~StarblueG

StarblueG
/;star.
Nome: 》 You can call me S.T.A.R. 《
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
Aniversário: 20 de Setembro
Idade: 16
Cadastro:

— prob!em boy;


Postado

[Pizza de Frango com Catupiri]

They say we're [/losers] but we're alright/+with that
— She's Kinda Hot by 5 Seconds Of Summer

✗ Nome completo ✗
August Bradley Brewer
❝Forma alemã de Augusto, que vem do latim e significa sagrado. Os pais de Gus, sempre muito religiosos, acreditavam que o filho mais velho era uma obra divina de Deus, por isso, acharam que o nome seria digno de tal benção.❞


✗ Apelido ✗
Auggie Basicamente, este é um apelido de infância. Os pais e amiguinhos da escola o chamavam assim. Hoje em dia, apenas familiares o chamam assim, ou amigos de do jardim. Gosta do apelido, mas prefere que apenas os íntimos o chamem assim.
Gus Apelido normal daqueles que acabaram de o conhecer e querem criar certa "intimidade". August próprio se deu o apelido, por mais que era só observar seu nome para perceber.


✗ Idade ✗
19 anos. Nasceu dia 5 de Novembro pertencendo ao signo de Escorpião

✗ Aparência ✗
[Jack Falahee]

O garoto é possuinte de enorme beleza. Talvez todos que o observem de primeira vista tenham intenções carnais com o mesmo, já que, mesmo não querendo, possui um semblante extremamente sexy atribuído a si. Talvez seu sorriso ou a frequente mordiscada em seu lábio inferior sejam partes culpadas por isso, porém, o que ninguém pode dizer é que Gus não é belo. Dono de lisos e escuros cabelos castanhos, que sempre estão devidamente arrumadas, no jeito mais perfeccionista possível. O penteado é basicamente uma curta franja arrumada para o lado. Algumas vezes, o jovem deixa com que a parte cresça um pouco mais, fazendo uma espécie de topete. Ao lado, o cutside predomina, ou seja, o cabelo é mais curto, mas não o bastante para ver o branco de sua cabeça. Quando molhado, é possível ver algumas ondulações na ponta de sua franja, dando um ar de desgrenhado para o menino. Os olhos são castanhos escuros. Profundos e penetrantes. Mais um fator que lhe ajuda a conseguir o que quer facilmente. As sobrancelhas são grossas, e sempre alinhadas. August é extremamente vaidoso, então, faz questão com que nada de seu corpo saia da perfeição.


A barba rala é a fiel escudeira de seu maxilar. Lhe dá a impressão de parecer mais velho do que realmente é, porém, também lhe deixa extremamente mais sedutor. Quando a raspa totalmente, uma cara de bebê lhe acompanha, por isso, odeia tirar o pelo do rosto. Os lábios são finos, porém, provocantes. O sorriso frequentemente estampado nos mesmos pode apresentar certa elegância. Os dentes alinhados e mais brancos que a neve, devido a frequentes idas ao dentista, são de chamar qualquer atenção que seja. Todos ficam impressionados com a formusura da arcada dentária. O corpo de August é outro feito abençoado pelos deuses. O garoto é magro, e possui seus músculos. O abdome é levemente marcado com o famoso tanquinho, assim como os braços e pernas são fortes. Os glúteos avantajados chamam atenção de qualquer um, e dão inveja até mesmo em algumas garotas, ou até mesmo as coxas grossas. Toda sua venustidade é muito bem distribuída por seus um metro e setenta e oito de altura.



✗ Personalidade ✗

•••••A primeira coisa a se notar quando se conhece August é que não há nada de santo em si. O garoto não é nada discreto quando o assunto é algo mais picante. Geralmente, faz piadinhas inadequadas, nas horas mais erradas possíveis, mas nunca lhe deixa faltar o senso. Quando em frente de pessoas com quem se precisa manter o respeito ou quando o assunto é sério demais para descontrair, o garoto não usa de suas artimanhas para arrancar sorrisos. No geral, é muito irônico e sarcástico, e suas frases sempre possuem as duas características englobadas, com um tom bem humorado. Isso pode irritar muitos, por parecer que ele nunca leva nada a sério, mas, a verdade é que ele realmente não leva nada a sério. Enquanto puder, está literalmente cagando e andando para a seriedade. Em seu ponto de vista, o mundo já é sério demais. Ele apenas está ali para agitar um pouco as coisas.
•••••Julgado como alguém pervertido. Seu jeitinho malicioso, ousado e audacioso, pode deixar certas pessoas sem graça de se aproximar do mesmo, porém, aos poucos é possível se acostumar com seu jeito sem vergonha de ser. Por mais que pareça que beijará qualquer coisa que aparecer na sua frente, August realmente não está interessado apenas na beleza de alguém. É claro que, se ele só estiver interessado no físico, ou dar uma aliviada, não fará questão em ser direto e dizer o que quer, mas, para realmente despertar seu interesse, a pessoa tem que ser interessante e descontraída, no mínimo. Talvez toda essa exigência venha de sua auto-confiança. Tem noção que é extremamente bonito, e que sua personalidade não é de se jogar fora, então, fez disso para se tornar seguro. Quando não gosta da pessoa, não demora para demonstrar sua comum acidez ou as palavras grosseiras. Não é um homem de odiar muitos, e, para irritá-lo, terá que fazer muito, pois sua paciência é uma de suas maiores qualidades. Costuma ser bastante ciumento com aqueles que gosta, já que são raras as pessoas que aguentam o seu gênio difícil. Pode chegar até mesmo ser implicante, não deixando o sujeito quieto quando duvidando de duas companhias.
•••••Muito insistente e teimoso. Em discussões que tem total certeza que está certo, não se importa em insistir até o último fôlego para que saia como o vencedor. Trabalhos ou coisas manuais, são os seus piores problemas, já que não aceita deixar de lado quando a coisa não está perfeita. Essa sua parte pode ser boa, pois assim não desiste fácil, porém, também pode ser ruim, já que, quando combinado com a imensa curiosidade, faz de tudo para cessar a mesma. O pessimismo predomina em sua personalidade. Não espera duas vezes para pensar que tudo desandará e acabará em desastre, por isso, normalmente precisa de alguém positivo ao seu lado para o botar no eixo.
•••••A organização faz parte de seu ser desde a infância. Seus pais cogitaram a ideia do garoto possuir TOC, por tamanha precisão em ajeitar suas coisas, porém, não era nada realmente sério, August apenas odeia a sensação de se sentir desarrumado ou estar no meio de desorganização. A inteligência ajudou nesse ponto, já que costumava arrumar suas roupas por padrão de cores. Sempre foi um garotinho perspicaz, entendendo tudo de primeira, e talvez daí a safadeza em seu ser. Usar o duplo sentido está em seu cotidiano desde os doze anos. Também pode usar sua inteligência para fazer comentários sagazes e banque uma de nerd. É como se fosse um ponto de escape do moreno para dizer a todos que não é apenas um corpo repleto de impurezas.
•••••Apesar de ser lembrado pelo tom de ironia em sua voz — que está tão predominante ao ponto das pessoas perguntarem se aquilo foi uma ironia ou ele realmente está falando sério —, é engraçado e brincalhão. Sempre que pode, está fazendo piadinhas aqui e acolá. Isso o ajuda um pouco ao ser extrovertido, já que é exatamente igual com todos aqueles que lhe aparecem pela frente. Não existe essa coisa de timidez com ele. Chegará em você falando como se fosse um velho amigo, algumas vezes ultrapassando o limite da intimidade. Observador com tudo, pegando-se observando os mínimos detalhes que ninguém percebe. Teve que se acostumar a ser assim, já que os pais, religiosos extremos, não admitiam o seu jeito livre de ser, então tinha que observar cada gesto ou modo de fala que faziam, para reproduzir exatamente igual e não ser punido. Falando em liberdade, August é uma das pessoas mais livres que conhecerá. Não admite injustiças ou até mesmo discriminações. É a favor da liberdade de expressão e da pessoa ser do jeito que ela bem entender, afinal, não somos robôs fabricados para ser todos iguais. Pode agir impulsivamente quando vê tais atos rudes, pois isso é uma das únicas que o tira do sério sem precisar de muito esforço. É um menino que sempre põe suas emoções a frente da razão, então, discussões e ações idiotas são frequentemente vindas do mesmo.
•••••O sentimentalismo tomou conta de boa parte da vida do menino. Ofendia-se facilmente por qualquer comentário crítico vindo para o mesmo. Hoje em dia, ainda é um pouco assim, porém, não se preocupa tanto com o que as pessoas falam sobre ele. Quando magoado, usa sua malandragem para se afastar e ficar sozinho, culpando-se e pensando no que fez de errado. Por mais que isso não aconteça com tanta frequência, pode se tornar um pouco chorão. Não tem vergonha de chorar na frente de alheios, pois não acha que isso o faça menos masculino ou forte, afinal, ductos lacrimais não evoluíram a toa.
•••••Tem uma grande fama de galinha, já que era visto saindo frequentemente sem camisa de quartos distintos, porém, também tem sua personalidade galã de filme romântico. O garoto é companheiro e leal a aqueles que tem um interesse romântico. Definitivamente é mais gentil com aqueles que gosta, mas isso não impede da pessoa ser o primeiro alvo de chacotas do mesmo. É um garoto de afeto, dando abraços, andando de mãos dadas ou beijinhos frequentes nas bochechas, mas não o iguale com alguém meloso. Odeia ser comparado com pessoas assim, pois sabe que a maioria necessita estar sempre perto, e August precisa de suas horas sozinho, nem que seja para refletir o porquê de galinhas não voarem.
•••••A aventura sempre está chamando. É um dos garotos mais animados quando o assunto é conhecer o novo. Não hesita em aceitar uma proposta de elevar um pouco a mais o seu nível de adrenalina, embora seja tremendamente medroso. Tem seus medos específicos, e, contanto que as pequenas aventuras não os envolvam, ele topará sem sombra de dúvidas. Geralmente, é bastante alegre para tudo. Feliz até mesmo nos momentos difíceis, mas sente que precisa demonstrar que está tudo bem para que todos se apeguem nisso e continuem seguindo em frente. Pode ter um enorme furacão de emoções rodando dentro de si, porém, se vê que o grupo necessita de um apoio, superará suas inseguranças e será a âncora que todos necessitam no momento. Os que o conhecem bem, sabem que August é um menino legal. Não é apenas feito de comentários safados e piadas inapropriadas. É mais do que um simples menino pervertido, ele é um amigo fiel, cujo é capaz de se contar até mesmo quando o mundo inteiro está contra você. Usará todas as suas forças para lhe proteger e não deixar que ninguém lhe faça mal. Não te julgará por seus medos, ou até mesmo por demonstrar demais, já que todos são humanos, erram, e nem por isso merecem ser tratados com desrespeito.



✗ História ✗

O real fato é que: Olivia e Justin nunca deveriam ter se encontrado em suas vidas, quem dirá um dia ficar juntos. O homem era um guitarrista de uma banda não muito conhecida, e a mulher era uma dançarina de balé começando sua carreira. Ele gostava do rock clássico, e ela preferia uma bela música clássica. A realidade de ambos era muito diferentes, porém, por um acado do destino, acabaram se conhecendo. O encontro acabou ocorrendo no meio da rua, quando ambos pediram um taxi e acabaram entrando juntos. Ocorreu certa discussão, para saber quem ficaria com o transporte, porém, ao perceberem que o destino de um cruzava o do outro, chegaram ao acordo de pagarem em partes iguais a corrida. Enquanto o caminho era percorrido, o silêncio sentia falta de seu lugar, já que os dois conversaram do ponto que saíram do ponto de partida até Olivia descer do carro, porém, quando a moça saiu do veículo, já haviam trocado os telefone e, certamente, arranjado uma nova amizade.
Na mesma noite, marcaram de sair na semana seguinte, quando teria um filme que ambos estavam interessados em ver, iria em cartaz. A noite foi divertida. Passaram boa parte da tarde conversando sobre os interesses, que divergiam em sua maioria, e depois, mais uma vez, despediram-se, planejando quando seria o próximo encontro. Depois da noite no cinema, a frequência dos encontros se tornou maior. Arrumavam motivos idiotas para se encontrarem e apenas terminar a conversa do último encontro.
Assim como a amizade foi crescendo, o amor aos poucos foi florescendo. Tudo foi lento, demorou cerca de um ano e meio para que realmente dessem seu primeiro beijo, porém, após descobrirem a carreira um do outro, meio que se afastaram um pouco. Como um roqueiro e uma amante da música clássica poderiam ficar juntos? Essa era a pergunta que mais se passava por suas cabeças, porém, o amor vence qualquer barreira que seja, então, apenas decidiram arrumar um jeito de superar seus orgulhos e preceitos e tentar deixar aquilo como apenas mais um detalhe.


Ambos eram extremamente religiosos, então, do seu relacionamento, só era permitido carícias e beijos. Olivia acreditava que Justin era o homem de sua vida, então, tinha certeza que um dia se casariam. Em um de seus aniversários de namoro, Via decidiu fazer algo mais picante, porém, foi um grande erro não ter usado preservativo. É raro de uma mulher engravidar em sua primeira vez, porém, a mulher sentiu em sua própria pele que isto era possível. Definitivamente, não era algo esperado, porém, agora que a merda já estava feita, apenas teriam que lidar com suas consequências. O aborto estava fora de cogitação, assim como doar a criança para meros estranhos era outra possibilidade errônea, então, decidiram manter o bebê e esperar pelo melhor.
A decisão foi sabiamente tomada, já que, alguns meses depois, nascia August, o grande motivo do casamento do casal. Ao verem e tocarem o bebê, perceberam que teriam que se casar, e assim assumir o real estado de família. O bebê era perfeitamente saudável e belíssimo ao olhar de qualquer um. O sorriso banguela sempre estava em seu rostinho de joelho, ao mesmo tempo que sempre animava o ambiente com sua risada estridente.
August foi crescendo com muito amor, mas também muito regrado. As decisões que a criança aprendia a tomar eram feitas por regras inventadas por seus pais e que, em sua pequena cabeça, ainda faziam um pouco de sentido. Era o garoto mais educado de sua creche, e, ao mesmo tempo, o mais obediente, já que seus pais lhe ensinavam a nunca contestar com o que lhe era dito. Isto, de certo modo, apenas danificado a mente em crescimento, pois não tinha o direito de perguntar o que eram as coisas sem ser julgado ou ouvir uma bronca de presente.


A personalidade de August realmente só foi ser criada quando Olivia e Justin resolveram ter seu segundo filho e, assim, colocar o primeiro em uma verdadeira escola. August tinha seus dez anos quando isso aconteceu. A realidade foi chocante para a criança, já que nunca nem se quer havia visitado uma escola. As pessoas pensavam diferentes de si, tinham opiniões diferentes, vestiam-se diferente, e até mesmo falavam diferente. Os pais, não tão preocupados em saber como o garotinho estava indo na escola, e sim com a segunda gravidez, deram-o a liberdade que ele precisava para se tornar a pessoa que é hoje em dia. Começou a andar com um grupinho de garotos que eram fans de Dungeon&Dragons, e, logo, a visitar a casa dos mesmos. Os garotos não eram santos e distanciavam-se o máximo possível disso, então, arrastaram o garoto perfeito para o mau caminho.
Apesar de ser chamado de "mau caminho", a estrada que August tomou não era tão ruim assim. Soube o que era a real diversão, e o que era rir até a barriga doer. Longas tardes jogando vídeo game ou comendo porcarias. A melhor época vivida por Gus. Era livre, não tinham seus pais o controlando e finalmente estava aprendendo coisas que sempre teve curiosidade de saber. Mesma época em que o interruptor de sua criatividade foi para "on", pois suas habilidades artísticas floresceram como nunca, e todos os seus professores o incentivavam, dizendo que um dia se tornaria um grande artista.
As coisas não mudaram muito depois que Florence, sua irmã, nasceu. Toda a atenção era dada ao bebê recém nascido, além das coisas aumentarem seus preços e, assim, os Brewer terem que trabalhar ainda mais. Justin largou o seu sonho de música e começou a trabalhar com o que tinha se formado na faculdade: empreendimento. Já Olivia, trabalhava em uma floricultura perto de sua casa, onde arrumava bons trocados, além de sempre trazer flores e perfumar sua casa. Levava Florence para seu trabalho, outro erro, já que o perfume excessivo causou sérias alergias a menina.
Ao contrário do que todos pensavam, August não sentia raiva de sua irmã, na verdade, agradecia muito por seu nascimento, pois foi por sua culpa que descobriu o que era a real felicidade.


Da criança a adolescente, as coisas mudam rudemente. Quase todos os antigos de August tornaram-se adolescentes babacas que só ligavam para ser popular, e não como os outros a sua volta se prejudicavam por suas decisões idiotas. Além das amizades, algo novo florescera, e o nome disso eram hormônios. Os treze anos foram um grande inferno na vida do moreno. Todos os colegas de sala, masculinos, interessavam-se pelas meninas, onde August nunca vira nada demais, pois eram tábuas de passar roupa mais tímidas que um poste. A verdade é que ele se interessava pelo outro gênero, mas tinha medo de contar e todos o julgarem por isso. Também tinha o problema de possuir o famigerado BV. Era um dos únicos de sua sala a nunca ter beijado ninguém, e todos o incomodavam por isso. Foi aí que decidiu por um fim nisso.
Conhecia uma menina chamada Summer. Menina extremamente bonita, que era uma de suas amigas. Convidou-a para sua casa e, depois de um longo período de tensão, decidiu dar um selinho na mesma, o problema é que, bem na hora, seus pais entraram no cômodo, pegando o garoto no flagra. Não fizeram alarde, apenas falam para Summer que estava ficando tarde e que sua mãe devia estar preocupada, logo, era melhor ela ir para casa. Quando a menina saiu da casa dos Bewer, a gritaria começou. Olivia e Justin falavam que August era muito novo para pensar em namoro, e que ele deveria focar nos estudos, mas, se ele apenas tivesse ficado calado, tudo melhoraria para sua situação.
No meio da discussão, o menino praticamente berrou: "Eu gosto de garotos, não estou preocupado com isso". Como bons católicos, ficaram chocados, e não souberam como responder. Gus, percebendo isso, complementou com um "Como amigo. Eu não gosto daquela menina, ela é chata. Todos os meus melhores amigos são meninos", porém, a desculpa esfarrapada não colou muito, já que os mais velhos decidiram reeducar o menino.


A reeducação não funcionou muito bem. August apenas se tornava mais rebelde conforme os pais tentavam o reeducar, fazendo coisas cada vez mais piores, pois não concordava com nenhum dos pensamentos antiquados dos mesmos. Tirava notas baixas apenas de raiva na escola, saía escondido no meio da noite, e, o mais importante de tudo, começou a se arrumar muito bem, ser o real narcisista que é hoje, e logo, arrasar jovens corações de moçoilas. Foi com seus quinze anos que teve sua primeira vez, e não parou por aí, conhecendo mais garotas e transando com mais delas. O desejo compulsivo por garotos não havia parado, apenas crescido mais, porém, ele seria julgado como o viadinho, e ser julgado por mais um grupo de pessoas além de seus pais parecia o real pesadelo.
O tempo passou, e foi com seus dezesseis que conhecei sua primeira paixão: Jack. O menino tinha uma personalidade parecida com o do mesmo. Viraram melhores amigos muito rápido, porém, ambos tinham o mesmo interesse: garotos. Não contaram um para o outro, já que August tinha fama de menino galinha, e isso deixava bem claro que ele era heterossexual, porém, como sempre, as coisas mudam.
Uma noite, August em seu quarto, ouviu barulhos em sua janela, Pequenas pedrinhas sendo tacadas, e, na grama de sua casa, estava Jack, com um grande sorriso no rosto. Não tinha um planejamento para onde ir, porém, Jack queria passar a noite estrelada junto ao seu melhor amigo. Passaram em cemitérios, entraram em locais proibidos. Tiraram suas roupas e entraram em uma gélida água de um rio. Deitaram na grama e, por fim, observaram as estrelas. Conversavam calmamente, conversas amigas, relembrando os bons momentos, porém, foi neste ponto crucial que Jack admitiu que tinha certa paixão no amigo. August ficou um pouco surpreso, porém, apenas se sentou, olhando para o rapaz, e avançando para um beijo.
Desde aquela noite, na cabeça dos dois, eles estavam comprometidos, porém, absolutamente ninguém poderia ficar sabendo disso. Quase todas as noites ficavam até tarde conversando, nem que por mensagens ou, até mesmo, no campo aberto de seu primeiro beijo. Saíam juntos para cinemas e afins, porém, não poderiam demonstrar o afeto, com medo de alguém ver e relatar para toda a escola ou, no pior dos casos, para seus pais. Mas todos devem lembrar que mentira tem perna curta, não é mesmo? Justin tinha suas duvidas que August saía todas as noites escondidos, então, um dia, resolveu ficar acordado até tarde, e pegou o garoto no flagra. Resolveu não interferir, e sim segui-lo, pois tinha a esperança que o garoto não fazia nada de errado, porém, viu o filho beijando outro garoto. A raiva lhe subiu a cabeça, e, no mesmo momento, interferiu o "pequeno encontro", onde deu um tapa em Jack e saiu arrastando August pelos cabelos.


Gus nunca se arrependeu tanto de ser feliz em sua vida inteira. O pai basicamente lhe espancou quando chegaram em casa, dando-lhe sermões do quanto isso era errado e que ele iria para o inferno por fazer tais coisas tão abomináveis. No dia seguinte, o garoto foi com um olho roxo aparente para a escola, porém, os braços também tinham hematomas, apenas eram cobertos por seu casaco. Passou a ter medo de qualquer toque que fosse, nem alguém que encostasse em si para pedir um lápis, era possível ver o garoto tremendo um pouco. Este acontecimento, definitivamente, é o maior de seus traumas.
Os meninos decidiram parar de se encontrar, pelo bem de ambos. O pai de Jack se perguntava quem havia feito aquilo com seu filho, porém, Jack fazia questão de falar que foi um garoto babaca da escola para não dar problemas a August.
Além da grande surra que tomou, as janelas do quarto de Gus ganharam grades, para que o menino não fugisse durante a noite, e os pais fazia questão de busca-lo na escola, impedindo-o de fugir para outro lugar depois que o horário acabasse. A vida do garoto se tornou, novamente, mais um verdadeiro inferno. Tinha que seguir o pai para tudo quanto é lado, sendo ir para igreja ou até mesmo o acompanhar para seu trabalho. Isto criava uma grande fúria dentro de si. Apenas queria bater no pai, porém, sabia que isto era errado, e não queria seguir o exemplo daquele que o fez tanto mal. A mãe parecia não concordar tanto com o radicalismo do pai, porém, era uma mulher submissa, e assim, não tinha tanta voz em sua casa. Florence, a irmã mais nova, não compreendia muito bem o que acontecia, já que adorava o irmão e não via nada de errado com o mesmo para ser tratado daquele jeito.
Para tentar não pensar tanto nessas coisas, August decidiu dedicar-se em sua relação com a irmã, pois assim arrumava um motivo para ficar em casa e não acompanhar o demônio sem chifres a cada passo que dava. Passavam tardes inteiras juntos, sendo elas brincando, fazendo lições escolares, tendo sérios debates, ou até vendo programas bobos de TV. Amavam-se incondicionalmente, e, novamente, a vida de Gus parava de ser um inferno, porém, o garoto rebelde nunca saiu de dentro de si, apenas estava amenizado com as fortes decepções que tivera.


Com seus dezenove anos, os pais já mais calmos com o garoto, pois Auggie os imitava constantemente dentro de casa, começara a se soltar novamente, porém, em outro nível. Novamente saía de casa escondido para as noitadas, porém, as festas eram piores, pois envolviam drogas, bebidas altamente fortes, misturas capaz de derrubar uma pessoa em um só copo, e as coisas só pioravam, Geralmente aconteciam na casa se algum riquinho com bastante espaço, já que era possível ouvir os gemidos das pessoas transando em quartos aleatórios pela residência. Era a quinta festa que Gus ia naquele ano, porém, nunca bebia ao ponto de ficar bêbado e nunca nem se quer encostou em uma das drogas.
A vida do Brewer é traçada por longos desastres e tristezas, e este é mais um deles, pois, de todas as milhares de festas que já havia acontecido, aquela foi a única que a polícia resolveu aparecer. O moreno nem ao mesmo ligou para os constantes gritos, ou as sirenes, pois estava em um completo momento de prazer com um menino. Os policiais o pegaram no flagra, e então levaram-o para a delegacia.
Apenas de cueca, a única preocupação de August tinha era os policiais contarem a seus pais que foi pego transando com um garoto. Não ligava se falassem que estava em uma festa repleta de bebidas e drogas, pois sabia que nada seria pior do que relembrar o antigo trauma. Infelizmente, os oficiais contaram tudo para os pais, e, novamente, Gus ouviu muito mais do que deveria.
Desesperados pelo filho ter algum tipo de problema mental, e acabar influenciando a perfeita filha mais nova que tiveram, começaram a tentar achar lugares para o afastar da família, onde não necessariamente teriam que visitá-lo. Foi aí que encontraram o Acampamento para Jovens Problemáticos. O inscreveram falando que o jovem era pego constantemente com drogas e bebidas perto de si, porém, o real motivo de todo o fuzuê, era não aceitar que o seu filho gostava de homens.



✗ Fraquezas e Medos ✗
[F]
A maior de suas fraquezas seria sua família. O garoto os odeia, com exceção de Florence, por sempre fazer de sua vida um inferno. Não sabe lidar com suas emoções. Se quer vê-lo desesperado, coloque as pessoas que gosta em risco, pois o garoto pode chegar em um ponto de colapso e não saber o que fazer. Um alvo muito fácil de cócegas. As pessoas não podem nem chegar perto de si com dedos esticados e balançando que o garoto tem um chilique e começa a tentar deixar seu corpo protegido As outras fraquezas podem se resumir em seus medos


[M]
Altura Toral escuridão Seu pai Levar uma surra Voltar para sua casa Lugares apertados Agulhas Bonecos (Odiava Toy Story) Insetos

✗ Gosta ✗
Desenhar - É um garoto extremamente talentoso quando se trata de desenhos. Ama fazer rascunhos ou caricaturas. Bebidas Quadrinhos Sexo Observar as estrelas Frio Pessoas engraçadas Neve Chuva Animais Café Rir

✗ Não gosta ✗
Injustiças Calor Mosquitos Hipocrisia Falsidade Fofocas Ser julgado por algo que não é Drogas Cigarros Tristeza Entrar em pânico

✗ Opção sexual ✗
Bissexual
Pode parecer ser mais homossexual que deveria, porém, para August, a aparência não se passa de um algo a mais, o que realmente importa é sua personalidade. Namoraria tranquilamente uma menina com uma personalidade legal, assim como um garoto. A maioria dos casos de Gus foram garotos, pois estes pareciam mais interessantes que as garotas que conhecia. Não gosta de garotas superficiais, das quais só ligam para beleza. Prefere aquelas inocentes, pois sabe que pode aprontar o que quiser com as mesmas, se é que você me entende. O mesmo vale para garotos.


✗ Possibilidade de romance? ✗
Sim, muitas


✗ Segredo ✗
It's a secret


✗ Se o seu personagem tivesse um esteriótipo, qual seria? ✗
O safado

✗ Está ciente de que seu personagem tem chances de morrer? ✗
Absoluta

✗ Mais alguma coisa? ✗
Acho que não, peace out o/


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...