~susanowo

susanowo
Third eye
Nome: Beatriz Gabriel
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: São Paulo, São Paulo, Brasil
Aniversário: 14 de Dezembro
Idade: 19
Cadastro:

Amor sobre Escamas


Postado





Daddy!

❅ Nome Completo:
Aisha Fuensanta Zenon


❅ Apelido(s):
Aish | Madame Satã


❅ Razão do Apelido (opcional):
Aish - É um apelido usado por alguns amigos. Não se irrita com ele, mas o acha desnecessário. Seu nome é curto e bonito, não precisa ser abreviado. Ainda mais na forma de um espirro.

Madame Satã – Nome que adotou em suas atividades como vidente. Escolheu justamente esse nome por pura provocação a igreja. Se é o diabo que eles temem, então é o diabo que Aisha será para eles.


❅ Data de nascimento:
1/12


❅ Idade (entre 18 e os 23 anos):
19 anos

❅ Signo:
Sagitário


❅ Gênero:
Feminino


❅ Orientação Sexual:
Bissexual


❅ Personalidade (com detalhes):



Dona de um sorriso cativante, Aisha Zenon encanta por onde passa. Seja por sua beleza ou a aura mística que carrega consigo. A algo em sua voz que demonstra serenidade e sabedoria, mas também há uma pitada de um humor sagaz, que vira e mexe, aparece entre suas frases.

Esperta e sabendo que o que pode contar nessa vida é consigo mesma e as estrelas, Aisha Zenon é uma sobrevivente nata. Vigarista a certo ponto, visa o lucro na maioria de seus golpes. Sejam eles dados na cama de forasteiros ou fazendo o bom e velho furto, e às vezes, o assassinato.

Mas há algo que não se brinca, nem mesmo para ela – uma sagitariana nata. Para a garota, as estrelas devem ser levadas a sério. A aura mística que carrega em si não é enfeite. Tem dó daqueles que abraçam o cristianismo, pois para ela, aquilo é uma forma de limitar as crenças e se prender no mundo material.

Consegue lidar bem com emoções alheias, situações com muita pressão e é uma ótima conselheira. Apenas se prepare para ouvir inúmeras verdades, pois se tem uma coisa que Aisha não controla muito bem, é sua sinceridade.
De maneira geral, lida com os seus sentimentos de forma sincera e apesar de não gostar da rotina e de criar planos, ama imaginar detalhes bobos em seus relacionamentos (mas nunca admite).

Amante da natureza e adepta dos pequenos prazeres, essa moça tem seus caprichos. Prefere um homem que lhe ame como os bichos do que aqueles banhados a ouro e cobre. Uma verdadeira amante da liberdade, Aisha preza por encontrar pessoas que a deixem ilimitada em corpo e alma.


❅ Qualidades:
Determinação | Carisma | Senso de humor | Amante da liberdade | Mente aberta


❅ Defeitos:
Sinceridade | Indecisa | Orgulhosa | Impaciente | Inquieta


❅ Maior força em tempos difíceis:
Determinação. Aisha não deixa se abater pelas dificuldades impostas pela vida. Ela pode até cair, mas sempre irá se levantar.


❅ Maior fraqueza em tempos difíceis:
Pelo fato de ser indecisa e impaciente, em situações com muita pressão tende a ficar nervosa e tomar decisões por impulso.


❅ Aparência (com detalhes):



Dona de uma pele caramelada, Aisha chama atenção devido a sua beleza. Seu rosto tem o formato oval e seus olhos são escuros como duas ônix, levemente caídos e com a linha do côncavo bem marcada. Suas sobrancelhas são grossas e levemente arqueadas. O nariz tem um tamanho mediano e possuí uma curva suave se observado de perfil. Seus lábios são carnudos e, vira e mexe, tem um sorriso esperto estampado neles. O cabelo tem a cor castanho-escuro, são ondulados e curtos. Esse corte, apesar de ser considerado masculino, parece evidenciar mais o seu lado delicado, não a deixando menos feminina. Às vezes alguns cachos se formam de maneira tímida, mas não é com tanta frequência. Falando de seu corpo, Aisha é dona de uma fisionomia sútil. Magra e sem curvas exageradas, seus seios são médios e o quadril, um pouco largo, evidencia a cintura fina. As pernas são longas e as coxas medianas. Sua bunda é média. Tem pés pequenos e suas mãos tem dedos longos e finos.


❅ Altura:
1,68


❅ O que a personagem pensa de si mesma (a níveis psicológicos e físicos)?
Aisha se considera uma mulher bonita. É vaidosa e gosta de usar roupas confortáveis e que evidenciem os seus seios por meio decotes. Reconhece que é impaciente e sincera demais. É um lado que ela tenta ponderar, mas é difícil.


❅ Vícios:
Churros (churros é vida <3)


❅ Fobias:
Não tem


❅ Medos:
Inquisição | Cobras | Sofrer separações bruscas. A morte de sua avó e a separação de seu avô a deixaram mais sensível para essas situações.


❅ Tem algum trauma?
Não


☽ ✭ ☾


❅ História:



Filha de uma prostituta com um homem qualquer, a história de Aisha já começa assim, fragmentada. Nunca conheceu seu pai, apenas sabe que ele era negro. Seria ele algum escravo sendo recompensado pelo patrão ou um comerciante africano passando por aquelas terras? Sua mãe nunca soube responder, e também se foi o tempo em que a garota se preocupava com esses detalhes.

Aisha nasceu em Vigo, cidade portenha localizada na Espanha. Sua mãe, Valentina Zeon, era uma prostituta que já teve seus dias de glória, mas ultimamente o número de clientes havia caído e o lucro não era o mesmo que o começo da carreira.

Pela falta de condições, a garota foi criada por seus avôs, Alba e Álvaro Zeon. A relação que eles tinham com a Valentina era conturbada, não era um relacionamento amigável. Aliás, a mãe de Aisha já não era uma pessoa muito amigável, por isso nunca foi próxima da própria filha.

Seus avós faziam de tudo para a menina não ter o mesmo destino que a mãe, mas ao mesmo tempo a criavam solta. Nunca a prenderam muito e era por isso que desde pequena Aisha era acostumada a ter uma imensa liberdade.

Sua avó, Alba, descendia de ciganos. Foi com ela que Aisha aprendeu a ler mãos (quiromancia), a arte da cartomancia e traçar o destino pelas estrelas. Desde pequena a garota aprendeu que o cristianismo limitava a alma e que, para uma jovem com um espírito tão livre, seguir aquela religião seria um pesadelo. Já com seu avô, Álvaro, um velho pescador, a garota aprendeu a sobreviver no mar. Desde pequena o ajudava a fazer redes e confeccionar anzóis. Seu avô lhe ensinou a manusear o tridente (uma arma que se encontrava a gerações na família) e com isso, Aisha se tornou ainda mais mortal. Aprendeu também a ler o suficiente para conseguir entender os mapas de navegação, e por viver em uma cidade portenha, com as atividades de pesca a todo vapor, nadar era o mesmo que andar. Por isso Aisha possuí um folego excelente e consegue ficar até quinze minutos de baixo d’água.

Por viver mais nas ruas do que em casa, a morena sabia andar pelas ruelas sem ser notada e furtar forasteiros desavisados. Era ótima na hora de se esconder e andar na surdina. Conforme foi crescendo, sua lábia aliada à sua beleza, fez com que a tarefa de enganar homens se tornasse fácil. Seus avôs não aprovavam seu comportamento, mas também não reclamavam. Não viveriam para sempre e era bom que a garota aprendesse a se virar sozinha.

Mesmo vivendo com dificuldades, Aisha viveu sem muitas surpresas até os 16 anos. Mas foi em um começo de noite, em que voltava para casa, que a morena viu sua vida virar de pernas para o ar. A cidade já se encontrava estranha, o centro estava com uma movimentação muito intensa. Incomum para aquela época do ano.

Sendo sua avó cigana, praticar leituras e afins era um risco constante na vida de sua família. Por isso, Alba realizava tudo na surdina e sem chamar atenção. Por mais que fosse do desgosto de Aisha, para os vizinhos enxeridos, a família dela era 100% católica. Mas tudo mudou quando denunciaram sua avó para a igreja.

A garota, ao chegar na rua de casa, notou que a mesma se encontrava vazia, o que era raro. Algo estava errado. Apertando o passo, adentrou em sua casa e encontrou a mesma toda revirada. Sua avó possuía uma inúmera coleção de baralhos de tarot, alguns livros falando sobre estrelas e entre outros itens. Praticamente não havia sobrado nada. Um sentimento de angústia misturado com a adrenalina fez com que Aisha pegasse o que visse pela frente.

Se foi mesmo o Clero que havia feito aquilo, eles estariam por perto.

Passando os olhos de maneira rápida pela sala, avistou no chão o tridente de seu avô. Próximo a ele, a garota viu um livro parcialmente destruído falando sobre signos e o único baralho de tarot que havia sobrado em meio àquela confusão.

Juntando todos esses itens, mais algumas mudas de roupa que encontrou pela casa. Aisha vestiu uma capa e foi correndo em direção ao porto para encontrar seu avô. Ao menos torcia para que ele estivesse lá.

Para ir da sua casa para o porto era preciso passar pelo centro da cidade, e como a própria Aisha já havia constatado, o centro estava com uma movimentação incomum. Andando às escondidas notou que o número de guardas na cidade estava maior – o que implicou em mais descrição de sua parte.

Quando finalmente chegou no porto, foi correndo para o local em que seu avô ficava. Desespera, despejou todas as informações nele assim que o encontrou. Álvaro era um homem calmo e paciente, na maior parte do tempo, mas ao ouvir a notícia de que sua esposa tinha sido capturada, ficou sem reação.

Tanto ele quanto a neta voltaram para o centro para averiguar se Alba havia sido mesmo pega pela inquisição. Quando chegaram na praça central, lá estava ela. Amarrada em um tronco e com o rosto com algumas marcas roxas.

A fogueira iria ser acesa. Aisha olhava aquela cena com os olhos cheios de lágrima. Não era justo aquilo acontecer com a sua avó! Não era justo! Só quando a fogueira foi finalmente acesa que a morena se deu conta da realidade que se encontrava. Seu avô a puxou em direção ao porto novamente, indo em direção aonde ficava o seu barco. A garota foi sem contestar. Pela primeira vez não sabia como agir em uma situação.

“Escute-me bem Aisha” ouviu o seu avô dizer, mas era meio difícil saber se ele estava perto. Tudo parecia tão distante. “Aqui não é seguro para você. Vamos menina, ande logo! Temos que providenciar a sua ida! “

Em seguida seu avô adentrou no barco e voltou logo em seguida. Com um saco de pesos, uma rede de pesca que Aisha havia feito, alguns mapas, um astrolábio e uma bússola.

“Você pegou o tridente certo? ”, a morena confirmou acenando com a cabeça. Quando ia tirar o tridente que estava preso em suas costas e escondido pela capa, seu avô a impediu “Não! Fique com ele. Será mais útil para você do que para mim. Escute bem Aisha, aqui tem dinheiro, mapas e outros itens que você irá precisar. Preste atenção! Aqui não é mais seguro para você, iremos nos separar aqui minha filha. Tenho um amigo comerciante que me deve um favor, ele irá lhe levar para o Caribe e lá você pode recomeçar longe dessa merda! ”

Ainda atônita, Aisha não conseguiu contestar. Quando percebeu, já estava no porto e seu avô falava com um homem alto e de cabelos cor de areia. Tudo só pareceu fazer sentido quando a mesma já se encontrava no navio e observava seu avô no porto acenando para ela.

Aquilo era um adeus definitivo. Sua vida havia mudado, agora era hora de pôr em prática tudo o que aprendeu vivendo esses anos em Vigo.

Sua ida até o Caribe foi tranquila. Nunca havia encontrado homens tão gentis que aqueles – e até os achava esquisitos devido a gentileza absurda. Foi deixada em uma colônia de seu país natal e logo se viu sem rumo. Mas Aisha não era de se render, foi lá, com seus 16 anos em que recomeçou sua vida.

Começou a reconhecer a cidade em que se encontrava e aprender os locais a qual evitar. Com sua astúcia logo conseguia roubar de forasteiros, e às vezes, deitava com alguns para o seu próprio entretenimento.

Aisha não era adepta a se fixar em um único lugar, vivia trocando a região que morava e às vezes até de ilha, mas sempre se mantendo na região do Caribe. Fez mapas das ilhas que passou, e com isso, as conhecia como a palma de sua mão. Pôs em prática as suas atividades como vidente e fez com que seu nome, Madame Satã, ficasse conhecido na região.

E foi em uma de suas mudanças, em meio a golpes, jogos, previsões do futuro e amantes, que a Zenon soube que piratas estariam recrutando novatos para o navio. Aisha sentia que aquela era a oportunidade de viver uma aventura, independente de encontrar tesouros ou não. Ela iria entrar naquele navio.

Vestiu roupas que considerava confortáveis e juntou seus preciosos itens. O livro de signos de sua avó, o baralho de tarot, a rede de pesca, o astrolábio, seus mapas que havia desenhado com tanto afinco, sua bússola e sua inseparável arma: o tridente. Mesmo que não tivesse uma boa posição e passasse a maior parte do tempo limpando o convés do navio, Aisha iria entrar para aquela tripulação.

Ela sentia. Melhor, ela sabia que grandes aventuras estavam por vir!

“Não me interesso por ouro ou joias. Sinto que o meu futuro não está ligado a coisas materiais, mas sim, a aventuras que me tragam memórias das quais eu me orgulhe! ”



❅ Posionamento na sociedade (Nobreza, Clero ou Terceiro Estado/Povo):
Do Povão


❅ Bens económicos (pobre, mais ou menos abastado ou rico):
Pobre


❅ Breve descrição dos pais ou dos responsáveis pela personagem:
Aisha foi criada por seus avós, Alba e Álvaro, tinha uma relação amigável com ambos e os amava incondicionalmente. Ambos não achavam correto a forma como a neta vivia, furtando de outras pessoas, mas sabiam que não estariam vivos a vida inteira para protege-la, então era melhor ela aprender a se virar sozinha.

Aisha nunca foi muito próxima de sua mãe. Apenas realizava visitas corriqueiras, mas a maioria das vezes era para cobrar o dinheiro que Valentina pegava emprestado.


❅ Qual era a relação da personagem com aqueles que a criaram?
Amigável. Aisha era muito próxima de seus avós e os amava incondicionalmente. Ficou muito abalada com a morte da avó e a separação brusca com o avô.


❅ Tem irmãos(ãs)?
Não


❅ Tem ou teve amigos importantes na sua vida?
Não, é solitária a moça.


❅ Teve algum animal de estimação?
Não

❅ Qual a sua relação com os animais?
Apesar de não ter tido nenhum animal de estimação, Aisha gosta de gatos e furões.



☽ ✭ ☾


❅ Filosofia de vida:
A liberdade não é algo palpável e limitada. Ela tem que ser vivida intensamente.


❅ Crenças pessoais:
Aisha acredita que se deve viver intensamente e sem restrições.


❅ Tem alguma religião?
Não.

❅ Caso não tenha ou esta não esteja na base do cristianismo, a personagem esconde a sua posição religiosa das outras pessoas? Tem medo de expor e sofrer as consequências que podem advir daí?
Aisha não esconde suas crenças, suas atividades como vidente e a morte de sua avó a fizeram apenas ser cuidadosa em relação a perseguição do Clero. É especialista em apagar seus rastros pelas ilhas que ela passou. Por via das dúvidas, Madame Satã está morta para bisbilhoteiros e bocas abertas que a queiram prejudicar.

❅ Costuma ser preconceituosa no geral?
Apenas com fanáticos religiosos. Desde a morte de sua avó, Aisha pegou um ódio e pavor profundo pela igreja.


☽ ✭ ☾


❅ Do que a personagem gosta (quanto a questões artisticas e culturais)?
Gosta de música e artes. Tem uma paixão enorme por renascimento nórdico.

❅ E o que ela menos gosta?
Barroco de maneira geral.

❅ Gosta de ler (especifique)?
Sim. Aisha não é uma leitora assídua, mas gosta bastante de ler livros sobre astrologia e geografia. Também adora ler mapas.

❅ Gosta de música (especifique)?
Bastante! Adora cantar e dançar. É simplesmente apaixonada pelo som de flauta e de alaúde.


❅ Tem algum passatempo?
Sim. Aisha gosta de observar as estrelas, nadar e pescar e fazer mapas (tanto astrais quanto de navegação).

❅ Estudou?
De maneira informal sim. Aprendeu a ler o básico com o seu avô e conforme passou-se os anos foi aprimorando suas habilidades por conta própria. Também aprendeu a pescar, a confeccionar redes e anzóis. Já com sua avó estudou sobre as astrologia, quiromancia e cartomancia.

❅ Trabalhou (especifique)?
Sim, ajudava seu avô a fazer redes, anzóis e as vezes saía para pescar com o mesmo. Também trabalhou por um bom tempo como vidente. É especialista em furtos.

☽ ✭ ☾


→ Favoritos

❅ Cor:
Laranja, em específico o do pôr do sol.

❅ Animal:
Furão

❅ Estação do ano:
Verão

❅ Comida:
Frutos do mar

❅ Sabor:
Salgado

❅ Aroma:
Cítrico e o cheiro do mar

❅ Outros:
Gosta de afundar seus pés na areia e sentir a brisa marítima em seu rosto. Gosta de jogos de cartas e ama observar as estrelas e dormir sobre o sol.

☽ ✭ ☾


→ Desgostos:

❅ Cor:
Roxo


❅ Animal:
Cobra

❅ Estação do ano:
Inverno

❅ Comida:
Leite puro

❅ Sabor:
Azedo

❅ Aroma:
Doce

❅ Outros:
Detesta que fiquem lhe cutucando e pessoas que se fazem de sonsa. Odeia ser acordada de maneira brusca, provavelmente irá xingar a pessoa que fizer isso.


☽ ✭ ☾


❅ A personagem é virgem?
Não

❅ Se não: Com quem teve a sua primeira experiência sexual? Como foi?
A primeira vez de Aisha foi aos 15 anos, quando ainda morava em Vigo na Espanha. Eram poucas as vezes que a garota ia visitar sua mãe no bordel, e foi em um dessas poucas idas a aquele estabelecimento que conheceu Lorenzo Quirolli.

Lorenzo era um rapaz italiano que deveria ter no máximo seus 18 anos. Era um pirata em começo de carreira, rapaz da pólvora no navio e aparentemente havia ganhado seu primeiro saco de dinheiro com o saque que havia participado.

Aisha adentrou o lugar e nem ao menos o notou, mas o garoto sim. Achando que a garota era uma prostituta tratou de ir atrás dela e tentar contratar seus serviços, pois nunca havia visto mulher tão bela quanto ela.

A morena, enquanto procurava sua mãe, notou a presença do garoto atrás de si e logo o alertou dizendo que não trabalhava no bordel, apenas tinha assuntos familiares para tratar ali. O garoto aparentemente aceitou, mas em vez de se afastar continuou a seguir e perguntava coisas sobre a cidade, tentava puxar assunto a qualquer custo.

Aisha não era boba e sabia do que ele estava atrás. Quando percebeu que o rapaz – que era bonito por sinal – não iria sair do seu pé e que muito menos ela iria encontrar sua mãe, Aisha suspirou em desistência e se ofereceu para apresentar a cidade para ele (mas já visando que iria conseguir roubar fácil o seu dinheiro).

Conforme os dois andavam pela cidade, Lorenzo contava suas aventuras em alto mar de um jeito bem-humorado e Aisha contava algumas curiosidades sobre a cidade. A garota até não achou tão má a companhia dele, conseguiu rir bastante sobre as piadas que ele soltava e estava até tentada em fazer uma boa ação aquele ano e não o furtar seu dinheiro.

Conforme o tempo foi passando e eles foram andando, a morena percebeu que era melhor ir embora. Estava escurecendo e seria noite de lua cheia, sua avó estava lhe passando novas lições sobre as fases da lua e ela não queria perder.

Assim que fez a menção de se despedir de Lorenzo, Aisha sentiu os lábios do rapaz serem pressionados contra os seus. Surpresa ficou um tempo parada até corresponder o beijo. Assim que o beijo terminou, Lorenzo pediu desculpas e fez a menção de ir embora, mas dessa vez foi Aisha que o impediu. A garota não sabe o que deu nela, mas o puxou em direção a um beco próximo à rua em que eles estavam. E foi contra a parede, em um beco escuro e sem toda a pompa romântica que a Zenon teve sua primeira vez.

Por mais incrível que pareça, Aisha nunca se arrependeu de sua atitude. Também nunca mais viu Lorenzo, ele partiu no dia seguinte. Mas ainda sim a garota o furtou, mas apenas metade do que ele carregava. Afinal, ela havia dito que iria fazer uma boa ação naquele ano.


☽ ✭ ☾


❅ O que a atrai numa pessoa?
Pessoas bem-humorados e que a façam rir.

❅ O que não gosta numa pessoa?
Pessoas que não sabem respeitar a individualidade do outro e que se acham donas da razão. Aisha não é um poço de paciência e não suporta pessoas sonsas, prefere os brutos que lhe digam a verdade na cara do que alguém que a engane.

❅ Quanto ao amor, a personagem já se apaixonou? Ela acredita no amor?
Nunca se apaixonou, mas acredita no amor.

❅ Acredita em amor à primeira vista e em destino?
Sim

❅ Como seria o parceiro(a) ideal?
Alguém sorridente e brincalhão, mas acima de tudo que respeite a sua liberdade e que não tente a limitar.


☽ ✭ ☾


→ Paquera:

❅ Nome:
Armin

❅ Apelido dado:
Pequeno Demônio (Little Devil) – Gosta de chama-lo assim devido as suas inúmeras brincadeiras, e como a comédia é pecado para a igreja, Aisha viu mais uma oportunidade de tirar sarro do clero e suas restrições idiotas.

❅ O que a personagem gosta no(a) paquera?
Gosta do seu jeito brincalhão e que a faz rir mesmo quando está triste. Admira sua inteligência e a habilidade de consertar tudo!


❅ O que não gosta?
Armin consegue convencer a fazer suas vontades com uma facilidade absurda, isso a irrita. Aisha sente que isso é uma forma do controle que ele tem sobre ela, o que faz com que a morena se sinta presa a alguém, e por consequência, irritada.

❅ Como é a relação entre eles(as)?
Um relacionamento cheio de piadas, principalmente internas. Existe muito companheirismo e confiança entre eles. Às vezes brigam por detalhes bobos, mas logo voltam a se dar bem.

❅ Quais foram as primeiras impressões?
Aisha achou Armin, à primeira vista, um homem bonito e bem-humorado. Sentiu uma empatia com ele e deduziu que se dariam bem

Verdadeira reação:



❅ Os pontos em comum:
Ambos são brincalhões e engraçados. Gostam de se divertir e jogar.


❅ As divergências:
Ambos têm um temperamento forte e, as vezes, acabam discutindo devido as opiniões contrárias.


☽ ✭ ☾


❅ Como a personagem reage a desconhecidos?
Procura ser gentil e aparenta estar de bom humor. Por via das dúvidas, é cautelosa com o que fala em relação a si mesma. Pode não parecer, mas por trás da conversa bem-humorada Aisha estará avaliando a situação como um todo.


❅ Já sofreu assédio? Como reage a tal?
Sim. Tende a ficar levemente irritada, mas consegue controlar sua raiva. Se o assédio é mais sério e passa de palavra para ações, ela não hesita em machucar a pessoa.


❅ Acredita em criaturas mitológicas?
Sim


❅ Como reagiria caso encontrasse uma?
Ficaria em choque, mas logo em seguida estaria entusiasmada e tentaria fazer contato


☽ ✭ ☾


❅ Quais são as suas motivações?
A sua sede de aventura. É uma amante da liberdade e ama viajar e conhecer novos lugares. Sem contar no dinheiro, claro.


❅ Por que quer descodificar a mensagem? Quer encontrar o tesouro? Por quê?
Apesar de não almejar tanto assim grandes riquezas, Aisha precisa dela para viver e por isso quer decodificar a mensagem e achar o tesouro. Sem contar que a morena ama aventuras, e acredita que essa será uma grandiosa!


❅ Por que está disposta(o) a entrar num navio pirata ou num navio real?
O principal motivo é a sua sede de aventura. Aisha nunca se fixa em uma terra só e acredita que a maior riqueza é ter vivido uma vida intensamente.


❅ Como uma tripulante, sendo mulher, iria mascarar-se? Ou assumiria o seu gênero sabendo da futura discriminação?
Não, ela assume seu gênero e enfrenta a discriminação.


☽ ✭ ☾


❅ Você quer cenas de sexo explícitas?
Sim! Por vir com tudo!


❅ Tem noção que pode haver cenas de hentai/lemon/orange explícitas com outros personagens?
Sim, aliás, eu amo. Pode fazer várias cenas que estarei adorando.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...