~StarblueG

StarblueG
/;star.
Nome: 》 You can call me S.T.A.R. 《
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
Aniversário: 20 de Setembro
Idade: 16
Cadastro:

— another broken heart;


Postado


This is the last time
C a u s e- you and I
We [/were born] to die
— Born To Die by Lana Del Rey

✡ Nome ✡
Mackenzie Tuohy Murphy

✡ Apelido ✡
Kenzie ― É o apelido mais comum. Um jeito fofo e carinhoso de a chamar. Por mais que seja o mais comum, apenas permite que seus amigos mais próximos chamem-a assim.

Mack ― Desconhecidos a chamam assim, ou pessoas não tão próximas a querer ganhar intimidade, ou apenas encurtar seu nome.


✡ Idade ✡
22 anos. Nasceu dia 19 de Fevereiro, pertencendo ao signo de Peixes.

✡ Nacionalidade ✡
Britânica, então ela fala wotah


✡ Aparência ✡
[Lily Collins]

A jovem, de fato, é possuinte de tamanha beleza. Uma verdadeira obra prima. Não se acha bonita, porém, também não acha que é a menina mais feia do mundo. Mackenzie é marcada pela sociedade por uma pessoa bela, pois possui os atributos que realmente fazem a beleza. É uma simples garota de olhos verdes e cabelos castanhos, porém, é sua simplicidade que faz sua beleza. Seus olhos possuem um tom de castanho, mas ainda não abandonam o verde musgo. É a coisa em seu rosto que mais a lembra de sua mãe, por seu pequeno e alongado formato. Já o cabelo, é de um castanho normal, porém, ainda assim, castanhos. As madeixas sempre estão mudando de tamanho. Hora batem na altura de seus bustos, hora batem em seu pescoço, e, até mesmo já chegou a deixá-los na altura da orelha. Os fios são lisos e sedosos, possuindo certo volume. Algumas vezes, tenta deixar a ponta das madeixas onduladas, Cabelo claramente rebelde, porém, sempre em um corte repicado.


O rosto possui um oval, porém, o queixo fino não deixa isso tão claro. Seus lábios são finos e carnudos, levemente rosados pela brancura de sua pele. Por baixo dos mesmos estão duas fileiras de enfileirados e brancos dentes, constituindo um lindo e encantador sorriso. Acompanhando o mesmo, Mackenzie tem duas covinhas em suas bochechas. Seu nariz é fino e bem desenhado. As sobrancelhas são grossas e perfeitamente delineadas, sempre feitas e com nenhum fio fora de seu devido lugar. Kenzie não tem o corpo dos sonhos de qualquer garota, porém, é atrativo aos olhos. Magra, certamente, mas possui curvas. Possui uma altura mediana, seus um metro e sessenta e cinco de altura. Braços e pernas finas. O quadril não é tão largo, não deixando sua cintura tão marcada como deveria. Os seios são de tamanho medianos, assim como os seus glúteos. As pernas longas a fazem parecer um pouco maior do que realmente é. A harmonia acompanha cada centímetro de seu pequeno corpo.



✡ Personalidade ✡
péssima piadista, impulsiva, brincalhona, inteligente, altruísta, generosa, carismática, simpática, pacífica, independente, alegre, amigável, autoritária, benevolente, bisbilhoteira, curiosa, comunicativa, temperamental, compreensiva, distraída, educada, quieta, esforçada, determinada, humilde, honesta, otimista, leal, companheira, persistente


✡ História ✡

A vida de Mackenzie já começou extremamente corrida. Tinha um mês de idade quando fez a primeira mudança de sua vida. Originalmente, a menina é britânica, mas mudou-se tantas vezes quando pequena, que diz que sua nacionalidade é universal. A menina demorou a aprender a falar. Com três anos, trocava palavras do inglês, alemão, e russo. Foi então que seus pais decidiram voltar para seu país de nascença e alfabetiza-la de acordo com a língua inglesa.
April e Henry tentavam ter uma filha há muito tempo. Desde que se conheceram, e enfim casaram, pensavam em ter uma pequena menininha para que fosse uma bruxa com poderes igualáveis a de uma suprema. A realidade, é que todo o desejo disso provinha de Henry. April era apenas uma garota apaixonada que aceitaria tudo por seu amor. Ambos bruxos, com poderes bem controlados, acreditavam que a junção daria em algo imaginavelmente forte e que, um dia, os Tuohy seriam reconhecidos por supremacia.
Mackenzie, até os dez anos, nunca fora para uma escola de verdade. Seu pai a dava aulas particulares, ensinado como se comportar perante a sociedade e também matérias essenciais que a menina precisaria saber para se virar quando finalmente fosse colocada em um colegial. Esse foi o momento da vida de Kenzie onde mais esteve em conexão com seu pai. Os dois ainda eram amigos. Henry fazia brincadeiras com a mesma, tentava não deixar todas as longas tardes massivas enquanto estudavam. Felizmente, o homem conseguia fazer isto muito bem, mas o momento de felicidades não durou muito tempo.


Foi uma noite tempestuosa de grande discussão, até chegarem a decisão que a menina entraria na escola. A ansiedade encheu o pequeno corpo de Kenzie. Nunca havia interagido com outras crianças a não ser as do parque, que via apenas uma vez na vida. Tinha altas expectativas quanto ao colégio. Visitou-o algumas vezes e conheceu novas meninas que pareciam ser amigáveis.
Foi neste mesmo colégio, ainda na Inglaterra, onde ela teve seu primeiro "namorado". Tinha apenas seus onze anos, e o garoto insistia que gostava muito dela. As amigas, loucas para que Mackenzie desse o seu primeiro beijo e se tornasse "mais adulta", a convenceram a aceitar o pedido do garoto, mas ficava estampado em seu rosto que a menina não estava satisfeita. Todas as vezes que o garoto tentava lhe dar um beijo, Kenzie virava o rosto, e apenas aceitava caminhar de mãos dadas com ele. Mantinha o namoro escondido dos pais, pois tinha certeza que o pai super protetor não gostaria da ideia de ver sua pequenina junto com um garoto qualquer, mas a casa caiu quando, alguns meses depois, o pai foi buscá-la na escola e o garoto ainda estava junto a si. Por mais que insistisse muito, o namorado queria conhecer seu pai. Henry não aceitou nada bem, mas não fez estardalhaço, apenas a encarou feio, apertou a mão do garoto e falou que teriam que ir para casa. Na semana seguinte, os mesmos estavam viajando de país.
Não importava por onde Mack passasse, olhos admirados grudavam em si. Era uma menina simples e bela. Atraía olhares curiosos para conhecer mais da mesma, e acabavam se aproximando. Morou um ano na Alemanha, meio na Rússia e Espanha, quatro meses na França, três na Polônia e três na Grécia. As mulheres da família já estavam fardas de mudanças e Mackenzie, com seus quase quinze anos, apenas queria parar em um lugar específico e ter uma vida normal. Mais uma discussão aconteceu, mas foi aí que decidiram mudar de continente. Foram morar nos Estados Unidos.


Pela primeira vez em todas as escolas que passou, recusou-se a criar laços com as pessoas. Temia que, se fizesse, tornaria a mudar de casa em menos de um ano, então apenas decidiu viver em seu pequeno mundo, sem a pressão de ninguém. Destacava-se em quesito de notas, e também de beleza. Vários garotos chegavam na mesma, alguns até de forma carinhosa, mas ela os dava foras, inventando desculpas esfarrapadas, como a que tinha um namorado em outro país.
Tinha algumas colegas de sala, que colavam na mesma quando precisavam de ajuda em exercícios, já que a menina era praticamente uma genia, mas nunca chegou a ter aquela melhor amiga que podia contar com tudo. Mal sabia ela que tudo mudaria em questão de semanas.
Mackenzie criou o hábito de sempre ficar na escola até tarde, seja ajudando professores ou na biblioteca lendo livros. Evitava todo o tempo possível em sua casa, para não causar possíveis confusões. Os pais da mesma, ou melhor dizendo, Henry, começava a se preocupar se a filha não havia adquirido os genes dos dois pais e apenas nascido uma humana normal, pois não apresentava um traço sequer que teria a magia correndo em suas veias. Esse era apenas mais um motivo para a menina se manter afastada dos pais, pois sabia que eram "diferentes" e não queria ser como eles.
Em um desses dias escolares, a menina foi à área informática, pois precisava de pesquisas para um novo trabalho. Nunca foi boa com máquinas, e como sempre, o mundo conspirava contra seu favor. O computador estava lento e de jeito nenhum reproduzia o vídeo que precisava. Frustrada, fechou os olhos, e apenas respirava fundo enquanto tentava pensar em uma solução. Foi quando sentiu uma mão quente em seu ombro. Um garoto estava ao seu lado. Alto, bonito e parecia carismático. Deu uma risadinha fraca ao perceber o total desastre que acontecia, mas ofereceu ajuda. De início, Mackenzie pensou em recusar, mas pensando que ela não conseguiria arrumar aquilo de nenhum jeito, aceitou a oferta.
Passaram a tarde juntos, conversando e se ajudando. O rapaz era um ano adiantado, e já havia feito aquele trabalho. Aconselhava a menina a não cometer erros e tirar uma ótima nota. Quando perceberam, o zelador começava a trancar as portas do colégio, e já começava a escurecer. O garoto, assustado com a hora, apenas juntou as coisas correndo e falou que tinha uma irmã pequena para cuidar. Ele havia esquecido um caderno em cima da mesa de Mackenzie, e, por mais que a garota gritasse, o rapaz já estava longe.
Pensou em deixar o caderno ali, para que ele mesmo achasse, mas também pensou que isso seria maldade, já que o garoto sem nome perdeu sua tarde inteira a ajudando. Após longos minutos de questionamento, apenas enfiou o caderno dentro da mochila e foi para casa.


Não fazia a mínima ideia de quem era o garoto, e tinha receio de abrir o caderno e acabar achando coisas que não deveria ver, mas não fazia a mínima ideia de como achá-lo. Seu colégio era grande demais para não o achar em menos de três dias. Foi então que abriu o caderno, surpreendendo-se. Era um caderno de desenho. A primeira página era apenas de sua letra, dizendo: "Este carno pertence a James Chapman. Favor devolvê-lo." Seguido de sua turma e sala de aula. Percebendo que era um caderno de desenhos, pela página ao lado com um lindo desenho de uma moça, deixou com que a curiosidade tomasse conta de si e começou a foleá-lo. A coisa que mais a intrigou foi o final, no qual tinha um desenho seu.
Evitar o pequeno sorriso em seu rosto foi difícil, e não conseguiu conte-lo. O desenho era incrivelmente belo e detalhado. Mackenzie não fazia a mínima ideia que o tal do James estava a desenhando, e não perceberia se ele não tivesse esquecido o caderno.
No dia seguinte, fez questão de esperá-lo na hora da entrada e entregar o caderno em suas mãos. James lhe agradeceu muito, e falou que tinha que ter um jeito de retribuir. Por mais que a menina insistisse, o garoto parecia não desistir, então ela apenas aceitou sua proposta de ir tomar um sorvete. Ah, a ingenuidade. Óbvio que não se passava de um sorvete.
Depois da aula, saíram juntos, e James pagou sua promessa, a não ser pela falta de dois dólares. Mackenzie não hesitou em lhe emprestar. No dia seguinte, o menino foi ao seu encontro, pagando-lhe o que devia. E assim se foi os dias juntos. Cada dia arrumavam um motivo para se encontrarem, nem que fosse um "suposto esquecimento" de objetos. Aproximaram-se cada vez mais e aconteceu o que Mackenzie mais temia: ela acabou criando sentimentos pelo garoto.
Foi nesta mesma época que a garota conseguia sentir algo estranho dentro de si, como um borbulho dentro de seu peito, mas apenas considerou isso como a exposição a novos sentimentos. Mal sabia ela que aquilo era uma pequena prévia do que seus pais a prepararam a vida inteira. Seus poderes se revelaram quando James lhe deu o primeiro beijo. Foi algo intenso, e, quando separaram os lábios, todas as plantas da sala estavam viradas para os mesmos.


Mackenzie escondeu de sua família o máximo que podia o seu relacionamento com James. Quando saíam juntos, dizia a sua mãe que estava indo no cinema com suas colegas de sala, ou que estudaria na biblioteca perto de casa, porém, ludibriada pelo amor, esqueceu-se que mentira tem perna curta. Em um destes supostos encontros, Henry seguiu a menina, e deu de cara com Mack e Jay se beijando de primeira. A fúria tomou o homem, porém, como sempre, apenas voltou para casa e esperou a chegada da filha. A discussão feia. Ficaram aos berros por duas horas, e seu pai já ameaçava mudar-se novamente, porém, quando a menina chegou ao seu ápice de irritação, acabou transformando a mesa que deu um soco em metal puro. Henry, mais interessado do que nunca em seus poderes, deixou a ideia de se mudar de lado, pois sabia que os poderes provinham de sua relação com James.
O casal ficou mais restrito de se ver. Tinham livre acesso na escola, porém, o pai falou que a menina não podia chegar mais tarde que oito horas em casa. James e Mackenzie matavam aula para conseguir aproveitar um ao outro, ou até entravam no quarto escondido para poderem conversar durante a noite. A situação já tinha se acalmado, e tudo estava belo, até o Sr. Tuohy descobrir a verdade sobre os Chapman: uma família de caçadores. Foi quando perdeu sua cabeça e, sem o consentimento de ninguém, começo a elaborar planos para se mudar de volta ao continente europeu. A filha tinha acabado de completar seus dezoito anos, porém, ainda não tinha um trabalho para se manter sozinha, assim como James não tinha a condição para se mudar de país. Foi algo difícil, e bastante insatisfatório, porém, Mackenzie não conseguiu vencer esta batalha.
O pai fez questão de cortar qualquer meio que a menina tivesse com o ex namorado, com intenção de faze-la esquecer de sua existência. A morena passou anos juntando dinheiro e pesquisando clãs de bruxas pelos EUA. Felizmente, conseguiu o contato com uma delas, e, como agora já era maior de idade, não tinha que explicar a seus pais onde ia ou deixava de ir. Com a amostra de seus poderes e a comprovação de seu comprometimento, Kenzie foi aceita para treinamentos mais precisos, porém, o mais importante de tudo, ela estava voltando para seu amado.



✡ Família ✡
[April Tuohy |44 anos | Sandra Bullock | Viva | Mãe]

Amor é a palavra perfeita para definir a relação das mesmas. April sempre foi mais compreensível que Henry, e sabia pelo que a menina passava. Já foi uma bruxa sem saber o que estava acontecendo, ou como controlar seus poderes, mas também já foi uma menina apaixonada. Basicamente, é sua melhor amiga. Sabe que pode contar com a mãe para tudo, e não tem segredos da mesma.


[Henry Tuohy | 45 anos | Ryan Reynolds | Vivo | Pai]

Uma relação complicada. Kenzie é "a garotinha do papai", e pode acabar sendo mais possessivo do que deveria. Por querer protege-la o tempo inteiro, é um homem rígido, que controla tudo o que a garota sai. Desde a hora que sai de casa até a hora que chega. Se a garota se atrasa um minuto, o homem começa a se preocupar mais do que deveria. Por início, o pai pode parecer um completo cuzão, o que não deixa de ser, porém, é apenas seu instinto agindo.


✡ Gostos e Desgostos ✡
x Gostos x
Ler | Café | Música | Cinema | Fotografia | Escrever | Frio | Chá | Animais

x Desgostos x
Ignorância | Calor | Barulhos altos | Violência | Drama | Rock | Má educação | Comidas picantes

✡ Medos / Fobias ✡
x Medos x
Qualquer animal que se assemelhe com uma galinha (Pombos, por exemplo) | Estouro de balões de festa | Pombos | Escuro

x Fobias x
Altura | Abelhas

✡ Qualidades ✡
Brincalhona | Inteligente | Altruísta | Generosa | Carismática | Simpática | Independente | Benevolente | Educada

✡ Defeitos ✡
Bisbilhoteira | Impulsiva | Temperamental | Distraída | Pessimista | Curiosa | Respondona

✡ Habilidades ✡
Tocar o terror

✡ Poderes ✡
Fitocinese, Gravitocinese, Alquimia, Evolução Reativa
Fraqueza:

✡ Carrega algum objeto importante consigo? ✡


✡ Como é a sua relação com os demais do Clã? ✡
Odeia todos

✡ Quão comprometido é com as causas do Clã? ✡
Nada, quer que se foda

✡ O que pensa dos Caçadores? ✡
Ama todos queria ser uma

✡Seria capaz de trair? ✡
Nope

✡ Seria capaz de matar um inocente? ✡
Nope

✡ Quer par? ✡
Siem

✡ Se sim, quem? ✡


✡ Algo mais? ✡
Só queria dizer que Deus te ama por avaliar essa serumaninha tão linda, pae

gifs do shipp eterno
http://thegifsbox.tumblr.com/post/77401949654/sandra-bullock-gifs
http://asupremaciabruxa.weebly.com/magias-adicionais.html
Todos os gif hunts do mundo:
http://hqgifhunts.tumblr.com/tagged/lily-collins-gif-hunt





http://hqgifhuntsx.tumblr.com/post/145758472244/lily-collins-gif-hunt-under-the-cut-you-will
http://hqghunting.tumblr.com/post/130645215419/lily-collins-as-rosie-dunn-gif-hunt


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...