~whoox

whoox
WHATEVERWHO
Nome: Indisponível
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 27 de Setembro
Idade: 17
Cadastro:

3 livros desses bem loucos, que podem mudar sua forma de ver o mundo


Postado

Tem esses livros, e esses autores que de tão geniais acabam grudando partes de suas filosofias nas almas dos leitores. Sempre achei que apenas a melhor parte da literatura tem essa característica. Então vou expor meus tesourinhos (que descobri em onze anos de leitura assídua, e visitas à sebos escondidos numas esquinas escuras de SP) e espero, que se alguém se arriscar a ler essas belezuras, essa pessoa fique com o espírito tão colorido quanto o meu.
Jornalzinho pra ~krismin e pra ~yoonstars, vocês são uns chuchuzinhos.




Não matem as flores - J. M. Simmel


Sinopse (by google):


Cansado de sua vida, sua esposa, sua rotina, o famoso advogado Charles Duhamel resolve abandonar sua vida e começar outra. Aproveitando um acidente de avião (no qual é dado como morto) utiliza-se de documentos falsos e transforma-se em outra pessoa. Agora, com o nome de Peter Kent, volta novamente a sentir alegria pela vida. Encontra a companheira ideal e tudo se encaminha para um futuro promissor. Mas sua esposa, convencida de que ele não morreu no acidente aéreo, resolve mover céus e terra para provar que o marido ainda está vivo, com um nome falso em algum lugar. Satisfeito com sua nova vida, Peter não tem nenhuma intenção de retornar à antiga.

Por que você deveria ler (by euzinha):

O protagonista tinha uma vida de merda, mais vazia que vidro de palmito depois do ano novo, e quando vê uma possibilidade, decide parar de viver ela. Simples assim, do jeitinho que a maioria de nós gostaria de fazer ante um problema. Lógico que a narrativa não é tão rasa, e o autor tem muitas reflexões que te fazem parar pra pensar em si mesmo.

Frases marcantes:


"Além do medo ainda temos a angústia. Uma diferença gigantesca! Pode ler em qualquer dicionário: medo é uma sensação que nasce de uma ameaça real, ou perigo real. Angústia nasce de ameaças e perigos indefinidos. Quem tem medo pode se defender, mas não quem tem angústia, por não saber do quê e contra quê. A angústia faz ficar doente. Quem tem neurose de angústia tem de ir ao psiquiatra."

"Alguma coisa de todas as pessoas permanece na Terra. A figura da pessoa desaparece, mas tudo o que ela teve de bom, de melhor, continua no mundo. Por isso, na verdade cada pessoa é um mundo inteiro."

"Qualquer pessoa precisa ter uma coisa para amar. O juiz de instrução criminal Dr. Hans Oelschlegel amava uma seringueira."

"De quanta coisa vamos nos lembrar, meu bem, de quanta coisa! Pois o que é o amor, senão lembrança?"




A insustentável leveza do ser - Milan Kundera


Sinopse:


Quatro personagens protagonizam essa história - Tereza e Tomas, Sabina e Franz. Por força de suas escolhas ou por interferência do acaso, cada um deles experimenta, à sua maneira, o peso insustentável que baliza a vida, esse permanente exercício de reconhecer a opressão e de tentar amenizá-la.

Por que você deveria ler:


É o tipo péssimo de livro que pega suas inseguranças, dúvidas e medos e esfrega bem na sua cara. O autor mostra um amor pesado, mais dolorido que qualquer coisa. É belo e real demais, te faz se sentir mais humano.

Frases marcantes:


“O homem, porque não tem senão uma vida, não tem nenhuma possibilidade de verificar a hipótese através de experimentos, de maneira que não saberá nunca se errou ou acertou ao obedecer a um sentimento. Tudo é vivido pela primeira vez e sem preparação. Como se um ator entrasse em cena sem nunca ter ensaiado”

"Mas o que pode valer a vida, se o primeiro ensaio da vida, já é a própria vida"

“Quanto mais pesado o fardo, mais próxima da terra está a nossa vida, e mais ela é real e verdadeira. Por outro lado, a ausência total de fardo faz com que o ser humano se torne mais leve do que o ar, com que ele voe, se distancie da terra, do ser terrestre, faz com que ele se torne semi-real, que seus movimentos sejam tão livres quanto insignificantes. Então, o que escolher? O peso ou a leveza?”

“Só grave aquilo que é necessário, só tem valor aquilo que pesa.”



Caderno de poesia negra de expressão portuguesa


Essa é a junção de poesias feitas por espetaculares poetas de Angola, Moçambique, São Tomé e Príncipe e outros países que tem o português como língua oficial. As poesias tem um cunho social acentuado, uma determinação escancarada, e um amor transbordante... É no mínimo incrível.

Minha poesia preferida:


"Criar criar
criar no espírito criar no músculo criar no nervo
criar no homem criar na massa
criar
criar com os olhos secos

Criar criar
sobre a profanação da floresta
sobre a fortaleza impudica do chicote
criar sobre o perfume dos troncos serrados
criar
criar com os olhos secos

Criar criar
gargalhadas sobre o escárnio da palmatória
coragem nas pontas das botas do roceiro
força no esfrangalhado das portas violentadas
firmeza no vermelho-sangue da insegurança
criar
criar com os olhos secos

Criar criar
estrelas sobre o camartelo guerreiro
paz sobre o choro das crianças
paz sobre o suor sobre a lágrima do contrato
paz sobre o ódio
criar
criar paz com os olhos secos.
Criar criar
criar liberdade nas estradas escravas
algemas de amor nos caminhos paganizados do amor

sons festivos sobre o balanceio dos corpos em forcas simuladas

criar
criar amor com os olhos secos."

Criar - Agostinho Neto




Extra: Marina - Carlos Ruiz Zafón


Sinopse:


Barcelona é a cidade-personagem, por onde o estudante de internato Óscar Drai, de 15 anos, passa todo o seu tempo livre, andando pelas ruas e se encantando com a arquitetura de seus casarões.

É um desses antigos casarões aparentemente abandonados que chama a atenção de Oscar, que logo se aventura a entrar na casa. Lá dentro, o jovem se encanta com o som de uma belíssima voz e por um relógio de bolso quebrado e muito antigo. Mas ele se assusta com uma inesperada presença na sala de estar e foge, assustado, levando o relógio. Dias depois, ao retornar à casa para devolver o objeto roubado, conhece Marina, a jovem de olhos cinzentos que o leva a um cemitério, onde uma mulher coberta por um manto negro visita uma sepultura sem nome, sempre à mesma data, à mesma hora.

Os dois passam então a tentar desvendar o mistério que ronda a mulher do cemitério, passando por palacetes e estufas abandonadas, lutando contra manequins vivos e se defrontando com o mesmo símbolo - uma mariposa negra - diversas vezes, nas mais aventurosas situações por entre os cantos remotos de Barcelona. Tudo isso pelos olhos de Oscar, o menino solitário que se apaixona por Marina e tudo o que a envolve, passando a conviver dia e noite com a falta de eletricidade do casarão, o amigável e doente pai da garota, Germán, o gato Kafka, e a coleção de pinturas espectrais da sala de retratos.

Por que eu coloquei ele aqui:


É o livro mais porra louca que eu já li! Tem maldições, borboletas, marionetes zumbis e isso pode parecer idiota, mas dá um puta medo. Também tem uma das narrativas mais gostosas do mundo e te deixa vidrado. Não te faz repensar a vida, mas dá uns calafrios na madrugada.


É isso. Coloquei só três pois eu falo demais quando me empolgo. Existem outros, talvez eu faça uma continuação posteriormente, mas esses são os que eu desejo que pessoas que eu gosto tenham o prazer de ler...

Até logo <3


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...