~Sakasaki-Aldi

Sakasaki-Aldi
SrAlditore
Nome: Haou show ko ou ken!
Status: Usuário
Sexo: Masculino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 7 de Abril
Idade: 20
Cadastro:

Necromante


Postado

Necromante

O passado parece tão distante agora. Uma única escolha errada em um momento de desespero e aqui eu estou. Isso é uma punição? Algum tipo de inferno na terra? Eu gostaria apenas de ter morrido, deixar toda essa dor para trás, mas... Eu não posso fazer isso agora. A maldita besta, eu não irei libertá-la.

Muitos anos atrás eu caminhei até uma terra que era proibida, havia uma razão para isso, mas eu simplesmente ignorei. Um lugar onde espíritos amaldiçoados ecoavam e sussurravam para os homens, um lugar onde apenas a morte aguardava, ou assim eu pensei. Eu fui até esse lugar para morrer, já não havia mais nada para mim.
Helena, eu a amei com tudo o que eu pude, tivemos uma filha, uma garotinha a qual chamei de Liana. As duas eram tudo para mim e me foram tiradas. Eu ainda consigo ouvir os gritos ecoando. "Bruxa! Bruxa!". Eles não me deixam dormir uma noite, o mesmo acontece com o brilho do fogo, as tochas sendo erguidas e lançadas no ar. O que eu pude fazer por elas? Nada... Eu não pude fazer nada alem de gritar e chorar enquanto as via partir.

Por esse motivo eu fui até o vale proibido. Já estava fraco por causa da viagem longa, não me preocupei em comer ou beber nada, eu só queria em algum lugar e adormecer eternamente. Mas acho que escolhi o lugar errado. Uma voz forte, corrupta, maligna começou a falar comigo, em não podia entender o que dizia, mas eu sabia que eram coisas perversas. A ultima coisa que eu vi foram as sombras vindo em minha direção.

Acordei em um lugar estranho, com uma sensação estranha. Pessoas me cercavam e ao meu redor eu podia ver desenhos de círculos com figuras e palavras desconhecidas, mas não me pareceram boa coisa. "Bem vindo irmão" saldou-me um deles, o mais velho e que parecia ser de alguma forma o líder. Exigi respostas, porque eu não estava morto? E quem eram essas pessoas? Frinston, esse é o nome do homem, o homem que me contou sobre o destino ao qual me condenei.

O vale proibido, o qual hoje chamo de Portão do inferno, continha uma conexão forte com o mundo do qual os demônios vinham. Eu já havia escudado sobre varias coisas, eu acreditava em bestas e monstros, mas sempre achei que por trás de magia havia algum truque, só que não há. As pessoas que me encontraram eram necromantes, com certeza não são bem vistos por nenhuma cidade do reino. Brincar com a morte não é algo realmente atraente, mas não me importei muito em estar ali. Sempre houveram magos nos reinos, mas isso não impediu de que atacassem minha família, taxando as duas pessoas que eu amava de bruxas. Frinston me explicou muito sobre magia, de todos os tipos: Arcana, rúnica, ancestral, universal, wicka, phyromancia e finalmente Necromancia.

A magia arcana reúne energia de símbolos, gravados nas roupas, armas e até mesmo na pele do usuário. A rúnica é poderosa, mas necessita retirar seus poderes de pedras e elas eventualmente acabam. Ancestral é semelhante à rúnica, mas não é fácil encontrar Pedras Ancestrais, Frinston disse que elas praticamente sumiram do mundo. Universal busca poderes tanto no mago como em uma energia que circula todo o mundo, é a mais usada e mais aceita em todos os reinos. Wicka, proibida, considerada pecadora e quem for pega a praticando é queimada viva, sim, é uma magia que por algum motivo pode ser usada apenas por mulheres que possuem um chamado, Helena possuía e manteve em segredo, até esse mesmo chamado revelar-se em Liana. Bruxas, como eles chamam, retiram sua magia da terra, elementos naturais, algumas definem que a natureza lhe dar poderes. Não sei a verdade, isso é apenas o que Frinston me disse, mas se esse tipo de magia é passível de punição, não entendo o porquê da magia como um todo ser aceita. Phyromancia é arte do fogo e busca seus poderes em uma divindade chamada Senhor do Fogo, muito dela é um grande mistério, mas sabe-se que a ordem do fogo foi dividida, a Cruz Ardente e Os Filhos do Primeiro. A primeira é uma ordem de templários que deixaram a igreja para servir o Senhor do Fogo, mas eles não usam Phyromancia, são totalmente contra esse tipo de magia. A segunda é uma ordem quase ancestral, agora eles clamam que o verdadeiro Senhor do Fogo se foi e um falso assumiu seu lugar. Eu não entendo essas disputas e não me interesso. Só a uma magia que realmente me interessa.

Necromancia, a magia que possibilita usar a morte, mas que as pessoas enxergam apenas como invocar mortos-vivos para lutar. Existe um porem, Necromancia é uma magia baseada na não-vida e essa energia não pode ser canalizada por humanos, mas é claro que humanos estão sempre brincando de "aprender", então eles encontraram um jeito, aprisionar essências de demônios mortos em seus corpos através de magia arcana e assim ter acesso a energia de não-vida. Com o tempo, demônios mortos não foram suficientes para a ganância por poder e então passaram a usar vivos, mas em algum momento trouxeram um poderoso de mais e com a fraqueza do Necromante o demônio pode possuir seu corpo e andar livremente pelo mundo, pior, se o Necromante morrer o demônio estará livre para sair.

Tive sorte de encontrar Frinston e seu grupo, todos eles, com exceção do próprio Finston, tornaram-se Necromantes contra sua vontade, assim como eu, foram fracos, tolos e deixaram essas entidades malignas possuíam sua vida. Frinston resgatou a todos, assim como resgatou a mim e com sua magia arcana nos ajudou a controlar o ser que habitava dentre de nós. Não sei muito sobre seu passado, mas sei que ele é um Necromante bem experiente e que se tornou um porque quis, mas deixou a ordem principal e fundou uma nova, a qual estava determinada a por um fim a essa busca por poderes malignos e ajudar aqueles que entraram nesse mundo de trevas por acidente.

"Você pode ser o trunfo que precisávamos... A carta mais perigosa a ser jogada". Eu sei que minha situação não é nada boa. O mal que está dentro de mim é extremamente poderoso, se eu o deixar sair o mundo pode ser destruído. O homem desesperado buscando apenas morrer selou seu destino com algo muito maior. Eu não posso simplesmente morrer agora, por que eu estaria condenando a todos, pode ter perdido o meu mundo, mas não quero isso para ninguém. Sou poderoso agora, mesmo que esses poderes sejam malignos eu irei usá-los em uma causa justa. Me livrarei desse demônio e não o deixarei destruir o mundo que Helena amou.

Carregarei o fardo do pecador por minha vida, enquanto eu não for livre, ninguém verdadeiramente será. Eu queria a morte, acho que consegui. Eu sou o Necromante.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...