ßagwstd

agwstd
.kitten
Nome:
Status: Beta Reader
Sexo: Indisponivel
Localização: Santos, São Paulo, Brasil
Aniversário: 1 de Janeiro
Idade: 19
Cadastro:

/aboutme


Postado



구해줘날 나도 날 잡을 수 없어
Mostrar Spoiler: about me♡
Como eu não tenho muito o que fazer da minha vida, propus à babz para fazermos 50 fatos sobre nós. Demorou, mas acabamos escrevendo e ambas pressionando uma à outra para postar logo. IUAHDASJDI Não precisam ler se assim não quiserem, mas apreciem o gif do Yoongi todo animadinho.

1. Para quem acha que não, eu realmente sou uma menina na vida real. Eu só não me importo de ser chamada de ‘ele’ e tal, por isso nem reclamo quando me confundem com um garoto (o que acontece muito) e eu sequer corrijo a pessoa.

2. Não acredito em signos, mas admito que sou noventa por cento o que descrevem a cerca dos capricornianos.

3. Sou uma pessoa extremamente focada no que quero. Como diz o meu professor de Filosofia, eu devo tornar todos os meus sonhos em objetivos e realizá-los se assim eu querer. Já realizei muita coisa com a minha força de vontade, acreditem.

4. Perfeccionismo é meu segundo nome. De verdade, principalmente comigo, eu sempre quero lapidar as coisas até o nível de perfeição (aquela que me agrada) e então mostrar ao público. Vocês podem pegar como exemplo as minhas próprias one-shot, muitas eu apaguei por considerar uma bosta (apesar de falarem o contrário) e visar que eu deveria melhorar, seja em questão de desenvolvimento ou em escrever sem conter erros. Pior, tem coisa que eu escrevo e não público porque, pra mim, ainda não atingiu as minhas expectativas.

5. Tenho amigas que me dizem que eu sou o Yoongi em versão feminina, e eu realmente me sinto honrada e elogiada com isto. Afinal, é sempre bom você ser comparada àquele que você considera o exemplo de pessoa a ser seguido e confia piamente que um cara como ele nasceu, se não para mudar o mundo inteiro, a Coreia do Sul.

6. Me considero uma pessoa eclética; realmente posso gostar de várias músicas, assim como também posso odiá-las. Na infância para a adolescência eu era uma pessoa muito julgadora (e ainda sou, mas aí depende do assunto) e falei muita bosta, mas hoje em dia arco com tudo o que falei e reconheço que cada música tem o seu valor no meio cultural.

7. Eu realmente falo muito palavrão, e isso não é porque a minha mãe não me deu educação - acreditem, uma mulher com três cursos de etiqueta só falta dar na minha cara quando eu digo um ‘porra’ sem querer na frente dela. Falo porque consigo me expressar melhor assim, principalmente quando estou conversando com alguém. Ou vai me dizer que um ‘porra’ não traduz uma gama enorme de sentimentos?

8. Sempre fui uma garota estudiosa, tanto por causa dos meus pais quanto por mim mesma. Na escola, eu sempre era a primeira da turma e aquela que possuía amizade com todos os professores, até mesmo diretores, coordenadores e inspetores. Não sei porquê isso, mas eu realmente gostava de fazer amizade com todos eles. (E não, os meus colegas de classe não me odiavam por isso e nem quando eu os dedurava. :’))

9. Ainda no assunto anterior, eu sempre gostei ou tentei gostar de todas as matérias. As minhas favoritas sempre foram História e Física, mas eu mandava muito bem em Língua Portuguesa e Matemática. É claro que as vezes eu fazia careta para alguns assuntos e até mesmo alguns professores, mas jamais deixava de lado estudar para todas as matérias.

10. Eu não tenho muitos amigos, mas tenho vários colegas. Sou uma pessoa que necessita de confiança para considerar alguém íntimo meu, portanto, sim, eu posso contar nos dedos aqueles que eu chamo de ‘amigos’ ou ‘irmãos’.

11. Pode parecer que não, mas eu realmente sou tímida e um tanto introvertida. Odeio ser o centro das atenções, e embora quando eu sou íntima da pessoa eu haja como uma palhaça, sempre me mantenho séria com as pessoas que não tenho muita ou inexistente intimidade. Até mesmo pessoalmente em sou assim com todo mundo, algumas vezes com meus próprios amigos.

12. Eu já namorei um menino, mas o relacionamento foi uma merda que eu desisti disso por enquanto.

13. Eu sou bissexual mesmo e não porque é modinha. Prefiro meninas e odeio quando ficam me perguntando o porquê disso. Só aceita e ponto final.

14. Da minha casa, o único que realmente me aceita como eu sou é o meu irmão. Ele é meu melhor amigo e tudo, mas tudo mesmo que acontece comigo, eu vou direto falar com ele. Às vezes, parece que o mais velho é ele e não eu, porque a forma que esse menino me protege do mundo e me abraça é impossível de ser descrito em palavras. Muitas vezes eu e ele brigamos, mas eu não seria nada sem esse menino.

15. Eu amo usar roupas masculinas e uso as do meu irmão - minha mãe não aceita esse meu lado portanto eu não posso comprar o que realmente quero. Ele reclama quando quer usar algo e está no meu guarda-roupa, mas sempre me dá/empresta tudo o que eu quero sem hesitar ou comentar que garotas devem se vestir ‘como garotas’.

16. Antigamente eu tinha um profundo ódio pelo o meu nome, queria algo normal e brasileiro, não a porra de um nome germânico, mas hoje em dia o aceito de boa e sequer me importo quando fazem umas piadinhas escrotas com ele.

17. Detesto quando alguém que eu não possuo intimidade me chama pelo nome inteiro. É meio ilógico porque alguém que tu conheceu há segundos não irá saber o seu apelido, é claro, como professores e chefes, porém não tem quando já sabem o seu apelido e mesmo assim te chamam pelo o nome inteiro sem tu deixar? Então, eu não gosto e me sinto desconfortável com isso. Me chama de Scar, eu não vou brigar por isso.

18. Possuo TOCs muito chatos e detesto isso. Gosto de números redondos, ou terminando com o cinco ou pares, até mesmo se repetindo; detesto o número nove e é isso. Ah, e costumo fazer apostas comigo mesma, seja chegar em algum lugar com uma quantidade determinada de passos ou ‘vencer’ alguém ao copiar algo da lousa e ser a primeira a terminar a tarefa. É muito estranho, eu sei.

19. Considero o 13 meu número da sorte.

20. Sou feministA sim, e realmente fico puta da vida com comentários machistas. Admito que antigamente eu mesma era machista demais, mas para quem foi criada num lar tradicional demais, é difícil não seguir os pensamentos dos pais, correto? Embora hoje em dia eu bata de frente com muitos ideais deles. Eu defendo o meu ponto de vista, argumento e respeito outros pontos de vista, apesar de muitos serem toscos demais e eu sentir vontade de morrer.

21. Falando por mim mesma, eu não faço parte de nenhuma religião ou rezo a algum deus, mas pela minha mãe eu seria católica (meu pai é ateu assim como o meu irmão). Já cheguei a discutir com a minha mãe sobre isso, porque ela tenta impor essas coisas sobre mim e meu irmão (que discute muito mais) e fica chateada quando vê o meu desdém para com essas coisas.

22. Minha mãe não sabe que eu sou bissexual e eu realmente tenho medo de contar, ainda mais em dizer que sou apaixonada por uma garota; mas acredito que ela desconfie. Sei lá, apesar de ela respeitar homossexuais, ainda assim é um tanto preconceituosa.

23. Quando mais nova (bebê, no caso), eu já comi uma cebola inteira pensando ser maçã.

24. Eu sou emotiva, mas eu tenho os meus momentos certos para isso. Às vezes, quando bate aquela vontade imensa de chorar, passo o dia inteiro ou deitada na minha cama, ou abraçada com o meu irmão o observando jogar.

25. Não me considero uma gamer mas eu amo jogar, seja no console ou no computador. Prefiro os RPGs e MMORPGs, já tentei jogar LoL (e consegui), mas depois que um conhecido fodeu com a minha conta onde eu tinha muita coisa, desisti dessa vida de tentar destruir o Nexus inimigo.

26. Eu amo ler, realmente amo ler. Leio desde criança e é por isso que eu era tão boa em Língua Portuguesa. E também é por isso que hoje em dia sou uma escritora amadora.

27. Gosto de línguas estrangeiras, possuo o objetivo de aprender no mínimo dez (sério!), mas eu realmente sou apaixonada pela Língua Portuguesa Brasileira e as variadas formas que você consegue transmitir os seus sentimentos por essas regras loucas que nós inventamos.

28. Eu já disse que amo o Brasil apesar dos pesares? É, eu amo e há muitos lugares que gostaria de conhecer daqui.

29. Tenho o objetivo de conhecer muitos países ao redor do mundo e meu biscoitinho chinês da sorte disse que eu o realizaria. HAUAHU

30. Não me recordo o nome (e sequer sei se realmente existe), mas eu sou alemã e brasileira ao mesmo tempo. Em outras palavras, possuo dupla nacionalidade, meu pai é de lá e minha mãe daqui. Mas, também tenho um pé na Itália e um em alguma reserva indígena por aí. Sou uma mistura bem legal porém não pareço gringa.

31. Como eu sei falar em inglês e alemão, às vezes eu me confundo toda e/ou esqueço uma palavra em um determinado idioma mas sei no outro. Isso é muito chato, confesso, mas às vezes legal porque eu posso conversar com alguém que as compreenda e nem notar isso. Uma vez eu assisti um filme todo em inglês e só fui notar no final, quando minha mãe comentou que tinha legenda e não usamos.

32. Estou tentando ser vegetariana (e conseguindo aos pouquinhos) e cortar da minha alimentação refrigerantes e a quantidade absurda de doces que como. Não é nem pela parte fitness da coisa ou porque me acho gorda, é porque eu quero ser saudável mesmo.

33. Eu sou viciada em doces e isso é ruim porque posso ter diabetes. Meus doces favoritos são algodão doce, brigadeiro e torta de limão.

34. Tenho uma manchinha branca na barriga que todo mundo pergunta se é marca de cirurgia e odeio os meus seios porque eles me irritam. O primeiro eu sempre respondo que é marca de nascença e o segundo eu tento esconder ao máximo, mas não surte muito efeito.

35. Preto, vermelho e branco são minhas cores favoritas, mas se você abrir a porta do meu guarda-roupa só verá a predominância do preto em todas as minhas roupas e sapatos, como se eu não tivesse deixado a fase gótica sair de mim. Não, na verdade é porque eu me sinto mais confortável usando essa cor (e sei que irei usar a roupa) do que qualquer outra.

36. No kpop eu sempre acabo pegando biased por rappers. É uma sina minha, talvez sim ou talvez não, mas eu realmente amo rappers e já fui apelidada por uma antiga conhecida como ‘maria rapper’.

37. Gosto de combinar cores nos meus perfis, seja em icon ou header. Aqui no Spirit, o style tem que combinar com a cor predominante no icon porque, caso contrário, eu surto mesmo. Isso é outro TOC meu.

38. Não consigo ficar muito tempo com o mesmo icon, ainda mais se eu uso a rede social com muita frequência que é o caso do Twitter (vivo naquele lugar) e aqui. Isso é chato para algumas pessoas e detesto quando elas me julgam por isso, mas eu gostaria que entendessem que, se eu quero mudar, eu vou mudar quantas vezes eu quiser.

39. Prefiro usar calças, moletom e tênis, esse é o look que vocês irão sempre me ver. Ah, e enquanto eu não corto meu cabelo, com ele preso para cima num coque e sem maquiagem alguma (uso bem raramente, e quando uso é tão pouca que quase não dá pra ver a diferença além do lápis nos olhos).

40. Defendo os direitos dos animais e realmente choro caso alguém diga pra mim que abandonou algum desses anjinhos na rua ou cometeu alguma crueldade contra eles. Já cheguei a entrar em desespero numa aula de Sociologia quando a minha professora passou um documentário onde falava sobre isso e eu não aguentei na hora, só pensando em como os meus animais de estimação poderiam sofrer nas mãos alheias. Eu tive que sair de lá antes que tivesse um treco. (A primeira profissão que eu queria seguir quando era mais nova, era veterinária porém deixei de lado por um motivo pessoal)

41. Eu falo muito ‘oxe’ mesmo e costumo fazer as pessoas pegarem essa mania minha, além de também soltar muitos ‘hmmm’ quando conversam comigo pessoalmente e acham que eu as estou ignorando e/ou não prestando a devida atenção.

42. Sou tão calma que será quase impossível alguém realmente me irritar. Se você não é meu irmão, você vai ter que suar muito para conseguir me fazer pensar em te estrangular. Esse menino, só com a respiração, consegue me fazer sair dos eixos.

43. Eu odeio erros de português e fico chateada comigo mesmo quando releio algo que escrevi e vejo a quantidade de erros.

44. Sim, eu assisto animes, doramas, filmes e séries, mas isso quando estou na vontade. Caso contrário, fico apenas nos mangás e livros da vida.

45. Quem nunca teve conta no Orkut que ataque uma pedra (se tu for da década de noventa, é claro). Já tive fake lá também, fiz vários abiguinhos virtuais e me fodi legal na vida.

46. Tenho muito mais facilidade de fazer amizade com meninos do que com meninas, isso está comprovando por mim, principalmente se for pessoalmente.

47. Amo criar users que jamais irei usar (só pra guardar mesmo, dizer que é meu), editar no PS e aperfeiçoar no Sony Vegas. Eu gosto de ser designer, é legal, mas não me considero muita coisa não.

48. A todo instante, eu estou criando alguma história na minha cabeça e anotando-a no meu caderno, mas raramente eu as desenvolvo e posto aqui; e quando isso acontece, é depois de muito tempo pensando se devo ou não postar.

49. Sou kpopper há tanto tempo que sequer me recordo a quantidade exata (me sinto meio velha falando isso), mas digamos que eu vi SHINee debutar e eles, antes de BTS chegar, eram o meu grupo ultimate, onde Choi MinHo detinha todo o controle do meu coração.

50. Hoje em dia eu tenho vergonha de dizer que sou ARMY pelas últimas coisas que o fandom vem aprontando e por sua grande maioria ser infantil, mas eu realmente sou e não nego isso. Eu tenho um carinho, amor e admiração absurdos pelos garotos do BTS, eles sinceramente muitas vezes já me fizeram sorrir só por eu ouvir a risada do Jimin, as palhaçadas do Tae ou os gritos estridentes do Hoseok. Cada um deles tem um espacinho no meu coração, cada um deles eu defendo como se fossem meus filhos embora eles sejam mais velhos que eu. Eles não são apenas ídolos para mim, mas são seres humanos que eu sei que erra e que sente, ama, chora, sorri e tudo e mais um pouco. Eu poderia protegê-los, eu quero protegê-los e irei. Todas as vezes que eles sorriem, eu sorrio juntos; todas as vezes que choram, também. Acima de tudo, da fama, dos álbuns e dos charts, eu quero vê-los felizes e realizados com cada patamar que estão conquistando nesses três anos de vida. A hyung line é um exemplo para mim, Namjoon com seu altruísmo, a sua liderança; Jin com sua atenção e cuidado com os demais; Yoongi com o seu foco e perseverança, sempre buscando melhorar para nós; Hoseok servindo como aquela centelha de risos e alegria no seu dia apesar de nem sempre estar feliz. A maknae line é onde eu posso ver que, mesmo tão grandes, ainda são crianças, ainda são mais novos que o Jeongguk (apesar disso também ocorrer nos hyungs). De verdade mesmo, eu amo o BTS com todo o amor do meu mundo, e se lá no princípio eu continuei com eles mesmo com o futuro incertos de eles fazerem sucesso ou não, hoje em dia eu vou permanecer ao lado de cada um pois quero ser uma base onde, com certeza, eles poderão se apoiar sem medo de confiar numa desconhecida.

51. Alô, @babz aqui. Vim para dizer um fato muito legal sobre a Scar.
Eu sei que algumas pessoas têm medo de falar com ela por ela parecer muito séria (eu já fui uma dessas pessoas), mas saibam que ela é o ser mais doce desse mundo. A Scar é fofa, dedicada (talvez pelo perfeccionismo absurdo dela), e é impossível não se apaixonar por ela após conhecê-la. Na maioria das vezes, eu não sei identificar se ela está brincando ou falando sério, e eu acho isso incrível! A Scabo é um bebê adulto que é muito assustadora quando fica irritada, mas, calma, é uma fofura. Não sei se ela já percebeu, mas eu acho muito fofo quando ela vai se soltando aos pouquinhos com alguém (embora sinta ciúmes /sigh/); ela é adoravelmente simpática e introvertida, e é adorável o modo como ela se torna amiga de algumas pessoas. Eu gosto de como ela é capaz de fazer as pessoas se prenderem a ela, simplesmente, por querer estar perto dela. Eu a admiro demais, não apenas pela escrita impecável, fanfics maravilhosas e paciência comigo; admiro-a por ser a pessoa incrível que ela é. Também queria deixar registrado o quanto eu amo passar as madrugadas conversando com ela, mesmo que seja só a gente inventando user que nunca vamos usar ou ameaçando a Lari por nos fazer sofrer demais.
A Scar é aquela pessoa que ‘me põe no lugar’, digamos assim. Como se fosse o meu oposto que está aí pra me equilibrar (clichê? Nem ligo). Eu tenho problemas em manter amizades por causa do meu jeito desajeitado, mas faço/faria/farei qualquer coisa para tê-la sempre do meu ladinho. E eu realmente não sei pôr em palavras o que sinto pelas pessoas, mas sempre faço um esforço por ela e pela Lari.
E, se eu escrevo quase direitinho agora, é por causa dela.
Amo você, Scabo.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...