~ThaliaStocker

ThaliaStocker
Nome: Thalia Stocker
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: Indisponivel
Idade: Indisponivel
Cadastro:

Ficha -- The Virgin Suicides


Postado




Y O U H A V E T O D O I T F O R H I M
+ + + + + i a m { u n } h a p p y + + + + +



DO NOT EXPECT A LOT OF PEOPLE
THEY TEND TO
DISAPPOINT
———Pay attention , because usually , general mind———

× NOME DA PERSONAGEM ×
Lee Hae Yumi--리 해일 유미. “A vida estava brincando comigo quando resolveu que meu nome seria Yumi. O nome significa bonita, ou pelo menos uma garota dócil. Eu só queria poder mandar as pessoas para a merda sem que usassem meu nome para questionar minhas ações”.

A garota não se importa em ser abordada como unnie, noona, dongsaeng ou quaisquer que seja o pronome; contando que os chamamentos não tornem-se pejorativos.Prefere que a chamem apenas por Yume,para evitar a extensão de seu nome, pois o mesmo a incomoda um pouco.


× IDADE ×
Dezessete anos de idade ( 17 ). Nascida no dia doze de maio de mil novecentos e noventa e nove (12/O5/1999). Sendo assim uma pessoa Taurina. Se Taurinos são calmos, ela não é.

× APARÊNCIA ×
Chrystal Soo Jung {F(x)}

Possui um corpo extremamente bem trabalhado, entrando em contraste com a sua altura de meros um metro e sessenta e cinco (1,65) — ainda que tenha o costume de usar salto, um dos motivos talvez seja para tentar ficar ainda mais alta. Cabelos loiros platinados,claros como o sol e longos, de modo que ficam um pouco abaixo dos seios. As curvas de seu corpo são facilmente vistas quando não está usando suas características roupas largas das quais tanto gosta. Usa aquilo que lhe der na telha, desde tiaras, chapéus, saltos, tênis, roupas coladas ou então maiores que seu corpo todo. Porém, e põe grande porém nisso aí. Ela não utiliza de maneira alguma peças que sejam muito escuras. Acredita que sejam tão incrivelmente desconfortáveis que não consegue nem olhar para um e se imaginar nele. Geralmente passa uma pequena quantidade de maquiagem ou muitas vezes nem usa, já que cuida demasiadamente de sua pele para que não fique com aquelas marquinhas e rugas futuramente. Para ela uma sombra clarinha e um “gradient lips” estão de bom tamanho.

I C O N S









× HISTÓRIA ×
"Eu sempre pensei que fossem só faróis."

Os gritos se espalharam pelo local, se grudavam nas paredes, a mulher apertava a mão do marido, que filmava o momento com um sorriso formado nos lábios. O médico tinha filetes de suor escorrendo pelas laterais da cabeça, e ele não era o único; os enfermeiros ao seu redor estavam na mesma situação, tanto como a mulher. O suor escorria dos cabelos, das axilas, do corpo todo, empapava as roupas e até os lençóis da cama do hospital, as paredes pareciam ter ouvidos, tanto que aquela sala apertada estremeceu aos gritos da mulher. Pediam-lhe para que fizesse força, e ela fazia. Fechou os olhos e deu o seu grito final, sentindo até a alma sair pelo suor. Ouviu um choro então, a criança enfim tinha nascido. E ela permitiu-se desmaiar. Total escuro. Ouvia as vozes embaixo d'água, o apito do aparelho que media seus batimentos ao seu lado, o grito do marido, então, de repente não sentia mais nada. Tinha sido demais para ela. Ela partiu dessa vida para outra melhor. Morta.

[...]

"Papai." A garota chamou-o, sentada no tapete com uma miniatura de alguma princesa,na qual não conseguia identificar. O homem estava sentado no sofá, lendo seu jornal, o casaco do terno jogado em algum lugar que não conseguiria informar nem se quisesse qual era. Dobrou o jornal e depositou-o delicadamente no sofá, voltando a atenção para a criança. Feição infantil, bochechas enormes, face levemente corada, olhos ligeiramente puxados, uma pequena asiática. Tentou sorrir, mas não conseguiu. A falta que ela fazia era colossal. Olhava para sua filha e não conseguia fazer nada além de gravar a imagem dela na memória, se parecia tanto com a mãe. Ele não poderia perdê-la também, não conseguiria viver mais se ela também partisse, teria que protegê-la de qualquer jeito. Esboçou um sorriso, acenando com a cabeça para espantar aqueles pensamentos. "Sim, Yumi ?" Perguntou, tombando a cabeça. A pequena garota deixou o brinquedo de lado e fez a pergunta mais sem sentido no mundo, que para ela fez mais sentido do que tudo. "Para que serve o sol?" O homem refletiu sobre aquela pergunta por longos segundos, que mais pareceram-lhe horas. "Eu realmente não sei. Eu apenas poderia dizer que o sol seria sua mãe. Importante demais, quente demais, acabando por queimar quem quer que estivesse perto demais, e congelando quem estivesse longe demais. As pessoas vivem em função dele, e eu seria todos os astros que existem nesse universo. Vivendo em função dela." Sentia as lágrimas inundando seus olhos, mas apenas ergueu a cabeça para impedi-las. "Você seria a lua. Você não a conheceu, Yumi. Mas mesmo assim, você por um momento precisou dela, mas agora não precisa mais." E era a verdade. Como Lee Hae Yumi Poderia viver em função da sua mãe, sem ter conhecido ela? Essa era a mais crua verdade, mesmo sendo cruel.

"É loucura odiar todas as rosas porque uma te espetou."

"Você gosta de flores?" O homem lhe pergunta, isso porque vira que a garota observava um canteiro de rosas atentamente. Revirou os olhos, sem olhar para o rosto do estranho. "Até que gosto. Gosto do modo como são tão delicadas e precisam de cuidado. Gosto da cor delas, são bonitas." O homem colocara uma mão sob a cabeça da criança, bagunçando seus cabelos. A governanta da sua casa ficaria extremamente estressada ao ver o estado da menina ao voltar para casa: suja. "Eu também gosto de flores, mesmo que não tenha tempo para pensar sobre elas. São tão insignificantes em meio aos problemas do dia-a-dia." O homem replicou, embora Lee não pudesse ver o estranho, poderia chutar que ele estaria sorrindo. Esquisito. Não respondeu-o também, já que não era obrigada, continuou a observar o canteiro, tentando decifrar todos os seus segredos. "Por que você não pega uma?" Replicou, tentando capturar a atenção da menina. "Porque não são minhas." Respondeu, dando os ombros. "Eu não sou uma ladra. Não me julgue assim. Não irei fazer o que você quer que eu faça. Não vou sujar minhas mãos por você. Não." O homem pareceu surpreso, e por hora parou de falar, dando as costas e rumando a uma direção qualquer, Yumi não se importava com ele, que morresse para lá. Ao menos ela teria um pouco de paz, para apreciar as suas flores.

Carros. Uma das coisas que não a agradava provavelmente seria estes. Precisava de carros, mas bem que carregava certo trauma pelo fato de muitas pessoas morrerem em acidentes de trânsito. O carro poderia ser mais chamado de arma letal. Mas aos oito anos, quando o pai falou que no futuro compraria um porsche para a menina, não deixou de se empolgar. Seria legal ter um carro. Até o acidente. Ela não poderia perder o pai também, certo? Mas ela perdeu. O universo não colaborava em nada consigo, e a mesma continuava com essa paixão por ele. Droga de vida.

[...]

"Você está bem?" O irmão adotivo da sua mãe, 14 anos mais novo que a mãe da menina perguntava. Yumi desferiu-lhe um olhar um olhar carrancudo. "Isso é sério?" Perguntou, sem conter o deboche na voz. "Como é que você acha que eu estou?" E deu de ombros, voltou a se arrumar para o enterro dela. Tinham lhe tirado uma parte do coração e o outro vinha lhe perguntar como ela estava. Ótimo, bebendo um drink em uma praia do caribe, viu, coisinha? "Eu acho que você está mal." Respondeu, fazendo com que a mesma erguesse uma sobrancelha e contasse até 1.000 pra não sair gritando por aí. Paciência tem limite também, viu, coisinha? "Parabéns, você acertou, mil reais para você." Festejou parada, voltando com a carranca e o encarando. "Agora, se me dá licença, estou ocupada me afogando nas lágrimas." E ele saiu, embora Yumi achasse que ele ficaria, voltaria e a pertubaria pelo resto da vida. Afinal, ela precisava só disso, não de ficar só. Mas ela ficou, a lua, o sol, os astros, os pais e até os tios tinham a abandonado. Ela estava sozinha naquele quarto frio, com os pés descalços tocando o assoalho frio. Ela estava pagando os pecados que ainda ia cometer. Nessa e em outras mil vidas. Deus não existia para ela, porque se existisse, daria-o uma luz de como sair daquilo tudo. Mas não deu, lixava-se para uma garota como ela. Provavelmente quando morresse ia pro inferno. As freiras chatas da igreja estavam certas, pior que estavam.
Mas o fato era: ela não poderia odiar carros só porque um tinha tido alguma falha e levara o pai para outra vida. Mesmo que quisesse, sozinha á loira não podia, o mundo era cruel consigo. Até demais.

[...]

"Você não pode ficar na cama pelo resto do dia, Yumi ." O tio a chamava, balançando seu corpo até a menina acordar. Ou se levantar e caçar outro canto para ficar escondida e morrer. "Me deixa. Não quero acordar hoje." Murmurou, virando-se para o lado e fechando os olhos novamente. "Você anda muito deprimida ultimamente." Murmurou, agora pegando a menina pelos braços e a guiando para fora da cama. Fora difícil mas ao menos um trabalho concluído. "Será que você poderia deixar de ser burro pelo menos um pouco?" Pediu, bufando e se soltando dos braços dele. "Eu perdi meu pai, não posso nem ao menos ter a merda do meu momento gótico?" O tom de voz agora era um pouco mais alto, visto que ela começava a se estressar com o mais velho; o rosto adquirira um pouco mais de cor enquanto ela gritava com o outro.
Talvez estivesse sendo rude demais, mas aquele belo mentiroso merecia receber a sua ira.

"E nós estamos queimando todas as pontes agora. Porque era afundar ou nadar e eu fui para baixo, para baixo, para baixo."

A puberdade nunca é uma fase boa da vida para se enfrentar. Ainda mais quando não se tem apoio de ninguém, porque eles simplesmente não estão lá. Os pais podem estar no céu ou no inferno, levitando no espaço, ou sendo apenas cadáveres embaixo da terra. Ele prefere ser queimado quando morrer.
O garoto moreno que se sentava ao seu lado nas aulas de biologia dividia um segredo macabro consigo, nunca tinham se falado de fato, mas sabia algumas coisas relacionadas a ele; seu nome (este sendo Kim Minseok), idade, aonde ele morava, coisas que apenas fanáticos por alguém deveria saber, ou até coisas a mais, elabora novo no ramo de "vamos stalkear o garoto que se senta do meu lado naquela bosta de aula."
Trocava alguns olhares cúmplices com ele enquanto se ocupavam em escrever alguma coisa nos seus cadernos, sentia que se conheciam a anos, ou ao menos tinham os mesmos pensamentos psicóticos, tirando o fato de que sabia que ele gostava de cervos. Nunca tivera interesse por animais, aliás, quem se interessa pela natureza enquanto tem os pais mortos, seus tios a ignoram e a tratam como a escrava Isaura, e além do mais; uma paixão por estrelas e uma estranha atração por fogo?

[...]

De fato, a puberdade não era a melhor fase da vida, hormônios a flor da pele, sujeita a se apaixonar da pior forma, e ela acabou por ser uma vítima do cupido, mesmo não querendo. Os olhos do rapaz com qual dividia a casa era tão misteriosos, ele era tão adorável ao seu modo de ser, ela tinha caído na lábia do seu tio. E por fim, ela tinha se relacionado com um garoto qualquer, e por fim estava com ele. Isso significava que ela não nutria qualquer sentimento por Yumi, e o mesmo já começava a nutrir desprezo pela mesma, apenas isso.
"Por que você está chorando?" O menino soltou, e ela pôde sentir o sarcasmo na sua voz. Pode sentir a sua presença também porque teve a audácia de tocar o seu ombro descoberto. A brisa que vinha do oceano tocava seus fios e os bagunçava, como se tivesse uma mão invisível. Ela permanecia imóvel. "E garotas não podem chorar?" Replicou, com certo ódio concentrado na voz. "Responda." Falou, autoritário, agora se sentando ao seu lado, um pouco perto demais, o que a fez o empurrar. "Não há resposta. Você não vai querer saber." Respondeu, olhando para o horizonte, qual era apenas um azul de certa forma bonito. "Dói muito falar isso. Por favor não,cara." Ele era um enxerido, isso sim. Mas abriu os braços, para acolhe-la, mesmo que por alguns minutos, aquele estranho seria o porto seguro de Yumi . Ergueu uma sobrancelha, voltando a atenção para ele, meio duvidosa em relação a aquilo. Mas por fim abriu os braços, abraçando-o um pouco forte demais. O cheiro de nozes misturado ao da maré atingiu seu nariz, de certa forma era bom. Como uma ceia de natal na praia. "Meu nome é Kim Minseok. Garota" Respondeu-lhe, falando como se fosse a sua mãe ou algo parecido, mas o fato era que ela era mais nova, ele deveria ter apenas uns oito centímetros a mais de altura do que ela. "É. Eu sei." Replicou, esboçando um mínimo sorriso para ele. Eles seriam amigos, mesmo que fosse a força.


× PERSONALIDADE ×

Pode parecer absurdo, mas Yumi é uma pessoa de fácil convivência, que não procura complicar muito as coisas, apesar de sempre gostar de obstáculos. Ela afirma que estes fortalecem a pessoa e a estimula a dar a volta por cima. Não é a pessoa mais organizada do mundo e a única coisa que não deixa completamente jogada em qualquer lugar são as suas roupas. No entanto é totalmente diferente, pois aborrecê-la é também um ponto bem descomplicado. Desde tocando em um assunto da maneira errada, com argumentos que não a agradem. Até pequenos gestos egoístas ou em tentativa de intimidá-la. Aí meu amigo, é bom você correr. Conclui-se que seu orgulho é seu ponto fraco, e feri-lo é a única maneira de derrubá-la. No entanto, ninguém conseguira cavar tão fundo esse poço para achar a fonte de orgulho e magoá-la. Então, ela não se prende demais aos sentimentos que lhe fazem mal, simplesmente ergue a cabeça mais uma vez, limpa as lágrimas que involuntariamente caíram e faz uma armadura mais forte e resistente que a anterior. Ela não é de todo fechada a sentimentos, mas valoriza quando as pessoas conseguem ser gentis sem motivo prévio. Sem buscar algo em troca, além de uma boa companhia. E é com essa convicção que ela escolhe a pessoa a quem gostar. Isso não se aplica apenas a romances, mas para escolher amizades também. Yumi passa um bom tempo analisando a pessoa, a fim de que esta se torne o mais transparente possível consigo e ela possa enxergar todas as verdades. Também admira pessoas que consigam debater com ela usando bons argumentos, que sejam minimamente válidos. — Ela sempre gostou das aulas que tinham a finalidade de debater, mesmo que saísse no tapa com algumas pessoas ao fim destas. Nota-se que é uma pessoa bem briguenta, sendo assim, conclui-se também que sua paciência seja extremamente curta. Não custa nada vê-la revirar os olhos — ou não, porque muito provavelmente ela estará usando óculos escuros —, ou suspirar enojada com a conversa. Alegre e sincera, também são adjetivos muito utilizados com a mesma. Não há uma única festa à qual ela se recuse comparecer. Ou então uma pessoa que ela não consiga tirar do mau humor, ou do desânimo. Já a chamaram até mesmo de cura para depressão. Não só por este motivo, mas também por demonstrar ser uma pessoa extremamente atenciosa ao que acontece ao seu redor. E a sincera vem do fato de literalmente falar tudo na lata e sem rodeios. Não gosta de mentir, é como se sentir sujo. Mesmo que às vezes possa parecer uma extrema grosseria, ela simplesmente vai contra ser uma pessoa falsa. Se tem algo que ela não abre mão é estar sempre por perto de suas irmãs mais novas. Praticamente vive por causa dessas garotas, protegendo-as desde que eram pequenas e perderam coisas importantes em sua vida. Tem um instinto muito materno quando se trata das mesmas. E também é muito brincalhona, assim como ela e principalmente com as menores. Não se pode dizer que não há uma recíproca da parte dele, tanto que o mesmo até tatuou seu nome em si. Quando Yumi ama alguém, ama de maneira profunda e verdadeira.

× FAVORITOS ×
* Série -- The Walking Dead
* Filme -- Bruxa de Blair
* Livro -- Hell House (1971)
* Cor -- Preto || Branco || Cinza
* Personagens -- Jigsaw (Personagem da série de filmes estadunidense/americano Saw.)
* Anime -- Mirai Nikki || Tokyo Ghoul || Noragami
* Banda -- AC/DC || Metallica || Nirvanna || Guns N’ Roses || The Rolling Stones (Bandas de Rock.)


× LOCAL DE NASCIMENTO ×
Busan - Coréia do Sul;Sul-Coreana.Busan ou Pusan é uma cidade da Coreia do Sul situada na costa sudeste do país. Constitui uma cidade metropolitana, pelo que o seu nome completo é Cidade Metropolitana de Busan. O nome Pusan vem da anterior forma de transliteração: Pusan Kwangyŏksi.

× GOSTOS&DESGOSTOS ×
-Amizades
-Animais
-Cantar
-Dançar
-Suas irmãs
-Parque de diversões
-Doces
-Karaokês
-UFC
-Lutas
-Terror
-Natureza
-Sorrisos
-Ouvir músicas
-Irritar seus amigos
-Esportes
-Atividades Físicas-inclusive costuma praticar todas as manhãs
-Passeios
-Automutilação


-----

-Pessoas metidas e mimadas
-Julguem pessoas a primeira vista
-Preconceitos
-Maltratem pessoas e animais
-Comidas apimentadas
-Frutos do Mar
-Fiquem abusando de sí
-Ser ignorada
-Ser interrompida
-Receber ordens
-Depender dos outros
-Brigas (mesmo estando sempre metida em alguma)
-Discussões
-Acordar cedo
-Falsidade
-Mentiras
-Ver as pessoas tristes.


× ALGUM TRANSTORNO ×
Transtorno de Borderline -- Esse é um dos transtornos de personalidade mais estranhos da lista. Isso porque quem tem o problema costuma ter mudanças rápidas de humor, tem medo de ser abandonado e quer evitar, a qualquer custo, o abandono. Por isso mesmo, seus relacionamentos costumam ser instáveis e intensos demais. Essas pessoas também têm comportamento suicida recorrente e voltado a automutilação.

Além disso, pessoas com borderline costumam ter pensamentos paranoides em períodos de estresse e são compulsivas por alguma coisa, como compras, álcool ou drogas.


× SUICÍDIO PERFEITO ×
”--No meio daquele furacão de pensamentos e mal estar eu já nem sabia mais quem eu era. Minha vida tava uma bost@ total e eu não via saída. “PRA QUÊ CONTINUAR VIVENDO ASSIM?”, eu pensava repetidamente.
Mas suicídio…
Não queria que ninguém soubesse que eu havia me matado. ‘Deuzolivre’ de fazer isso com minhas irmãs e meus pais !
Até que num belo sábado de sol, passei o dia na piscina tomando cerveja com uma amiga, jogando conversa fora e fingindo que tava tudo bem: era uma jovem de 17 anos “saudável”.

(Como as aparências enganam!)
Quando minha amiga foi embora, eu entrei em meu quarto e todo aquele desespero tomou conta de mim.Não fiz alôca e me joguei da janela porque o andar não era alto suficiente.
Em compensação, enfiei goela abaixo uns 40 comprimidos (dezenas eram tarja preta).
Deitei e esperei…

Não via a hora de ir pro Vale dos Suicidas, como os espíritas pregavam. Qualquer inferno era melhor do que tá viva.
Passado um tempo, o que eu vi foi a privada.
Tive um acesso de vômito, corri pro banheiro, passei muito mal!
Como eu comia muito pouco devido à inapetência, o vômito era breja salpicada de dezenas dos comprimidos que eu havia tomado.
Não lembro direito o que aconteceu nos dias seguintes, só sei que continuei fingindo que tava tudo bem.
Escondi de mim mesma esse episódio, apenas contei para a psiquiatra que disse: “Você tá tentando, uma hora você vai conseguir. Você quer mesmo morrer?”.
E então uma ficha me caiu,queridos : eu buscava a morte não porque eu queria morrer, mas porque assim como você eu só queria uma saída pra tanto sofrimento e solidão.


× PAR ×
Kim Minseok -- Xiumin {integrante do Boy Group EXO}


Personalidade -- Kim Minseok é um jovem consideravelmente tranquilo. É um rapaz racional, sempre pensando em cada um de seus atos, para não arrepender-se depois. Gosta de sentir-se bem e fazer os outros sentirem-se bem, por isso, particularmente tem uma espécie de mania de sorrir para tudo e todos. Não é decididamente extrovertido, mas é bem-humorado dentro do seu limite, sempre contando suas piadinhas inteligentes.

Todavia, também sabe muito bem como irar-se, herdando tal traço de sua mãe. Todavia, isso não muda o fato de que é difícil ver o jovem mal-humorado.

É também muito objetivo pelo fato de que, quando quer algo ele vai, e luta até conseguir o que realmente quer, traçando um caminho para tal coisa. Claro que isso não quer dizer que Jin é uma pessoa "focada", pois não é, e pode-se ver isso pelo fato de não ter cursado a maldita faculdade até os dias de hoje.

Também há o fato que fica constrangido facilmente. Claro que não chega a avermelhar-se, ficar corado ou coisas do tipo, todavia, dependendo do assunto o qual é tocado, Minseok tende a desviar os olhos da pessoa em questão e sorrir fraco para o nada.

Relação -- “- Desisto, eu nunca vou superar você. Você me afeta menos que antes, mas ainda afeta. Eu te amo? Não sei dizer, minha mente está em conflito com o coração e isso me deixa confusa. Ao mesmo tempo que não te quero, eu te quero. Ao mesmo tempo que eu te odeio, não te odeio. Ao mesmo tempo que eu digo adeus, eu quero ficar. E sempre será essa indecisão, esse sim e esse não interminável. Mesmo eu tendo desistido, eu não sei se rio ou se choro por saber que talvez a gente nunca mais seja o nó que sempre fomos, ou também pelo fato de que você é você, ninguém nunca será como você, pois você foi o único que soube me amar. E é por isso que eu desisto, ninguém nunca vai superar você, ninguém será você, ninguém irá me machucar como você fez, ninguém irá me amar como você e por fim, ninguém vai me fazer desistir e continuar insistindo nessa incerteza como só você faz. -”


× RELAÇÕES ×
Mãe&Pai -- “- Está tudo doendo, tudo confuso. Cadê aquela menina forte de horas atrás? Cadê aquela decisão de não se importar mais com nada? Cadê tudo isso? Pois é, basta uma pessoa, apenas uma pessoa pra destruir tudo isso, Destruir qualquer força que eu ainda tinha, destruir todos os meus sorrisos e me deixar em prantos, basta somente esse pessoa pra me fazer pirar, me fazer querer que tudo acabe. E basta essa pessoa aparecer e eu fazer coisas que jamais imaginei fazer. Em questão de segundos tomei a decisão mais arriscada do momento, talvez a decisão certa, talvez a mais arreda, mas estando certa ou não, é arriscada. Decisões nunca foram fáceis de tomar, eu sei, mas nunca gostei de tomar decisões que comprometesse o psicológico e agisse diretamente na vida de outras pessoas. Nunca tomei decisões que me fizessem bem, mas que fizessem muito mal para outras pessoas, e o pior, são pessoas que eu amo, aliás são as pessoas mais importantes da minha vida, as que me criaram e me deram amor. Não sei mais nem o que fiz e nem se devia fazer, mas mesmo estando destruída, acabada, no fundo do poço, sem forçar nem pra respirar, eu vou ter que tirar forças de algum lugar, procurar algum amparo e mostrar pra essa pessoa que, certa ou errada, eu vou arcar fortemente com as consequências da minha decisão, nem que pra isso eu morra todas as noites, sozinha, mas que no dia seguinte eu esteja mais viva do que nunca. -”

Amigos&Inimigos -- Quando trata-se de seus amigos,a garota é extremamente meiga e acaba por tornar-se mais sensível e carinhosa.Se apega com mais facilidade e consequentemente se dedica mais às pessoas e preza corresponder às amizades... e ela diz que não se deve desperdiçar uma amizade dedicada.A mesma fala por experiência própria,já sofreu muito por causa disso, de pessoas que não dão o mínimo valor nem tem consideração com a sua amizade.Não é aquele tipo de garota que vai fazendo inimizades por aí, muito pelo contrário,adora conhecer novas pessoas e trata todos amigavelmente.Porém como ninguém é de ferro, Yumi também possui algumas pequenas rivalidades com certos “alguéns” -sem citar nomes,okay ^^-,apesar disso ela os trata normalmente,guardando todo o rancor que sente para dentro de sí,afinal,não são muitos que querem saber o que a mesma está sentindo...mas sempre possível ela arruma algum jeito de ter alguma discussão com o indivíduo,só para tirar proveito da situação.

Irmãs -- Possui uma ótima relação com todas elas.Sempre foi muito amorosa e carinhosa com as suas irmãs ,além de muito grudentada-parece até mesmo chiclete grudado no sapato, não sai de jeito nenhum-.Por Yumi ser uma das mais velhas,muitas vezes já chamou a atenção das pequenas quando faziam algo errado,ou não queriam escutá-lá e no final acabaram por se verem aos berros no colo da mesma. Mas não pensem que ela fazia isso por mal,de forma alguma,era somente uma maneira de protegê-las das decisões que não trariam-lhe um grande benefício depois.


× MATÉRIA PREFERIDA&QUE MENOS GOSTA ×
Yumi gosta muito de matérias que envolvam números,então pode ter certeza de que Matemática,Física e Química estão nessa lista,além de Sociologia pois para ela nos ajuda a entender melhor essas e outras questões que envolvem nosso cotidiano, sejam elas de caráter pessoal, grupal, ou ainda, relativas a sociedade a qual pertencemos ou a toda sociedade.
Já quando falamos de Biologia,pode ter certeza de que a garota nunca foi muito boa,apesar de gostar dos animais,o seu tipo de vida não será nenhum pouco relevante para a loira,inclusive os professores da matéria tiverem que explicar várias e várias vezes até Yumi conseguir captar pelo menos a metade do assunto.


× COMO AGE COM OS GAROTOS DA VIZINHANÇA ×
Com os rapazes da vizinhança agirá mais “normalmente”-dependendo de como você irá interpretar a frase...não que ela vai ser ignorante e tratá-los com desprezo, na verdade isso varia de acordo com o garoto ,ou seja,se o indivíduo a tratá-la rudemente,Yumi também irá tratá-lo assim,mas caso ele seja gentil e sorridente a pequena também irá ser.Estamos em um mundo de direitos iguais, portanto este meio seria o mais justo.Tirando esse fato,a loira sempre que os avista,uma expressão séria forma-se em seu delicado rosto,oque a deixa com um olhar mais atraente e uma aparência misteriosa.

× AMIGOS&INIMIGOS ×

Park Jennie -- 18 anos
“ -Você me encorajou amiga, você me incentivou quando não havia mais estímulo, você riu quando não tinha graça, você abraçou quando precisei, você me reergueu quando cai. Espero pelo menos fazer metade pra ti, do que faz pra mim. -”

------


Kim Nayoung -- 17 anos

“- É incrivel como algumas pessoas tem coragem de dizer que é seu amigo, quando você sabe que nem o seu pior inimigo chega aos pés de tal. -”


× VICÍOS ×
Sim,Yumi possui um certo vício por bebidas alcoólicas, sendo que a mesma começou a ingerir o líquido com seus exatos quinze anos de idade.Depois daí a mesma chegou a conclusão de que é uma forma de relaxar, confraternizar e apreciar gostos e aromas muitas vezes só encontrados em certos tipos de bebidas.

× CURIOSIDADES ×
Prefere chamar os garotos mais velhos por “hyung”. Com o único objetivo de enfatizar que ela é muito mais “machona”, que os machos alfas que estão dando sopa por aí.
Quando está discutindo com alguém, ela automaticamente cruza os braços, faz bico e começa a analisar a pessoa da cabeça aos pés para intimidá-la.
Adora coisas retrôs e pouco utilizadas. Principalmente no estilo anos 9O ou então desorganizado propositalmente. A decoração do quarto dela foi feita por si, então ela já prevê milhares de pôsteres de seus cantores e atores favoritos em tudo que é lugar.
Quando algo lhe incomoda profundamente, ao ponto de tirar-lhe o sono, ela costuma ouvir músicas animadas para tentar esquecer o que tanto lhe perturba.
Mesmo sendo essa casca dura por fora, ela valoriza o bom romantismo nos homens. A casca não diz tudo, e isso fica evidente na mesma, ao observar a coleção de pelúcia de felinos gigantesca que possui.Tal qual as irmãs, adora animais fofinhos.
Gosta de assistir filmes de Terror, pois odeia a forma “romântica demais”, dos filmes de Romance. Mas nada que o gênero Comédia Romântica não salve.
Auto proclama-se uma pessoa sem medos. Mas, é um fato que ela sofre de aracnofobia. O problema é tão grave que ela chega a desmaiar e passar mal de várias formas possíveis. E quando se depara com uma próxima à cama, por exemplo, ela insiste de pé junto que aquela aranha caminhara sobre si enquanto estava dormindo.
O seu maior ponto fraco, são suas irmãs.
Odeia mais do que tudo pessoas sem ter o que fazer que fiquem pegando no seu pé justamente por não terem o que fazer. Ela acaba tendo vontade de entregar uma vassoura pro indivíduo e pedir: Já que ta tão desocupado, varre o chão pra eu poder passar?


× SUGESTÕES ×
Infelizmente nenhuma,porém caso eu tenha alguma ideia legal e que possa ser relevante para Fanfic,entrarei em contato,okay :33

× POSSO MUDAR ALGO ×
Sim,fique a vontade ^-^


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...