~StarblueG

StarblueG
/;star.
Nome: 》 You can call me S.T.A.R. 《
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
Aniversário: 20 de Setembro
Idade: 16
Cadastro:

— c*ra+z_y c//uc[k]o.o.


Postado


So what if I'm crazy? The [/best] people//+are
Mad Hatter by Melanie Martinez

✗ Nome ✗
Matthew Sullivan Morningstar

Matthew significa "dom de Deus", "dom de Javé", "presente de Deus", "dádiva de Deus". Matthew é uma variante do nome Mateus, este originado no hebraico Mattiyyah, a partir do latim Mattaeus e significa "dom de Deus". A mãe de Matt, como uma digna evangélica, acreditava que seu primeiro filho seria um presente de Deus em sua vida, e por isso, deu ao seu primogênito nome digno de tal


✗ Apelido ✗
Matt O mais simples de todos, o diminutivo de seu nome. Basicamente, é quase como seu verdadeiro nome, pois é raro de alguém lhe chamar Matthew.
M&M Por seu nome e sobrenome, o comparam com o famoso doce, M&M. É raro de usar, porém, ainda assim, é usado.
Monkey O menino ama subir em lugares difíceis ou se encaixar em lugares pequenos. No seu fundamental, ficou conhecido como Macaco, ou Macaquinho, pois sempre que alguém queria o bater, o menino dava um jeito de escalar alguma parede e ficar em cima de uma prateleira. Outro variante é Homem-Aranha


✗ Idade ✗
Possui dezoito anos. Nascido no dia 20 de Setembro, sendo do signo de Virgem. Possui ascendente em Sagitário.

✗ Aparência ✗
[Ezra Miller]

Os deuses foram extremamente bondosos quado o criaram. Matthew é um homem extremamente belo, que atrai olhos curiosos de qualquer um há quilômetros de distância. Talvez isso se deva ao seu jeito de ser, porém, foquemos em suas madeixas pretas como carvão. Os cabelos lisos estão em constante mudança. Quando curtos, estão arrumados em uma franja desgrenhada para o lado, e, geralmente, mais encaracolados que o comum. Quando longos, batendo abaixo de seu queixo. Os olhos são de um denso castanho escuro, sendo frequentemente confundido com o preto. O formato repuxado lhe dá uma aparência um pouco asiática, porém, nada que tire sua beleza.. Sobrancelhas finas e recheadas, deixando seu olhar mais marcante. O maxilar é quadrado, ressaltando muito bem suas bochechas, o que é um problema quando as mesmas decidem ficar coradas. Quando o assunto é barba, Matt sempre faz questão de fazer com que o pelo nunca cresça no local, pois os mesmos em seu rosto.


O nariz e a boca são formosos. Os lábios são finos e rosados, e escondem uma linda arcada dentária. Os dentes são completamente alinhados e brancos, sem nenhuma imperfeição. O corpo não é desejado por muitos garotos, já que o "ideal" é ser extremamente musculoso, e Matthew não passa de uma grande - possui um metro e
oitenta - tábua de passar roupa albina... Isso enquanto está com camisa. Os músculos de seu abdome são vistos quando sem camisa, deixando claro que o garoto não é fraco. O torneado em seus braços não são tão relevantes, mas vistos se a pessoa prestar bastante atenção. A estranheza chega quando o assunto são pelos, já que o garoto praticamente não os tem. Braços, pernas, peitoral, todos pelados. Os dedos das mãos são longos, dando-lhe as famosas mãos de pianista, formando gestos gracioso por onde passa. De todos os jeitos, é impossível admitir que o garoto não é um verdadeiro deus grego.



✗ Personalidade ✗

A primeira característica a se notar é o seu senso de humor. Matthew provavelmente será um dos garotos mais divertidos a se conhecer. Poderia ser um exímio humorista, pois faz piada de basicamente tudo que lhe aparece pela frente. Sabe qual são os limites de sua graça, quando não deve fazer piadas, ele não as faz. A maioria de suas piadas são sem graça, mas, de tão sem graça, chegam a ser engraçadas. Combina este seu artifício com sua tremenda ironia e sarcasmo. Pode acabar sendo bastante maldoso com suas palavras por isso, mas nunca ou quase nunca é intencional.
É um garoto muito carismático. Faz amizades com a mesma facilidade que um bebê consegue dormir. O seu senso de ser extrovertido influencia bastante nisso. É odiado por muitos, porém, é um garoto simpático, generoso e amigável. Nunca viu motivos o bastante para ser ruim com todos. Sempre tratou a todos como se ele quisesse ser tratado. Pode ser considerado bastante altruísta por sempre colocar as necessidades dos outros a cima das suas. Sentimentos são coisas extremamente difíceis para o mesmo se lidar, e isso o leva a ser impulsivo. Em situações onde terá que decidir algo pela razão ou pelo sentimento, com certeza escolherá agir erroneamente por seus sentimentos. É muito sentimental, e não liga de chorar na frente de alheios. Protesta com todos esses preconceitos que homens não podem chorar e chora com muito orgulho. Nem mesmo o grande orgulho o faz vencer estes seus pensamentos.
Em sua parte romântica, pode-se dizer que o garoto é um pervertido de primeira. É um dos típicos maliciosos que fará qualquer um ao seu lado ficar constrangido. Não ter vergonha de simplesmente chegar na garota e soltar uma cantada barata sem preocupações se levará ou não um tapa no rosto. Chame-o de ousado, audacioso, atrevido, o que quiser, ele apenas não liga de ser direto ao ponto.
Como todo bom tagarela, fala mais do que a língua o permite. Só é possível ver o garoto de boca fechada quando dormindo. Torna-se insuportável quando alguém está chateado com ele e não conta o motivo, pois perguntará mil vezes o motivo até que a pessoa o diga. Matthew é alguém extremamente independente, e não gosta que os outros dependam de si. É o tipo que gosta de ajudar, odeia fazer trabalhos em grupo, pois sempre achará algum erro que outras pessoas cometem. Pode até mesmo ser esforçado fazendo as coisas que lhe aparecem pela frente, mas apenas quando o assunto lhe agrada, pois, se não, ficará com uma cara amarrada o tempo inteiro. É muito exigente consigo mesmo, apenas trabalhando no cem porcento. Se não for para ser perfeito, ele fará novamente até que se torne.
Apesar de parecer idiota (o que não deixa de ser), é um menino até que bastante inteligente. Não era um dos melhores alunos, por nunca concordar com algumas coisas e ser teimoso demais para entende-las. Considerava-se burro, por sempre exigir demais, porém, suas notas eram medianas. Sempre apreciou aprender o inovador. Isso provém de seu jeito curioso e bisbilhoteiro. Não consegue se saciar apenas com um fato. Sempre terá perguntas de como aquilo funciona, é criado ou afins. Isso acabou o tornando um tanto comunicativo, já que sempre estava disposto a começar extensas conversas sobre como tudo funcionava com pessoas que nunca vira na vida.
Leva o otimismo como a regra de sua vida. Tudo tem o seu pior lado, porém, também tem o seu bom, e Matthew tenta sempre enxergar as coisas boas que a vida lhe dá. É brincalhão o bastante, e talvez esse seja um dos maiores motivos para ser tão otimista. O garoto pode até ser temperamental, mas é bastante compreensivo quanto a problemas pessoais de alheios. Por uma boa época, pensava em ser psicólogo, mas não aguentaria toda a pressão de poder falar uma coisa errada e afetar completamente uma pessoa. No geral, é muito calmo, mas pode se tornar impaciente em um estalar de dedos.
Pode soar bastante confuso, porém, o garoto é preguiçoso, e, ao mesmo tempo, bastante agitado. Em momentos normais de seu dia a dia, não gosta de ficar parado, é muito espontâneo e empolgado, sempre achando novas experiências para se aventurar, porém, sempre há os dias diferentes. Nestes, não há nada que o faça mudar de ideia que ficar deitado em uma cama macia é a melhor escolha de sempre. Nunca foi uma pessoa atlética, e odeia os exercícios forçados, porém, correr sempre foi um de seus hobbies preferidos. A questão da grande praticidade também pode-se dar apoio na preguiça. O entusiasmo o fez ser extremamente festeiro. Ama uma boa festa e uma boa diversão. Sempre que é convidado para uma, faz questão de aproveitar o máximo possível.
O tanto que possui de magreza, possui de comilão. Sempre está com a boca cheia de alguma coisa, mastigando alguma coisa, nem que seja um pequeno chiclete. Matt é muito ansioso, e comer o ajuda a aliviar isto. Em provas, todos o verão em seus picos de ansiedade pelo frequente medo de falhar. É sincero, mas prefere não arrancar o coro das pessoas com palavras, e sim ser gentil e tentar amenizar o impacto das coisas que fala. Muito distraído, ouvindo frequentemente a pergunta se está no mundo da lua, mas apenas não consegue se concentrar com muitas facilidade nas coisas ao seu redor.
Incrivelmente criativo, criando as mais belas artes como um verdadeiro aluno de humanas. Não tem medo de se sujar, sempre estando com vestígio de tinta em diversos locais de seu corpo por isso. Esquecido é uma das coisas que Matt mais é nessa vida. Possui uma péssima memória, às vezes recontando histórias que acha engraçada por simplesmente ter esquecido que já as contou. Em questões sociais, é bastante mente aberta para tudo. Abomina preconceitos, quaisquer eles que sejam. É o defensor das minorias, sendo capaz de entrar em uma feia briga, sendo verbal ou física, apenas para defender aquele sendo agredido. Tenta sempre manter a grande educação que sua mãe lhe deu, mas é bastante desbocado. Não acha que boca suja seja um sinônimo de educação, então, não vê motivos para não os falar.



✗História ✗

O início da história de Matthew começa ainda na adolescência de seus pais. Anna era um ano mais velha que Josh, e o garoto havia acabado de entrar na escola. Anna, menina alegre e convidativa, alvo de muitos olhares maliciosos por garotos tarados, e Josh, garoto estranho que se mudou de escola por problemas alcoólicos. Pareciam impossíveis de se encontrar ou de se gostarem, porém, por mais nariz empinado que Anna parecia ser, era uma menina justa, não admitia bullyings, e foi assim que se conheceram. Uns garotos da equipe de esporte começaram a afronta-lo, e Anna chegou bem na hora, impedindo-os. Desde então, passaram a se conhecer melhor. Uma simples história de clichê, porém, o começo de uma longa jornada.
O começo do relacionamento demorou para acontecer, porém, quando aconteceu, foi algo intenso e avassalador. Tão difícil de se controlar que Anna, com apenas seus vinte anos, descobriu que estava grávida. Já estava em sua faculdade e ganhando certa quantidade de dinheiro, e Josh acabara de entrar na faculdade de história. Os pais da garota simplesmente não admitiam que sua filha tivesse um filho antes de casar, e, por motivo tão fútil, expulsaram a menina de casa. Com muito esforço, Josh convenceu seu pai, com muito esforço, a deixar que a jovem morasse em sua casa. Foi uma tarefa extremamente difícil, já que Aaron era rigoroso até o último fio de seu cabelo. Alguns meses depois, o pequeno Matthew nasceu.


Diferente do esperado, as coisas não melhoraram a partir daí. Os jovens não tinham dinheiro para alugar um apartamento e tinham que conviver nas garras de Aaron. O velho era ranzinza, e reclamava de absolutamente tudo. A cada choro, fralda trocada, risada dada, tudo fazia com que os mesmos cada vez se arrependessem mais de um dia começarem um relacionamento. Rachel, a mãe de Josh, ficava angustiada com toda aquela situação, e então resolveu ajudá-los. Com o pouco dinheiro, promoveu a mudança para um pequeno apartamento perto da casa dos avôs, onde finalmente encontraram a felicidade.
A vida dos Morningstar passou a ser pacífica. Seguia sempre uma mesma rotina, mas não possuía o mesmo estresse de sempre de seu avô sempre os maltratando. Anna era uma professora do fundamental, então, tinha jeito com crianças. Foi muito fácil de educar o pequeno, já que era extremamente obediente, e, com apenas um olhar de sua mãe, já ficava no eixo. Era bagunceiro, e sua atividade preferida era ir para a escola de sua mãe para brincar com os mais velhos. Esta interação o ajudou muito a diluir toda a timidez que ainda existia em si.
Conforme os anos se passavam, Matthew criava cada vez mais conflitos internos. Fora ensinado por todos que devia gostar de futebol, ser másculo, brincar de carrinho, e tais coisas, mas a realidade, é que sempre se interessou pelas coisas ditas como coisas de menina. O avô era um dos principais motivos para o garoto temer ser algo de errado, já que diversas vezes batia no menino por qualquer motivo que fosse. Se admitir algo que fosse fora do padrão regrado de sua família era extremamente impossível, e isso o deixava cada vez mais depressivo. Escondia de seus pais o motivo, falando que não era nada demais, apenas a pressão da escola, mas os mesmos sabiam que não era apenas isso. Para variar, Matt nunca teve um corpo tão másculo quanto deveria, e isso era o motivo de muitas caçoamentos vindos de "colegas" escolares. Geralmente era encurralado em cantos onde apenas o seu corpo esguio consegua caber.
Foi com seus quatorze anos que finalmente descobriu o motivo de não sentir atração apenas pelas meninas de sua escola, e pelos meninos também. Havia sido convidado para uma festa onde teriam muitas pessoas mais velhas, bebidas e afins. Matthew não queria ir, mas, para acabar com desafio bobo, acabou por ceder à suas próprias vontades e comparecer. Nela, conheceu o garoto com quem perdeu seu BV, e, eventualmente, o seu BVL. Edward também era como Matt, um pansexual, porém, era mais velho e já entendia um pouco da vida e como lidar com seus problemas. Tinha seus vinte anos, e, muito estranho, aproveitou-se de um pobre inocente beirando os seus quinze. Por mais que Edward apenas quisesse arrumar alguma boca para beijar, acabou se apegando ao garoto, e ensinando-lhe que nada do que ele sentia era errado, e sim normal de todo os seres humanos.
Passou um longo inteiro ano tentando esconder de seus pais, porém, a felicidade retomou ao seu dia a dia, e era evidente que o garoto não se sentia mais errado perante todos aqueles. Com a ajuda de seu companheiro de balada, aprendeu as várias variáveis que há nesse imenso mundo de números, e que nem todos têm que, obrigatoriamente, serem iguais. Afinal, que graça há em um mundo cinza?


Ao longo que se libertava de suas "origens", descobria o seu grande amor pelo lado artístico. Desde criança, era apaixonado em desenhos e pinturas, e nunca parou de fazer os mesmos, apenas aprimorando suas técnicas. Conforme ficava mais velho, o seu lado artístico se ressaltava, e Matt os aprimorava com seu novo conhecer sobre a verdade. O teatro fora outra paixão tomada pelo mesmo. Via que era a única maneira de se expressar sem ser julgado por ninguém, afinal, era arte. Os gestos feitos pelo garoto, as expressões exageradas, tudo contribuía para o garoto ser um futuro artista no ramo teatral. Gostava também de escrever textos sobre a montureira de sentimentos embolados dentro de si, fazendo pequenos poemas ou pequenos diálogos, porém, nunca os mostrou para ninguém por nunca se sentir extremamente confiante com os mesmos.
Quando admitiu para seus pais que era pansexual, sua mãe foi a primeira a se chocar, porém, sabia que teria que aceitar o filho, pois ele era parte de sua família e quem ele ama ou deixa de amar não deveria interferir em sua vida. Foi uma grande conquista a família, pois isso demonstrou confiança entre os tais. Quem não ficou nada feliz em saber disso foi o avô, que chegou a agredir o menino fisicamente e verbalmente, chamando-o de bichinha desolada. Este foi o ponto final da relação dos mesmos.
Este não foi o final das agressões, pois Matthew começou a mostrar-se como realmente era, admitindo os dois lados dentro de si. Muitos tinham inveja do seu lado livre de ser, tendo confiança no que falava e certeza no que fazia. Por mais que sempre ouvira palavras maldosas, nunca abandonou o seu jeitinho de ser, pois aquele era o verdadeiro Matthew, e ninguém, nem mesmo em um milhão de anos, poderia mudar aquilo. Mais uma vez, o jovem Morningstar estava preparado para mais um ano, ou, como gostava de chamar, o último ano da tortura.



✗ Família ✗
[Anna Morningstar — 39 anos — Mãe — Jennifer Morrison]

Uma digna relação de mãe e filho. Há muito carinho envolvido, combinado com diversas lições de vidas. Matthew fez com que Anna vencesse todos os seus preconceitos, e percebesse que há várias percepções de uma só passagem da bíblia. Conta absolutamente tudo o que acontece para a mesma, e, em momentos de desespero e não saber o que fazer, Anna seria o primeiro pensamento em sua linha de contatos.


[Josh Morningstar — 38 anos — Pai — Colin O'Donoghue]

Basicamente, todo o senso de humor que Matthew possui provém de seu pai. Os dois passam tardes discurindo sobre assuntos diversos, sejam eles com bastante intelecto ou não. Josh é o típico pai que apoia toda as decisões do filho, contanto que não o machuque ou machuque terceiros. Bastante amigos, são aqueles que podem ser visto juntos em um bar apenas colocando conversas em dia.


[Rachel Morningstar — 55 anos — Avó paterna— Idina Menzel]

Sabe quando dizem que a criança parece mais com a avó do que com seus pais? Este é o caso de Matthew. Em questão de aparência, Matt é extremamente parecido com Rachel, e não há nada que negue isso. Engravidou muito cedo, apenas com seus dezessete anos, mas possui uma aparência muito mais jovem do que real idade. Uma avó caridosa, que demonstra afeto a todos os instantes, e faz questão de apoiar todas as ideias de seu neto, mesmo que elas se contraponham com seus ideais. Contanto que Matt esteja feliz e saudável, mais nada importa.


[Aaron Morningstar — 57 anos — Avô paterno— Patrick Dempsey]

A verdadeira criação de Lúcifer, Aaron é o pior pesadelo de Matt. O avô fora extremamente mal e rude em sua infância, lhe dando medo de mostrar quem realmente era para o mundo, mas graças a influências exteriores, o menino se soltou com o tempo. Matthew odeia o avô com todas as forças, e não gostaria de vê-lo nem pintado de ouro.


✗ Ocupação ✗
Participa do clube de teatro e de artes

✗ Orientação sexual ✗
Pansexual
São aqueles que não se limitam em gênero, e sim o que a pessoa realmente é, sua personalidade. Homem, mulher, trans, drag, tanto faz, se for uma boa pessoa, corre riscos de ser o alvo da flecha do cupido de Matthew.

✗ Deseja par? ✗
Sim

✗ Relação com o par ✗

O garoto é alguém carinhoso, e que gosta de afeto. Gosta de ficar junto, mas sem muita melação. O pequeno ciúme poderia atrapalhar um pouco nisto tudo, porém, tentaria vencer este seu pequeno problema e confiar o máximo que pode na pessoa. Gosta do romântico mas também não é nada bobo e gosta de algo mais picante. Como um típico pervertido, é a pessoa da relação que provavelmente falará bobagens no ouvido do parceiro e tomará iniciativa para estes momentos. Definitivamente não tem vergonha para os mesmos, pois a confiança em si mesmo o fez acreditar que é bom no que faz. Não liga de demonstrar afeto em público, e, se a pessoa quiser andar abraçada ou não, para ele tanto faz. É uma pessoa bastante liberal quando se trata de relacionamentos, mas apenas gostaria de receber em troca a confiança que põe no parceiro.


✗ Relação com Beatriz Foster ✗

Seriam ótimos amigos. A personalidade de ambos é parecida, o que poderia causar certos conflitos, porém, nada que uma pequena briga que acabe em palhaçada resolva. Seriam o par perfeito em festas pela aura agitada e inconstante. Por odiar ser contrariada, surgiriam muitos conflitos entre os dois de divergentes opiniões, já que Matt é o típico teimoso que não larga suas ideias facilmente, mas ou chegariam em um acordo, ou simplesmente abandonariam o assunto de lado. Provavelmente, Matt implicaria com a mesma, chamando-a de baixinha,


✗ Relação com Ella Montgomery ✗

De início, é bem possível que Matt se sinta intimidado pela aura de liderança da menina, mas, após algumas trocas de olhares e conversas, se tornarão amigos. Provavelmente será aquele ombro amigo que todos precisam, o ombro que Ella poderá desabafar sem problema algum, pois, em nenhum momento, Matthew a julgará como fraca. Possuem o mesmo pensamento ativista, então, seriam boas pessoas de bate boca para se discutir, quase como uma dupla infalível que luta para os direitos das minorias. Na questão de adorar musicas altas, barulho e dançar, se dariam muito bem juntos, já que o garoto é um festeiro e tanto. Se dessem a chance para que ele se apegue com Ella, será uma das pessoas mais ciumentas do mundo quanto a ela, pois a verá como uma irmã mais nova que sempre quis, e ninguém poderá desrespeitar sua pequenina.


✗ Vícios ✗
Internet ∴ Cafeína ∴ Doces

✗ Musica tema ✗
[Happy — Pharrell Williams]

It might seem crazy what I'm about to say
Sunshine she's here, you can take a break
I'm a hot air balloon that could go to space
With the air, like I don't care baby by the way
Because I'm happy
Clap along if you feel like a room without a roof
Because I'm happy
Clap along if you feel like happiness is the truth
Because I'm happy
Clap along if you know what happiness is to you
Because I'm happy
Clap along if you feel like that's what you wanna do


eu fiquei meio indecisa, então coloquei duas, mas pode ser qualquer uma delas
[Fight Song — Rachel Platten]

Like a small boat
On the ocean
Sending big waves
Into motion
Like how a sigle word
Can make a heart open
I might only have one match
But I can make an explosion

✗Gostos e Desgostos ✗
[G]
Café ∴ Arte ∴ Festas ∴ Escrever ∴ Inovador ∴ HQs ∴ Música ∴ Desenhar

[D]
Calor ∴ Injustiças ∴ Ficar parado por muito tempo ∴ Deboche ∴ Chá ∴ Remédios/ Hospital (É o tipo de pessoa que teima até o final antes de tomar algum remédio)

✗ Qualidades e Defeitos ✗
[Q]
Alegre ∴ Engraçado ∴ Simpático ∴ Altruísta ∴ Leal ∴ Extrovertido

[D]
Ciumento ∴ Teimoso ∴ Exigente ∴ Tagarela ∴ Impulsivo ∴ Ótimo mentiroso

✗ Habilidades ✗
Escrever


Desenhar/Pintar


Atuar


✗ Mania e Hobbies ✗
[M]
Mexer a perna ∴ Arrancar a pele dos lábios ∴ Mexer no lóbulo da orelha ∴ Esticar e soltar os cachos de seu cabelo

[H]
∴ Escrever ∴ Desenhar ∴


✗ Possui preferência por alguma autora para escrever sobre seu personagem? ✗
Nope :3

✗ Algo mais? ✗
O garoto é sonambulo. O sonambulismo é forte o bastante ao ponto de fazê-lo ter diálogos com uma pessoa qualquer quando dormindo ou sair andando por aí sem rumo


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...