~BiiahXD

BiiahXD
D-O-L-L-H-O-U-S-E
Nome: Beatriz
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 8 de Fevereiro
Idade: 14
Cadastro:

Ficha - Doce Bolo


Postado

Ficha - Doce Bolo

"O passado, não importa como for, é algo que machuca. Queima. Destrói..."


•『Ŧιcнα ᑭαssαdσ』•




⊱Ňσмε⊰

Melannie Louise Montenegro

Melannie surgiu da origem grega e significa escura, negra. Este nome representa pessoas de caráter, disposição, cheia de recursos e com uma mente aberta. A variante mais comum deste nome em português é Melânia. Melanie, Mellanie e Melanye são variações de nomes escritos em estilos diferentes, mas a sua sonoridade e a forma de pronunciar é a mesma. Esse nome, bastante comum nos Estados Unidos, Canadá, Portugal e Espanha teve sua popularidade aumentada graças à cantora americana Melanie Martinez.

Louise é francês, derivado da língua francesa antiga, e significa “Combatente gloriosa”, “Guerreira famosa”, “Famosa na Guerra”. A variante portuguesa desse nome é Luísa, versão feminina de Luís. Louise foi o nome de várias duquesas, princesas e rainhas históricas. Entre as de maior destaque, está a Princesa Louise de Stolberg-Gedern (1752-1824), mais conhecida por Condessa de Albany.

Montenegro é um sobrenome espanhol, provindo da Espanha, porém com uma freqüência maior em Portugal. Significa literalmente “Monte/ Montanha negra, escura”, mas há quem diga que significa “Através das montanhas negras”. Herdado por Melannie de seu pai, Matteo Montenegro.




⊱ᗩρεℓιdσ⊰

Mel/ Meli/ Lannie/ Niih –Apelidos comuns para seu nome, Melannie. São apelidos que todos costumam usar para facilitar a pronúncia de seu nome, já que é relativamente comprido. Qualquer pessoa pode usar, e ela não liga, pelo contrário, gosta deles.

Lou/ Ísy/ Louise –Apelidos formais, para serem usados por pessoas que não tem intimidade o suficiente com Melannie ou em situações mais formais mesmo. Normalmente eles vem acompanhado do “San” na frente, como “Lou-san”, Louise-san”

Cry Baby/ Cry Girl –Ela ODEIA esse apelido. Por ser uma menina sentimental e que por qualquer coisinha chora, por não saber se expressar, acabou sendo apelidada assim na infância, e sinceramente? Não gosta de lembrar desse apelido. Muitas vezes Ayato ou Laito acabam usando esse apelido com ela, e na maioria das vezes ela se fecha quando o escuta, se tornando quem ela realmente é. (Personalidade)

Little Liar –Significado de “A pequena Mentirosa”, é usado por pessoas que a conhecem desde pequena. Ele revela o quanto Melannie pode ser calculista, fria e maldosa com as pessoas.



⊱Ɨdαdε⊰

Mellanie tem dezessete anos de idade. Nasceu dia 01/06/1717 (Dia Um de junho de mil setecentos e dezessete) às três e trinta e três da manhã, sendo assim, geminiana ♊. Ela acredita bastante na astrologia e nos horóscopos, tanto que se identifica com os seus signos e ascendentes. Por falar nisso, seu ascendente solar é Câncer ♋, e o Lunar, Leão ♌. Um fato interessante sobre seu aniversário é que todos os anos, Melannie abre um pequeno caderninho com capa azul e escreve sobre tudo o que aconteceu com ela até a data de seu aniversário, e em seguida cola uma foto ou lembrança que foi importante para ela naquele ano.



⊱ᗩραяêηcια⊰

Melannie tem uma aparência exótica, porém muito bela. Seus cabelos ondulados vão até o meio de suas coxas, tendo uma bela cor azulada, mais puxada pro azul turquesa, com mechas mais claras ou mais escuras que o tom original, como luzes. Normalmente os prende com pequenas presilhas de Neko/gatinho em duas marias-chiquinhas totalmente retas no alto de sua cabeça, dando a ela um ar infantil e puro, apesar de raramente ela os soltar para ocasiões especiais. Sua grande franja, que apresenta um corte indefinido, com mechas maiores e menores alternando, na maioria das vezes fica solta, cobrindo uma pequena parte de seus olhos. Com um leve cheiro de limões frescos, Mel é totalmente apaixonada por seus cabelos, e cuida deles como se fossem sua vida. Sedosos e macios, dificilmente a verá descabelada ou com os cabelos desidratados ou desarrumados, e é ainda mais raro que veja alguém mexendo em suas longas madeixas, Melannie odeia que mexam em seus cabelos que ela tanto cuida.

Seus olhos são também azuis, porém em um tom mais forte que seus cabelos, dando um belo... Contraste, vamos dizer assim. Brilhantes, eles mudam de cor de acordo com a luz, podendo passar de azul safira para azul claro, do claro para o violeta, do violeta para o cinza... São tão intensos que normalmente são chamados de “Janela da Alma”, pois expressam exatamente o que ela está sentindo, mesmo que Mel não fale nada. Sempre com um brilho misterioso, parece que Mel sabe muito mais do que aparenta saber... Parece que ela sabe de todos os seus segredos, e vai usá-los para te chantagear. Seus cílios são medianos, ou seja, tem um bom tamanho, apesar dela adorar cílios enormes, de modo que sempre que pode usa cílios postiços. Com a pele alva e lisinha, Melannie quase não tem imperfeições na pele como espinhas, cravos, manchas, esse tipo de coisa. Castigada pelo Sol e por suas inúmeras horas no jardim, sua pele é bem ressecada e sensível, por causa disso protetores solares, cremes, hidratantes, eles sempre fazem parte da vida da menina, é a primeira coisa que encontrará em sua bolsa, caso contrário, sua pele fica vermelha e queimada, o que não é muito agradável. Por sua pele ser sensível, dificilmente a verá com maquiagem, no máximo um batom, cílios postiços e uma sombra clara, e só. Se passa muita maquiagem, além de a incomodar e coçar, sente seu rosto pesado e de acordo com ela mesma “Parece que pois cinco quilos de cimento no rosto”, ou seja, Mel não gosta de se maquiar, já que tem a pele perfeita, porque esconder coisas que ela não tem?

Seu corpo é magro e semelhante ao de uma jovem de quinze anos, desenvolvido, mas não tanto. Pés e mãos pequenas e delicada, coxas finas, seios medianos e firmes, cintura relativamente fina para seu corpo, rosto oval com traços delicados que está quase sempre adornado por pequenas mechas de seus cabelos, bochechas rosadas, queixo fino e levemente arredondado, lábios avermelhados por natureza, nariz pequeno e empinado, bumbum arrebitado e mediano... Melannie parece uma pintura que saiu do quadro, nas medidas certas. Medindo 1’68 de altura e pesando 54 quilos, algo normal e saudável para sua idade, ela está muito satisfeita com sua aparência, de modo que é alguém que se olha no espelho e se acha bonita. Resumindo, Mel se gosta, e não mudaria nada em si mesma.




























⊱Sεxυαℓιdαdε⊰

Melannie é heterossexual.



]⊱ᑭεяsσηαℓιdαdε⊰

“-Você se dá melhor com uma doce mentira do que com uma amarga verdade”

Melannie é com certeza uma das mais belas e boas mentirosas que irá conhecer. Estará todo dia com o mesmo sorriso, a mesma máscara de felicidade. Sempre consegue escapar de situações difíceis com um belo sorriso e uma boa história. É incrivelmente persuasiva, tem um grande poder com as palavras, e sabe usá-las muito bem para conseguir o que quer. Uma ótima atriz, não tem medo de se jogar de cabeça numa história, chegando a chorar, gargalhar, a fazer um verdadeiro teatro na frente de alguém apenas por um mero capricho. Um de seus vícios, não consegue simplesmente parar de mentir, de brincar com os sentimentos das pessoas, e de verdade? Ela não quer parar. Sempre aprendeu, desde pequena, que a mentira é um dos melhores caminhos para se dar bem na vida, e segue esse conselho à risca. Postura reta, sorriso persuasivo, olhar misterioso, fala mansa, é assim como Lannie se refere às pessoas, como se soubesse de todos os segredos mais íntimos do ser em questão.


“-Posso te ajudar, mas terá que retribuir mais tarde. Nada é de graça, sabia?”

Mel é chantagista e manipuladora. Sempre quer algo em troca do que faz, na maioria das vezes, se não pagar, não há ajuda. Sabe quando alguém descobre algo de ruim sobre você e te chantageia porque sabe que não pode ser revelado? Lannie é expert nisso. Ela descobre tudo o que quer sem esforços ou problemas... Quando precisa de algo de alguém em específico, com suas palavras e sorrisos consegue fazer com que a pessoa se sinta especial, querido por ela, Mel consegue ganhar cada ser humano, e os ter na palma de sua mão. Trata as pessoas como fantoches, e assim que não precisa mais delas, apenas as joga fora de seu círculo de amizades, sem nenhum remorso ou tristeza. Trapaceira, não mede esforços para vencer, mesmo tendo que jogar sujo para isso.


“-Quer mesmo ficar contra mim? Sabe, posso ser uma inimiga que ninguém gostaria de ter.
Ninguém.”


Ela é cruel. Muito. Misericórdia? Essa palavra não existe em seu dicionário. Gosta de ver o sofrimento das pessoas, e humilhá-las a cada momento que passar. Vingativa, não queria bater de frente com seu ego ou quem sabe brincar com seus sentimentos ou com os sentimentos das raras pessoas que ela gosta que a vingança vai vir em dobro. Sabe que palavras agridem muito mais que tapas, e segredos intimidam mais que ameaças. Caso estiver em sua lista negra, sugiro que não dê motivos para ela te incriminar, apenas corra e tenha sorte, pois vai precisar. Toda a maldade que ela tem acumulada é jogada contra você, e Mel não vai parar de te destroçar por dentro até que fique de joelho perante ela, pedindo seu perdão.


“-Como ousa dirigir-se a mim nesse tom?”

Orgulhosa e auto confiante, esse é seu sobrenome do meio. Tem orgulho de quem ela é, e se alguém ousar encurralá-la ou bater de frente com alguma decisão sua, certamente vai ser alvo de suas piadinhas e “brincadeiras”. Com um espírito de liderança fortíssimo, é uma chefe/líder nata, sabe lidar muito bem com pessoas seguindo suas ordens e com a pressão de estar liderando algo. (É o que ela mais gosta mesmo...) Quando briga com alguém que gosta, jamais vai conseguir pedir perdão, seu ego e orgulho não vão deixar, ela se mata, mas não pede desculpas de jeito nenhum. Se acha bonita, se achar inteligente, se acha... Já viu como ela se acha? É mega narcisista, e se gosta até demais. Exibida, faz questão de ser o centro das atenções, e adora todos os olhares focados nela.


“- Me obrigue! Não manda em mim, ok?”

Melannie Louise Montenegro é teimosa, independente e determinada. Pensa em alguém teimosa! Ela arrisca tudo o que tem inclusive sua vida, para conseguir o que ela quer. Regras? É outra palavra que Mel desconhece o significado. Tente dizer o que ela deve e não deve fazer e pronto, conquistou e inimizade dela na hora. Mel faz o que ela quer a hora que ela quer e quando ela quiser, ponto. Entre o certo e o errado, Lannie faz o que ela quer. Fale que ela não consegue algo, e aí é que Mel vai tentar com todas as forças dela até que consiga, para então jogar na sua cara... Odeia que a prendam em um lugar, é como um pássaro: Tende a voar, ser livre.; Não gosta de modo algum ser subordinada a alguém ou ser obrigada a ficar presa em algum lugar, quer ser independente, e precisa que os outros entendam (Na verdade ela não precisa da permissão de ninguém, mas...) seus motivos de às vezes querer ir embora e ficar sozinha por um tempo. Odeia quando alguém tenta pegar seus problemas para si, ela sofre sozinha até o que não consegue suportar, mas sofre calada e sem “incomodar ninguém”.


“-Credo Melannie, acordou de mau humor?”
“-TEM ALGUÉM AQUI DE MAU HUMOR?!”


Temperamento forte, Lannie briga por qualquer coisa quando está de mau humor. Se ela acordou com o pé esquerdo não fale, coma, pergunte ou exista perto dela, que com certeza vai ser alvo de sua aura mal humorada. Capaz de fazer até o mais tranqüilo querer puxar seus cabelos de nervoso, Mel adora uma boa briga e sempre quer começar uma por uma por algum motivo estúpido. Língua afiada, não hesita em xingar ou achar defeito em alguém. Com ofensas que nem ela sabe onde aprendeu, ela esquece que está em um lugar público e com quem ela está e passa e enxergar apenas a pessoa que está a provocando. Se algum dia ver Melannie de mau humor, passe bem longe dela.


“-Pode me chamar de infantil, mas odeio perder”

Competitiva e infantil, outro sobrenome dela. Odeia perder, em se for por alguma aposta boba, como quem vai ganhar o jogo de dardos, por exemplo. Basta alguém desafiá-la para qualquer coisa que simplesmente esqueça, não vai conseguir pará-la até que Lannie ganhe o jogo. Sim, ela não sabe perder de nenhum jeito, sua infantilidade ataca e ela começa a gritar, espernear, chorar, tudo para não aceitar que não ganhou. Quando ganha, também, não hesita a esfregar na cara da pessoa e sair pulando por aí avisando pro mundo.


“-Me achou maluca? Não viu nem metade...”

Insana. É umas das palavras que mais se encaixam em sua definição. É completamente maluca, rindo quando a maioria chora, chorando quando a maioria está rindo. Conversava quando menor com absolutamente tudo, e até hoje não perdeu esse costume, conversando com objetos que não querem funcionar para ela. Adora fazer coisas que costumam NÃO dar certo, e se falha, Lannie apenas ri e tenta de novo, para ficar “fracassando”. Também é atrevidíssima, normalmente, em seus dias bons, costuma pegar uma das xícaras de Reiji e girá-las pela alça, quase deixando cair, ou quem sabe brinca de malabarismo com elas, apenas para vê-lo irritado.


“-Consigo perceber o que a maioria das pessoas não percebe: É preciso ser inteligente se quiser sobreviver”

Melannie é incrivelmente inteligente e observadora, apesar de parecer ingênua por ser muito fútil. Adora montar estratégias e jogar jogos que exijam essa habilidade, como por exemplo o xadrez. Adora estudar e saber mais em qualquer momento e em qualquer lugar, de modo que sempre está com um livro e com um fone de ouvido, que a ajuda a se concentrar melhor. Com um alto QI, sabe muito sobre História, Línguas Estrangeiras (Espanhol, Inglês, Alemão e Japonês) e não tem dificuldades em decorar fórmulas e informações complexas, sendo muito boa em Física e Química. Esperta, capta pequenos detalhes em todas as situações, o que é muito importante caso quiser juntar as peças de um quebra cabeça. Problemas de lógica? É fácil como tirar doce de criança! É como uma conta simples de 2+2 para ela...

Qualquer detalhe não passa despercebido por Mel, mordeu o lábio de forma discreta, olhou para baixo, um sorrisinho minúsculo, qualquer coisinha ela já desconfia. Como mente muito, sabe identificar uma mentira à distância sem esforço algum, ou seja: Nunca minta para ela, ela vai descobrir. Como já dito, é alguém que ninguém gostaria de ter como inimiga, mas sim como aliada.




“-E daí? Eu estou bem com a situação, é o que importa!”

Ela é egoísta. Isso é fato comprovado. Por ela, os outros podem queimar por um lança-chamas, serem esquartejados e suas cinzas jogadas em um vulcão, se ela estiver ganhando algo com isso, Lannie não se importa. Pensando apenas nela mesma, tente explicá-la o significado de humildade, e verá que essa palavra não existe em seu dicionário. Isso pode mudar de pessoa em pessoa.


“-Ah, então você é um vampiro? Legal, sou a Pocahontas!”

Melannie é sarcástica, e muito. Não perde uma oportunidade de ironizar alguém ou alguma situação. Quando a pessoa é meio “lerda”, vamos dizer assim, aí que essa pessoa deveria manter distância, pois paciência é o que Lannie menos tem para esse tipo de conversa. Ela odeia ter que explicar duas vezes algo, e quando precisa, sempre vem acompanhado de “Vou ter que desenhar?!” ou “Se não entendeu, lê de novo até entender, ok?”


“-Apenas mais uma menina chorona por dentro, é o que sou...”

Melannie, mesmo depois de tudo o que viu, ainda é uma garota sensível e sentimental por dentro, apesar de esconder com força esse seu lado. Chorona, literalmente chora por qualquer coisa quando está sozinha, sente um pouco a falta da garota que era. Não consegue conter suas lágrimas por muito tempo, e como ela diz, se a chamam de bebê chorona, Lannie apenas deixa as pessoas se afogarem. Ela possuía um coração maior que ela mesma, mas graças ao seu passado ele virou pedra...

Carente, necessita de atenção, por isso que tem toda essa personalidade ruim: É o único jeito que ela encontrou de se expressar para o mundo essa vontade de ser reconhecida, se não foi pelas coisas boas que ela era, foi pelas más. Gosta de um carinho, de um presente inesperado, surpresas boas. Se ela te ama, o que é bem raro, já que sua visão do amor é meio distorcida por causa de sua família, não a abandone ou a decepcione, ela se vira contra você e aí ferrou a sua vida, acredite, ela sabe guardar mágoas e nunca subestime a capacidade dela fingir que não te conhece e te tratar com toda a frieza existente nela. Nunca confia nas pessoas por medo de ser abandonada novamente, por medo de ser trocada por outra coisa. É delicada por dentro, quando ela se apega por você é como uma ostra: Por dentro de toda aquela maldade, aquelas mentiras feias que conta, aquela menina maldosa, odiosa e manipuladora existe uma boa e bondosa menina que um dia foi a forma dominante de Melannie.



“-Encoste neles, seu desgraçado, e vai ver do que sou capaz!”

É protetora com as raras pessoas que não se “cansa de usar”, mais conhecido como “quem ela gosta”, já que tem uma visão distorcida do amor é isso que ela pensa quando gosta de alguém. Mesmo não demonstrando na maioria das vezes, é possessiva e odeia que mexam em suas bonecas favoritas. Caso encostar um dedo neles com segundas intenções ou com o objetivo de machucá-las... Saia da frente, corra! Ela vira um demônio, literalmente, e parte para cima de você com o objetivo de quebrar todos os seus ossos. Também é uma menina que gosta de estar com quem ela ama, apesar de não demonstrar com facilidade.



⊱Ħιsтóяια⊰

“Você parece trocar seu cérebro com seu coração
Você leva as coisas na ofensiva e então desmorona
Você tenta explicar, mas antes de começar
Aquelas lágrimas de bebê chorão saem do escuro”



Os Montenegro eram uma rica, famosa e imunda família de políticos da região de Madri, na Espanha, que se mudou para o Japão em viagem de negócios. Matteo Montenegro, um belo homem de vinte e cinco anos era o mais importante político de Osaka, e também o mais sujo de todos. Corrupto, maldoso e falso, jamais perdia a chance roubar o povo e assim desviar toda a verba que iria para hospitais, escolas e outras funções públicas para seu bolso. Um bom mentiroso, enganava a todos com seus sorrisos e suas poses de bom homem, o que teve uma boa influência em suas eleições, já que o povo, por mais que não gostasse dele e de sue governo, sempre acreditou que iria mudar. Casou-se com Mirela Martínez, filha de outros ricos empresários da Espanha. Ela, por sua vez, tinha vinte e dois anos quando se casou, e não era diferente de seu marido: Cruel, manipuladora e mimada, a única coisa que importava para ela era sua aparência, sempre tentando ficar bonita, sempre cuidando de si, e apenas de si. Ambos obrigados a conviver juntos por um casamento arranjado, sua relação já não era das melhores. Mirela sendo apaixonada por Matteo, ele a traindo com todas que via em sua frente, ela fingindo não ligar. Ela o amando e o protegendo com todas as suas forças, apenas para ter a família perfeita, na frente das câmeras eram unidos e felizes, mais por trás... Resumindo: Um perfeito teatro de amor era feito por trás das cortinas da família Montenegro.

A intenção dos dois sempre foi ter um único filho, somente para darem continuidade à família, se os dois odiavam crianças, pra quê ter mais de uma? Na verdade, Matteo e Mirela nunca quiseram ter um filho, mas para o bem da família e do teatro que acontecia bem diante do nariz de todos, precisavam, como diria, por livre e espontânea pressão. Assim nasceu Filiphe Martínez Montenegro, o irmão mais velho de Melannie. Loiro assim como a mãe, era mimado e maldoso, sempre tendo tudo que queria do bom de melhor. Quatro anos se passaram em tranqüilidade, ambos os pais o educavam e o criavam com carinho, ele era de fato a jóia mais preciosa que tinham. Tudo corria bem, até Melannie nascer, para o desgosto dos pais.


“Alguém está girando a manivela da torneira nos seus olhos
Você está derramando onde todos possam ver
Seu coração é grande demais para o seu corpo, é por isso que não cabe aí dentro
Você está derramando onde todos possam ver”


Melannie nunca teve o amor deles, e nem a atenção. Sempre deixada de lado, sempre em segundo plano, sempre esquecida. Nunca era escutada pelos pais, que depois do nascimento dela vivam brigando e discutindo, se a relação dos dois não era boa nem quando se casaram imagine com mais uma filha para cuidar... Um culpava o outro, um jogava a responsabilidade para o outro, como se a existência de Lannie fosse totalmente errada, o que não deixava de ser verdade para ambos. Para Mirela, a menina fora algo que arruinara sua beleza, algo que arruinara toda a sua chance de se dar bem. Para Matteo, um legítimo pão duro, era mais uma boca para alimentar, mais dinheiro para gastar “desnecessariamente”. Os dois, pelo menos, concordavam em uma coisa, Melannie nunca deveria ter nascido, e se ficasse esquecida, seria bem melhor para todos, e assim foi feito: Mel ficava em seu quarto e não saía de casa por nada. A única coisa que ela via eram seus brinquedos, suas bonecas, seu pequeno mundo, tudo o que ela conhecia não passava da grande porta branca que a trancava do lado de dentro. Isso fez com que ela ficasse depressiva, fez com que ela se tornasse uma criança que raramente falava, que raramente socializava com outras pessoas. Por estar sozinha, não conhecer nada do lado de fora, tudo de novo, de diferente para Melannie era motivo de choro, a única maneira de se expressar, de jogar o que sentia para fora, era através do choro. Guiada pelo lado emocional do cérebro, Lannie era uma menina doce e gentil, que parecia ter invertido o lugar do coração e do cérebro: Fazia tudo pelo que ela sentia, não pelo que sabia. Era tão bondosa que parecia que seu coração era maior que ela mesma. Como estava sempre triste, logo chorava para tudo: se queria comida, se queria dormir, se queria carinho, se queria atenção... Isso irritava profundamente Mirela.

“Eles te chamam de bebê chorão, bebê chorão, mas você está pouco se ferrando
Bebê chorão, bebê chorão, então você ri através de suas lágrimas
Bebê chorão, bebê chorão, porque você está pouco se ferrando
Lágrimas caem no chão, você apenas deixa eles se afogarem”


“-Snif Snif... Buááá!- A menininha de belos cabelos azuis que não tinha nem seus três anos chorava sentada na cadeirinha, apontando freneticamente para a mamadeira que estava a exatamente 1 cm de suas pequenas mãozinhas. Ela estava com fome, mas não sabia demonstrar isso falando, apenas chorava. E muito.

-O QUE É MENINA? TEM ALGUÉM TE BATENDO PARA CHORAR TANTO ASSIM?! MAS QUE RAIVA!- Uma mulher loira com uma garrafa de vodca na mão entra na sala, gritando com a filha. Parecia estar no meio de um tratamento de beleza para pele, e olhava com desprezo para a menina que em alguma realidade distante poderia ser sua filha.

-E-eu quel-lo a minh-a... Buááá- Melannie começou a chorar ainda mais, com lágrimas escorrendo por toda a sua pequena face.

-Mas que bebê chorona você é. Porque não foi como seu irmão mais velho, hein? Ah, Cry Baby, quer saber de algo? Cansei. Quer comer, não quer? Está com fome? Coitadinha... –A loira sorriu maldosamente, pegando a mamadeira e aproximando de Melannie, que quando iria conseguir pegar Mirela puxava de volta para si, fazendo a menina derramar novamente suas lágrimas. Como uma mãe poderia ser tão cruel? –Chore criança, não é só isso que sabe fazer? Agora sou toda ouvidos, bebê chorona.”


“Você está totalmente sozinho e você perdeu todos os seus amigos
Você disse a si mesmo que não é você, são eles
Você é de um tipo que ninguém entende
Mas aquelas lágrimas de bebê chorão continuam voltando novamente”


E assim Melannie cresceu humilhada por seu pai, sua mãe, seus amigos... Cry Baby virou seu apelido por todos que a conheciam. E o que ela fazia? Apenas aceitava. Dizia para si mesma que não estava nem aí para o que diziam, mas a verdade é que estava morrendo por dentro. Apenas deixava que todos se afogassem em suas lágrimas. A mãe todos os dias zombava da menina por ser bondosa, e não como o resto da família, que era corrupta. O pai nunca ligou para ela de verdade, sendo o máximo que fazia era comprar sua comida, de resto, presentes, mimos... Isso é algo que ela nunca teve quando menor. Seu irmão era o pior de todos: A derrubava no chão, a machucava fisicamente, humilhava a menina na frente de todos na escola, não deixava ninguém ser amigo dela. Mentia sempre quando quebrava algo ou fazia algo errado, colocando a culpa em Cry Baby, e os pais, é claro, sempre acreditaram nele. Por anos e anos vivendo desse jeito, quase como uma boneca descartável, a personalidade doce e gentil da pequena menina mudou completamente. Aprendeu a mentir, aprendeu a ser má, aprendeu a ser uma verdadeira Montenegro. Impiedosa, não perdia a chance de maltratar alguém, não perdia a chance de caçoar uma pessoa, sua visão distorcida do conceito “família” e “amor” impedia Melannie entender o que era compaixão ou gentileza. O coração dela havia virado pedra, ela havia prometido para si mesma: Ninguém, ninguém mesmo, iria chamá-la de Cry Baby novamente. Sua família pagaria caro. E pagou.

“Eu olho para você e vejo eu mesma
Eu te conheço melhor do que ninguém
Eu tenho a mesma torneira nos meus olhos
Então suas lágrimas são minhas”


“- O que isso significa Melannie? Acha que pode prender sua mãe assim? Está querendo morrer ou o quê?- Mirela deu um sorriso sarcástico, tentando mais uma vez sair das amarras que Lannie fizera. A bela loira estava no quarto de bebê onde Mel vivera a vida toda, presa em uma cadeira de madeira, envolta por uma grossa corda. A azulada, então com seus dezesseis anos, estava parada na frente da mãe, a olhando com... Curiosidade?

-Engraçado como diz que sou sua filha, se nunca me considerou uma. O que está te levando a falar isso?- Melannie sorriu maldosamente, chegando mais perto de Mirela –Será que está com medo? Ou seria receio?

-Melannie querida, sabemos que você nunca machuca nada, é apenas uma bebê chorona, Cry Baby, era assim que Filiphe te chamava?- A face da azulada endureceu, tirando o sorriso dela do rosto, dando lugar a uma expressão séria. Como ela odiava aquele apelido... –Continua sendo essa menina fraca e inútil que foi, ainda acha que vai ter coragem de fazer algo contra mim? Agora solte imediatamente sua mãe!

A adolescente não se mexeu, apenas ficou ali, encarando a mulher desprezível que um dia chamou de mãe.

-Não me escutou, inútil? Quer que eu chame seu pai para te dar um bom castigo? Acha que ontem quando ele te bateu com o cinto não foi o suficiente? Ou melhor, quer seu irmão te humilhando para o povo? Me solte, AGORA!

-Ainda não entendeu? Hahahah, mãe, você é fútil, isso eu já sabia, mas a ponto de achar que manda em mim? –Melannie gargalhava, se segurando para não cair no chão. Um sorriso sapeca se formou em seu rosto, demonstrando o quanto estava louca –Você sempre me disse: Não deixe que olhem através das cortinas... Quer que eu te mostre o que é aquilo? –Mel andou até o dossel que envolvia seu berço, afastando-o vagarosamente, mostrando...

Os corpos de seu pai e seu irmão. Ela havia os espancado, e pareciam estar... Mortos... Estavam mesmo?

-Não... Não, não, NÃO! O QUE VOCÊ FEZ COM ELES?! – A mulher começou a chorar, tentando desesperadamente sair das amarras para ir de encontro com o marido e o filho, mas não conseguia. Chorava muito, a ponto das lágrimas pingarem no caro vestido de seda. Lannie ria, e muito da reação da mãe, já que era uma espécie de “troco” por tudo que passara.

-Quem é Cry Baby mesmo? Coitadinha, está chorando? Tudo bem, eu lhe dou essa faca para se soltar, o que acha?- Louise saiu de sua cama, onde ela estava e andou até a mãe, oferecendo uma faca a ela, mas afastando o objeto assim que a mais velha conseguiria pegar –O que acha da sensação de sempre estar a um centímetro de seus objetivos? O que achou de ter tudo que você ama longe de você? Tudo que vai volta, mãezinha, com você não foi diferente!- A azulada passou lentamente a faca no rosto de Mirela, causando um pequeno corte na bochecha esquerda da loira –Isso é por tudo que me fez.

-Pare... Por favor, pare! Eu imploro, PARE! FAÇO O QUE QUISER!

-É mesmo? Interessante... O que eu iria querer de alguém que me odeia?- O rosto da menina ficou em uma expressão confusa, para logo voltar o sorriso sarcástico –Já sei! Quero tudo que eu tenho direito... Quero tudo o que eu não tive quando criança. Vai me assumir como herdeira da família, e dizer que meu pai e meu amado irmão morreram em um acidente aqui em casa. Vamos fazer um enterro discreto, e ninguém jamais vai saber a verdade... Entendeu?

-Você é um monstro...

-O monstro que você criou, não se esqueça disso –Melannie sussurrou em seu ouvido –D-O-L-L-H-O-U-S-E, vejo coisas que ninguém mais vê. Lembra-se disso? Agora sua vez de seguir seu próprio conselho. Não deixe que vejam atrás das cortinas. (Abrindo um pequeno parêntese, Melannie não matou o pai e o irmão, apenas os sedou com sonífero e os mandou para a Espanha de volta, como se fossem em uma viagem a negócios. Ela ainda tem seus restos de Cry Baby, e jamais mataria alguém, apesar de ser maluca)”


“Eles me chamam de bebê chorona, bebê chorona, mas estou pouco me ferrando
Bebê chorona, bebê chorona, eu rio através das minhas lágrimas
Bebê chorona, bebê chorona, porque estou pouco me ferrando
Lágrimas caem no chão, eu apenas deixo eles se afogarem”


Mirela ficou profundamente depressiva, mas fez o que ela disse. Melannie virou a princesinha, e a única herdeira da família Montenegro. Virando a “princesa” da casa, humilhava a mãe a cada dia que passava. Mirela, de vilã, virou a vítima da situação. Assustada, buscava alguma situação para sair do domínio de Melannie, que simplesmente enlouqueceu com todo o tratamento recebido desde criança. A menina chorona simplesmente não existia mais, ou se existia, estava trancada em uma caixinha de vidro dentro de Mel. A mãe da azulada corria de um lado para o outro, escondida da filha, é claro, procurando ajuda, foi quando se lembrou de um pequeno detalhe: Ela tinha um parente distante, um primo de terceiro grau, que era membro do Clero, mais conhecido como Igreja. Quem sabe ele não a seqüestrava e a mandava para longe de si de uma vez por todas? Ligou desesperada para o primo, mas quem atendeu o telefone foi KarlHeinz, que aceitou o plano de levá-la para longe.

Tudo estava combinado, bastava esperar.

Assim foi feito. Na Noite de Natal, Karl apareceu na casa Montenegro de surpresa, se apresentando como parte da família e se auto convidando para jantar. Ajudado por Mirela, que sedou a menina com Melatonina durante a Ceia de Natal, Lannie foi levada dormindo até a Mansão Sakamaki, onde acordou confusa.




⊱ᑕσмσ sε sεηтιυ ηα нσяα dα sυα мσятε?⊰

Ela se sentiu furiosa. Mesmo naquele frio, Melannie parecia estar com febre, de tanto que seu sangue fervia. Ela estava amargurada, se xingando por ter um dia confiado nele. Fora burra e, novamente, levada por seu lado emocional, que deveria permanecer trancado. Como ela, uma legítima enganadora, poderia ter se deixado levado levar pela lábia de um simplório vampiro como ele? Sua cabeça estava uma bagunça, tanto pelo frio como pelos pensamentos que ela tinha: Raiva, ódio, fúria e... Tristeza. Sim, Melannie ficara profundamente depressiva em seus últimos momentos, pois, pelo menos por alguns meses, pensara que poderia ser amada, pensara que poderia ser uma pessoa querida pelo que ela era, sem se importar com os julgamentos... Novamente, sua família estava certa: Para ela, não havia amor.

E, em seu último suspiro, prometeu que ele iria pagar por ter enganado-a. Ou ela não era Melannie Louise Montenegro.




⊱Ꮆσsтα⊰

Livros- principalmente os de fantasia, suspense e de Ciências. Ela adora ler, então sempre carrega um com ela, pra ocasião que for. Também escreve histórias baseadas nela mesma, para mostrar a alguém caso não queira falar sobre o assunto.

Outono- Para Mel, Outono é uma fase de mudanças, tempo de mudar algo que não gosta em si mesma. Se sente feliz nessa época, apesar de nunca mudar.

Sorvete de Amora com Leite Condensado- Apesar de ser incomum, ela ama esse sabor de sorvete.

Provocar qualquer pessoa que esteja em seu caminho- Um vício.

Se sentir bonita- Ela se arruma horas e horas para ficar bonita, e quando fica, parece que sai desfilando...

Seu cabelo- De tanto que cuida, é meio óbvio que o ama <3

Café- A deixa acordada. Como ama dormir, precisa de pelo menos um gole de café por dia se não quiser ficar de mau humor.

Cantar- Sim, ela canta. Apesar de ter uma linda voz, não é o talento que ela mais tem orgulho dela mesma!

Doces- Todos os tipos! Em especial bolos e sorvetes.

Dormir sem ter hora para acordar- Simplesmente o paraíso dela. Como ela mesma diz, seu cérebro não funciona antes das dez da manhã.

Jóias/pedras preciosas- Exibida, adora coisas de valor como colares, pulseiras, anéis, brincos.

Cachorros- O sonho dela é ter um de estimação, pois nunca teve a oportunidade. É extremamente carinhosa com todos os bichinhos que encontra!

Mentir- A coisa que ela mais faz, e bem. Sempre tem uma história na ponta da língua




⊱ᗪεsgσsтα⊰

Chá- Ela não suporta chá, acha que é água com pozinho sem sabor, o negócio dela é chocolate quente e café!

Aranhas- Bichinhos do Tinhoso! Achou uma em sua meia quando tinha seus seis anos e desde então morre de medo!

Bolo de morango- Foi forçada a comer quando era menor, daí ela não come mais.

Jogar dominó- Acha um jogo chato, parado e sem vida.

Calor insuportável

Não ter nada para fazer- Melannie é hiperativa, e fica muito estressada quando não tem nada pra fazer...

Ser pressionada- Acho que ninguém gosta.

Sustos- Se assusta com facilidade, e normalmente desmaia quando leva algum susto, assim, ela ODEIA se assustar.

Gritinhos ou dramas desnecessários- Faça drama perto dela e verá o demônio entrando em seu corpo. Ela ODEIA gritos.

Alguém mexer no seu cabelo- Não gosta, simples assim

Ursinhos de pelúcia/bonecas- tem medo, não se sabe ao certo o porquê..

Quando mentem para ela.- Lógico. Como uma boa mentirosa, sabe identificar uma mentira à distância, de modo que quando mentem pra ela, acha que a pessoa está a chamando de idiota.




⊱ᑭαssαтεмρσs⊰

Ler

Estudar

Inventar moda (Looks, maquiagens, essas coisas)

Cantar

Cozinhar

Jogar qualquer jogo.

Brincar com os sentimentos das pessoas/ causar confusão (É considerado um Hobbie? Pra ela, sim :3)




⊱ᗰαηιαs⊰

Ela balança o pé repetidamente quando está em busca de explicações,

Descasca o esmalte quando não tem nada para fazer,

Quando mente tem um sinal quase imperceptível: Ela morde o lábio inferior discretamente

Puxa levemente uma das mechinhas da frente do seu cabelo quando estava nervosa ou pensando. Normalmente enrola a pontinha.

Tem a mania de abraçar a todos que gosta e colocar a cabeça na curva entre o pescoço e o ombro, ela se sente segura,

Morder o canudinho das coisas que está bebendo

Apertar as mãos contra sua coxa quando está com raiva

Gesticular com as mãos enquanto fala

Cantarolar

Bagunçar os cabelos de pessoas mais baixas do que ela




⊱ᐯícισs⊰

Apenas doces, nada mais do que isso :3



⊱Ħαвιℓιdαdεs⊰

É persuasiva

Sabe mentir

Cozinha muito bem

Canta bem.

Sabe atuar.

É muito veloz, por ser leve, acaba correndo mais rápido

Tem um grande reflexo (Por exemplo: se jogarem uma maçã na direção dela ela consegue pegar no ar rapidamente, entendeu?)

É incrivelmente flexível




⊱ᗰεdσs⊰

Tem medo de lugares fechados/trancados, por remeterem ao seu passado,

Medo de bonecas ou de algo que represente um humano,

Medo de morrer,

Medo de altura,

Medo de não conseguir o que mais quis na vida: Uma família.




⊱Ŧσвιαs⊰

Atazagorafobia – Medo de ser abandonada.

Acrofobia – Medo de Altura

Tanatofobia – Medo de Morrer




⊱Tяαυмαs⊰

Frio/Neve - Sua morte. A deixou traumatizada em seus últimos minutos.

Com certeza,quartos de bebê é um trauma seu...




⊱ᑭαя⊰

Sakamaki Reiji <3




⊱ᖇεℓαçãσ cσм⊰


•ᑭαя•

Nada boa, pelo menos no começo. Melannie, uma garota arrogante, metida, exibida, rebelde, orgulhosa e mentirosa. Reiji, um vampiro calmo, sádico e tão orgulhoso quanto Mel. Dessa combinação nada poderia sair bom ou agradável! Reiji, com seu educado e frio sorriso, além do sadismo escondido dentro dele tentava deixá-la submissa a ele, chamando-a de gado , tentando a humilhar como fazia com todas as garotas, mas percebeu que ela era diferente. Quase sempre caía em suas mentiras e histórias que ela inventava, para depois Melannie jogar em sua cara que ele havia caído, enxugando suas lágrimas com um sorriso sapeca, o que o deixava mais irritado e com a certeza de que não se podia confiar em mulheres. “Sempre achei que eram traiçoeiras, mas depois que conheci Melannie Louise...” é o pensamento dele quando a vê olhando para ele com um sorriso maldoso no rosto. Quando a punia por alguma desobediência e a mandava limpar algo ou arrumar sua estante de livros, ela fazia questão de bagunçar ainda mais, simplesmente para ver Reiji totalmente fora de si. Pior, cada vez que a chamava de simplória ela partia para cima dele dando uma bela lição de moral sobre feminismo e outras coisas muito absurdas para a época, fazendo o Sakamaki revirar os olhos. Ele não entendia o motivo dela fazer isso, e parecia que quanto mais ele brigava com ela, quanto mais ele tentava deixá-la submissa, mais Mel fazia coisas ridiculamente idiotas. O motivo? Simples, ela gostava de ter sua atenção, gostava de ter seu olhar voltado apenas para ela, e pra mais ninguém. Como desde pequena nunca teve atenção, nunca teve carinho, tem uma necessidade enorme de ter alguém olhando para ela e a reconhecendo, seja de um modo bom ou ruim. Orgulhoso, jamais deixaria com que uma mera humana brincasse tanto com seus sentimentos e paciência, mas ele simplesmente não conseguia: Aquela garota de cabelo azul o tirava do sério e despertava seu lado sadista!

E assim a vida ia seguindo: Melannie irritando e enchendo a paciência do vampiro, ele ia lá e a mordia ou a machucava, tanto fisicamente quando psicologicamente. No começo de tudo, Lannie apenas queria ter atenção, queria apenas brincar com os sentimentos de Reiji, mas algo começou a mudar. Do nada, começou a se sentir atraída por ele, seus cabelos, sua voz, seu maldito sorriso que a tirava do sério, tudo era estupidamente e incrivelmente atraente para Mel. Com sua visão distorcida do amor, primeiramente pensou que “É divertido brincar com ele, apenas uma boneca que gosto mais que as outras”, mas a verdade era justamente o contrário: Ela estava se tornando cada vez mais sua boneca, sua subordinada. Fazia tudo que ele pedia para ela, e tentava agradá-lo, mesmo sem perceber, de todas as maneiras: Fazia algum tipo de chá para que ele tomasse, organizava seus livros sem ele pedir, quando o mesmo, por alguma raríssima ocasião, ficava doente, ela cuidava dele, o alimentando com seu sangue de boa vontade... Mas o moreno não percebia. Como dizem: a primeira impressão é a que fica. Reiji achou a menina uma bela mentirosa, e como qualquer mulher no mundo poderia estar fazendo isso apenas por meros caprichos, então a afastava de si. Isso fazia com que Melannie se encolhesse em seu quarto para chorar, ouvindo a voz de sua família a chamando de Cry Baby. Porque aquele garoto a deixava maluca? Mas ela escondia isso, e agia da mesma maneira sempre. Por mais arrogante e sarcástica que era não tinha escolha: Estava totalmente presa a essa paixão que desenvolvera.

Curiosa, em algum dia qualquer ela acaba tendo um interesse pela vida de Reiji, e se recusa a acreditar que ele já foi uma criança. Quando o Sakamaki descobre, é lógico que fica irado, mas acaba jogando na cara da azulada seu passado, deixando a mesma com... Pena? Compaixão? Era um sentimento que ela nunca tinha sentido, mas de uma coisa ela estava certa: Estava gostando cada vez mais dele, e pouco a pouco acaba ficando mais íntima de Reiji. Foi assim que ambos se tornaram mais próximos e íntimos, até o dia em que... Bem, já sabemos o que aconteceu.




•Øυтяαs Ꮆαяσtαs•

Bom, Melannie sempre será e sempre foi orgulhosa, exibida e muito, muito arrogante. Ela sempre estará ali para tentar enganar as meninas com alguma história convincente ou tentar causar confusão. Como também se orgulha de seu corpo, se acharia dizendo o quão bonita, inteligente ou maravilhosa ela é.



•ᗩмιgσs•

Ela gosta muito de suas “bonecas que não se cansa de usar”, também mais fácil dizer como “As meninas que ela gosta”. Por ter uma visão distorcida do amor, é assim que Melannie vê as garotas que tanto confia. Provavelmente a única forma de família que ela experimentou é a amizade. Super protetora, caso encostar um dedo nelas com segundas intenções ou com o objetivo de machucá-las... Saia da frente corra! Ela vira um demônio, literalmente, e parte para cima de você com o objetivo de quebrar todos os seus ossos. Uma menina animada na maioria das vezes, suas palhaçadas acabam animando o ambiente, que talvez esteja tenso. Roupas e sapatos são muito discutidos com ela, por ter um senso de crítica bem rígido. Ama ficar com elas apenas olhando para o nada, dançando, cantando, qualquer coisa está ótimo se estiver com elas. Ciumenta, odeia ser trocada por garotos e/ou namoradinhos. Orgulhosa, quando briga com uma delas dificilmente pede perdão, não consegue. Por mais que queria voltar a falar com quem brigou, seu orgulho e sua mente, que acha que está certa, e aí fica aquele clima chato de duas pessoas que não conseguem se falar... Acaba tomando uns puxões de orelha, e na maioria das vezes, também dá uns em suas amigas, para pararem com a babaquice que estão fazendo.



•Ɨηιмιgσs•

Bom, Melannie sempre será Melannie, mas ao encontrar m inimigo... Ela se tornaria um inferno na vida da pessoa. Uma bela mentirosa, não hesitaria em fazer alguma coisa que com certeza ia manchar a reputação de qualquer um e culpar a pessoa, de modo que todos acreditassem. Não iria parar de humilhar a pessoa em questão até ela pedir perdão de joelhos... Ela é cruel. Muito. Misericórdia? Essa palavra não existe em seu dicionário. Gosta de ver o sofrimento das pessoas, e humilhá-las a cada momento que passar. Vingativa, não queria bater de frente com seu ego ou quem sabe brincar com seus sentimentos ou com os sentimentos das raras pessoas que ela gosta que a vingança vai vir em dobro. Sabe que palavras agridem muito mais que tapas, e segredos intimidam mais que ameaças. Caso estiver em sua lista negra, sugiro que não dê motivos para ela te incriminar, apenas corra e tenha sorte, pois vai precisar. Toda a maldade que ela tem acumulada é jogada contra você, e Mel não vai parar de te destroçar por dentro até que fique de joelho perante ela, pedindo seu perdão.



•ᗩүαtσ•

Orgulhoso e narcisista contra uma orgulhosa e narcisista. O que poderia dar de certo nessa relação? Absolutamente nada! Odeia o fato de Ayato ser tão convencido e ciumento e quando o ruivo acha que pode mandar nela e acha que é o melhor em tudo. Ambos disputam o tempo inteiro quem é o melhor nisso, quem é o melhor naquilo assim como brigam o tempo inteiro, sendo necessário o par de Ayato ir lá separar os dois. É quem ela mais chantageia para conseguir informações sobre eles próprios, porque é só cozinhar um pouco de Takoyakis... Não entende o porque dele irritar tanto sua noiva ou qualquer outra pessoa apenas porque pensa que é o melhor, o deus da Mansão Sakamaki. Apesar de tudo, quando os dois estão de bom humor e decidem irritar alguém, pelo amor de Deus, tirem os dois de perto, pois a capacidade de Ayato de criar apelidos rapidamente com a capacidade dela de irritar qualquer um torna a Mansão em um verdadeiro inferno.



•ᛕαηαtσ•

Ela o ama de paixão, por incrível que pareça. Além de o achar fofo mesmo com seus ataques infantis de bipolaridade e seu medo por bichinhos de pelúcia, gosta de estar com ele quando Kanato está “calmo”. Se identificam pelos doces, eu ambos gostam, o que faz Lannie ter que dividir seja lá o que for que fez, seja um bolo ou brigadeiro com ele, senão fica nervoso. Acha que Kanato é o irmão mais novo (Mesmo que bipolar, infantil e, acima de tudo, vampiro) que ela nunca teve. A única coisa que ela odeia nele é sua risada psicótica, ela morre de medo quando ele ri sadicamente, tendo tendência a fugir.



•ᒪαιtσ•

Por incrível que pareça, ela gosta dele. Por mais que odeie seu jeito pervertido de ser, é como Ayato: Seu jeito brincalhão faz com que Mel tenha uma certa simpatia por ele. Quando ele diz algo pervertido a ela ou qualquer outra ela na hora dá seu sermão sobre machismo e lhe diz para parar de ser trouxa, mas é óbvio que ele apenas sorri e a ignora. Ambos não sabem o que é o amor, Laito acha que é luxúria e ela apenas acha que é o sentimento que se tem quando a pessoa não te dá tédio, de modo que combinam nesse aspecto: Pessoas que precisam entender o que é o amor. Ela sente uma certa pena de Laito por conta de seu passado, quando o par do ruivo contou para ela, Lannie ficou simplesmente arrasada.



•Sнυυ•

Apesar de terem uma relação amigável, Melannie se sente insegura, pequena e totalmente incapaz de qualquer coisa quando está com ele, pois Shuu é igualzinho seu irmão mais velho, Filiphe Martínez Montenegro. Ela de verdade entende o motivo dele ser tão desligado da vida, e sinceramente? Queria ter esse com de não ligar para nada. Como os dois não gostam/odeiam Reiji igualmente, pelo menos no começo, acabam tendo longas conversas sobre esse assunto e sobre as “músicas” que ele escuta, sendo que a primeira vez que soube disso corou profundamente e resistiu ao sentimento de lhe dar um tapa. Por parte dele, Shuu a acha uma menina irritante e muito mentirosa, sendo que toda vez que ela mente para benefício próprio ele ri da cara dela.



•Sυвαяυ•

Pode chamá-la de suicida, mas ela ADORA irritar Subaru. Acha engraçado o modo Tsundere do rapaz e o modo que ele fica quando está bravo, e acaba tentando fazê-lo odiá-la para sempre. Gosta de provocar a fera e está sempre sendo o tipo de garota que ele não gosta: Arrogante, ousada, mentirosa, maluca, inconveniente (Ou seja, ela se solta). Daí mais um motivo para Reiji odiá-la, pois está sempre fazendo com que Subaru quebre as paredes de onde ele estiver.



⊱ᗰυsιcα qυε α dεғιηα⊰

A música que mais a define, é, com certeza, Cry Baby, da Melanie Martinez. Mesmo sendo uma pessoa arrogante, maldosa e mentirosa, isso apenas aconteceu por tudo que lhe aconteceu, por tudo que tirou seu jeito bom e bondoso que um dia essa menina emocional teve.

You're all on your own and you lost all your friends
You told yourself that it's not you, it's them
You're one of a kind that no one understands
But those cry baby tears keep coming back again


Alguém está girando a manivela da torneira nos seus olhos
Você está derramando onde todos possam ver
Seu coração é grande demais para o seu corpo, é por isso que você não cabe dentro dele
Você está derramando onde todos possam ver






⊱Ŧяαsε(s) qυε α dεғιηα ε ғαℓα⊰

“-Você se dá melhor com uma doce mentira do que com uma amarga verdade”

“-Posso te ajudar, mas terá que retribuir mais tarde. Nada é de graça, sabia?”

“-Quer mesmo ficar contra mim? Sabe, posso ser uma inimiga que ninguém gostaria de ter. Ninguém.”

“-Como ousa dirigir-se a mim nesse tom?”

“- Me obrigue! Não manda em mim, ok?”

“-Credo Melannie, acordou de mau humor?”
“-TEM ALGUÉM AQUI DE MAU HUMOR?!”

“-Pode me chamar de infantil, mas odeio perder”

“-Me achou maluca? Não viu nem metade...”

“-Consigo perceber o que a maioria das pessoas não percebe: É preciso ser inteligente se quiser sobreviver”

“-E daí? Eu estou bem com a situação, é o que importa!”

“-Ah, então você é um vampiro? Legal, sou a Pocahontas!”

“-Apenas mais uma menina chorona por dentro, é o que sou...”

“-Encoste neles, seu desgraçado, e vai ver do que sou capaz!”




⊱ᗪεsεјα qυε αℓgσ αcσηтεçα cσм α sυα ρεяsσηαgεм?⊰

Não, nada... Fique à vontade!



⊱ᗩℓgσ мαιs?⊰

Nop!


¨*•.¸¸.•*¨¨*•.¸¸.•*¨¨*•.¸¸.•*¨*•.¸¸.•*¨¨*•.¸¸.•*¨¨*•.¸¸.•*¨*•.¸¸.•*¨¨*•.¸¸.•*¨¨*•.¸¸.•*¨¨


"Mas é o que faz com que nosso futuro seja como é"


•『Ŧιcнα Ŧυтυяσ』•




⊱Ňσмε⊰

Bellatrix Lidell Carroll

Bellatrix é um nome que provém do latim antigo, ou possivelmente do grego, e significa “Menina guerreira” “Amazona”, “Corajosa”. Muitas pessoas confundem esse nome como uma variante de Beatriz, no entanto, é importante ressaltar logo no início que apesar da sonoridade semelhante, são nomes diferentes com significados diferentes: Beatriz vem de viatrix, ou seja, viajante, enquanto Bellatrix significa "guerreira" em latim. Este é o nome da estrela mais brilhante da constelação de Orion, marcando o ombro esquerdo do caçador Orion, embora hoje astrônomos digam que ela não faz parte dessa constelação pois está bem mais próxima da Terra do que as demais. É impossível não pensar em Harry Potter e a personagem da Helena Bonan Carter como a malvada comensal da morte Bellatrix Lestrange. A associação é imediata, para quem conhece esse universo literário, de modo que para alguns pode perder pontos por conta disso. Outra associação imediata na língua portuguesa é a semelhança com "bela atriz", parecendo que a pessoa está falando de uma atriz muito bonita. Entretanto, não são somente pontos negativos. Embora seja um nome com significado diferente de Beatriz, ele pode se constituir em uma alternativa interessante a ele, que está popularíssimo tanto em Portugal quanto no Brasil.

Liddell é seu sobrenome do meio, herdado por sua mãe, Alice Liddell II. É de origem inglesa e até hoje não se sabe ao certo sua tradução, sendo a teoria mais aceita de que significa “Peão Branco”, daqueles do jogo de xadrez.

Carroll é o sobrenome de seu pai, Jonny Lewis Carroll. Tem sua origem na cultura celta, e significa “campeão” “ Vitorioso”. Bellatrix gosta do sobrenome graças ao célebre livro “Alice no País das Maravilhas”, escrito pelo cara que deu o nome a seu pai, Lewis Carroll.

A ponto de curiosidade, seu nome todo, com todos os significados juntos ficaria: A guerreira vitoriosa em um jogo de xadrez.




⊱ᗩρεℓιdσs⊰

Bella – Apelido comum, utilizado por todos que a conhecem ou que precisam conviver com ela em algum período de tempo. É aquele típico apelido que todos usam mesmo sem ter intimidade, apenas para encurtar o nome, tornar mais fácil a pronuncia. Bellatriz não liga para esse apelido, e por via das dúvidas até prefere que a chamem com ele, assim o clima fica menos... Tenso.

Trix/Trixy/Trixie – Apelidos mais íntimos, que somente seus amigos e familiares podem usar. Foram dados por sua irmã gêmea, Miranna Carroll e possuem um significado especial, já que remetem à sua infância. Não tente usá-los caso ela não te conhecer tanto, ou receberá um olhar mortal em troca.

Mad Hatter – Ela é, literalmente e ironicamente, a Chapeleira Maluca das meninas, já que sempre está a desafiar Reiji. Sempre sorrindo, para cima e tendo idéias mirabolantes para qualquer tipo de situação, idéias que ficam na tênue linha entre a estupidez e a loucura, a frase “Louca como um Chapeleiro” se aplica perfeitamente em sua pessoa.

Lilly/Delle – Apelidos derivados de seu sobrenome, Liddell. São usados em eventos formais, onde a pessoa não se sente muito a vontade com ela a ponto de usar seu primeiro nome, de modo que são apelidos usados normalmente com o “San” na frente (Lilly-san, Delle-san...). Bella não liga que os usem, mas também não são seus apelidos preferidos...

Bonequinha/Doll-chan - Há exatamente dois motivos pelo qual ela ODEIA esse apelido: Um por causa de sua aparência, que é frágil e inocente, algo que ela nunca quis parecer e o outro por sua história.



⊱Ɨdαdε⊰

Bella tem dezessete anos, nascida dia 1/02/1999, sendo então, aquariana. Ela acredita bastante na astrologia e em signos, tanto é que se identifica com o seu signo e normalmente segue os mandamentos do horóscopo. Seu ascendente solar é Peixes e o Lunar, Gêmeos. Algo interessante é que, todos os dias em seu aniversário, exatamente à meia noite, Bella abre uma pequena caixinha dourada que guarda desde seus seis anos e, além de olhar tudo o que tem lá dentro, relembrando a história de cada objeto, coloca algo importante para ela deste ano (Um relógio dado de presente por sua melhor amiga, por exemplo). Nasceu às 3 horas e três minutos da manhã, em casa, lugar escolhido pela mãe, com parto normal, sem maiores complicações.



⊱ᗩραяêηcια⊰

Bella tem uma aparência infantil, como a de uma boneca. Dona de longos e ondulados cabelos loiros, eles são de uma coloração quase que indefinida, oscilando entre o amarelo-sol e o loiro quase branco, com mechas de tons entre todas essas cores, dando aquele ar brilhoso a seus cabelos, especialmente nas pontas de seus cachinhos, onde chegam a ser fios totalmente brancos. Seu corte é o estilo “V”, onde o cabelo é cortado em formato decrescente, com mechas menores na parte de cima, com seu comprimento encerrado por apenas algumas mechas maiores do que as outras, e chegam até o início de suas coxas, onde encaracolam ainda mais. Seu penteado mais comum é o cabelo solto mesmo, com apenas duas mechinhas na frente de seu rosto, adornando e afinando sua face ainda mais. Raramente o prende, e se for obrigada a prender, prenderá apenas a metade de cima, formando um pequeno rabo de cavalo, coberto por algum laço ou qualquer coisa do tipo... Bella tem um problema com fios armados, sabe aquela maldita mecha que nunca abaixa, mesmo com laquê? Então, isso é um problema para Bella, que todos os dias passa até duas horas penteando para ver se, por algum milagre, ela finalmente abaixa, mesmo que depois ela desista e deixe como está, dando um ar mais “largado” a menina. Sempre com algo em cima de sua cabeça para disfarçar a maldita mecha que não abaixa, normalmente usa um gorro, um fone de ouvido ou um arquinho qualquer, sendo seu preferido um fone rosa com orelhas de raposa, que sempre usa em qualquer situação. AMA qualquer tipo de enfeite de cabelo, e não hesita em comprar algum que ache bonito. Arquinhos, presilhas, flores, laços de todos os tamanhos e cores não faltam no seu guarda roupa, pois como já dito, Bella é totalmente apaixonada por enfeites de cabelo. Sua franja é cortada de modo irregular, com algumas mechas maiores do que as outras, os fios nessa região de seu cabelo costumam ser muito rebeldes, não ficando exatamente no lugar, o que faz a garota ter um sério problema com fios cobrindo e atrapalhando sua visão, o tipo de franja que parece uma no estilo “Franjinha”, mas que está precisando cortar novamente. Sempre com um suave cheiro de chocolate, basta passar perto de Bellatrix e verá o quão cheirosas são suas preciosas madeixas, estão sempre muito bem cuidados, se tem algo que ela faz, e com prazer, é cuidar de seus cabelos. Com um brilho natural, odeia penteá-los, e se tem algo que ela odeia é que mecham em suas madeixas. É vaidosa com seus cabelos, isso ela não nega... Evellyn os adora e não mede esforços ou dinheiro para deixá-los sempre macios, sedosos e cheirosos. Não pretende cortá-los ou usá-los mais curtos.

Seus olhos são de um azul forte, um azul safira que encanta a todos que olham em seus olhos. Sempre com o brilho de felicidade que ela costuma ter, é o que mais ressalta em seu pequeno rosto, é a maior beleza de Bella, e com certeza, além de seus cabelos, é o que ela mais gosta em si. Com cílios pequenos, a primeira coisa que encontrará em sua bolsa, tipo, basta colocar a mão lá e vai achar, é um rímel e seus cílios postiços, de tanto que ela odeia essa característica sua. São grandes e brilhantes, o que dá um ar de inocência a ela, mesmo que ela insista que não é o que aparenta ser. Sempre com um olhar simpático e misterioso, ela pode tanto intimidar como aparentar ser simpática, dependendo de seu humor, já que seus olhos demonstram facilmente suas emoções e sensações, ou seja, ela não sabe esconder suas sensações e sentimentos. Bella normalmente os ressalta com sombras discretas e neutras como o preto, branco, bege e seu querido delineador e cílios postiços, quando arrisca algo mais chamativo o máximo que faz é passar um rosa ou dourado mesmo, sem exagerar e ainda tirar um pouco da cor, sendo uma pessoa discreta com maquiagem, e não quer que ninguém preste atenção nela. É quase impossível não se contagiar com seu olhar. Com um pequeno grau de miopia nos olhos, Liddell usa lentes de contato diariamente apenas por ser mais fácil, mas em casa não resiste a suas várias armações de óculos, de modo que quando cansa de suas lentes usa seus óculos, que incrivelmente dão um ar mais bonito e intelectual para ela.

Sua pele alva é lisa, sem muitas imperfeições, espinhas, cravos... Esse tipo de coisa. Sempre castigada pelo Sol por conta de sua cor, cremes, hidratantes e protetores solares fazem parte da vida dela, pelo contrário, Bella fica vermelha como um pimentão. Nunca usa maquiagem, no máximo um batom e rímel, mas se for para fazer aquelas maquiagens com muitos produtos, ela prefere passar a oportunidade, pois como sua pele é sensível, se Elyse passar muita maquiagem sente o rosto pesado e começa a se coçar, sendo então, “alérgica” a produtos de pele. Mãos macias e pequenas, suas longas unhas estão sempre bem cuidadas e pintadas com uma cor mais neutra, como branco, amarelo, rosa, esse tipo de cor que não aparece muito. Em eventos não mede esforços e maquiagens para se sentir linda, tendo que ficar se arrumando por horas até que resolva sair e escolher a roupa...

Seu rosto tem um formato redondo e possui traços delicados, dando um ar elegante e belo a ela, digno de uma boneca. Nariz pequeno, arrebitado e empinado, com sua ponta levemente arredondada, levemente pontuda, sendo totalmente proporcional ao seu rosto. Costuma não ter cor nenhuma, nem no frio nem no calor, não ficando com o famoso “Nariz de rena do Papai Noel” a não ser que fique doente ou algo do tipo. Seu queixo é harmônico, nem muito redondo nem muito pontudo, ali no meio termo, sendo totalmente escultural e elegante. Dona de bochechas extremamente gordinhas e fofas, Bellatrix Carroll ODEIA que tentem apertá-las, e se tentar fazer isso levará um tapa. Normalmente apresentam apenas uma leve coloração rosada, natural de Eve, mas apenas diga algo que a surpreenda ou diga o quanto ela está bonita que não apenas as bochechas, mas seu rosto todo fica vermelho de vergonha, dos mais profundos tons que possam imaginar. Seus lábios são bem desenhados e um pouco carnudos, tendo uma cor rosada, mais puxada pro salmão, o que faz com que ela viva com batons mais pigmentados, apenas por vaidade. Bem hidratados e macios com protetores labiais, normalmente estão com um leve gosto de chicletes e balas de todos os sabores graças ao seu vício. Graças ao enorme vício com chicletes a balas, Bella tem que prestar uma atenção enorme aos seus dentes, escovando-os três vezes ao dia, para que não cause problemas ou cáries, mas de vez em quando acaba se descuidando e tendo uma dor de dente... Suas sobrancelhas são mais arredondadas, sem o sinal de arqueamento, porém bem desenhadas e também no tom loiro água de seus cabelos, sempre feitas e sem nenhum pelinho fora do lugar. Suas orelhas são quase sempre escondidas por mechas de seu cabelo, mas são incrivelmente pequeninas e delicadas, e isso constrange Bella, que sempre coloca seu cabelo em cima delas para esconder, porém não resiste e acaba usando alguns brincos, sendo seu preferido um dourado com uma bolinha azul em ambas as orelhas.

Já seu corpo, é magro e pequeno, equivale a um corpo de uma jovem de quatorze anos de idade, não sendo lá muito desenvolvido. Bella possui seios pequeninos, porém firmes e redondinhos, não sendo o alvo do olhar de homens, algo que Bella, por mais que não goste, até considera uma vantagem, mesmo querendo ter seios maiores. Suas coxas são finas e lisinhas, o que combina com suas pernas, que são igualmente finas e lisas, porém bem torneadas e sem qualquer sinal de estrias, celulites ou manchas graças a suas dietas sem pelos, os poucos que ali estão são loiros... Sua cintura é fina. Muito. “A cintura mais fina do mundo”, como a exagerada se refere a si mesma, acaba deixando seus medianos quadris um pouco mais largos. Sua barriga é lisa, não aparentando qualquer sinal de gordura. Alimentação rigidamente controlada quando menor, Liddell não podia sair um pouquinho de seu peso, que lá vinham dietas, pílulas e tratamentos para que ela emagrecesse, e infelizmente, isso continua assim. Ela própria controla seu peso com mão de ferro, se perguntando onde errou ao ver dois ou três quilos a mais na balança. Seus glúteos são medianos, empinados e extremamente firmes, também sem nenhum tipo de mancha. Tem 1,56 de altura e pesa 46 quilos, algo considerado normal e saudável para sua idade e tamanho. Bellatrix se acha bonita e se cuida, é vaidosa naturalmente, porém sente uma certa inveja quando vê meninas da sua idade muito mais desenvolvidas do que ela, às vezes ela até chega na frente do espelho e começa a procurar defeitos em si mesma, tendo uma auto-estima meio baixa.


















⊱Sεxυαℓιdαdε⊰

Bella é, incrivelmente, bisexual, gostando tanto de homens como de mulheres, mas ao gostar de alguma mulher ela não percebe direito, como se fosse errado, ela nega com todas as suas forças por medo de ser julgada. Tem uma preferência maior por homens, mas não nega que sente sim alguma atração por mulheres.



⊱ᑭεяsσηαℓιdαdε⊰

]Bella pode com certeza ser definida como uma pessoa escondida, tímida, que não se mostra muito nem mesmo quando é o centro das atenções. Por ser obrigada a todos os dias de sua infância sorrir, fingir ser feliz e falar até o que não queria por um “bem maior”, sente pavor de falar em público ou de liderar algo por causa disso, sentindo medo de sua máscara cair e simplesmente entrar em uma crise de pânico. Raramente a verá conversando com as pessoas por iniciativa própria ou quem sabe controlando algum trabalho, algo desse tipo, apesar de adorar falar com as pessoas, sempre espera o outro ter vontade de conversar com ela para enfim iniciar uma conversa, pois como sempre, tem medo de ser julgada. Sempre com o mesmo sorriso no rosto, sempre com a mesma expressão, Bellatrix é o tipo de pessoa que você jamais irá ver triste ou magoada, ela sabe esconder seus sentimentos muito bem, para que ela mostre algo em público... É preciso muita confiança e determinação para fazê-la falar. É descrita pela maioria das pessoas como submissa por causa de seu comportamento, mas não se engane: Essa menina pode te surpreender muito quando se conhece mais a fundo.

Independente, prefere morrer a ter que ser dependente de alguém que não confia ou não gosta, sabe se virar sozinha e detesta que as pessoas tentem a ajudar por dó ou simplesmente fiquem com pena dela. Odeia quando alguém tenta pegar seus problemas para si, ela sofre sozinha até o que não consegue suportar, mas sofre calada e sem “incomodar ninguém”, e não quer que ninguém se machuque por ela sem motivos. O que ela mais odeia, ainda nesse tópico de independência, é que a julguem pela aparência ou comportamento incial: Apesar de não parecer, Liddell é muito forte, determinada e batalhadora, e sempre tem um plano na ponta da língua para qualquer situação... Jamais tente dizer “Você é frágil demais para isso, deixe que eu ajudo!”, que vai receber um belo tapa em resposta, além de um olhar mortal dela. Está sempre tentando se superar a cada dia, e provar enfim que, por mais que pareça frágil, é uma das pessoas mais fortes que conhecerá... Para viver, para conviver com essa garota precisa deixá-la sozinha e entender que às vezes ela tem seus momentos de ficar sozinha a hora que bem entender. Independente, tente a prender em algum lugar, tente fazer com que ela seja submissa a algo ou tente chantageá-la com algo do passado e pronto! Acabou de fazer uma inimiga mortal. Livre desde o momento que nasceu, jamais a verá sendo obediente ou quem sabe sendo presa a qualquer tipo de pessoa, se isso acontecer, com certeza ela foi seqüestrada e está dando um sinal.

Com uma auto-estima baixa, dificilmente vai vê-la se admirando no espelho e dizendo “Nossa, estou bonita!”, é mais fácil vê-la procurando defeitos em si mesma por achar seu corpo “Infantil demais” para sua idade. Precisa se sentir bonita de algum jeito, e não, ela não gosta de parecer uma bonequinha como costumam dizer, acha isso fofo, porém não bonito. Sempre sonhou em talvez ter seios maiores, ou um corpo mais delineado... Enfim, ela sempre precisa de incentivo para sair de casa confiante, então elogios ou comentários do tipo “Nossa, essa saia fica linda em você!” totalmente espontâneos a ajudam e muito, nem mesmo se for de algum pervertido qualquer da rua dizendo que ela é bonita, Bella se sente um pouquinho melhor com sua aparência.

Como boa aquariana, detesta regras e odeia que tentem controlar sua vida. Para ela, tudo o que ela faz deveria ser problema dela, e não de outras pessoas. Ora, se ela quer fazer algo que outra pessoa julgue maluco, o que aquela pessoa tem a ver com suas decisões? Exatamente, nada! E, como costuma dizer, regras foram feitas para serem quebradas. Tente dizer o que ela deve e não deve fazer e pronto, conquistou e inimizade dela na hora. Bella faz o que ela quer a hora que ela quer e quando ela quiser, ponto. É como costumam dizer: “Entre o certo e o errado, Bellatrix Liddell Carroll faz o que ela quer” Rebelde. Seu nome do meio. É o tipo de ser humano que ao ver uma placa escrito “Favor não comer aqui”, Liddell vai até um restaurante, compra um sorvete e volta até a loja ou estabelecimento que tem essa placa, e toma o sorvete do ladinho dela. Fale o que ela não pode fazer, e pode ter a certeza que ela vai realizar tudo o que você disse que daria errado, apenas para ter o gostinho de contrariar alguém. Impulsiva, se joga de cabeça em muitas situações arriscadas e estúpidas, o que leva a menina a ser diariamente repreendida por seu comportamento teimoso, que aliás, é outro ponto dela.

Teimosa até demais, se ela quer algo... Somente não tente pará-la, não vai conseguir. Opinião forte, determinação e teimosia nos céus. Em debates e conversas ela é sempre a primeira a jogar sua opinião no ar, e está pronta pra defendê-la, se for preciso. Teimosa, ah se é teimosa! Com ela, é oito ou oitenta, ou é sim ou não, eu amo ou eu odeio. Nunca foi Maria vai com as outras, então não é agora que vai ser, seguindo os ideais de outros apenas para ser aceita pela sociedade, Bella fica sozinha e isolada, mas não muda sua opinião de jeito nenhum. Nunca diga “Você não consegue!” para ela, porque Deus... Diga isso e a loirinha vai é tentar com tudo o que tem para conseguir, e depois jogar na sua cara. Desistir? Essa palavra não existe em seu vocabulário desde que era pequena. Como passou por algumas situações bem difíceis a vida toda desde que se lembra, ela simplesmente desistiu de desistir, e acha que pra tudo há um jeito.

Inteligente, sempre fica atenta aos detalhes mais pequenos e irrelevantes, para enfim formar o quebra cabeça da situação e escapar de algum perigo ou resolver algum mistério, o que leva Bella a adorar qualquer tipo de jogo, especialmente o xadrez, damas ou jogos de celular. Odeia ser desafiada ou encurralada, sempre quer estar um passo a frente de todos que não confia, dificuldade que vai encontrar com Reiji, que é igualmente inteligente e observador. Falando nele, Bella adora estudar em qualquer momento e em qualquer lugar, sempre carrega consigo fones de ouvido e livros juntos, para ler enquanto escuta música (Estranho? Talvez). Ela não se importa com amores, festas e coisas que uma adolescente normal faria, quer mesmo é sempre saber mais sobre tudo, desde História até Matemática. Acostumou-se com livros e solidão desde pequena, e sabe que as vezes é melhor está só do que mal-acompanhada.

Crítica, se algo não estiver de acordo com o que ela quer ou imaginou, pode ser preparar para a enxurrada de críticas que vai vir sobre você... E garanto, ela não vai poupar verdades, sendo às vezes muito grossa sem ao menos perceber... Mas não é por mal, é apenas porque a pessoa pediu sua opinião! Outra coisa que ela odeia: Plágio. Jamais tente copiar algo que ELA inventou primeiro, porque ela não aceita... Quer levar os créditos pelo que ela fez, e não deixar que qualquer pessoa tenha metade de seu trabalho e leve o mérito! Criativa, está sempre inventando coisas novas, e não para um minuto sequer. Se pedir para ela inventar ali mesmo uma máquina do tempo, ela inventa, se quiser uma música, ela inventa... Tem uma inteligência fora do comum e uma esperteza muito grande, mas como nunca foi estimulada quando pequena, nada disso foi aproveitado na escola, por exemplo. É uma grande improvisadora, sendo ótima para criar histórias e contos de fadas que ela chega a escrever, mas não mostra ninguém por sua timidez. Seu sonho é ser uma grande escritora algum dia, e quem sabe finalmente se sentir amada por alguém pelo o que ela fez, e não pelo que vêem dela.

Paciente, sempre terá tempo de te escutar e de te ajudar, por mais que seu problema para ela seja ridículo. Bella é o tipo de amiga que, se você ligar pedindo socorro às três da manhã, ela vai estar lá em dez minutos e te dar toda a assistência necessária, não reclamando da hora ou algo do tipo, lógico, se for importante para ela. Gosta muito de crianças, e poderia ficar horas com elas sem problemas, sendo uma ótima babá. Bella gosta de crianças por achá-las puras e inocentes, além de, secretamente, invejar a infância de muitas por aí por terem o que ela nunca teve: Família. Parece que ela jamais perde a paciência, mesmo quando as coisas passaram dos limites ou a pessoa a odeia e tentar causar mal... Carroll-san é o tipo de pessoa que facilmente “Apanha e esquece”, ou seja, não importa o quanto de vezes a pessoa ignorar, afastá-la ou evitá-la, ela vai continuar tentando se aproximar e entender a situação, tentando entender o motivo de tanta raiva de alguém que nunca fez nada a ele (a). Pacífica e calma na maioria das vezes, se discutir com alguém (O que é raro de acontecer, mesmo tendo opinião forte), ela vai parar a discussão com um simples “Desculpe-me” e ir embora calmamente, deixando a outra pessoa sem palavras. Nunca foi de brigar, e não é agora que isso vai mudar. Quando está levando bronca ou até brigando por algo desnecessário, Emy simplesmente abaixa a cabeça e desliga do mundo até a pessoa parar de falar besteira, somente assentindo quando toda a falação acabar.

Por outro lado, Bella ainda é uma pessoa altruísta e gentil, como sempre foi no fundo. Sempre coloca as necessidades de outras pessoas acima das suas, até mesmo de quem ela não conhece, por exemplo: Se ela vir alguém passando frio, não hesitará em tirar a sua jaqueta e entregar para essa pessoa, mesmo se estiver nevando, pois alguma coisa a impede de continuar em frente sem ajudar aquela pessoa. É bondosa, e não suporta que outro ser humano despreze um igual apenas por classe social ou raça. É dominada por um senso de justiça fortíssimo, desenvolvido enquanto passou seus dias na DollHouse. Sempre defende as coisas quando acha que está certa, se algo está errado, injusto ou prejudicial para outra vida ou algo, ela vai lá e conserta da sua maneira “Bellatrix”, sem medo do que possa acontecer com ela. Acha injusto e cruel os mais fortes que humilham os mais fracos apenas para se sentirem bem, as pessoas que fazem isso não são dignas de receber seu respeito e muito menos viver junto a outros... É o tipo de pessoa que só “filma” suas atitudes por algum tempo, e quando você menos espera... Ela pode acabar com você na mesma hora.

Gentil e carinhosa, ela necessita da atenção que nunca teve, e se sente muito mal quando é trocada por alguém ou objeto, chegando a entrar em depressão quando isso acontece, já que sempre se sentiu abandonada pelas pessoas que tanto amava, especialmente sua irmã gêmea, e isso acabou com o psicológico dela. Atenciosa, se apega muito fácil a todas as pessoas que estão com ela e que a ajudam de alguma maneira, ou a confortam, e quando precisa se afastar, mesmo que por dois dias chora sem esconder ou disfarçar de tanto que seu coração aperta pela saudade. Como já dito, com quem ama é a pessoa mais atenciosa, divertida e fofa, sempre se lembra de todas as datas importantes, como o dia do aniversário de namoro, aniversários, primeira vez... Esse tipo de coisa, não esquecendo de nada importante e sempre caprichando no presente, já que a pessoa é especial para ela. Por confiar muito pouco nas pessoas, se você tem a confiança e a amizade de Bella sinta-se honrado, isso não é comum, e acontece raras vezes. Gosta de um carinho, de um presente inesperado, surpresas boas. Se ela te ama, o que é bem raro, já que sua visão do amor é meio distorcida por causa de sua família, não a abandone ou a decepcione, ela se vira contra você e aí ferrou a sua vida, acredite, ela sabe guardar mágoas e nunca subestime a capacidade dela fingir que não te conhece e te tratar com toda a frieza existente nela

Leal e protetora, não ouse machucar, insultar ou até mesmo apenas sorrir debochadamente para as pessoas que ela ama, que Bellatrix esquece totalmente onde está e com quem, se será julgada ou não e sua timidez vai para o além, porque do nada vira uma menina agressiva, impaciente e muito, mas muito grossa. Com xingamentos que nem ela onde aprendeu, Liddell vai virar um pequeno demônio e partir para cima de você com todas as forças que tiver, contrariando a ideia de ser uma “doce boneca” e quebrando todos os seus ossos e por cima jogando cera quente, para ver se você aprende a lição. É super protetora e ciumenta, e não aceita de jeito nenhum vê-los desconfortáveis ou em perigo. Possessiva, se vê alguma garota de fora tentando ser amiga de SUAS amigas ela fica vermelha de raiva, e faz questão de ir até a tal menina e puxar sua amiga pra si em um abraço, como quem diz “É minha melhor amiga, menina. Vai procurar a sua!” Odeia ser trocada, se sente sozinha, traída e abandonada. Uma boa ouvinte e conselheira, jamais deixará que suas amigas façam papel de trouxa, apesar de não saber o que fazer com sua vida. Meiga e sempre com um sorriso meigo nos lábios, adora conversar e rir de assuntos aleatórios. Uma boa ouvinte, sempre dando conselhos a todos que pedem, com um ar protetor. Roupas e sapatos são muito discutidos com ela, por ter um senso de crítica bem rígido. Ama ficar com elas apenas olhando para o nada, dançando, cantando, qualquer coisa está ótimo se estiver com elas.

Bella é educada. Muito. Especialmente na frente de Reiji, seus modos são os melhores, afinal, era isso que fazia o tempo todo em casa, estudava sobre etiqueta. Jamais a verá com postura desleixada ou falando gírias em situações “formais”, pois até mesmo ela morre de medo de Reiji. Sempre com um sorriso educado e simpático, é sua máscara: Por mais que tente, não conseguirá tirar a tão ensaiada expressão de seu rosto, que está consigo desde pequena.

Algo que ninguém sabe sobre ela é de seus... Problemas psicológicos, vamos dizer assim. Bella, desde pequena, sempre viveu em seu mundinho, isolada de tudo e todos, imaginando a vida perfeita, e isso detonou toda sua mente, em combo com o que estava acontecendo em sua casa... Chegou até a ser diagnosticada com Esquizofrenia pelos mais renomados psiquiatras e psicólogos, por falar sozinha e conversar com bonecas mesmo tendo treze, quatorze anos, mas mesmo com seus remédios sendo controlados com mão de ferro pelos empregados da casa, ela nunca melhorou desse problema, pelo contrário, os inúmeros remédios serviram apenas para viciá-la e deixá-la ainda mais louca com os efeitos colaterais. Traumas normalmente fazem isso com pessoas, e ela foi uma vítima. Por não aguentar tudo o que passava, falar com bonecas e ursinhos de pelúcia foi um jeitinho de se sentir melhor, de colocar para fora tudo o que sentia. Ela melhorou bastante nesse aspecto, mas basta tocar em algum assunto delicado, como seu passado, e verá o quão insana que ela pode ser. Gargalhava quando precisava chorar, ria de coisas trágicas... Era esse o tipo de menina que a Carroll era. Machucada, ainda sorri sadicamente, ainda tem esse lado agressivo e maluco dela, mas ela esconde. A sete chaves. Com toda sua experiência em fingir, em estar com uma máscara de “normalidade”, Bella parece uma pessoa normal, mas as coisas não são bem assim... A verdade é que ela é viciada em seus remédios, e não demonstra esses sintomas a ninguém, apesar de que, quando não toma seus remédios, fica atrevidíssima, costuma pegar uma das xícaras de Reiji e girá-las pela alça, quase deixando cair, ou quem sabe brinca de malabarismo com elas, apenas para vê-lo irritado.

Se tem uma coisa que ela odeia são mentiras... Se mentir para ela, pode apostar que ela jamais vai ser a mesma com você, ou melhor, nunca mais ouvirá sua voz sendo dirigida a você. Praticamente se sente uma idiota quando as outras pessoas mentem para ela, pois Bella sempre mentiu a vida toda, ou seja, virou uma perita em detectar mentiras, sabendo identificar uma à distância. Qualquer detalhe não passa despercebido por Trixie, mordeu o lábio de forma discreta, olhou para baixo, um sorrisinho minúsculo, qualquer coisinha ela já desconfia, sendo uma pessoa que ninguém gostaria de ter como inimiga. Mentiu muito a vida toda, sempre machucada, mas com o mesmo sorriso e a mesma história de que tinha uma família, as repudia completamente a ponto de morrer a mentir de novo para qualquer um: Se faz isso, remorso é pouco para descrever o que sente, sua consciência fica pesada, vozes falam em sua cabeça palavra por palavra a mentira, ela não consegue dormir, por aí vai.

Fria e calculista quando precisa, não liga de deixar alguém morrer por causa de algo que fez para ela no passado, tanto é que seu maior sonho é matar o próprio pai ou sua amante, para fazê-los pagar por tudo, ou até quem sabe machucar Reiji, que a abandonou em sua vida passada. Por mais que seja misericordiosa, a raiva muitas vezes fala mais alto. Quando com raiva, quase não reconhecemos essa garota, ela muda totalmente para uma menina diferente. Pessimista na maioria das vezes nesses dias, tem um modo “frio” de ver a vida, um modo que foi criado por Ninna (História). “Algumas pessoas não deveriam existir” é seu pensamento para a maioria das pessoas. Para algumas pessoas que tem um pensamento totalmente distorcido de sua lealdade, Bella é considera má, impiedosa, mas se for reparar, não é, o que a move e a tira de si é o tal do “amor”. Esse o lado que ela mais gosta em si mesma. Mataria qualquer um sem ao menos hesitar, se for pra proteger alguém.




[color==#EE3A8C]⊱Ħιsтóяια⊰ [/color]

“Ei, garota, abra as paredes
Brinque com suas bonecas
Seremos uma família perfeita”


Os Carroll eram uma família rica, poderosa e influente, que possuíam um grande comércio em Quebec, Canadá. Herdeiros de uma loja de brinquedos (Sim, brinquedos) chamada Dollhouse, lucravam um bom dinheiro, pelo menos o suficiente para viverem em boas condições, sendo o brinquedo mais famoso suas bonecas, como o nome diz... Seus brinquedos eram amados pelas crianças e cada vez mais cresciam para fora do país, chegando nos Eua, por exemplo. O verdadeiro proprietário dessa loja era o pai de Bellatrix, Jonnhy Carroll, um belo homem de vinte e nove anos que aparentava amar sua família, casado com Alice Liddell II, uma mulher da linhagem que inspirou um dos clássicos mais renomados da literatura, Alice no País das Maravilhas, era bela e amorosa que aparentava estar feliz com ele, um casamento já duradouro. Juntos tinham duas filhas gêmeas, Bellatrix, a mais velha e Miranna, a mais nova, cada uma puxou para um lado da família, Bella parecia o pai, Miranna, a mãe. Juntos formavam uma grande família de empresários, que eram praticamente o modelo de família perfeita a todos. Sempre brincando e sorrindo na frente das pessoas e nas entrevistas. Sempre felizes e contentes.

Uma pena que não era bem assim. O que ninguém esperava era que um verdadeiro teatro acontecia por trás das cortinas.

“Quando você vai embora
É quando nós realmente brincamos
Você não me ouve quando eu digo
Mãe, por favor, acorde, papai está com uma vadia
E seu filho está fumando maconha"


Alice, quando Bella tinha seus oito anos de idade, descobriu pela conta telefônica e pela internet que Jonnhy, o homem que tanto amava desde que se conheceram, a traía desde antes das gêmeas nascerem com absolutamente todas as mulheres vulgo vadias que via em sua frente, não dispensava nenhuma que o queria, em especial, uma jovem de dezoito anos chamada Ninna, apenas mais uma meretriz interessada no dinheiro dos Carroll que ele estava muito interessado. Seu pai nunca se sentiu satisfeito apenas com a mãe de Trixie, e só se casou por insistência dos pais em logo arranjar uma família para enfim herdar a grande empresa... A mãe da pequena menina entrou em choque, não conseguia nem mesmo falar ao descobrir a notícia. Sua vida fora totalmente destruída.

“-Mãe? Mamãe, o que aconteceu? Tá tudo bem? - A jovem menina que acabara de chegar da escola entrava no cômodo guiada pelo choro da bela azulada, que estava no chão, totalmente desesperada e sem saber o que fazer.

-F-filha? V-voltou mais cedo d-da escola porquê? O q-que aconteceu? A professora f-f-f- faltou? –A mãe logo sorriu, tentando acalmá-la e deixá-la menos preocupada, mas sem sucesso. Ao ver o rímel e a maquiagem toda borrada juntamente com a tremedeira de Alice, ela logo se abaixou junto da mãe, desesperada.

-Quer que eu chame o papai? El pode nos aju-

-NÃO!- Alice gritou descontrolada para a menina, e em seguida recuperou a compostura ao ver o susto e a carinha de choro da loira, que não tinha nada a ver com aquilo que estava acontecendo - Seu pai é a última pessoa que quero ver aqui Bella... Não quero vê-lo nunca mais.”


“Ninguém nunca escuta, este papel de parede brilha
Não deixe eles verem o que se passa na cozinha”


Desde esse dia a vida dos Carroll começou a desmoronar. Jonnhy e Alice brigaram seriamente pelas traições recém descobertas, e quando o pai de Trixie descobriu que elas sabiam de tudo... Ficou agressivo. Ameaçou as duas de morte caso contassem alguma coisa para a mídia ou para a polícia, era para todas ficarem quietas e continuarem agindo como uma família feliz que sempre foram. Miranna, a gêmea mais nova não sabia de nada até então, pois ela não queria que a mesma, por mais que fosse apenas alguns minutos mais nova, sofresse com problemas que ela não precisava se meter ou souber. Jonnhy, apesar de tudo, mesmo com as ameaças dele para as outras duas, continuava saindo com as garotas que encontrava pelo caminho, e não tinha medo de chegar em casa tarde com marcas de batom ou chupões no pescoço, pelo contrário, fazia questão de mostrar às duas como uma forma de dizer “Vocês apenas são duas na minha enorme lista, já foi a vez de vocês terem minha atenção”. Levava várias mulheres, inclusive Ninna, sua preferida, para casa, obrigando muitas vezes Alice ir até o quarto de Bella e Miranna, para quem sabe tentar dormir, já que o marido a expulsava para ficar com as outras em momentos a sós. O engraçado é que, nos eventos, festas, conversas, todos tinham que agir como uma verdadeira família. Jonnhy sempre pegava Bella no colo, sempre a segurava, mas ela tinha nojo dele, vontade de morrer a cada vez que uma entrevista se iniciava. Bellatrix era como uma boneca: Sempre com o mesmo rosto, sempre sorrindo apesar de tudo.

Eram rodeados por uma mentira, sempre. Ninguém desconfiava de nada.


“Lugares, lugares, vão para os seus lugares
Vista seu vestido e coloquem seus rostos de bonecas
Todo mundo pensa que nós somos perfeitos
Por favor, não deixe eles olharem através das cortinas”


A mãe das duas, Alice, não agüentou a pressão. Todos os dias se embebedava até cair, bebia quantidades absurdas de álcool e desmaiava no sofá ou no chão mesmo, tentando se esquecer da infidelidade do marido, da ilusão que viveu, te todas as coisas ruins que estavam acontecendo. Com gravíssimos problemas de saúde, já não estava consciente do que fazia, e cada vez mais se envolvia em acidentes, polêmicas, brigas... Tudo por causa do álcool. Não ligava mais para as filhas, e deixara Miranna na proteção de Bella, que cada vez mais se superava na arte de dizer que estava tudo bem. Já não era possível ver a mesma mulher de antes, e sempre carregava uma garrafa de alguma substância absurdamente inflamável consigo.

Miranna, depois que a família praticamente desmoronou e ela ficou sabendo por causa da própria Ninna, começou a se drogar. Saía todos os dias escondida, dizendo que ia estudar para conseguir mais e mais drogas com pessoas cada vez menos confiáveis. Assim como sua mãe, ela não queria ver mais a cara do pai e especialmente da irmã, já que ela não contou nada para Miranna e sempre dizia que tudo estava bem, isso a fez se sentir traída pela irmã mais velha, e, como a mãe, buscava algum refúgio das situações, a única que achou foi as drogas, que estavam ficando cada vez mais pesadas. Totalmente drogada, chegou a agredir Bella algumas vezes ao alucinar e ver Ninna, a amante de Jonnhy, deixando severas cicatrizes. Ela sofria com isso. Muito. Cicatrizes penduram até hoje, mas o que mais a atingiu foi o ódio de sua irmã, a irmã que ela tanto amava. Ela queria fugir. Queria morrer. Com seus treze anos, simplesmente não aguentava mais a vida que levava: Sua mãe se destruindo lentamente, sua irmã cheia de ódio dela, seu pai trazendo cada vez mais mulheres para casa... Mas ela sorria. E brincava. Não deixava que as pessoas vissem por trás daquela porta.

A DollHouse virou seu refúgio, o único lugar em que ela se sentia segura. Todos os dias ela se trancava ali dentro e construía perfeitas réplicas de bonecas de sua própria família, e brincava que eram realmente a família perfeita, em sua própria casa de bonecas também feita à mão por ela. Acabou ficando meio louca com isso, sempre rindo a toa, gargalhando quando era para chorar, toda a situação fazia com que a pequena mente de Bella, ainda apenas uma adolescente, ficasse maluca. Vivia, e ainda há alguns fragmentos dessa realidade alternativa, em seu mundinho paralelo, onde tudo era perfeito do jeito que ela queria. No final de cada brincadeira, ela sorria debochadamente de sua estupidez, pois sabia que, nada daquilo que montara iria ser real.

"Foto, foto, sorria para a foto
Pose com o seu irmão, você não vai ser uma boa irmã?
Todo mundo pensa que nós somos perfeitos
Por favor, não deixe eles olharem através das cortinas”


Em algum momento, eles mudaram para o Japão, na grande cidade de Tokio, sempre com a mesma história, sempre a mesma coisa. Novamente, a Dollhouse era seu lugar preferido na casa dos Carroll, a única coisa que a distraia dos problemas que tinha e a deixava um pouquinho mais forte todos os dias. E assim foi levando a sua vida, até que um dia, Bella se esgotou. A paciência que havia durado durantes anos acabou quando Ninna, a estúpida amante de seu pai, a desprezou, a humilhou como nada, na frente de seu pai.

E ele não fez nada. Não moveu um único dedo.


“-Olhe só para você, menininha estúpida. Como Jonnhy preferiu ficar com vocês, essas pessoas tão simplórias a ponto de se mudar comigo para cá sozinho?- A moça de longos cabelos rosas e belos olhos azuis gargalhou debochadamente, puxando ainda mais para cima a curta saia que usava –Coitadinha, a boneca que nunca falha em suas poses, nem mesmo em momentos como esse, onde as pessoas mostram quem você realmente é. Admiro você, por conseguir sorrir na frente das pessoas mesmo querendo chorar todos esses anos...Veja só sua mãezinha, se destruindo cada vez mais com álcool, ela não consegue aceitar que perdeu para mim?

-Cale a boca! Olhe como fala da minha família – Bella rosnou, suspirando profundamente.

-E sua irmã, Miranna, esse é o nome dela, não? - Ela continuou, ignorando totalmente a fúria de Bella –Totalmente drogada, o que ela usa? Maconha? Cigarros mesmo? Só sei que ela te agrediu um dia desses, não é verdade? Ainda tem as cicatrizes, não? Pobrezinha... Vou ser sincera, menina, todos cansaram de você como você cansou de brincar de bonecas quando tinha treze anos... A Dollhouse é um lugar perfeito para você, um lugar para coisa sem valor, coisas que podem ser trocadas por meras notas de dinheiro... Nem seu pai te aguenta mais!

-CALE A BOCA! SUA PROSTITUTA IMUNDA!

-Ora sua... –Nina deu-lhe um tapa na cara, seguido de outros chutes, sorrindo sadicamente –Isso é para você aprender a me obedecer, minha pequena filha –Frisou a última parte com deboche, ainda batendo na adolescente –Me casarei com seu pai em breve mocinha, farei você ser minha dama de honra, e a primeira coisa que farei será despejar você e sua irmã na rua, para que enfim os verdadeiros e únicos herdeiros dele consigam o controle da família Carroll... Você não é nada, nadinha perto de mim

-PAPAI! ME AJUDA! – ela gritou, chorando e tentando desviar das agressões da mais velha. Jonnhy apenas olhou para o lado, e não respondeu a seus chamados. Realmente, ela não importava mais”



Então Bellatrix saiu correndo para qualquer lugar, qualquer lugar que lhe desse uma pequena sensação de segurança, qualquer lugar longe de seu pai, Ninna e de todos os Carroll. Qualquer lugar mesmo. Só queria um descanso, sua vida fora feita de mentiras, uma hora todas as pessoas cansam de mentir, de iludir... Correu até a entrada de um prédio, onde parou para respirar e tentar pedir ajuda a alguém... Lágrimas escorriam de seu rosto incessantemente, e seu corpo todo tremia. Ela correu, queria se esconder. Queria ficar longe de tudo o que conhecia. Queria uma vida nova.

Foi quando acabou trombando com um homem... Estranho. Tinha curtos cabelos brancos, olhos amarelos como os de um gato. Tinha um ar acolhedor, e parecia bondoso. Ele parecia super tranqüilo mesmo tendo acabado de trombar com uma menina desconhecida chorando. Bella imediatamente começou a se desculpar, sendo cortada pelo homem gentilmente. Karl a reconheceu como uma das antigas noivas de seu filho, mesmo sendo tão diferente de quem ela fora um dia, ainda era possível ver alguém familiar ali. Imediatamente ofereceu para ela a oferta de ir até a Mansão Sakamaki, dizendo que conhecia sua história e que sim, ela seria mais feliz lá. Ninguém daquela estúpida família saberia onde ela estava, e nunca mais teria que vê-los.

Bella imediatamente aceitou. Tudo o que ela queria era ficar longe daquele inferno... Ficar longe da DollHouse. Por mais que não tenha pensado em Miranna, e se culpar por isso, seu egoísmo, pela primeira vez, falou mais alto.

“-Bom, minha querida. Entendo tudo o que sofreu. E sinceramente, acho que merece coisa melhor. Eu posso lhe dar uma vida nova, se quiser, pode ter tudo o que sempre sonhou. Basta vir comigo, e lhe darei uma nova chance”


“C-A-S-A D-E B-O-N-E-C-A, eu vejo coisas que ninguém mais vê”




⊱ᑕσмσ sε sεηтιυ εм sε ℓεмвяαя dα тяαιçãσ?⊰

Bellatrix sentiu seu corpo tremer, e sua mente explodiu de tantos pensamentos. Sempre tão apegada a todos que conhecia, Bella desandou a chorar e tremer, com seus sentimentos voltando a mil para sua cabeça, todas as lembranças, tudo que vivera com sua outra vida, não entendera o motivo da traição ainda. Se sentiu triste como nunca se sentiu em sua vida inteira, e a dor de ser traída ficou mais forte, mais dolorida. Raiva? Bom, esse sentimento ela só teria depois de seu ataque de choro, aí sim ela ficaria furiosa e seu ódio seria direcionado a Reiji como ninguém nunca sentiu sua fúria. Por mais que ele fosse um vampiro, nada impediria Bella de odiá-lo.




⊱ᑕσмσ sε sεηтιυ εм яεvεя sευ ραя?⊰

Algo estranho aconteceu. Bella, quando o reviu, acabou completando uma de suas frases mais célebres em voz alta sem pensar no que dizia, como se já tivesse escutado essa frase muitas e muitas vezes, apesar de nunca ter visto Reiji “na vida”. Depois, foi adivinhando alguns gostos dele e seus livros preferidos, algo que apenas Melannie, sua vida passada, saberia responder. Isso era um sinal de que ela havia lembrado pouca coisa e apenas em seus sonhos, onde flashbacks passavam e ela acreditava que tudo era apenas um sonho.




⊱Ꮆσsтα⊰

Bonecas- Querendo ou não, por causa de tudo que aconteceu com ela, Bella ainda tem um carinho especial pelas bonecas, e guarda as suas com carinho. Ainda guarda as réplicas de sua família que construiu, e não tem medo de mostrá-las para as pessoas.

Música -AMA música, qualquer gênero, mas em especial música clássica, pop e paródias. Acredita que tudo vira música e que música é a coisa mais importante para a felicidade, então vive cantarolando coisas sem sentido ou compondo letras.

Brincar -Por mais que digam que está velha para isso, ou que é inadequado para alguém da sua idade, ela adora brincar, de qualquer coisa, principalmente esconde-esconde e pega pega.

Dançar -Ela gosta muito de dançar, e quando dança se sente em outro mundo, somente presta atenção na música.

Modéstia a parte, ela dança muito bem qualquer tipo de dança, sendo tímida demais para dançar em festas.

Tocar violão -É o único instrumento que ela realmente toca, e bem. Aprendeu com sua mãe, uma legítima estudante de música, antes de acontecer tudo o que aconteceu...

Flores - Bella as acha belas e coloridas, enfeitam o mundo deixando ele mais bonito e mais suportável. Seu tipo preferido são margaridas e girassóis.

Sorvetes em geral -É gelado? Doce? Então pode ter certeza que Trixie vai adorar! Não tem preferência a nenhum sabor, apenas AMA de paixão sorvete, e o come quando está triste, deprimida, com raiva, alegre... Ou seja, sempre.

Café -Por mais que ame coisas doces, ela adora café. Desde o Expresso até Capuccinos, contanto que seja cafeína ela gosta, pois ajuda a ficar “acordada” e mais atenta.

Passarinhos -Se identifica com eles, e os adora pelo simples fato deles voarem, um sonho dela desde pequena.

A primavera –Uma estação colorida e super alegre, tem exatamente tudo haver com Bella. Aqui também podemos colocar que ela AMA a natureza, e se sente tranquila quando está no meio da natureza, com árvores, rios...

Correr -O único exercício que ela gosta de fazer, por ser preguiçosa até demais. Mesmo quando não precisa ela corre, deixando Reiji irritado, afinal, não é nada “educado” correr por aí.

Comidas temperadas -Sabe, aquelas com um quilo de pimenta, onde até mesmo os que se dizem fortes tem medo de por na boca? Pois é, Bella adora esse tipo de comida, normalmente sendo comidas mexicanas.

Literatura -Qualquer tipo de livro,sendo ele de História, Fantasia, acção, suspense.. Qualquer um. Tem um amor especial por Alice no país das Maravilhas por motivos óbvios. Ás vezes Bellatrix escreve algumas histórias, porém não as mostra para ninguém por timidez, mesmo seu sonho sendo de ser uma grande escritora.

Abraços -Acho que todo mundo gosta.

Jogar jogos -Todos os tipos! É viciada...

Doces – Em especial balas e chicletes. É viciada nesses doces, estando sempre com algum em seu bolso.




⊱ᗪεsgσsтα⊰

Barulhos altos -Além de ser um incômodo, machuca os ouvidos.

Calor –Bellatrix odeia passar calor, e prefere mil vezes o frio pelo simples fato de que há uma maneira de passar o frio, enquanto o calor, quando ligamos o ventilador, o ar sai morno...

Se sentir triste -Acho que ninguém gosta...

Mentiras -Ela mentiu muito durante sua vida, por isso hoje as repudia completamente.

Dormir -Sim, ela odeia dormir, não gosta. Acha que perdemos muito tempo apenas dormindo, e por isso prefere madrugar a dormir!

Infidelidade -Seu pai já provou o quanto as pessoas podem ser cruéis com as outras, então ela repudia a infidelidade, assim como falsas promessas.

Chocolate Branco -O único doce na face desta Terra que Bella não come.

Qualquer tipo de droga –Explicado na História

Bebidas alcoólicas –Explicado na história.




⊱ᑭαssαтεмρσs⊰

Dançar,

Tocar violão.

Brincar de boneca.

Ler

Escrever

Cantar/compor músicas

Cozinhar.




⊱ᗰαηιαs⊰

Enrolar seu cabelo quando está entediada

Sorrir quando está prestes a explodir de raiva

Cantarolar qualquer música

Dançar sem música

Quando vai lavar o rosto, dá duas assopradinhas na água para deixá-la mais morna, mas não funciona...

Inventar nomes novos para as coisas

Inflar a bochechas e fazer biquinho quando está brava

Escrever qualquer coisa em qualquer lugar

Faz o famoso “Olhar de gato pidão” quando quer algo

Entrelaça seus próprios dedos quando está pensando

Tem a absurda mania de escrever :Dollhouse, soletrado, (D-O-L-L-H-O-U-S-E) em qualquer lugar que vai, seja com caneta, seja no vidro de um carro...




⊱ᐯícισs⊰

Café – Viciada. Ajuda a menina se manter acordada nos dias em que não dormiu direito. Gosta muito, e costuma dizer que o dia não começou antes de uma boa xícara de café.

Balas/Chicletes – Um vício enorme de Bella, que sempre tem alguns desses no bolso e um na boca. É engraçado, pois chicletes ajudam a menina a se concentrar no que está fazendo.

Remédios – Esse é mais sério. Quando pequena, foi diagnosticada com Esquizofrenia, mas ao invés do tratamento convencional, que seria um terapeuta, Jonnhy, seu pai, ficou com medo dela contar tudo a alguém e isso acabar com sua reputação, então apelou para os remédios. Isso fez com que Bella se viciasse em alguns, sendo “escrava” deles até hoje. Toma escondido, mas com certeza suas amigas descobrirão, não?




⊱Ħαвιℓιdαdεs⊰

Sabe Dançar

Tem um ótimo sistema de reconhecimento facial, podendo produzir o rosto de alguém com os mínimos detalhes em uma boneca, por exemplo

Sabe tocar violão

É veloz

Por ser pequena, é muito ágil.

Sabe lutar esgrima.




⊱ᗰεdσs⊰

Ser agredida verbalmente/fisicamente

Ninna

Barulhos altos

Ser traída

Morrer.

Ficar sem ar, seja na água ou sufocada.

Sangue.

Medo de altura,

Medo de não conseguir o que mais quis na vida: Uma família.




⊱Ŧσвιαs⊰

Hidrofobia – Medo de se afogar

Atazagorafobia – Medo de ser abandonada.

Pnigerofobia – Medo de ser sufocado

Acrofobia – Medo de Altura

Tanatofobia – Medo de Morrer

Hemofobia – Medo de sangue.




⊱Tяαυмαs⊰

Seu maior trauma é o de ser abandonada pela irmã, algo que ela não superou até hoje.



⊱ᑭαя⊰

Sakamaki Reiji <3


⊱ᖇεℓαçãσ cσм⊰


•ᑭαя•

Conturbada, pelo menos no começo. Ele, educado, polido, indiferente, sádico. Ela,tímida, teimosa, independente, carente. Personalidades totalmente diferentes, o que poderia dar? Confusões, é óbvio! Reiji cansou de tentar ensiná-la a se comportar adequadamente, como uma dama, e Bella não gostava nem um pouco de ser mandada ou pressionada para agir corretamente, como uma dama, ainda mais por alguém que nem conhecia, pelo menos não nessa vida. Sem falar que ele era o monstro que havia deixado sua antiga vida para morrer no mais frio inverno que ela já ouvira falar, havia a traído, e isso não passaria barato por Bella. Toda vez que ele passava perto dela Bella sentia medo, raiva, fúria... Uma explosão de sentimentos ruins que estavam interligados desde séculos atrás, e do jeito que Melannie era rancorosa, não seria esquecido tão fácil graças a sua descendência. Competiam direto para ver quem era o mais inteligente, e uma partida de xadrez virava uma verdadeira batalha entre os dois. Outra coisa que também a irritava e muito era quando Reiji comparava Melannie com ela, ora, Bella era a menina que estava ali, porque não deixar Melannie para trás? Sem falar que, quando conheceu a personalidade de alguns séculos atrás, sentiu vontade de vomitar de tanta crueldade e mentiras que rodeavam a azulada. Sempre que ela dava alguma brechinha ou batia de frente com ele por algum motivo qualquer Reiji a punia com o chicote e outros objetos como facas, ferro, madeira apenas por mera diversão, mas nunca funcionava, afinal, Bella não daria o gostinho de ele vê-la chorar ou implorar por sua vida. Para ela, melhor sofrer do que deixar pessoas importantes sofrerem por ela. Bella era criticada por seu gosto por bonecas, por seu gosto por música, seu gosto por alguns livros... Por tudo, na verdade.

Começou, de um modo que nem ela sabe explicar, a sentir uma atração muito forte pelo segundo mais velho da família Sakamaki, queria saber mais sobre ele, o motivo dele ser tão diferente dos outros irmãos, o motivo dele odiar Shuu, enfim, tudo que ele escondia dela. E ela colocou um objetivo em sua cabeça: Se aproximar dele, ele querendo ou não, para enfim descobrir o que estava acontecendo. Apesar de tudo, a Carroll sempre tentou se aproximar dele e agradá-lo de alguma forma: Seja com massas feitas por ela, com novos livros, qualquer coisa para chamar sua atenção para si, mas o moreno sempre recuava ou a ofendia, e isso fazia com que a menina quisesse se esconder em seu quarto nos casos mais sérios, e chorasse escondido para aliviar sua dor. Só queria entendê-lo, isso era um problema? Era um problema ter compaixão? Mesmo triste, seu sorriso não saía de seu rosto, ainda que fosse bem falso, e sua preocupação com ele continuava. Quando ele não comia Bella ia lá apenas para tentar alimentá-lo, mesmo que fosse com seu sangue, quando ele tinha pesadelos ela estava lá para ajudá-lo, cuidava dele, ainda que com protestos, quando Reiji ficava doente... Mesmo com raiva dele por tudo que fizera, o amor que Melannie, sua antiga eu, nutria por ele estava ali, florescendo cada vez mais em Bellatrix. E mesmo assim, toda a sua admiração e carinho por ele eram desprezados, e isso a machucava muito. Ela nunca tivera atenção de ninguém, porque ele desperdiçava uma oportunidade de se sentir amado? Pela pessoa que mais o amou mesmo séculos atrás? Humilhada e desprezada, Bella passou a literalmente virar uma boneca, uma marionete, fazendo tudo o que podia para ele, sendo como se fosse sua serva. Até que ela, depois de algumas ofensas bem pesadas e de muito maus tratos, resolveu não desperdiçar mais suas forças e seu tempo com o Sakamaki, desistindo de conseguir, ou tentar, ter pelo menos um pouquinho de seu carinho. A bela menina havia cansado de ser ingênua. “Se ele não liga para mim enquanto estou com ele, porque ligaria se eu fosse embora e parasse de me importar com ele?” Era a frase que estava em todos seus pensamentos. E ela acreditava com todas as suas forças nele.

Só que o vampiro, depois de alguns dias assim, sentiu falta de algo, e finalmente descobriu o que: Os carinhos, a atenção dela sobre si havia feito uma diferença enorme em sua vida. Sentiu falta dos “Bom dia!” que ela lhe dava, sentiu falta da atenção que ele nunca teve, apenas ela dera a ele, e ficou profundamente... Ele não sabia dizer ao certo. Estava arrependido? Com saudades? Apaixonado? Foi ficando cada dia mais sentido com a falta da loira em sua vida, e sua raiva aumentou ainda mais quando descobriu que ela conversava frequentemente com Shuu, e por isso parou de ir até ele. Aí Reiji perdeu a cabeça e foi diretamente até a menina, puxando-a pelo braço e levando-a consigo para longe do loiro, com a raiva nítida em seu rosto, fazendo Bella não entender absolutamente nada do que estava acontecendo. O moreno apenas trancou-a em seu laboratório junto consigo e ficou abraçado com ela, deixando finalmente seu passado vir à tona para Bellatrix que o abraçou de volta, totalmente arrependida de ter o deixado. Dessa vez, Melanie não ganharia. Ela não ficaria para sempre com rancor.

Desde esse dia em que ambos se sentiram à vontade um com o outro, foram descobrindo pontos em comum, e foram se apaixonando lentamente, mesmo com teimosia dos dois lados em acreditar nisso.




•Øυтяαs Ꮆαяσtαs•

Uma relação tranquila, amizade na certa. No começo, a maioria vai achar Bella estranha, por ser tão quieta e delicada, e quem sabe até querer saber mais sobre ela, mesmo ela sendo... Estranha e difícil de conversas nos primeiros instantes. Depois de um tempo, Bella provavelmente vai poder dizer que elas foram a única forma de “família” que ela experimentou. Na maioria das vezes, seria a conselheira do grupo, aquela que está sempre falando dos sentimentos das outras, aquela amiga que vai dizer se a roupa ficou boa ou não... Esse tipo de pessoa. Protetora, caso alguém encostar um dedo nelas para machucá-las... Ela vai virar um demônio.



•ᗩмιgσs•

Leal e protetora, não ouse machucar, insultar ou até mesmo apenas sorrir debochadamente para as pessoas que ela ama, que Bellatrix esquece totalmente onde está e com quem, se será julgada ou não e sua timidez vai para o além, porque do nada vira uma menina agressiva, impaciente e muito, mas muito grossa. Com xingamentos que nem ela onde aprendeu, Liddell vai virar um pequeno demônio e partir para cima de você com todas as forças que tiver, contrariando a ideia de ser uma “doce boneca” e quebrando todos os seus ossos e por cima jogando cera quente, para ver se você aprende a lição. É super protetora e ciumenta, e não aceita de jeito nenhum vê-los desconfortáveis ou em perigo. Possessiva, se vê alguma garota de fora tentando ser amiga de SUAS amigas ela fica vermelha de raiva, e faz questão de ir até a tal menina e puxar sua amiga pra si em um abraço, como quem diz “É minha melhor amiga, menina. Vai procurar a sua!” Odeia ser trocada, se sente sozinha, traída e abandonada. Uma boa ouvinte e conselheira, jamais deixará que suas amigas façam papel de trouxa, apesar de não saber o que fazer com sua vida. Meiga e sempre com um sorriso meigo nos lábios, adora conversar e rir de assuntos aleatórios. Uma boa ouvinte, sempre dando conselhos a todos que pedem, com um ar protetor. Roupas e sapatos são muito discutidos com ela, por ter um senso de crítica bem rígido. Ama ficar com elas apenas olhando para o nada, dançando, cantando, qualquer coisa está ótimo se estiver com elas.



•Ɨηιмιgσs•

Ela...Tem inimigos? Porque? Essa notícia simplesmente chocou o coração de Bella, que nunca fora de competir ou brigar. Primeiro tentaria ser gentil, carinhosa, para tentar conquistar a amizade delas (os), afinal, inimigos são coisas que conquistamos, não que nascemos com eles. Aproximar-se-ia sem segundas intenções, apenas querendo conversar e quem sabe, ser amiga, mas caso não desse certo... Bella viraria um demônio. Fria e indiferente, faria questão de saber todos os segredos íntimos da menina ou menino em específico, e sempre teria uma chantagem na manga, afinal, Bellatrix Liddell Carroll sabe que palavras agridem muito mais que um tapa, e segredos intimidam muito mais que ameaças.



•ᗩүαtσ•

Não gosta dele. Simples assim, o santo não bateu. Ela ODEIA o modo convencido e idiota de Ayato achar que é o rei do Mundo, e fica ainda mais brava quando o vê brigando com todas as garotas. Pensa em um ringue de luta livre, agora coloca esses dois lá dentro... Pronto! É essa sua relação com Ayato. Acha que o ruivo é um tremendo babaca e idiota se acha que ela vai o obedecer, até porque o ruivo, do jeito que é, insiste em mandar até mesmo nas “noivas” dos outros. Brigam o tempo inteirinho, sendo necessário que o par de Ayato vá separar os dois. É a única pessoa da Mansão que ela não tenta se aproximar, e foge a cada vez que o vê, para evitar confusões.

•ᛕαηαtσ•

Sinceramente? Ela fica muito desconfortável com Kanato por perto, por um único fato: Ele a lembra de sua infância, sempre conversando com bonecos, achando que eles de fato a respondiam. Mesmo gostando de doces e ele a elogiando pelos maravilhosos doces que ela faz de vez em quando, ela prefere passar longe do vampiro de cabelos roxos, mas também não nega sentir uma imensa vontade de apertar suas bochechas, mesmo sabendo que pode morrer se fizer tal ato.

•ᒪαιtσ•

Não sabe se gosta dele ou não. Quando o lado pervertido de Laito ataca e ele resolve importunar alguma menina que é sua amiga ela simplesmente vira o demônio e parte para cima dele com todas as forças, sem ligar para as conseqüências que isso traria. Sua frase mais freqüente é: “Chapéus sempre foram bonitos, mas depois que conheci Sakamaki Laito...” Mas do outro lado ela sente pena de Laito por conta de seu passado, quando o par do ruivo contou para ela por algum motivo, ela ficou arrasada e começou a ajudá-lo e tentar entendê-lo, mesmo sendo difícil para ela.

•Sнυυ•

Ela simplesmente se encantou com ele. Foi quem mais a chamou atenção, mesmo que fosse a reencarnação da noiva de Reiji. Totalmente “apaixonada” (Aquelas rápidas paixonites de escola, por exemplo), não desgrudava os olhos dele. Ela sabe exatamente o que é se isolar do mundo e viver calmamente em seu mundo, até mesmo ela faz isso... A paixão por música é outro ponto em comum, ambos, mais por parte dela, conversam sobre música e artistas em geral. Sempre cora quando ele fala algo de duplo sentido para sua pessoa, e não entende o ciúmes que Reiji tem quando vê ela falando com Shuu. Gostaria muito de saber o que ele tanto escuta, sendo que até pergunta para a garota dele.

•Sυвαяυ•

Por ele ser fechado e talvez um pouco descontrolado com sua raiva, Bella tem medo, muito medo de Subaru. Sempre que tenta se aproximar ele a repele, fazendo com que ela tente cada vez mais, por ser teimosa. Nunca entendeu o porque de sua bipolaridade, e sinceramente? Prefere passar longe desse tipo de pessoa. Não conversam muito, mas até que conseguem uma boa conversa quando estão juntos. Curiosa, tenta saber mais sobre ele, mas na maioria das vezes acaba fugindo e ficando com medo do albino.



⊱Músicas, Frases, Perguntas⊰


A música que mais define sua história, sua essência nessa vida, é DollHouse, Melanie Martinez. Não preciso explicar o motivo, basta voltar na história...

Places, places, get in your places
Throw on your dress and put on your doll faces
Everyone thinks that we're perfect
Please, don't let them look through the curtains





Agora, a música que mais define sua personalidade, sua relação com as pessoas, é Soap, também da Melanie Martinez. Por qual motivo? Simples, Bella é uma menina reservada e extremamente quieta, na maioria das vezes “errando” sua opinião sobre as pessoas (Por exemplo, ela se apega pela pessoa errada, ou despreza a pessoa certa) e por isso, dizendo que precisa lavar sua boca com sabão para falar das pessoas.

I feel it coming out my throat
Guess I better wash my mouth out with soap
God I wish I never spoke
Now I gotta wash my mouth out with soap






⊱Ŧяαsε(s) qυε α dεғιηα ε ғαℓα⊰

“- Eu simplesmente desisti de desistir.”
“- Eu vi coisas que ninguém mais viu”
“-Calma. Não desista agora. Sempre tem outro jeito.”
“Eu não sou frágil! Porque ninguém entende?”
“-Não quero ser esquecida. Eu quero ser lembrada por todos por ter feito algo bom.”
“- Não ligo para o que você pensa”
“-Tente me prender, e verá o quão longe posso voar”
“-Está teimando em teimar comigo sabia?”
“- Eu sei meus ABC’S. Porque ainda insiste em me ensinar? Eu quero que você e seu diploma se fodam”
“-As vezes eu acho que troquei meu cérebro pelo meu coração”
“-Eu não sou um pedaço de bolo para me descartar assim, sabia?”
“-Todos pensam que sou perfeita... E de verdade? É melhor assim.”




⊱ᗪεsεјα qυε αℓgσ αcσηтεçα cσм α sυα ρεяsσηαgεм?⊰

Bom, por mim você manda na história dela haushaushuahuahus :3 Mas eu gostaria que ela tivesse apoio das meninas em relação a seu vício e história, que são coisas difíceis que ela passou... Apenas isso <3




⊱ᗩℓgσ мαιs?⊰

Elyse nunca toma banho com água quente, apenas lava o rosto em dias frios, de resto, água fria;

Ela AMA assistir Tv;

Seu sangue é A positivo;

Ela nunca fez nenhuma cirurgia;

Porém quebrou o braço direito duas vezes, a perna esquerda uma vez e o braço esquerdo CINCO vezes;

Usa normalmente um perfume com cheiro de chocolate;

Seu personagem de livros favorito é o Gato de Cheshire;

Seu filme predileto é Coraline (Vai entender)

Tem uma marquinha de nascença no ombro direito, com o formato de uma framboesa;

Elyse é canhota;

Seu animal preferido além dos pássaros são os gatinhos.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...