor, ela percebeu então que o mundo respirava aquilo, e ela não gostava nem um pouco.
Para piorar, Enzo, o patriarca dos Di Angelos, se casou novamente dois anos depois, Mary tinha aproximadamente sete anos nessa época. Paola era o seu nome, uma mulher muitíssimo bela, porém era perversa, má e arrogante, esses eram os adjetivos de Paola. A mulher era uma ótima atriz, se fazia de mulher boa e animada, porém na frente de Mary ela mostrava sua verdadeira face: sádica e egoísta, fazia questão de maltratar Mary e ameaça-la sempre que podia.
"— Ei, ei, Mary, seus cabelos parecem uma aberração, essa cor é horrível. Será que eu devo corta-los para ficarem ainda mais aterrorizantes?"
E foi assim que Mary conseguiu seus cabelos irregulares, Paola cortou o cabelo da garota como se estivesse cortando ondas de papel. A garota chorava e pedia para a mulher parar, mas isso só fazia a vontade de Paola de judiar da menina aumentar.
"— Fale com seu pai que foi mais uma das crianças patéticas que fizeram isso com você, não quero problemas pro meu lado. Até a próxima brincadeira Mary ~ "
Doloroso. Mary não gostava da cor da voz de Paola, não gostava de sua presença, não gostava de nada dela, ela apenas queria que aquele pesadelo acabasse.
De repente a empresa da família Di Angelo começou a despencar, era estranho, o dinheiro deles pareciam que estavam saindo por uma torneira. Mary não se importou de inicio, afinal não gostava dele, porém quando levantou de seu quarto parra beber água de noite viu Paola em um quarto com a porta semi aberta falando no telefone com alguém. "Sim, falta pouco para fugirmos juntos querido, só vou pegar mais um pouco do dinheiro daquele idiota. Eu também te amo.."
Mary abriu a porta furiosa, enquanto olhava para o rosto assustado de Paola que perguntou "O que você está fazendo aqui?"
"— Ei, me fale mais sobre 'aquele idiota'' - Mary sentia vontade de chorar, toda aquela humilhação desnecessária de Paola e aquela raiva era imensa, porém não havia nada que ela pudesse fazer, afinal ainda não tinha voz para encarar Paola, aquela jovem inocente de 16 anos contra uma mulher sádica e maldosa de 32. "— O papai gosta de você de verdade, te acha importante, ele se esforça pra te agradar né? Por que você faz isso..."
A mulher pegou a garota pelo pescoço e a agrediu novamente, antes de sair do quarto olhou para Mary caída no chão e disse
"— Eu vou me livrar de você de uma vez por todas pirralha"

▶ No dia seguinte Mary teve que inventar que foi agredida por seus colegas de novo, e aquilo já estava irritando Enzo, a falta de atitude da filha era de dar nos nervos, ele pensava. Mary viu Paola agir normalmente e se perguntou em que ela estava pensando. Decidiu enfim seguir a madrasta o dia todo, no final do dia teve uma surpresa
"— Ei querido, soube que a economia da empresa está caindo... Você não vai fazer nada? Se quiser eu posso dar uma dica" - A mulher então encostou a boca em seu ouvido e falou - "— Que tal vendermos a Mary ~ ?"
Foi o cumulo, a mulher tinha dito aquele mesmo? O pior de tudo não foi isso, e sim que seu pai concordou com aquilo. Mary derramou uma lagrima solitária, não imaginava que seu próprio pai faria isso com ela. Sem saber o que fazer, Mary saiu correndo para seu quarto e preparou duas malas com as coisas dela, deveria sair daquela casa imediatamente!
"Não vou deixar eles fazerem isso comigo, não importa se eu não conheço o mundo lá fora, eu não me importo com meu daltonismo, eu só preciso sair daqui imediatamente"
A jovem então saiu do quarto, e por incrível que pareça da casa sem ser percebida.
Não importava pra onde ela iria, qualquer lugar era melhor que ali. A garota então saiu do portão, sem perceber que Paola olhava a cena dela saindo da casa pela janela, com um sorriso enorme no rosto. "Vamos minha garotinha, siga seu destino, creio que você não conseguirá escapar dele. Garota tola"
Mary andou, andou muito, de repente a chuva começou a cair e Mary estava toda encharcada e com suas roupas todas molhadas. A chuva foi ficando mais forte, Mary decidiu então entrar na primeira casa que visse na frente e pedir abrigo. A garota então encontrou a mansão, em seguida batendo na grande porta de madeira. que abriu sozinha. E lá estava os meninos, aparentemente já cientes de sua chegada...

▶ A vida de Mary na mansão, por incrível que pareça, não foi tão ruim. Quando conheceu todos os meninos e descobriu que eles eram vampiros, (além de ter desmaiado) ficou fazendo coisas idiotas como cutucar a pele pra ver se é fria, abrir a boca deles para ver as presas, botar a mão no peito pra ver se conseguia sentir o coração, e obvio mais coisas para irrita-los. Ficou assustada? Claro, porém escondeu aquela inquietação com coisas idiotas, porém depois viram que aquilo não era brincadeira, pelo menos por enquanto. Mary tentou trazer um ar mais radiante para a casa, de forma despreocupada e idiota, Mary tentaria mudar todos a sua volta, criando um vinculo com cada um.










Gostos:

Gatos, afinal, quem não gosta de apertar uma coisa fofa dessas?


Ouvir música, melhor forma de relaxar e fazer algo que gosta ao mesmo tempo


Coisas que exijam um pouco de desafio, como cubos mágicos por exemplo, outra forma de passar o tempo


Cantar. Ah, cantar, Mary é extremamente apaixonada por canto, mais precisamente pelas cores que a voz remete, ela acha-as bonitas, a única forma dela poder ver as cores.


Doces, extremamente apaixonada por doces! Digamos que ela parece uma criança quanto a isso







Desgostos

Que julguem ou diga o que ela deve ou não fazer, acha desagradavel e nada legal, isso a deixa triste


Cozinhar. Mary ADORA comer, porém cozinhar é outra história, além de ser muito desastrada e capaz de queimar até água!


Ter sonhos ruins, Mary odeia acordar chorando por causa de algum pesadelo, ainda mais quando ela teme que se torne real


Comidas quente/apimentadas, odeia ficar tendo que assoprar a comida toda hora, sua língua é sensível!


Chuva, odeia por que a deixa deprimida e sem vontade de fazer nada, ela se torna mais melancólica que o normal em dias de chuvas.


Despedidas, quem gosta de despedidas?Mary odeia ter que se despedir de quem ela ama, é doloroso para ela.


Se sentir péssima, mesmo quando se olha no espelho e sorrir para si mesma, odeia que aquilo não seja verdade.


Pessoas que só se importam com dinheiro e respiram dinheiro, o motivo está na história.







Medos/Traumas/Fobias:

Mary em si é uma garota um pouco medrosa, do tipo que se esconde embaixo dos lençóis por que acha que aquilo irá protege-la.


Entre seus maiores medos está o seu medo por mortos-vivos. Mary tem muito medo de pessoas que não estão vivas graças aos filmes de terror. Não gosta nem de ouvir falar.







Hobbies/Manias:

O hobbie de Mary é fazer vários nadas o dia todo! Ok, mas sério, a garota não tem nenhuma atividade que faça com frequência, talvez dormir seja seu hobbie.


Agora mania é o que a garota mais tem, começamos por essa: Toda vez que Mary vê que algo vai dar ou ta dando errado ela coloca a mão na cabeça e fica girando enquanto pula. (bem, veja na imagem)


Quando ta dando tudo errado ela costuma chorar


Quando está perto da água costuma brincar com ela


Costuma balançar a corpo enquanto sorri, geralmente cantando alguma música em sua mente, enquanto fica sentada e distraída


Mexer em uma mecha de cabelo sem perceber muitas vezes







Qualidades:

Animada
Infantil e fofa
Boa cantora
Sabe ser amiga
É radiante e protetora
Sempre está ao seu lado em momentos difíceis
Tem uma boa índole






Defeitos:

Extremamente pessimista
Quando triste e melancólica fica um clima pesado no ar
Facilmente manipulada por não saber dizer NÃO
Tende a se afastar um pouco das pessoas no inicio






Par:



𝔖𝔲𝔟𝔞𝔯𝔲 𝔖𝔞𝑘𝔞𝔪𝔞𝑘𝔦







Relaçao com:

▶ Par:

O começo da relação de Subaru e Mary foi bem difícil. Por que? Mary era uma idiota!
Mary tinha tentado "amizade" com todos os irmãos, e por mais difícil que fosse, ela conseguiu arrancar algo deles, seja sorrisos ou ate mesmo uma certa intimidade, porém com Subaru era diferente. O albino cagava e andava para Mary, muitas vezes a chamava de irritante e sempre dava patadas nela, a alaranjada então devolvia suas patadas com outras provocações, dignas de uma criança de 10 anos por sinal, como dar língua para ele ou o chamar de "Bobão", coisas assim.



Mary então resolveu que irritaria Subaru toda vez que visse ele. Costumava pular em suas costas e puxar seus cabelos como se ele fosse um cavalo, ou então quando o albino estava dormindo ela colocava presilhas e outras coisas em seu cabelo, aquilo irritava Subaru profundamente. O garoto então decidiu pear mais "pesado" com a alaranjada. Toda vez que ela tentava fazer outra idiotice com ele, Subaru agia de forma mais agressiva, como pegar o pulso dela com força deixando-o muito vermelho, gritava com ela e socava a parede perto dela, ele queria afastar Mary dele, e conseguiu. A garoa estava apavorada com aquilo, já que ela comparava Subaru com Paola e decidiu se afastar do albino.
Sem perceber, Subaru começou a sentir uma certa falta de Mary e de certa forma "se arrependeu". Porém toda vez que ele chegava perto dela a garota corria, por impulso claro, afinal ela queria voltar a falar com o albino e sentia mal quando fugia.
Cabia então ao nosso Tsundere tomar alguma atitude digna de "dere". Aos poucos o albino foi amenizando sua relação tensa com Mary, do jeito "fofo" dele, e a garota voltou a se tranquilizar, a gostar da cor de sua voz. Aos poucos Mary foi querendo ficar mais próxima dele, queria entende-lo, porém estranhou seu forte desejo de proximidade. Não entendia aquela sensação, mas aquilo a fazia bem e de uma certa forma era um pouco dolorosa.

Muitas vezes o albino a levava para ver as flores de sua mãe, mesmo que ela não pudesse ver suas cores, apenas senti-las era o suficiente.
"— Por que quis me mostrar elas Barusu?"
"— Eu só quis, não precisa saber o por que, idiota"
Ela achava fofo a reação dele quando corava, por isso sempre queria vê-lo daquele jeito. Mary começou a agir de forma mais fofa com Subaru, ela começou a usar seu jeito mais feminino e fofo sempre que podia, queria que ele a achasse bonita, sem nenhum motivo ou explicação, ela estava mudando um pouco com ele. Com o mesmo não foi diferente, tentava ser menos "Irritado", pelo menos na sua frente.
Os dois são apenas dois completos opostos que se completaram, de um jeito ou de outro, a relação com eles atravessa altos e baixos, princialmente por causa da jeito inseguro de Mary que acha que ele um dia a trocará ou enjoará dela, e pelo jeito ciumento de Subaru, sempre a pegando pelo pulso com força quando a vê com intimidade pra cima de outro garoto.
Mas os dois sabem que podem contar um com o outro sempre que precisar, Mary sempre vai estar lá para irrita-lo de forma infantil e fofa, e ele sempre vai estar lá para ser irritado pela doca Mary.

▶ Outras noivas:

𝓢empre tímida, porém logo foi perdendo sua timidez perto delas. Mary adora elas, ela geralmente é feita de cobaia para penteados ou roupas, uma verdadeira boneca, e apesar disso ela não se importa nem um pouco, já que ela também de diverte muito com elas. Sempre está pronta para diverti-las, Mary deixa seu jeito infantil e idiota aflorar, deixando-as bem cientes de quem é a verdadeira Mary Não gosta de vê-las tristes ou sofrendo, faz de tudo para ajuda-las e muitas vezes a defendem com toda sua voz e calma, Mary é uma ótima conselheira (ou pensa que é, já que na maioria das vezes ela mesma se buga em seus conselhos, mas no fim consegue explicar mesmo que um pouco o que queria dizer) e muitas garotas a buscam quando com problemas, por ser bem calma e atenciosa, Mary sabe lidar com vários problemas ao mesmo tempo, sempre tentando ser o mais madura possível, apesar de aparentar ser só uma garotinha.

▶ Servamps:

Olha, infelizmente não tive a oportunidade de assistir ainda ç.ç

▶ Melhor amiga:

Noiva de Kanato e Shuu (Se precisar de Eve, escolhe também? ç.ç)






Vai querer hentai:

OBVIO, no caso você escolhe, faça o melhor puder e-e






Música tema :

> Dela:


Tradução

> Casal:








Sangue: :
A+ - O sabor de seu sangue é doce, juntamente com seu cheiro de pêssego, que provavelmente contribui para o gosto agradável






Roupas: :

▶ Casual:





▶ Encontro:



(Se for uma coisa mais casual)




(Se for algo mais romântico)

▶Festa:




▶ Baile:



▶ Banho:


▶ Roupa íntima:







Reação ao::

▶ Se apaixonar pelo Par:
Primeiramente, o que seria estar apaixonada? Provavelmente estaria muito "bugada" com seus sentimentos, não saberia se expressar direito perto dele e nem como falar. Ele provavelmente a olharia sem entender o por que da reação nervosa dela, e ela por sua vez provavelmente sairia correndo na primeira vez que sentisse seu coração batendo por ele.

▶ Ser mordida:
Normalmente uma pessoa comum ficaria assustada, correto?Mary não esboçou uma reação tão comum, ficou assustada por aquilo acontecer, mas ainda sim gostou um pouco, afinal era como dizer que ele tinha a escolhido, aquilo a deixava tremendamente feliz.

▶ Descobrir que irá morar com os servamps e seus Eves:
Provavelmente ficará feliz, afinal conheceria novas pessoas para "irritar" e para aguentar suas idiotices.

▶ Encontrar Tsubaki:
(Depois de uma pesquisa rápida no nosso amigo google) Era pra ela ficar assustada? Bem, Mary o vê como apenas uma casca vazia procurando um ideal tolo para se prender, mas também não iria ficar falando né? (até por qeu ela ainda quer estar vida até o final da fanfic e.e). Porém Mary teria medo dele fazer algo para as pessoas que gostam, principalmente com seu par e até mesmo com ela, mas enfim, tentará não demonstrar muito medo perto dele, nnão quer dar esse gostinho.

▶ Ser beijada pelo Par :
Corar, essa seria a provável reação dela. Mas não um corar comum, seria um super tomate ambulante. Por ser seu primeiro beijo na vida, provavelmente sairia de um jeito bem desengonçado, porém fofo, e é isso que importa (mentira, mas ok)






𝙼𝚎 𝚍𝚊́ 𝚝𝚘𝚝𝚊𝚕 𝚕𝚒𝚋𝚎𝚛𝚍𝚊𝚍𝚎 𝚙𝚛𝚊 𝚏𝚊𝚣𝚎𝚛 𝚘 𝚚𝚞𝚎 𝚚𝚞𝚒𝚜𝚎𝚛 𝚌𝚘𝚖 𝚜𝚞𝚊 𝚙𝚎𝚛𝚜𝚘𝚗𝚊𝚐𝚎𝚖?: :
Sim






Vai comentar?: :
Claro






Posso te mandar um MP se tiver alguma dúvida sobre sua personagem?: :
A vontade






Mais alguma coisa?: :
Não



Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...