~Viniest

Viniest
"— 0n; a_ C@[r+u]sel"
Nome: Vιcт∅r || Loѕт boy in the wold
Status: Usuário
Sexo: Masculino
Localização: São Paulo, São Paulo, Brasil
Aniversário: 31 de Dezembro
Cadastro:

!nv0lv_ed in m+s/tery;


Postado

[𝓒𝓸𝓵𝓽𝓸𝓷 ℋ𝓪𝔂𝓷𝒆𝓼 𝓪𝓼 𝓔𝓻𝓲𝓬 𝓐. 𝓒𝓪𝓿𝒆𝓬]


"lost.files"
*Nome Completo*
Eric Aswello Cavec.

*Apelido(s)*
Rick - Usado por amigos íntimos e conhecidos.
Caveca - Um apelido bobo que seus parentes lhe deram.
Aswello - Usado por policiais ou médicos.
*Idade*
Vinte e cinco anos.

*Sexualidade*
Pansexual.

*Cidade e país de origem*
Lakewood - Estados Unidos.


*Profissão*
Dentista.

*Aparência*
Poucas pessoas falam que o homem tem a aparência de um deus grego que veio do Olimpo. Ele se destaca na multidão pelos 1,84 de altura que tem, e sua pele é bronzeada e macia naturalmente, traço vindo de sua família. Os cabelos amendoado-escuros são curtos, com os lados mais raspados e o topo mais cheio, com a frente sempre vista penteada para cima, formando um topete reto, ligeiramente bagunçado e as vezes puxado para a esquerda. Os olhos tem um forte tom de azul-neutro, que carregam um olhar sério e chamativo por sua suposta frieza, e em luz forte podem ser vistos como cinza ou verde. O nariz é centralizado e fino, com a ponta parecendo uma batata extremamente pequena, que confundem bastante com um caroço. Os lábios são desenhados de forma perfeita, carnudinhos e convidativos, e por trás deles, se escondem dentes bem cuidados e alinhados.
O corpo tem um porte saudável e apropriado para sua idade. O peitoral tem os gomos bem trabalhados e músculos definidos devido aos anos de academia, na maioria do tempo ficam marcados em suas roupas, o mesmo pode dizer da massa e volume em seus braços, que comparam com miniaturas de montanhas. As pernas são altas e considerada magras por que mas veem, mesmo com as coxas e glúteos bem torneados e firmes, junto aos pés grandes, que cabem em calçados de tamanho quarenta e quatro.

[Colton Haynes]

*Personalidade*
Um homem intelectual, conhecido por seu semblante inexpressivo, mas também demonstra simpatia, preocupação e carinho, até mesmo dar um sorriso sincero, mesmo que isso não aconteça com tanta frequência (Vulgo quase nunca). Ele raramente se deixa estressar com alguma coisa, bem raramente mesmo, chega a ser surpreendente a calmaria dele diante alguma discussão ou briga, ele não acha que a violência é o melhor método para resolver as coisas, ele prefere usar as palavras em conversas civilizadas, ou, no mínimo, normais. Ah, lembra daquilo sobre ele não se estressar fácil? Bem, se você conseguir essa façanha, se prepare para receber uma horda de insultos, criticas e indiretas para você, e ele geralmente demora um ano para “perdoar” a pessoa. Um dos seus principais defeitos é levar tudo, absolutamente tudo a sério, até mesmo a menor brincadeira; Em sua vida, brincadeiras são algo sem sentido. É educado com todos que conhece, mesmo não sendo de forma intima, mas é completamente cauteloso com estranhos, tendo o maior cuidado para ver se eles não irão lhe causar nenhum mal.

Ainda nesse tópico, Eric é bem atento a alguns atributos da sua vida, seu trabalho e vida social são uns dos principais, ele trata tudo como se fosse o ultimo dia que tivesse eles, e não se arrepende do que vivenciou, ele diz que aproveitou cada momento. Eric não é uma pessoa que demonstra medo quando sente o mesmo, mas ele não disfarça por querer se passar de “Machão”, mas é de si, ele simplesmente age assim por hábito, mas se for para ajudar algo que ele preza ou ama, é corajoso até o seu limite. Sua memorização é até que boa, mas caso esteja muito concentrado em outra coisa, ele esquece do que falaram para ele, ou o que ele viu com uma facilidade extrema. É bastante protetor com os amigos e família, e dará de tudo para que eles fiquem em segurança, mesmo que isso envolva quebrar a parte tranquila da sua personalidade.


*História*
Elisa Awesllo Cavec nunca ficou tão satisfeita ao ter um filho, porem, ficou quase que em choque ao saber que o marido havia fugido só para não ter que cuidar da criança, mas ela se recuperou, e seguiu sem ele. Desde que nasceu, Eric já dava sinais que seria a pessoa mais séria que você ia conhecer em sua vida inteira; Mal chorava, fazia tudo o que pediam obedientemente, e sempre tentava fazer quase tudo sozinho. E sua infância não foi diferente, o garotinho odiava as brincadeiras dos colegas, até mesmo dos pais, fora esse pequeno fato, ele tentava ser uma pessoa tranquila e educada, se pedissem para ele definir sua infância, diria que foi tão igual como as outras, tirando o fato da sua seriedade anormal.



Na sua adolescência que foi que ele teve problemas de estresse, e teve a tendência de ficar muito mais violento e irritado facilmente com tudo e todos a seu redor, mas quando ele quase machucou a irmã mais nova em um dos ataques de fúria, decidiu procurar tratamento. Depois de dois anos (Sim, você não leu errado, dois anos), Eric não parecia mais aquele adolescente revoltado, parecia até um monge de montanhas por causa da sua tranquilidade, a mesma irritava seus colegas de classe, que viviam tentando faze-lo entrar em brigas, que o mesmo conseguia sair só usando palavras, até que, no ultimo ano do ensino médio, um valentão da escola insistia em persegui-lo, mas ele sempre escapava das garras dele. Até que, em um dia, ele invadiu a casa de Eric, e ameaçou matar sua irmã, caso ele não lutasse com ele. Ninguém sabe o que houve naquela noite, o que sabem é que o valentão saiu de lá em uma cama de hospital, com o rosto totalmente sangrento e deformado, e Eric ainda sim estava sem esboçar alguma reação de raiva.



Após se formar em Odontologia, ele juntou dinheiro e abriu um consultório único no centro de Lakewood, o lugar não chega a ser famoso na cidade, mas é preferencial por algumas pessoas.

*Gostos*
Maçãs verdes.
Chá gelado.
Séries que envolvam hospitais.
Insetos.
Seu trabalho.
O céu a noite.
Cor cinza.

*Desgostos*
Som muito alto.
Cor azul escuro.
Aromas ruins.
Pessoas extremamente intrometidas.
Pesadelos que envolvam o namorado.

*Manias*
Batucar os dedos das mãos lentamente em alguma superfície.

*Hobbies*
[img][/img] [img][/img]
Quando o homem não trabalha com a arcada dentária, é um ótimo mecânico.

*Vícios*
X

*Medo(s)*
Medo de perder familiares e o namorado.
Medo de perder o controle sobre seu estresse.
Medo de morrer de fome.

*Fobia(s)*
Batofobia — medo de alturas ou ficar fechado em edifícios altos;
Hipsifobia — medo de altura;
Pirofobia — medo do fogo;
Ptesiofobia — medo de viajar de avião.
Tafofobia ou tafefobia — medo de ser enterrado vivo;

*Significativo(s)*

[Connie Britton]
Elisa Aswello Cavec l Cinquenta anos l Heterossexual l Atriz l Viva
Mãe de Eric, sempre a amou por todo o carinho, educação e dedicação que recebeu dela, a mesma sempre queria que o filho estivesse bem, sabe? A preocupação normal de uma mãe, a unica coisa que achava estanho no filho era sua seriedade estranha. Durante o inicio dos ataques de fúria do filho, ela vivia tentando faze-lo receber tratamento, pois estava preocupadíssima com o estado dele.


[Ashley Benson]
Emily Aswello Cavec l Dezessete anos l Demissexual biromântica l Estudante l Viva
Irmã de Eric, os dois sempre tiveram uma relação boa, nunca brigaram, apesar da irmã gostar de atormenta-lo as vezes, mas ele lida com ela normalmente, a loira também é muito super protetora com o irmão, sempre tirando ele de coisas envolvendo situações de violência. Ela se lembram uto bem do ataque de fúria do irmão, mas não o culpa, sabe que ele tina alguns problemas com o estresse, só não sabia o motivo.

*Curiosidade(s)*
Sabe lutar corpo a corpo.
É ateu.

*Quer par?*
Não.

*Se sim, quem?*
X

*Algo mais?*
Nope.

{ PARA PESSOAS QUE CONHECIAM A SOPHIE }

*De onde conhecia a Sophie?*
Um ano antes de sua morte, a garota foi a seu consultório no meio da cidade por que tinha quebrado um dos dentes em uma queda de bicicleta, e geralmente, ele conversa com os pacientes durante as seções, e de uma conversa que era para ser simples, eles se tornaram conhecidos.

*Qual era sua relação com ela?*

Eram conhecidos, mas poderiam dizer que ambos eram próximo de serem amigos. Eles não eram tão íntimos assim, mas algumas vezes a garota parava lá para conversar um pouco com ele, ou passar para dar um oi simples e ver como ele estava, e ele não ignorava a loira de jeito nenhum. Adorava as conversas com a loirinha, elas o cativavam, de alguma forma.

*Qual foi sua reação ao descobrir a morte da menina?*
Ficou extremamente chocado, caindo no sofá dentro dentro de sua recepção vazia e levou a mão aos lados da cabeça. Jamais pensou que alguém estaria atrás de Sophie, e ainda mais para mata-la daquela forma, e uma grande sensação de pesar cresceu em seu peito, infestando-o como uma doença. Não pôde comparecer ao funeral, mas mandou um buque de margaridas para ele.

*O que dirá aos policiais?*
"— Não sei dizer o que aconteceu com ela — os olhos do homem demonstravam seriedade, como sempre, apesar da expressão conhecida como neutra estar mais entristecida do que o normal — digo, ela veio a meu consultório no ano interior, desde então, sempre passava para dar um oi ou para termos uma pequena conversa — riu triste, lembrando do largo sorriso da pequena loira. O sorriso que ele jamais veria novamente — não tenho motivos para fazer nada com ela, e me pergunto quem teria, afinal, Sophie era uma menina doce e genti com todos, não consigo imaginar quem faria tal atrocidade..."





[𝓒𝓪𝓻𝓵𝓼𝓸𝓷 𝓨𝓸𝓾𝓷𝓰 𝓪𝓼 𝓐𝓫𝓲𝓰𝓪𝓲𝓵 ℱ. 𝓣𝓾𝓻𝓷𝒆𝓻]


lost.files
*Nome Completo*
Abigail Fressyned Turner.

*Apelido(s)*
Gailileia - Um apelido ofensivo.
Abi - Usado por amigos íntimos.
Fressyned - Usado por superiores.

*Idade*
Dezenove anos.

*Sexualidade*
Heterossexual.

*Cidade e país de origem*
Oxford - Inglaterra.


*Profissão*
Estudante de Estilismo.

*Aparência*
Abigail é uma jovem que tem uma beleza exuberante. Possui 1,76 de altura, uma pele esbranquiçada, não é pálida, mas é marcada muito facilmente, ainda mais pelo sol. Os cabelos loiro-girassóis são acastanhados na raiz, lisos e que caem em cascata até o meio dos seus ombros. Os olhos verde-lima claros são vistos com um olhar sereno. O nariz é pequeno, fino e com a ponta pronunciada. Os lábios são cheeinhos e tão vermelhos que parecem que estão sempre com batom em sua carne, e dentes branquinhos e alinhados ficam em sua boca.
Seu corpo tem uma estatura magra, feminina e natural para sua idade, seus seios e sua bunda são medianos e chamam bastante atenção por onde passa, tanto de garotos quanto de garotas, seu tronco tem a forma perfeita, igual a um violão, e sua barriga é chapada, e uma cintura marcada. Suas pernas são levemente magras, e apesar de belas, são notáveis também pelas cicatrizes quase invisíveis, e seus pés são pequenos.

[Carlson Young]

*Personalidade*
Apesar da aparência de patricinha, Abigail tem uma personalidade bem diferente do tipo de "mimada e que consegue tudo". Ela é bem imprevisível quando quer, nem suas expressões ou falas vão querer dizer o que ela está pensando, ela sabe disfarçar muito bem o que quer, mas quando está normal, é bastante otimista e parece reservada, apesar de ter o seu lado crítico; Ela julga bastante as coisas antes de conhecer, e quando digo coisas, quero dizer tudo. Ela não chega a ser uma manipuladora, mas se quer que alguém se ferre com algo, ela sabe mentir e esconder segredos de forma espetacular, mas ela só fez ditas coisas duas vezes na vida, e os resultados foram bem mais satisfatórios do que ela esperava. Observadora nata, ela é muito boa em saber quando alguém esconde algo, sendo um segredo, mentira ou sentimento, mas ela não fica questionando a pessoa, só espera lentamente até que ela se sinta livre para revelar.

Não é curiosa, espera que as coisas venham até si, não gosta de ficar perturbando as pessoas com perguntas que dificilmente irão ser respondidas, ela considera isso uma falta de tempo. Quando alguém a confronta, ela não se contem, rebate com provocações e ironias até o quanto sua mente pode se lembrar; Não é fã de violência física, para ela, a verbal já basta para resolver algo. Ela é meio medrosa as vezes, se escondendo atrás de alguém próximo e fazendo uma expressão de assustada, isso geralmente acontecer com seus medos ou fobias, e em raros casos, ela desaba em lágrimas. Se você quer ela como sua amiga, é bem fácil, só inicie uma conversa normal com ela, mas tenha em mente que ela vai montar um perfil sobre você, e vai tentar recolher informações sobre o que você possa ter feito, mas não se engane, ela não liga para status, só se importa com o medo do que você possa ter feito de mal ocorra novamente. Tinha um enorme preconceito contra as mães, por que não aceitava o fato de ter sido fruto de um casal lésbico, mas desde que a sua irmã morreu, tem tentado mudar isso a todo custo, sabe que é errado só mudar por um fato, mas se sua irmã queria assim, ela tentaria o máximo para agrada-lá. Pode chama-la de pessoa complexa ou bipolar, mas Abigail é assim, é só poucas coisas podem mudar ela.

*História*
O nascimento de Abigail não foi um acontecimento muito feliz, por que o preconceito na época era gigantesco, mas suas mães a falavam que seu relacionamento era tão certo quanto o de outro casal e realmente era, mas as outras pessoas não enxergavam isso.

A infância de Abigail foi bem simples, ela não nasceu em berço de ouro, mas já era feliz com o que tinha, aproveitando tudo o que podia; No meio tempo, começou a ter laços mais fortes com sua irmã mais velha, Esther. A garota foi bem educada e tratada, apesar de que ninguém comentava nada sobre suas mães, achavam ela muito nova para ouvir coisas assim. Na sua adolescência, descobriu tudo sobre a comunidade em que suas mães estavam, e imediatamente deixou isso claro para elas, aos 17 anos, o que desencadeou uma onda de brigas com a irmã e as mães, que ela sempre tentava ser a certa, falando que aquilo era errado. Após isso, ela começou a ouvir os comentários sobre sua família, e consequentemente, teve muitos problemas sociais e escolares, por que ela cada vez se metia em brigas, sendo em casa ou na escola, e seu raciocínio piorava a cada dia: Ela começou a tomar bebida alcoólica para diminuir a frustração do mundo em que vivia.

No seu aniversário de 18 anos, ela e a irmã estavam indo de carro até sua casa, mas a garota reclamava com a irmã, falando que não dava a mínima para tudo aquilo, sobre sua família. Esther, furiosa, tento convencê-la ali mesmo, e foi por um simples descuido que aconteceu: O carro capotado, estilhaços de vidro tinha a tingido Esther no peito, e ela sagrava absurdamente, e em seus últimos momentos de vida, ela pediu para a irmã tentar mudar seus pensamentos. Aos 19 anos, ela aceitava tudo o que tinha, depois da aceitação de suas mães e da reconciliação, até a sua ajuda no movimento. Ela se mudou para Lakewood, pois tinha feito uma inscrição para uma faculdade de estilista na pequena cidade, e logo quando chegou, já esperava um grande futuro à frente.


*Gostos*
Felinos.
Bebidas alcoólicas.
Filmes com tema futurístico.
Moda em geral.
Decoração organizada.
Doces.
Vestidos com a cor vermelha ou rosa.

*Desgostos*
Roedores.
Comida industrial.
Cheiro de fumaça.
Preconceito.
Qualquer coisa com limão.

*Manias*
Quando se troca, esquece de colocar seu sutiã.
Puxar os cílios fracamente quando está com tédio.

*Hobbies*
Colecionar conchas.

*Vícios*
Whisky.

*Medo(s)*
Medo de se afogar.
Medo de baratas.
Medo de ter pesadelos, principalmente se envolverem sua a irmã.
Medo de se perder em uma floresta.

*Fobia(s)*
Ablepsifobia — medo de ficar cego;
Aerofobia — medo de ventos, engolir ar ou aspirar substâncias tóxicas;
Agrizoofobia — medo de animais selvagens;
Coulrofobia — medo de palhaços;
Homiclofobia — medo de neblina;
Micofobia — medo ou aversão por cogumelos;

*Significativo(s)*

[Sarah Paulson]
Lauren Zelictor Turner l Trinta e nove anos l Homossexual l Camareira l Viva
Uma das mães de Abigail, ela sempre foi amorosa e prestativa com as filhas e com a esposa, e é muito batalhadora contra o preconceito que caí diariamente sobre sua família. Não ficou chateada ao ver a aversão da filha contra o seu casamento, já esperava algo assim, mas ficou levemente aborrecida com a reação da mesma. A morte de Esther a fez entrar em depressão profunda, mas ela logo foi se recuperando, ainda mais com a mudança de Abigail contra o seu casamento.


[Alaina Huffman]
Daria Fressyned Sastella l Quarenta anos l Homossexual l Modelo l Viva
A segunda mãe de Abigail, diferente da esposa, é bem mais agressiva e teimosa, mas sabe ter seu momentos de sentimentalismo e afeição. Sua resposta contra a rejeição da filha resultou em uma briga bem feia entre as duas; Inicialmente, ela não se dava bem com Abigail, só com Esther. Ficou desesperada quando a morte da sua filha mais velha aconteceu, e ainda mais com a depressão de sua amada, mas quando a mudança de Abigail aconteceu, ela ficou mais calam, e até meio surpresa com a repentinidade de mudança de comportamento da loira.


[Gage Golightly]
Esther Fressyned Sastella l Vinte e dois anos l Heterossexual l Era estudante de Psicologia l Morta
Irmã de Abigail, foi uma mistura de suas mães, meio teimosa e meio amorosa, e ela também tinha uma tremenda vontade de socar qualquer um que comentasse sobre suas mães, já que ela era bem cabeça quente com esse assunto, mas ela e Abigail eram muito unidas. Ela sempre tentou mudar a cabeça de Abigial contra a repulsa da homossexualidade, mas nunca fez um efeito, a deixando bastante frustrada. Ela viveu poucos segundos para pedir que sua irmã mudasse seus pensamento sobre a escolha sexual das pessoas, ela esperava que Abigail realmente pudesse mudar.

*Curiosidade(s)*


*Quer par?*
Uhum.

*Se sim, quem?*
A sua escolha.

*Algo mais?*
Nada.



Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...