Aviso e discussão sobre RPF


Postado

Eu nem precisaria dizer isso né, mas todas as histórias que envolvem "pessoas reais" mostradas aqui são completamente fictícias, não tenho nenhuma ligação com nenhum deles e nem os conheço e minha opinião provavelmente distorcida sobre sua personalidade não deve ser levada em conta como real. Shippar é legal, quando a gente faz no nosso cantinho, compartilhando fanfics, arte e outras coisas com nossos amigos e não perseguindo as celebridades em questão.

RPF é a sigla para Real People Fiction, ou seja, Ficção com Pessoas Reais. Até a uns anos, para ser honesta, eu me sentia um tanto incomodada em ler ou escrever coisas sobre pessoas que existem. Aquele velho argumento "fantasiar coisas sobre pessoas que existem? Isso não é meio assustador?" Lia várias fanfics sobre personagens de certa série ou filme ou hq, mas não lia RPF. Esse ano, além de ler eu escrevo kkk. Adoro as voltas que a vida dá.

K-Pop contribuiu bastante para mim não me sentir tão desconfortável com isso, pois eu acredito que além da música, eles também vendem uma imagem que não existe. Não que artistas pop americanos ou de qualquer outro lugar não façam a mesma coisa, mas como dizer, no k-pop parece tudo meticulosamente calculado, desde a cor do cabelo em certa era até uma atitude em um fansign (o chamado fanservice), o que faz inclusive que eles sejam muito mais citados em questão de esforço e preocupação com a imagem do que os artistas ocidentais. Ou seja, para mim, eu escrevo sobre "personas" baseadas na visão provavelmente equivocada dessas pessoas que realmente existem e se mostram de uma maneira na entrevista que eu vejo no Youtube que talvez não seja a maneira que eles realmente agem no dia-a-dia, com seus amigos próximos e família.

Portanto, eu sou contra ficar mostrando coisas de fanfic para os artistas, sejam da Coréia do Sul, da Inglaterra, de Marte ou de Plutão. Se eu fosse famosa, eu saberia apreciar o fato de que muitas pessoas descobrem o seu talento escrevendo/desenhando coisas hipoteticamente sobre mim (o que para mim é a maior vantagem de um fandom), mas ainda assim me sentiria um pouco desconfortável, principalmente se fosse algo sobre eu fazendo sexo com meu melhor amigo.

Tem várias análises por aí na internet sobre isso que são infinitamente melhores que as minhas. Uma inclusive, é bem antiga e ainda fala sobre pop americano eu acho mas autorx se expressou incrivelmente bem e acho que serve para qualquer fandom.

"Enquanto eu estou escrevendo sobre eles, eu (amo), porque eu os escrevo de uma certa forma, um pouco mais pensativo do que provavelmente é, um pouco mais genuíno, um pouco mais confuso. Eu os escrevo tentando passar pela vida mais dificilmente do que eles provavelmente estão. Mesmo quando eu estou sentindo o realismo corajoso (tm), eu romantizo seus problemas, suas lutas, para dar-lhes maior peso e profundidade do que apenas uma porra de garoto rico que é tão "ai, minha vida é tão difícil". Isso porque eu não quero ler sobre sua vidinha envaidecida, competitiva, sem alma, consumista, defensiva. Quero, em um sentido ou outro, um romance, uma história sobre um ou outro tipo de amor ".

Essa é uma tradução literal do texto em inglês, o original se encontra aqui.

E tem esse outro texto aqui, que basicamente foi a base para mim escrever isso e começar a pensar nisso. Acho que todo mundo que escreve e lê fanfic deveria lê-lo. É em inglês também.

Não queria me estender muito na análise, apesar de que tem outras coisas da qual eu gostaria de falar sobre, por exemplo, sobre como um "filme baseado em fatos reais" pode ser tanto como uma fanfic, e ainda assim não recebe o mesmo tanto de críticas que fanfic recebe. Talvez porque é escrito por "adultos", talvez porque são ricos, vai saber. Pensa bem, eles também romantizam ideias e acontecimentos para parecerem "mais legais" na tela do cinema. Eles usam pessoas que existem como personagens e moldam a sua visão. E eles ainda ganham dinheiro com isso, enquanto nós.... O filme The Social Network (A Rede Social) é um dos maiores exemplos, boa parte do que acontece nele ou é distorcido ou jamais aconteceu. E isso não me faz deixar de gostar do filme, de qualquer maneira, e nem os impediu de ganhar 3 Oscars.

Enfim, eu falei que não queria me estender e ainda assim me estendi demais. Vamos escrever, desenhar, exercitar a imaginação, mas não querer que nossa visão das coisas seja a única e "canon", ou seja, verdade. Vamos só nos divertir.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...