~tayfofanms

tayfofanms
Metralhadora de corações
Nome: Taynã Silva
Status: Usuário Veterano
Sexo: Feminino
Localização: São Paulo, São Paulo, Brasil
Aniversário: 26 de Setembro
Idade: 22
Cadastro:

Frases & Parágrafos - Escreva as cenas como um todo


Postado

Frases & Parágrafos - Escreva as cenas como um todo

Olá, leitores!

Algum de vocês já escreveu uma cena em que a narrativa focava mais no sentimento dos personagens? E só na descrição de ações, como se os personagens fossem mecânicos?

Dessa vez trouxe uma dica que foi “solicitada” pela @Juune numa conversa que tivemos já há algum tempo. Confesso que eu havia decidido deixar para postar essa dica depois de trazer à vocês algumas matérias específicas, visto que já a respondi, mas essas estão atrasando minha lista de postagens porque exigem muita pesquisa e destreza para me fazer entender (são temas delicados).

Parando com a ladainha, vamos direto ao assunto: escrever a cena como um todo.

Independentemente do tipo de cena que você está escrevendo (romance, ação, drama, terror, etc.), você precisa focar sempre em pelo menos três coisas para montar sua base na hora da escrita.

Obs.: Essa é uma dica de descrição, então lembre-se que a base, no caso, não é exatamente o que está acontecendo na cena, mas o que você deve levar em conta enquanto escreve.

Normalmente, são três coisas básicas: Sentimentos, sensações e ações.

Duas delas (sentimentos e sensações) podem ser parecidas e um tanto confusas, mas lembrem-se das diferenças:

Sentimentos: Raiva, amor, tristeza, perda, confusão, todas essas coisas são sentimentos e leva-los em conta depende do que o seu personagem deve sentir naquela cena.

Por exemplo: estou escrevendo uma cena de despedida. Um personagem está morrendo numa cama de hospital ligado a equipamentos que quase não são mais capazes de mantê-lo vivo. O outro sabe que vai perde-lo, mas não quer aceitar. Quais sentimentos eu preciso levar em conta? Perda, tristeza e, talvez, raiva (dependendo do tipo de relação e de ações anteriores envolvendo esses dois personagens). Sendo assim, devo incorporar a descrição desses sentimentos na minha descrição.

Sensações: são como os sentimentos, ao mesmo passo que são distintos deles. Podemos dizer que sentir-se flutuar é uma sensação, assim como a vontade de beber água ou de comer. O vento bater no rosto, o frio, calor, a dor, arrepios e sabores. Já teve aquela sensação estranha, talvez ruim de que algo vá dar errado? Essas coisas, como muitas outras, são sensações.

Ações: Essa é o que eu chamo de “parte robótica” do texto. O que seu personagem faz é expresso aqui. O ato de ir à esquina, comprar um sorvete e voltar pra casa. As ações não expressam emoções nem sensações, por isso são “automáticas”. É o que acontece na história, sem precisar especificar porquê nem para quê.

Por que é importante levar em conta esses três pontos?

Porque é com eles que você monta uma descrição mais incorporada, com as três principais formas de contar uma história. Não existe história sem ação, mas ela não é nada sem os sentimentos e sensações, pois são eles que dão sentido ao texto.

É muito comum, hoje em dia, encontrar fanfics focadas apenas na ação, descrevendo o que cada personagem fez em parágrafos mínimos e dando pouca importância para os demais pontos que englobam os acontecimentos.

Resumindo, é como ir à uma loja de doces, comprar o seu preferido e nem sentir o sabor ao experimentá-lo. Teria graça? Ou você preferiria sentir-se bem e feliz ao comer aquele seu doce preferido, que você não comia há algum tempo?

MAS ATENÇÃO: temos um alerta vermelho para histórias que são narradas em 1ª pessoa (“eu” da conjugação de verbos). Uma vez que um narrador-personagem que narra a história, deve-se levar em conta, também, o que ele sabe e o que ele pensa.

O pensamento pode ser incorporado nos demais tipos de narradores, mas no caso do narrador-personagem, deve-se ter em mente que são apenas os pensamentos dele, assim como o que ele sabe influencia na descrição dos fatos, pois é aí que ele pode começar a criar hipóteses e chegar às suas próprias conclusões, sendo certas ou não.

Isso é muito evidente no caso de fofocas; o personagem ouve rumores, acredita neles e chega às suas próprias conclusões. Também é o mesmo que julgar um livro pela capa.

Para mais informações sobre isso, leia “Tipos de conhecimento”, onde explico alguns exemplos.

Sendo assim, acabamos por aqui. Acredito que esse jornal pode dar um nó na cabeça de muitos leitores, mas não deixem de perguntar se houverem dúvidas.

Até o próximo jornal!


DÚVIDAS OU SUGESTÕES?
Mensagem privada | [email protected] | Ask.fm
OBS.: Não avalio fanfics, isso é trabalho dos betas e eu não tenho tanto conhecimento pra isso.

Escutando: Epic Rock - Nuclear
Lendo: Mangá Negima! #2
Assistindo: Doctor Who (6ª temporada)

Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...