~Skyler-- - Clan Fantasy

Skyler--
> i'm a {girl.} <
Nome: ⊱✿. { スカイラー } .✿⊰
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 9 de Outubro
Idade: 17
Cadastro:

Fichas (●´ω`●) (Atual)


Postado

Fichas (●´ω`●) (Atual)

𝒜𝓉𝑒𝓃ç𝒶̃𝑜 𝒜𝓊𝓉𝑜𝓇𝑒𝓈, 𝓅𝓇𝑜𝒸𝓊𝓇𝑒𝓂 𝓅𝑒𝓁𝒶 𝒻𝒾𝒸𝒽𝒶 𝓆𝓊𝑒 𝒻𝑜𝓇𝒶 𝓂𝒶𝓃𝒹𝒶𝒹𝒶 𝓅𝒶𝓇𝒶 𝓈𝓊𝒶 𝒹𝑒𝓉𝑒𝓇𝓂𝒾𝓃𝒶𝒹𝒶 𝒻𝒶𝓃𝒻𝒾𝒸!
𝐸𝓈𝓅𝑒𝓇𝑜 𝓆𝓊𝑒 𝑔𝑜𝓈𝓉𝑒𝓂!





{ ℋ𝓲𝓭𝒆 𝓪𝓷𝓭 𝓢𝒆𝒆𝓴 }


Mostrar Spoiler: ❝ Pode haver uma maneira de sair, no entanto eu não descobrir como, então eu vou continuar esperando por aquela porta
[centro]

【 FICHA 】

❥ Nome Completo:
Elaine Bürkle
Elaine — Significa “a reluzente”, “a resplandecente”. Elaine é uma variante inglesa que surge a partir do nome francês antigo Helaine, o mesmo que Helena, em português.
Bürkle— É originário da Alemanha, não se sabe seu significado, mas foi usado por famílias antigas






❥ Apelido:
Eli — Um jeito mais intimo de chama-lá.
Criança problema — O seu apelido dado pelas pessoas que convivem com ela, sendo amigo ou não.




❥ Idade:
19 anos, nascida em 09 de outubro de 1991
Sendo o seu signo Libra ♎




❥ Gênero:
Feminino



❥ Sexualidade:
Assexuada



❥ Aparência:






Anzuujamu

Eli tem uma aparência um tanto agradável e infantil.
Seus cabelos são curtos e ondulados, coloridos de louro morango, que as vezes o dá uma impressão de Rosa. Não é muito vaidosa com seu cabelo e o deixa quase sempre bagunçado.
Seus olhos possuem uma coloração azul claro e são bem grandes, muitas vezes destacados com delineador. Seus olhos são um tanto apáticos ás vezes e perdem rápido sua cor.
Suas bochechas são grandes e apertáveis, alem de serem levemente coradas e macias, assim como sua pele pálida.
Seus braços e pernas são finas, ela é tão magra a ponto de alguns ossos dela serem visíveis, possui seios e bumbum pequenos, seu corpo parece extremamente frágil e infantil, medindo 1,62 e pesando 43kg.




❥ Reservou a aparência antes?:
Sim



❥ Personalidade:
Por sua aparência, Eli consegue enganar facilmente as pessoas que pensam que ela é "fofa" ou "amorzinho", mas na verdade a chamam de "criança problema", pois da mesma forma que ela é infantil e brincalhona ela também consegue ser extremamente violenta e perturbada. Ela consegue falar de coisas pesadas como matar, torturar e humilhar como se não fossem nada, e com um sorriso no rosto ainda. Eli não tem nenhuma moral, assim como aparentemente não sente dor nem medo.

❝I lost my belief in the light❞

Devido ao seu passado Eli nunca viu nenhuma demonstração de afeto e nunca entendeu as emoções dos outros, fazendo dela uma pessoa muito fria no futuro e incompreensível, não sabe lidar com pessoas muito emotivas e sensíveis, pois pode magoar facilmente com sua frieza ou pelo simples fato de que ela nunca está nem aí pra nada, nem para os outros e seus problemas "de merda". Eli tem um certo ódio por pessoas que sofrem por coisas que ela considera besta, como aquele filho rebelde que implica com os pais por nenhum motivo, só pra pagar de rebeldão, ou aquelas pessoas que querem se matar sem motivo nenhum, só pra fazer a dramática e chamar atenção, Eli tem muito ódio pelo simples fato daquela pessoa ter uma vida normal e tudo que quer sem se preocupar, amor e afeto dos pais ou amigos e não ligar para isso, coisa que ela queria ter e infelizmente não tem.

❝I've broken once, and got up again
I've broken twice- it was the same❞


Eli é uma pessoa psicologicamente abalada e com muitos traumas na vida que a fizeram ser do jeito que é, dando que um dos seus traumas levou parte de seus nervos sensoriaisou seja, ela não sente quando se machuca, não sente calor ou frio, ou muitas vezes quando é tocada. A garota ainda foi classificada como esquizofrênica desde muito nova, na época do circo, apesar de já ter procurado tratamento, ainda não está 100%.

❝I've broken once, and got up again
I've broken thrice, it wasN'T the same❞


Eli é o tipo de pessoa que te levaria a loucura em menos de 10 minutos, embarcar em uma aventura com ela é como embarcar em uma missão suicida, ela não tem nenhum pouco de medo de se arriscar em nada, é o tipo de garota que sempre atravessa a linha da vida e da morte ela é tipo barata, a desgraçada não morre de jeito nenhum , e quando tem alguém com ela eles sempre tomam um susto e ela ri muito dizendo que já estava tudo planejado e que podia confiar nela quem iria confiar em um troço desse? . Se você ficar um dia com ela provavelmente ou vai achar que ela é uma louca que merece ser internada imediatamente ou uma das pessoas mais fascinantes da face da terra.

❝I'm nuts, baby, I'm mad,
The craziest friend that you've ever had
You think I'm psycho, you think I'm gone
Tell the psychiatrist something is wrong❞


Eli não é nem um pouco entediante e sabe ser divertida, criativa e nem um pouco normal

❝The normal's, they make me afraid
The crazies, they make me feel sane❞

Eli é um tanto traiçoeira, ela nunca consegue escolher um só lado, ela sempre vai escolher a lado que favorecer mais a ela até certo momento. Confiar? Nem um pouco. Eli é extremamente aleatória em suas ações, um dia ela pode ser sua aliada outro dia sua inimiga, um dia tá querendo te salvar outro dia de matar, se você for alguém que "Vale a pena" talvez ela não faça nada com você.Valer a pena ou não... É como ela rótula as pessoas, Eli é uma pessoa que confia em suas análises precisamente, por isso se ela te considerar que vale a pena, provavelmente você é alguém que tem histórias pra contar, não é entediante, a favorece de alguma maneira (mas mesmo se não favorecer ela te protege do mesmo jeito), e é diferente dos outros, pode-se dizer que é quase como se ela estivesse te considerando como amigo, s´que em vez de te chamar assim ela te chama de pessoa que vale a pena. Se você não vale a pena, provavelmente você é entediante, tem uma história entediante, uma personalidade entediante e alguém que ela provavelmente enjoaria. Ela enjoa muito rápido das pessoas e as descartam sempre que pode, por isso, se quiser andar com ela, seja uma pessoa que "valha a pena".

❝And I think you're crazy too, I know you're gone
It's probably the reason that we get along❞


Eli pode ser um pouco solitária, não liga se a pessoa ou um grupo se afasta dela ou se acusem ela de algo, ela permanece neutra e age normalmente, uma de suas manias é sentar e começar a balançar os pés sorrindo e cantarolando alguma música. Muitos pensam que podem passar a perna nela e acharem que ela é tão idiota que não vai perceber nada, um dos pontos fortes de Eli é ser muito observadora. Ela consegue sentir quando as pessoas estão mentindo e sempre faz de tudo pra coloca-las contra a parede, fazendo muitas perguntas como qualquer "criança curiosa". É o tipo de pessoa indiscreta e que não tem nenhuma vergonha na cara, o que chega a ser engraçado, ela é o tipo de pessoa que faz uma pergunta que ninguém tem coragem de perguntar por que acham constrangedor, como perguntar para uma mulher gorda se ela tá grávida.

Sua voz é dossel e gentil, mas quando está irritada sempre envolve um sorriso um pouco diferente, sendo um sorriso malicioso misturado com sua voz doce e seu olhar um pouco arregalado e muitas vezes vira sua cabeça levemente pro lado, muitas pessoas evitam fazer com que ela mostre esse seu lado, pois acham que ela parece uma psicopata.

Costuma sempre andar com coisas doces e até mesmo comer doces escondida, como gosta de coisas fofas e coisas um pouco mais "macabras", ela usa roupas e assessórios no estilo Pastel goth




❥ Gostos:
➙ Doces ou comidas doces
➙ Café
➙ Desenhar
➙ Coisas que vem do Japão e Pastel Goth, por achar muito fofos
➙ Bondage (lenny face)
➙ Apesar de não sentir, gosta quando o clima está frio ou chuvoso, pois a deixa mais pensativa.
➙ Fumar quando estressada ou quando quer relaxar




❥ Desgostos:

➙ Sair no sol sem proteção, por ser muito branca
➙ Praia, especialmente areia
➙ Olhar de pena, odeia profundamente que as pessoas a olhem com pena
➙ Odeia com todas as forças o circo e coisas relacionadas, como palhaços e etc.
➙ Quando a olham por muito tempo, ela se sente ameaçada.
➙ Desperdício de comida que ela poderia estar comendo
➙ Chá





❥ Habilidades:

➙ Possui uma flexibilidade absurda
➙ Reflexos precisos
➙ É uma combatente acrobática dotada de um estilo de luta não-ortodoxa
➙ Usa seu comportamento imprevisível, a fim de surpreender os seus inimigos e terminar com eles de forma violenta, apesar de muitas vezes se tornar sadicamente desleixada
➙ Possui uma memoria fotográfica, mas só usa quando está desenhando q quer se lembrar de algo legal que viu mais cedo




❥ Fraquezas:


➙ Pressão psicológica
➙ Seu medo de circos pode ser usado contra ela de alguma forma




❥ Bom, mal ou neutro?:


Ela seria bem neutra




❥ Raça:


Humana




❥ Cético ou acredita no sobrenatural?:

Acredita, afinal convive com eles



❥ História:

❝ I don't know how life should
go on when there's no end❞


Elaine nasceu em uma família relativamente rica na Alemanha. Seus pais a amavam, mas ela não se lembra deles por que eles morreram quando a garota tinha uns 4 anos, em um acidente de avião provocado por um dos colegas de empresa que também roubou grande parte da fortuna dos Bürkles e mesmo assim não foi encontrado. Eli não tinha nenhum parente na Alemanha, e os mais próximos dela eram os tios que viviam nos Estados Unidos. Eli foi mandada para lá, sem nada e falida, não que ela se importasse com isso afinal era uma criança.
Os tios eram donos de um circo, e pareciam ser gentis nos primeiros meses. Mas Eli percebia que eles escondiam uma mascara, e ela descobriu isso da pior forma possível.
A partir de seus 5 anos Eli teve que trabalhar duro no circo, sendo lavando o chão ou servindo a plateia, vendendo ingressos, etc. O trabalho era muito, mas a recompensa era pouca, os tios começaram a trata-la como escrava e dizia todo dia "Se não fosse por mim você estaria na rua agora, não acha que deveria agradecer?", e toda vez que ela fazia algo errado como derrubar alguma coisa ou não fazia o serviço direito (na visão deles) ela era acorrentada em uma sala e era submetida a chicotadas, o numero variava a gravidade do problema e ela era obrigada a ouvir desaforos.
Quando ficou mais velha, entre uns 10 anos, começou a trabalhar dentro do circo como equilibrista, contorcionista e domadora. Ás vezes ela era obrigada a matar alguns leões para o divertimento das pessoas, mas toda noite ela chorava por se achar um monstro. O sofrimento era tanto que ela até esqueceu o significado de amor, compaixão, felicidade e família. Ela já tinha se acostumado com as torturas, conseguiu perder todos seus neurônios sensoriais e sendo incapaz mesmo até de chorar.
Quando fez 12 anos os policiais descobriram que ela e outras crianças viviam em carcere e eram submetidas a várias torturas e treinamentos, seus tios foram presos e ela mandada para um orfanato. Foi adotada por uma família aparentemente boa e feliz.
O problema é que Eli agora era uma criança perturbada e agia estranhamente das outras crianças, por ser fechada e muitas vezes agir como bicho, seus pais não sabiam o que ela tinha passado em sua família passada e ela nunca queria contar.
Porém, com o tempo e o "carinho", Eli começou a mudar muito em sua nova "família", mudando principalmente sua personalidade agressiva para uma personalidade mais adorável e infantil. Eli começou a criar sua imagem de ´´garota boa´´ depois que seus pais a colocaram na escola, sendo um tipo de mascote para sua turma, por ser "fofa" e "frágil".
Mas muitas vezes tinha recaídas, graças a sua esquizofrenia, e voltava a ser agressiva, principalmente com homens que tentavam encostar nela (ela era muito assediada) e nos colegas que ela achava que ia fazer mal a ela, eram muitos os casos em que ela quebrou algum membro do corpo de algum aluno ou o mandou para o hospital.
Depois de tempo de tratamento psicológicos ela realmente "mudou" e foi transferida de escola. Porém seus pais não eram mais os mesmos. Antes gentis, agora eles não estavam nem ligando para a presença dela. Ela voltou a ser desprezada, apesar de não ser totalmente explicito que os pais delas faziam as coisas para ela com má vontade, ela ouviu um dia atrás da porta que continuar com ela era um problema e que eles teriam que se livrar dela de alguma maneira.
Depois de ouvir isso Eli fugiu de casa ao 15, a única carta que ela deixou para os seus "pais" foi um grande "Vão se foder" escrito com muita raiva. Eli ainda levou uma parte do dinheiro de seus pais para sobreviver sozinha no mundo e ainda psicologicamente instável. Eli ouviu boatos sobre a tal cidade enquanto estava em um bar aleatório, e aquilo era tudo que precisava, um lugar onde apenas ela pudesse estar, era o que ela pensava antes de saber que tinha outras pessoas morando lá. Acabou se enturmando rápido e dando um jeito de ser aceita por eles.





❥ Nacionalidade:
Alemã



❥Dupla Nacionalidade?:
sim



❥ É rebelde ou chegou junto aos outros?:
Rebelde



❥ Par:
Não possui interesse em relacionamentos ou sente atração sexual

❥ Eu escolho ou autores escolhem?:
-x-

❥ Alguma preferência na raça do seu par?:
-x-

❥ Alguma preferência no gênero do seu par?:
-x-

❥ Adjetivos que gostaria que seu par tenha:
-x-



❥ Medos:
➙ Circos



❥ Sonhos:
Talvez conseguir se livrar dos traumas e viver uma vida "normal", senão, uma cafeteira está de bom tamanho.



❥ Metas:
➙ Sair em uma aventura ao redor do mundo



❥ Vícios:
➙ Cigarro
➙ Doces e Cafeína




❥ Manias:
➙ Desenhar círculos ou bonequinhos com corda no pescoço quando entediada
➙ Riscar seus braços, pernas, pulsos, etc
➙ Cantar musiquinhas chicletes
➙ Balançar as pernas quando em um lugar alto
➙ Fazer brincadeiras suicidas para assustar outras pessoas (como ficar pendurada em um lugar alto por ex.)




❥ Costumes:




❥ Cicatrizes?:
Possuem várias, um cicatriz na lateral da barriga, nos seios, várias nas costas e algumas nos pulsos, tornozelos e pescoço, causados pelas correntes.



❥ Tatuagens?:
Não possui



❥ Piercings?:
Não possui



❥ Algo mais?:
Algumas músicas que a definem (Coloquei alguns trechos das letras na ficha)







❥ Palavra-Chave:
"Não é vingança, mas sim justiça, pois se a morte não tem um preço , então a vida não tem valor."

-------------- // -- // --------------

❥ Como age com...


↪ Humanos:
Desde que eles chegaram Eli fez questão de ser a primeira moradora humana, claro a "cumprimentar" eles de forma animada e os analisar para ver quem vale ou não a pena. Eli foi uma das que mais se aproximou deles e a mostrar a cidade, no começo vão achar que ela é aliada, mas com o tempo vão ver sua real natureza.

↪ Desconhecidos:
Se ela por algum acaso se interessar por algum desconhecido (como os humanos que chegaram na cidade) ela vai lá e fala, geralmente não fala com pessoas que ela percebe estar fechadas por que querem e também parece não ligar muito.

↪ Amigos:
Os que valem a pena, ela vai os proteger e os ajudar com o que for, até mesmo contar os segredos da cidade ou dos seres, mas só aos que ela sabe que realmente gostam dela ou a achem interessante, pois como eu disse, ela é muito observadora quanto isso. No caso dos moradores, ela os considera um pouco como seus "amigos" por que 1) Ela convive com eles e não só isso mas 2) Os mais antigos a acolheram a 4 anos atrás.

↪ Inimigos:
É o tipo de pessoa que sabe lidar muito bem com as pessoas que consideram inimigos,é do tipo que alfineta calmamente ou rindo, ela é do tipo que enfrenta cara-a-cara e gosta de falar o que tem que falar na frente dele, sem nenhuma vergonha na cara. É ameaçadora, sempre mantem uma pose diferente quando com os inimigos, para se mostrar que também é forte, e também nunca os leva a sério, tratando todos como piada. No caso de algum morador ser inimigo dela, provavelmente serão os arrogantes que querem mandar ela fazer coisas que ela acha desnecessárias.





❥ Como reagiria caso...

-- humanos --

↪ Algum ser sobrenatural lhe ameaçasse: Isso não aconteceria, e se acontecesse, ela não daria a minima para as ameaças tanto de humanos quanto de qualquer outro ser, e se ameaçasse ela ameaçaria com outra ameaça (?), ela é muito durona quando o assunto é isso.

↪ Descobrisse que alguém é um ser sobrenatural: -x-

↪ Descobrisse que o sobrenatural existe: -x-

↪ Estivesse apaixonado: Isso nunca aconteceria

↪ Alguém se confessasse para ti: Primeiro a perguntaria "Por que?", e o/a faria entender que o que ele/a sente não é amor, ou que ela é muito "podre" para ser amada.



-------------- // -- // --------------

❥ Qual a probabilidade de...

↪ Trair alguém: 90%
↪ Mentir: 90%
↪ Ser transformado em um ser sobrenatural: 40%
↪ Perder o controle de seus poderes: -x-
↪ Ser enganado: 0%
↪ Ser morto: 30%
↪ Apaixonar-se pela pessoa errada: 0%




❥ Permissão para que seu personagem...

↪ Fume [xxxxx]
↪ Beba [x]
↪ Use drogas [x]
↪ Faça tatuagens [ ]
↪ Coloque piercings [ ]
↪ Tenha cenas de sexo explícito [ ]


-------------- // -- // --------------

❥ Possui algum animal de estimação?:
-X-







{ ℱ𝓪𝓵𝓵𝒆𝓷 𝓐𝓷𝓰𝒆𝓵 }


Mostrar Spoiler: ❝Onde está seu amor?
Está apontando para esse mundo?❞






【 FICHA 】


Nome Completo


Narumi Chihiro
『Ambos são originados do Japão, embora Narumi também tenha um significado Grego, seu nome significa “beleza florescente” e foi escolhido por sua falecida mãe.
Seu sobrenome Chihiro é na verdade um nome que é utilizado como sobrenome, significa "Um milhão de perguntas" e tem muito haver com sua personalidade.』



Apelidos

Naru — Uma abreviação de seu nome, não necessariamente são suas amigas que usam, mas sim qualquer pessoa que se ache intima dela.
Ichigo — O apelido que o seu par deu, Ichigo significa Morango, uma das frutas preferidas de Narumi, além de quase tudo dela ter cheiro de morango, como se fosse uma marca registrada.
Hiiro — Apelido carinhoso dado por seu pai, mas que ela odeia que a chamem desse jeito, por que ela acha que só o pai pode chama-lá assim
Mad scientist — Quase como uma “zoação“, as pessoas mais amigas dela a chama assim, por que? Basicamente por sua personalidade curiosa de “Cientista louca“



Idade/Data de nascimento/ Signo

18 anos - Nascida no dia 25 de julho de 1992
Seu signo é Leão ♌, caracterizado principalmente por Generosidade, nobreza e criatividade.



Aparência










Ichinose Shiki - The [email protected] Cinderella Girls

Naru possui belas madeixas castanhas, muito puxadas para o arroxeado, o que muitas vezes confundem as pessoas. Seus cabelos é sim algo para a mesma se orgulhar, são longos e ondulados até a ponta, chegam até o meio da sua cintura, mas pretende deixar crescer muito mais. Cortar? Deus me livre! Naru odeia quando tesouras e seu cabelo estão próximos um do outro, Ela tem um extremo pavor de cortar seu cabelo por achar que ficaria muito feia de cabelo curto. É extremamente vaidosa com ele, costuma os deixar soltos, visto que o corte do mesmo não combina preso. Seu cabelo possui um corte relativamente em camadas, sendo muitos fios maiores que os outros, sua franja por exemplo, ela a colocar para a direita, no topo da cabela tem um fio rebelde que insiste em ficar mais levantado que os outros, mas ela não liga muito e continua o achando lindo.

Seus olhos são outra coisa que a orgulha muito, possui uma cor azulada um pouco mais escura, mas muitas vezes pela luz eles ficam mais claros ou que aparentam ter outra cor similar, como roxo e derivados, outra coisa que confunde um pouco as pessoas que olham para eles. Seu olhar é um pouco vago, apesar de seus olhos serem grandes, ela sempre parece estar com sono ou pensando. Seus olhos refletem sua beleza, tanto interior quanto exterior, que são bem destacados em uma camada de rímel.



Por ser muito vaidosa, sempre aprece com várias camadas de maquiagem, o que chega a ser desnecessário, já o rosto da mesma não possui quase nenhuma falha. Possui um rosto fino com poucas bochechas, sua pele é bem branca e suas maçãs do rosto são levemente coradas naturalmente. Não possui espinhas ou sinais de nascença, a mesma foi abençoada com um rosto sem falhas. Nariz pequeno e levemente arrebitado, sua boca é fina e sempre com uma camada de gloss de morango, sua boca é um dos seus maiores destaques por estar quase sempre com "boca de gato".



Seu corpo é extremamente bem cuidado, cremes e hidratantes não podem faltar na sua bolsa, onde quer que ela vá, tendo uma pele macia e sedosa. Possui um corpo magro, mais uma coisa para a garota se orgulhar, ela é extremamente saudável, apesar de sua natureza ser preguiçosa e buscar por coisas fáceis, se orgulha de seus 43kg por terem sido extremamente fáceis de se conseguir sem nenhum esforço. Uma das poucas coisas que a garota se orgulha em si mesmo é sua altura, 1,67, sendo extremamente baixa pra sua idade, o que faz com que seus seios fartos sejam um estorvo para a mesma. Suas três medidas são 83-57-82 』



História
Naru nasceu do amor proibido de dois irmãos gêmeos, Izanami e Izanagi, em uma noite chuvosa de Julho, esse foi considerado um dos primeiros milagres, não havia chovido desde o começo daquele verão. O local do nascimento não foi em um hospital e sim no templo onde seus pais viviam, eles eram sacerdotes do templo de uma cidade o litoral de Tokyo, mais precisamente em Kamakura.
Os gêmeos nasceram do amor de uma anja caída, que foi expulsa por simplesmente amar demais os humanos, e de um homem puro. Seus nomes foram dados por sua própria mãe, em homenagem aos deuses que criaram o Japão. Izanami nasceu como humana, mas Izanagi teve a "bênção" de descender a mãe, o que faziam seus pais de perguntarem o por que de tal ocorrência. Os dois faziam tudo juntos, eles eram tão próximos um do outro que acabaram desenvolvendo algo maior que um simples amor entre irmãos, e isso foi algo que teve desaprovação de sua mãe, Nona.

Esse amor proibido lhes custaram o amor de sua própria mãe, que expulsou os amantes de casa e causou a morte de seu pai, que não aguentou tamanha tristeza e morreu do coração. Sem dinheiro, sem lugar para ir, apenas os dois juntos, o que para eles já era o bastante, apenas eles eram o suficiente. Passado alguns dias, eles foram indicados para serem sacerdotes de um templo antigo próximo da cidade, ali suas vidas começaram a mudar, os dois tiveram um lugar para morar, dinheiro e, especialmente um ao outro. Eles recebiam visitas frequentes de Nona, que tentavam convence-los de que isso não era o certo, e que ela estaria esperando por eles o tempo que for.

Depois de alguns meses, eles finalmente se casaram no templo, toda a cidade compareceu ao evento prestigiar o novo casal. Nona também compareceu, de preto, como se estivesse de luto, aparentemente cabisbaixa por nenhum de seus filhos terem a escutado. "Vocês vão se arrepender", foi a única coisa que ela falou antes de ir embora. "Deus está do nosso lado", foi o que Izanagi falou naquele dia para Izanami, que olhava assustada para os céus. "Espero que esteja certo..."

Os céus não ouviram o desejo do casal, pois depois do nascimento de Naru, Izanami acabou entrando em óbito, trazendo uma grande tristeza a Izanagi. O infeliz homem acabou por entrar em depressão, mas nunca deixou isso interferir na vida de Naru, muito pelo contrário, Izanagi sempre deu muito amor e sempre cuidou da garota ao máximo, ele acabou por se tornar um pouco paranoico, pois não queria ter que perde-la também. Naru sempre varria o templo quando pequena para ajudar o pai, os dois sempre viviam os melhores momentos naquele templo e vivia uma vida agradável e pacifica. Os dois eram mais do que próximos, inseparáveis.

Quando com cinco anos, a garota limpava o chão das escadas, quando sua avó apareceu para ela pela primeira vez com um homem estranho. Naru não sabia o que estava acontecendo, mas agiu da forma mais gentil e amorosa possível com os dois que eram estranhos para ela. Eles diziam que precisavam falar com seu pai, e garota ou buscará animada, quando Izanagi viu os dois visitantes fechou imediatamente a cara. "Hiiro, por favor, vá pra dentro" foi o que ele falou naquela hora, Naru não entendia nada, mas ainda sim obedeceu. Via seu pai gritar com os dois , que pareciam estar calmos e tranquilos, Naru espiava pela janela, nunca viu o pai alterado daquele jeito, o homem de preto tirou os óculos e acabou com um sorriso para a janela onde Naru espiava, seu pai então parou de gritar e abaixou a cabeça chorando, os dois visitantes saíram do lugar deixando-o chorando no chão.

Tokyo, aquele era seu novo destino. Seu pai arrumou imediatamente as malas dele e dela, Naru perguntava curiosa o que estava acontecendo, mas sei pai só falava coisas como "Não me odeie, por favor", "Hiiro, não importa o que acontecer no futuro, eu sempre vou te amar", "Apenas você é o suficiente, não se esqueça disso" e com milhares de perguntas e questionamentos Naru embarcou para Tokyo. Ao chegar, Naru foi recebida por sua avó, seu pai parecia triste e melancólico. "Está pronta Narumi?" A avó perguntava com um sorriso no rosto "Vamos, se dispersa do papai", Naru os olhava confusa, quem era aquela mulher? Por que ela tinha que se despedir? Naru chorou, chorou e chorou, "Eu quero ficar com o papai" "Me deixe ficar com ele", o pai chorou mais, abraçando ainda mais a morena que estava perplexa "Eu não tenho mais condições de ficar com você, você não precisa saber o por que disso, vai por mim... sei que é um pedido egoísta e mesquinho, eu sou realmente um péssimo pai... Mas sua avó vai cuidar de você.... Por favor não guarde rancor, não me odeie". Ela decidiu confiar no pai e se despediu ainda chorando, mal sabia ela que aquela seria a última vez que o viria...

Viveu uma vida normal com a avó, ela achava agradável, ela tinha amigos, uma vida um tanto pacifica com coisas que ela gosta, apesar de frequentemente pedir para a avó para visitar o pai ou dizer onde ele está, mas ela nunca falava nada sobre ele e a pedia para esquece-lo. Naru foi construindo sua personalidade aos poucos, o seu único defeito era o seu coração. Naru, acreditava em sua avó cegamente graças a ele, sempre acreditou nas palavras de seu pai "Ela vai cuidar de você, ela não te faria nenhum mal" era o que ele disse aquele dia, até que o dia chegou. A avó de Naru a chamou para uma conversa, ela contou tudo para ela, sua origem, seus segredos e o motivo da separação do pai. Naru ficou perplexa, sem reação, não acreditou quando a avó contou. Ela tinha chantageado Izanagi e vendeu a garota quando criança para Karl, o homem misterioso de preto. Naru nunca gritou tanto, aquele dia foi um dos piores dias da vida dela, o pior foi realmente ter conhecido Nona. "Eu te odeio, eu nunca irei te perdoar", Nona ouça aquelas palavras calada e sem expressão. "Bonecas sem coração são fracas, mas as que tem coração são muito mais frágeis", foi a o que Nona disse a ela, aquela foi a última vez que ouviu a avó falar de novo, já que a mulher se trancou em seu quarto e ficaria ali até a próxima semana.

Uma semana depois Naru estava na porta de casa com suas malas em mão, o homem de preto já estava ali para lhe buscar.



Família

Izanami Chihiro - 26 anos (quando morreu) - Falecida - Humana


Nunca chegou a conhece-la, mas de tanto seu pai falar bem dela, sempre se sentiu triste por não te-la conhecido, e muitas vezes se culpa por sua morte.

Izanagi Chihiro - 44 anos (Quando desapareceu) - Não sabe o paradeiro - Descendente de anjo caído


Seu pai e ela sempre tiveram uma relação maravilhosa, ela o via como um herói, mas depois que sua avó se intrometeu em suas vidas... Nunca mais o viu, por isso sempre chora em seu quarto a noite quando se lembra dele.

Nona Chihiro - Anjo caído - Desapareceu depois de a vender.


Uma mulher de aprox. 64, mas ainda sim com aparência de 30, era aparentemente uma mulher dócil e protetora, mas infelizmente seu coração a fez confiar na pior pessoa do mundo, egoísta e gananciosa, nunca a perdoará por te-la separado do pai e tirado a vida pacifica dela.



Personalidade
Naru é descrita facilmente como curiosa e é motivada por encontrar coisas novas para prender sua atenção, se não é interessante, ela não está interessada. Sua curiosidade pode leva-lá até coisas que custem a própria vida, ela é do tipo que gosta de se arriscar o ditado "A curiosidade matou o gato" nunca fez tanto sentido para ela. Ela sempre tem a desculpa de que "é uma curiosidade puramente cientifica" ou "inocente", Naru é do tipo que sempre procura algo pra satisfaze-la por completo, até enjoar, e não liga nem um pouco para o que as pessoas achem disso. Gosta muito de tentar coisas novas ou que nunca fez na vida, tanto que até tentou ser Idol só pra satisfazer o seu desejo incontrolável de querer se destacar das outras pessoas. Sim, Naru tem um forte desejo de querer se destacar em tudo, não é como se ela fosse esnobe ou quisesse jogar na cara de alguém, mas ela quer ser sempre a melhor em tudo que faz, mesmo sendo a primeira vez. Mas muitas vezes isso a deixa entediada, já que Naru sempre consegue se destacar mesmo sem esforços. Ela tem um jeito natural de agir, principalmente por sempre seguir a filosofias de auto estima e nunca se preocupar com que os outros pensem ou falem dela, ela sempre vai agir do jeito que lhe der na telha e ninguém consegue controla-la. Ela nunca faz algo pra mostrar ser melhor que outra pessoa, e sim pra mostrar pra ela mesma que ela consegue ser tão boa quanto qualquer um.

Um tanto irresponsável, Naru é o tipo que pessoa que levaria qualquer um a loucura, principalmente por não parar quieta em um só lugar, muitas vezes ela é tratada como uma criança que precisa de babá, senão provavelmente acabaria em uma enrascada cedo, principalmente cair na lábia de alguma pessoa maldosa. Isso é algo que as pessoas se enganam muito sobre ela, Naru não é nem um pouco inocente. Ela é dona de belos olhos, e com eles observa em quem pode ou não confiar. Analise comportamental é o forte da garota, por isso adora observar as reações das pessoas, e sabe descrever cada sentimento com pequenos comportamentos que ela faz. Por exemplo, o olhar perdido, um sorriso torto, a voz levemente falha, e algum tique que ela possa ter, já é um grande sinal que essa pessoa está mentindo ou escondendo algo, por isso, se a garota estiver quietinha no primeiro encontro, pode ter certeza que ela está te analisando para ver se você vale ou não a pena.

Vale ou não a pena, é como ela rótula as pessoas. Seria errado julgar as pessoas a primeira vista? Para ela não. Naru confia muito em suas analises e nunca volta atrás. Se ela te julgar como alguém que não vale a pena, provavelmente você é uma pessoa que ela considera de mal caráter ou entediante. Pessoas entediantes geralmente são pessoas tão narcisistas que não conseguem falar de outra coisa sem ser ele mesmo, pessoas que ela sabe que provavelmente ela enjoaria se ficasse muito tempo junto ou pessoas simplesmente chatas. As que valem a penas são pessoas que tem historias para contar, animadas e um tanto únicas e peculiaridades.

Por falar em peculiaridade, Naru é uma garota um tanto peculiar, seus interesses pela ciência (que é o grande motivo de suas curiosidades) e por feromônios sempre assustam todos que convivem com a mesma. Isso a faz ser um tanto pervertida, de fato, sempre procura testar esses feromônios em outras pessoas para pesquisas "puramente cientificas", Naru costuma deixar as mais tímidas bem envergonhadas, já que a mesma não demonstra ter nenhuma vergonha na cara em fazer coisas pervertidas tanto com as garotas quanto com garotos. Naru tem uma grande curiosidade e demonstra muito interesse quando o quando o assunto é sexo ou coisas relacionadas ao amor já que a mesma nunca sentiu nada que pudesse saciar sua curiosidade. Apesar de muitas vezes usar feromonios para atrair os homens, no final nunca achou alguém que "valesse a pena" a se arriscar, visto que ela mesma no final sempre desiste de deixar alguém entrar em seu coração. Não se pode negar, Naru é extremamente sedutora e sabe disso, mas muitas vezes chega a ser tão lerda quanto uma criança.

Não sei se lerda é a palavra certa para descrever Naru, mas sim Avoada. Naru é geralmente bem avoada, do tipo que parece estar vivendo em seu próprio mundo, o que faz com que geralmente ignore as outras pessoas que tentam falar com ela enquanto ela está pensando, até mesmo propositalmente. Naru geralmente não se liga a piadas de duplo sentido de primeira, pois provavelmente está boiando em algum mar nos seus pensamentos, mas quando se liga, entende e ri. Naru tem um sorriso fácil, e também consegue tirar sorrisos e gargalhadas facilmente, principalmente por seu jeito avoado e suas piadas, tanto "brancas" quanto "negras". Naru não é politicamente correta, por isso sempre leva tudo na esportiva e costuma fazer piada de tudo, mas não é o tipo que machucaria uma pessoa propositalmente apenas para "ganhar a piada", ela leva um pouco em consideração os sentimentos das pessoas, apesar de não ser muito sentimental ou pelo menos não demonstre ser.

Pouco sentimental, não demonstra muito seus sentimentos e muito menos sabe como demonstra-los, Naru muitas vezes pode ser considerada insensível por não conseguir lidar com pessoas muito sentimentais. Naru age muito mais com a cabeça do que com o coração, visto que usa-lo no passado a fez ter péssimas experiencias, Naru não acredita nas escolhas do seu coração. Pode doer, pode gritar, Naru o acha um traiçoeiro, acha que sempre deve reconstruir o que o seu coração destrói, até mesmo que seu interior é supérfluo e vazio, uma das poucas coisas que a garota se orgulha. É algo que nem suas filosofias de auto estima pode superar, sente inveja dos que tem algo para se orgulhar, muitos pensam que ela é perfeita por sempre conseguir se destacar e fazer bem tudo que faz, mas isso é apenas para tentar preencher o vazio que ela sente em si mesma, algo que ela nunca vai mostrar a ninguém.




Apenas ela é o suficiente.』



Qualidades
É uma garota super animada e extrovertida
A melhor companhia para se ter ao lado, principalmente por ser companheira e estar quase sempre de bom humor.
Ótima em dar conselhos, provavelmente conseguirá dizer o que a pessoa quer realmente ouvir
Uma garota esperta e observadora, além de ser muito inteligente
Criativa, para ela, com criatividade você consegue conquistar o mundo.
Tem uma boa índole, apesar de doidinha



Defeitos
Tem uma natureza um tanto preguiçosa e que busca coisas fáceis
Quando quer uma resposta rápida tende a ser intimidante e agressiva, ela odeia ser enrolada e sua paciência é a minima
Ás vezes quando de mau humor, tende a ser insensível com quem vem falar com ela
Consegue arranjar confusão rapidamente, por sua curiosidade, além de ser bem desobediente quando ver coisas como ''Não abra'' ou ''Não espie''
O fato dela esconder seus sentimentos, guardar tudo para ela e se mostrar insensível quando na verdade é uma garotinha chorona.



Gosta

MORANGOS, a paixão número 1 de Naru


Dormir, quem não gosta de dormir? Naru com certeza é a pessoa que mais gosta de dormir na vida, por ser bem ativa e muitas vezes ficar acordada pela noite experimentando novas coisas, Naru tende a ser bem mais preguiçosa que as outras pessoas


Extremamente apaixonada por Cup Noodles, por que? É uma comida pratica, fácil e deliciosa.


Café, um dos vícios de Naru. Gosta de tomar quando quer ficar acordada até tarde, ou quando está em um dia frio


Bolos, quer conquistar Naru? Dê um pedaço de bolo a ela


Ler, se pudesse, Naru passava todos os dias lendo


Da lua


Estrelas cadentes, seria infantil demais fazer um pedido?


Insetos, os acham interessantes


Química, a real paixão de Naru, desde a época do colegial, adora fazer novas reações.


Mordidas carinhosas, se ela um dia te marcar é por que gosta de você


Flores de Sakura


Escrever historias quando entediada


E de bônus desenhar


Perguntar, questionar, gosta de descobrir novas coisas e as perguntas é um meio de descobrir o mundo.


Gatos, ela de fato adora os gatos, são animais pequenos e fofos, a melhor companhia para se ter em sua opinião.


Pessoas carinhosas e abraços


Conversar com quem mais gosta
http://67.media.tumblr.com/ff41ea35d6c9adddb120ef47c115c2d6/tumblr_nvak9eoiw51uca5flo1_500.gif

Neve


Cantar, mesmo não querendo voltar a ser idol, sua paixão por canto ainda permanece




Desgosta
Internet lenta ou Carregando..., não tem nem um pouco de paciência para isso e sempre tem vontade de jogar o celular no chão


Chorar ou se sentir fraca, principalmente na frente dos outros.


Pessoas dramáticas, acham desagradáveis


Arrumar ou limpar algo, acha problemático


Tesouras


Pessoas paranoicas, se ela já é, pra que ter outra pessoa paranoica ao lado? Que irritante!


Que invadam seu espaço, principalmente quando ela está trocando de roupa


Que a acordem cedo ou sem ela querer, isso faz ela ficar mal humorada.


Odeia ver algo que ela construiu se desfazendo sozinho ou sendo destruído por outras pessoas, poxa, deu trabalho.


Ser zoada por pessoas altas por causa de sua altura.


Se sentir envergonhada e corar, ela realmente se sente desconfortavel, além dela estar acostumada a envergonhar as pessoas e não ser envergonhada.


Correr, odeia correr


Fumantes. Se que morrer, morra pra lá por favor!


Odeia ficar presa em quebra-cabeças, questões de provas ou charadas


Que comam o que é dela. Se ela te oferecer, ou é pra recusar ou é pra comer só um pouquinho.


Televisões, ela acha idiotice ficar parada vendo algo provavelmente inútil


Chá, só de sentir o cheiro sente vontade de vomitar.




Habilidades
Força e velocidade atribuídos desde criança
Agilidade, Naru possui um corpo ágil e, digamos, bem leve.
Resistência, outra habilidade atribuida desde criança, Naru tem um corpo bastante resistente a machucados e arranhões, além de tem um ótimo estimulo de sobrevivência.
Reflexos precisos
Comportamento imprevisível, ela adquire muita vantagem
Uma combatente acrobática dotada, isso a obriga também a ter uma grande flexibilidade
Memoria fotográfica



Manias
Enrolar um cacho de cabelo quando pensativa
Estalar os dedos quando tem uma ideia repentina
Colocar o cabelo no rosto e sorrir de forma bem estranha quando constrangida.
Dormir de jaleco
Dormir quando alguém fala demais Na verdade é falta de educação mesmo



Vícios
Criar novos feromônios
Cheiro de Morango
Cup Noodles



Doenças
Não possui nenhuma



Hobbies
Observação e analise comportamental
Experimentar novos feromônios e criação de reações químicas
Desaparecer sempre que precisam dela
Karaokê
Quando com insônia costuma sentar na janela do quarto e pensar ou invadir o quarto do par.


Talentos
Um incrível talento para canto, apesar de ter enjoado de ser idol, ela ainda consegue cantar belamente.
Pra química e experimentos.
Na verdade, tudo que ela faz ela executa extremamente bem, mas esses são seus maiores destaques.



Segredos
Seu "eu interior"
Já mandou sua melhor amiga por hospital, em um caso de vida ou morte, graças a uma briga. Na época ela não sabia direito sobre suas habilidades por isso não tinha muita consciência de ser tão forte assim. Ela não gosta de comentar sobre isso por que ela se sente péssima até hoje.



Medos/Fobias
Possui um pouco de medo do mar, por não saber nadar tem medo de morrer mas adora usar roupas de banho, vai entender
Trovoadas, sempre se assusta quando acontece uma, você pode encontra-lá embaixo de uma mesa ou cama
Palhaços, tem um pavor um pouco ridículo por palhaços, graças aos filmes de terror.
Não possui nenhuma fobia, apenas medos que podem ser ou não superados



Traumas
Abandono, Naru sofreu muito com a separação do pai, até mesmo quando sua avó, que era carinhosa e dizia a amar, a abandonou, ela ficou muito paranoica quanto a isso, por isso nunca confia muito mas pessoas que se aproximam demais, por que teme que elas vão embora.



Par


Ruki Mukami



Como age com

ღ Par:
Mostrar Spoiler: ❝Quero que me cumprimente de forma diferente dos demais
Quero que apenas a mim dê tudo o que tem
O destino, o milagre, a vontade divina puderam me encontrar e trazer-te a felicidade❞


❝ Ruki Mukami é realmente a pessoa menos interessante de todas que já conheci ❞

O inicio da relação deles não foi uma das melhores. Por que? Naru facilmente o descreveu como alguém que "Não vale a pena", era um homem entediante, com uma personalidade entediante, e "intelectualmente forçada", segundo ela. Ruki também não demonstrava muito interesse nela, por a achar uma garota um tanto problemática, mas a verdade que ele não sabia era que isso aumentava ainda mais seu interesse. Naru começou a pegar amizade facilmente com os outros irmãos, e sempre o deixava para trás, Ruki não demonstrava, mas aquilo o deixava extremamente irritado, muitas vezes quando eles estavam sozinhos ele sempre tentava intimidar ela, ou a colocava contra a parede ou a lançava olhares ligeiramente intimidantes, mas Naru ainda não parecia ter interesse nele e como bônus sempre o provocava, geralmente colocando o dedo em seus lábios ou se fazendo de inocente, tudo isso misturado com um pouco de sarcasmo, ela não era intimidada por ele e isso o irritava mais ainda, ela era como um desafio nada fácil.

Não era do feitio de Ruki deixar passar, mesmo Naru tendo um portão de gelo em seu coração, ele iria marca-la, mesmo se ela o impedisse, ele iria deixar Naru intimidada com a presença dele. Na noite que ele foi ao quarto dela, Naru estava sentada na cama chorando, ele não entendeu o por que daquilo, e Naru se assustou com a presença inesperada do Mukami, e gritou muito com ele, tentou o agredir, mas a morena estava sem forças para isso e se deixou cair em seus braços

Ruki não sabia o que fazer diante daquela situação, ele estava ali para marca-la e humilha-la, não para presenciar uma cena daquelas. Ela desabafou, tirou a mascara de durona e chorou muito em seu peito, ele a levou para a cama e deixou ela chorar mais um pouco, depois começou a contar sua historia. Aquele agora era um momento para os dois conhecerem o lado que eles nunca tinham mostrado a ninguém. Naru ficou fascinada pela historia de Ruki, que no final não conseguiu o que queria e saiu do quarto dela sem dizer nada.

❝ Ruki Mukami é realmente a pessoa mais fascinante de todas que já conheci ❞

No dia seguinte Naru tinha tentado se aproximar mais de Ruki para desvendar seu lado humano e não sádico, ver se ele tinha outras caras como a de ontem a noite, e aquilo era outra coisa que o irritava sobre ela, Curiosa ao extremo. Ela acabou virando sua stalker no fim, Ruki tinha se arrependido profundamente de ter atiçado seu lado curioso. Naru não entendia o que tinha acontecido, o por que de seu interesse repentino, será que aquilo se resumia em um simples interesse? Ou tinha algo a mais que ela nunca tinha sentido? Ela não entendia, mas sabia que Ruki Mukami era a chave para todas as respostas dela.

❝ Será isso amor?❞

O coração de Naru tinha se amolecido graças a ele, era a chance perfeita que Ruki tinha para a tornar submissa dele. Quando os dois ficaram sozinhos, Ruki conseguiu o que queria, o seu pescoço marcado. Naru o empurrou, assustada com a atitude, e tentou fugir, porém era em vão, Ruki o prendia de volta, mas na verdade nem ela mesma sabia se queria fugir. Foi um dos momentos mais difíceis da vida de Naru, ela tinha medo do abandono, por isso nunca deixou ninguém entrar no seu coração, mas Ruki conseguiu quebrar sua porta de gelo e entrou sem tirar os sapatos. Ela tinha virado seu brinquedo de verdade naquele dia.



❝ Será que um dia eu vou conseguir entrar em seu coração? ❞

A insegurança tomava Naru, “Ele vai se esquecer de mim“, “Ele vai se enjoar do meu sangue“, "Por que deixei isso acontecer?" ela pensava. Ruki nunca deixou claro seus sentimentos por Naru, e isso fazia a insegurança aumentar. Muitas vezes Naru tentava chegar perto dele, o incomodar, agir como ela mesma, mas muitas vezes ele nem ligava para ela. “Eu sou só útil quando lhe convém“, era irritante esse pensamento, muitas vezes ela tentava se afastar dele, mas todas as vezes ela era atraída de volta ao seu lado, principalmente por Ruki sempre mostrar, mesmo que indiretamente, que estar ali para ela. Aquilo sempre a deixava mais feliz, apesar dele deixar claro que ela era apenas "sua bolsa de sangue", Naru já estava feliz o suficiente só de estar ao seu lado.



❝ Quero que apenas para mim dê tudo que tem ❞

Naru entendeu que não deveria mais agir como uma criança boba apaixonada, a garota deveria ter atitude de uma mulher da sua idade, se tornou sedutora, provocativa, porém ainda era submissa. Quando se beijavam ou quando ele a marcava no pescoço ou em outros lugares, parecia que o tempo parava apenas para os dois, eles estavam compartilhando o mesmo sentimento, o mesmo calor, o mesmo momento. Muitas vezes Naru invadia o quarto de Ruki a noite e ficava em cima dele balançando as pernas, ele também muitas vezes a obrigava a dormir junto com ele.
Ele adorava sentir seu cheiro de morango, ele tinha certeza que ela estava a seu lado, já que é extremamente fácil achar Naru pelo cheiro.



❝ Amo, amo, amo, perdi meu amor ❞

Ás muitas vezes que Naru e Ruki brigavam era por ciumes do garoto ou pela insegurança da garota, quando isso acontecia, ele sempre a levava a um lugar onde apenas os dois pudessem estar sozinhos e ele tentava “castigar“ ela, porém ela sempre fugia dele, ou dava um tapa em seu rosto e saia correndo. Toda vez que ela corria, se escondia embaixo de uma mesa e chorava por ali mesmo. Ruki, apesar de não aparentar, se sentia mal, por isso era o primeiro a falar com ela, eles conversavam, e durante essas conversas ela via mais o lado humano de Ruki, e isso sempre a fazia voltar para ele, pois assim via que ele gostava dela de verdade.



❝ Apenas nós dois juntos é o suficiente ❞


A relação deles eu deixo a seu critério colocar tudo que eu escrevi, resumir, tirar ou até mesmo acrescentar :3 Esqueci de dizer, mas ela o chama de “Mamãe“, por ser cuidar dos seus irmãos como uma mãe, ele odeia quando ela o chama assim






ღ Os outros



Shuu Sakamaki

O que dá juntar dois preguiçosos juntos? Exatamente, nada. A diferença é que Naru é mais animada com a vida e Shuu é realmente desinteressado, a relação dos dois é possivelmente neutra, mas ela o acha entediante e ele provavelmente a acha barulhenta e encrenqueira demais.


Reiji Sakamaki

Chato? Um pouco, ela consegue ver as más intenções de Reiji em seu olhar, e muitas vezes sabe provoca-lo com sarcasmo. Seu espirito aventureiro incomoda Reiji por que 1)Odeia vê-la andar pra lá e pra cá e 2)Ela sempre vai estar bagunçando algo. Ele reclama muito de sua compostura, por isso ela o acha chato e sem graça.


Ayato Sakamaki

O que dizer de Ayato? Ele e Naru compartilham bons momentos amigáveis juntos, Naru o acha agradável e é um dos vampiros (na parte dos Sakamakis) com que mais anda, ele que deu o apelido de Mad scientist para ela, e afirma que ela é louquinha de pedra.


Kanato Sakamaki

Ela o chama de Kanatochii, e está sempre o abraçando. Ela o acha fofo por ele ter um perfil de shota, não liga se ele é maluco, violento, que grite ou faça qualquer coisa com ela, afinal ela gosta de seu jeito peculiar de ser, isso o faz diferente dos outros.


Subaru Sakamaki

Resumindo, Subaru a odeia. Por que? Apelidos! Naru gosta muito de irrita-lo com apelidos e provocações , quando vê sozinho na verdade vê uma oportunidade de se "divertir" um pouco. Ela o adora. (hue)


Raito Sakamaki

"Pervertido-san" ou "Assistente" como ela o chama, Raito é outro que ela se da super bem. O que fazer quando se tem dois pervertidos sendo amigos? Não, a resposta não é amizade colorida, mas sim duas pessoas pervertidas, oras. Naru as vezes chega a ser cúmplice de Raito para saber coisas como medidas das garotas e pontos fracos (principalmente de sua noiva). A relação causa um pouco de ciúmes no par.


Azusa Mukami

Ela o chama de Anzu, e ela o trata como um irmão caçula. Azusa a chamou muita a atenção desde que ela o viu pela primeira vez, sim, suas faixas atiçaram seu lado curiosa. Depois de descobrir seu lado masoquista, Naru ficou ainda mais interessada nele, e odeia quando as pessoas pedem para ele parar com isso, já que vê isso como parte de sua peculiaridade é jeito de ser.


Kou Mukami

Kou-chan, como ela o chama, é o garoto problema dos Mukamis. Ela o adora, principalmente por ele ser animado e gostar de cantar junto com ela, as vezes eles estão no quarto dele dançando e cantando como se fossem idols e ali tivesse uma plateia. Mas sei jeito interesseiro chama a atenção de Naru para "Problema". Se ela não soubesse do passado dele, ela acharia que ele é uma pessoa que "não vale a pena"


Yuma Mukami

Diferente dos outros, ela não deu um apelido pra Yuma, por que... Bem, na verdade ela nunca pensou nisso. Yuma é o Mukami com que ela tem menos intimidade, muitas vezes não sabe bem como agir perto dele, mas em geral a relação deles é bem tranquila, e se ela gostasse de ficar debaixo do sol até o ajudaria no jardim quando possível.





ღ As outras noivas:
Mostrar Spoiler: ❝É divertido? É divertido
Está feliz? Estou feliz
Você é igual aos demais, falemos
Do que devemos falar?
Está nervosa? Está animada?
Agora me sinto mais feliz
Me alegro de termos nos conhecido
Não estou mais sozinha❞


Naru sempre se mostra extrovertida, animada, e ser doidinha, desde o principio quando conheceu as meninas. Mas, ela nunca mostrou a Naru de verdade, era como se ela tivesse mascarado apenas o que quer que as pessoas não vejam. Sempre tentou se destacar, achando que assim elas iriam a notar, mas ela foi percebendo que não era assim que conquistavam as pessoas. A sua vida toda ela foi mascarando a verdade e criando amizades falsas e vazias, exceto por sua melhor amiga da época do colegial, e que ela machucou, que quis conhece-la além da mascara. Naru nunca soube tomar grandes iniciativas sobre o quesito "amizade", até por que nunca fez muita questão de ter amigo ou qualquer pessoa por perto, por medo de ser abandonada.
Naru as analisaria primeiro, veria o jeitos das outras de agirem, tiraria conclusões sobre "Quem vale a pena e quem não vale".
As que valem a pena, ela tentara se aproximar de forma curiosa, atiçando a curiosidade das outras sobre ela mesma. Não será "amizade" logo de primeira, afinal ela ainda tem que conhece-las direito pra no fim tirar a conclusão do que é de fato a amizade e quem é amiga ou não. Se for amiga, Naru vai trata-las de forma mais animada e idiota possível, uma ótima pessoa para se ter ao lado, os dias com Naru por perto nunca são entediantes, Naru vai tentar desabafar sobre algumas coisas, por confiar nelas. Naru vai ser brincalhona e um tipo de irmã mais velha para elas, sempre querendo pentear seus cabelos, organizar festas do pijamas, deixa-las envergonhadas sobre seus sentimentos, vai fazer brincadeiras pervertidas e muito mais. Aos poucos vai construindo a ideia de "felicidade" e de que é igual aos demais.
Para as que não valem a pena, irá simplesmente ignora, mas não é como se ela fosse virar uma pessoa arrogante e grosseira, será educada até certo ponto, mas não tentará aproximação.





Uma frase que a define
❝ Não há nada que seja suficiente, posso ver que não há nada que seja suficiente, exceto eu ❞



Músicas

ღ Dela:



Essa música tem uma historia um tanto confusa que tem haver com outra música e você pode procurar teorias na internet hue
Mas eu não vou explicar da historia da música, até por não tem NADA haver com o que eu vou falar, e sim do que eu interpretei com a letra


Nessa música a Garota se vê em um mundo imaginário, onde apenas ela existe (O que acontece com Naru que gosta de viver em seu próprio mundo). Nele, tudo que ela toca desmorona, e toda vez a mesma tem que construir de novo (Referencia ao coração de Naru, o fato dela achar que deve consertar todas as burradas dele). Na parte
"Quando o toco, colapsa e desaparece.
Como meu eu interior"

(Naru se refere ao fato de seu interior ser completamente superfulo e vazio)

"Justo entre o céu e a terra
Estou flutuando em silêncio
Invejando a todos os demais
Sou a única que existe"

(Referencia ao fato de Naru invejar os que tem algo a se orgulhar, para ela, a mesma se encontra em neutro diante dos demais, sendo assim "apenas ela é o suficiente".)

"Tudo isso não me representa
Mas brilha por alguma razão"

(O começo de sua aceitação, ela se sentia feliz, mas não sabia por que.)

"Eu sou como todos os demais, agora deveria ver esse brilho"
(Representa suas amigas, quando ela começou a se aceitar de verdade, o brilho simboliza a felicidade que ela encontrou.)

"Por haver me visto em um sonho
E ter sido capaz de me ver me deixou feliz"

(Representa todas as pessoas que a "encontraram", principalmente o amor.)

ღ Par:


A letra fala por si, basicamente sobre o inicio da relação dos dois, sua inseguranças, sentimentos e etc.


A letra também fala por si, depois de ter aceitado, graças a sua curiosidade, o seu amor pelo par E bem... Vocês entenderam o que a letra fala *lenny face*



Roupas



ღ Casual:



ღ Formal:


Gosta de usa-lo em jantares

ღ Dormir:



ღ Banho:







Caso seja aceita, sua personagem estará em nossas mãos, você aceita isto?
Claro



Irá acompanhar a fanfic? Saiba que se não comentar por três capítulos seguidos(sem avisos) sua personagem morrerá ou tomará um chá de sumiço, tem consciência disto?
Claro

Como reagiria ao:

Descobrir que está morando com vampiros?

" — Eh? Vampiros?Tipo, de verdade mesmo? Jura?! Não estão estão me zoando, né?!"

A primeira reação dela foi quase isso: Seus olhos brilharam de curiosidade. Assustada? Não, nem um pouco, talvez surpresa fosse a palavra certa, afinal ela era completamente cética quanto a seres sobrenaturais. Porém, ainda os trata-rá como sempre, talvez sendo um pouco mais chata já que ela provavelmente os seguiriam por todo lado para ver o seu estilo de vida, o que eles fazem, se eles se queimam no sol, se dormem mesmo em caixões, sempre com um bloquinho e uma caneta em mãos, afinal é uma "curiosidade puramente cientifica".

" — Ei, ei, vocês também viram morcegos?Sério? Vira morcego por favoor ~"
" — Alguém tira essa garota daqui..."


Realizar que está apaixonada?

Como dito na relação: Um tsunami de emoções tomou conta de Naru. Insegurança, negação, nervosismo, era a primeira vez que ela sentia algo tão forte e profundo assim, porém se negava a acreditar que era amor, já que como cientista ela também é completamente cética desse tipo de emoção. Para ela no começo tinha que ter uma explicação da ciência, não é possível! Porém tinha que aceitar a realidade, ela estava completamente apaixonada por ele.

" — Cheguei a conclusão que amor é uma química. Isso, uma química! Afinal existem diversos tipos de hormônios dentro do corpo humano que reproduzem certas sensações boas quando você está perto da pessoa amada, adrenalina, dopamina, noradrenalina, otocina, vasopressina, eles interagem entre si criando um fluxo no nosso corpo fazendo todas essas sensações estranhas que eu tenho quando estou perto de você, então está comprovado cientificamente que eu estou provavelmente muito atraída e apaixonada por você."
" — Isso foi algum tipo de declaração?..."


Descobrir que é descendente de um anjo?

Bem, a primeira reação de Naru foi: Que?
Se existe vampiros provavelmente existiria todos os tipos de seres sobrenaturais e divinos da face da terra, isso era o que Naru passou a acreditar, porém, saber que ELA era um desses seres.... Inacreditável! Quer dizer que passou toda sua vida sendo um anjo e não sabia disso? Quer dizer que era por isso que tinha aquela fora sobre-humana? "Magnific!" Foi o que ela pensou, começou então a querer fazer coisas como: Experimentar e ver se possui alguma habilidade, querer ver se tinha asas e força-las a aparecerem (isso sairia de forma bem idiota), seus olhos brilhariam muito, afinal, a cada dia que passou naquele ano foi uma nova descoberta e surpresa, por isso pode-se dizer que ela estaria um tanto animada. Também se perguntaria o por que de alguém como Nona ser um anjo, já que ela é uma das piores pessoas que ela já conheceu, porém isso é algo para outra história.

" — Se eu me jogar da janela agora poderei voar?"
" — Por favor, não faça isso..."


Conhecesse um anjo

Ficaria contente, afinal ele talvez pudesse responder todas as dúvidas e curiosidades de Naru, além de ser reconfortante saber que nem ela e nem as meninas, que provavelmente estão igualmente perdidas, irão lidar sozinhas com essa nova descoberta.



- xoxo






{𝓟𝓻𝓲𝓭𝒆, 𝓟𝓻𝒆𝓳𝓾𝓭𝓲𝓬𝒆 𝓪𝓷𝓭 𝓤𝓷𝒆𝔁𝓹𝒆𝓬𝓽𝒆𝓭 ℒ𝓸𝓿𝒆}


Mostrar Spoiler: ❝Somente por você 𝔯𝔢𝔫𝔲𝔫𝔠𝔦𝔬 ao meu orgulho, Ƙαηαтσ❞






❝𝒜 doce bambina
𝒜 menina que ˢᵒᶰʰᵃ
𝒜creditava que a 𝑒𝓉𝑒𝓇𝓃𝒾𝒹𝒶𝒹𝑒 estava presente





𝙽𝚘𝚖𝚎 𝚌𝚘𝚖𝚙𝚕𝚎𝚝𝚘:

- 𝒜́𝑔𝒶𝓉𝒽𝒶 𝐸𝓁𝒾𝒶́𝓃 -

𝓐́gatha - É um nome grego que ficou popularizado a partir de Santa Ágata, conhecida como protetora dos seios. O nome vem com o significado de boa, perfeita, respeitável, virtuosa, se referindo as características de uma pessoa bondosa, de respeito e responsável por tudo que faz.

𝓔lián - É o sobrenome do grego Helios, o sol . Representa o rei da luz, mais brilhante e luminosa, e pela vida padrão.




𝙰𝚙𝚎𝚕𝚒𝚍𝚘𝚜:
𝓐ge - Apelido carinhoso surgido através da abreviação de seu nome, Ágatha. Muito utilizado por suas amigas, ela não desgosta, apesar de se sentir envergonhada muitas vezes quando utilizados, principalmente por pessoas que ela não julga muito próximas dela.

𝓘chigo - Usado apenas pelo par, graças ao seu cheiro doce de morango, como se fosse uma marca registrada. Muitas vezes ele a refere como Ichi-chan, o que gera muita confusão, já que a maioria das pessoas quando o veem chama-la assim acham que o apelido vem de "Ichi", que significa "Primeira".

ℬonnie - Começou sendo utilizado por Ayato, depois o apelido acabou se espalhando e as outras pessoas também começaram a chama-la assim. Por ser branca e fofa que nem um coelho, Ágatha se sente envergonhada com tal comparação, apesar de ser seu animal preferido. Porém não desgosta totalmente dele, ela acha na verdade muito fofo.




𝙸𝚍𝚊𝚍𝚎:
𝟏𝟖 𝓪𝓷𝓸𝓼 recém completos, apesar de não aparentar a idade que tem, Age nasceu no dia 15/10/1998, sendo assim Libriana ♎
𝓐gatha desconhece e tampouco se interessa por astrologia, ela realmente não acredita nem um pouco nisso.




𝙽𝚊𝚌𝚒𝚘𝚗𝚊𝚕𝚒𝚍𝚊𝚍𝚎:
𝓝ascida na Grécia, mais precisamente em Atenas. Ágatha se mudou para o Japão aproximadamente a um ano, por isso ainda sente um pouco de dificuldade em falar japonês sem sotaque.






𝙰𝚙𝚊𝚛𝚎̂𝚗𝚌𝚒𝚊:
















VOCALOID IA

『𝓐́gatha faz jús ao conceito de angelical, a albina possui uma aparência graciosa, delicada e um tanto infantil. 』

𝓐́gatha possui belas e lisas madeixas esbranquiçadas naturalmente, mas muitas vezes conseguem um contraste meio rosado geralmente por causa da luz, o que faz muita gente se confundir e se perguntar qual é a real cor de seu cabelo, que mesmo sendo de cor neutra é a parte mais chamativa de Ágatha. Seu cabelo é um tanto irregular, possuindo um corte repicado em várias camadas tendo fios mais longos que os outros, fazendo com que ele seja bem rebelde, ou seja, mesmo que ela passe horas e mais horas penteando seu cabelo para que fique alinhado o cabelo não obedece e continua da mesma forma de sempre, não que isso seja feio, muito pelo contrario, é considerado um dos charmes de seu cabelo. Ainda falando sobre seu corte, a franja de Ágatha possui um corte em "V", porém a ponta do meio consegue ser maior que a das laterais, chegando até mesmo abaixo de seu nariz, o que faz muitas vezes a garota espirrar, as duas mechas que ficam embaixo de suas franjas laterais costumam ser presas em traças feitas pela garota que vão até abaixo de seus seios. Ágatha possui um cabelo muito belo e bem cuidado, o que chega a ser muitas vezes difícil já que o cabelo da garota são muito longos, chegando até abaixo de seu bumbum. Ela afirma que jamais irá cortar seu cabelo, principalmente por achar que ficará horrível com cabelo curto, afinal, o cabelo é a parte de Ágatha que ela mais se orgulha em ter.

𝓢eus olhos são outra parte chamativa e confusa de Ágatha. A garota possui belos olhos com sua coloração azulada, porém, muitas vezes se mostra de outras cores como um azul mais escuro, um roxo, rosa e etc, o que deixam as pessoas muito confusas e sempre perguntam pra Ágatha qual sua real cor, sendo que nem a garota sabe responder muitas vezes qual a cor de verdade deles. "Os olhos são o espelho da alma", seria uma boa frase para definir seus olhos, se Ágatha se expressasse através deles. A garota possui um olhar melancólico, cansado, pensativo e aparentemente triste, é a parte mais bonita de Ágatha e mesmo assim tão "feia", a garota não entende como deveria se expressar através dele, e realmente fica triste em ver que não consegue fazer isso naturalmente. Seus cílios são incrivelmente longos e possui uma cor mais grossa, como se estivesse já com rímel, o que deixa muitas pessoas com um tanto de inveja e "raiva", já que ágatha não aproveita muito o que tem. Suas sobrancelhas são finas e igualmente brancas. Seus olhos refletem sua inocência diante do mundo, muitas vezes curiosos, muitas vezes avoados, muitas vezes indecifráveis.



𝓢ua pele é extremamente pálida, sugerindo então que a garota seja albina. Ágatha chega a ser mais branca que papel, sua pele marca muito fácil com qualquer aperto, do mais fraco até o mais forte deles, deixando sempre uma marca vermelha no local onde foi apertado. Sua pele é extremamente macia e possui um cheiro de morango já impregnado no corpo, graças aos seus cremes e sabonete, até mesmo shampoo que sempre usa, é um cheiro doce agradável, muitas vezes as pessoas querem estar perto dela para sentir seu aroma. Seu rosto é fino e delicado, porém é um tanto bochechuda, tendo suas bochechas quase sempre apertadas por terceiros, uma coisa que ela odeia profundamente quando fazem isso, porém não chegam a ser seu maior destaque. Seu rosto é completamente desprovido de falhas, machas, sardas ou qualquer tipo de sinal, foi abençoada com um rosto "perfeito". Seu nariz é um tanto fino e arrebitado, suas maçãs do rosto são levemente coradas naturalmente, assim como seus lábios rosados, sempre com uma cama de gloss de morango, essa é uma das poucas vaidades de Age.

𝓐́gatha não tem o que reclamar de seu corpo, é extremamente proporcional, odiaria se ele fosse de outro jeito, volumoso ou farto, já que a garota odeia chamar atenção pra si mesma por causa de seu corpo e gosta dele do jeito que é. Magro e fino, essa é basicamente a definição para o corpo de Age, ela é tão fina, mas tão fina que você acha que ela vai se partir ao meio com um simples toque. Seus seios são médios, não chegam a ser fartos, mas também não são totalmente inexistentes, da pra perceber que tem algo volumoso lá, suas pernas e braços são extremamente finos, como eu já disse, parecendo que vão se partir ao meio. Magra, tanto que alguns ossinhos dela são visíveis, como nas costas, no tornozelo na clavícula, e apesar de não falar, acha essa parte de seu corpo bonito, gosta muito de seus "ossinhos". Age é baixa demais pra sua idade, medindo aprox. 1,60 e pesando 39kg.





𝙰𝚙𝚊𝚛𝚎̂𝚗𝚌𝚒𝚊 𝚍𝚊𝚜 𝚊𝚜𝚊𝚜:



𝓐́gatha possui belas e fortes asas, puxando totalmente as da mãe. O que diferencia as asas de Ágatha das outras são basicamente suas penas, penas que deveriam ser belas e macias como pluma e na verdade são tão finas e mais duras do que deveriam ser, como se fossem uma arma. Ágatha quando toca nelas muitas vezes se machuca se não tomar seus devidos cuidados, por isso evita ao máximo que as pessoas se aproximem dela com medo de machuca-las, mas como elas são muito grandes ela sente um tanto de dificuldade para deixa-las longe dos outros.

𝓐s asas de Ágatha variam de tamanho, como se tivesse uma asa dentro de uma asa, quando chegam no final suas penas se curvam um pouco para baixo, ela as compara com um monte de coisas afiadas que a protege. Elas saem das costas de Age finas e vão aumentando a "grossura" delas até chegar longe o suficiente para cobri-la por inteiro. Asas brancas, como de qualquer anjo, elas conseguem serem mais brancas que a própria Ágatha, também pode mudar de cor graças ao contraste da luz, podendo aparentar ser mais claro, mais escuro ou até mesmo de outra cor. Ágatha compara suas asas com sua própria personalidade "Translucida", e as acham muito bonitas apesar de a machucarem.





𝙷𝚒𝚜𝚝𝚘́𝚛𝚒𝚊:

𝓐́gatha foi uma gravidez indesejada, fruto da irresponsabilidade de Athena Elián (sobrenome verdadeiro "van Cooper") e Heitor Elián, filho de um dos maiores empresários da Grécia em sua época.

𝓐thena e Heitor se conheceram em uma roda de amigos e por acaso amavam duas pessoas já comprometidas. Em meio a essa desilusão, Athena e Heitor compartilhavam a mesma dor de não ser correspondido e isso foi o que os fizeram compartilhar o mesmo desejo insaciável de esquecer de tais pessoas se divertindo com outras, por isso se encontravam apenas para "se divertirem" na cama e depois ir embora. Em um desses encontros surgiu a pobre e inocente Ágatha, que já era odiada antes mesmo de nascer. Athena e Heitor não se amavam, tampouco se davam bem, eles era só parceiros de sexo e nada mais que isso, era uma relação fria e de pouca compatibilidade, mas o jovem filho dos Eliáns se responsabilizou por Athena assim que descobriu que ela estava gravida, com medo dela sujar o nome de sua família, e os dois então acabaram se casando.

𝓐ssim que Ágatha nasceu, Athena nem olhou para seu rosto e mandou a enfermeira dá-la para o pai, que também não demonstrava interesse na pequena albina, mas ainda sim a carregou e escolheu seu nome.

𝓐 pequena era totalmente esquecida por sua família, seus avós por parte de pai também não quiseram se responsabilizar pela garota, já que os culpados por aquilo ter acontecido eram Athena e Heitor, por isso não interfeririam em nada, diziam que "Os problema era deles". Foi criada toda vida pelos empregados, já que a única função de Athena era ficar deitada na piscina, e muitas vezes saia de casa e só voltava pela noite ou no dia seguinte, provavelmente saindo com outros homens, enquanto Heitor trabalhava o dia todo administrando a empresa, também era provável que o homem estivesse saindo com outras mulheres as escondidas.

𝓠uando com 5 anos, Ágatha já tinha parte de sua personalidade doce formada, graças a uma empregada da casa que ela considera como uma verdadeira mãe. Mirela era uma pessoa doce, como não podia ter filhos graças a uma doença, ela via em Ágatha a filha que ela jamais teria, por isso criava muito bem. Na época Ágatha já tinha a tal "Sinestesia", por isso afirmava que a voz de Mirela era amarelo baunilha, uma cor bonita e um tanto rara para uma voz.
Aquilo irritava profundamente Athena, que afirmava que a mulher estava deixando Ágatha irritante e sem personalidade alguma, uma imbecil. A verdade era que Athena se incomodava com aquela felicidade de Ágatha, como ela ficava feliz tendo uma empregadinha como sua "Mãe". Athena não gostava nem um pouco de Mirela e sempre pegava no pé dela, criticando o trabalho da moça, fazendo ela trabalhar mais e mais. Mirela de repente se via sem tempo pra Ágatha, que parecia bem triste muitas vezes, mas sorria e pedia para Mirela trabalhar duro.

𝓐quilo era doloroso, ver o sorriso de uma criança inocente se desmoronar aos poucos era doloroso para Mirela, que sempre se perguntava que tipo de monstro era Athena. Sempre questiona Athena, perguntando se poderia cuidar da menina, mas a mulher afirmava que aquele era o trabalho dos empregados e não um problema dela. Revoltante! Absurdamente revoltante! Porém Mirela nunca bateu de frente com Athena, já que tinha medo que a demitisse e ela ficasse sem poder ver Ágatha pra sempre. Porém Athena, sendo imprevisível do jeito que ela é, a chamou para um conversa.

" — O que deseja senhora...?"
" — O que eu desejo? Sua demissão, claro."

𝓐quilo foi um choque, Mirela a questinou, estava quase histérica diante da figura maldosa de Athena, que apenas emitia um sorriso sinico em seu rosto, enquanto a machucava mais e mais com as palavras.

" — Você é fraca, sua presença me enoja, por longos cinco anos eu venho aguentando sua presença desnecessaria nessa casa. Quero que você pegue suas coisas e saia daqui imediatamente"
" — Eu não posso deixar a Age sozinha com um monstro como você, a menina não merece isso!!!"
" — Creio que você não esteja em condições de opinar, visto que você também tem alguém que ama lá fora, né?"

𝓓e fato, Mirela tinha seu namorado lá fora, e se assustou quando Athena citou isso e se assustou mais ainda quando a albina o usou como ameaça caso Mirela não saísse dali imediatamente, e ainda ameaçou sua família caso ela contasse pra qualquer pessoa sobre o que acontecia naquela casa. Mirela não teve escolhas, por mais que amasse Ágatha com todas as suas forças, não podia arriscar duvidar das palavras de Athena, visto que ela tem poder suficiente para acabar com a pobre existência dela e das pessoas próximas a ela. Foi uma despedida cruel e dolorosa pra Ágatha, a pequena albina não entendia nada do que se passava e chorou muito ao ver Mirela na porta com as malas feitas e lagrimas em seus olhos

" — Não perca sua essência Age, você é do jeito que é e nada pode mudar isso"

ℱoi isso que Mirela disse para a pequena, olhando para Athena que apoiava sua mão em seus pequenos e finos ombros enquanto acenava para a mulher com um sorriso Sínico. A partir dai a história de Ágatha se torna mais dolorosa a cada dia.

𝓢ua mãe decidiu dar mais atenção a Ágatha, na verdade ela queria mudar a personalidade irritantemente doce que Mirela tinha deixado em Age, queria que a garota fosse mais independente, queria que ela se destacasse, visto que ela era muito tímida e sua voz quase não se sobressaia, falando sempre baixo e suavemente, era muito irritante! Athena então decidiu criar Ágatha para que ela fosse perfeita em tudo que fizesse e se destacasse, ela já tinha a vantagem de sua beleza angelical, agora só faltava criar alguma atividade para ela se destacar. Toda vez que Ágaha falhava em algo, Athena a punia severamente, gritava com ela, dizia que ela não podia envergonhar os Eliáns mais, já que apenas sua existência era vergonhosa.

𝓐́gatha não gostava da cor da voz de sua mãe, era uma cor muito feia para uma voz. Age nunca teve coragem de enfrentar Athena, já ela era sua mãe e por mais que a odiasse deveria respeita-la.

𝓐́gatha começou a se interessar por música aos 14 anos, seu pai comprou até um piano pra ela, aquela foi o momento mais feliz da vida de Ágatha, porém Athena via como um incomodo. Athena se incomodava com a felicidade de Age, por isso sempre que podia tomava aquele pequeno sorriso de seu rosto, foi aquilo com Mirela e agora seria com o piano. Ágatha ficou triste, já que gostava da cor que o som do piano emitia, e ver que sua própria mãe trancou a sala de música para que ela não pudesse tocar foi doloroso. A albina começou a achar que não tinha nascido para ser feliz, por isso começou a perder um pouco de seu jeito doce e se tornando cada vez mais um branco. Indignado com a ação de Athena, Heitor muitas vezes pegava a chave da sala de música e mandava os empregados darem para Ágatha assim que a mãe saísse de casa.

𝓔ra uma felicidade quando Age podia tocar em seu piano, aquilo trazia uma harmonia para a casa e muitos de seus empregados paravam o seu trabalho para ouvir o som do piano de Ágatha. Muitas cores eram vistas, muitas notas eram sentidas, a felicidade de Ágatha retomava toda vez que a albina tocava. Porém tudo isso acabou quando Athena chegou um dia mais cedo de casa e quebrou o piano. Foi um choque tanto para Age quanto para os empregados que viam Athena bater no piano com uma coisa dura.

" — Uma fruta verde, quando passa a ter sentimentos, emite um brilho radiante. Tão ofuscante que nos obriga a desviar o olhar. No entanto, basta uma leve pressão, um toque de desesperança para amolecer. Você entende Ágatha? Você é efêmera, seu sentimentalismo ainda vai te esmagar completamente se continuar do jeito que está."

𝓔 assim Ágatha foi levada para seu quarto por Athena, que puxava os cabelos da albina que chorava muito. Depois daquele dia Ágatha não saiu mais de seu quarto, não comia, os empregados tinham medo da garota ficar anêmica e acabar desmaiando naquele quarto fechado. Ágatha tinha trancado e colocado todos os moveis possíveis na porta para que ninguém entrasse, quando Heitor tinha chegada em casa, depois de dois dias do incidente, ficou totalmente indignado com a ação imprudente de Athena e a colocou para fora de casa naquele dia dizendo que ia dar todo o dinheiro pra ela e a deixar vivendo uma vida boa ao lado do homem que ela quisesse, contanto que ela saísse da casa dele e deixasse Ágatha em paz.

𝓐thena foi embora no mesmo dia, para a alegria de todos da casa, principalmente de Ágatha, que recebeu mais atenção da parte do pai. Ele a colocou em vários cursos e aulas de música, piano, pintura e várias outras, tinha vivido uma vida feliz ao lado do pai, que estava sempre arrependido por ter deixado a pequena ao lado de alguém como Athena e ter sido um pai extremamente ausente em sua vida. Porém, Ágatha ainda se lembrava das palavras de Athena, talvez se ela virasse uma fruta verde não devesse sofrer tanto.

𝓓epois de sua vida ter melhorado um pouco, aos 17 anos, sua avó, mãe de Athena, bate em sua porta. Uma mulher doce e gentil, nem parece que alguém como Athena tinha saído dela. Agnes, o nome de sua avó, afirmou que queria muito ter a conhecido, e que não a viu antes por que Athena nunca tinha comentado com ela sobre a gravidez ou nascimento. Afirmou também que sua relação com Athena era um dos piores e que ela tinha saído de casa sem dizer para onde ia, e que passou todos seus anos procurando por ela. Ao conhecer a neta, Agnes viu uma garota incrivelmente talentosa e bela, e se sentiu muito triste por ela ter sofrido tanto nas mãos de Athena. Depois de uns meses de convivência, Agnes sugeriu ao pai de Ágatha coloca-la na tal fraternidade, o mesmo acabou concordando, já que acabou descobrindo então sobre o segredo de Agnes, Athena e agora de Ágatha, que não poderia saber de jeito nenhum que era um anjo.

" — Quando chegar a hora ela descobrirá, tenha fé"

ℱoi o que a doce senhora disse para Heitor naquele dia.





𝙵𝚊𝚖𝚒́𝚕𝚒𝚊:

𝓐thena Elián - mãe - atualmente com 37 anos - viva



𝓝ão se sabe o paradeiro de Athena no momento, provavelmente está viajando pelo mundo ao lado de alguém depois do tão esperado divórcio. Athena é uma péssima mãe, assim como uma péssima pessoa. Fria, calculista, sem escrúpulos em fazer o que for necessário para ter o que quer, sedutora e totalmente bela, Ágatha puxou totalmente a beleza angelical da mãe. Sua mãe a via como uma boneca de trapos, que deveria ser pisada para acordar pra realidade e perceber que não deve ter um coração.

𝓐gnes afirma que nem sempre Athena foi desse jeito, mas também não sabe o que resultou tal personalidade horrivel, mas sabe que foi depois da morte do pai que tanto amava, quando a albina tinha 14 anos. Athena nunca mais falou com ela de novo, e quando finalmente fez 18 anos saiu de sua casa na Inglaterra e foi para Grécia, um dos lugares que seu pai tinha vontade de conhecer, mas nunca pôde.


Heitor Elián - pai - atualmente com 39 anos - vivo - Empresário



𝓝a época que conheceu Athena, em seus 21 anos aproximadamente, era um cara galanteador e irresponsável, típico filhinho de papai, porém depois Ágatha nasceu, - não soube muito bem como agir, sendo como ele era na época duvidava muito se seria um bom pai ou como cuidaria dela, por isso deixou tudo nas mãos de Athena, algo que se arrepende profundamente hoje em dia. - não é o melhor pai do mundo, mas na época que Age nasceu, ele tentou amadurecer mais e até começou a levar a sério o seu titulo de herdeiro dos Eliáns e começou a trabalhar direito nas empresas. Quando chegava em casa, o que era raro, mas ainda sim acontecia, costumava até mesmo a brincar com Age, mesmo com seu jeito desengonçado de pai, e sempre deu tudo que a albina precisasse.

ℋoje, possui uma relação mais forte com ela, sempre querendo estar presente e a dar atenção a pequena que sempre sofria nas mãos de sua mãe, ele realmente se sente muito culpado por tudo que aconteceu com Age.

𝓐gnes van Cooper - atualmente com 54 anos - viva



𝓐pareceu depois na vida da albina, mas logo se mostrou ser doce e do bem. Agnes é uma anja que desceu na terra aprox. a 54 anos atrás, tendo porém uma aparência muito mais jovem e bela. Apesar de não ter uma relação boa com a filha, possui uma relação maravilhosa com a neta, e mostrou ser uma boa pessoa, cuidadosa e gentil em poucos meses, ganhando completamente a confiança de Ágatha. Uma senhora sabia, sempre dá conselhos filosóficos a Age assim que pode, até mesmo enquanto faz ações comuns como pentear o cabelo da albina, usa bastante o uso de metáforas, o que chega a confundir Ágatha, que depois de muito tempo de reflexão entende o que sua avó queria dizer (Ágatha também tenta usar alguns conselhos de sua avó para seus amigos ou conhecidos, porém muitas vezes não resulta em nada já que a albina se confunde, esquece ou fala errado, o que soa muito engraçado)





𝙿𝚎𝚛𝚜𝚘𝚗𝚊𝚕𝚒𝚍𝚊𝚍𝚎:

『❝𝓔la é uma garota triste e melancólica❞』

𝓔ssa é provavelmente a primeira impressão que as pessoas tem da albina, porém, essa conclusão está totalmente errada. Se você fosse dar um adjetivo que a definisse por completa, com certeza seria: Tímida.

𝓐gatha é uma pessoa extremamente tímida com as palavras, sendo considerada por muitos como uma "Dandere". Para esconder sua timidez, Ágatha age muitas vezes como alguém completamente desprovida de emoções, tipicamente com expressão em branco ou falando com uma voz mansa e baixa. Sua voz é suave e acolhedora, uma das coisas mais raras do mundo é ouvir a albina gritar ou chamar atenção com sua voz, já que a mesma possui uma paciência lendária, ou seja, tem que fazer uma besteira muito grande para faze-la grita. Ágatha é também uma pessoa de poucas palavras, basicamente por muitas vezes não saber ou ter certeza do que dizer no momento , muito menos pensar, fazendo com que muitas pessoas se perguntem se ela possui algum senso comum, e de fato não tem. Essas características surgem graças a Sindrome de Savant (mais explicações na parte de "doença").

𝓐́gatha é uma pessoa totalmente desligada, muitas vezes sendo vista por seus colegas olhando a parede como se ela fosse a coisa mais interessante do mundo, sendo que na verdade ela está viajando em seu próprio mundo. Ágatha é uma pessoa incrivelmente criativa artisticamente, sendo um dos "privilégios" que ela adquiriu graças a sua Síndrome, por isso sempre estar a imaginar novas ideias para desenhos, quadros, até mesmo música. A garota adora ficar sozinha compondo, é uma das coisas que ela mais gosta de fazer, sentada em frente ao piano em uma sala de música, era assim que ela se via quando estava sozinha em casa. Ágatha é uma pessoa excêntrica, gosta do diferente, por isso sempre está buscando inovar em algo, seja em estilo, em arte, até mesmo em música, como se o mundo fosse apenas um ponto azul em um mar de ideias e imaginação. Ágatha é uma pessoa extremamente sensível, apesar de não demonstrar através de expressões, Age é muito profunda quando o assunto são seus sentimentos e emoções, e como ela não consegue expressa-los, ela sempre procura transforma-los de forma artística para assim transmitir a todas as pessoas do mundo seu real sentimento.

𝓖raças a isso, Ágatha muitas vezes reage de uma forma não convencional e opera diferente morais nos outros, ou seja, age/fala de acordo com que ela pensa e sente no momento. Por exemplo, ás vezes, Ágatha tentar dar as pessoas palavras encorajadoras, que na verdade a deixam confusas ao invés de motivadas, além da própria Ágatha se mostrar confusa com as palavras ou não falar com tanta certa, como se soasse como uma pergunta. Ágatha pode ser considerada uma pessoa idealista, capaz de ter fé nos outros com bastante facilidade e é rapidamente convencido do potencial do outro, desconsiderando a base do quão difícil seja o objetivo da pessoa, Ágatha apenas admira o quão determinada é a pessoa.

𝓐pesar de aparentar estar bem sozinha, a verdade é que Ágatha gosta de observar as pessoas, e gosta mais ainda de estar rodeada delas. Porém, graças a seu jeito aparentemente triste e melancólico, além de sua aparência serena e um tanto exótica, a albina consegue muitas vezes afastar as pessoas. É doloroso, ela quer que todos vejam a verdadeira Ágatha e não sua fachada. Quer que vejam seu lado fofo, infantil, divertido, sensível, até mesmo seu lado mais dramático, ela quer ser notada por todos e virar amiga de todos. Quando conquista a amizade de alguém, Age se torna a pessoa mais cativante do mundo! Ela age de forma verdadeira, expressa bem mais suas emoções, além de se apegar muito rápido a seus amigos, se tornando leal e companheira.

𝓐ge muitas vezes é feita de "trouxa", visto que a albina não consegue dizer "NÃO" a ninguém, ela tende a fazer qualquer coisa que as pessoas mandam, deixando bem exposto seu lado inocente. Por mais impossíveis ou vergonhosas que sejam, Ágatha está lá fazendo o que foi lhe mandado, ela possui muita fé nas pessoas, e isso é um grande defeito dela. Ágatha é inocente o suficiente para não perceber que está fazendo mal a alguém por que alguém mandou, e quando vê que aquilo trouxe um mal resultado, tenta consertar o mais rápido possível. A garota é facilmente influenciável, o que deixa a garota bem triste e decepcionada.

𝓐pesar de aparentar ser bem aberta, a verdade é que Ágatha tem um lado um tanto indecifrável: Ninguém nunca sabe como ela se sente. Age não demonstra seus emoções em expressões e sim em ações, se está ansiosa ela aparece agitada, se está triste fica sentada em seu canto, se está pensativa ela coloca a mão no queixo, se está feliz levanta os braços de forma animada, mas nunca com grandes expressões em seu rosto. Ágatha tem um sorriso difícil, pouquíssimas são as pessoas que conseguem a fazer sorrir de verdade (de felicidade, não graças a uma piada ou coisas do tipo), quem conseguir, verá um dos sorrisos mais lindos e doces já existentes.

𝓐gatha não é o tipo de pessoa que sai contando sobre ela para qualquer pessoas que vê pela frente, para que ela te responda algo sobre ela tem que ter no mínimo algum grau de intimidade com ela. A verdade é que Ágatha sempre tenta mascarar o que pode para que as pessoas não descubram sobre ela, muitas vezes agindo como se estivesse tudo bem com ela, sendo que a verdade é que está tudo desmoronando. Age não gosta que as pessoas saibam muito sobre a parte "podre" dela: Suas inseguranças, seus traumas, seus medos, ela não gosta de nenhum deles, quer esconde-los sempre que pode, mas sempre que vê que pode contar com seus amigos ela mostra que o tem atrás da cortina, afinal ela confia neles.

𝓐ge gosta de se sentir amada, como é uma sensação nova para ela já que a mesma nunca recebeu tal coisa na vida, Age gosta de se sentir "parte da turma", e acima de tudo sentir que seus amigos confiam nela e gostam de sua companhia. Ágatha tem uma visão simplória do mundo, por isso fica feliz com qualquer gesto de gentileza vindo das pessoas, além de se emocionar muito com coisas pequenas como uma carta de amor/amizade ou até mesmo uma simples flor.

𝓐gatha não é uma garota fresca ou problemática, não gosta de se sentir inútil na frente das pessoas, por isso tem um jeito um tanto "moleca". Ela gosta sim de brincar, correr na lama/terra, subir em árvores, caçar insetos, muitos acham que isso é algo deselegante ou nojento para uma pessoa tão linda e angelical como ela, mas ela não liga nem um pouco pra isso. Ágatha não é do tipo que liga muito para que os outros pensam e faz o que quer mesmo e acabou, afinal, ela gosta de fazer o que gosta e não ser julgada por isso.

𝓤m dos grandes problemas de Ágatha é: Ela é muito perfeccionista e pontual! Ela odeia com todas as forças ser deixada esperando ou ver alguém fazer algo errado, graças a sua mãe, Ágatha se tornou isso, ela se acha uma pessoa que deve sempre corrigir tudo que as pessoas fazem de errado, e apesar de não levantar seu tom de voz a garota se mostra bastante irritada com isso. Ágatha sabe que isso é um problema, e sempre se desculpa quando percebe que é "grossa" (do jeito dela) ou impaciente, também se sentindo muito mal. Ágatha não gosta de fazer coisas que considera ruins, odeia fazer mal para as pessoa ou ser grossa, a albina é uma pessoa extremamente educada e gentil, por isso fazer algo assim pra ela é como enfiar uma faca no peito.





𝙶𝚘𝚜𝚝𝚊:

𝓓esenhar, gosta de se expressar através deles, além de estar sempre desenhando automaticamente, muitas vezes até mesmo sem perceber.


𝓟elúcia, sempre dorme com uma, desde muito tempo elas foram suas melhores amigas


ℬonecas, ela as acham muito belas, principalmente as amis macabras, é um gosto um tanto peculiar de sua parte.


ℬichinhos pequenos, ela gosta de abraçar, principalmente os mais fofos.


ℒer livros e escrever historias quando não tem nada para fazer, é o verdadeiro entretenimento para Age.



𝓐migos, quem não gosta de estar rodeada com pessoas? Age particulamente adora estar cercada de pessoas que a fazem bem


𝓟essoas carinhosas, por ser uma pessoa carinhosa, Age também gosta de ser retribuída da mesma forma, sem se importar o quão melosa seja a pessoa.


𝓐DORA doces, principalmente bolo, se você quer chamar a atenção dela é só mostrar um pedaço de bolo Baumkuchen.


ℱicar em cima da sacada da janela ou em cima de um lugar alto e olhar o por do sol ou para a lua, isso é algo que ela faz todo dia


ℱicar de mãos dadas com alguém, acha agradável e reconfortante.


𝓒ozinhar, como ela gosta de comer, por que não gostar de fazer sua comida caseira da jeito que gosta? A albina sempre está fazendo sua comida, principalmente doces como bolos.


𝓣ocar piano, pode-se dizer que é uma das paixões de Age, se não a maior.





𝙳𝚎𝚜𝚐𝚘𝚜𝚝𝚊:

𝓒afé, particularmente não gosta muito de café, apesar de tomar frequentemente por causa de suas noites de insonia, mas ainda sim toma contragosto (com mil cubos de açúcar, claro)


ℬullying, é uma coisa que a albina repreende muito, odeia pessoas que julgam, odeia pessoas que maltratam por prazer e mais nada.


𝓟essoas falsas, odeia completamente.


𝓓espedidas, acha doloroso se despedir de uma pessoa que ama, assim como foi com Mirela, ela chora muito quando tem que se despedir de alguém.


𝓠ue a arrastem contra sua vontade ou a forcem a andar em um ritmo mais rápido que o seu, Age é uma pessoa delicada, tem que ter paciência!


𝓠ue a cutuquem ou insistam, acha muito irritante.


𝓠ue brinquem com/apertem suas bochechas, isso machuca e incomoda!


𝓟raia e sol, odeia por ser muito branca e odiar ficar vermelha ou queimada.


𝓓esperdício de comida que ela poderia estar comendo, que pecado!

𝓟essoas não pontuais, por ser muito pontual, Age odeia profundamente ser deixada esperando!


𝓒elulares ou qualquer eletrônico que faça você perder tempo, ela prefere mil vezes ler um livro do que ficar na frente do celular/computador





𝚅𝚒́𝚌𝚒𝚘𝚜:
𝓢e cheiro de morango e doces forem considerados vícios, sim, ela possui.




𝙳𝚘𝚎𝚗ç𝚊𝚜:

𝓢índrome de Savant — A síndrome de Savant é um distúrbio psíquico raro onde a pessoa possui graves défices intelectuais. Nesta síndrome, a pessoa tem sérias dificuldades em se comunicar, compreender o que lhe é transmitido e estabelecer relações interpessoais. No entanto, possui inúmeros talentos, principalmente ligados à sua extraordinária memória.

Trecho tira do site: https://www.tuasaude.com/sindrome-de-savant/

𝓤m fenômeno chamado "Sinestesia" — Existe pessoas que, ao contrário da grande maioria de nós que tem canais exclusivos de processamento sensorial, tratam alguns estímulos como se fossem dois. Nessas pessoas, determinados estímulos - a campainha do interfone, por exemplo - sempre provoca duas (ou mais) sensações: a mesma que causa em todos (o som), e outra particular àquela pessoa. Há quem sinta que gostos específicos têm formas esféricas, lisas, ásperas ou pontudas; quem veja cores associadas a sons específicos, ou movimentos, ou então a cheiros ou até mesmo dor; quem sinta cheiros ou sabores associados a sons ou imagens.



Mais sobre: http://www2.uol.com.br/vivermente/reportagens/ouvindo_cores.html




𝙷𝚘𝚋𝚋𝚒𝚎𝚜:

𝓟ossui um pequeno hobbie que é contar as estrelas, seja em cima da janela, sacadas, arvores, ou em qualquer lugar alto, pode ter certeza que lá tem uma Ágatha achando que pode contar todas as estrelas do universo (Devo citar que muitas vezes contar as estrelas deixam Ágatha cansada, por isso a albina costuma dormir por lá mesmo)


𝓓esenhar pela noite; como Ágatha costuma se dedicar a música pela manhã e em outras atividades, além de aproveitar o tempo com seus amigos, Age costuma ficar com pouco tempo pra fazer o que gosta, por isso sempre que pode desenha pela noite antes de dormir quando não está contando estrelas. Costuma desenhar geralmente o que viu pela manhã e gostou muito com todos os detalhes, tendo assim uma memoria fotográfica maravilhosa.


𝓒ompor; Ágatha é dona de uma mente incrivelmente criativa e aberta, por isso pode ter certeza que quase todo dia a garota está com ideias para letras e melodias em mente, prontas para solta-las no papel ou em algum instrumento musical.





𝚃𝚊𝚕𝚎𝚗𝚝𝚘𝚜:

ℳúsica; Age é uma pessoa incrivelmente talentosa nesse ponto, sendo uma ótima musicista, devo citar que ela não sabe só tocar piano, e sim diversos instrumentos, apenas sente-se mais confortável tocado em seu piano. Um dos instrumentos que a albina toca belamente é o violino, seu segundo instrumento favorito.


𝓐rtes; Ágatha tem um forte sentimentalismo e põe todas suas emoções em todos seus quadros, especialmente quando o assunto é arte abstrata. A garota ainda possui uma memoria fotografica, o que contribui para ajudar em suas habilidades artisticas, sempre se lembrando com detalhes alguma coisa para servir de inspiração para a mesma e seus quadros/desenhos.


𝓙ardinagem; Pode não parecer, mas Ágatha tem um ótimo dom para cuidar das flores. Elas na verdade sempre foram suas melhores companheiras e amigas, além de tudo sempre observava Mirela cuidar do jardim de sua casa, a mulher também ensinava tudo que Ágatha deveria saber sobre as flores e os frutos do pomar de sua casa.


𝓔screver; Age é extremamente talentosa nesse ponto, e se não tivesse sua paixão pela música, com certeza tentaria virar escritora na vida. Suas histórias são fantasiosas, românticas, dramáticas e cheias de surpresas, do tipo que prende seu leitor até o último capitulo, com um gostinho de "quero mais". Porém as únicas que viram suas historias foram suas amigas, já que a mesma tem vergonha de expor ao mundo.





𝙼𝚊𝚗𝚒𝚊𝚜:
𝓖irar as coisas que estão em sua mão quando pensativa


𝓒hegar de fininho quando ver que alguém tem comida.





𝙼𝚎𝚍𝚘𝚜:
𝓟alhaços, um medo um tanto ridículo, mas Ágatha realmente não se sente nem um pouco confortável perto deles.


𝓔rrar e ser condenada por isso, tem medo das pessoas se afastarem dela.





𝙵𝚘𝚋𝚒𝚊𝚜:
𝓝ão possui




𝚃𝚛𝚊𝚞𝚖𝚊𝚜:
𝓣em um certo trauma de errar, de não ser perfeita, graças a sua mãe.

𝓢olidão, é muito triste para ela se lembrar das vezes que ficou sozinha graças a sua mãe, nunca teve amigos por que ela afastava todos.





𝚂𝚎𝚐𝚛𝚎𝚍𝚘𝚜:

𝓝ão possui segredos muito obscuros ou secretos, apenas evita falar sobre seu passado, principalmente sua dolorosa relação com a mãe.




𝚂𝚘𝚗𝚑𝚘𝚜:
𝓝ão possui sonhos ou um futuro que anseia, Ágatha gosta dos encontros do acaso e ama o aleatório, por isso vive sem se prender a sonhos e conquistas. Mas, se for necessário, deseja profundamente ser bem vista aos olhos de sua mãe, que ela a aceite e a ame, quer ser orgulho para ela, apesar de saber que o ódio gratuito de Athena nunca irá acabar, gosta de sonha que isso um dia acontecerá.




𝚀𝚞𝚎 𝚌𝚞𝚛𝚜𝚘 𝚎𝚜𝚝𝚞𝚍𝚊 𝚗𝚊 𝚏𝚊𝚌𝚞𝚕𝚍𝚊𝚍𝚎?

𝓞ptou pela faculdade de música, visto que é sua maior paixão artística (Perdoe-me se não podia escolher a mesma faculdade de um dos Sakamakis, mas infelizmente como a ficha já estava praticamente pronta com a personagem apaixonada por música não achei que fosse um problema, mas se não pude eu mudo).




𝙲𝚘𝚖𝚘 𝚌𝚘𝚗𝚍𝚞𝚣 𝚘𝚜 𝚎𝚜𝚝𝚞𝚍𝚘𝚜:

𝓐́gatha viu que apesar de parecer "fácil", ainda sim necessitava de muita dedicação e força de vontade. Ágatha costuma dedicar seus intervalos para estudar assim que pode, basicamente costuma usar o dia para fazer isso, já que pela noite possui seu pequeno hobbie. Costuma ser um pouco avoada e perder rapidamente a concentração, porem sempre volta a realidade em um susto, dizendo que não pode perder tempo pensando besteiras e tem que se concentrar em ser a melhor.




𝙿𝚊𝚛:


𝓚anato 𝓢akamaki ♥




Relação com o par:

Mostrar Spoiler: ❝𝐸𝓊 𝒹𝑒𝒾𝓍𝑒𝒾 𝓅𝓇𝒶 𝓉𝓇𝒶́𝓈 𝓉𝓊𝒹𝑜 𝑜 𝓆𝓊𝑒 𝑒𝓊 𝒸𝑜𝓈𝓉𝓊𝓂𝒶𝓋𝒶 𝓈𝑒𝓇, 𝓂𝒶𝓈 𝒹𝑒𝓈𝓉𝒶 𝓋𝑒𝓏 𝒻𝑜𝒾 𝓅𝑜𝓇 𝓂𝒾𝓂. 𝐸 𝓋𝑜𝒸𝑒̂ 𝒻𝑜𝒾 𝓉𝓊𝒹𝑜 𝓆𝓊𝑒 𝑒𝓊 𝓅𝓇𝑒𝒸𝒾𝓈𝒶𝓋𝒶 𝓅𝒶𝓇𝒶 𝓂𝑒 𝓁𝒾𝒷𝑒𝓇𝓉𝒶𝓇❞


𝓐́gatha não sabe definir direito seu relacionamento com Kanato, visto que ele pode ser extremamente complicado ou extremamente maravilhoso ao mesmo tempo.

𝓝o começo, quando conheceu Kanato, ela se sentia curiosa em relação ao garoto e sempre o via de longe. O que teria feito aquele interesse repentino? Talvez o Teddy deve ter sido o responsável, já que Ágatha via a forma como Kanato segurava seu bichinho de pelúcia e ficava quase babando por aquilo. Queria tocar nele também. Quando viu Kanato sozinho, viu na verdade uma oportunidade de conhecer seu bichinho. Perguntou toda educada e timida se poderia ver ele de perto, porém a albina recebeu um "Não" bem alto e ainda ouviu desaforo do jovem arroxeado. Ágatha sentiu medo, o comportamento de Kanato a fez lembrar de sua mãe Athena, a albina então decidiu que nunca mais falaria com o arroxeado novamente.

𝓔m vão, visto que agora Kanato parecia que não largava mais de seu pé.

𝓞s dois sempre se encontravam, seja por acaso ou destino, Ágatha não sabia o que fazer e sempre fugia dele enquanto o garoto a pedia para esperar, e aquilo o deixava completamente irritado. Quem ela pensa que é? Kanato então começou a se interessar por seu joguinho de "Pega-pega", porém Ágatha era muito lenta comparado ao garoto e viu seu pulso sendo puxado com a maior facilidade do mundo pelo arroxeado que a pressionou contra o seu peito. Ágatha não demonstrou nenhum expressão, como sempre, mas corou violentamente com tal atitude do garoto, visto que ninguém nunca tinha feito aquilo com ela ou tentou tal aproximação repentina. Sem saber o que fazer, Ágatha começou a tentar se soltar de Kanto, porém em vão.

"— Ei Teddy, essa garota é muito bonita, será que ela ficaria tão bela se fosse de cera?"

𝓐o ouvir aquilo Ágatha começou a se debater freneticamente, a garota não gostava da voz do arroxeado e estava com medo dele, quando o garoto a soltou e falou com um sorriso travesso e um olhar apático "Era brincadeira". Ágatha estranhou o senso de humor macabro do de Kanato, mas ainda sim parece que a albina tinha se acalmado mais um pouco e parado de ficar na defensiva. Kanato então se aproximou de novo e cheirou o seu pescoço, o que gerou um arrepio incomum na garota. "Delicioso" foi o que ele disse naquela hora, porém Ágatha não entendeu direito a que ele se referia, talvez pela sua doce fragrância de morango, mas aquela não era hora de pensar naquilo, queria conhece-lo melhor.

❝𝒮𝑒 𝓃𝑜𝓈 𝑒𝓃𝒸𝑜𝓃𝓉𝓇𝒶𝓇𝓂𝑜𝓈, 𝓂𝑒 𝓅𝑒𝓇𝒹𝑒𝓇𝑒𝒾 𝒸𝑜𝓂 𝓋𝑜𝒸𝑒̂❞

𝓟or te sido o primeiro menino com quem Ágatha tentou aproximação, ela basicamente não sabia o que fazer no começo, sentia como se quisesse encontra-lo toda hora. Kanato também começou a se interessar pela albina, ou melhor dizendo, pelo seu pescoço. O garoto passava o dia pensando em como seria marcar todo o corpo da pequena Ágatha, era uma vontade insaciável, porém teria que aguentar mais um pouco, até que Ágatha estivesse completamente frágil e submissa a ele.

𝓟orém os planos do garoto não estavam saindo da maneira como planejava, visto que a cada dia que passava com Ágatha eram serenos e maravilhosos, o garoto não conseguia ser simplesmente grosso com ela ou ter um de seus ataques bipolares, visto que a simples presença de Ágatha o acalmava toda hora, aos poucos ele foi percebendo que não pensava em outra coisa a não ser ela, todos os dias. Com Ágatha não foi diferente, gostava da presença do arroxeado, e toda noite se via cozinhando algum doce para ele, visto que aquilo o agradava muito, Ágatha parecia querer agradar seu novo "amigo" sempre, mesmo não percebendo seu real sentimento, o começo de um provável "Amor".

❝𝒢𝒶𝓋𝑒 𝓎𝑜𝓊 𝓁𝑜𝓋𝑒, 𝓅𝓊𝓉 𝓂𝓎 𝒽𝑒𝒶𝓇𝓉 𝒾𝓃𝓈𝒾𝒹𝑒 𝓎𝑜𝓊. 𝒪𝒽, 𝓌𝒽𝒶𝓉 𝒸𝑜𝓊𝓁𝒹 𝐼 𝒹𝑜?❞

𝓞s dois estavam ficando cada vez mais próximos, cada um querendo agradar um ao outro, Kanato era o único que faz Ágatha sorrir verdadeiramente, e Ágatha acabou por criar um vinculo muito forte com Kanato. Muitas vezes quando deitados na grama ou coisas do tipo, Kanato tinha o pequeno habito de sempre cheirar o pescoço de Ágatha e fazer brincadeiras do tipo para deixar a albina envergonhada, por que ele amava ver aquele rosto envergonhado pedindo para ele parar, aos poucos ele começou a querer ser o único a ver aquele rosto. Kanato se tornou um tanto possessivo, começou a espantar qualquer aproximação de Ágatha com outro garoto que não seja ele, aos poucos a albina começou a ficar assustada com o comportamento imprevisível do garoto e começou a se afastar um pouco.

❝𝒯𝑒𝒹𝒹𝓎 𝒷𝑒𝒶𝓇, 𝓎𝑜𝓊 𝒶𝓇𝑒 𝓂𝓎 𝓉𝑒𝒹𝒹𝓎 𝒷𝑒𝒶𝓇. 𝒴𝑜𝓊 𝓌𝑒𝓇𝑒 𝒸𝑜𝓃𝒻𝒾𝒹𝒾𝓃𝑔 𝒶𝓃𝒹 𝓆𝓊𝒾𝑒𝓉, 𝒽𝑜𝓌 𝒹𝒾𝒹 𝓁𝑜𝓋𝑒 𝒷𝑒𝒸𝑜𝓂𝑒 𝓈𝑜 𝓋𝒾𝑜𝓁𝑒𝓃𝓉? (𝑜𝒽)❞

𝓟orém, Kanato não entendia seu afastamento repentino e sempre interrogava a albina, a colocava contra a parede, grita com ela, pegava em seu pulso com força dizendo que ela o pertencia, porém Ágatha não entendia nada daquilo, por isso sempre fugia do garoto. Um dia, depois de ver vários episódios de Ágatha fugindo, Kanato não sabia mais o que fazer em relação a isso, estava começando a enlouquecer toda vez que ficava sem sentir o delicioso cheiro de seu sangue misturado com seu aroma de morango, percebeu então que deveria se acalmar caso quisesse que a albina o escutasse. O arroxeado então invadiu seu quarto e esperou Ágatha entrar. Ela estava cheia de papeis com músicas compostas por ela e com um violão em seus costas, quando viu o Sakamaki em sua cama jogou tudo que ela segurava no chão, até mesmo tirou o violão de suas costas, para correr de seu quarto, porém Kanato foi mais rápido e trancou a porta para que ela não fugisse mais. Ele a segurava pelos ombros, pedindo que a explicasse para ele o que estava acontecendo, Ágatha então se afastou do arroxeado e começou a falar

"— Eu não gosto da cor da sua voz quando grita, eu não gosto de suas ações e comportamentos imprevisiveis, eu não gosto do seu jeito possessivo e dizer que eu lhe pertenço, dói muito, Kanato. Eu não sei o que fazer por isso sempre fujo, eu quero voltar a falar com você, mas eu definitivamente não te entendo, não te entendo, e não me entendo ainda mais!"

𝓞 coração de Age estava apertado, seus sentimentos estavam confusos e seus olhos marejados, quase caindo uma lagrima solitária dele. Kanato apenas a olhou sem saber o que fazer, se fosse com outra pessoa ou em circunstancia normal ele provavelmente gritaria com a pessoa por ter o deixado daquele jeito por algo tão idiota, mas com a sensível Ágatha era diferente. O arroxeado então apenas falou "Idiota" e beijou os lábios virgens da garota, que o olhava paralisada, mas retribuiu o beijo de um jeito um tanto desengonçado, porém fofo, já que ela nunca tinha feito aquilo na vida e muito menos sabia como fazer.

❝𝐻𝑜𝓌 𝒸𝒶𝓃 𝓈𝑜𝓂𝑒𝓉𝒽𝒾𝓃𝑔 𝓈𝑜 𝑒𝓃𝓉𝒾𝒸𝒾𝓃𝑔 𝒽𝒶𝓋𝑒 𝓈𝓊𝒸𝒽 𝒶𝓌𝒻𝓊𝓁 𝓈𝒾𝒹𝑒 𝑒𝒻𝒻𝑒𝒸𝓉𝓈?❞

𝓐 partir daquele dia a relação deles mudou completamente, principalmente por Ágatha que não acreditava que aquilo tinha acontecido. Eles haviam finalmente se acertado e decidido ficar juntos, porém mesmo que Kanato estivesse agindo "normalmente", Ágatha estava completamente desesperada e sem saber o que fazer. Sempre sonhou em achar seu príncipe encantado, porém não esperava que o seu príncipe encantado não tivesse nada de encantado, que fosse um cara imprevisível, bipolar, e possessivo, porém Ágatha o amava mesmo assim. Sim, amar, ela finalmente se deu conta de todos seus sentimentos por Kanato e descobriu que ela o amava completamente, e que se afastar dele foi uma das coisas mais dolorosas que já fez na vida. Graças a isso, finalmente Ágatha teve o que tanto queria, tocar no Teddy. Kanato dizia que só ela podia fazer aquilo, mais ninguém. Ágatha se sentiu lisonjeada por tal "honra", já que a pelúcia era realmente muito confortável e fofa de se apertar.

𝓐́gatha foi se soltando mais na presença de seu amado, afinal sempre achava que ele se enjoaria dela caso ela continuasse a agir da mesma forma sempre, por isso sempre treinava no espelho de seu quarto ou muitas vezes com o próprio Teddy (já que Kanato o deixava muitas vezes em sua mão pois sabia que ela cuidaria bem dele) formas novas de falar, de agir, e quem via de longe acharia aquelas cenas muito engraçadas, a albina realmente se esforçava para mudar seu jeito branco, mas muitas vezes era flagrada pelo par (quando ele invadia seu quarto) fazendo essas coisas, fazendo-o rir, muitas vezes a chamando de "idiota" ou coisas do tipo (bem, de forma "carinhosa"), enquanto Ágatha corava bruscamente.

❝𝑀𝑒𝓈𝓂𝑜 𝓈𝑒𝓃𝒹𝑜 𝓇𝑜𝓊𝒷𝒶𝒹𝒶, 𝑒𝓈𝓈𝒶 𝓅𝒶𝒾𝓍𝒶̃𝑜 𝑒́ 𝒾𝓃𝓉𝑒𝓇𝓂𝒾𝓃𝒶́𝓋𝑒𝓁❞

Já citei que ele sempre invadia seu quarto assim que podia? Pois bem, Kanato começou a invadir a privacidade de Ágatha na maior cara dura, sendo quando a garota está tomando banho, pintando, fazendo a unha, até mesmo quando ela está dormindo! O quarto de Ágatha dá uma visão bem clara da lua, que muitas vezes reflete em seu rosto pálido e cabelos, que mudam de cor muitas vezes, Kanato adora aquela visão, ver a albina assim tão desprotegida e indefesa o deixa completamente excitado e a vontade de marcar seu pescoço é tamanha, porém como Ágatha tem um sono leve provavelmente acordaria com qualquer ação mínima do garoto. Mas aquela vontade de viola-la era mais intensa que o medo de Ágatha acordar. O garoto então ficou em cima da albina que acordou assustada ao ver a visão de seu amado prendendo seus braços na cama. O arroxeado apenas falou "cale-se", antes de dar prazer a pequena albina que nunca tinha sentido aquilo antes na vida, era algo novo, porém muito bom para ela.

❝𝒜𝑔𝓊𝒶𝓇𝒹𝒶𝓃𝒹𝑜 𝒶𝓃𝓈𝒾𝑜𝓈𝒶𝓂𝑒𝓃𝓉𝑒 𝑜 𝓅𝑜̂𝓇-𝒹𝑜-𝓈𝑜𝓁, 𝓆𝓊𝑒𝓇𝑜 𝓂𝑒 𝓊𝓃𝒾𝓇 𝒶 𝓋𝑜𝒸𝑒̂❞

𝓐́gatha fica feliz quando ele a toca, para ela era uma forma dos dois se tornarem um só, por isso a garota não reclamava quando aquilo acontecia, apesar de ficar excessivamente envergonhada com tais ações.

❝𝒟𝑒𝓈𝒹𝑒 𝒶 𝓅𝑜𝓃𝓉𝒶 𝒹𝑒 𝓂𝑒𝓊𝓈 𝓅𝑒́𝓈, 𝑜𝓈 𝓃𝑒𝓇𝓋𝑜𝓈 𝓇𝒶𝓈𝓉𝑒𝒿𝒶𝓃𝓉𝑒𝓈 𝑒𝓈𝓉𝒶̃𝑜 𝓈𝑒 𝒶𝒻𝑜𝑔𝒶𝓃𝒹𝑜 𝑒𝓂 𝓈𝑒𝓃𝓈𝒶ç𝑜̃𝑒𝓈, 𝒹𝑒𝒾𝓍𝑒-𝓂𝑒 𝓁𝑒𝓂𝒷𝓇𝒶𝓇 𝒹𝒶 𝒹𝑜𝓇, 𝓂𝑒𝓊 𝒸𝑜𝓇𝒶ç𝒶̃𝑜 𝑒𝓈𝓉𝒶́ 𝓅𝓇𝑒𝓈𝓉𝑒𝓈 𝒶 𝑒𝓈𝓉𝑜𝓊𝓇𝒶r❞

𝓐́gatha, por incrível que pareça, se sentia segura ao lado de Kanato, fazia juras e mais juras para o mesmo, que sempre dava um olhar triste ou confuso para ela. Ela definitivamente não entendia o por que daquela reação, mas Kanato sempre dizia que ela estava se preocupando por besteira.

"— Isso é uma promessa?"
"— Sim, vamos estar sempre juntos, eu te amo Kanato."
"— Se for mentira, vamos ter que te punir, não é Teddy?"

𝓐 albina sorria, um sorriso verdadeiro e angelical, porém isso foi quando a doce Ágatha ainda não tinha descoberto que seu príncipe não era apenas "não encantado", como também um vampiro.

❝𝒴𝑜𝓊 𝓌𝒾𝓁𝓁 𝓈𝑒𝑒 𝒾𝓉, 𝓌𝒾𝓁𝓁 𝒻𝒾𝓃𝒶𝓁𝓁𝓎, 𝒿𝓊𝓈𝓉 𝓎𝑜𝓊 𝒶𝓃𝒹 𝓂𝑒 𝓉𝒾𝓁𝓁 𝓉𝒽𝑒 𝑒𝓃𝒹 𝑜𝒻 𝓉𝒽𝑒 𝓌𝑜𝓇𝓁𝒹❞


Desculpa se eu estendi demais, mas enfim, pode cortar, modificar, acrescentar, até mesmo nem escrever tudo o que coloquei, deixo tudo em suas mãos!







𝚁𝚎𝚕𝚊ç𝚊̃𝚘 𝚌𝚘𝚖 𝚘𝚜 𝚖𝚎𝚗𝚒𝚗𝚘𝚜:


𝓢huu 𝓢akamaki

𝓣em uma atração amigável por Shuu, foi com quem ela se deu bem no começo (por incrível que pareça). Ela o vê basicamente como um veterano, por participarem do mesmo curso e ser mais velho que ela. Ágatha e Shuu tem uma convivência agradável, Shuu particularmente "gosta" dela por não ser barulhenta, e apesar de não admitir, gosta de ouvir toca-la.


ℛeiji 𝓢akamaki

𝓝ão é muito próxima de Reiji, quase não trocam palavra, mas ela admira seus bons modos e ele não tem nada que reclamar sobre seu jeito, visto que a garota é educada e gentil, apesar de odiar toda aquela gentileza e "falta de personalidade", e Ágatha não se sente nem um pouco confortável perto dele, ela o vê como uma pessoa maldosa.


ℛaito 𝓢akamaki

𝓢ua relação com Raito também não é muito próxima, ela realmente não sente vontade de falar com ele ou interagir, visto que ele é um pervertido ela prefere manter distância, assim como lhe foi aconselhado por algumas amigas (principalmente a própria noiva)


𝓐yato 𝓢akamaki

𝓢ua relação com Ayato é boa, ele gosta de abusar dela e manda-la fazer algo pra ele, muitas vezes gosta de fazer brincadeiras que ela cai facilmente, também não reage a ela de forma negativa. Ele também é o motivo pelas vezes que ela aparece fantasiada de alguma coisa ou faz uma coisa totalmente idiota. Ágatha gosta de ter Ayato por perto, e acha até engraçado quando ele autointitula-se "Oree-sama"


𝓢ubaru 𝓢akamaki

𝓐́gatha é tipo um teste pra testar a raiva de Subaru. O garoto tenta, ele realmente se esforça muito pra aguentar uma ameba como Ágatha por perto e não gritar com a mesma, Age nunca sabe como reagir na frente de Subaru, e pra piorar ela tem muito medo dele, quando eles estão sozinhos frente-a-frente a garota congela sem saber o que fazer ou falar e o garoto se esforça para não mandar aquela pobre e inocente garota ir "pra aquele lugar"




𝚁𝚎𝚕𝚊ç𝚊̃𝚘 𝚌𝚘𝚖 𝚊𝚜 𝚘𝚞𝚝𝚛𝚊𝚜 𝚖𝚎𝚗𝚒𝚗𝚊𝚜:

𝓢empre tímida, no começo agia de forma neutra e nunca queria ser notada por elas, mas a albina não entendia que o fato dela ser a mais misteriosa das garotas fizeram com que elas a notasse e até mesmo tentasse abrir sua casca de ovo, se tornando assim, uma garota fofa e amigável perto delas, sendo quem ela realmente é. Age adora elas, ela geralmente é feita de cobaia para penteados ou roupas, uma verdadeira boneca, e apesar disso ela não se importa nem um pouco, já que ela também de diverte muito com elas. Não gosta de vê-las tristes ou sofrendo, faz de tudo para ajuda-las e muitas vezes a defendem com toda sua voz e calma, Ágatha é uma ótima conselheira (ou pensa que é, já que na maioria das vezes ela mesma se buga em seus conselhos, mas no fim consegue explicar mesmo que um pouco o que queria dizer) e muitas garotas a buscam quando com problemas, por ser bem calma e atenciosa, Ágatha sabe lidar com vários problemas ao mesmo tempo, sempre tentando ser o mais madura possível, apesar de aparentar ser só uma garotinha.




𝙼𝚎𝚕𝚑𝚘𝚛 𝚊𝚖𝚒𝚐𝚊:
𝓟rovavelmente a noiva de Subaru e Reiji




𝙼𝚞́𝚜𝚒𝚌𝚊𝚜:

𝓓ela:




𝓒om o par:







𝙵𝚛𝚊𝚜𝚎𝚜 𝚚𝚞𝚎 𝚊 𝚍𝚎𝚏𝚒𝚗𝚎𝚖:

❝𝐵𝑜𝓃𝑒𝒸𝒶𝓈 𝓈𝑒𝓂 𝒸𝑜𝓇𝒶ç𝒶̃𝑜 𝓈𝒶̃𝑜 𝒻𝓇𝒶𝒸𝒶𝓈, 𝓂𝒶𝓈 𝒶𝓈 𝓆𝓊𝑒 𝓉𝑒𝓂 𝒸𝑜𝓇𝒶ç𝒶̃𝑜 𝓈𝒶̃𝑜 𝓂𝓊𝒾𝓉𝑜 𝓂𝒶𝒾𝓈 𝒻𝓇𝒶́𝑔𝑒𝒾𝓈❞

❝𝒱𝑜𝒸𝑒̂ 𝓅𝑜𝒹𝑒 𝓂𝒶𝓃𝓉𝑒𝓇 𝑜 𝓊́𝓁𝓉𝒾𝓂𝑜 𝒹𝑒 𝓂𝒾𝓂, 𝑒𝓊 𝓃𝒶̃𝑜 𝓂𝑒 𝒾𝓂𝓅𝑜𝓇𝓉𝑜, 𝑒𝓊 𝓈𝑜𝓊 𝑜𝒷𝓈𝑜𝓁𝑒𝓉𝑜❞

❝𝒱𝑜𝒸𝑒̂ 𝓅𝒶𝓇𝑒𝒸𝑒 𝓉𝓇𝑜𝒸𝒶𝓇 𝑜 𝓈𝑒𝓊 𝒸𝑒𝓇𝑒𝒷𝓇𝑜 𝓅𝑜𝓇 𝓈𝑒𝓊 𝒸𝑜𝓇𝒶ç𝒶̃𝑜❞

❝𝑀𝑒 𝑒𝓃𝒸𝒶𝓃𝓉𝒶 𝓉𝓊𝒹𝑜 𝓆𝓊𝑒 𝓂𝑒 𝓉𝒾𝓇𝒶 𝒹𝒶 𝓇𝑒𝒶𝓁𝒾𝒹𝒶𝒹𝑒❞




𝚁𝚎𝚊ç𝚊̃𝚘 𝚊𝚘 𝚍𝚎𝚜𝚌𝚘𝚋𝚛𝚒𝚛 𝚚𝚞𝚎 𝚎́ 𝚞𝚖 𝚊𝚗𝚓𝚘:

𝓟rovavelmente a maior surpresa da vida dela! Vampiros, anjos, ver aquilo que ela não acreditava existia de verdade foi como uma bomba atômica explodindo! Ágatha olharia para suas costas, como se esperasse sair algo delas, de fato isso teria saído de uma forma bem idiota, já que estamos falando da infantil Ágatha. Saber que em toda sua vida ela teria sido um ser celestial e divino sem perceber a deixava surpresa, e se perguntava principalmente como alguém como Athena tinha sido abençoada com tal raça sendo que ela era um pessoa horrível? Difícil de entender, mas não quis julgar sua mãe, afinal ela não a conhecia de verdade.




𝚁𝚎𝚊ç𝚊̃𝚘 𝚊𝚘 𝚍𝚎𝚜𝚌𝚘𝚋𝚛𝚒𝚛 𝚚𝚞𝚎 𝚘𝚜 𝚖𝚎𝚗𝚒𝚗𝚘𝚜 𝚜𝚊̃𝚘 𝚟𝚊𝚖𝚙𝚒𝚛𝚘𝚜:

𝓐́gatha não ficou chateada por seu par ser um vampiro ou o tratou como um monstro, afinal ela o amava acima de tudo, mas ainda sim estava bastante assustada/surpresa, e com os outros não foi nem um pouco diferente. Não acreditava naquilo, estava perplexa com sua lerdeza de não ter percebido antes, mas nunca os trato com indiferença ou de outro jeito, talvez tivesse se tornado mais curiosa quanto a isso, sempre perguntando coisas relacionadas a eles e como é ser um vampiro, uma curiosidade boba e infantil, mas que provavelmente os deixava irritados, porém ela perguntava na mais pura e inocente forma, o que impedia de muitos gritarem com ela ou a mandar "catar coquinho".




𝚁𝚎𝚊ç𝚊̃𝚘 𝚊𝚘 𝚜𝚎 𝚊𝚙𝚊𝚒𝚡𝚘𝚗𝚊𝚛 𝚙𝚘𝚛 𝚜𝚎𝚞 𝚒𝚗𝚒𝚖𝚒𝚐𝚘:

𝓤ma coisa foi ter descoberto que seu par é vampiro, outra coisa foi descobrir que seu par é seu inimigo! Ágatha se sentiria muito mal e não saberia o que fazer, já que ela ama muito Kanato, mas teria que trair sua raça para conseguir ficar com ele, e para ela trocar um pelo outro seria seu maior pecado. Ágatha se sentiria mal se tivesse que deixar Kanato depois de ter prometido ficar ao lado dele pra sempre, mas se sentiria mal também se tivesse que trair sua família. Ela certamente tentaria achar um jeito de ficar com os dois sem precisar sofrer desse jeito




𝚁𝚎𝚊ç𝚊̃𝚘 𝚜𝚎 𝚜𝚞𝚊𝚜 𝚒𝚛𝚖𝚊̃𝚜 𝚍𝚎 𝚏𝚛𝚊𝚝𝚎𝚛𝚗𝚒𝚍𝚊𝚍𝚎 𝚜𝚎 𝚟𝚒𝚛𝚊𝚜𝚜𝚎𝚖 𝚌𝚘𝚗𝚝𝚛𝚊 𝚎𝚕𝚊:

𝓟rimeiramente as olhariam assustadas e perplexas? Por que algo assim teria acontecido? Provavelmente estaria com os olhos completamente marejados, era a segunda vez que a garota havia chorado desde que perdeu suas emoções graças a mãe, ela tinha cometido um pecado tão grande assim? Que tipo de pecado era tão doloroso? Provavelmente sairia correndo e se esconderia em um lugar para que ficasse solitária e pensasse em um jeito de suas amigas a aceitarem de volta, afinal ela não queria experimentar a dor de estar solitária de novo.




𝚅𝚘𝚌𝚎̂ 𝚊𝚌𝚎𝚒𝚝𝚊 𝚚𝚞𝚎 𝚜𝚞𝚊 𝚙𝚎𝚛𝚜𝚘𝚗𝚊𝚐𝚎𝚖 𝚎𝚜𝚝𝚊́ 𝚎𝚖 𝚗𝚘𝚜𝚜𝚊𝚜 𝚖𝚊̃𝚘𝚜?
𝓒laro, cuidem bem dela!




𝚂𝚊𝚋𝚎 𝚚𝚞𝚎 𝚜𝚎 𝚗𝚊̃𝚘 𝚌𝚘𝚖𝚎𝚗𝚝𝚊𝚛 𝚙𝚘𝚛 𝚝𝚛𝚎̂𝚜 𝚌𝚊𝚙𝚒́𝚝𝚞𝚕𝚘𝚜 𝚎𝚕𝚊 𝚜𝚘𝚖𝚎?
𝓒laro, me responsabilizarei por isso!





{ ℒ𝒆𝓪𝓿𝒆 𝓶𝒆 𝓪𝓵𝓸𝓷𝒆 }
EM CONSTRUÇÃO



ᖴ I ᑕ ᕼ ᗩ











Nome completo:

𝒞𝒽𝑒𝓁𝓈𝑒𝒶 𝒱𝒶𝓃 𝒞𝑜𝑜𝓅𝑒𝓇

Chelsea — Seu nome é de origem inglesa e seu significado é "Guardador de Objetos". Este nome pode ser usado tanto por homens como mulheres, no entanto é mais comum o seu uso neste último caso. Seu nome reflete comunicação, otimismo, despreocupação, bom humor e riqueza.
Van — "Van" entre os holandeses é indicativo de origem nobre. Equivale ao "Von" alemão , o "Mac" escocês e o "De" português.
Cooper — Sua origem é inglesa, seu nome significa "Barril"







☛Apelidos:





☛Idade:
17 Anos — Seu aniversario é no dia 09/10/1998 — Seu signo é Libra ♎ Sendo caracterizada por: Vaidade, gentileza e idealização.





☛Nacionalidade:
Inglesa




☛Aparência e descrição:












☛Personalidade: (Não só a história que é importante, a personalidade é oque descreve a personagem! Então caprichem muito nisso! Não vou nem responder se algumas de vocês me perguntarem quantas linhas tem que ter a personalidade, isso é uma coisa que vocês criam não eu, então, não me peçam pra mim criar uma personalidade ou história para ela, pois acho isso uma obrigação de vocês não minha. Mas por favor, caprichem mesmo, não criem uma personalidade KawaiiDesu pro Suruba, digo Subaru, na verdade, se quiserem podem fazer mais lembre-se: TEM QUE SER DETALHADA EM TUDO!)




☛História: (Ok, essa parte é um tanto quanto importante assim como a personalidade, pois a história vai resumir tudo oque aconteceu com a personagem, detalhem tudo assim como a personalidade, o começo meio e fim, tudo detalhadamente, pois lembre-se, sua personagem era HUMANA e tinha uma vida NORMAL ao lado de sua família, até ser sequestrada ou ser tirada de sua família bem na frente deles. Sim, elas ficaram anos presa lá em dentro desde pequenas até adolescentes ou adultas, já que é aceita garotas até com 20 anos. A "Cede" onde elas ficaram as próprias terá um pequeno intervalo de ar livre. Karl ira até onde elas ficam com seus filhos e farão com que eles escolham cada uma, pois é, o rei Vampiro subordinou todos ali com um preço de dinheiro Altíssimo. Então resumem tudo, qualquer dúvida me pergunte)




☛Família: (Exatamente, preciso de pequenas informações sobre a família da personagem, Nome, Idade, Personalidade, Status e relacionamento com sua personagem. Até se quiserem botar que algum membro de sua família foi pego e contaminado pelo vírus e está na mesma situação que você, pode botar.)




☛Gostos e Desgostos: (Como qualquer outra ficha, mínimo 6, mas se quiserem botar mais, sem problemas.)




☛Par: (Lembre-se do que eu avisei, o Oree-Sama e o loiro preguiça estão Indisponíveis, estarei aceitando ou pros outros Sakamak's e pros outros Mukam's)




☛Relacionamento com o par: (Nessa parte preciso que detalhem pelo menos um pouco, não vou pedir muito de vocês nesse quesito, pois suas personagens nem os conheciam.)




☛Relacionamento com as garotas: (Se você é uma noiva de um Sakamaki, coloque seu relacionamento com as garotas de outros Sakamak's, pois as do Mukam's estão em outra parte do local. Não vou pedir muito de vocês nessa parte também, até porque todas se conhecem assim que estavam na mesma situação. Sim, desde pequenas.)




☛Relacionamento com a Yui (Lembrando que, a Yui não será uma vagaba que quer destruir a vida das garotas, não, ela não será uma putiane da vida, ela será ela mesma, porém com a personalidade um pouco mais forte)




☛Manias/Hobbies: (Quais são algumas manias dela e os hobbies também, não precisam colocar muitos, somente o básico)




☛Ela possui alguma doença/alergia/obsessões/vício/medos ou fobias?




☛Qual DNA felino ela foi afetada? (Exemplo: Puma, Pantera ou Onça, um desses DNA felinos ela foi afetada, é só colocar qual desses três.)




☛Ela é submissa ou não? (Exemplo: Ela aceita que está presa e talvez nunca mais irá reencontrar sua família? Ela lida com isso de que jeito? Ela aceita isso?)




☛Qual número ela é? (É claro que em seis garotas algumas pessoas podem confundir quem é quem, até porque, não é só elas que estão nessa situação então, eles reconhecem elas através do número, tipo: Número ➎ é calma e submissa, número ➑ é estressada e resistente. Entendem? Máximo do número 1 até o 8. Apenas as noivas dos Sakamak's tem o direito de escolher um desses números.)




☛Algumas curiosidade dela? (Algo que queira acrescentar nela?)




☛Aceita que sua personagem morra?




☛Está ciente que, sua personagem estará em minhas mãos? E poderei fazer oque bem entender com ela?




☛Alguma pergunta?




☛Algo a mais?



{ℱ𝓻𝒆𝒆𝓭𝓸𝓶 𝓦𝓲𝓷𝓰𝓼}
EM CONSTRUÇÃO




☛Nome completo: (O nome da sua personagem vai de acordo com a nacionalidade dela.)
Nadeshiko Hanazawa
Nadekishiko é derivada a partir de uma flor da espécie Dianthus. A palavra "nadeshiko" também é usado para denotar uma mulher perfeita sob os padrões japoneses. Literalmente, o nome significa "amável, menina caressable".

☛Apelidos: (Não é necessariamente obrigatório, mas se ela tiver algum, coloquem ai e quem os dá)

☛Idade: (De 16 a 19)

☛Aniversário: (Pode não parecer, mas essa é uma parte importante pelo menos nessa fic, pois preciso o máximo de informações das garotas, então ponha, dia, mês e o ano em que elas nasceram e também o signo.)

☛Nacionalidade: (Nem todas precisam ser e nascer no japão, se quiser botar ela como inglesa e tal e nasceu em Estados Unidos e depois volto pro japão, tudo bem, mas isso você explica na história, o porque dela ter se mudado de pais.)

☛Aparência e descrição: (Por favor, peguem personagens existentes! Gosto de uma explicação detalhada.)



















☛Personalidade: (Quero algo bem DETALHADO, nada de colocar "Rebecca é uma garota animada, inteligente, amigável e bonita.." Não só a história que é importante, a personalidade é oque descreve a personagem! Então caprichem muito nisso!)

☛História: (Ok, essa parte é um tanto quanto importante assim como a personalidade, pois a história vai resumir tudo oque aconteceu com a personagem, detalhem bem!)

☛Gostos e Desgostos: (Como qualquer outra ficha, mínimo 5, mas se quiserem botar mais, sem problemas.)

☛Par: (Apenas os Sakamakis.)

☛Relacionamento com o par: (Nessa parte preciso que detalhem também, pois oque me chama mais atenção é a personalidade, história e relacionamento com o par. )

☛Relacionamento com as garotas: (Não vou pedir muito, até porque nenhuma se conhecia.)

☛Relacionamento com a Yui (Lembrando que, a Yui não será uma vagaba que quer destruir a vida das garotas. Não, eu não sou uma fã dela, mas gosto de coloca-la nas minhas fics e mostar o lado, útil dela.)

☛Manias/Hobbies: (Quais são algumas manias dela e os hobbies também, não precisam colocar muitos, somente o básico)

☛Ela possui algum problema?

☛Qual asa ira querer? (Lembrando que, não terá asas de anjos pretas, somente brancas, vão saber o porque.)

☛Algumas curiosidade dela? (Algo que queira acrescentar nela?)

☛Aceita que sua personagem morra?

☛Está ciente que, sua personagem estará em minhas mãos? E poderei fazer oque bem entender com ela?

☛Alguma Dúvida?

☛Algo a mais?



{𝓐𝓬𝓪𝓭𝒆𝓶𝔂 𝓔𝓵𝓲𝓽𝒆 𝓨𝓸𝓾𝓽𝓱}
EM CONSTRUÇÃO







✾Nome Completo: (Coloquem o significado e a origem também)✾

✾Apelidos: (Coloquem quem a chama, quais ela gosta, quais desgosta e etc)✾

✾Idade: (A história se passa no ano atual, então fica mais fácil para vocês definirem o ano em que as OC’s nasceram)✾

✾Signo: (Coloquem o ascendente se quiserem e me informem se a OC se mantém atualizada em seu horóscopo, ah, e se ela realmente acredita nisso)✾

✾Aparência:✾














Ochako Uraraka - Boku no hero academia


✾Personalidade:




✾Frases de efeito da personagem:✾

✾Qualidades:✾

✾Defeitos:✾

✾Gostos✾


✾Desgostos: (Assim como nos gostos, explique os motivos dela)✾

✾Manias: (Diga em que situações ela costuma utilizar essas manias, tipo: diariamente, quando ta nervosa, chateada e etc)✾

✾Hobbies: (Coisas que possam fazer apenas na
Academia, lembrando que como a AEY fica afastada da cidade, praticamente no meio da floresta, tem bastante espaço para atividades físicas)✾

✾Estilo: (Gótica, patricinha, skatista, rockeira, Lolita, da humanas, vocês decidem – de acordo com a personalidade da personagem, é claro – se quiserem, enviem – algumas – fotos)✾

✾Classe Alta, média ou baixa? (Na AEY o numero de bolsistas são poucos, a maioria dos alunos são filhos de gente importante, outros são filhos de advogados, psicólogos que, surpreendentemente, conseguem pagar a escola, mas nada impede que as personagens sejam de classe baixa e é preciso acertar 80% da prova para entrar na escola)✾

✾História: (Aqui é um outro ponto importante da ficha, que também ajuda muito a decidir quem vai e quem fica, então, sejam criativas e deixem suas mentes correrem livres, dramatizem o quanto quiser!)✾

✾Descrição dos seus pais e outros familiares, ou conhecidos, participantes da história: (Quero o nome, aparência com descrição – não precisar ser muito detalhada –, idade e a personalidade. Incluam também seu relacionamento com eles)✾

✾Doenças: (Sabe gente, adolescência é um período difícil, em que muitos jovens tendem a ter problemas – doenças –, tanto psíquicos quanto físicos, tipo: Bulimia, depressão, tumor cerebral, Aids, cegueira e etc, se não quiser colocar, não vejo problema, mas seria bem legal. Outra coisa, expliquem como elas desenvolveram essa doença, a não ser que seja por causa da hereditariedade)✾

✾Metas: (Os sonhos, o que pretendem alcançar e por que)✾

✾Par: (Lembrando que Ruki Mukami não está disponível)✾

✾Relação com o par: (Não coloquem tudo as mil flores desde o inicio, amor é um sentimento desconhecido por eles, então... Já sabem, né?)✾

✾Qual a reação da OC ao descobrir que os Sakamaki e os Mukami eram vampiros?✾

✾Relação com as outras meninas: (Especifiquem com quem se dão melhor, tipo: ela é mais amiga da noiva do Shu, elas se dão bem juntas. Ao longo do tempo, a amizade vai crescer, englobando todas as outras)✾

✾Relação com os outros vampiros: (Retire seu par da lista)✾
→ Shu:
→ Reiji:
→ Ayato:
→ Kanato:
→ Laito:
→ Subaru:
→ Ruki:
→ Kou:
→ Azusa:
→ Yuma:

✾Relação com as mães dos meninos: (Beatrix, Cordélia e Christa, nenhuma menina namora com o garota sem passar pelas mães antes, não é? Oh dureza, tenho pena dos pares de Shu, Reiji, Ayato, Kanato e Laito. Ah, eu inventei uma mãe pros Mukami também, já que eles eram órfãos foram adotados por Aoi Mukaki e Ren Mukami. Meninas que querem os Mukami, expliquem sua relação com a dona Aoi, ela é meio extrovertida, não comenta sobre sua idade, vive no mundo da moda e não tem vergonha de nada)✾

✾Relação com os pais dos meninos: (Também é importante conquistar o futuro sogro, né? Por mais que eles não estejam tão presentes)✾

✾Música que define a personagem: (Coloque o vídeo, um pedaço da música e digam o por que de terem a escolhido)✾

✾Música que define o casal: (A mesma coisa que na questão anterior)✾

✾Clube: (É obrigatório, todos precisam estar em um clube. Dentre eles há: Literatura, música, natação, basquete, vôlei, futebol, culinária, dança, Box, ginástica artística, xadrez, jardinagem, matemática, teatro, pintura, filosofia, sociologia, judô e... Só!)✾

✾Objeto especial: (É opcional)✾


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...