~Sunari

Sunari
Nome: Lana
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Florianopolis, Santa Catarina, Brasil
Aniversário: Indisponivel
Idade: Indisponivel
Cadastro:

Are You Maria?


Postado



▪ Nome

Suzuki Lana (すずきラナ)
▸ Significado

Suzuki – Árvore dos sinos

Lana – Harmonia

Ao juntá-los podemos obter o significado de: Árvore dos sinos harmoniosos ou árvore dos sinos da harmonia.

▪ Apelidos

Blue Diamond – Diamante azul, como sua avó apelidou-a quando mais jovem, isso devido á suas orbes azuis e brilhantes que podem assemelhar-se à diamantes.

Dandelion – Dente-de-leão, flor que significa esperança, oque segundo sua avó a define.

Sukoshi kitsune (少しキツネ) – Raposinha, recebeu tal de Yuma com certa ‘parceria’ de Laito e Ayato, segundo estes, Lana é sorrateira, esperta e um pouco oportunista, certamente é a definição do mamífero mencionado.

Nana – Aparentemente trata-se da pronuncia incorreta de seu nome, ao que sabe-se, Yuki -seu irmão mais novo- não conseguia pronunciar seu primeiro nome de forma correta, esbarrando sempre nos nomes: Nana e Hana, como Nana era utilizado com mais frequência acabou por aceitar como um apelido.

Milk – Leite, novamente um apelido sarcástico dado pelo Mukami, desta vez este lhe fora selecionado devido á sua pele branca como leite.


▪ Idade
Dezeis anos | Gemini | 29/05

▪ Tipo sanguíneo

O+
▪ Aparência



Possuí cabelos levemente ondulados de tonalização escura, especificamente um castanho escurecido com leves toques amarelados que são praticamente imperceptíveis, longos –aproximadamente até seus cotovelos -; possuí uma franja que impede a visão de sua. Lana considera-se extremamente cuidadosa com seu cabelo, por conta disto o mesmo exala um cheiro adocicado de amoras além de ser muito macio.
Possuindo um par de olhos grandes de colorização azul escura que possuem um brilho descomunal, certamente atiçando e cativando os demais apenas com seu olhar; muitos perguntam-se o porquê da jovem Suzuki atrair as pessoas com tanta facilidade, mas ao que aparenta isto é apenas o resultado de seu olhar que espelha seus sentimentos perante o mundo, tudo indica a garota é emotiva em seu âmago, como certa vez sua avó lhe disse. Ainda em seu rosto é possível identificar suas características extremamente delicadas, semelhantes as de uma criança, oque certamente a torna ainda mais fofa.

Tem uma pele branca como leite –como anteriormente mencionado- oque contrasta perfeitamente com seu cabelo e olhar, sua pele é gélida, algo surpreendente para os que a conhecem apenas de um olhar; há algo que Suzuki odeia em si, a sensibilidade de sua tez, pois durante o frio as pontas de seus dedos e de seu nariz ganham um toque suave e rosado, segundo a garota os locais mais sensíveis de seu corpo são: seu pescoço, coxas e barriga, esta menciona que quando algo quente toca-a em tais locais rapidamente um arrepio percorre seu corpo. Diferente de seus cabelos o perfume que sua pele emana é mais suave e ‘natural’, segundo a própria não há uma definição para este cheiro.
Milk possuí aproximadamente 1.60 cm e pesa em torno de 41 kg, considera-se alguém de média estatura.

▪ Estilo de roupa
Costuma usar saias e shorts, raramente é vista usando calças, junto das saias e shorts ela usa meias compridas ou medianas, mesmo que em algumas vezes não as use; geralmente faz uso de camisas de mangas curtas e casacos ou jaquetas, mas também utiliza de camisas sem casacos. As cores variam muito mas raramente são uma mistura de cores inexplicáveis, já que ela possuí uma espécie de TOC para com roupas. Em relação ao seu cabelo: é normal e comum vê-lo solto, mas em algumas vezes ela o amarra em uma trança, em um coque frouxo ou em um rabo comum.
Mas resumidamente, ela utiliza de roupas fofas já que não tem problema em chamarem-na de fofa.



Roupa de cama


Escolar




Festas

τrα∂iciσทαis נαρσทєsαs




ƒєsταs




Dia-a-dia

iทvєrทσ




vєrãσ



Praia





▪ Personalidade

É alguém de apegar-se facilmente, isto claramente devido a sua forma amável e gentil de agir. Sempre irá deparar-se com um sorriso estampado em seu rosto, mesmo que por dentro esteja em cacos ela continuará tentando levantar o animo dos que estão a sua volta, colocando sempre os outros acima de si, considera que o que quer ou deixa de querer é irrelevante, ignorando muitas vezes seus próprios sentimentos. Diversas foram as vezes em que Lana machucou-se com as pessoas, mas mesmo assim não deixou de diminuir-se sendo uma completa cabeça dura que não importa-se consigo certamente enfurecendo algumas pessoas.
Sempre foi muito sentimental, costumando tomar as dores alheias para si e as acumulando em seu coração para depois de muito finalmente desabar em lágrimas, segundo aqueles que a viram chorar: é sufocante e deprimente, então você sente uma repentina vontade de abraçá-la e chorar até que toda a água de seu corpo esgote-se, mas ao que sabe-se, quando esta notar sua presença irá enxugar suas próprias lágrimas e irá pôr um sorriso em seu rosto como se nada houvesse acontecido. Por ser sentimental, acaba por ser frágil a palavras pois segundo ela, machucados sentimentais são mais dolorosos que os físicos.
Milk nunca foi alguém de muita fé mesmo que concorde com a existência de seres superiores entretanto, ela não costuma ir à igrejas muito menos a conventos porém ela costuma orar duas vezes na semana.
Nana costuma sempre estar pensativa ou então está sobre efeito de sua imaginação fértil ficando de certa forma, alheia ao mundo algumas vezes isto torna-se irritante sendo que a própria percebe, porém não há uma forma de mudar isto. Algo que Suzuki detesta em si é sua submissão descontrolada, são raras as vezes em que ela opõe-se as pessoas, mas nesses casos a surpresa é inexplicável afinal possuí argumentos praticamente imbatíveis.
É pontual e odeia atrasos, sendo rígida consigo mesmo a ponto de estar no local uma hora antes do combinado, mas o mais comum de se acontecer são vinte minutos antes do combinado.
Suzuki também é uma boa cozinheira e tem o costume de cozinhar com frequência, gosta mais de cozinhar doces mesmo que não os coma.


▪ Gostos

• Chás
• Chuvas
• Livros
• Animais, principalmente cães e raposas
• Noite, nunca foi alguém muito apegada ao dia então tem muitos costumes noturnos
• Lua, considera-a algo lindo e têm costume de desenhá-la com frequência
• Água, mesmo que não saiba nadar tem um gosto inexplicável por manter-se debaixo d’água
• Cozinhar
• Estrelas, sempre foi alguém que admira as estrelas e considera a astrologia
• Cantar e tocar piano
• Musica, especialmente as clássicas ou as tristes pois possuem uma batida mais melódica


▪ Desgostos

• Doces, considera-os enjoativos
• Sol
• Pimenta
• Insetos, isso claramente devido a sua fobia
• Aracnídeos, possuí aracnofobia então as evita
• Palhaços, segundo ela: não há graça em algo forçado
• Incêndios, devido a seu trauma
• Barulho, todos prezamos por nossa paz, com ela não é diferente
• Multidões, afinal sempre foi alguém mais reservada no quesito multidão

▪ Manias

• Morder seu lábio inferior a ponto de deixa-lo inchado ou sangrando
• Mexer seus dedos quando está sem saída ou preocupada
• Enrolar as pontas de seus cabelos quando nervosa
• Cantarolar alguma musica aleatória quando está pensativa


▪ Hobbies

• Tocar piano, mesmo que traga velhas lembranças ela ainda tem uma paixão por piano
• Cozinhar, nunca deixou seu gosto pela culinária de lado
• Cantar e dançar, mesmo que no último seja um fracasso ela ainda sim gosta


▪ Medos
• Aranhas, considera serem animais ‘malvados’ e ‘impiedosos’
• Insetos, é algo incontrolável mas não há um motivo concreto
• Pessoas como seu pai
• Ser torturada, por já ter sofrido tortura ela acabou por traumatizando-se


▪ História

Sua mãe morreu durante o parto, mas a pequena não deveria sentir-se culpada pois sua progenitora estava enfrentando uma gravidez de risco e tinha consciência disto, entretanto, seu pai sempre culpou-a pela morta de sua amada Mary, oque tornou tudo ainda pior pois ao completar quatro anos seu pai passou a mantê-la em cárcere privado sem que pudesse sair de seu próprio quarto nunca vendo a luz do dia; era torturada de tantas formas, seu pai torturava-a até mesmo mentalmente fazendo-a culpar-se pela morte de sua mãe, pouco a pouco começou a absorver a ideia de que era a culpada por tudo, entretanto, sua avó paterna sempre a visitava quando podia, era ela quem limpava seus machucados e quem os curava. Os anos passavam-se lentamente, as torturas tornavam-se ainda mais frequentes e para ela isso já era normal, mas sua avó ainda insistia em dizer que não, que ela não merecia esse tratamento; certo dia seu pai entrou em seu quarto e olhou-a.
̶H̶i̶s̶t̶ó̶r̶i̶a̶
A forma como ele olhou a pequena criança de seis anos, a repulsa por ela estava completamente visível, mas ele não fazia a mínima questão de escondê-la; a garotinha de cabelos castanhos apenas olhou-o com medo estampado em seus olhos, e então aquele homem sorriu diabólicamente proferindo aquelas malditas palavras:

— Hoje quero ouvi-la gemer. — Aquilo fez com que as pernas da jovem tremessem freneticamente, seu coração estava disparado e sua mente apenas mantinha o pensamento de que, naquela noite ela morreria. Em outro lugar da casa, uma velhinha dos cabelos esbranquiçados andava pelos corredores quando ouvira algo semelhante á: espero que seja boazinha e não grite. Naquele momento a mulher arregalou os olhos e em passos apressados dirigiu-se ao quarto da neta podendo enxergar com seus próprios olhos seu filho despindo a pequena contra sua vontade.

— O que pensa que está fazendo?! — Indagou a idosa sentindo seu sangue esquentar de raiva, e acima de tudo, sentir repulsa de seu próprio filho, este último que somente olhou-a de canto e completou de forma tão simplória e suja:

— Ensinando uma lição para essa assassina. — A mulher então adentrou o cômodo com passos firmes e raivosos, a cada passo ela aproximava-se mais do demônio no qual chamou de filho durante anos, ao chegar perto o suficiente ela olhou-o e desferiu:

— Eu lhe aconselho a sair daqui o quanto antes, ou... — O homem apenas olhou-a em deboche completando:

— Ou o que velhota? — A enfatização em velhota fez sentir mais raiva ainda, então juntando todas as suas forças ela empurrou-o para a parede fazendo-o cair no chão, ao vê-lo tentando levantar-se a mulher rapidamente puxou sua neta que no momento deixava lágrimas silenciosas caírem sobre seu rosto; elas corriam rapidamente para fora da casa onde estavam, atrás de si era possível ouvir os passos do pai da criança, ao saírem daquele lugar a mulher rapidamente fechou a porta contra a face daquele maldito que puderam ouvi-lo socar a madeira rubra.

~~~~

Após seis anos, ela e sua avó agora moravam na casa de um homem rico, dono de uma empreiteira famosa, esse homem que possuía setenta anos aparentava estar ‘afim’ de sua avó, que somente aceitou-o se ela aceitasse a pequena menina em sua residência, e assim que feito o homem nomeado Antony tratou de registrá-la em seu nome, mas não engane-se pois sua vida não era um mar de rosas. Durante os quatro anos em que residira naquela casa, Lana passou a ser tratada como uma máquina, Antony quis torna-la perfeita então contratou tutores, professores particulares, estes últimos que eram encarregados de ensiná-la matérias curriculares e extracurriculares, tais como dança, canto, culinária e etc. A única coisa na qual Antony fez questão de ensiná-la era piano, sua avó achava a atitude do homem bela e solidária, porém mal sabia ela como eram estas aulas.

— Toque isto. — Apontou Antony para um papel que continhas as notas da música designada, a jovem aceitou um tanto relutante pois já era a vigésima música daquela noite, seus dedos estavam doendo e as costas de suas mãos já estavam completamente vermelhas. E ali a jovem começou a tocar com total cautela, a forma como seus dedos dançavam sobre as teclas era fascinante, ela estava praticamente entregue a musica quando um de seus dedos escorregou e tocou na tecla errada causando um som completamente distinto do melódico antecessor, seguido de um som de chicote, este que fora desferido nas costas de sua mão direita e que não tardou para ficar ainda mais vermelho, porém desta vez uma gota de sangue escorreu de sua mão, ela havia sido cortada por conta das chicotadas desferidas.

— Vá para seu quarto lavar e fazer um curativo nesta mão. — Brandou Antony que afastou-se da garota para que a mesma pudesse levantar-se e seguir caminho.

— S-sim. — Concordou a jovem enquanto levantava-se e seguia caminho até seu quarto, e assim que chegando neste pode ver seu primo Tyler parado frente a sua porta com um sorriso malicioso estampado em seus lábios.

— Ty-tyler... — Disse a jovem, tendo o olhar do primo voltado a si.

— Lana — Respondeu em um tom animado, o que fez a garota estranha-lo. — Vim dizer que irei passar o final de semana aqui. — Continuou aproximando-se mais do rosto já rosado da garota. — Pretendo nos divertirmos muito. — Finalizou saindo de perto desta e seguindo caminho até o final do corredor. Por sorte durante o fim de semana seu primo tentou apenas alguns beijos que foram desviados com certa facilidade.

~~~~
No ano seguinte sua avó e consequentemente seu avô adotaram uma criança, este último nomeado de Yuki que passou a ser seu irmão, Yuki era uma criança doce e amável, todos na casa o amavam, e este correspondia a quase todos, com exceção de Lana, segundo ele, ela era rodeada de pessoas más, ninguém as via somente Yuki as enxergava, então em um dia, a garota viu o jovem de agora cinco anos conversando com o nada, sim, Yuki podia ser um prodígio mas falar tão certa e firmemente com o nada? Aquilo era estranho e Lana sabia disto então tratou de observa-lo, e ali passaram-se horas até que em um momento ela viu algo, alguém, não sabia ao certo mas depois daquilo simplesmente desmaiou.

Os anos seguintes sucederam sonhos, ou pesadelos, e pessoas estranhas que a seguiam, era algo totalmente incomodo e complexo já que somente ela os via, então desesperada ela buscou ajuda, mas ao que parece ela conseguiu se meter em uma furada já que a pessoa na qual recorreu fora Karlheinz, que apresentou-se como Tougo Sakamaki.


▪ Par

Ayato Sakamaki

▪ Musica

Try – Colbie Caillat



Coloque sua maquiagem
Faça as unhas, deixei seu cabelo crescer
Corra mais um pouco
Mantenha-se esbelta para que gostem de você
Eles gostam de você?

Fique bem sexy
Não seja tímida, menina, mostre mais
É isso que você quer
Se enturmar, para que gostem de você
Você gosta de você?

Você não precisa se esforçar tanto
Você não tem que dar tudo
Você apenas tem que se levantar, levantar, levantar
Você não tem que mudar uma única coisa

Você não tem que tentar, tentar, tentar, tentar
Você não tem que tentar, tentar, tentar, tentar
Você não tem que tentar, tentar, tentar, tentar
Você não tem que tentar
Você não tem que tentar

Faça suas compras
No shopping, misture seus cartões de crédito
Você não tem que escolher
Compre tudo para que gostem de você
Será que eles gostam de você?

Espere um segundo
Por que você deveria se importar com o que pensam?
Quando você está sozinha
Sem ninguém, você gosta de você?
Você gosta de você?

Você não precisa se esforçar tanto
Você não tem que dar tudo
Você apenas tem que se levantar, levantar, levantar
Você não tem que mudar uma única coisa

Você não precisa se esforçar tanto
Você não tem que se desdobrar até quebrar
Você apenas tem que se levantar, levantar, levantar
Você não tem que mudar uma única coisa

Você não tem que tentar, tentar, tentar, tentar
Você não tem que tentar, tentar, tentar, tentar
Você não tem que tentar
Você não tem que tentar

Você não tem que tentar, tentar, tentar, tentar
Você não tem que tentar, tentar, tentar, tentar
Você não tem que tentar, tentar, tentar, tentar
Você não tem que tentar
Você não tem que tentar

Você não precisa se esforçar tanto
Você não tem que dar tudo
Você apenas tem que se levantar, levantar, levantar
Você não tem que mudar uma única coisa

Você não tem que tentar, tentar, tentar, tentar
Você não tem que tentar, tentar, tentar, tentar
Você não tem que tentar, tentar, tentar, tentar
Você não tem que tentar

Tire sua maquiagem
Deixe seu cabelo solto, respire profundamente
Olhe-se no espelho para si mesma
Você não gosta de você?
Porque eu gosto de você

________

Motivo:

Lana tenta fazer com que os demais gostem de si, porém para Ayato ela deve ser como é, pois ele a ama assim.


Reações...

Os rapazes são vampiros

Ficará estática, pensará em como é possível, o medo irá mostrar-se presente em si, manifestando-se aos pouco mesmo que não chegue a fazê-la confessar seu medo perante aos rapazes, mesmo assim ela tentará trata-los bem e tentará acostumar-se com a ideia, oque provavelmente não vá demorar mais do que um dia. Após estar mais acostumada irá mostrar-se curiosa e então tentará pedir respostas aos demais, perguntando se são como os vampiros estereotipados no qual a sociedade se refere.

O porquê de estar lá

A surpresa iria apoderar-se de seu corpo, em seu âmago será possível ver a preocupação que lhe aflige, mesmo que ignorasse a preocupação para procurar mais sobre Maria. Assim como o fato de morar com vampiros, ela ficaria um pouco surpresa e tentaria novamente acostumar-se com a ideia, este sendo mais fácil.

Estar apaixonada

Inicialmente iria mostrar-se confusa pois nunca havia apaixonado-se, seria atingida por uma raiva repentina e iria afastar-se durante um período de curto tempo de Ayato, seguidamente iria descobrir que não conseguiria afastar-se dele então iria pedir desculpas ao mesmo, a partir disto ela irá mostrar-se curiosa quanto ao que estaria sentido e então aproximaria-se dele até concretizar que está apaixonada, após concretizar tal irá provavelmente contar a alguma das meninas pois ela deve saber do que isto trata-se.

Há alguém que pode fazer o que quiser consigo

Irá ficar com medo pois em sua percepção esta pessoa será como seu pai e Antony, querendo manipula-la e torturá-la.

Nunca mais irá ver sua família

Ficaria triste pois sua avó sempre fora seu porto seguro, e mesmo que Yuki não fosse muito afetuoso consigo ela sentiria-se culpada por não ter sido uma boa irmã á ele, ao ver que está triste ela irá mascarar isto atrás de um sorriso e tentará convencer a todos que a perguntarem de que está bem.

Seu sentimento é correspondido

Seu coração irá encher-se de felicidade, o sorriso esboçado em seu rosto será tão belo que não poderá ser comparado aos demais sorrisos que já dera, em seu âmago será possível ver o amor transbordando em um misto de felicidade.

O ocorrido com Yui Komori

Irá sentir-se triste, pois saberia por parte como ela sentiria-se ao ver sua filha crescendo sem tê-la junto a si. Mostraria-se completamente compreensiva com a Komori, iria comparar-se a filha desta, tomando as dores da jovem seguidamente desabando em lágrimas, mas em pouco tempo ela estaria melhor, mesmo que um pouco abatida com o ocorrido. Irá perguntar aos rapazes onde Yui Komori fora enterrada e levará flores a esta quando possível.

Poderá ser Maria

Inicialmente ela ficará estranhamente confusa, pois não há algo concreto que diga que ser Maria seja ou não algo bom, isto a deixaria pensativa e muito preocupada pois já que estará ciente da morte da Komori, terá medo de ocorrer consigo.

Alguém poderá tomar seu amado

A preocupação tomará conta de si, ficará completamente amedrontada, pois ele pode preferir essa tal outra à ela, oque fará com que seus sentimentos tornem-se tristes, ao perceber esta hipótese tentará deixar seu amor por ele de lado, tentando apenas ser sua amiga ou simplesmente afastando-o de si, ao dar-se conta de que agora seria tarde demais para afastar-se dele, irá com todas as suas forças odiar-se mas com todas as suas forças ela apostaria na probabilidade de ficar com seu amor, mesmo que seja um número aproximado de zero ela ainda sim irá amá-lo até o fim.

Relação com...

Os rapazes

• Não pode considerar-se melhor amiga de Shuu, mas podem considerar-a uma conhecida pois nenhum dos dois mostra-se realmente interessado em criarem laços, mesmo que durante o período em que estão na sala de musica assemelhem-se a amigos; o fato de Lana ser energética faz com que Shu não queria aproximar-se muito pois é perceptível que a jovem faz o possível e impossível para ‘brincar’ com alguém, oque o Sakamaki despensa com certeza.

• Reiji e Suzuki possuem uma boa relação pois ambos mostram-se pessoas ‘de classe’, segundo Reiji: Lana possuí bons modos mesmo sendo energética, o que é um balanceamento estranho porém pode acostumar-se rapidamente. Sempre que Reiji tenta dar um sermão na garota ela consegue simplesmente evitar isso, oque fez com que o Sakamaki criasse certa ‘raiva’, evitando dar-lhe sermões.

• Muitas vezes fora avisada a não aproximar-se de Laito pois o mesmo é ‘tarado’ e a Lana é submissa, porém ela sempre ignorou os avisos e acabou aproximando-se de Laito que inicialmente tentou ‘brincar’ consigo porém ao perceber que a garota não lhe dava a mínima importância acabou apenas por querer irritá-la.

• Kanato não mostra-se interessado em tê-la por perto, muito menos a garota, são raras as vezes em que ambos decidem trocar uma palavra, quando sozinhos um silêncio incomodo toma conta do ambiente e ao que aparenta nenhum destes tem interesse em quebra-lo, certamente evitam-se mas em alguns casos são ‘’obrigados’’ a aproximarem-se, estes como os que Kanato rasgou algo e Milk teve de costurar pois esta conhece perfeitamente está área.

• Milk tem certa tara por irritar o mais jovem dos Sakamakis, pois segundo ela suas expressões raivosas são engraçadas, já este mencionado, apenas devolve os atos da garota. Aparentemente o assunto flui facilmente entre Subaru e ela, conseguem manter um ambiente animado e calmo, a amizade que os cerca é invejável pois sempre que um está mal o outro tenta ajudar, independentemente da situação.

• Sua relação com Ruki não é o que pode chamar-se de incrível ou invejável, afinal apenas conversam o necessário e não tentam forçar uma amizade, mas ao que parece podem ser considerados amigos.

• Yuma e Lana são muito próximos, este que costuma pedir a ela para cozinhar ou fazer algo para si, alguns casos somente para irritá-la afinal segundo este ela fica fofa quando irritada; Yuma costuma leva-la junto de si para cuidar de seu jardim, mesmo que ela raramente toque na terra, somente a leva para lhe fazer companhia.

• Azusa costuma pedir para que ela o corte, mesmo que ela o negue ainda o faz, devido a Azusa explicar diversas vezes que sente prazer na dor ela passou a perguntar a ele coisas sobre isso, estas como: “Por que você gosta tanto?” ou “Desde quando começou a sentir prazer na dor?”, isto faz com que ambos tenham uma relação formidável; algumas vezes Azusa a corta perguntando se sente prazer nisto, ela apenas responde que para si é normal, como se não se importasse mas não quisesse.

• Finalmente Kou, ela e este último tem uma boa relação, possuem um costume de cantarolar na sala de musica juntos e andar muito próximos, em alguns casos são vistos de mãos dadas ou de braços atados, o que irritada seu par com todas as forças. Algo que a jovem não sabe é que Kou gosta de ver o par desta irritado pela proximidade de ambos.

Par

[i] Inicialmente eles apenas mantinham uma relação neutra, sem segundas intenções. Mesmo que mantivessem coisas em comum não demonstravam vontade própria de aproximar-se, oque veio a mudar quando discordaram de algo, tomado pela raiva ele levou-a contra a parede, deixando com que em seus olhos sua raiva transparecesse fazendo com que a garota tremesse de medo. Naquele momento ele perguntou-a algo que fora respondido em um rosnado, o que fez com que o vampiro criasse uma curiosidade inexplicável em relação a garota, ninguém o havia confrontado assim, bem, nenhum humano, daquele dia em diante ele quis mostrar-se superior a garota, certa vez ela lhe disse algo.

—Se você é um vampiro, ser superior a humanos, me diga o porquê de estar tentando mostrar-se superior a mim. — Aquilo o desconcertou, não tinha oque responder, afinal, era algo que nem mesmo ele sabia pois havia deixado de querer ser superior á ela pouco tempo antes, tudo que queria era ficar perto da garota, somente queria isso.

Depois de um período curto de tempo sua relação deixou de ser constituída apenas por brigas, o tempo que dividiam era usado para conhecerem-se mais, os sorrisos trocados eram mais comuns, mas pouco a pouco o vampiro começou a mostrar-se ciumento, oque de fato incomodava-a, principalmente quando estava junto de Kou, que aparentava ser o mais odiado pelo Sakamaki. Certo dia ela fora exigir a ele para que parasse de ameaçar ou olhar torto para os rapazes, oque certamente resultou em uma briga, esta que fora completamente distinta das demais que já tiveram pois fora ali que Ayato tornou-a sua ‘bolsa de sangue particular’ deixando a marca de suas presas visíveis. Após este ocorrido novamente as brigas reinaram em seu relacionamento, porém agora sempre que isto ocorria a marca das presas do vampiro eram deixadas em seu corpo, começando de seu pescoço indo até suas coxas; certa vez a raiva tomou posse de seu corpo e ela cometera um erro, ofereceu seu sangue a Yuma que bebeu de bom grado, mas ao sentir seu sangue sendo drenado ela percebeu que a forma como Ayato drenava seu sangue era completamente diferente, era prazerosa, e pouco a pouco ela fora descobrindo que passar o tempo com o vampiro ruivo era uma das melhores coisas possíveis.
Então, mesmo não percebendo já estava completamente submissa e entregue à ele, ao vampiro que adorava irritá-la, ao vampiro de cabelos ruivos e olhos esverdeados, à Ayato Sakamaki.


Com as meninas

Inicialmente ela irá mostrar-se apreensiva correlação as demais garotas, porém rapidamente irá agarrar-se a cada uma delas, sendo uma completa criança em relação as outras, irá tratá-las como sua família, e para ela as demais serão seu porto seguro, serão as pessoas que deve confiar. Lana gosta de quando as demais dão lhe atenção ou quando elas a vestem com roupas, ela adora quando a fazem de boneca.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...