~TekaMay_pabo

TekaMay_pabo
Trouxa
Nome: Stephane Mayara
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Macapa, Amapá, Brasil
Aniversário: 10 de Outubro
Idade: 22
Cadastro:

Os Segredos de Casanova


Postado

Os Segredos de Casanova

Se você está lendo isto, possivelmente você é um leitor da Casanova, por isso veio atrás de respostas, esclarecimento e spoilers, por que não? Se não conhece essa fanfic mas ficou curioso, clique aqui e seja feliz!

Bem, a ideia de fazer um jornal para este fim não foi minha, na verdade vi uma amiga fazendo aqui e resolvi fazer o mesmo! Então vamos lá.

Dividirei as informações em tópicos para facilitar a leitura de vocês e para evitar que quem não queira ler spoilers acabe lendo sem querer. A esta altura, estamos no capítulo 24 da fanfic e muita coisa já aconteceu. Se por ventura você ainda não chegou nesse capítulo, pense bem se vai continuar lendo!

Indice (porque sim)
1. Kai
1.1 Vida de Kim JongIn
1.2 O nome Kai
1.3 O que é o Kai
1.4 Treinamento
2. ChanYeol
2.1 Vida de ChanYeol.
2.2 Treinamento
2.3 O incêndio
3. Nothcon
4. A lenda.
5. A relação entre Casanova e Jumper
6. Curiosidades


Um breve resumo da fanfic.
Rebecca mudou-se para a cidade onde estuda para trabalhar numa revista, a Today Magazine. Lá, ela conheceu Júlia, BaekHyun e os irmãos Yoora e ChanYeol. Começou a trabalhar no caso de um visitante pra lá de inusitado, por quem alimentou um sentimento negativo, até que também foi visitada pelo sujeito. As coisas começaram a mudar quando Kai entrou para sua vida e ela descobriu que existem muito mais coisas que ela desconhecia. Se tudo já parece estranho e agitado demais, mal ela sabe que até agora foi o começo.
Há pouco tempo as coisas tem começado a se esclarecer, mas certas duvidas ainda permanecem. E algumas delas vamos tirar aqui.

1. Kai

1.1 Vida de Kim JongIn


Recentemente foi revelada a história do Kai, mas digamos que existem muito mais informações sobre o que ele é de verdade e muitas dessas informações ainda serão passadas em capítulos que estão por vir, mas vou “preparar terreno” para vocês receberem tudo e não ficarem com dúvidas demais a respeito.

O Kai, ou JongIn, era um garoto normal, conforme vimos nos capítulos 12 e 22. Nesses dois capítulos em especial, vimos um pedaço da vida que ele levava na Coréia do Sul, seu país de origem e principalmente no que diz respeito à sua relação com ChanYeol, seu amigo de infância.

Kim JongIn era um garoto, filho único, que morava com sua mãe. Ele, teoricamente, não tinha preocupações além dos estudos e, mesmo assim, não era cobrado por sua mãe. Mas ainda assim, era responsável e tirava boas notas. O único problema de JongIn é uma séria dor nas costas, que parecia bobagem, mas já eram sintomas de sua “condição” diferente, por assim dizer. Mais a frente trataremos disso.

Quando o menino tinha 11 anos, mãe e filho decidiram fazer uma viagem de férias para fora do país, afim de conhecer outra cultura, outro país, ampliar os horizontes. A viagem tinha sido planejada há bastante tempo, possivelmente desde os tempos de jovem da senhora Kim, porém, somente agora esse sonho pôde ser realizado.


1.2 O nome Kai

O nome “Kai” foi dado por Toola, a mulher que criou JongIn depois da morte de sua mãe. Existe um significado maior por trás deste “batizado”. Dar um outro nome à JongIn era uma forma de fazê-lo superar seu passado e inclusive a parte dolorosa nele, que vai desde a morte de sua mãe até o abandono de sua vida pré-acidente, bem como ter que esquecer tudo o que conhecia antes de sair de seu país, inclusive seu nome. O motivo disso vai além de passar pelo sofrimento da perda, mas porque depois do que houve no dia da morte de sua mãe, seu nome passou a ser conhecido. Como foi contado no capítulo 24, a notícia da morte da mãe de JongIn chegou na Coréia do Sul, e, de acordo com o capitulo 22, os Cães estão em todos os lugares, principalmente entre as autoridades. Não seria surpresa se eles soubessem que o garoto não morreu e que ele é um teleporter. Baseando-se nisso, o melhor é esquecer seu passado e sim, sua identidade antiga também. Não seria bom se ouvissem seu antigo nome ser pronunciado e acabar chamando atenção para ele. Melhor deixar a possibilidade de ser procurado especificamente pela polícia fora de questão.


1.3 O que é o Kai

Como vem sendo apontado desde o capítulo 15, Kai não é um alienígena! Mesmo eu tendo deixado isso bem claro, muita gente ainda insistia na ideia.... Mas tudo bem, foi divertido. O Kai, na verdade, é um humano normal, como eu e você. A diferença é que ele tem alterações genéticas que o tornam especial. É tudo explicado pela ciência dos genes!

A explicação da Toola foi bem vaga porque ela tinha muito a explicar para a Rebecca e não poderia se ater a muitos detalhes, mas basicamente, existe uma anomalia em um determinado cromossomo que faz com que você não possua uma deficiência física, mas sim, um aumento de uma capacidade especifica. De acordo com essa alteração, sua capacidade pode tender para as mais variadas coisas.

Na estória, estamos em contato, principalmente com JunHo, Kai e ChanYeol. Os dois primeiros são Teleporters e o terceiro é um Incendiary (“Incendiário”), um termo que ainda não apareceu na fanfic, mas deverá aparecer, porém com pouco destaque já que o foco não é no ChanYeol em si. No caso dos teleporters, há uma determinada alteração, diferente da que existe nos incendiaries, porém, no mesmo cromossomo. O mesmo vale para o Chen, que foi minimamente mencionado no capítulo 10 (sim, o amigo manipulador de trovões é o Chen) e para uma outra pessoa que deve aparecer até o final da fanfic.

As habilidades de um “especial” está estritamente ligada às emoções e, consequentemente, aos sentimentos do indivíduo. Tudo por causa dos hormônios, na realidade. Cada emoção que sentimos gera a estimulação/produção e liberação de determinados hormônios e isso influencia no que cada um pode fazer. Alguns hormônios precisam ser liberados apenas uma vez para “desbloquear” determinada habilidade e outros precisam ser estimulados sempre para que a pessoa possa fazer algo em específico.

Todo teleporter possui uma fraqueza em específico, que é individual para cada um, e uma geral, que são correntes elétricas. Um choque pode causar danos temporários ou permanentes nas habilidades de teleporte, além de deixar um teleporter muito fraco. Como foi mencionado no capitulo 15, a fraqueza específica do Kai é o frio ou o gelo.


1.4 Treinamento

O treinamento do Kai foi algo bem inusitado. Como a Toola explicou, foi tudo ideia do JunHo. Digamos que o JunHo é muito “impulsivo”, por assim dizer. Ele forma a opinião dele e faz o que quer, independendo do que você diz. Só depois vai parar para pensar direito. Ele sabia o que o Kai precisava: experiências. Então lhe proporcionou as experiências que o rapaz precisava. Aos 16 anos, Kai começou a visitar garotas. Antes disso, ele aprendeu coisas básicas com JunHo, por exemplo, a como se controlar durante o sono, como controlar a velocidade de teleporte (porque sim, isso e possível. Já que antes o Kai demorava muito para fazer isso espontaneamente e isso lhe causava fadiga) e controlar a quantidade de roupas que poderia levar consigo.

Depois que passou a dormir com garotas, o Kai pôde levar pequenos objeto consigo, além de suas próprias roupas, a controlar para onde ir. Quanto a isso, a princípio, ele só podia teleportar-se para um lugar ao alcance de sua visão, então ele passou a trabalhar lugares onde esteve, mesmo que não pudesse ver (como ir da sala para dentro do banheiro, por exemplo) e por último, lugares onde nunca esteve, que foi mencionado pelo JunHo no capítulo 15 como “lugares sem memória

O treinamento ainda não acabou, ele apenas foi interrompido para que o Kai pudesse ter algo com a Rebecca sem a intromissão do JunHo. Mas ainda existe muito o que se fazer e um motivo maior por trás deste treinamento.


2. ChanYeol
2.1 Vida de ChanYeo
l.


Park ChanYeol é amigo de infância de JongIn. Os dois estudaram juntos desde os primeiros anos, então se davam realmente muito bem. ChanYeol também tem habilidades especiais, mas, diferente do seu amigo, ele já as desenvolvia melhor, mesmo sem saber. Desde cedo ele descobriu que podia alterar a temperatura de seu corpo, ou melhor dizendo, aumentar sua temperatura. Como toda criança capeta, ele usa sua habilidade para se dar bem, como sua irmã mencionou no capítulo 12. Chanyeol aprontava tudo o que queria e fingia estar com febre para não levar bronca na hora e deixar que sua mãe esquecesse a raiva para cuidar do filho aparentemente doente. Isso valia para matar aula também.

No entanto, como ele não teve um treinamento adequado, ele acabou desenvolvendo-se errado. Vários acidentes aconteceram ao longo de sua adolescência, por causa de sua puberdade, claro. Assim como Kai, ChanYeol é movido por suas emoções. E justo na fase onde vivemos grandes emoções pela primeira vez (o que as torna mais fortes por serem novas para nós), o poder de ChanYeol se tornou um incomodo. Ele chegou a queimar pequenas coisas e inclusive a incendiar a escola. Isso aconteceu numa das salas vazias depois das aulas, enquanto ChanYeol dava seu primeiro beijo, sua emoção foi tão grande que ele acabou por se descontrolar e causar um pequeno incêndio. Felizmente tudo foi controlado logo, nem ele e nem a garota se machucaram e a garota não viu e não desconfiou de nada, mas Chanyeol ficou traumatizado desde então.

Por esse motivo, desde que veio da Coréia, ele não se relaciona amorosamente com ninguém. Não era apenas por timidez que ele não investia em um relacionamento com a Júlia, mas porque ele temia que algo mais acontecesse, mesmo tendo treinado com a Toola. E seu medo não é infundado


2.2 Treinamento

Sobre o treinamento com a Toola, ele aconteceu quando JongIn e ele se reencontraram. Depois que Kai o salvou do atropelamento, os dois mantiveram contato e ChanYeol foi apresentado à Toola, que o ensinou a lidar com seus poderes. Ele passou a frequentar a casa de Toola, com a ajuda de Kai, obviamente, onde aprendeu a controlar melhor suas emoções e suas habilidades, reduzindo as chances de provocar incêndios a qualquer momento. Até porque, assim como JongIn, ChanYeol tinha sonhos e pesadelos e estes podiam e causavam pequenos acidentes. Mas graças a seus poderes não estarem tão desenvolvidos, tudo era “facilmente” resolvido, ou ao menos não tomava proporções tão grandes. Por isso, os créditos vão todos à Toola por não ter havido mais acidentes na vida de ChanYeol.


2.3 O incêndio

Para o incêndio que aconteceu no capítulo 23, o próximo capitulo explicará, pelo POV do ChanYeol, o que houve e como tudo aconteceu. Mas vou adiantar algumas poucas informações.
Durante uma conversa entre o ChanYeol e a Júlia, ele acabou exaltando-se e isso provocou o incêndio. O motivo envolve tanto o Kai quanto o JunHo, motivo pelo qual ChanYeol estava conversando com Kai quando a Rebecca os encontrou. Isso mostra que as emoções de Chanyeol ainda não foram completamente trabalhadas. Isso porque ChanYeol interrompeu seu treinamento com a Toola. Motivos? Toola queria que ele aprendesse a manipular o fogo, sendo que a intenção de ChanYeol era esquecer de vez que possui essa habilidade. O problema é que saber manipular o ajudaria com isso. É a parte do treinamento que faltava para ele realmente não causar problemas. Infelizmente ele descobriu isso da pior forma... Mas ao menos isso servirá de lição para ele e sim, ele voltará ao treinamento por causa disso.


3. Nothcon

A Nothcon (Non-Human Threats Contention Service) é uma organização secular, que foi apenas “oficializada” em 1952, na Inglaterra. Como foi explicado, ela já atua há muito tempo mesmo. Para quem não sabe ou não se lembra das aulas de História, a Inquisição realmente existiu. Era uma entidade ligada à Igreja que servia como “polícia”, e era encarregada de procurar criminosos contra a Igreja, ou seja, judeus, pagãos, “bruxas” (onde o povo “especial” da nossa estória está enquadrado) e aqueles que não pagavam suas contas, ou seja, o dízimo e qualquer outra taxa que a Igreja cobrasse de seus fiéis.

A Inquisição foi uma das coisas mais ridículas e inúteis criadas pela sociedade, fizeram coisas muito ruins “em nome de Deus”. Pra quem quiser saber um pouco mais, assista ao filme “Sombras de Goya”, que conta a história do famoso pintor Goya, que realmente existiu nessa época, e ao mesmo tempo de uma garota nobre condenada injustamente pela organização. O filme conta com Natalie Portman (“Thor”, “V de Vingança”) e Stellan Skarsgard (o pai do Will em “Piratas do Caribe”) e eu realmente recomendo.

Voltando à organização da fanfic, ela se subdividiu e espalhou-se pelo mundo, ganhando nomes diferentes mas com o mesmo objetivo: caçar “não-humanos”. Como foi dito na fanfic, em todos os países existe uma núcleo dessa organização, ou seja, nenhum “não-humano” está seguro em lugar algum. Por isso, todo cuidado é pouco.


4. A lenda

De todos os especiais, os teleporters foram uns dos únicos que reuniram seu povo em “tribos” e possuíam uma civilização bem antiga e desenvolvida. Vários conhecimentos foram passados por esses povos, e dentre eles, estão suas lendas. A principal delas diz respeito a tudo o que envolve o poder de um teleporter, que explica como os sentimentos estão relacionados com suas habilidades e o porquê, perpassando por várias divindades e acontecimentos passados que contemplam essas divindades e sua relação com este povo. Para eles, as habilidades que um humano normal ganha, o que o torna um “especial”, são dádivas divinas, são como traços divinos dados para um fim e que era dever desse humano entender qual era esse fim.

Nesta lenda, conta-se sobre a existência de um ser humano, um especial, capaz de igualar-se a um deus. Aquele que conseguisse sentir tudo o que os homens podem sentir, que visse tudo o que os homens podem ver. Um homem completo que por causa disso, teria seus poderes completos. Nela explica-se por meio de parábolas, como chegar a tornar-se esse “quase deus”. A principal delas foi dita no capítulo 17, e diz


“Aquele que compreender a verdade por trás das mentiras.
Que enxergar a pureza nos olhos do lobo.
Que conhecer todos os sentimentos, desde o cheiro doce da inocência, o calor da paixão ao amargo do ódio, mas ainda assim se manter são.
Aquele que descobrir como amar alguém que não conhece, que nunca viu e ser capaz de morrer por esse alguém.
Este será capaz de ir para onde quiser, carregar consigo tudo o que imaginar.
Será capaz de lutar contra mil homens e sair ileso.
Ninguém, animal ou homem, nem mesmo suas armas poderão lhe ferir, pois ele será invencível”


E diz que para tal fim, o homem teria que encontrar um “amor incondicional, imediato e eterno”. Esta lenda tem muitas coisas incompreendidas até hoje, mas que ainda rege os remanescentes dessa tribo. Muitos dos seus conhecimentos empíricos estavam certos e foram explicados pela ciência, como a ligação entre os sentimentos e os poderes.


5. Relação de Casanova com Jumper

A fanfic foi baseada, em partes, no filme Jumper. Quem lê as notas em cada capítulo, sabe que eu recomendei que assistissem a esse filme. No filme, conta-se a história de um garoto que descobriu que possuía a habilidade de se teleportar. Eles são chamados de "Jumpers" e são caçados por uma organização secreta chamada "Paladinos", comandada por ninguém menos que Samuel L. Jackson, nosso querido Nick Fury de "Avengers".
Os Jumpers são os Teleporters e o Paladinos são a Nothcon dos EUA. E como as duas histórias coexistem, recomendo que assistam o filme para entenderem melhor certas coisas que acontecerão no final da fanfic.


6. Curiosidades

Onde a fanfic se passa?


Eu cheguei a dizer isso em uma resposta e percebi que esse era um assunto a ser tratado com todos os leitores. Como vocês podem perceber, em momento algum na fanfic, é mencionado em que país tudo está acontecendo.

“Ah, mas é no Brasil! Du-uh!!”

Bem, pode ser e pode não ser! Eu deixo livre para cada um pensar no país que quiser, com exceção de três: Inglaterra, Estados Unidos e Coréia do Sul (este por motivos óbvios). Por que não os dois primeiros? Bem, existe um pedaço da estória que está ligada com a Inglaterra, principalmente à Nothcon, que, como foi dito no capítulo 22, foi onde ela foi “criada”, ou seja, a fanfic não se passa lá e pode-se notar pela forma como foi contado, como sendo um país estrangeiro. Mas existe um outro motivo por trás disso, que será explicado em outros capítulos. E não é os EUA por causa o filme Jumper, que acontece basicamente lá e por as duas estórias estarem ligadas, acabamos excluindo os EUA como "país sede da fanfic" haha


Existe uma idade para os poderes se manifestarem?

Não. Com cada um pode ser diferente. O ChanYeol descobriu isso desde muito cedo, provavelmente desde os 5 ou 6 anos. O Kai sofre com isso desde os 8 anos aproximadamente. JunHo foi mais precoce, desde bebê ele já se teleportava.

Para os teleporters, existe um perigo maior da criança simplesmente se teleportar de dentro do ventre da mãe, o que ocasionaria a morte do bebê. Isso explica algumas gravidezes “pscicológicas”. Não é que a mãe apenas achou que estivesse gravida, ela realmente estava, mas seu filho era um teleporter. Mas isso não significa que toda e qualquer gravidez psicológica seja isso, na verdade são casos raros, raríssimos. Na dúvida, é sempre bom consultar um médico, pois ele saberá se a mulher esteve mesmo grávida e, das duas, uma: ou ele vai considerar ter sido um aborto espontâneo, ou ele levará a mulher para um centro da Nothcon do seu país.... Acho melhor ficar na dúvida!


O Kai se tele portava nú?

Sim, ele se tele portava nú. Este era mais um dos motivos do constrangimento do rapaz. Além de acordar com uma baita queda no chão sem qualquer explicação lógica, ele estava nú em praticamente todas as vezes. Não é assim com todos os teleporters, assim como não existe uma idade para os poderes de um teleporter se manifestar, não é necessariamente assim que tudo acontece. Mas como os poderes do JongIn se manifestaram de forma fraca, por assim dizer, ele não tinhas “forças” pra viajar com suas roupas.... Então ele acabava nú quando isso acontecia.

Mas como estamos em constante evolução, com JongIn e seus poderes não era e não é diferente. Mesmo sem um treinamento propriamente dito (porque o fato de se teleportar, mesmo dormindo, equivale sim a praticar sua habilidade), o garoto desenvolveu melhor e ganhou mais força pra levar pouca roupa consigo. Mas pouca mesmo, no que se refere apenas à sua roupa íntima. Por isso, quando JunHo o encontrou, ele estava apenas de cuequinha branca (sim, na minha cabeça é branca) e não completamente nú. Menos mal!


Apenas homens nascem teleporters?

Não. Mulheres também podem nascer teleporters. Mas elas são mais "protegidas" pelos outros teleporters e por isso não se aventuram muito por aí. Mas existem sim. Inclusive a Nothcon captura e, diferente do que faz com os homens, as mantém presas para pesquisas.


Alguém pode se tornar um Teleporter ou adquirir alguma das habilidades retratadas na fanfic?

Não. Ou você nasce com a característica genética, ou seja, a anomalia no tal cromossomo, ou você não nasce com ela. Não dá pra virar um especial, embora a Nothcon tenha feito pesquisas a respeito disso no passado. Mas também existe a possibilidade de alguém ter a característica mas não ter "despertado" seu poder. Pode acontecer de alguém nunca ser despertado na vida, mesmo sendo um especial.


O que teria acontecido se a mãe de JongIn não tivesse morrido no acidente?

Essa questão foi levantada, e por isso achei interessante discorrer a respeito. Mesmo que eu ache interessante deixar essas questões para os leitores pensarem sozinhos nas possibilidades, vou dar a minha opinião sobre os possíveis “finais” para isso. Vamos considerar três hipóteses.

1. Se o acidente não tivesse acontecido. JongIn e sua mãe voltariam para sua casa na Coréia do Sul, o garoto contaria como foi suas férias ao seu amigo e tudo continuaria como era antes. ChanYeol iria embora da Coréia junto com a irmã aos 17-18 anos e se separaria do Kai. Quem sabe o Kai teria presenciado o incidente no primeiro beijo do ChanYeol e talvez os dois tivessem buscado saber mais sobre o que eram e sabe-se lá o que poderia acontecer, eles poderiam acabar atraindo atenção perigosa para os dois.
2. Se a mãe de JongIn tivesse sobrevivido ao acidente. Havendo ou não sequelas desse acidente para a dona Kim, ela saberia que seu filho não era normal. Afinal, ela percebeu que o garoto se teleportou no momento em que ela se jogou para empurrá-lo. Possivelmente ela ficaria assustada e conversaria com seu filho, que contaria sobre suas quedas de noite. Isso faria com que ela o levasse a um médico, ou durante a viagem, ou quando voltassem à Coréia do Sul. Pode-se imaginar o que aconteceria a seguir, certo? Talvez o primeiro médico não acreditasse, então ela procuraria um que acreditasse e tentasse ajuda-los, mas isso acabaria levando o garoto a fazer mais exames e isso chamaria atenção da Nothcon-Coréia. Seria o fim de Kim JongIn
3. Se durante o acidente, mais alguém tivesse visto o JongIn. JunHo foi um anjo que esteve no lugar certo e na hora certa. Caso alguém mais tivesse visto o garoto, isso levantaria questões, ele seria levado ao conselho tutelar e em algum momento descobririam “o que” ele é.... E mais uma vez, seria o fim de Kim JongIn


O Baek tem poderes?

Não. Por que? Porque eu acho besta e inútil o poder do Baek no EXO. Simples assim. Sinceramente, não encontrei utilidade para esse poder na fic, juro que tentei. Pensei num acampamento onde eles ficassem no meio do nada e no escuro, daí ele aparecesse com a luz... Mas já temos o ChanYeol que poderia facilmente acender uma fogueira, então o poder o BaekHyun é totalmente dispensável. Sorry


Onde a Toola mora?

A Toola mora num lugar afastado. Muito afastado. É fora da cidade. Gosto de pensar que é numa espécie de floresta, imaginem a casa da Tia Dalma de “Piratas do Caribe 2 – A Maldição do Pérola Negra”, sabem? Apesar de ser um pântano. Mas pensem num lugar de difícil acesso, onde só quem conhece mesmo sabe chegar...


Por que o Kai chama a Toola de “Ma”?

“Ma” é um apelido que o JunHo deu quando criança para a Toola e ela o “emprestou” para o Kai. E agora, recentemente, emprestou para a Rebecca também já que ela está com o Kai. É uma apelido carinhoso, que faz referência a "mãe", já que é o que Toola é para todos eles.


O Kai é o único Casanova?

Ninguém, em momento algum, perguntou-me sobre isso. Se pararem para pensar, Kai não é o único Teleporter e JunHo não é um "gênio" para ter uma ideia única. Além de que existe sim um fundo de verdade na teoria do JunHo de que maior experiência sexual aumenta as habilidades de um Teleporter. Alguns teleporters fizeram isso num passado muito distante, mas muito distante mesmo. Isso não era muito bem visto entre os outros teleporters, mas como hoje existem muito poucos, digamos que fazer isso não implicará em nada nem para o JunHo e nem para o Kai (ao menos não entre os seus). E antes do Kai, JunHo chegou a fazer isso, mas isso só será contado num capítulo dedicado ao JunHo dentro da fanfic. E mesmo enquanto o Kai "trabalhava" como Casanova, JunHo também o fazia, porém, em outra cidade. Então, atualmente, o Casanova era na verdade duas pessoas: Kai e JunHo.



Bom, acredito que isso é tudo! Foi bem grande e espero que muita coisa tenha sido esclarecida! Se você leu até aqui, parabéns! Merece um prémio de paciência, porque aturar essa minha cabeça, não só numa fanfic, mas num jornal imenso assim, é demais pra qualquer um!!
Se alguma duvida ainda paira por suas cabecinhas, comentem aqui e ficarei muito feliz em responder-lhes. Espero que tenham gostado e me digam sua opinião a respeito. Um beijoooooooooo e nos vemos em Casanova!


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...