~susanowo

susanowo
Sagita.jpg
Nome: Beatriz
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: São Paulo, São Paulo, Brasil
Aniversário: Indisponivel
Idade: Indisponivel
Cadastro:

Em nome do clã - Cecilia Dezon


Postado



✶ Seu user no Spirit: @susanowo


✶ Nome do personagem e seu significado:
Cecília Dezon

Significado de Cecília → Significa "cega", "sábia" ou "a guardiã dos músicos".

✶ Apelido:
Ceci → Apenas Dake e/ou amigos próximos a chamam assim.

Shaytan → Significa demônio em árabe. Era assim que as crianças, quando Cecilia morava no Egito, lhe chamavam.


✶ Idade:
20 anos


✶ Nacionalidade:
Egípcia (Alexandria, Egito)


✶ Data de nascimento e signo:
Aniversário → 6/2

Signo → Aquário


✶ Orientação sexual:
Bissexual



✶ História:



Cecilia nunca conhecera seu pai biológico, apenas sua mãe. Mas havia uma grande diferença entre conhecer e conviver. Até os 10 anos não sabia dizer como era o rosto de sua progenitora e toda vez que perguntava para o seu tutor, o mesmo esquivava do assunto.

A morena nasceu e fora criada até os 8 anos em Alexandria, sua cidade natal. Apesar de egípcia, Cecilia carrega em suas veias sangue francês. O nome e o sobrenome, diferente para aquela região, não mentiam. Seu tutor, Franz Manteuffel, um alemão exigente e de expressões duras e difíceis, deixava a menina ao relento. Vivia viajando para longe devido ao seu trabalho como arqueólogo. Tecnicamente, Cecilia tinha uma responsável encarregada sobre ela, mas dizer que Anippe Hamadi se importava com a criança era demais.

Anippe dava o necessário para a garota, um teto para dormir e, às vezes, pouquíssima comida. O resto que Cecilia arrumasse; fora assim que a menina cresceu: aprendendo a se virar sozinha. Devido a essa realidade, a Dezon – já possuindo uma personalidade reclusa – se tornou arrisca a estranhos, demorando para confiar nas pessoas ao seu redor.

Seu refúgio era a enorme biblioteca da cidade. O acervo da biblioteca de Alexandria era gigantesco e, para tornar tudo menos dolorido, a garota fez dos livros os seus melhores amigos. A solidão, presente em sua vida desde nova, criou um traço marcante na personalidade dessa garota: a seriedade.

Cecilia sempre fora considerada uma criança muito inteligente. Aprendera a ler sozinha, antes mesmo de começar a frequentar a escola. Chegara um ponto em sua vida que a pequena já havia lido todos os livros da categoria infantil e, avida por conhecimento, entrou na sessão de história. Fora em meio a tardes solitárias que a Dezon se interessou por misticismo e arqueologia. Esses assuntos se tornaram a sua especialidade no futuro.

Toda vez que algo peculiar e/ou estranho acontecia, Cecilia estava por perto. Era a manifestações de seus poderes, ainda desconhecidos pela garota. Por ser reclusa e quieta, algumas crianças praticavam bullying com a mesma. O estopim fora quando a Dezon, irritada com os xingamentos, fez uma criança gritar de dor apenas com a força de seu pensamento. Fora nesse momento que Cecilia notou que era diferente dos demais.

Com o ataque na criança, os boatos correram rápido. Pais queriam a expulsão da menina da escola e a garota, que antes andava tranquila nas ruas, era alvo de olhares maldosos e xingamentos. Tudo isso coincidiu com a visita ocasional de seu tutor. Vendo que a situação saíra de controle, Franz decidiu levar a menina consigo. E assim, aos 8 anos, Cecilia se mudou para Berlim.

Na cidade nova, Cecilia ficou aos cuidados de Nicole Reinhardt. A senhora Reinhardt não era muito diferente de Anippe, a diferença era que a comida não era limitada. Parecia que seu tutor tinha um péssimo gosto para escolher cuidadoras. Na nova casa, a Dezon conhecera aqueles que virariam seus futuros irmãos:

Sebastian Erlanger e Frontin Ferrand. Sendo o primeiro o mais velho e o segundo o mais novo, fazendo com que Cecilia fosse a irmã do meio.

As duas crianças também se encontravam sob a custódia do senhor Manteuffel. Sebastian era originário da Alemanha enquanto Frontin, chamado carinhosamente de Frodo, era francês. Ambos não conheceram seus pais biológicos. De acordo com Franz, o último desejo dos pais das crianças – e isso incluía Cecilia – era que ele os criasse. Sebastian dizia que aquela fora uma escolha de merda, já que Franz nunca estava presente e as cuidadoras que ele escolhia eram péssimas, beiravam ao desleixo.

O começo da relação de Cecilia com os seus irmãos foi difícil. A menina era arrisca e se limitava a ficar entre seu quarto e a biblioteca da casa. Aos poucos, principalmente por parte de Frodo, que Cecilia se sentiu incluída na família desajeitada.

Os dois meninos eram engraçados e extrovertidos. A diferença era que Sebastian, assim como Cecilia, era desconfiado e possuía um humor sagaz. Frodo beirava a ingenuidade e não desistia fácil. Se não fosse por esse lado determinado do irmão mais novo, a Dezon nunca teria se dado a chance de ter uma família.

A diversão das crianças, criadas de maneira livre por Nicole, era pregar peças nos outros. O humor de Sebastian e Frodo contagiava Cecilia, e às vezes, a menina sorria. Mas apenas na presença de seus irmãos. Diferente do humor sagaz Sebastian e o inocente de Frodo, a Dezon desenvolveu um humor mórbido. Sempre soltando piadas sem tirar a expressão séria do rosto.

Acontecimentos peculiares, como levitação de talheres e objetos que pegavam fogo do nada, continuaram a acontecer. A diferença era que Cecilia não era a única a conseguir realizar esses eventos, seus irmãos também conseguiam. Em meio a peças e brincadeiras, as crianças começaram a engatinhar no ramo da bruxaria, mesmo sem saber o porquê de conseguirem realizar tais feitos.

Fora em uma tarde chuvosa na biblioteca, quando Cecilia tinha 10 anos, que a garota conseguiu entrar, pela primeira vez, na ala proibida. Esse espaço era de uso exclusivo de seu tutor. A Dezon não entendia o porquê do senhor Manteuffel proibir as crianças de adentrar nessa parte. A menina se interessava por arqueologia e ler os mesmos livros que seu tutor seria um sonho.

Ao adentrar na sala encontrou, não só livros sobre antropologia e arqueologia, mas também um assunto mais interessante: bruxaria. Fora como se uma lâmpada acendesse em sua cabeça. Tudo fazia sentido! O fato dela conseguir causar dor nas pessoas, levitar pequenos objetos e até colocar fogo nos mesmos. Seus irmãos também se encaixavam nesse padrão. O três eram bruxos!

Sempre que podia a garota entrava escondido e passava horas e horas lendo sobre feitiços, e chegava a praticá-los. Seus irmãos também se aventuravam nas aulas que eles mesmos inventavam.

Em uma tarde atípica, seu tutor voltara de viagem junto de uma mulher misteriosa. As crianças estavam na biblioteca, na ala proibida, lendo sobre ocultismo. Não notaram quando os dois adultos adentraram no recinto. Tanto as crianças, quanto os mais velhos, se assustaram.

O choque maior fora para Cecilia. A mulher ao lado do senhor Franz era idêntica a ela, uma versão mais velha da garota. A mulher em questão era Olivia Dezon, a mãe, até então desaparecida, da menina.

Depois do susto, o senhor Manteuffel, pela primeira vez suavizou a expressão dura de seu rosto. Se aproximando das crianças, começou a contar histórias sobre grandes bruxos e que cada um deles carregava um pouco de seus ancestrais em seu sangue. No final, Franz revelou que ele mesmo era um bruxo e que pretendia contar, e iniciar um treinamento, apenas quando os pequenos completassem 12 anos.

O que não fora explicado era a mulher parada no meio da biblioteca, observando de longe, as crianças. Em específico, observava Cecilia. O tutor, notando a tensão, explicou quem era a mulher. O choque dos três pequenos foi inevitável. A garota custava acreditar que aquela mulher era a sua mãe. Por que ela não a criara se estava viva? Por que nunca entrou em contato? Por que resolvera aparecer só agora?

Olivia se aproximou de Cecilia, que esquivou automaticamente, rejeitando a progenitora. A mulher mais velha, se afastou novamente e dessa vez começara a falar. Explicou suas razões por alto, aparentemente estava envolvida em uma guerra. Havia retornado a Berlim para resolver alguns assuntos pendentes.

A partir daquele ponto, a vida dos três irmãos deu um salto. Nicole revelou ser um demônio e Olivia passou a ser uma presença constante na vida dos três, mas ainda era uma estranha em meio aquele ambiente. As crianças ganharam o seu primeiro grimório e começaram um treinamento que durou até os 18 anos dos mesmos. O treinamento era realizado por Franz e auxiliado por Nicole, e às vezes, muito raramente por Olivia – que fazia visitas ocasionais. O três se tornaram bruxos excelentes, cada um com um ponto forte. Sendo que Sebastian controlava com exímio o fogo, Frontin era excelente em hipnose e Cecilia dominava a arte da neurônia como ninguém.

O estopim fora quando guerra atingiu Berlim. Olivia havia desaparecido e a guerra resultou na morte de Franz e Nicole. Os três jovens ficaram muito abalados. Todos, que já não gostavam muito dos humanos, tiveram a sua raiva intensificada. A partir daquele momento eram apenas os três.

Vivendo com o resto da herança do tutor e escondidos, Cecília, Sebastian e Frontin se encontravam mais unidos do que nunca e se protegiam a todo o custo. Viviam como exilados. Aparentemente tudo ia bem, a medida do possível, mas foi em uma noite – que passavam em uma cidade em destroços – que a sorte deu lugar ao azar.

Primeiro que a Dezon se encontrava extremamente doente, estava debilitada devido ao clima frio do inverno. Segundo que a cidade em destroços era também uma base utilizada por humanos. O número era desigual, e apesar dos três irmãos serem poderosos, sacrifícios tiveram que ser feitos. Seus irmãos, para proteger Cecilia – que se encontrava fraca -, tomaram a frente e pediram para ela os esperar na floresta. A garota ficou relutante no começo mas obedeceu a ordem. No seu estado, não teria como ajudar. Correu até a floresta e se escondeu. Esperou notícias durante horas e horas.

Quando amanheceu, reunindo toda as suas forças, procurou por seus irmãos. O resultado da batalha estava eminente em cada corpo no chão. Cecilia procurou por horas, mas não encontrou nenhum vestígio de seus irmãos. Imaginando o pior, pela primeira vez, suas piadas mórbidas não tiveram nenhuma graça. Estava sozinha.

Sabendo que não conseguiria sobreviver naquele estado, ainda mais doente, decidiu se juntar ao clã Vanllir. O seu ódio pelos humanos se intensificou. Não sabia dizer se seus irmãos estavam mortos ou não, mas ela não desistiria de os encontrar. Cecilia esperaria uma eternidade se fosse necessário.



✶ Personalidade:



Cecília é uma mulher de poucas palavras. É silenciosa e observadora, se pronunciando em meio a conversas apenas quando julga necessário. Tem como característica marcante um humor mórbido – sempre fazendo comentários em situações tensas e imaginando o pior, mas sem tirar a expressão séria do rosto.

Sendo uma mulher tranquila e reservada, Cecília não vê a necessidade de compartilhar seus sentimentos, até mesmo com seus amigos próximos. É raro ver alterações bruscas de seu humor, até suas ameaças são ditas de forma calma. Cecília não se irrita com facilidade, mas caso consigam a irritar ao ponto de ela ficar possessa, se preparem, pois, essa mulher fará você chorar apenas com palavras. Normalmente mantem o tom de voz inexpressivo.

É sincera, mas geralmente guarda essa característica apenas para amigos próximos. Se é necessário quebrar uma regra para fazer o que acha correto, ela o fará. Cecília não mede esforços para proteger aqueles que ama. Tem um instinto maternal e, quando está perto de crianças ou animais fofos, revela um lado doce e de sorriso fácil, chocando aqueles que estão acostumados com suas expressões sérias do dia-a-dia.

Por ser muito reservada, ninguém sabe se Cecilia está ficando com alguém. Muitos amigos, até hoje, acreditam que a menina é virgem. Mas a Dezon é adepta do estilo “Come quieto” e demonstra o interesse nos outros de maneira sútil. Normalmente fazendo questão de decorar o nome da pessoa e rapidamente a chamando pelo apelido.


✶ Características físicas:

Cecília é dona de cabelos escuros, volumosos e cacheados. Os mesmos descem até um pouco abaixo de seus ombros e normalmente estão soltos, são raras as vezes que ela os prende (e quando o faz, geralmente prende em um coque no alto da cabeça).

Possuí um maxilar quadrado e bem definido, sua boca é média e seu nariz, um pouco largo, segue reto – fazendo apenas uma curva discreta na ponta. Seus olhos são castanhos escuros, grandes e levemente caídos.

Tem seios pequenos e o quadril largo evidência ainda mais a cintura fina. Suas pernas são longas e as coxas são medianas – nem finas e nem grossas demais. O seu bumbum é grande. Tem a pele negra e é alta, medindo 1,78 de altura. Tende a chamar atenção por onde passa.

Face cleam: Tiana Parker



✶ Estilo de vestimenta:

Cecília opta pelo confortável. Odeia usar sutiãs e gosta de roupas em tons escuros. Tem inúmeros croppeds no seu guarda-roupa, que se intercalam, na mesma quantidade, com blusas masculinas. Normalmente com estampas de bandas e afins.

Ama jeans e sua calça preferida é no corte boyfriend, mas usa outros cortes como, por exemplo, skinny. Também gosta de usar jardineiras, macacões jeans e/ou macacões justos e de tecido confortável/maleável. Às vezes utiliza vestidos, normalmente curtos e justos. É adepta do estilo urban.

Sua maquiagem é discreta. Normalmente utiliza tons nude nos seus olhos e com batons é 8 ou 80, ou utiliza apenas um brilho labial simples ou usa batons escuros – normalmente marrons ou pretos.





→ Desenvolvimento ←

✶ Seu personagem pertence a qual clã?

Vanllir


✶ Qual seu paquera?

Dakota


✶ Como seu personagem lida com os membros de seu clã?

Cecilia é extremamente grata ao seu clã por acolhe-la, mas não é por isso que concorda com tudo que é dito. Por ser reservada, não fala tudo o que pensa deles. Mas tem altos questionamentos sobre alguns métodos do clã.

Ela tem inúmeros conhecidos, mas poucos amigos. O único amigo verdadeiro, e que a garota cogitava se abrir um pouco, fora Circe. Mas o mesmo foi expulso, algo que Cecilia viu como desnecessário.






✶ Como seu personagem lida com seu poder?

Cecilia é uma bruxa que ainda tem um longo caminho para percorrer e chegar a excelência. Ela está em evolução constante. Desde que descobriu os seus poderes, ainda criança, nunca parou de pratica-los. Ela os ama intensamente. Nunca os viu como maldição e os abraça de corpo e alma.

É boa em criar poções e é excelente na arte da neurônia e sua segunda especialidade é a manipulação do fogo – conseguindo criar chamas altas e, ainda sim, controláveis.

A garota reconhece que é horrível com hipnose e que tem de melhorar muito nessa área. Outro ponto que Cecília deve praticar é sua proteção. Apesar da garota conseguir a sustentar por horas, não é das melhores. Quando Cecília consegue realizar uma proteção muito forte, a mesma não dura muito tempo – o máximo que conseguiu fora estabilizar por 8 minutos.

Por ser alguém recluso tende a segurar suas energias. Ela é muito boa na técnica, mas péssima quando depende de suas emoções para intensificar o feitiço. Um ponto que Cecilia deve trabalhar é aprender a liberar um pouco mais seus sentimentos, com isso, seus feitiços se tornaram mais poderosos.


✶ Como seu personagem lida com o paquera?

A relação de Cecilia com o Dake começou com um único objetivo: sexo.

A Dezon é conhecida por ter casos de uma única noite, e que terminam tão rápidos quanto começaram. Com Dakota a relação não seria diferente, apenas uma noite com ele e depois cada um seguiria a sua vida. Mas não fora isso que aconteceu.

Dake se mostrou uma presença constante no seu dia a dia e, apesar da persistência do rapaz a irrita-la no começo, o mesmo acabou ganhando a sua simpatia fora das 4 paredes. A personalidade confiante de Dakota cativou Cecilia e, apesar da garota se irritar um pouco com o ego enorme dele, o acha um charme à parte.

Outro ponto que faz com que o relacionamento de Dake e Cecilia de certo é a sinceridade de ambos. Mas diferente de Dakota, que se mostra alguém sincero logo de cara, Cecilia só demonstra esse seu lado quando confia na pessoa.
Mas se tem algo que Cecília se irrita com o loiro é o seu jeito cabeça dura. Aliás, ambos são irredutíveis quando colocam uma ideia na cabeça, e se essas ideias não se batem, brigas podem ocorrer entre o casal.

Dake não estranhou o seu jeito reservado e não a pressiona. Cecilia gosta de Dake porque ele entende e respeita o seu jeito de ser. O seu lado divertido faz com que a Dezon lembre de seus irmãos desaparecidos, e isso faz com que Dakota seja uma das poucas pessoas que já viram Cecilia sorrir abertamente.


✶ Como é a relação dele com os amigos?

Cecília é alguém reservado até para seus amigos mais próximos. Não demonstra o que sente, apenas em situações muito extremas. Se a Dezon for sincera com um amigo, é porque ela o considera muito.

Muitos gostam dela por seu humor mórbido, mas quem a conhece bem sabe que a garota tem um lado maternal e que, com pequenos gestos, cuida daqueles que ama. Cecília, mesmo que de maneira indireta, sempre tenta proteger seus amigos e quebraria regras por eles.

Não tende a demonstrar o que sente, apenas em situações muito extremas. É conhecida por ter casos rápidos e discretos, ninguém sabe se Cecilia está ficando com alguém ou não.


Torria

Cecilia pode dizer que a sua amizade com Torria começou de maneira unilateral. Fora a retirante que se aproximou da Dezon e, se não tivesse continuado por perto, provavelmente as duas nunca seriam amigas.

Cecilia gosta de Torria porque a mesma faz de tudo para proteger as pessoas que considera importante, e a garota se identifica, profundamente, com esse lado da amiga. Torria também não estranhou e nem julgou seu lado sério e reservado, e com isso, ganhou a simpatia de Cecilia – que aos poucos foi se abrindo e permitiu que a amiga conhecesse o seu lado sincero.

Outro ponto é que Torria se diverte muito com o humor mórbido da Dezon e apesar de Cecilia não demonstrar em suas expressões, por dentro, está sorrindo e feliz por fazer alguém sorrir.


Circe

Se Cecilia não tivesse se tornado amiga de Torria, muito menos teria se tornado amiga de Circe. O jovem bruxo é tão reservado quanto ela, mas diferente das amizades que Cecilia cultiva – onde o outro é quem vai atrás dela – com Circe foi diferente.

Foi apenas preciso que a Dezon estivesse nervosa e sem um cigarro para que se aproximasse do retirante. Logo os dois fumavam juntos, e entre o silêncio acolhedor e algumas palavras trocadas se viram amigos. Tudo isso foi intensificado pela presença de Torria e logo Circe se tornou alguém essencial para Ceci.
Aos poucos a garota fora se abrindo com o novo amigo e o retirante, como se passasse de nível, teve acesso a um novo lado da personalidade da garota: sua sinceridade e o lado maternal e gentil.


✶ Como é a relação dele com a família?

Apesar das péssimas cuidadoras, Cecília tem uma enorme gratidão pelo seu tutor – e até mesmo por Nicole (menos Anippe, aquela tem o ódio profundo da Dezon). Agora que está mais velha, a garota entende que Franz queria ensinar, tanto a ela quanto seus irmãos, a serem independentes. A Dezon sente uma imensa falta dele – e às vezes de Nicole.

---

A relação com sua mãe é extremamente fria. Cecilia apenas é grata a ela por ter lhe dado a vida e ensinado um feitiço ou dois. Para a Dezon, a sua mãe é uma completa estranha. Não se sabe dizer se Olivia está viva ou morta.

---

“Nós não nascemos como irmãos, mas iremos morrer como. “

Essa frase define extremamente bem a relação que Cecilia tem com seus irmãos. Sebastian e Frodo são as únicas pessoas com que a Dezon se permite sorrir abertamente e até gargalhar alto. Ela os ama do fundo de seu coração e causaria uma guerra para proteger eles.

Seu maior arrependimento é ter se afastado dos dois durante a batalha. Cecilia anseia pelo dia que irá reencontrá-los.


✶ Como seu personagem entrou no clã?

Cecilia sempre teve um contato indireto com o clã devido ao seu tutor, Franz Manteuffel, mas nunca chegará a ingressar. Quando pretendia adentrar, junto de seus irmãos, no clã, a guerra atingiu a vida deles.

Os três, perdidos, não pensaram na possibilidade de refugiar com seus semelhantes. Queriam apenas se proteger e ficar unidos. Com o desaparecimento de Frodo e Sebastian, Cecilia se viu sozinha.

Decidida que era mais fácil sobreviver com companhia, decidiu ingressar no clã. Fora bem recebida, principalmente porque era uma boa bruxa e já possuía um bom conhecimento, tanto em feitiços quanto em arqueologia, mas logo estranharam o seu jeito peculiar de ser.

A seriedade da Dezon fez com que alguns embates ocorressem, mas tudo fora contornado quando a mesma demonstrou o seu humor mórbido. Logo, Cecilia se encaixou dentro do clã, a sua maneira, e até hoje espera que seus irmãos retornem e se juntem a ela.


✶ Como é a relação dele com membros de outros clãs? Ele tem afinidade com algum outro clã?

Cecilia tem afinidade com o clã Godheim e Eitri. Gosta deles, mas é devido a sua amizade com Torria e pelo fato de que, a maioria, de seus amantes provem desses dois clãs.

Em relação aos outros clãs, Cecilia não gosta e nem desgosta. Prefere conhece-los pessoalmente e tirar suas conclusões.


✶ Pelo que seu personagem é conhecido no clã em que pertence? Ele tem boa ou má reputação?

Cecília é reconhecida por ser excelente no que se diz respeito a bruxaria. Apenas seu jeito calmo e sério demais faz com que algumas pessoas a estranhem, mas logo a relevam, pois, seu humor mórbido, apesar de esquisito, faz com que ignorem a seriedade excessiva dela.

A sua reputação dentro do clã é mediana. Apesar de ser uma boa bruxa, Cecilia não é boa seguindo regras. Apenas as segue quando convém e se é necessário quebra-las para realizar algo que acha certo, ela o fará. Isso causa alguns embates dentro do clã, mas até agora a garota não fez nada grave para ser expulsa.



→ Adicionais ←






✶ Pontos fortes, fracos e habilidades do seu personagem:

Cecilia é excelente quando o assunto é realizar neurônia, poções e/ou manipulação de fogo. Essas são as suas três habilidades principais e as mais fortes.

Tem um amplo conhecimento em arqueologia e misticismo – fazendo com que sempre estude e procure feitiços antigos.

Sua hipnose é extremamente fraca e seus feitiços de proteção não são tão bons. Tende a fazer escudos fracos e que, apesar de durarem muito tempo, podem ser facilmente quebrados.

Por ter pregado muitas peças na infância, sabe andar sorrateiramente e é uma excelente observadora e estrategista, prevendo as ações dos inimigos. Não é boa em combate corpo a corpo e sempre recorre aos seus poderes, e caso não consiga utiliza-los, Cecilia se torna inútil no campo de batalha. Fazendo com que tenha outra especialidade: fugir.


✶ Medos/fobias/traumas:

→ Medo de perder aqueles que ama;

→ Nunca reencontrar os seus irmãos;


✶ Vícios/manias:

→ Fumante (apenas fuma quando algo a incomoda);

→ Colecionadora de artefatos antigos;

→ Dorme nua;

→ Sempre carrega um livro sobre arqueologia e/ou história consigo;

→ Ler enquanto anda;

→ Quando acha algo fofo fala em um tom baixo. Sua voz e seu olhar demonstram todo o encanto que está sentido;

→ Passa a língua sobre os lábios quando se sente atraída por alguém.



✶ Defeitos:

Personalidade → Por ser imprevisível, nunca se sabe o que Cecilia irá aprontar e se ela irá seguir conforme o plano. Protege aqueles que ama com afinco, não mede a consequência de suas ações. Se tiver que matar alguém, ela irá matar.

É conhecida por não ter limites e ser um pouco excêntrica. Não se adapta facilmente a regras preestabelecidas. Apesar de imprevisível, Cecilia não tende a mudar de ideia com facilidade. É cabeça-dura.


Físicos → Cecília não gosta de sua bunda, a acha grande demais. Gostaria que sua barriga fosse um pouco mais chapada e lhe irrita profundamente as estrias que tem na lateral das coxas.


✶ Armamentos preferidos para batalhas:

Seus poderes. Gosta de imobilizar seus inimigos com a neurônia ou utilizar o fogo para retardá-los.
Não é boa em combate corpo a corpo, mas anda com uma faca para se proteger em situações extremas. Normalmente, quando algo a impede de utilizar seus poderes, prefere se refugiar em algum local seguro pois sabe que será inútil.


✶ Sonhos ou objetivos:

Seu maior sonho é descobrir qualquer informação sobre o paradeiro de seus irmãos. Deseja descobrir se eles estão mortos ou vivos. Caso os dois estejam mortos, quer se despedir deles devidamente.


✶ Frase ou trecho de música que defina seu personagem:

It’s true in this life
I’ve never been the one in your eyes
I’ve never been the truth
All you saw was a broken mirror
And they told me to care
When tryin’ to fix your heart
It’s unfair
I’m tryin’ to fix myself and not care
Too much about you



✶ Alguma curiosidade ou observação sobre o personagem?

→ Cecilia se sente sexualmente atraída por garotas, mas normalmente se apaixona por homens;

→ É adepta a casos de uma única noite. Ninguém nunca sabe com quem Cecilia se envolve, quando descobrem, o relacionamento já terminou e normalmente é ela que termina; (Isso pode começar a mudar com o Dake);

→ Gosta de ficar sozinha lendo livros sobre arqueologia;

→ É péssima com desenho;

→ Tem uma boa voz e canta raramente. Normalmente cantava mais na presença de seus irmãos (Pode começar a cantar mais na presença de Dake)


✶ Chave:

Girls can do everything

Escutando: Grimes - Realiti
Bebendo: Suco de macarujá

Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...