~_PsychoDucky

_PsychoDucky
Quack!
Nome: Tata Argentino
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 21 de Março
Idade: 18
Cadastro:

Ficha- Pride, Prejudice and Unexpected Love.


Postado

Ficha- Pride, Prejudice and Unexpected Love.



Você desperdiçou o seu tємρσ
Com o meu coração
Você queimou
E se pontes têm que cair, você cairá com elas...❞




Mostrar Spoiler: Sσмєηtє ρσя νσcє яєηυηcισ ασ мєυ σяgυℓнσ, Aуαtσ Sαкαмαкι...


Ɲσмє Ƈσмρℓєtσ

Ɲαtαѕнα Aℓєкѕєєν

ƝαtαѕнαSignifica "nascimento" ou "dia do nascimento de Cristo" ou até mesmo "ressurreição". É um diminutivo russo de "Natalya", originado a partir do latim "Natalia", derivante de "Natalis" que literalmente quer dizer "nascimento" ou "dia do nascimento de Cristo". A sua definição russa desse nome acaba que fugindo um pouco do sentido do nome em latim, a qual é dado como "ressurreição". Foi um nome bastante utilizado na Era Medieval, por conta de ser comumente dado às meninas que nasceram perto ou no dia do Natal. Natasha é um nome forte e um tanto quanto exótico, transmite muita personalidade para aquele que o possui.

AℓєкѕєєνSobrenome tipicamente russo, usado comumente na época soviética. É formado a partir da composição entre o nome "Alekseev", que significa "guerreiro,guardião", e do sufixo "ev", utilizado para referir-se a "filho" (como por exemplo: Ivanev = filho do Ivan), porém por ser usado para o gênero feminino, ficaria como "filha". Sendo assim, seu significado é tido como "filha do guerreiro", "filha do guardião". O que mais desconforta nesse sobrenome é em relação à sua pronúncia, levando muitas pessoas a falarem "Alêquísive", sendo como certo a pronúncia de "Aléqusívi".



Aρєℓιɗσѕ

ƝαtUm apelido muito comum na vida de Natasha. Como todo mundo já deve estar cansado de saber, é a abreviação de seu nome. Basicamente, foi lhe dado este apelido em sua época da pré-escola, o qual suas amigas e às vezes algumas professoras lhe chamavam assim. A azulada sinceramente não liga para a existência deste apelido, por conta de 92% das pessoas que tem o mínimo de intimidade com a mesma, a chamam desse jeito.

ƬαѕнαPode ser classificado como "um tanto quanto pessoal" para ela. Foi criado por Yves, seu melhor amigo na época, como uma opção de abreviação de seu nome. Natasha sempre teve muito amor por esse apelido na época em que ele ainda era vivo, após isso, é neutra em relação à ele, exceto pelo fato de não autorizar ninguém além de sua família a chama-lá assim.

Lιttℓє Lαɗу Este criativo apelido foi dado por ninguém menos que sua melhor amiga. Toda vez que Nat acaba dando uma de "menina certinha" agindo ou falando, chama-a assim afim de provoca-lá. Pode se dizer que a Alekseev fica um pouco irritada no uso deste apelido, mas bem no fundo gosta de ser chamada assim, por mais estranho que pareça, se sente mais querida.

Ƙσяι-Hιмє συ Ƙσяι-ƇнαηBasicamente, um "título" adquirido em sua época de colegial. Traduzido do japonês, fica como "princesa de gelo". O principal motivo deste apelido é sua frieza (explicarei melhor em "História" e "Relacionamento com o par") e de seu jeito de portar-se, tal como uma princesa. Pode parecer um apelido mais carinhoso, porém é usado com maldade para se referir à azulada. Tempo depois, foi adaptado pelo par, como um apelido carinhoso. No começo, Natasha não ligava em ser chamada assim, nem fazia diferença em sua vida de qualquer jeito, só começou a gostar depois da transformação do mesmo.

Ƥαɗɗσ-ƇнαηClaro que não haveria ninguém a não ser nosso querido Ayato Sakamaki para dar esse apelido. "Paddo" literalmente quer dizer "almofada". O principal motivo deste apelido é simplesmente vergonhoso: o tamanho dos seios de Natasha. Por conta da natureza do ruivo, a primeira vez que se conheceram, comparou seu busto a uma almofadinha, por conta de ambos caberem nas mãos. Em geral, é mais usado para provocar a azulada, deixando a de olhos revirados ou muito envergonhada.



ǀɗαɗє

Natasha nasceu no dia 25 de dezembro de 1997, às exatas 0:00 horas, por isso tem 19 anos. Sua idade é meio difícil de ser identificada, por conta de aparentar ser mais velha por conta de seus modos, e ao mesmo tempo, aparentar ser mais nova por conta da sua aparência.



Sιgησ

Possui o signo solar em Capricórnio, ascendendo em Virgem e tendo lua em Escorpião.
Realmente não acredita em astrologia, nem na mudança de local dos planetas e coisas do tipo. Porém, é muito óbvio que sua personalidade baseia-se SIM em seu mapa astral, e nem adianta negar isso. Ainda sim, não deixa de achar uma matéria bem interessante e complexa, quando lê alguma revista ou algum jornal, dá sempre uma lida rápida na área dos signos para ver o que é previsto para sua semana.




Ɲαcισηαℓιɗαɗє

Natasha nasceu na Federação Russa (ou então apenas Rússia), mais precisamente na cidade de Moscou, sua capital. Uma grande metrópole com aproximadamente 11,92 milhões em uma área de 2.511 km². Durante maior parte de sua infância, morava em um bairro tipico de classe média baixa, onde todos se conheciam e viviam com tranquilidade, um local onde sempre se alegra ao lembrar dele. Tem muito orgulho de sua terra natal, além de possuir um sotaque russo, que pode ser engraçado e ao mesmo tempo fofo.





Aραяє̂ηcια















Bônus! Natasha Criança! (créditos para @_BrightGalaxy_)



Natasha realmente é uma mulher muito bela, além de ter traços delicados e angelicais, aparentando ser mais jovem.

Começando tudo, temos seus cabelos. Mais longos do que o das outras garotas, batendo exatamente no meio de suas panturrilhas, possuem a coloração verde-água intensa, que pode variar para tons de azul ou até mesmo verde dependendo da luminosidade. Nesse quesito, Natasha sempre cuidou muito bem deles, não poupando dinheiro ou esforços para mantê-lo sempre bem cuidado. Suficientemente hidratado e limpo, macios como seda e ainda estão sempre bem penteados, perfumados como seu xampu de maçã verde. Mantêm sempre sua franja repicada sempre arrumada, colocando às vezes algumas presilhas em alguns casos. É muito comum vê-los presos em duas marias-chiquinhas por conta do calor e do volume.


Seus olhos podem ser considerados a parte mais linda e mais chamativa de seu corpo. Suas íris são da cor do seu cabelo em um tom um pouco mais escuro, encantando a quem as encara. O formato dos seus olhos é bem redondinho, além de serem grandes e bem brilhantes, como os de uma criança pequena, podendo passar diversas sensações e emoções apenas por um olhar. Seus cílios são um tanto quanto desproporcionais, sendo os inferiores muito maiores do que os inferiores, dando a aparentar que Nat passa rímel apenas nos cílios debaixo. Suas sobrancelhas são finas e perfeitamente feitas, sem qualquer tipo de falha e ainda bem penteada. Para dar algum tipo de destaque, a azulada costuma passar lápis de olho neles.

Seu rosto possui um formato fino e bem delicado, com vários traços tipicamente angelicais. Sua testa é relativamente grande, porém a mesma é ocultada por sua franja. Possui o nariz fino e pequeno, levemente arrebitado, tendo uma pequena cor rosada por conta da palidez. Possui as bochechas naturalmente rosadas e gordinhas, muito “apertáveis” assim dizendo. Natasha possui algumas pequenas sardas ao longo de suas bochechas e seu nariz, bem invisíveis, mas ainda sim sardas. Seus lábios, a parte mais intoxicante de seu rosto, carnudos e preenchidos, hidratados por conta da manteiga de cacau, na cor vermelha suave, são vontade a qualquer um de querer beijá-los. Sempre cuidou muito bem da sua saúde bucal, deixando seus dentes sempre brancos e limpos, tais como pequenas pérolas, além de sua boca possuir um gosto agradável de morangos silvestres, deixando aqueles que a beijam querendo muito mais. Quando sorri, aparece uma pequena covinha no lado direito de seu rosto.

Seu corpo é do tipo que as pessoas chamam de "violão". Seus seios são medianos, firmes ainda sendo macios, os quais ficam até bem bonitos quando Natasha usa algum tipo de decote ou roupa de banho. Por conta de sua dieta alimentar, possui a barriga bem lisa, livre de quaisquer gorduras localizadas. Possui a cintura fina e sensível, bem marcada que contrasta com seu quadril largo. Seus vários anos de patinação lhe renderam longas pernas torneadas e desejáveis, com coxas grossas e um pouco musculosas, não exageradamente. Seu traseiro é consideravelmente grande, bem acentuado e durinho. É de uma estatura física magra, tendo apenas 50 quilos, proporcionais à sua altura meio baixa, com apenas 1,65 cm. Possui braços finos, sem qualquer tipo de gordura ou músculo e neles, Nat possui uma fina e branca cicatriz de um trauma de sua infância. Mãos finas e delicadas, com dedos longos e finos, com suas unhas devidamente cortadas, pintadas normalmente da cor de seus olhos. Seus pés são delicados e finos, como algumas pessoas chamam de "pés de Cinderela", mas são pequenos, fazendo-a calçar apenas 36/37.

Alva é como pode ser descrita a sua pele. Fica bem avermelhada ao contato com qualquer tipo de pressão, além de possuir seu rosado natural. Ao longo dela, possui várias pintinhas no corpo, dando a ela um pouco de charme. É bem macia e aveludada, suficientemente hidratada e limpa, sem nenhum tipo de pelo aparente ou manchas. Além de ser muito sensível ao sol, fazendo a ficar parecendo um tomatinho ao contato com ele. Possui também, um gostoso aroma de caramelo, que acreditem se quiser, não é enjoativo.



Aραяє̂ηcια ɗαѕ Asαs



As asas de Natasha são incrivelmente belas, dando um ar majestoso por onde passa.

Seu estilo é completamente único e belíssimo. Começando para perto de sua raiz, onde adquire uma pelugem de cor negra, tal como ébano. Mais abaixo, vai começando a contrastar para o branco, formando uma área composta por penas cinzentas em vários tons, formando um formoso efeito dégradé. Perto do fim das asas, longas penas vão tomando a tonalidade branca, tão pura quanto a neve, dignas de algo santo e puro, como talvez um anjo. Sua estrutura é muito grande, tanto que quando anda, é possível vê-las arrastando no chão, além de serem muito fortes, capazes de proteger Nat de qualquer mal ou então formar fortes ventos, capazes de derrubar até mesmo uma árvore. Não são pesadas, como a maioria pensa, dando à azulada a capacidade de realizar suas ações com uma rapidez e agilidade, nunca saindo do controle da mesma. São absolutamente macias, tocar em suas penas é como tocar em grama limpa e aveludada, dá uma estranha sensação de conforto.




Hιѕtσ́яια

A história de Natasha não é a mais feliz de todas...

Natasha Alekseev, nascida em 1997, muito amada e desejada por seus pais mesmo antes de nascida.

Seu pai era um anjo, que enquanto voava pelos céus, acabou pegando uma grande rajada de vento, o que resultou em um desequilíbrio que o fez cair dos céus para a terra. Após ter caído, muito machucado e com a asa quebrada, Mikhail estava fraco e sem chances de sobreviver por conta própria. Talvez por obra do destino, aparece Rayssa, a moça mais bela e influente da região, com apenas 17 anos de idade. Seu grande coração e gentileza acolheram o fraco anjo caído, tomando a responsabilidade de seus cuidados.
Com o tempo, o puro coração de Mikhail foi roubado pela rosada, e a mesma teve seu coração roubado pelo anjo, começando um novo relacionamento. Com o tempo, começaram a namorar. Era tudo um grande campo florido, eram o casal mais bonito e feliz da Rússia, amorosos e cuidadosos um com o outro, quase nunca brigando.
Acabaram se casando em uma pequena cerimônia na igreja, quando Rayssa completou vinte e um anos e Mikhail vinte e um. A felicidade dos dois aumentou absurdamente após a grande notícia que receberam quando voltaram de sua lua de mel: Rayssa Ivanov carregava uma criança dentro de si, à primogênita do casal.
Depois de nove meses de muita espera e alegria, finalmente viria o grande momento. Começou tudo normal, sem nenhuma complicação, até o momento. Por algum motivo que nem os médicos sabiam explicar, Rayssa começou a enfraquecer e perder o pulso, em tese, estava morrendo. Finalmente, em seus primeiros cinco minutos de vida, Rayssa Ivanov, agora Alekseev, passou desta para uma melhor.
Como todo marido, Mikhail ficou completamente arrasado e deprimido. Ficou totalmente sem chão, chorava loucamente pela morte de sua amada, e imediatamente foi tomado pelo rancor. Entretanto, quando pela primeira vez que viu o rostinho de sua primeira filha, seu ódio foi totalmente retalhado por aquela pequena criatura chorona, e um sentimento de amor e cuidado floresceu, jurando cuidar de sua pequena anja Natasha Alekseev para sempre.
Como uma família de pai solteiro, eles viviam em uma total e perfeita paz. Para se sustentar, seu pai abriu uma cafeteria, que em pouco tempo fez sucesso por conta da boa comida e ótimo atendimento, dando a família uma ótima condição financeira. Além disso, seu pai lhe ensinou vários dons culinários, assim, Natasha conseguia ajudar com a cafeteria de seu pai em seu que não estava na escola. Era uma criança feliz e saudável, já atraia vários olhares e amizades por onde passava, seu pai era carinhoso e presente em sua vida, era uma das melhores alunas de sua sala, enfim, sua vida era completamente perfeita.
Entretanto, a felicidade é efêmera e como água, escorre por entre nossos dedos.

Em meados de seus onze anos, ocorreu o pior ato já presenciado.
Ela e seu pai andavam pela feirinha de Moscou para comprar ingredientes para a cafeteria. Passando por perto de um prédio em construção, conversando distraídos, não viram a barra de metal caindo. Por impulso, Mikhail empurrou Natasha e o grande objeto de metal caiu em sua cabeça, resultando em um traumatismo craniano.
Depois de muitas horas agonizantes de espera, finalmente saiu o resultado médico. Mikhail já estava bem e até estabilizado, entretanto, a consequência foi algo muito pior que a própria morte: Mikhail estava em estado de coma.
Aquilo simplesmente rachou o coração de Natasha. Passou dias e dias chorando sem parar, se culpava pelo coma de seu pai, soluçava, clamava por salvação de seu pai. Neste meio termo, teve que fechar temporariamente a cafeteria até que seu pai saísse do coma. Depois de muitos e muitos processos envolvendo direito, Conselho Tutelar e burocracia, finalmente o juiz deu a ordem final: Natasha teria de morar com a avó até seu pai voltar ao estado de consciência ou no pior dos casos, a morte.
Vânia Ivanov não era a melhor senhora do mundo. Era egocêntrica, porém muito refinada. Por ter nascido de origem aristocrata, tinha a educação de uma dama, porém o coração podre. A mesma nem ligava para os sentimentos da pequena Natasha, a educava com as mesmas técnicas que foram utilizadas em sua infância. A vida lá era um inferno, sua avó não a deixava brincar com as outras crianças na rua, jogou fora todos os seus brinquedos, resumidamente: estava destruindo a infância da azulada.
A única coisa boa naquele casarão grande e frio era único filho de sua empregada particular: Yves Nikulin. Conheceram-se no primeiro dia de estadia de Natasha na mansão, quando foi entrar, quem atendeu a porta não foi um mordomo adulto ou uma empregada, e sim um belo menino de olhos azuis, cabelos branquinhos e pele clara. A Alekseev achava estranho o fato de ter outra criança trabalhando lá, mas pelo menos não ficaria sozinha. Durante uns dias na mansão, puxavam assunto um com o outro, falavam sobre brinquedos, gostos, programas de TV, hobbies e etc. Até que em pouco tempo viraram amigos, os melhores amigos.
Todo seu crescimento foi acompanhado por Yves e Lara, mãe do mesmo. Era comum que Yves a levasse na escola, brincasse com ela de pega-pega ou esconde-esconde pelos jardins do casarão, conversarem, verem filmes, até dormirem juntos quando Natasha tinha algum pesadelo. Descobriu um dia que seu melhor amigo patinava no gelo, e que já havia participado de inúmeros campeonatos e ganhado vários troféus e prêmios. Interessada, Natasha fez uma troca, que ela ensinaria Yves a cozinhar e o albino a ensinava a patinar no gelo. Como sempre aprendeu muito rápido, logo aprendeu a patinar como ninguém, criando a “dupla imbatível” dos patinadores, ganhando vários campeonatos juntos e apresentando.
Tudo andava em mais perfeita harmonia, até seus 15 anos.
Durante este período, Natasha percebeu uma drástica mudança na vida do amigo. O Nikulin já não era mais tão animado quanto antes, andava cada vez mais fraco, já não sorria com facilidade e se cansava muito facilmente. Natasha não sabia o que diabos estava acontecendo com o amigo, porém isso a preocupava bastante.
Em uma vez, enquanto patinavam, teve um momento que o albino já nem aguentava ficar sobre as pernas nos patins, e toda vez que levantava, caia no chão. Era estranho, até porque Yves quase nunca caia dos patins, era raro, e ainda por cima cair inúmeras vezes. Natasha convenceu o Nikulin a dar uma pausa, e assim que saíram da pista, o albino caiu no chão, inconsciente.
Levou-o correndo para o hospital público, onde foi colocado direto para a UTI. Depois de vários exames feitos, outro relatório foi feito: Yves Nikulin estava diagnosticado com tuberculose óssea de grau grave. Por sorte, a doença tinha cura, porém seu tratamento era muito caro, mais caro do que Lara Nikulin podia pagar.
Tentou em uma tentativa falha, convencer sua avó a pagar o tratamento, mas ela não ligava. Por mais que implorasse, chorasse, gritasse, esperneasse, mas nada dava certo, Vânia continuava não ligando. Esse dia fora a primeira vez que saiu de seu modo controlado, e começou a explodir, chegando a chamar a própria avó de “vadia”.
Yves foi transferido para o hospital público. Por conta da má tecnologia e recursos do hospital, o albino não receberia nenhum tipo de tratamento, apenas ficaria lá para ver se conseguia ter alguma melhora. Natasha estava já perdendo as esperanças da melhora, assim como o mesmo também estava. Vendo o quanto sua amiga e sua mãe sofriam por sua culpa, o albino finalmente tomou uma decisão.
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
Chegou o mais rápido possível no hospital St. William. Havia recebido há pouco tempo uma ligação no hospital, dizendo que Yves queria vê-la o mais rápido possível.
Chegou no quarto 324, na área de UTI. Observou pela janela do quarto o albino, dormindo tranquilamente em sua cama branca. Abriu a porta com muita delicadeza, para evitar que o albino acordasse.
Próxima da cama branca, Yves conseguiu sentir a presença humana perto de si. Lentamente, abriu os lindos olhinhos azuis, observando atentamente a azulada em sua frente.

-Oi Tasha. – chamou o albino.
-Oi Vee. Soube que queria falar comigo, alguma coisa de errado?- perguntou preocupada.
-Eu mentiria se dissesse que sim. – riu com o comentário do albino.
-Sabe que em qualquer problema pode contar pra mim. Estarei sempre aqui ao seu lado. – respondeu com um sorriso no rosto.
-Espero que esteja mesmo, até mesmo se eu não estiver aqui. – respondeu Yves, vendo o sorriso no rosto da azulada desaparecer.
-O que você quer dizer com isso?- perguntou muito mais preocupada.
-Eu quero praticar a Ortotanásia. – respondeu Yves com uma calma muito estranha.
-Y-Yves, m-mas o que...? – gaguejou a Alekseev.
-Por favor, não comente nada. - pediu o garoto.
-Mas o que houve? Estava tudo indo tranquilamente. Os médicos disseram que você progrediu muito e... – tentou responder, porém foi interrompida.
- Esse é o problema Natasha. - respondeu seriamente, preocupando a azulada. Yves apenas a chamava de Natasha quando era algo muito grave – Eu vivo progredindo, mas nunca vou melhorar. Poderia passar o resto da minha vida no hospital, numa cadeira de rodas, tomando um tanto de remédios e drogas diferentes, dependeria de alguém para tudo, nunca mais ficarei de pé, a vida seria horrível. E o pior, você e ficariam sofrendo muito.
-Yves... - chamou.
-Eu não aguento mais isso. Pensa que eu não ouço você e mamãe chorando do lado de fora do quarto? De suas conversas com os médicos? Acha que eu não soube do escândalo que você deu com senhora Ivanov outro dia desses? É disso que eu falo. – respondeu, começando a marejar– Não consigo viver sabendo que você e sofreriam.
-Eu sofreria mais se você morresse. – começou a chorar- Você é meu melhor amigo e sempre será. O que eu faria da vida se você fosse embora?
-Seguiria com sua vida. – respondeu serenamente - Continuaria estudando muito, entraria numa faculdade de gastronomia, continuaria seguindo a patinação e ganhando vários campeonatos, conhecerá o cara ideal para você, se casariam numa linda cerimonia no inverno, viajariam em lua de mel para Fernando de Noronha no Brasil, teriam duas filhas chamadas Annelise e Kira, e um pequeno menininho chamado Yuri, ao todo, um Husky siberiano chamado Luke, um gato angorá chamado Panqueca, o pequeno coelhinho de Yuri chamado Pompom de Algodão, morariam em uma casa perto de um subúrbio, envelheceriam, teriam netinhos e por fim, morreriam juntos.
-Nenhuns desses sonhos de crianças seriam os mesmos se você não estivesse lá para presenciar. – disse a azulada, já sentindo as pesadas lágrimas escorrerem por sua bochecha.
-Eu ainda presenciarei Tasha. Estarei sempre ao seu lado, no que der e vier, apenas se você cumprir com a sua palavra. – disse sorrindo tristemente.
-Mas... - tentou falar, e foi interrompida de novo.
-Olhe nos meus olhos Tasha. Prometa isso olhando diretamente para mim. Prometa que seguirá com sua vida sem olhar para trás, que será feliz e livre, que conhecerá diversos locais e pessoas novas, que voará por esses céus um dia. Eu lhe imploro, viva sua vida Natasha. – implorava o albino, já chorando.
-Yves... - chamou-o pela segunda vez.
-Você me promete isso?- perguntou.
-Sim, sim eu prometo. – respondeu em meio aos soluços, rodeando os pequenos braços em torno do albino, formando um abraço sofrido.
-Eu te amo e sempre amarei pra sempre Tasha. – disse serenamente, correspondendo ao abraço, depositando um beijo na testa de Nat.
-Também te amo e sempre amarei Vee. – respondeu, chorando em seu peito.
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
E aquela foi à última vez que conversaram.



ƑαмίƖια



Higor Alekseev.
Pai.
41 anos.
Vivo.
Anjo.
Cozinheiro.

『Higor sempre fora um homem muito bom e honesto. Sempre com um sorriso gentil no rosto, era um homem de muitos amigos, por conta de seu grande carisma. Um pai muito amoroso e carinhoso, sempre muito cuidadoso e amoroso com sua unigênita, presente em quase todos seus eventos escolares ou se for para levar a filha na escola. Por mais que tenha passado quase a infância inteira da filha longe dela, se esforça ao máximo para preencher todos os bons momentos que perdeu.』



Rayssa Alekseev.
Mãe.
22 anos (idade de morte).
Falecida.
Humana.
Cirurgiã.

『Pode se dizer que era a moça mais bonita e rica da região. Muito gentil e carinhosa, diferente de sua mãe, era conhecida por sua humildade e por seu bom coração. Uma mulher que todos os homens querem na vida e que todas as outras se corroem de inveja. Era também considerada uma mulher bem animada, em sua época jovem gostava de sair escondida para festas ou raves, entretanto sabe muito bem ter bons modos quando é preciso.』



Vânia Dostoievski.
Avó Materna.
81 anos (idade da morte).
Falecida.
Humana.
Aposentada.


『Crueldade é o que se refere à Vânia. Era uma mulher arrogante e desprezível, extremamente calculista. Não pensa em ninguém, apenas nela mesma. Criada em uma família de ricos, com eles aprendeu boas maneiras, e as ensinou para sua neta Natasha. Qualquer um que “não chegasse aos seus pés” era apenas um verme para a sociedade. Era uma mulher também muito manipuladora, usando a desculpa de “senhorinha idosa” para conseguir o que quer dos outros.』



Yves Nikulin.
15 anos (idade da morte).
Melhor amigo, vulgo meio-irmão
Falecido.
Humano.
Estudante.


『Uma das pessoas mais importantes na vida de Natasha. Um colegial gentil e animado, sempre feliz e alegre, uma pessoa com a grande capacidade de interação social. Pode se dizer que também era um pouco "pervertido", gostava de provocar Nat com esses assuntos sexuais e piadas de duplo sentido, mas nunca seriamente. Muito carinhoso com aqueles que se importavam, cuidando e se preocupando sempre com Natasha ou com sua mãe Lara. Era daqueles tipos de caras que todas as garotas se interessam, mas nunca se interessa por ninguém, por conta de apenas ter os olhos para sua melhor amiga. Era um ótimo patinador, conhecido por nunca perder um campeonato, o mesmo ensinou Natasha a patinar. A azulada sente muito, mais muito mesmo a falta dele, faria de tudo para poder vê-lo de novo.』




Lara Nikulin.
35 anos.
Viva.
Humana.
Empregada.

『Lara é considerada a mãe que Natasha nunca teve. Uma mulher muito doce, sempre gentil com todos que conhece. É uma ótima empregada, sempre segue a ordem de seus patrões e faz tudo com muito capricho. Pode ser considerada uma mulher meio tímida e recatada, tem muita dificuldade em fazer novos amigos, entretanto consegue se abrir com os mais antigos. Mãe solteira de Yves Dmitry, sempre carinhosa e preocupada com seu filho. A albina sempre gostou bastante de Natasha, ganhando total confiança da mesma. Pode se considerar uma mulher meio deprimida e chorona, por conta de vários acontecimentos de seu passado.』



ƤєяѕσηαƖιɗαɗe



Ɠσѕtα

Patinar Realmente é o seu esporte favorito. Desde que tinha apenas 9 anos aprendeu a patinar e desde então, nunca mais parou.



Locais Calmos Gosta muito de locais sem qualquer tipo de barulho. Isso a tranquiliza quando está estressada e também dar-lhe concentração quando está desatenta.



Chá Aprecia muito o doce e suave gosto do chá. É uma das suas únicas bebidas quentes favoritas.



Frio/Inverno Para a azulada, é a melhor estação do ano. Não só por conta de ser a melhor época para patinar, mas sim uma estação agradável e relaxante, perfeita para ficar perto daqueles que importam para ela.



Música Grande parte da sua vida se resume em música, é comum encontra-la com fones de ouvido enquanto lê um livro ou então quando patina. Seus gêneros favoritos são clássicas e algumas melódicas, e sinceramente não aprecias gêneros fortes como heavy metal ou rock muito pesado.』



Cozinhar Uma de suas paixões. Sempre foi muito boa na área de gastronomia, sabe cozinhar de todo o tipo de comida, seja lá o que for. Geralmente, ela mesma gosta de preparar suas próprias refeições, além de também gostar de cozinhar para outras pessoas.



Vento É sempre bom sentir aquela brisa suave e geladinha batendo em seu rosto.



Jardins É o melhor lugar do mundo para Natasha. Sempre gostou muito de flores e de plantas, do contato com a natureza. Isso a faz se sentir mais viva.



Desafios Simplesmente A-M-A ser desafiada por alguém. É de uma pessoa que nunca recusa um desafio, independentemente do desafio. Quando joga verdade ou desafio é daqueles que enquanto todos são obrigados a escolherem desafio, eles tem que implorar para ela pedir verdade.



Caminhar Um de seus hobbys preferidos.



Tocar piano Aprendeu a tocar piano com seu pai desde seus cinco anos, quando ainda era uma criancinha. Mesmo quando passou sua temporada na casa de sua avó, a mesma a incentivou a tocar, desde então, tem uma paixão muito grande por este instrumento.



SorveteÉ completamente e inteiramente viciada em sorvetes.



Comida japonesaDesde que se mudou para o Japão, simplesmente amou a comida japonesa. É algo muito novo para ela.



Livros É uma devoradora de livros. Consegue lê-los em menos de uma semana, independentemente das páginas. Gosta bastante de livros didáticos e de ficção científica.』



EstudarSempre foi uma mulher muito comprometida com os estudos. Suas matérias favoritas são as áreas de humanas.



Abraçar Sentir o calor humano de alguém contra o seu é uma das melhores sensações para Nat.



CantarSempre teve uma paixãozinha pelo canto. Gosta muito de cantar suas músicas favoritas enquanto toca piano, é um de seus passatempos. Em geral, possui uma voz bem bonita e angelical.』





Ɗєѕgσѕtα:


Calor Não vê a necessidade do calor existir. Só de ficar suada como rosto oleoso já fica com calafrios.



Festas É muito barulho, muitas pessoas, muito escuro, muita perversão, muito abafado, muito ruim.




Álcool Natasha é muito fraca com o álcool, só de beber um pouquinho já fica muito bêbada. Para ela, o sabor é muito forte e ainda sim é ruim.



Café Igualzinho ao álcool, o gosto é muito forte, e mesmo com açúcar, ainda fica ruim.




Barulho Fica muito desconcentrada em locais barulhentos, além de dar-lhe dores de cabeça.



Ficar nervosa ou com raiva Odeia ficar nervosa ou com raiva, principalmente perto de outras pessoas. Por conta de sua mania, fica com vergonha quando perde a calma.



Estressar Creio que ninguém neste mundo gosta de se estressar, uma das pessoas é Natasha.




Pessoas dramáticas Simplesmente odeia pessoas muito dramáticas. Daqueles tipos que por tudo já estão dando piti, me poupe!



Pessoas Falsas Ela abomina a falsidade e os falsos. Principalmente quando eles se aproveitam de sua bondade e depois de esfaqueiam por trás. Irá ficar longe deste tipo de pessoas.



Ficar envergonhada Se sente muito inferior quando fica corada na frente das outras pessoas.



Perversão Por conta de sua criação, tudo relacionado ao sexo e coisas parecidas são tabus. Fica meio desconfortável na presença de alguém pervertido ou de piadas pervertidas.






Ʋίcισѕ

Sorvete É completamente viciada em sorvetes. Não resiste quando vê um carrinho ou uma sorveteria, tem que comprar um. Ela ama todos os sabores, mas sua preferência é o de flocos.





Ɗσєηçαѕ

Alergia Ela é totalmente e completamente alérgica quase mortal à mostarda. Só de ingerir uma pequena quantidade, sua pele fica toda empipocada com a pele cheia de manchas, suas bochechas incham, sua pele coça e ela não para de espirrar.





Hσввιєѕ

Patinar Principalmente quando está frio. Geralmente em seu tempo livre, vai para uma espécie de ringue na faculdade e fica patinando livremente.



Ler Como já dito antes, é uma devoradora de livros.



Estudar Um dos principais motivos de sua inteligência.



CozinharFoi esse mesmo hobby que a levou a escolher seu curso.



Caminhar Gosta muito de fazer caminhadas. É um ótimo exercício e ótimo para aliviar o estresse do dia a dia.



Tocar Piano É muito comum vê-la na sala de música tocando seu piano.



Cantar Costuma cantar enquanto toca seu piano






ƬαƖєηтσѕ

Culinária Tem a boa capacidade de culinária, além de possuir um paladar muito apurado. Várias pessoas gostam muito da sua comida e a mesma adora cozinhar para elas.



Patinação É uma ótima patinadora. Ganha quase todos os campeonatos.



Musicista É uma incrível pianista, sua agilidade com as mãos para alcançar cada nota com perfeição é muito admirável, além de possuir uma belíssima voz para acompanhar



Flexibilidade Uma recompensa por conta dos vários anos de patinação. Seu corpo é muito elástico, dando à capacidade de fazer saltos com bastante facilidade





Mαηιαѕ

Bufar Quando se sente irritada com algo ou com alguém, geralmente dá uma bufada de leve.



Revirar os olhos Resultado de ouvir alguma pergunta ou resposta idiota vinda de alguém.



Arquear a sobrancelha Natasha quando se mostra desafiadora, tem o costume de arquear apenas a sobrancelha esquerda.



Arrumar o cabelo Por conta da vaidade, seus cabelos sempre tem que estar bonitos. Geralmente passa os dedos para desembaraçar ou dá uma leve bagunçada movimentado a cabeça.



Limpeza Tem muito a mania de limpeza. Simplesmente surta quando algo está fora do lugar, sente que se não arrumar vai enlouquecer.



Gritar em russo A mania que menos gostaria de ter. Quando está muito, mas muito nervosa, a ponto de explodir, esbraveja gritando xingamentos e coisas do tipo em russo.



Chorar com raiva Além de gritar em russo, quando está com raiva começa a chorar.





Mєɗσѕ

Serras Elétricas Em uma vez na Rússia, meados de seus 13 ou 12 anos, Natasha e Yves viram o filme do massacre da serra elétrica, desde então, possui esse medo.



Escuro Creio que quase todo mundo tem medo de escuro, incluindo Natasha.



Altura Explicado em "traumas".


Membros do Submundo Outro de seus traumas.



Pombos Não tem explicação o porquê Nat tem medo de pombos, simplesmente costuma sair correndo quando vê um pombo.





Ƒσвιαѕ

Pombofobia Medo de Pombos.



Monofobia Medo de ficar sozinha.





Ƭяαυмαѕ

Altura Quando fez 10 anos, ela e seu melhor amigo Yves decidiram brincar de esconde-esconde. Enquanto o albino contava, Natasha escalava numa árvore para se esconder. Entretanto, quando ficou na copa da árvore, um galho da árvore encravou em seu braço e o cortou, resultando em sua cicatriz, e quando foi tentar tirar, acabou caindo da árvore. Se não fosse por Yves ter amortecido sua queda, a mesma poderia estar morta. Desde então, evita a altura o máximo possível.



Membros do Submundo Quando era pequena, como explicado na "História", sua casa foi atacada por membros do Submundo, tais como Vampiros, Lobisomens, Espécies de Demônios, Feiticeiros etc. Desde então, tem muito medo deles (até mesmo quando descobriu que o par era vampiro).





Sєgяєɗσѕ



Ninguém nunca soube de Yves ou mesmo de seu passado. Desde que se mudou para o Japão, nunca tocou no assunto. Por mais que use o colar dele por tudo quanto é canto, nunca contou para ninguém sobre a existência dele. Sempre que perguntam "De quem você ganhou esse colar?", ela sempre responde "Foi do meu pai quando eu fiz 16 anos".



Sσηнσѕ

Casamento Seu maior sonho. Sempre quis saber como é a sensação de subir ao altar, de vestido branco, prestes a se reunir com a pessoa que ama pelo resto da eternidade.



Ser campeã mundialmente conhecida Esse na verdade era o sonho de seu melhor amigo. Desde sua morte, virou um de seus objetivos.



Ver Yves novamente Por mais que saiba que é impossível rever os mortos novamente, esse seria seu maior sonho. Nem que seja vê-lo apenas por alguns minutinhos.




Qυє cυяѕσ єѕtυɗα ηα fαcυƖɗαɗє?

Gastronomia.



A gastronomia sempre foi uma grande paixão sua. Pretende continuar seguindo a mesma carreira que seu pai, e ainda ser conhecida que nem o mesmo. Já sabe fazer quase todo o tipo de comida, seja japonesa, italiana, doce, salgado, enfim. Desde pequena já tinha essa ideia de que curso faria quando entrasse na faculdade. Seu maior interesse é poder um dia, abrir seu próprio negócio, e que lucrasse bastante.



Ƈσмσ cσηɗυz σѕ єѕtυɗσѕ

Por conta de ser a matéria que mais gosta, Natasha é considerada a melhor em sua turma. Mesmo não prestando tanta atenção assim nas aulas, se sai sempre muito bem. Gosta de estudar essa matéria, além de já possuir o conhecimento básico sobre a área. É daqueles tipos de aluna certinha, entrega sempre os trabalhos e deveres de casa na data exata, e ainda faz trabalhos a mais para conseguir créditos extras. Grande parte do seu tempo se resume em estudo, fica muito estressada e frustrada quando não consegue arrumar um tempo para os estudos.



Ƥαя

Ayato Sakamaki.





RєƖαçα̃σ cσм σ ραя



Pode se dizer que grande parte da vida de Natasha mudou após começar a se envolver com o par, de uma maneira incrivelmente boa.

No começo, como óbvio, nem Ayato nem Natasha ligavam para a existência do outro. Eram muito comuns os dois se esbarrarem por aí ou se encontrarem em vários lovais, ainda assim, nenhum dos dois se preocupava em tentar puxar assunto ou se conhecerem melhor. O único motivo disso tudo era: ambos não conseguiam se ver tendo algum tipo de relacionamento um com o outro. Ayato sempre teve certa irritação por conta de Natasha ser considerada “princesinha perfeitinha”, enquanto Natasha o via como “recipiente de confusões”, por conta de sua fama de “garoto problema”, além da grosseria e possessividade.

Começaram a se aproximar por conta de certa “curiosidade” que ambos tinham um sobre o outro. O que despertou esse sentimento foi o fato de ambos viverem se encarando. Sempre que se encontrava, lá estavam os dois, se comunicando através de suspiros e olhares. Aquilo sempre parecia durar uma eternidade: os dois trocavam olhares, se encaravam, desviavam e depois voltavam. De vez em quando, o Sakamaki acabava soltando um sorriso, que dependendo do nível de malícia, fazia a azulada erguer a sobrancelha ou apenas ficar sem graça.


A primeira vez que se conheceram fora no final do treino de basquete de Ayato. Enquanto saia de seu treino, o ruivo estranhamente ouviu uma música vinda do ringue, o que era gozado, por conta de não haver treino de hóquei naquele momento. O mesmo decidiu investigar e ver o que diabos estava acontecendo. Até que finalmente achou alguma alma viva, entretanto, não conseguiu distinguir quem era direito por conta de ficar hipnotizado pela cena que vira.


"Os olhos verdes do Sakamaki seguiam a azulada na medida em que ela se movimentava pelo ringue. Uma musica que o mesmo já conhecia tocava como fundo daquela apresentação. Natasha deslizava livremente pelo gelo, fazendo vários movimentos graciosos e ao mesmo tempo cheios de energia assim dizendo.

-Wow.- Uma única palavra saiu dos lábios do ruivo, que os mesmos formavam um pequeno e perfeito “o” com a boca.

Assim que a música cessou, finalmente Natasha percebeu que não estava mais sozinha. Ofegante, a de olhos verde-água virou a cabeça ao encontro com o ruivo. Um silêncio desagradável começou, até que foi cortado pelo ruivo.

- O que você fez é... incrível. – disse o ruivo com certa indiferença.

-Ah.... Er....Obri-obrigada...- disse Natasha um pouco corada por terem a visto patinando.

- Ainda não te conheço, como se chama?- perguntou.

-Em geral, quando uma pessoa pede o nome da outra, quer dizer que talvez queira começar uma amizade.- rebateu a azulada, desafiadora

-Talvez eu queira mesmo começar uma amizade com você, ou talvez algo mais.- respondeu, provocando a com um sorriso malicioso no rosto.- Sou Ayato Sakamaki, sou do curso de Educação Física e jogo basquete, e você Paddo-Chan?

-Me chamo Natasha Alekseev, sou do curso de Gastronomia e patino. Alias, por que me chamaste de “Paddo-Chan”?- indagou a azulada.

-Se quiser mesmo saber eu explico detalhe por detalhe.- respondeu o ruivo, vendo-a bufar e corar por conta de finalmente ter entendido o recado.




Mesmo logo após terem se conhecido, Natasha ainda não mudou sua opinião sobre o ruivo: ele ainda era grosso, problemático e ainda por cima insistente. O mesmo não tentava forçar a amizade com a azulada, mas ele era muito insistente neste assunto. Vivia quase sempre perseguindo-a, sempre que a via só faltava fazer escândalos. O mesmo começou também a se mostrar muito ciumento e possessivo em relação à Natasha, segurava sua mão quando andava com ela, abraçava-a pela cintura e já chegou a bancar seu namorado quando chegou um garoto com interesses na azulada. Isto sempre a irritou muito, pelo simples fato da mesma não querer se aproximar do ruivo e ele ainda achava que ela era sua propriedade. Todas as suas tentativas de se aproximarem do ruivo eram em vão, por mais que brigasse com o mesmo, ele sempre voltava.



O único motivo de Nat nunca querer nada com o Ayato, é porque a mesma morre de medo de ser abandonada novamente. Ela SIM quer se aproximar do ruivo, porém ela pensa que vai ser abandonada, portanto prefere se afastar para evitar de sofrer.O ruivo percebe essa preocupação vinda da azulada, por isso começou a ser mais carinhoso e amigável com ela. Natasha reagiu um pouco estranha aparentemente, com essa mudança de comportamento do ruivo, mesmo tentando se afastar, a vontade de ficar mais perto do ruivo foi aumentando drásticamente, a ponto de não conseguir mais esconder isso do Sakamaki e finalmente criar coragem de contar sobre o seu passado. Após ouvir isso, percebendo que Natasha havia desabado no ruivo, ele finalmente conseguiu enxergar o lado sensível e frágil que Nat tinha após aquela longa camada de frieza.



Com isso, ele redobrou o carinho que tinha com a azulada, sendo muito mais cuidadoso com ela. Tratava-a como uma boneca de porcelana, sempre sensível e tendo muito cuidado ao dizer ou fazer alguma coisa para evitar que isso a machuque. Com isso, Natasha também mudou seu comportamento com o ruivo, começou a ser mais aberta com o mesmo, já conseguia dar mais risadas das piadas e brincadeiras do Sakamaki. Ele não mudou nada da sua personalidade ainda, era sempre mimado e narcisista, nunca parando de deixar de chamar a si mesmo de “Ore-Sama”, coisa que deixa Natasha meio irritada. Ele também abriu mais seu lado pervertido com ela, fazendo suas piadas e provocações de duplo sentido, fazendo-a repreendê-lo quase sempre.



Outra coisa que Ayato Sakamaki gosta muito na menina é o fato da mesma saber tocar piano. Gosta muito, mais muito mesmo de vê-la tocando, quase tanto como ama vê-la patinar. Geralmente, quando está em seu tempo livre, costumam invadir a sala de música para que Natasha possa tocar. De vez em quando, ela tenta ensinar algumas notas ou músicas para que o ruivo tente tocar, e mesmo que ele não consiga, se diverte muito tentando ensiná-lo. Também outra coisa que gostam de fazer juntos é estudarem. Por conta do ruivo não ser tão bom nem apegado aos estudos, faz com que Natasha sempre o ensine. Em épocas de provas e coisas parecidas, costumam estudar juntos. É como se Natasha fosse a professora particular de Ayato, tirando a parte do particular.



Logo, Natasha finalmente descobriu o que é se sentir apaixonada. E aquilo era uma tortura. Toda vez que ficava mais perto do Sakamaki, ficava mais corada. Quando acordava, pensava nele, quando ia dormir, pensava nele, queria que os momentos com ele nunca acabassem, e ainda por cima: sentiu pela primeira vez vontade de beijar Ayato. A mesma coisa aconteceu com o ruivo, mesmo sabendo que não acabaria nada bem. Nem precisaria de uma bola de cristal para saber que KarlHeinz não aprovaria nada do comportamento de seu filho, mas ele não estava mais ligando para isso, apenas queria ficar ao lado da garota que amava.



Ela ainda seria muito insegura em relação a certos “atos”. Pelo fato de nunca ter tido nenhum tipo de relacionamento com ninguém, a coisa seria muito desengonçada. Se por algum acaso, ambo se beijassem seria uma confusão de sentimentos. Natasha ficaria muito desengonçada e envergonhada por ser seu primeiro beijo, ainda assim, seria muito amoroso e ao mesmo tempo intenso, será um ato de muito carinho e ainda seria bem lento, deixando o momento totalmente inesquecível.



Visitar o dormitório um do outro ficou extremamente normal. Ambos de vez em quando, dormiam no dormitório um do outro. Na primeira vez que dormiram juntos, Natasha ficou com tanta vergonha que precisaram improvisar uma cama para o ruivo. Porém, com o tempo, passou a se acostumar a dormir abraçada ao ruivo.



Ambos também sempre têm muitas brigas. Como já dito antes, Natasha odeia muito essa possessividade do Sakamaki, fazendo-a de vez em quando perder o controle. Como óbvio, ficariam um tempinho bem curto sem trocarem uma palavra com o outro, porém depois,ambos esqueceriam da briga e voltariam a ser como são, porque nenhum dos dois consegue ficar muito bravo um com o outro.



(O poder do resto do relacionamento com o par está em mão das autoras, usem com muita sabedoria).



RєƖαçα̃σ cσм σѕ мєηιησѕ

Shuu Sakamaki
Uma relação até muito boa, digamos assim. Shuu agradece muito mesmo o fato de Natasha ser muito calma e quieta. Os dois gostam bastante de música, portanto tem bastante papo um com o outro. Ficam bastante tempo um com o outro, porém a maior parte do tempo estão em silêncio, se comunicando apenas através de suspiros, nada tão constrangedor, mas algo agradavelmente bom. O loiro gosta de ouvi-la tocar piano quando a mesma visita a sala de música.



Reiji Sakamaki Talvez seja o Sakamaki o qual tem mais proximidade com Nat. Ambos possuem gostos muito parecidos, dando a eles muita coisa para conversar. Reiji aprecia a educação e a organização da azulada, vendo que a mesma não costuma falar palavrões nem quebrar as regras. O que Natasha mais gosta em Reiji é o fato dele entender muitas coisas que ela fala, por conta das expressões e do seu vocabulário muito avançado. A amizade dos dois é muito irritante para o ruivo, sempre que os vê juntos, sempre tenta arrumar alguma maneira de conseguir a atenção de Natasha para si.



Laito Sakamaki Uma das coisas que Natasha não pode negar é o quão lindo é esse Sakamaki. A primeira vez em que se viram foi por conta de Ayato, e ainda assim, Laito não foi bonzinho. Sempre que solta alguma piada ou provocação pervertida para Natasha, ela costuma repreendê-lo ou colocar a mão em sua boca, ficando muito vermelha. Tirando sua parte pervertida, Natasha gosta bastante de Laito. Causando muita raiva em Ayato, o ruivo costuma abraçá-la ou pegar na mão dela na frente de Ayato só para provocar.



Kanato Sakamaki Pelo contrário das outras noivas, Natasha não tem medo de Kanato. Por mais que o mesmo tenha suas crises e viva gritando, não consegue ter medo dele, acha ele fofo demais. Em geral, costuma fazer doces para o mesmo ou deixar seu coelhinho junto com o Teddy. Ainda sim, fica com um pouco de medo dele quando se mostra muito sádico.



Subaru Sakamaki Também são muito próximos um do outro. Subaru várias vezes já explodiu com Natasha, e ainda sim, ela não se desaproxima dele. Quando ele tem alguma explosão, Nat costuma acalma-lo e aconselha-lo. São bastante amigos, por mais que ambos sejam sempre muito calados.





RєƖαçα̃σ cσм αѕ συтяαѕ мєηιηαѕ



MєƖhσя αмιgα

Natasha é a melhor amiga da noiva do Laito e do Reiji.



Mύѕιcαѕ

ƊєƖα:



Mostrar Spoiler: Iridescente


Quando você estava em pé no meio da devastação
Quando você estava esperando na beira do desconhecido
E com o cataclisma desabando
Chorando por dentro: "Salve-me agora"
Você estava lá e possivelmente sozinho

Você sente frio e perdido em desespero
Você constrói a esperança, mas o fracasso é tudo que você conheceu
Lembre-se de toda a tristeza e frustração
E deixe ir
Deixe ir



Ƈσм σ ραя:



Mostrar Spoiler: Enquanto nós sangramos.


Eu estou nua
Eu estou entorpecida
Eu sou burra
Eu vou ficar
E se o cupido tem uma arma, ele está atirando

Luzes negras
Cabeças batendo
Você é a minha droga
Nós vivemos isso
Você está bêbado, você precisa disso
Amor de verdade, eu vou dar isso

Então nós somos feitos para ficar juntos
Nós bebemos a gota fatal
Então amamos até sangramos
Então nos separar em partes




Ƒяαѕєѕ qυє α ɗєfιηєм

"Nem sempre a frieza é apenas encontrada no inverno."

"A única coisa que nos une é a dor."

"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas." (O Pequeno Príncipe)




Rєαçα̃σ ασ ɗєѕcσвяιя qυє є́ υм αηנσ

É muito obvio que não vai acreditar. Vai ficar muito confusa, com aquele imenso quebra-cabeças que viajava por sua mente. Logo, vai pensar em alguém além dela: Yves. Se anjos existem, Deus também existe, se existe Deus, existe o céu e o inferno. Portanto, vai ficar muito ansiosa ao mesmo tempo muito nervosa. Será que ele foi para o céu? Será que ele também virou um anjo? Será que há possibilidade de vê-lo novamente? Essas perguntas irão ser muito estressantes para a vida da azulada.



Rєαçα̃σ ασ ɗєѕcσвяιя qυє σѕ мєηιησѕ ѕα̃σ ναмριяσs

É claro que seria fisicamente impossível haver a existência de vampiros, portanto primeiramente vai pensar que é algum tipo de piada ou pegadinha sem graça, mas quando cair a ficha vai ser :medo, medo, MEDO! Simplesmente vai ficar morrendo de medo. Depois de certo trauma de sua infância, morre de medo de qualquer tipo de membros do submundo, portanto vai ficar na defensiva. Começara a se afastar um pouco mais dos meninos de inclusive de seu par, por conta do medo. Mas depois de um tempo, vai ficar tudo bem e talvez até perder um pouco do medo que tinha deles.



Rєαçα̃σ ασ ѕє αραιxσηαя ρσя ѕєυ ιηιмιgσ

Vai ficar muito estressada sinceramente, até conseguir colocar tudo de volta no lugar da sua cabeça. Não admite por nada nesse mundo que está apaixonada por seu inimigo, principalmente por um vampiro! Ao mesmo tempo, fica com aquela boa sensação de quando se está apaixonada, de querer ficar cada vez mais próxima de seu amor ou se sentir tão feliz estando perto dele. Ao mesmo tempo, ficará muito ansiosa, milhões de possibilidades e expectativas fluirão na sua cabeça, incluindo seu sonho de se casar. Entretanto, ainda ficará com um pequeno receio de ser abandonada, pois todos aqueles que ela amava, um dia desaparecem de sua vida.



Rєαçα̃σ ѕє ѕυαѕ ιямα̃ѕ ɗє fяαтєяηιɗαɗє ѕє νιяαѕѕєм cσηтяα єƖα

Inconformada é o termo correto a se dizer. Ficaria completamente inconformada pela falta de fidelidade e lealdade de suas irmãs de fraternidade. Ainda acharia um pouco idiota se pensar por um lado: por que, em sã consciência, suas irmãs iriam acolhe-lá para depois a trair? Também ficaria muito triste, porque talvez tentou se aproximar delas e no final aconteceu como sempre: ela seria abandonada.



Ʋσcє̂ αcєιтα qυє ѕυα ρєяѕσηαgєм єѕтά єм ησѕѕαѕ мα̃σs

Yep 'u'



Sαвє qυє ѕє ηα̃σ cσмєηтαя ρσя тяє̂ѕ cαρίтυƖσѕ єƖα ѕσмє?

É claruh. ;v;








































Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...