~JimmyMoriarty

JimmyMoriarty
Dead is the new sexy
Nome: Marina
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Aracaju, Sergipe, Brasil
Aniversário: 10 de Setembro
Idade: 18
Cadastro:

Michael Strange - New Vision


Postado

Dados pessoais:

Nome completo:
Michael Dominic Strange


Idade:
17 anos, nascido no dia 12/01/1999


Apelido:
Não é muito fã de apelidos, mas ainda assim acabou ganhando quatro deles.
Mike : É comumente usado por colegas e por pessoas não muito próximas a ele, não pode-se dizer que ele goste do apelido, mas ele considera-o tolerável.

Milk: Talvez por sua pele ser um pouco pálida, ou porque quando pequeno ele era aficionado por leito com chocolate, mas tanto seus pais (principalmente mãe), quanto seus amigos o chamam a sim de brincadeira ás vezes. Ele acha o apelido irritante, mas mesmo sem admitir fica um pouco animado em saber que pessoas que se importam com ele o fizeram.

Defeituoso: Tanto pelo estranho atraso de sua magia, quanto por seu controle sobre ela ainda não ser o melhor, muitos o chamavam assim, nem é preciso dizer que ele odiava o apelido.

Freak: Basicamente mais um bulling feito com o garoto, dessa vez pela sua péssima conduta social na infância


Aparência:
Michael tem cabelos castanhos escuros, lisos e que constantemente transmitem uma impressão de “acabei de acordar”. No entanto, basta olhar em seus olhos, hora azuis hora verdes, para deixar de lado essa impressão, afinal seu olhar é sempre bastante penetrante e cheio de uma energia incomum. O garoto possui pele branca, que já foi muito pálida na infância, mas que melhorou consideravelmente com o surgimento dos seus poderes, além disso é magro e relativamente alto pesando 60kg e medindo 1,80m de altura.







Signo:
Áries


Cidade de origem:
Londres, Inglaterra.


Cidade atual:
New York, Estados Unidos


Pais: (Relação e aparência [foto])
Stephen Strange (Doctor Strange):
Michael admira muito o pai, e gosta do fato do mesmo nunca “pegar leve com ele”, sendo que para o bem do garoto, Strange sempre cobra bastante do mesmo. Ainda assim existem sim aqueles momentos descontraídos em que os dois só relaxam e agem como uma família “normal”.

Clea Strange:
Imaginar a Sorceres Supreme da dimensão das trevas, com todo o seu “amor bruto”, sendo uma mãe super protetora, pode parecer um tanto fora do personagem, mas isso não impediu Clea de ser assim para com Michael. Assim, apesar de amar muito a mãe e ter uma ótima relação com ela, ás vezes Michael acredita que ela está invadindo seu espaço.


História:
Dizem que um verdadeiro herói se cria somente após conhecer a dor, Michael acredita nisso. Nascido em uma noite nublada de sexta-feira, foi profetizado em seus nascimentos que ele seria o mais poderoso feiticeiro a viver em nosso mundo, e em diversos outros, sendo até mesmo mais poderoso que seus pais unidos.
Assim, temeroso de que o garoto seria uma ameaça aos seus planos, o Barão Mordor, o sequestra e decidi treiná-lo para se tornar o nêmesis de seus pais. No entanto, para o espanto de Mordor, não importava quantos castigos o garoto sofresse seus poderes não se manifestavam e ao contrário ele só parecia mais perturbado falando com as paredes e por vezes ignorando completamente a presença do Barão. Isso durou cinco anos, antes que Strange e Clea finalmente o reencontrassem, foi nesse dia que seus poderes de necromante foram revelados, mas nada, além disso.
Depois disso o garoto, que não falara uma palavra nos primeiros dias, começou a se tornar um pouco mais solto e a treinar com os pais, ainda assim a vida dele não se tornou um mar de rosas, já que seu comportamento anti-social, sua maturidade maior que o normal e claro o faro de falar com espíritos o fez sofrer bulling durante a infância. Quando fez oito anos, uma nova guerra contra Dormandu se instaurou na dimensão das trevas, antigo mundo de sua mãe, e seus pais tiveram que ir até lá, nesse tempo Michael ficou no Instituto Xavier, onde fez ,aos poucos, amizade com algumas outras crianças.
Cerca de um ano e meio depois, na véspera do retorno de seus pais a Mansão foi atacada inimigos de seu pai, que buscavam mata-lo para atingir Strange. Percebendo ser a causa do ataque Michael se entregou para proteger seus amigos, e mesmo aqueles que o desprezavam, foi aí que seus poderes se manifestaram, a energia mágica que o mesmo liberou foi capaz de destruí-los facilmente, mas gerou um problema: seu poder estava descontrolado.
A partir daí usando braceletes construídos por Strange com a ajuda de Stark e de Reed (ciência e magia) para absorver seu poder e liberá-lo em uma zona fora de perigo, Mas para ele isso não era o suficiente ele queria controlar seus poderes, ele queria ser tudo que está previsto para ele, ele queria aprender com o Demiurgo como as profecias diziam que um dia seria e para isso, para finalmente mostrar ao mundo que ele não era só uma magrelo esquisito, que ele não era só um defeituoso... Michael entrou para instituto.


Personalidade:
Quieto e reservado, poucos realmente conhecem o garoto que vive envolto de uma área de mistério e serenidade, chegando muitas vezes a nem ter sua presença notada, caso assim o deseje, graças aos seus hábitos silenciosos. Talvez por essas características, seja difícil, para aqueles que pouco o conhecem, perceber isso, mas ele é um idealista, capaz de fazer o impossível pelos seus ideais e no intuito de proteger aqueles que ama.
Outra de suas características marcantes é sua determinação, força e confiança, raramente mudando de opinião sobre algo. Por ser bastante observador, tendo uma percepção avançada em comparação a maioria, criativo e muito inteligente, principalmente pelo esforço para se tornar assim, Michael é o tipo de pessoa que está sempre buscando novas formas de resolver uma situação e analisando-as bem em busca de melhores soluções.
Justo e paciente, o garoto mede suas ações sempre em busca de um equilíbrio que seja proveitoso para todos, algo que por outra via o torna rígido e um pouco cabeça dura. Raramente percebe seus erros, mesmo que esteja sempre disposto a aprender com eles e a se redimir, e quando o faz pode ficar se punindo mentalmente por dias por não ter pensado em uma solução melhor.
Quando com seus amigos, uma outra faceta de sua personalidade se revela, mostrando um lado do garoto mais humano e real, um adolescente brincalhão, sarcástico e bastante protetor, que está sempre tirando brincadeiras e buscando irritar (não muito) seus amigos nos momentos bons, e alegrá-los nos ruins. Além disso, nessa faceta ele também se mostra um tanto inseguro, e ingênuo por acreditar que deve segurar todo o peso do mundo em suas mãos.


Maiores segredos:
Apesar de sua postura sempre centrada ele é no fundo só um garotinho inseguro que quer provar ao mundo que e a si mesmo que é capaz;
Todas as noites Dormamu invade seus sonhos para tentar destruí-lo e/ou controla-lo e impedir que o futuro Michael seja capaz de destruí-lo;
É um fanboy dos Jovens Vingadores principalmente o Wiccano, mas tem um pouco de vergonha disso;
Seu primeiro amor de infância foi... um fantasma! Isso mesmo, talvez por esse motivo Michael seja tão fechado sobre relacionamentos e invasão de seu espaço pessoal

Gostos:
Ouvir música, para ele não importa tanto a vertente ou o gênero musical desde que a música consiga fazê-lo refletir e relaxar;
Ler, tendo uma predileção por livros de suspense e terror, além de romances policias;
Discussões produtivas considera que quanto realmente há intensão de se chegar a um consenso não há nada melhor que uma discussão para se analisar bem os erros e acertos;
Estudar, pode ser estranho, mas Michael sabe que ainda há muito em que ele deve melhorar e mais ainda no que ele deve aprender e está disposto a isso;
Café forte e sem açúcar, apesar de gostar de por marshmallows nele de vez em quando;
Leite é um gosto que começou na infância e por algum motivo permaneceu até hoje;
Boas companhias, que ele considera pessoas equilibradas e de personalidade forte;
Equilíbrio, isso é algo que Michael busca em todas as formas de sua vida desde em amizade a causas;
Momentos de silêncio, ele não é fã de silêncio o tempo todo, embora muitos pensem assim, mas Michael admite que gosta de ter um tempo em silêncio para refletir;
Marshmallows, principalmente os mais coloridos e fofinhos;
Jogar xadrez e jogos de estratégia (sendo que RPGs estão incluídos), algumas vezes ele pode ficar super competitivo quando jogando;
Dias nublados;
Crianças;
Praticar magia e aperfeiçoar seus poderes

Desgostos:
Que invadam seu espeço pessoal;
Ideias sem qualquer fundamento;
Não arcar com as responsabilidades de seus erros;
Estar errado e não perceber, o que acontece consideravelmente;
Preconceito e discriminação;
Erros de gramática ou pronuncia, corrigindo a pessoa automáticamente ;
Pessoas insistentes


Hobbies:
Ler;
Ouvir música;
Praticar magia;
Se aproximar das pessoas para tentar aprender coisas novas

Talento secreto:
Sabe tocar violino como ninguém;
Tem uma habilidade incrível para a dança e o teatro

Medos/Fobias/Traumas:
Tem medo de nunca ser bom o suficiente para atingir seus objetivos;
Tem clourofobia, medo de palhaços;
Graças ao tempo preso tem trauma com isolamento

Maior sonho:
Se tornar aprendiz do Demiurgo ( Wicanno do futuro)
Conhecer os Jovens Vigadores;
Trazer o equilíbrio ao mundo


Cinco musicas para o personagem:
Under Pressure – Queens/David Bowie (foi uma co-criação de ambos)
Ashes to ashes – David Bowie
One Vision- Queen
We don’t run- Bom Jovi
Warriors- Imagine Dragons


Maiores Habilidades:
Controle das artes místicas: Tendo dentro de si um potencial mágico maior até que de seu pai, Michael poderia fazer praticamente qualquer coisa. Poderia, se já tivesse aprendido a controlar tal poder, no entanto apesar de poderoso e esforçado ele não chegou a nem 10% de seu real potencial.
Necromancia: Diferente do controle das artes místicas, ele tem uma grande habilidade na necromancia, executando esse poder com perfeição.
Estratégia: Michael é um mestre em estratégia, analisando bem todas as situações antes de formar sua estratégia, o que geralmente a torna impecável.
Improviso: Apesar de ser algo que as pessoas raramente esperam dele, Michael é um mestre do improviso sabendo se sair bem em quase todas as situações.
Fluente em diversas línguas: Fala alemão, inglês, francês, linguagem de sinais, mandarim, coreano, espanhol, húngaro, nórdico, esloveno e alguns línguas interdimensionais.
Bastante inteligente: Sempre focado nos estudos e no aprendizado não é surpresa que apesar de não ter nascido com nenhum QI sobre humano o tenha desenvolvido com o seu esforço.
Tocar instrumentos: fã de música de diversos estilos, ele toca piano, violino e bateria.

Dados complementares:
Relação com os Heróis:
Michael os admira e os respeita sempre tentando manter uma boa relação com eles, mas ele não tolera desrespeito, hipocrisia e muito menos que um “herói” se mova somente pelos sentimentos e coloque a si mesmo na frente dos outros.

Relação com os Vilões:
Para ele não existe tanta diferença entre heróis e vilões, todos eles conheceram a dor e saíram dela de modos diferentes, apesar disso sua predileção por heróis e certo desprezo por vilões ainda existe. Algumas vezes ele procura tentar entender os vilões, pois acredita fielmente dentro de si que tanto heróis quanto vilões carregam o potencial para mudar de lado.

Como costuma se comportar na academia (New Vision):
Ele é um excelente aluno sempre tirando notas aulas e demonstrando uma enorme dedicação, ainda assim isso nunca o impediu de se meter em algumas encrencas por “tratar mal” a partir de sarcasmo, e mais raramente agressões, pessoas (incluindo os professores) que não sigam virtudes e busquem explicar ideias sem qualquer base.

Crie um pequeno ''texto

Uma conversa com um Herói:
Wiccano
Para a surpresa de Strange, Michael correra animadamente o chamando para atender a nova visita que chegará ao Sectum Sempra. Era um comportamento anormal para o menino quase sempre sério e calado, mas era bom ver seu filho agir como uma criança e por isso ele não se preocupou, principalmente após ver quem o visitava.
-Billy, há quanto tempo! O que o traz a minha residência?- Stephen perguntou.
-Nada realmente sério, apenas precisava checar algumas informações e esperava que pudesse me emprestar alguns livros. –ele disse sem conseguir ignorar os olhares de admiração do garoto ao lado do Soncerer Supreme.
Antes que Strange pudesse responder, Michael respirou firme e falou em um tom de estrema importância enquanto tentava juntar as palavras:
-Você... você é mesmo o Wicanno?
-O primeiro e único. –Billy disse sorrindo.
-E como é? –ele perguntou recebendo uma levantada de sobrancelha de Billy – Você sabe ser o futuro Demiurgo, participar dos Jovens Vingadores?
-Ah, bem é incrível. O segredo é fazer deles sua família, quando sua equipe é sua família nada nunca vai ser tão difícil. Sobre o lance do Demiurgo, sinceramente eu não compreendo isso ainda! Na verdade ninguém faz. –ele disse coçando a parte de traz da cabeça meio envergonhado.
-Mas você vai saber!- ele disse impressionado e Billy só assentiu. –Será que eu posso?
-Pode o quê? – Billy perguntou.
-Ser como você?!
-Nop, no way!- ele respondeu dando uma pequena pausa para olhar nos olhos do garoto, agora tristes e decepcionados antes de completar- Mas melhor do que eu não tenho dúvidas.
-Você está falando sério?
-Eu sempre falo sério, pergunte ao Teddy. –ele disse sorrindo, principalmente no nome do marido.- Bem tenho que ler, mas não se esqueça, Michael, você será um herói maior do que eu, basta dedicação e amizade.
Enquanto saia um sorriso compartilhado permanecia nos lábios de todos da sala, Michael eufórico com as palavras de seu herói, Billy sonhador e esperançoso com o futuro e Strange feliz com a empolgação genuína de seu menininho.

Uma conversa com um Vilão:
Dormamu
O adolescente piscara por alguns momentos, seu celebro tentando decidir se aquilo ainda era um sonho ou se de alguma maneira Michael tinha ido para na Dimensão Negras, sobre os domínios de Dormamu. Depois de um tempo, apesar da precisão dos detalhes, ele escolheu a primeira opção, frustrado que o vilão nunca o deixasse dormir em paz.
-Sabe, é irritante ter que dormir, sabendo que a cada noite você tem chance de ser morto pelo Fred Krueger místico. – o garoto murmurou mal-humorado.
O ser místico, apenas o encarou perguntando se deveria levar isso de insulto ou não. Acabou optando por simplesmente ignorar a fala anterior quase completamente.
-Bem se você morresse logo séria mais fácil para nós dois. –ele começou – Mas, ao que parece o Strange Defeituoso ainda consegue sobreviver.
-Se sou defeituoso, então porque me trata como ameaça?- Michael disse em tom de desafio preparando sua magia para a defesa.
-Porque... –disse a criatura logo em seguida desferindo um ataque por pouco evitado pelo garoto- É um passatempo divertido.
-Então gasta seu tempo e seu poder do qual poderia estar usando para escapar das prisões aonde foi banido para tentar me matar porque é divertido? Não sei... isso não apresenta uma boa lógica. –o garoto disse subitamente desistindo da batalha e sentando-se em uma cadeira magicamente invocada.
-Está querendo dizer que de alguma forma você me seria uma ameaça?- Dormamu riu friamente.
-Não sei, seria? –ele perguntou em um tom levemente entediado,
-O que você acha?- Dormamu zombou.
-Bem, acho que manter uma conversa com você é insurportavelmente chato já que o grande Dormamu, passa tanto tempo enrolando e dizendo meias palavras em vez de responder uma pergunta tão simples. Você ao menos sabe a resposta?
-Mas é claro que sei. Como ousa dizer que EU seria tão estúpido a ponto de não reconhecer minhas próprias motivações.
-E elas seriam?
-Impedir que um pirralho como você sobreviva por tempo suficiente para se tornar um perigo.
-Então eu posso ser um perigo? Interessante e por que nunca tentou se aliar a mim? Quer dizer, é meio estúpido tentar me matar se eu poderia ser seu mais forte aliado. –ele disse calmo e depois completou- Não que estupidez não combine com a sua pessoa.
-Ora garoto insolente. Primeiramente sabe muito bem que mesmo se eu tentasse negaria, além disso, seria estúpido se aliar com alguém mais poderoso que você e com potencial para me destruir- disse preparando-se para o próximo ataque, mas para a surpresa dele a imagem do jovem começou a tremular- O que está havendo?
-Eu estou acordando, ao que parece você me garantiu uma boa noite de sono, sem batalhas exaustivas ou desperdício de poder e ainda disse o quanto eu era especial. –ele disse com um sorriso travesso e depois completou- Obrigado pelo papo, te vejo hoje à noite!

Um momento Hot :
Eu não sei fazer hot. Nunca nem sequer escrevi um em toda a minha vida, mas juro que tentei, alias como não sabia se podia com quem das fichas fazer estou usando um personagem da MARVEL mesmo, no caso a Valéria Richards, se não puder é só me avisar.

As pessoas dizem que transar é igual a fazer amor, eles não concordam com isso. Claro, eles são amigos a um bom tempo, mas nunca houve amor ali, ainda assim seus corpos nus se envolvem em beijos e carícias suados e excitados e Michael tenta fingir que está bem com isso, ele tenta fingir que era com ela que sempre quis estar e que prazer era o bastante.
Logo seus corpos começam a avançar mais e mais, as carícias se tornam mais intimas e nenhum deles fala porque não havia tempo ou motivo de conversa, eles não se amavam, eles queriam apenas prazer. E assim começa a penetração, a garota goza e ele sente seu próprio esperma descendo, não é uma primeira vez realmente ruim.
Ele escuta Valéria gemendo seu nome e ele tenta também, mas tudo que sai é um fraco e arranhado.
-Kattherrine
A garota para, como se todo o prazer do momento sumisse. E ao encará-la ele percebe lágrimas querendo se formar nos olhos dela, um tapa vibra em seu rosto e ela pega suas roupas para ir embora.
“Você é um idiota mesmo” o celebro de Michael grita se verbalizando em um sussurro assim que Valéria sai e tudo que ele pode pensar é que essa NUNCA será a história que ele dirá aos seus filhos sobre como foi sua primeira vez. Porque seus filhos merecem achar que sexo é sempre fazer amor, seus filhos merecem achar que ele não destrói amizades e que o amor não atrapalha qualquer coisa.
E foi naquele momento: nu e se sentindo a pior pessoa do mundo que ele entendeu. Ele estava perdidamente apaixonado pela Flash Girl.

Uma conversa com o melhor amigo(a):
Feyre Prince
-Eu não entendo. – Michael argumente olhando confuso para a amiga.
-Você não entende? Eu que não entendo como o “futuro Soncerer Supreme, aprendiz do Demiurgo e blá,blá blá” não sabe como encontrar o ângulo certo de uma fotografia é ridículo. –ela disse em tom de zombaria – Pior que isso só quando você me pediu para te ensinar como se usa uma panela de pressão.
-Ei, primeiro eu NUNCA tirei uma fotografia, segundo você também não sabia como usar a panela de pressão.- ele disse com uma cara semelhante a de uma criança de cinco anos emburrada.
-Em minha defesa eu não só vivi em uma ilha como aprendi a usar a panela em tipo... cinco minutos. –ela disse em uma falsa seriedade. –Em segundo lugar o fato de você nunca ter usado uma câmera fotográfica é uma falta grave que mostra como você descaradamente ignora uma das melhores coisas da vida.
-Então você vai ensinar?- ela ergueu a sobrancelha fingindo-se de desentendida- Você sabe a tirar a foto para a Kath.
-Ah, sim. Mas só com uma condição.
-Oks, fala!
-Me ajude a entender o básico de surf. –ela disse com uma expressão determinada.
-Mas por que você quer saber?
-Milk, Milk, -ela disse o irritando um pouco com o apelido- Você não é único que quer se dar bem com alguém.
-Então somos dois bobos apaixonados?- ele perguntou divertido.
-Nop, você é um bobo apaixonado. Eu só acho o Francis um cara legal.
-Ah claro.- ele disse com sarcasmo. –Agora vamos voltar à fotografia, por onde começamos?

Uma conversa com o par:
Pela primeira vez em anos, Michael não consegue se concentrar em uma de suas “obrigações”. Em vez disso, ele fica observando Katherine, sentada em um banco no belo jardim, com uma mecha de cabelo rebelde querendo cair-lhe aos olhos enquanto se foca no papel em sua mão, ela fica tão linda ali... desenhado com uma expressão centrada e ao mesmo tempo feliz em seu rosto.
-Isso é estúpido. –ele acaba dizendo e atraindo a atenção da garota para si.
-O que é estúpido? –ela diz disfarçando o susto que levou ao notar a presença súbita do mago.
-Er...bem... minha lição de?- ele para encarando o caderno e consegue ver o nome “História” gravado no topo do exercício. – História, é minha lição de história. História é tão estúpida.
-Ué, você não tinha dito que essa era sua matéria preferida? – ela disse rindo um pouco.
Ele tinha dito isso? O menino respirou fundo acalmando-se e a imagem veio nítida em sua mente. Infelizmente essa fora uma das informações trocadas durante sua primeira conversa com a garota, talvez fosse melhor se render.
-Oks, você me pegou. Não é isso, é que eu simplesmente não consigo prestar atenção em nada ultimamente.
-Já sei! Você está apaixonado. –a menina vibrou brincalhona.
-O QUÊ? Não. Não. Não mesmo, de jeito nenhum eu não estou nem um pouco apaixonado.- ele disse nervoso e irritado, pela primeira vez em muito tempo Michael Strange se via sem conseguir sequer falar uma frase coerente.
-Calma Milk, eu estava só brincado. Mas depois dessa reação, eu tenho certeza que você gosta de alguém. –ela disse firme. – Se você quiser eu posso te dar uns conselhos?
-Ah certo. – ele disse ainda nervoso ouvindo o sinal das aulas tocar.
-Depois da aula na cafeteria?- ela pergunta.
-Ãnh? O quê? – ele diz mais confuso que nunca.
-Os conselhos seu bobo! –ela fala rindo, sem negar que achou a cena adorável.
-Sem problema. Te vejo lá- ele responde sorrindo sem deixar de se questionar aonde ele se meteu.


Estilo:
Ele gosta de corres sóbrias como cinza, preto e azul trazendo geralmente roupas mais escuras e num visual que consegue misturar roupas geeks e cheias de referência com algo mais sério e sombrio.


Detalhes:
Uniforme –


Filosofia de vida:
“Conhecimento e ignorância são as coisas mais poderosas e portanto mais perigosas do mundo. Eu busco conhecimento, mas o temo por seu poder. Em contrapartida eu desprezo a ignorância pelo que ela faz aos homens”

Livro favorito:
As crônicas de Nárnia- C.S. Lewis

Musica favorita:
Starman- David Bowie

Mataria alguém para salvar outra?
Dependeria de quem são cada uma das pessoas e da situação, mas provavelmente sim.

Salvar a humanidade ou o amor da sua vida?
A humanidade, mesmo sabendo que seria infeliz em toda a sua vida.

Como se sentiria por ter matado um inocente?
Culpado e furioso consigo mesmo.

Viveria com culpa?
Sim, mas a transformaria em uma lembrança produtiva em fez de algo corrosivo,

Ama quando?
Aprende coisas novas;
Está rodeado de seus amigos

Odeia quando?
As pessoas fingir conhecer coisas que não entendem;
Acaba agindo de forma estúpida com os outros

Defina o seu personagem em uma palavra:
Focado

Palavra chave:
Churros

Vai comentar a fanfic em todos os capítulos?
Sim.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...