~WonderlandHater

WonderlandHater
I'm the Queen Bitchess
Nome: ❦ C.h.a.r.l.i.e ❦
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 11 de Junho
Idade: 22
Cadastro:

The Heirs - Interativa


Postado

The Heirs - Interativa

Citação:
“Meu coração sempre foi seu, faça o que quiser com ele.”

▲ Nome Completo ▼

Victória Clermont Morningstar

▲ Apelido ▼ Vicky – Todos à chamam assim, sem exceção. Vicky. É sempre Vicky. De princípio, era apenas usado por seu pai, mas tornou-se o apelido oficial de Victória. Nunca fora diferente.

Tori – Apenas Gus usava esse apelido, Tori. Um irmão de apenas 08 anos quebrava a falta de criatividade da família, logo esse apelido parou de ser pronunciado após o acidente. Qualquer palavra relacionada à ele lhe traz lembranças. Mas a garota possui um certo desejo que Tori seja pronunciado novamente pelos lábios de alguém que ame.

Pequena – Pan sempre fora brincalhona com a irmã pelo fato da garota ser menor do que a própria. Esse sempre fora o apelido dela para ela desde quando crianças, Pequena.

▲ Idade ▼ 18 – 17 de Junho – Nasceu às 00:00

Pertence ao signo Gêmeos

“O ascendente da garota é Áries, pois é verdadeiramente com seu signo. Um tanto bobo, porém, Vicky não entende como pessoas que nascem e contém o mesmo signo podem ser totalmente diferentes, como Gus.”

▲ Aparência ▼ Dona de uma beleza comum, não dificilmente de ser encontrada, porém ela possui uma beleza atraente mesmo que não saiba. O que se destaca em seu rosto, são seus olhos azuis meramente tempestuosos. Cabelo loiro com finíssimas mechas nas pontas achocolatadas, sempre o mantém preso normalmente em uma rendinha ao trabalhar. Lábios rosados, pele alva que normalmente aparece um rubor inexplicável. Sobrancelhas bem-feitas, tornando-se de certa forma mais penetrante seu olhar. Covinhas são expostas ao Tori sorrir ao lado de seu sorriso sapeca. Corpo de estrutura média, Victória possui poucas curvas, porém as quê têm possui um grande destaque em seu corpo. Mede 1,70, alta de certa forma, porém, menor de Gus.

Skyler Samuels











▲ Personalidade ▼ Ela é jovem, e isso já diz muito. Ao mesmo tempo, ela consegue ser forte, consegue ter fibra pra defender o que acredita, e defender o que mais preza. Não aceita que outras pessoas estejam passando dores, ou tenham problemas, e não reclama se precisar ajudar, ela vai estar lá, não importa como. É completamente avoada, além de uma tagarela de nascença, sempre a falar, mesmo coisas inúteis, que para ela importam, mesmo que não importem para você. É um espírito livre, e aprendeu a aceitar isso da melhor forma possível, aproveita as conexões sociais e tenta sempre melhorar, além de ser bastante empática, intuitiva, pode ver a vida como um grande e complexo quebra-cabeça, onde tudo pode estar conectado, num prisma de emoção, compaixão e misticismo, sempre procurando um grande significado. Anseia por segurança e estabilidade, um local seguro, mas ainda assim liberdade, como um pássaro, ela gosta de segurança, mas não de ficar presa. Sonhadora e amigável, sua necessidade empática de ajudar as pessoas costuma dar sentido a tudo que faz, no entanto, ao mesmo tempo que é uma pessoa sábia, também é vulnerável a ser vítima de ilusões impostas por si própria. A benevolência de Tori pode levá-la a ser vítima das circunstâncias, porém, sua maturidade faz perceber que a compreensão e filantropia excessivas podem tornar-se um mal. Não costuma passar despercebida, por causa da boa aparência e simpatia, as pessoas sentem-se atraídas por sua energia calorosa, otimista e cheia de vitalidade. Uma palavra que a define: irônica. Vicky não é uma garota irônica no mal sentido. Diferente de muitas pessoas, ela não usa seu sarcasmo, a ironia e o deboche para ferir as pessoas, usa-os apenas por achar apropriado a todas as situações e divertido. Bem aventureira, gosta de uma briga e em se meter em confusões. Seu jeito é brincalhão, engraçado e bem contraditório. Ela é uma garota meio atrapalhada e que tenta fazer o melhor de si, ela se esforça e se dedica ao máximo e espera em troca apenas um sorriso sincero. Ela não se importa com classe social e dinheiro, para ela todas as pessoas são iguais e devem ser tratadas como tais, ela não se aguenta diante de injustiças e poderia fazer loucuras inimagináveis para defender um inocente, até mesmo contradizer as leis. Para Victória o que importa é o caráter, ela sabe muito bem distinguir uma pessoa de caráter ruim de uma pessoa de caráter bom, assim como também sabe distinguir um mentiroso de uma pessoa que fala a verdade, Tori detesta trapaça e abomina as pessoas que trapaceiam para chegar em algum lugar. Nunca terá uma conversa séria com a menina, pois as odeias e ama evitá-las. Sempre colocará humor em tudo o que diz, pois esse é seu jeitinho. Mesmo nos momentos de maiores tensões, ela acaba soltando piadas sarcásticas que cortam todo o suspense no ar e desperta a irritação de alguns. As pessoas não conseguem levá-la a sério, e por isso, não consideram qualquer palavra que saia da boca da garota, sejam elas ofensivas ou não. Tem tendência a dar opiniões em assuntos que não são relacionados a ela e costuma se meter em brigas que não lhe dizem respeito, tentando manter a estabilidade entre as pessoas e os amigos, e como sempre, acompanhada de seu extremo sarcasmo. Tem um humor ácido que assusta a primeira vista aqueles que não estão acostumados com a independência de uma garota como ela. Negligente e impulsiva, age antes de pensar e não se importa com as consequências. Totalmente transparente em relação aos pensamentos, os que julgam sinceridade como um defeito, devem se manter bem longe de Tori.

▲ Casta ▼ Casta Quatro; Herdeira de restaurantes junto ao irmão, mas por enquanto trabalha como garçonete no mesmo sem o mero consentimento da família, já que sempre repetirem ‘Você é uma Quatro, deveria ser como uma. Não uma simples garota de casta inferior.”



▲ Nacionalidade ▼ Victória vive em constantes mudanças pelos restaurantes e negócios do pai, não tornando-se fixa em um exato lugar. Porém, agora localiza-se em Londres, Inglaterra.



▲ História ▼

“As flores redondeavam o centro da cidade, o cheiro era estupendo. As flores vinham com cartões amarrados em linha vermelha, poemas e poesias tão poéticos quanto a pessoa, escrito à mão. Charlie acabara de fechar sua loja, após receber sua última entrega. Ela estava com um buquê de rosas vermelhas nas mãos, entregaria elas pelo correio para sua mãe. Porém, ao chegar em casa, recebera uma ligação. As palavras foram as seguintes: ‘sua mãe faleceu de ataque cardíaco, sentimos muito senhora Charlotte.’ Lottie deixou o buquê cair ao chão junto ao telefone, ao qual seu corpo caiu também no chão gélido.”



Charlotte fechou oficialmente sua floricultura, comprando com suas economias uma passagem para Londres. Ela vestia roupas pretas quando recebera o testamento e herdado parte da herança e a casa de sua falecida mãe. Mas o quê menos importava era isso, isso não traria sua mãe novamente (...) Charlie acabara de perceber que sua empregada Branca estava doente, por isso seu filho Nicholas chegou como jardineiro para a mansão.

“Charlie observava atentamente o jardim, ah! Como sentia falta de suas flores. A Campânia soou pela casa enorme, aparecendo diante de seus olhos um homem esbelto com calças jeans e uma camisa xadrez, junto com uma pochete no quadris com ferramentas de jardinagem, era Quatro, mas ajudava sua mãe na jardinagem. Seus olhos negros tempestuosos olhavam em direção a mulher, que apenas olhava o jardim. Seu coração bateu nesse exato momento, porém, estava comprometida.”



Para proteger a honra de sua família, Charlotte aceitou-se casar com Erin, proprietário de imóveis. Mas ao tempo que convivia com Nick, percebera que fez a escolha errada. Charlie vestia calças jeans e blusa quadriculadas, estava óbvio, iria plantar com Nicholas. A química dos dois não podiam negar, porém as circunstâncias não os deixava. Após troca de olhares curtos, Luiz, pai de Nicholas, proibira o filho de se aproximar de Charlie.

“Nicholas batera três vezes na porta que apenas ecoou um baque seco, aparecendo a figura e expressão fria do pai. Luiz dissera que os dois precisavam conversar, caminhando com Nick até o jardim perto da casa. ‘Se afaste de Charlotte, essa mulher só nos trás problemas.’ Nicholas logo demitiu-se do emprego, apenas deixando Charlie.”



Naquele dia, após três exatos dias depois, Nicholas desaparecera deixando os cacos do coração no chão. Logo o casamento entre ela e Erin estava devidamente planejado, porém ela sentia-se minúscula. O casamento era perfeito, pelo menos para o público. Ao olhar todos sentados na cadeira, Charlie se pegou tentando reconhecer o rosto conhecido. Porém, acabou encontrado.

“Charlotte olhava para cada um dos rostos sorridentes, tentava encontrar algo, mas não sabia ao certo. Ao se encontrar com os olhos que tanto conhecia escorados em um das ilustres decorações, seus olhos estavam visivelmente marejados. Porém, o amor prega peças e Lottie virou-se para Erin e pôs um lindo sorriso no rosto para mostrar que estava feliz.”



O casamento começou errado e, terminou errado. Erin era um marido violento, repulsivo e violento. Charlie sorria. Apenas isso. Sorria como se nada estivesse acontecendo. Sintomas começaram a aparecer e, Lottie logo descobriu sua primeira gravidez. Porém, a notícia não agradou tanto Erin assim, tanto que o próprio marido derrubou Charlotte da escada. O bebê sobreviveu assim como Charlotte, porém, poderia vim com problemas. Logo Erin pôs a arranjar uma amante chamada Sally, 10 anos mais nova que Charlie, levando-a debaixo do próprio teto debaixo do nariz de Charlie.

“Estava óbvio, o vaso branco encontrava-se em milhares de pedaços no chão. As rosas vermelhas e a terra que tinha no vaso estavam derramados no chão. Porta-retratos quebrados e molduras com o vidro despeçados. ‘Você não foi o homem com quem me casei!’ Charlie gritou no chão enquanto estava em prantos. ‘Casei-me pelo dinheiro, nada além disso. Ha há há, pensavas que eu lhe amara?’.



Após esse ocorrido, Erin saiu de casa com suas malas feitas para um hotel com Sally. No mesmo dia, Charlie entrara em trabalho de parto. A raiva que sentira havia feito-lhe isso. Ela perdeu percentagem de seu sangue, mas nada muito grave. Pandora era seu nome, uma graciosa e pequena menina. Os anos passaram-se e durante uma viagem para Londres novamente, Charlie encontrou-se com Nicholas. Erin havia sido morto. Suicídio, avisou a polícia. Porém, não era verdade.

“Charlie acabara de sair do avião com Pandora, ela estava segurado suas mãos, a garota tinha 4 anos. Quando esbarra em Nicholas, aparentava mais velho, mas continuava com seu sorriso humilde. Trabalhava como psicólogo. Ela sorriu e ele também. Não eram mais jovens, mais ainda se amavam como se fossem. Ele segurou Pandora no colo com um abraço e, ela retribuiu. Charlie e ele abraçaram-se com toda a força do mundo.”



Eles casaram-se, o casamento havia sido simples, porém fantástico demais para Charlie. Após exatamente dois meses de casamentos, ela descobre sua segunda gravidez. A felicidade foi certamente grande. Com o passar do tempo, são exatamente dois gêmeos. Mas o parto chegou cedo demais para eles, com apenas sete meses Charlie entrou em trabalho de parto.

“A bolsa havia estourado. Cedo demais. Mas estourou. Dia 16 de Junho, às 21:00 da noite. Charlie sangrava em casa, ela fechou os olhos sentindo um desmaio. Nicholas havia colocado-a no carro, levando-a para um hospital próximo. Charlie segurava a mão de Nick e pronunciou ‘Cuide deles. Se escolherem entre mim e eles. Escolha eles.’ Sussurro antes de entrar no parto e falecer.”



Victória e Augustus, eram os nomes que ele e Charlie haviam decidido. Victória cresceu com a poética e o gosto por flores da mãe, enquanto Gus adquiria o gosto por garotas. Os dois viviam em constantes brigas, enquanto Pandora apenas observava essas forças pequenas tão diferentes. Pandora virara uma segunda mãe, apesar da pouca diferença de idade, enquanto Nicholas observava com um sorriso orgulhoso no rosto.

“Vicky sorria provocante ao conseguir subir na árvore desafiada por Gus, enquanto o garoto mal chegou na metade.”



Nicholas planejava um plano perfeito para o natal e, foi quase perfeito. Anos passaram-se e Victória e Gus encontravam-se com quinze anos, ambos deixaram as indiferenças de lado e tornaram-se o porto seguro do outro. A beleza de Augustus era apreciável, tanto que não era novidade que o garoto já havia namorada. Abandonando de certa forma Tori. Pandora casara com Jonathan, um rapaz de boa fama, como Gus dizia. Mas Vicky não ligava para boa fama, quanto que encontra-se alguém que amasse. Mas algo fatal aconteceu na sua vida.

“Gus sorria enquanto abraçava a irmã, ele iria viajar para intercâmbio e certamente traria saudades. Muita. Ela lhe desejara boa sorte, enquanto ele lhe deu um cordão com pingente com a foto dos dois. Mas ao atravessar a rua, um carro não vira os dois acertando na cabeça de Gus e o corpo de Vicky. Ele pronunciou enquanto todos viam ver o ocorrido ‘Cuide-se Tori, diga para meu pai que o amo. Saiba de algo: Amor verdadeiro nunca morre.’ Victória abraçava o irmão, sua roupa estava ensanguentada e seu rosto também, mas abraçava como se não houvesse amanhã.”

(Finga que é ao contrário)



Essa tragédia abalou a família Morningstar, enquanto Vicky não retirava sua cordão, sua lembrança valiosa. Abria-o toda vez que dava saudade do irmão. Ela havia quebrado duas costelas, um braço e uma perna. Gus ficava para sempre na lembrança. Os anos passaram-se e Victória estava certamente madura para sua idade, ninguém jamais ousou pronunciar Tori novamente naquela casa. Pretendentes iam a sua casa, porém a garota não aceitava. Até o anúncio da Seleção ser feito. Ela pensou em como eufórico o irmão ficaria ao ver haveria uma Seleção com a princesa Emma, então pôs a assinar o formulário.

“Naquela tarde Londres certamente ficou eufórico. Pessoas indo preencher seu formulário, ligando para seus parentes. Vicky apenas observava a euforia das pessoas, não estava certamente empolgada com o assunto. O assunto permaneceu na mesa de jantar durante quatro dias e sua família usou seu pior ponto fraco: Seu irmão. Porém, preencheu o formulário como seu irmão havia dito ‘amor verdadeiro nunca morre’.”



▲ Família ▼ Charlotte Clermont Morningstar – Falecida aos 35 anos – Psicóloga – Casta Quatro – Mãe

“Charlie encantava à todos com sua belíssima voz, orbes azuis e filósofos, um mistério e tanto. Apenas um sorriso poderia mudar ou alegrar o dia de Lotte, ela esbanjava alegria por onde passara. Um coração pura e de ouro, aberto para todos, mesmo sendo quebrado em seguida, porém quem o conquistou, não deu o mínimo valor.”

Tori nunca conhecera a mãe, contendo apenas quadros pintados e fotos na parede de seu quarto. Crescera ouvindo a doçura que tanto falavam de Charlie, e seus tantos mistérios. Tanto seu pai, que sorria ao lembrar que boas recordações.



Nicholas Clermont Morningstar – 42 anos – Proprietário de restaurante – Casta Quatro – Pai

“Um homem um tanto simpático. Humilde e cativante, já nascera assim. Um homem humilde e honesto de berço. Tem uma personalidade tranquila, totalmente o oposto de sua filha, talvez por isso eles sejam tão próximos. Os dois sempre foram próximos, diferente de Tori e sua mãe. Ele sempre fez questão de ser presente na vida de sua filha e fez isso perfeitamente. Apesar de a moça não ter seu gênio, ele entende que isso possa ser uma forma de ela se proteger do mundo e afastar a falta de sua mãe.”

Nick, como costuma ser chamado, contém uma ótima relação com Victória. Os dois são tão próximos ao ponto de não passarem um dia separados, e se passarem, se abraçam como se não se vissem à anos. É um homem que afasta a ausência de sua mãe, porém sempre relembrando as boas recordações. Vicky realmente ama o pai.



Pandora Clermont Morningstar – 20 anos – Gerente do restaurante – Casta Quatro – Irmã

“Primogênita de Charlotte, herdou a graça e beleza da mãe. Com o primeiro marido Jonathan, Pandora possui um filho. É um pouco séria, tornando-se até cansativo. Pandora após o parto, andara sempre na linha e fazendo as escolhas ‘corretamente’.”

Pandora é gerente do restaurante, tanto ajuizada. Sua relação com Victória é estável, podia-se dizer que era mais divertida antes, porém, as duas meias-irmãs mal se falam mais. Tori mima por demais o sobrinho Benett, recebendo logo bronca de Pandora.



Augustus Clermont Morningstar – 18 anos - Trabalhava como recepcionista no restaurante – Casta Quatro – Irmão gêmeo

“Ambos irmãos de parecem, mas na personalidade são totalmente opostos. Um torna-se o porto seguro do outro, porém os dois juntos são pegadinhas na certa. Vivem um jogo de ‘cão e gato’, talvez por serem irmãos gêmeos.”

Guz possuía uma enorme beleza, típico do garoto estar de namorada nova à cada semana. Tori nascera primeiro, mas o garoto implica por ela ser menor que ele. Qualquer briga fútil sempre se resolve em seguida, não conseguiria passar dias longe da irmã.

(Seria assim se estivesse vivo)



▲ Qualidades e Defeitos ▼

▲ Qualidades ▼

Justa, porém defende mesmo certo ou errado
Enérgica
Bem humorada e simpática
Brincalhona
Espontânea
Maturidade bastaste para sua idade
Mesmo triste, a garota expõe um belo sorriso no rosto.

▲ Defeitos ▼

Impulsiva, às vezes age sem pensar
Sincera
Vulnerável
Interfere em assuntos que conhece, tornando-se tagarela
Sarcástica
Meia atrapalhada.

▲ Gostos e Desgostos

— Muitas garotas recuam na hora de usar algo da cor roxa ou laranja, porém essas duas cores são as prediletas de Vicky, ela não se desfaz das outras cores, mas em suas roupas ela sempre arranja um jeito de dar um toque mais "Tori" colocando um acessório de cor roxa ou laranja. Observar o pôr-do-sol. Uma das coisas mais maravilhosas para ela é o Sol, na verdade o Céu. Ela sempre está observando o Céu ou até mesmo desenhando o mesmo. Flores. Sempre esteve em contato com elas, então se tornaram algo especial em sua vida. Suas prediletas são as rosas brancas. Doces. Mesmo ela tendo experimentado um único tipo de doce ela é fascinada por eles. Victória ama neve e chuvas. Tori gosta de ficar com sua família.

— Tori nunca foi de odiar ou desgostar de alguma coisa. Uma das coisas que ela menos gosta é...abacaxi. Não se sabe bem o porque mais ela nunca se deu bem com ele. Insetos. Ela até convive com eles, mais insetos em excesso nunca é bom. Porém, Victória não suporta pessoas falsas. Traições? Não. Detesta que lhe deem ordens ou julguem seus atos.

▲ Manias/Medos/Traumas/Fobias ▼

▲ Manias ▼

– A garota quando está entediada ou não interessada nesse exato assunto, coça sua bochecha esquerda. Ela sempre morde o lábio inferior quando nervosa ou algo acontece e/ou está prestes a acontecer. Sua bochecha fica em um tom avermelhado quando envergonhada, pois sua pele é bastante alva. Ao sorrir ligeiramente envergonhada, ela põe a língua entre os dentes, não é bem uma mania, porém chamam isso do “Charminho Vicky.” A garota sempre gesticula com as mãos quando algo à enfurece ou zangada.

▲ Medos ▼

Perder quem ama. Muitos possuem medo de se apaixonar, porém Victória não tem, apenas de seu coração ser quebrado em cacos em seguida, contanto que alguém ajude-a a catar todos.

▲ Traumas ▼

Durante uma viagem de negociação de Nicholas, Pandora estava rezando em seu quarto e Gus inventou de fazer uma simples janta no micro-ondas, pois já estava anoitecendo. Porém, Victória aos 04 anos dormia no quarto, quando o micro-ondas explodiu e a casa pegou fogo. Ela começou a se desfazer aos poucos, caindo o teto e os estavam meramente se destruindo. Tori inalara fumaça e andava desorientada pela casa, enquanto Gus procurava-a. A pequena foi encontrada debaixo de um pedaço de madeira e estava totalmente inconsciente. Ela possui uma pequena marca na sua perna esquerda devido à esse pequeno acidente, por isso não quer nem ouvir a palavra incêndio. Ou ousar a se aproximar do fogo ou uma casa em chamas, isso trás lembranças péssimas.



▲ Fobias ▼

Pediofobia - Fobia de bonecos gigantes e porcelana; Victória sabe que são só simples bonecos com rostos angelicais, mas não ousa a se aproximar.

Claustrofobia - Fobia de lugares pequenos e apertados;

Coulrofobia – Medo de palhaços e qualquer tipo de coisa relacionado ao mesmo; Tori sabe que são pessoas fantasiadas e maquiadas, mas não quer se aproximar.

▲ Hobbies ▼

— Cantar e Tocar Violino. Nas poucas horas vagas, em que não estava desenhando ou escrevendo, a garota passeava com um garoto chamado Caleb, o qual tem amizade com ela desde pequena. Caleb é um Cinco que ensinou ela a tocar violino e a manusear sua voz. Todo o aprendizado na música que ela tem foi Caleb que ensinou.
Passear pelo jardim. Além de ser um hobbie é uma paixão. Estar em contato com a natureza é como se ela estivesse em contato com sua tia para toda a eternidade.
Escrever poemas/poesias. A maior parte do tempo ela passa lendo ou escrevendo poemas/poesias embaixo de uma grande árvore no jardim. Essa árvore é o seu lugar favorito no castelo. Cavalgar, Tori é apaixonada por cavalos e arco e flecha.

▲ Príncipe/Princesa ou Coroa? ▼

Relativamente nenhum dos dois, de princípio. Ela sempre deixara claro que não foi por Noah que a garota entrou nessa competição, podemos dizer que ela está por ‘engano’. Mas certamente não irá com os sentimentos do príncipe, assim como espera que o garoto não brinque com os dela. Possui uma imagem distorcida do garoto, apenas o via pela TV sorridente, porém, ao conhece-lo, parecera que o conhece à anos.

▲ Príncipe Noah ou Princesa Emma? ▼

Príncipe Noah



▲ Relação com ▼

♠️ Rei George ♠️

“Um homem incrivelmente carismático e humilde, Tori se encantara por ele desde a primeira vez que o vira. Rei George reina o reino com pulso firme, porém mantém esse seu lado que poucos têm o privilégio de conhecer, um homem que encantava qualquer um pelo sorriso. Admira os feitos realizados feitos pelo rei.”

♠️ Rainha Sophie ♠️

“A rainha Sophie é uma mulher genial, espontânea e divertida. Victória realmente possui um certo apreço pela rainha, como se fosse a mãe que nunca tivera. Com um sorriso sincero de Sophie, ela entende que a rainha sabe as emoções que Tori sente nessa competição. Ela costuma fazer piadas internas sobre suas relações com a mulher, possui sucesso na maioria das vezes. Um diálogo com a rainha se torna a melhor parte do dia para Victória.”

♠️Príncipe Noah ♠️

“Não era ele o motivo de Victória ter entrado nessa competição e preenchido o comercial, não era. Porém, ambos se procuravam para desabafar sobre suas relações e suas emoções. O jeito piadista de Vicky talvez assuste ou encante o príncipe de início, porém Vicky por ser brincalhona e atenciosa, talvez ganhe ao menos um espacinho no coração dele, mesmo que seja apenas de melhores amigos. Porém de princípio, Victória sempre dissera que ele não era o seu motivo e que não estava à espera dele com um cavalo branco para salvá-la de uma torre altíssima. Mas ao tempo, a amizade dos dois foi ao tornando-se um hobbie. Victória quer conhecer totalmente ele, para ela, ele é apenas um garoto com seus destino traçado para ser rei.”

“Eu sabia, no segundo em que te conheci, que havia algo em você que eu precisava. Acabou que não era algo em você. Era simplesmente você.”

♠️ Princesa Emma ♠️

“Victória possui uma imagem distorcida da princesa Emma, ao mesmo tempo que acha-a mimada, sente que poderá conhecer verdadeiramente quem é esta jovem por trás da camada de princesa. Sorrisos sinceros de trocam, entre 20 garotos escolher seu amor não é fácil. Poderiam debater sobre os garotos ou darem um simples comprimento.”

♠️ Guardas ♠️

“Daria-lhes bom-dia, boa-tarde, boa-noite. Não hesitaria em pedir ajudas à eles quando precisasse de uma, como achar seu quarto ou outro lugar. Mas certamente não entenderia como tais conseguem ficar parados com roupas pesadas e um rosto sério.”

♠️ Outras candidatas ♠️

A garota é a primeira a se aproximar das demais selecionadas, sempre sorridente, sendo ela mesma. Seria responsável pelas piadas e pelos comentários desajeitados que gerariam risadas e boas horas de conversa. Porém, Tori acredita que todas estão ali por um motivo e todas seu potencial para ser a futura princesa.

♠️ Jornalistas ♠️

É o mais educada possível, tenta responder o máximo de perguntas, mas não gosta de envolver sua família, é um assunto delicado, usaria uma pitada de seu humor, tornando-se brincalhona em frente às câmeras.”

▲⚜Criadas/Mordomos ▼

Louise McClair – 19 anos – Cuida de seus horários



Lou é uma figura, faz o estilo doidinha, aquela que gosta de fofoca e não tem medo de falar o que pensa, também adora imitar as pessoas que não gosta. Tori se diverte com o jeito da amiga, é impossível estar ao lado de Louise sem que ela faça alguma palhaçada.

Stella Waller - 32 anos – Cuida de seus deveres e obrigações



Atenciosa, divertida e carinhosa

Quase uma mãe para Vicky, cuida muito bem da moça, apesar de não passarem tanto tempo juntas. Stella sempre tenta arrumar algum tempo para conversar com a moça e ver se ela precisa de algo, não deixando lhe faltar nada. São grandes amigas, Tori tem um apresso muito grande pela mulher.

Violet Campbell - 28 anos - Costureira e Designer dos vestidos e roupas que Tori usa

Barraqueira, faladora, agitada, engraçada, divertida.



O jeito sem noção de Violet diverte Vicky, ela adora as histórias que a criada conta ou quando ela aponta para a TV, falando coisas e criticas como se eles pudessem ouvir.

▲ O que pensa da Seleção? ▼

Por conviver com a mídia, ela sabe muito bem que o verdadeiro objetivo de todas as seleções é alienar a sociedade mediante a qualquer problema social e econômico, por isso tem um pé atrás com a seleção. porém ainda não encara cem por cento o fato de pares amorosos serem escolhidos por acaso em um grupo de apenas 35 garotas.

▲ Duas ou mais músicas que definam a relação com o par ▼

Heart By Heart – Demi Lovato

“No, there’s no one else’s eyes
That could see into me
No one else’s arms can lift,
Lift me up so high
Your love lifts me out of time
And you know my heart by heart
So now we've found our way
To find each other
So now I found my way
To you”

Everlasting Love - Fifth Harmony

“I can't wait to see your face
I don't even know you
But I know that I can't wait to kiss you
Somehow I know when we finally lock eyes
That you'll fell the same way.”

Stockholm Syndrome - One Direction

“Baby, look what you've done to me
Baby, look what you've done now
Baby, I'll never leave you if you keep holding me this way.”

Kiss Me Slowly - Parachute

“The moon above you and the streets below
Hold my breath as you're moving in
Taste your lips and feel your skin
When the time comes, baby, don't run Just kiss me slowly”

▲ Duas músicas que definam a/o personagem ▼

Lucy Hale – Nervous Girls

“Eu sou aquela garota Que você acha que sabe de tudo Mas eu ando por aí com a cabeça cheia de dúvidas As palavras mais cruéis ditas sobre mim Vêm da minha própria boca La da de, la de da

Sim, eu sou aquela garota Que quer o que não tem Que olha no espelho e vê tudo o que não é Gostaria de poder saltar Desse trem de pensamentos bagunçados La da de, la de da

Bem, é um mundo muito cruel Para Collie e sua coroa dourada de rainha do baile Para o segredo mais profundo de Penny Espalhado por toda a cidade Para Hannah e seus jeans skinny Com tanto medo de comer

Bem, o DJ assombra os corredores E os meninos, eles nunca ligam E eu acho que todas nós somos Iguais, no fim das contas Meninas nervosas
Bem, eu sou aquela garota Que desistiu de seu coração Chegou perto de ser perfeita, ou perto o suficiente Para ver as peças se espalharem E então juntá-las novamente La da de, la de da

Ah, mas eu ainda acredito no amor
Para Heather, servindo as mesas
Tentando recomeçar do passado Para Jenny com a aliança de noivado E um voto que não durou Para Alice, fazendo trinta anos Olhando pelo vidro da janela
Bem, o DJ assombra os corredores E os meninos, eles nunca ligam E eu acho que todas nós somos Iguais, no fim das contas

Meninas nervosas
Estou com medo E eu sou corajosa Ou algo entre os dois Sou bem forte E tragicamente confusa Sim, eu sou aquela garota Que é exatamente como você Bem, o DJj assombra os corredores E quando os meninos finalmente ligam Nós não temos certeza Se os queremos mesmo, afinal

Meninas nervosas

Meninas nervosas Meninas nervosas

Meninas nervosas.”

Colors – Halsey

“Seu irmão mais novo nunca te diz, mas ele te ama tanto Você disse que sua mãe apenas sorria em seu programa Você só está feliz quando sua cabeça está cheia de droga Eu espero que você chegue ao dia que você tenha 28 anos

Você está pingando como uma luz do sol saturada Você está derramando como uma pia transbordando Está rasgado nas extremidades mas você é uma obra-prima E agora eu estou rasgando as páginas e a tinta

Tudo está azul Suas pílulas, suas mãos, seus jeans E agora eu estou coberta com as cores Separada pelas costuras E é azul E é azul
Tudo está cinza Seu cabelo, sua fumaça, seus sonhos E agora ele é tão desprovido de cor Ele não sabe o que isso significa E ele é azul

E ele é azul Você era uma visão de manhã quando a luz veio Eu sei que só senti religião quando estava deitada com você Você diz que não será perdoado até seus amigos serem E eu ainda acordo todas as manhãs, mas não é com você

Você está pingando como uma luz do sol saturada Você está derramando como uma pia transbordando Está rasgado nas extremidades mas você é uma obra-prima E eu estou rasgando as páginas e a tinta
Tudo está azul Suas pílulas, suas mãos, seus jeans E agora eu estou coberto com as cores Separando pelas costuras E é azul É azul

Tudo está cinza Seu cabelo, sua fumaça, seus sonhos E agora ele é tão desprovido de cor Que ele não sabe o que isso significa E ele é azul Ele é azul Você era vermelho e você gostou de mim porque eu era azul

Você me tocou e de repente eu era um céu lilás E você decidiu que roxo simplesmente não era para você
Tudo está azul Suas pílulas, suas mãos, seus jeans E agora eu estou coberto com as cores Separado pelas costuras E é azul É azul

Tudo está cinza Seu cabelo, sua fumaça, seus sonhos E agora ele é tão desprovido de cor Que ele não sabe o que isso significa Isso me deixa azul Isso me deixa azul Tudo é azul

Tudo é azul

Tudo é azul

Tudo é azul.”

▲ Objeto(s) Especial(is)? ▼



Foi seu presente de natal, o que levou 23 horas além do prazo estipulado para encontrar, ao contrário do que pensou, seu pai não a repreendeu aquele, sorriu e disse que estava orgulho por ela não ter desistido. Na primeira página há uma dedicatória, uma citação:
“Se a vida vale a pena ser vivida, vale a pena ser registrada” — Anthony Robbins, palestrante motivacional.
Desde então esse caderninho se transformou no seu por seguro, onde põem de tudo, listas, desejos, medos, trechos de músicas, frases, poemas, músicas inteiras e até faz dele um semi-diário, ponde lá coisas que sabe que vai fazê-la rir no futuro. Tem-lhe desde os 14 anos.
A capa é preta com algumas linhas brancas que formam ramos de flores se interligando uma às outras.



Essa fora o colar que Gus dê-lhe no dia de sua morte. Dentro há uma foto em quê mostra os dois abraçados, Victória não o tira para nada. Atrás está escrito a frase em latim “Amor Verus Numquam monitor”, “que significa “Amor verdadeiro nunca morre”

▲ Roupas ▼

Primeiro dia no castelo



Dia a dia no castelo

Bailes

Jornal

Encontros com o príncipe/princesa

Pijama

Banho

Festa a Fantasia

▲ Algo mais? ▼

Ela Têm essa tatuagem que fez no seu aniversário de 16 anos



Ela é alérgica a pó compacto. Caleb é representado por Harry Styles.

Escutando: Into You - Ariana Grande
Comendo: Chocolate

Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...