~BiiahXD

BiiahXD
D-O-L-L-H-O-U-S-E
Nome: Beatriz
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 8 de Fevereiro
Idade: 14
Cadastro:

Ficha - Companheira (Em construção :3)


Postado

I know my A-B-C's
Yet you keep teaching me
I say fuck your degree
Alphabet boy
You think you're smarter than me
With all your bad poetry
Fuck all your A-B-C's
Alphabet boy




Nome completo

Evellyn Katherine Antonelli Di Angelo.

Evellyn é um nome de origem alemã, e significa “Avelã”, “Castanho Claro”, mas antigamente era traduzido como “Maçã”. Evelyn, Evelin, Evellin e Evelinne são nomes derivados de Evellyn, mas a forma de pronunciar é exatamente a mesma. Muito comum na Alemanha, Espanha, Portugal e Canadá, poucas pessoas usam no Brasil esse nome. Trata-se de um bonito nome predominantemente feminino, uma vez que carrega a simbologia da maçã - entre outros, símbolo do amor e da fecundidade. Muitas vezes é confundido com Eveleen, um diminutivo de Eva, que não tem relação etimológica com Evelyn.

Katherine é a variante inglesa de Catarina, que surgiu através do nome grego Aikaterhíne, a partir da palavra kathará, que quer dizer "pura" ou "casta". Na Inglaterra, tem sido comum desde o século XII, com diversas grafias diferentes, e juntamente com a variante Catherine, se tornaram padrão no final da Idade Média. Este nome ganhou bastante fama graças à figura de uma santa lendária, que viveu durante o século IV em Alexandria, uma cidade egípcia. Na língua portuguesa, a primeira variante do nome Katherine que começou a ser utilizado em Portugal foi Catalina, por volta da primeira metade do século XV.

Antonelli tem origem italiana é significa “Filha do Senhor Antonius”. Esse sobrenome ficou famoso (É a teoria mais aceita) graças à um rei romano chamado Antonius, que simplesmente ficou consagrado por todas suas conquistas. Adicionando o sufixo “nellus”, que é tipo o “sama” em japonês, comum na Itália, o nome fica “Antonellus”. Foi adaptado para Antonelli em diversas partes do mundo, inclusive a própria Itália. Herdado de sua mãe, Marie Antonelli.

Di Angelo também é italiano, e significa, literalmente, “Dos Anjos”, um sobrenome religioso que significa que a pessoa que o carrega é de origem divina, dos anjos. Herdado de seu pai, Nico Di Angelo.




Apelido

Eve –Diminutivo de Evellyn, é um apelido comum para ela, usado para diminuir seu nome. Todos podem usar, todos usam esse apelido. Ela não liga, pelo contrário, gosta dele, se sente menos intimidada pela pessoa, já que não gosta de ser chamada pelo nome inteiro.

Lynn –Apelido mais íntimo, apenas pessoas autorizadas a chamam assim, como por exemplo suas amigas. Se alguma pessoa desconhecida ousar usa7r esse apelido, vai receber como volta um belo tapa e um olhar mortal. Usado por seu irmão, é o motivo pelo qual não deixa ninguém usá-lo à toa.

Katy/ Nine/ Nina/ Rin –Apelidos formais, normalmente acompanhados do sufixo “San” na frente. Usados por pessoas que não têm/ tem pouca intimidade com Evellyn, ou acham que o evento é formal demais para chamá-la apenas de “Eve”.

Snow –Apelidada assim por sua “grosseria”, que a maioria confunde com sua sinceridade. Ela não gosta de ser chamada assim, se sente alguém fria e vazia, algo que ela não é.

Alphabet Girl – Usado por mero deboche pelas pessoas que conhecem mais seu jeitinho de ser, certinho e educado na maioria das vezes. Ela não gosta do apelido por algumas razões (História) e respira profundamente querendo matar a pessoa queimada.

Angel – O único apelido que ela mesma se deu. Com referência ao seu sobrenome, “Di Angelo”, serve para o anonimato na internet ou quando ela assina um bilhete secreto, que ninguém pode saber quem escreveu. Apenas três ou quatro pessoas sabem.




Idade

Evellyn nasceu dia 22/06/1998 (Dia vinte e dois de junho de mil novecentos e noventa e oito). Nascida em pleno outono, as pessoas dizem que ela é instável como a própria estação, sempre imprevisível, mas ao mesmo aconchegante como as folhas caindo. Seu signo é Câncer ♋, com seu ascendente lunar, ou seja, sua lua, em Aquário ♒ e seu ascendente solar em ]Gêmeos ♊. Por mais que seu signo seja Câncer, os signos mais dominantes de sua personalidade são seus ascendentes. Evellyn acredita muito nos signos, sendo considerada “A fanática” por eles, sempre lendo tudo que pode sobre e se prevenindo de acordo com o que está escrito. Nascida às 3h e 3min da manhã, foi parto normal, em casa por causa do pai super tradicional, sem complicações.



Nacionalidade

Evellyn nasceu na Itália, mais precisamente na famosa cidade romântica, Veneza, a terra dos rios mais românticos. Foi criada lá desde pequena. Ela ainda sente saudades de lá, das gôndolas pra lá e para cá, das músicas italianas, das pequenas casas tão coloridas e formosas, da culinária italiana, e quando conseguir com certeza faria uma viagem de volta a sua terra natal.





Aparência

Evellyn pode ser descrita como uma menina muito bonita, porém ao mesmo tempo muito exótica. Dona de longos e macios cabelos, eles são de uma coloração indefinida, em algum lugar entre o verde-água, o azul bebê e o cinza azulado, com várias mechas de tons diferentes de cores, dando aquela ilusão de ótica de um cabelo “arco íris”, com diversas cores, quando na verdade são apenas leves alterações do mesmo tom, principalmente em suas pontas, onde a cor chega a ser até mesmo branca. São cortados em “V”, um corte onde o cabelo vai se afinando em ordem decrescente, as menores mechas ficam em cima, com seu comprimento encerrado por apenas algumas mechas maiores do que as outras, e chegam até o início de suas coxas. Seu penteado mais comum entre os infinitos que pode fazer é o cabelo solto mesmo, com duas mechas na frente de seu rosto, afinando e adornando sua bela face. Sua franja é cortada de modo irregular, com algumas mechas maiores do que as outras, os fios nessa região de seu cabelo costumam ser muito rebeldes, não ficando exatamente no lugar, o que faz a garota ter um sério problema com fios cobrindo e atrapalhando sua visão. É vaidosa com seus cabelos, isso ela não nega... Evellyn os adora e não mede esforços para deixá-los sempre macios, sedosos e cheirosos, tendo uma quedinha pelo cheiro de framboesas. Basta passar perto de Eve e verá o quão cheirosas são suas preciosas madeixas. Não pretende cortá-los ou usá-los mais curtos, pois desde pequena seu pai lhe dizia que “Os longos cabelos, assim como o corpo ampulheta, são essenciais a uma mulher”. Também não costuma usar enfeites nos cabelos, no máximo, algumas flores ou arquinhos, além dele preso.

Seus olhos são de uma coloração azul claro, quase cinzento, contrastando bem com seus quase grisalhos cabelos. São grandes e brilhantes, o que dá um ar de inocência a ela, mesmo que ela insista que não é o que aparenta ser. Sempre com um olhar simpático e misterioso, ela pode tanto intimidar como aparentar ser simpática, dependendo de seu humor, já que seus olhos demonstram facilmente suas emoções e sensações, ou seja, ela não sabe esconder suas sensações e sentimentos. Eve normalmente os ressalta com sombras discretas e neutras como o preto, branco, bege e seu querido delineador, quando arrisca algo mais chamativo o máximo que faz é passar um rosa ou dourado mesmo, sem exagerar e ainda tirar um pouco da cor, sendo uma pessoa discreta com maquiagem, e não quer que ninguém preste atenção nela. É quase impossível não se contagiar com seu olhar.

Seus cílios são longos e negros, bem volumosos e tem a famosa “curvinha”, dando ainda mais “sedução” para seu olhar. A-D-O-R-A cílios longos, de modo que sempre está passando rímel e retocando e retocando, até que esteja totalmente em seu limite e seu olhar esteja pesando, aí ela apela pros cílios postiços *risos*. Com um pequeno grau de miopia nos olhos, Lynn usa lentes de contato diariamente apenas por ser mais fácil, mas em casa não resiste a suas várias armações de óculos, de modo que quando cansa de suas lentes usa seus óculos, que incrivelmente dão um ar mais bonito e intelectual para ela.

Com uma pele alva e macia, Eve tem o hábito de se cuidar, já que fora imposto pelos pais, especialmente por seu pai: Bases, pós, blush e BB creams estão sempre em sua vida, não saindo um minuto de sua bolsa. Praticamente livre de imperfeições e manchas graças aos cuidados dela, senão, sua pele estaria ressecada e totalmente cheia de espinhas, cravos, etc. Basta ela descuidar um minuto de si e pronto! Todo seu esforço e o esforço de seu pai vai por lixo. Com pele sensível, mesmo sabendo que não pode continua jogando quilos e quilos de maquiagens em ocasiões especiais, afinal, o que é uma pele necrosada perto de beleza por seis horas do dia? Em eventos não mede esforços e maquiagens para se sentir linda, tendo que ficar se arrumando por horas até que resolva sair e escolher a roupa... Porém, no dia a dia, o máximo que passa é um batom ali no meio termo, nem claro nem escuro, delineador e um pouco de pó. Desde pequena fora induzida a ideia de ser a mulher perfeita, então se esforça para não deixar seus progenitores “Passarem vergonha”.

Seu rosto tem um formato redondo e possui traços delicados, dando um ar elegante e belo a ela. Nariz pequeno, arrebitado e empinado, com sua ponta levemente arredondada, levemente pontuda, sendo totalmente proporcional ao seu rosto. Costuma não ter cor nenhuma, nem no frio nem no calor, não ficando com o famoso “Nariz de rena do Papai Noel” a não ser que fique doente ou algo do tipo. Seu queixo é harmônico, nem muito redondo nem muito pontudo, ali no meio termo, sendo totalmente escultural e elegante. Dona de bochechas extremamente gordinhas e fofas, Evellyn Katherine ODEIA que tentem apertá-las, e se tentar fazer isso levará um tapa. Normalmente apresentam apenas uma leve coloração rosada, natural de Eve, mas apenas diga algo que a surpreenda ou diga o quanto ela está bonita que não apenas as bochechas, mas seu rosto todo fica vermelho de vergonha, dos mais profundos tons que possam imaginar. Seus lábios são bem desenhados e um pouco carnudos, tendo uma cor rosada, mais puxada pro salmão, o que faz com que ela viva com batons mega coloridos, sendo seu preferido o vermelho ou rosa chiclete. Bem hidratados e macios com protetores labiais, normalmente estão com um leve gosto de chicletes e balas de todos os sabores graças ao seu vício. Graças ao enorme vício com chicletes a balas, Eve tem que prestar uma atenção enorme aos seus dentes, escovando-os três vezes ao dia, para que não cause problemas ou cáries, mas de vez em quando acaba se descuidando e tendo uma dor de dente... Suas sobrancelhas são mais arredondadas, sem o sinal de arqueamento, porém bem desenhadas e também no tom azul/cinzento/verde água de seus cabelos, sempre feitas e sem nenhum pelinho fora do lugar. Suas orelhas são quase sempre escondidas por mechas de seu cabelo, mas são incrivelmente pequeninas e delicadas, e isso constrange Evellyn, que sempre coloca seu cabelo em cima delas para esconder, porém não resiste e acaba usando alguns brincos, sendo seu preferido um dourado com uma bolinha azul em ambas as orelhas.

Seu corpo, graças aos inúmeros vestidos, espartilhos e roupas apertadas que usou sua vida inteira, possui curvas invejáveis a qualquer mulher, digna de uma “Mulher perfeita” dos anos vinte ou trinta, onde ainda tinha aquele padrão sendo seguido por todas as mulheres. Dona de seios fartos, firmes e redondos, que tenta esconder a todo custo, pois quase todos os rapazes a olham quando passa por causa deles. É algo que sim, ela não gosta, pois chama demais a atenção, e discreta do jeito que é... Se sente invadida. Sua cintura é finíssima, senão a mais fina do mundo (Exagerada, é assim que Eve se refere a sua cintura), pois o tanto de anos que usou e usou o espartilho acabou esmagando parte de suas costelas, deixando como conseqüência uma fina cintura. Evellyn sente diversas dores fortes sem o equipamento, e por isso o adquiriu em sua vida e o usa em absolutamente todos os dias e todas as horas, menos para dormir, porque mesmo sentindo dores, ela quer parar com seu uso, acha uma baboseira enorme, porém seu corpo já se acostumou... Então, sempre que está usando o aperta em seu corpo cada vez menos, para que enfim essas dores passem, e consulta um médico a cada seis meses, para saber o tamanho do estrago. Possui quadris medianos, sendo extremamente largo comparado à sua cintura, pelos problemas que tem. Mesmo aparentando ter um belíssimo corpo, Katherine é magra até demais, com os ossinhos de seus quadris aparecendo ao olhar com mais calma, mas pelo menos com isso ela não se importa.

Sua barriga é lisa, não aparentando qualquer sinal de gordura. Alimentação rigidamente controlada quando menor, Eve não podia sair um pouquinho de seu peso, que lá vinham dietas, pílulas e tratamentos para que ela emagrecesse, e infelizmente, isso continua assim. Ela própria controla seu peso com mão de ferro, se perguntando onde errou ao ver dois ou três quilos a mais na balança. Suas pernas são lisas, bem torneadas e sem qualquer sinal de estrias, celulites ou manchas graças a suas dietas. Com coxas medianas e firmes, Eve pode dizer que é a única parte de seu corpo que realmente gosta, pois seus pais não mexeram em nada ali. Não há sinais de pelos visíveis, pois os poucos que ela tem são loiros ou grisalhos, e os depila todo mês. Esbeltas e longas, dão um semblante mais alto para Eve, de modo que ela aparenta de longe ser muito mais alta do que realmente é. Seus glúteos são medianos, empinados e extremamente firmes, também sem nenhum tipo de mancha.

Evellyn Katherine mede 1,65 de altura e pesa exatos 56 quilos, muito bem distribuídos pelo corpo. Em resumo de ópera, Eve não se gosta mesmo com todas suas curvas e partes atraentes, pois nada daquilo é dela de verdade, foi moldado e esculpido de acordo com uma família extremamente tradicional e machista, que queriam que ela fosse a “Menina perfeita”. Com uma auto estima extremamente baixa, jamais a verá se olhando no espelho e se achando bonita, pelo menos em relação ao seu corpo.

*Elisabeth Liones, Nanatsu no Taizai.

















Personalidade

“-Sabia que pesquisas recentes afirmam que a água da Lua e da Terra têm a mesma origem: ambas teriam sido trazidas 100 milhões de anos após a formação do Sistema Solar, por pequenos meteoritos chamados condritos carbonácios, Os cientistas chegaram a essa conclusão depois de analisar a composição química de rochas lunares coletadas na década de 1970, durante as missões Apollo 15 e 17? E que ela poderia ter tido uma espécie de irmã gêmea que foi engolida pela própria Lua? E que...”

Uma sabe-tudo. É assim que podemos definir Evellyn na maioria dos dias. Ela sempre tem uma resposta, curiosidade ou dica para qualquer situação que aconteça, e são raras as vezes em que ela está errada ou que se engana.

Terminou o colegial quando tinha apenas seus doze anos de idade e foi aceita em 61 universidades pelo mundo depois que saiu da escola, tem um QI de aproximadamente 187 e é capaz de ler 20,000 palavras por minuto, (Um americano comum adulto consegue ler cerca de 300 palavras por minuto em um texto de prosa) e desde então, sempre está em busca de mais cursos e faculdades apenas pelo prazer de saber mais e assim, conseguir cada vez mais diplomas e prêmios para sua coleção. Sempre trancada em casa pelos pais, saindo apenas para ir à escola, sua única companhia eram os enormes e curiosos livros, de modo que desenvolveu um gosto muito grande por eles, e dispensa qualquer companhia para ler um bom livro. Seus autores favoritos são Shakespeare, Edgar Allan Poe e alguns outros mais, com sua grande lista literária válida para todos os tipos de gêneros: Científicos, romances, História... Quase sempre carrega um exemplar de algum clássico da literatura como por exemplo Romeu e Julieta, e é possível que ela te ignore completamente quando estiver lendo, mas não se preocupe, não é por mal, ela apenas está... Dentro da história.

Problemas de lógica ou extensas contas de matemática? É fácil como tirar doce de criança adormecida! É como uma conta simples de 2+2 para ela... Sua matéria favorita é matemática ou a Química, pelo simples fato de que, não importa por onde vá, qual caminho ou fórmula resolve seguir, sempre há apenas um resultado: o certo. Inspirada por vários matemáticos famosos como Isaac Newton e Pitágoras, seu maior sonho é descobrir algo que todos julgaram ser impossível, para que assim ela se torne tão famosa quanto eles por sua Inteligência.

O motivo de tanta genialidade é que Eve tem uma memória eidética e Síndrome de Asperger, o que significa que ela pode se lembrar de uma quantidade extremamente grande de informações com detalhe extraordinário e desenvolver habilidades fora do comum, respectivamente. Sua memória, no entanto, só se aplica às informações obtidas visualmente (especialmente coisas que ela fez ou viu de perto), isso não é tão bom nas memórias auditivas, ela até se lembra, mas não tão detalhadamente como se ela tivesse lido algo sobre o assunto ou presenciado o acontecimento, mesmo lembrando perfeitamente de algumas conversas. Por causa da memória fotográfica e dos inúmeros conhecimentos que possui, Evellyn está sempre soltando alguma curiosidade aleatória sobre qualquer assunto, mesmo sendo inconveniente para a conversa, ela está falando e explicando, o que pode causar alguns constrangimentos e/ou situações desnecessárias. Sue potencial nunca foi de fato explorado pelos pais, de modo que sua vontade, seu desejo de saber mais é grande e ela quase nunca está satisfeita, tendo três doutorados: Um em matemática, conseguido aos treze anos, um em Filosofia, conseguido com quinze e um de Psicologia, o mais recente, aos dezesseis anos.



“-Hey Eve, o que tem aproximadamente dezoito centímetros e deixa as mulheres malucas?
-Hm, eu não sei, o que?”


Ingênua. Uma das palavras que mais definem seu jeito de ser, todo meigo, fofo e inocente. Por mais que seja inteligente e tenha mais informações que muitas bibliotecas por aí, Eve é desajeitada socialmente e maliciosamente, não entendendo muitas vezes as cantadas e piadas de duplo sentido que a maioria dos caras faz com ela quando ela passa na rua. Pode ser a mais óbvia possível, uma cantada que até um bebê entende o duplo sentido, mas Eve não vai entender, mesmo que pense muito e vai ficar confusa, perguntando para todos o motivo de estarem rindo dela. Socialmente, além de quase sempre ser a menina que todos conhecem, porém ela é intrigante demais para que comecem uma conversa com ela, tem dificuldade em perceber o interesse das pessoas sobre si, na maioria das vezes ignorando sinais de flertes ou de qualquer interesse de homens ou mulheres alheios... Nunca se interessou de fato por relacionamentos amorosos, tanto que em seus curtos anos de vida ela só se dedicou a estudar e buscar cada vez mais conhecimento.

Em toda a sua vida, só se relacionou seriamente apenas três vezes: E nessas vezes, foi necessário que a outra pessoa chegasse perto dela, puxasse assunto, ficasse íntimo e finalmente pedi-la em namoro, porque se depender dela... Isso nunca acontece, já que ela não se importa. E nesses namoros, nada mais sério do que beijos e abraços aconteceram, pois mesmo que tenha um corpo digno de inveja, Evellyn tem vergonha e é inexperiente com esses assuntos, de modo que sempre fica escondida de tudo e todos, e seus relacionamentos, os três acabaram por pressa do rapaz que estava com ela. Eve é extremamente tímida, escondida, que não gosta de chamar a atenção e ficar em seu cantinho quieta, sem que ninguém a incomode ou tente puxá-la para o meio do palco em relação a garotos, namoros e essas coisas que faz o coração de toda adolescente palpitar.



“- Uau, essa mesa tá uma bagunça, o que foi que aconteceu aqui? Esses livros aqui, não vê a diferença de alguns milímetros?... Ah, não, sem abraços, por favor, não toque em mim... Não sabemos que doença você tem aí com você

Eve tem germofobia, que para quem não sabe, é o medo excessivo de bactérias, germes e doenças contagiosas, que podem ser contraídas por contato com outros humanos, então, ela se recusa a encostar, abraçar, beijar ou até mesmo apertar a mão de um desconhecido ou de uma pessoa com quem ela não tem muita intimidade, por medo de pegar quaisquer doenças, e pode ser vista com uma expressão de desgosto ou de nojo ao sentir alguém a abraçando ou encostando em si sem sua permissão. Se ela te abraça ou te beija, essas reações normais de carinho, pode ter certeza que ela te ama, e muito. Normalmente é vista sempre com um álcool em gel em mãos, acompanhado de vidrinhos de sabonete líquido, que Eve leva em sua bolsa para todos os lugares, para assim evitar ficar com o corpo “sujo”. Toma em média três banhos por dia, um de manhã, um a tarde e um a noite, sem exceção, para se livrar de tudo que pode estar nela...

Outra coisa muito visível é seu TOC: Evellyn não pode ver um livro maior do que o outro na prateleira ou quem sabe uma garrafa de leite com o rótulo virado para uma posição diferente das demais, ela precisa arrumar e deixar tudo simetricamente organizado. Todas as suas coisas são impecáveis e estão sempre no lugar e limpas, e sempre que vai visitar a casa de alguém, mesmo que a pessoa insista para que ela fique em seu lugar como convidada, Eve precisa limpar e arrumar tudo o que usou, senão ela perde a cabeça...



“-Oi! Como vai? Tudo bem? Sou Evellyn, prazer!”

Mesmo sendo tímida com relacionamentos amorosos, Eve é extremamente sociável, como qualquer italiana que se preze *risos*. Sempre com um sorriso simpático e educado no rosto e uma fala mansa, agradável e clara, qualquer pessoa que se aproximar dela ou até mesmo estar no mesmo ambiente que ela Evellyn vai conversar, brincar, soltar alguns fatos curiosos, rir, ser a menina encantadora que sempre foi com todas as pessoas que conhece ou vai conhecer. Com um forte sotaque italiano, por mais que seja fluente em várias línguas, não é tão fluente em japonês, de modo que ainda troca palavras pelas em italiano, pois essa ação, para quem ainda está mudando de idioma, é totalmente normal. Extrovertida e animada, é normalmente a que anima o grupo e faz todas, até mesmo as mais distantes e quietas, que nunca falam com alguém, conversarem juntas por mais de quarenta segundos sem brigas, sendo muitas vezes a mediadora de todas as brigas que acontecem dentro da amizade, para não gerar problemas. É o tipo de pessoa que não pode ver uma menina que não conhece que vai até ela conversar e tentar saber mais sobre essa menina, e se ela não quiser falar, aí é que Lynn vai tentar cada vez mais falar com ela, pra descobrir o motivo dela não querer falar com Eve. Inquieta, não consegue ficar calada, parece que Evellyn precisa soltar algum comentário ou curiosidade sobre aquela situação, ou começa a “inchar” com todos os pensamentos que estão a mil em sua cabeça, trabalhando arduamente.


“-Eu até tento, ok? Mas não consigo mentir”

Lynn é uma pessoa que não consegue esconder seus pensamentos ou suas emoções das pessoas, ela até tenta algumas vezes, mas não consegue, sendo então, uma péssima mentirosa. Sempre que surge a oportunidade de falar, de opinar sobre os acontecimentos ou pessoas ela fala, não se dando conta que às vezes pode ser inconveniente o que ela falou. Transparente, se ela está com ódio, raiva, constrangimento, qualquer coisa, dá pra se ver nítido em seu olhar, não importa se ela está calma por fora, apenas foque em seus olhos e verá o quão furiosa ela está. Acha que as pessoas deveriam se expressar mais e se esconder menos, assim as falsidades e mentiras sumiriam facilmente do mundo. Aliás, isso é outra coisa que ela odeia: Mentiras.

Tente mentir para essa menina e verá o tapa que vai levar. Detecta na hora qualquer tipo de mentira ou falsidade, e repudia completamente a ideia de se esconder por trás de uma história. Qualquer detalhe não passa despercebido por Eve, mordeu o lábio de forma discreta, olhou para baixo, um sorrisinho minúsculo, qualquer coisinha ela já desconfia, sendo uma pessoa que ninguém gostaria de ter como inimiga. Repudia completamente as mentiras e a possibilidade de mentir a ponto de morrer a mentir de novo para qualquer um: Se faz isso, remorso é pouco para descrever o que sente, sua consciência fica pesada, vozes falam em sua cabeça palavra por palavra a mentira, ela não consegue dormir, por aí vai.



“-Senta aqui, vamos conversar. O que tem de errado com você hoje? Não me parece bem...”
“-Não é nada Eve! Sério, não precisa ficar perguntando”
“-Isso não foi uma pergunta. Eu sei que está mal”


Evellyn é intuitiva, e seu doutorado em Psicologia a ajuda muito na hora de identificar os sinais de uma depressão, tristeza... Se ela te puxar para algum canto e te perguntar se está bem, ela espera uma resposta concreta, pois ela sabe que a pergunta que ela fez a resposta vai ser: Não. Não mede esforços para ajudar quem precisa, e sempre estará a sua disposição para uma conversa ou desabafo.

É Paciente, sempre terá tempo de te escutar e de te ajudar, por mais que seu problema para ela seja ridículo. Eve é o tipo de amiga que, se você ligar pedindo socorro às três da manhã, ela vai estar lá em dez minutos e te dar toda a assistência necessária, não reclamando da hora ou algo do tipo, lógico, se for importante para ela. Gosta muito de crianças, e poderia ficar horas com elas sem problemas, sendo uma ótima babá. Evellyn gosta de crianças por achá-las puras e inocentes, além de, secretamente, invejar a infância de muitas por aí por terem o que ela nunca teve: Família. Parece que ela jamais perde a paciência, mesmo quando as coisas passaram dos limites ou a pessoa a odeia e tentar causar mal... Antonelli-san é o tipo de pessoa que facilmente “Apanha e esquece”, ou seja, não importa o quanto de vezes a pessoa ignorar, afastá-la ou evitá-la, ela vai continuar tentando se aproximar e entender a situação, tentando entender o motivo de tanta raiva de alguém que nunca fez nada a ele (a).

Pacífica e calma na maioria das vezes, se discutir com alguém (O que é raro de acontecer), ela vai parar a discussão com um simples “Desculpe-me” e ir embora calmamente, deixando a outra pessoa sem palavras. Nunca foi de brigar, e não é agora que isso vai mudar. Quando está levando bronca ou até brigando por algo desnecessário, Eve simplesmente abaixa a cabeça e desliga do mundo até a pessoa parar de falar besteira, somente assentindo quando toda a falação acabar.



“-Você acha que só por causa que você é de uma cor mais clara tem direito de desprezar a raça negra? Não sabia que você tem vinte e cinco por cento em média de DNA negro, babaca?”

Eve é uma pessoa altruísta e gentil, como sempre foi no fundo. Sempre coloca as necessidades de outras pessoas acima das suas, até mesmo de quem ela não conhece, por exemplo: Se ela vir alguém passando frio, não hesitará em tirar a sua jaqueta e entregar para essa pessoa, mesmo se estiver nevando, pois alguma coisa a impede de continuar em frente sem ajudar aquela pessoa. É bondosa, e não suporta que outro ser humano despreze um igual apenas por classe social ou raça, sendo uma legítima defensora dos direitos iguais, dos Estatutos Contra o Bulling, das delegacias das mulheres, o tipo de ação que todos deveriam apoiar. É dominada por um senso de justiça fortíssimo, desenvolvido quando menor, á que sempre estava ouvindo sobre política e decisões da ONU. Sempre defende as coisas quando acha que está certa, se algo está errado, injusto ou prejudicial para outra vida ou algo, ela vai lá e conserta da sua maneira “Evellyn”, sem medo do que possa acontecer com ela, pensando apenas nos outros. Acha injusto e cruel os mais fortes que humilham os mais fracos apenas para se sentirem bem, as pessoas que fazem isso não são dignas de receber seu respeito e muito menos viver junto a outros... É o tipo de pessoa que só “filma” suas atitudes por algum tempo, e quando você menos espera... Ela pode acabar com você na mesma hora.


“- Pode não parecer, mas eu fico magoada com todas as ofensas que me fazem... Sou um ser humano, e como todos os outros, tenho sentimentos”

Como uma boa canceriana, seu lado emocional, ainda que seja mais apagado pelo racional por causa dos inúmeros anos estudando e decorando estatísticas, existe, e a domina em muitas situações delicadas. Por ser uma criança prodígio que na maioria das vezes praticamente humilhava os veteranos mais velhos, acabou sofrendo muitas vezes bulling pelos colegas mais velhos do que ela, tendo um caso que foi o mais marcante em sua vida: Eve foi amarrada a um poste no centro do campus, mais precisamente em uma quadra por algumas meninas mais velhas e teve toda a parte de cima de seu corpo despida e seu corpo rabiscado com as seguintes palavras: “Insuportável Sabe-tudo”. Vários alunos ali paravam para olhar e zombar d mais nova, que, desesperada, apenas olhava tudo aquilo acontecer com ela, sendo salva horas depois por um zelador que por ali passava para limpar a escola. Ao voltar para casa, descobriu que nenhum dos dois pais percebera que era tarde demais para voltar pois estavam totalmente concentrados em um jantar a dois feito pelo pai para distrair a crise esquizofrênica da mãe, e foi castigada minutos depois de ter entrado por ter atrapalhado todo o processo. É uma menina carente, necessita da atenção das pessoas, mesmo que não mostre isso. Gosta de um carinho, de um presente inesperado, surpresas boas que mostrem o quanto gosta dela. Se ela te ama ou se importa contigo, não a abandone ou a decepcione, ela, mesmo com dor, se vira contra você e aí ferrou a sua vida, acredite, ela sabe guardar mágoas e nunca subestime a capacidade dela fingir que não te conhece e te tratar com toda a frieza existente nela. Sempre com o mesmo sorriso no rosto, sempre com a mesma expressão, Evellyn é o tipo de pessoa que você jamais irá ver triste ou magoada, ela sabe esconder seus sentimentos muito bem, para que ela mostre algo em público... É preciso muita confiança e determinação para fazê-la falar.


“-Tudo bem, eu farei o que manda”

Eve é uma menina submissa. Sempre ensinada pelo pai que as mulheres devem obedecer aos homens em qualquer situação, tudo o que lhe pedirem ela fará sem questionar, perguntar ou se rebelar contra a ordem, aceitando de bom grado tudo que lhe falarem, mesmo se desprezarem e dizerem que tudo o que ela fez, tudo o que ela se esforçou está ruim, Eve vai realmente aceitar o que está sendo dito e fazer de novo, para agradar a pessoa e assim ser liberada da tarefa. Não é uma menina de opinião própria, que luta por seus ideais e teima em dizer que está correta, a menos que tenha certeza do que está sendo dito, algo que ela decorou dos livros, pelo contrário, é facilmente influenciável por outras pessoas, sendo alguém facilmente manipulável por pessoas maldosas e que querem fazer sua cabeça. Por mais que aparente ser forte e independente, quando mandada apenas baixa a cabeça e faz o que lhe ordenaram, sendo a perfeita boneca e seguindo quase todas as regras do maldito lugar. Evellyn “se põe em seu devido lugar” quando vê que está “atrapalhando” alguém que ama ou precisa se concentrar, graças ao seu passado, onde era apenas uma boneca. Por causa disso, ela tem uma auto-estima baixa, dificilmente vai vê-la se admirando no espelho e dizendo “Nossa, estou bonita!” ou “Realmente fico bem nessa roupa”, é mais fácil vê-la procurando defeitos em si mesma por achar seu corpo curvilíneo demais para sua idade. Enfim, ela sempre precisa de incentivo para sair de casa confiante e sorridente, então elogios ou comentários do tipo “Nossa, essa saia fica linda em você!” totalmente espontâneos a ajudam e muito, nem mesmo se for de algum pervertido qualquer da rua dizendo que ela é bonita, Evellyn se sente um pouquinho melhor com sua aparência.


“-Por favor, me passe o saleiro? Muito obrigada”

Eve é educada. Muito. Especialmente na frente de Reiji, seus modos são os melhores, afinal, era isso que fazia o tempo todo em casa, estudava sobre etiqueta. Jamais a verá com postura desleixada ou falando gírias em situações “formais”, pois até mesmo ela morre de medo de Reiji. Sempre com um sorriso educado e simpático, é sua máscara: Por mais que tente, não conseguirá tirar a tão ensaiada expressão de seu rosto, que está consigo desde pequena.


“-Já disse o quanto eu gosto de você? “

Leal e protetora, não ouse machucar, insultar ou até mesmo apenas sorrir debochadamente para as pessoas que ela ama, que Evellyn esquece totalmente onde está e com quem, se será julgada ou não e sua timidez vai para o além, porque do nada vira uma menina agressiva, impaciente e muito, mas muito grossa. Com xingamentos que nem ela onde aprendeu, Antonelli-san vai virar um pequeno demônio e partir para cima de você com todas as forças que tiver, contrariando a ideia de ser uma “doce boneca” e quebrando todos os seus ossos e por cima jogando cera quente, para ver se você aprende a lição. É super protetora e ciumenta, e não aceita de jeito nenhum vê-los desconfortáveis ou em perigo. Possessiva, se vê alguma garota de fora tentando ser amiga de SUAS amigas ela fica vermelha de raiva, e faz questão de ir até a tal menina e puxar sua amiga pra si em um abraço, como quem diz “É minha melhor amiga, menina. Vai procurar a sua!” Odeia ser trocada, se sente sozinha, traída e abandonada. Uma boa ouvinte e conselheira, jamais deixará que suas amigas façam papel de trouxa, apesar de não saber o que fazer com sua vida. Meiga e sempre com um sorriso meigo nos lábios, adora conversar e rir de assuntos aleatórios. Uma boa ouvinte, sempre dando conselhos a todos que pedem, com um ar protetor. Roupas e sapatos são muito discutidos com ela, por ter um senso de crítica bem rígido. Ama ficar com elas apenas olhando para o nada, dançando, cantando, qualquer coisa está ótimo se estiver com elas.



Virtudes

Inteligente

Simpática

Protetora

Paciente

Educada

Amigável



Defeitos

Distraída

Ingênua

Submissa

Ciumenta

Influenciável

Coração mole

Medrosa
.



História

Sempre mirando aviões de papel em mim quando você está por perto
Você me constrói como blocos de construção para assim poder me derrubar


Eve nasceu em Veneza, em uma família rica da região, que gerenciava uma marca de roupas a rigor conhecida por ali, no país. O dono dessa loja, Nico di Angelo, era um homem de trinta e dois anos quando Eve nasceu, casado com Bianca Antonelli Di Angelo, uma jovem mulher da classe média de vinte e oito anos que havia conquistado o coração dele em um festival da região. Ambos estavam casados há pouco tempo, e ficaram extremamente felizes com o nascimento de Evellyn, a menininha que havia nascido para alegrar a vida do casal. Ambos se amavam muito, e davam a vida um pelo outro, e se fosse necessário.

Bianca era uma mãe maravilhosa: Sempre educando, sempre ensinando o certo e o errado, e ao mesmo tempo sendo a amiga e parceira que uma mãe deve ser com seus filhos. Firme, jamais deixaria que Eve tivesse um ataque de birra, fosse mal educada ou tivesse um comportamento inadequado, afinal, ela era uma Di Angelo, não? Quase sempre levava a filha para passear, brincar de boneca, ir ao parquinho, tomar sorvete, Eve era quase que “mimada” pela mãe todos os dias, já que o sonho de Bianca sempre foi ter uma menina como filha, para cuidar e amar. O pai era o mesmo de Bianca, sempre foi um bom pai e deu tudo, desde alimentos e roupas até educação e saúde, do bom e do melhor para a filha, não deixando nada faltar, mesmo sendo mais distante por causa do trabalho que uma empresa normalmente dá. Resumindo, a vida de Evellyn Katherine era a melhor, era invejada por muitas crianças e tinha uma família perfeita. Inteligente desde que nasceu, sendo autodidata, com seus sete anos já estava no oitavo ano da escola, sendo a mais nova e ao mesmo tempo a melhor da sala. Apelidada de “Criança Prodígio”, tinha um futuro brilhante, aliás, todos da família tinham, pois a loja estava cada vez mais famosa, chegando a ser internacional.


Você pode esmagar meu pirulito, mas você nunca vai me ver chorar
Se você exibir esse diploma e eu matar você, não fique surpreso


Até algo trágico acontecer: A mãe, Bianca, começara a ter sinais de esquizofrenia, e das sérias. Não conseguia se lembrar de seus familiares ou compromissos, algumas vezes delirava vendo pessoas que já haviam morrido ou estavam longe, até mesmo acontecimentos falsos eram vistos por ela. Não conseguia cuidar de si mesma, sempre vivia se machucando, e suas crises esquizofrênicas eram extremamente perigosas. Isso acabou com Nico, homem tão apaixonado pela esposa e tão fiel com seu trabalho. Ele percorreu vários lugares do mundo, consultou os melhores médicos, leu absolutamente todos os livros sobre o assunto, louco para encontrar algo que curasse sua mulher, mas infelizmente era tarde: Como a doença é genética, se propagou pelo corpo, e os sintomas tendem apenas a piorar e deixá-la ainda mais debilitada. Nico, sempre sorridente, estava deprimido. A mulher perfeita para ele, a mais impecável pessoa que andava por aquele mundo, não conseguiria mais amá-lo ou se virar sozinha, e jamais acharia outra pessoa como ela. Logo a notícia se espalhou, por algum jornalista que estava investigando e achou esse fato, pela Itália, deixando o caso atingir um nível de conhecimento global. Sua mente estava a mil: Trabalho, entrevistas, empresas, mulheres sabendo da notícia e dando em cima dele, sua filha... Ele precisava de um tempo.

Enquanto isso, a Vida de Eve não estava nada fácil na escola: Com seus nove anos, entrou no primeiro ano do Ensino Médio, e aprendeu da pior forma como adolescentes podem ser cruéis. Sendo a mais nova e a mais inteligente da sala, muitos dos alunos começaram a “invejar” seu jeito prodígio, especialmente repetentes e meninas populares do colegial, que tinham todo seu glamour e beleza ofuscados com a chegada da Pequena Gênia, ou Alphabet Girl, como apelidaram debochadamente a menina, tão inocente e amigável. Logo o bulling começou, primeiro com bilhetes e mensagens de deboche, dizendo o quão ela era “feia”, nova e estranha ou quem sabe mensagens dizendo para a menina ir brincar de boneca, mas tudo isso começou a piorar: Passaram a agredir Evellyn, que só tinha nove anos, com fúria, esmurrando mesmo, humilhando-a na frente de todo mundo, deixando Eve como um lixo encolhida no chão de dor. Ora, aquela garotinha não merecia estar ali, era só mais um, não? O caso mais marcante em sua vida, algo que ela sonha até hoje foi o dia em que Eve foi amarrada a um poste no centro do campus, mais precisamente na única quadra que todos usavam por algumas meninas mais velhas, entre quinze e dezoito anos e teve toda a parte de cima de seu corpo despida e seu corpo rabiscado com as seguintes palavras: “Insuportável Sabe-tudo”. Vários alunos ali paravam para olhar e zombar da mais nova, que, desesperada, apenas olhava tudo aquilo acontecer com ela. Ninguém se atreveu a ajudá-la sendo salva horas depois por um zelador que por ali passava para limpar a escola. Ao voltar para casa, despida e rabiscada, descobriu que nenhum dos dois pais percebera que era tarde demais para voltar, pois estavam totalmente concentrados em um jantar a dois feito pelo pai para distrair a crise esquizofrênica da mãe, e foi castigada minutos depois de ter entrado por ter atrapalhado todo o processo. Resumindo, a vida de Evellyn agora não estava fácil, mas... Tudo pode piorar.


Eu sei os meus A-B-C's
Ainda que você continue me ensinando
Eu digo foda-se o seu diploma
Garoto alfabetizado


Não tendo Bianca como sua representante nas inúmeras entrevistas que dava, Nico passou a querer transformar Eve na mulher perfeita: Educada, com belas curvas, bem cuidada, bem vista pela sociedade, tendo boas maneiras, tudo o que Bianca, a própria esposa havia demorado anos para aprender Nico queria que Evellyn aprendesse. Assim, obcecado por querer que a filha fosse a substituta de sua mãe, todos os dias depois da aula a garotinha precisava ir as aulas de eitqueta, piano, mais aulas particulares sobre assuntos que ela já sabia... Sem contar os inúmeros e apertados vestidos e espartilhos que era obrigada a usar em casa e na rua sem parar, para conseguir o famoso “Corpo Ampulheta”. Se por algum motivo ela não cumprisse as regras que lhe eram impostas, lá vinha castigo: Uma palmatória, das antigas mesmo, estava pendurada no cinto de seu pai, pronta para ser usada em caso de desobediência ou rebelação. Toda a situação, junto ao bulling que sofria sem parar, acabava com a menina, agora com seus doze anos. Sua mãe estava totalmente bipolar, uma hora abraçava e dizia o quanto ela era importante para a mesma, outra hora não reconhecia a garota e a mandava aos berros ir embora, e quando isso acontecia, também era motivo para ser castigada.

Logo Evellyn foi se acostumando: Não reclamava ou desobedecia da ordem do pai, ia para todas as aulas necessárias com gosto, se acostumara de algum jeito aos espartilhos apertadíssimos que usava. Submissa, recatada e inteligente, era a mistura perfeita da mulher moderna com a tradicional. Seu caminho na escola foi o mesmo, a diferença que ela já não ligava, ou pelo menos tentava não ligar para os colegas e pessoas que tentavam a machucar com piadinhas ridículas sobre sua família, sobre a condição de sua mãe e tudo o mais, mas ela nada fazia ou reclamava sobre isso, pois é como seu pai dizia: Uma boa dama deve sempre se submeter e aceitar a situação que se encontra, pois ela sabe seu lugar. Quieta, anti social e com uma dor que estava acomodada em seu peito, ela tentava viver uma vida normal. Nas entrevistas de seu pai dava o melhor de si, sempre sorrindo, sempre sendo... A menina perfeita.


Você acha que é mais inteligente do que eu
Com toda a sua poesia ruim
Fodam-se todos os seus A-B-C's
Garoto alfabetizado


Até que seu pai morreu em um acidente de trânsito.

Um caminhão com o motorista embriagado acabou entrando na pista oposta de madrugada, e acertou três carros, um deles sendo o de Nico, que não resistiu e morreu na hora com o impacto. Nesse dia, Evellyn, com seus dezessete anos, ou seja, atualidade, entrou em pânico: Quem iria cuidar de sua mãe, já tão debilitada? Sua única alternativa, algo que ela se arrepende desde o momento que tomou essa decisão foi um sanatório: Radlley Sanatorium, onde sua mãe vai residir pro resto da vida. Evellyn sente muita culpa e chora de noite por causa disso, enviando cartas absolutamente todos os dias, um modo de amenizar sua culpa.

Mas voltando a história, Evellyn, ao ver o quarto de seu pai e retirar tudo o que fosse dele, achou uma carta... Incomum. Estava selada com cera, e o nome de Eve estava nítido no envelope, dizendo para a menina abrir. Nela dizia que Nico, um homem endividado, devia muito, muito dinheiro a um certo político, Tougo Sakamaki, e que, em troca desse dinheiro, Eve deveria ir em um escritório no Japão conversar com esse político, para ver o que conseguiria negociar (Mentira. É só mais um plano de Nico, que daria a filha como recompensa a Tougo de qualquer jeito, mas precisava enganar a jovem Prodígio”)

E ela foi.


"Alphabet boy"



Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...