~documento

documento
Teenager
Nome: SAD BOYS CLUB 2001
Status: Usuário
Sexo: Indisponivel
Localização: Indisponivel
Aniversário: Indisponivel
Idade: Indisponivel
Cadastro:

Fichas 1.0


Postado


Ficha: Woman's Nightmare — Mary Ann Nicols
FICHA ACEITA
❖ Nome ❖
Mary Ann Nicols

❖ Idade Atual ❖
Vinte nove

❖ Ano que desapareceu ❖
Dois mil
❖ Profissão ❖
Somente estudante

❖ Aparência ❖



Mary Ann Nicols possuí olhos e cabelos castanhos escuros, juntamente com sua pele morena, e um nariz fino perfeitamente encaixado em seu rosto. Lábios rosados, pequenos e cheios, mas contornados naturalmente nas laterais, como se Mary tivesse acabado de passar lápis sobre eles. Possuí um belo físico, nem muito cheia e nem magra, e seus quadris não são finos. 1,65 de altura e 58, massa corporal.

❖ Personalidade ❖
Mary sempre foi uma mulher quieta, passou boa parte de sua vida sozinha por ter dificuldade em confiar nas pessoas, e também, os outros não tinham muito interesse em fazer parte de sua vida. Por isso, se dedicava bastante aos estudos, até o dia de seu sequestro. Nunca foi de dialogar muito, e sempre teve uma grande facilidade em chorar. Apesar disso, nunca realmente se importou com os outros, podendo ser bastante trapaceira.

❖ História ❖
Mary nasceu em Filadélfia, Pensilvânia, dez de Janeiro. Logo cedo, seus pais viram que Mary não era muito de se comunicar, era muito fechada. Quando pequena, Mary já era bastante responsável e matura. Se considerava diferente das outras garotas. Bastante tímida, não conseguia fazer muitos amigos, mas também não se importava muito com isso. Também tinha dificuldades na escola, por isso tal dedicação aos estudos. Um dos seus maiores sonhos era ser terapeuta desde cedo por causa de sua mãe.
Apesar de ter sido solitária por bastante tempo, teve uma melhor amiga, Amélia Dawnson, apenas ela a entendia como ninguém.

❖ Família ❖

Madeline Elizabeth Nicols
Quando se tratava de sua única filha, era uma mãe como qualquer outra, mas sua preocupação era exasperada demais para com Mary, por causa do jeito quieto de sua filha. A família Nicols era da classe alta, e por bastante tempo, Madeline teve que ouvir os vizinhos desagradáveis dizerem coisas absurdas sobre Mary, pela inocência que a menina aparentava carregar.


Harold James Nicols
O passado de Harold também é perturbador. Cometeu inúmeros crimes e já foi preso, mas quando construiu sua família com Madeline, percebeu que tinha que deixar tudo de lado e viver uma outra vida. Virou uma nova pessoa e estava feliz com tal mudança.
Sua esposa muita das vezes conversava com ele sobre Mary, que ela precisava mudar seu jeito de ser, mas Harold achava que era somente uma fase da garota, por isso nunca deu ouvidos a Madeline.

❖ Qualidades ❖
Sincera, honesta, pontual, organizada, ágil.

❖ Defeitos ❖
Atitudes negativas, tímida, sincera, ambiciosa, ansiosa

❖ Manias ❖
Roer as unhas

❖ Algo mais? ❖
Não

❖ Sabe que seu personagem agora é nosso? ❖
Sim, com certeza!


Ficha: Hogwarts, Here We Go! — Dylan Scott Hansen
FICHA ACEITA
∴ Nome Completo: ∴
Dylan Scott Hansen

∴ Apelido: ∴
-

∴ Data de nascimento: ∴
Dois de Fevereiro (02/02)

∴ Sexualidade: ∴
Homossexual

∴ Sangue: ∴
Puro

∴ Aparência: ∴
Representado por Harry Edward Styles



Aos 11 anos, Dylan já tinha o corpo muito evoluído para a sua idade, tanto que já chamava a atenção de outros jovens. É dono de belos cintilantes olhos verdes, que sempre se destacaram em seu rosto. Seus cabelos são cheios e cacheados, da cor do chocolate, que estão constantemente desarrumados. Algo que também chama atenção, são suas duas covinhas, que sempre se mostram quando Dylan sorri, dando ao parecer um anjo puro. Lábios rosados e cheios. Aos olhos dos outros, Dylan era realmente um anjo, carregando uma tamanha beleza inexplicável.

∴ Personalidade: ∴

Dylan tem uma personalidade muito forte; É somente tímido quando está com desconhecidos, mas aos que realmente o conhece, aos seus poucos amigos, é visto como uma criança qualquer. Todavia, Dylan não é qualquer criança; — além de ser um bruxo —, tem um pavio curto, perdendo assim a paciência rapidamente, e não é fácil controla-lo, uma das poucas pessoas que conseguem isso, é sua mãe. Tolerância não existe em sua língua quando o assunto é justamente ela, sua mãe. Para sua idade, sempre foi um bom argumentador, sabe defender quem merece.

No seu pequeno grupo de amigos, é considerado o líder do grupo, já que Dylan toma as melhores decisões, seja qual for, ideias para o divertimentos deles ou qualquer outro assunto.
Dylan não é a favor da violência, pelo contrário, mas por causa de seu corpo já muito evoluído para sua idade, é motivo de deboche para as outras crianças de onde moram, ou até mesmo, os dois filhos de seu tio, quando eles os visita, então, aproveita usando seu tamanho corporal para assusta-los.
Mas também, Dylan é um bom garoto, um bom amigo, sabe ser gentil e, principalmente, muito dócil, corajoso, educado e fiel, mas infelizmente a impaciência o domina muita das vezes.

∴ História: ∴
Filho único, Dylan nunca conheceu seu pai, e sua mãe não toca no assunto sobre ele com ele. Dylan prefere pensar que foi fruto de uma gravidez indesejada a pensar que seu pai o abandonou, mas somente tem isso, seus pensamentos férteis. Sua mãe, uma bruxa abortada, é outra questão que eles preferem deixar de lado. As vezes, pensa em como teria sido a emoção de sua mãe ao vê-lo fazer alguma mágica sem querer pela primeira vez.

Mas apesar de todo o esforço para ignorar tais assuntos, é impossível, desde que seu tio, Aleck, decidiu vir morar com eles, já que Florence — sua mãe — era incapaz de cuidar dele.
Dylan sempre tentou ignorar a raiva que crescia dentro dele ao ver Aleck, já que, seu tio, constantemente o agredia com palavras frias, foram tantas as vezes que Aleck abria a boca para ofender algo que o menino fazia, que Dylan, tinha medo de que ele pudesse a qualquer momento, virar a varinha contra ele e lhe lançar algum feitiço que acabaria com sua vida completamente. Ele simplesmente nunca entendia o porquê da razão de seu tio o trata-lo assim, não se lembra de ter feito algo de errado, mas os maus tratos acontecia desde que ele se lembrava quando menor.

Já sua mãe, Florence, não podia fazer nada para impedir seu irmão de parar de maltratar seu filho sempre com palavras frias. Estava constantemente abalada sobre algo, certas vezes, dava a devida atenção ao seu filho único. Era grata de que, mesmo Dylan passando por agressões verbais vindo de seu próprio tio, tinha alguém para cuida-lo e coloca-lo no caminho certo.

Sempre foi Aleck que teve influências sobre os amigos de Dylan, sobre seus materiais, e, Dylan somente não deixava que Aleck tivesse o prestígio sobre seus gostos e personalidade. Mas Dylan também não reclamava sobre algumas questões que seu tio colocava em sua vida; Ele adora e ama seus poucos amigos, e infelizmente, todos eles — na verdade, os quatro — , impõe uma nova identidade quando estão perto de Aleck, mas quando estão sozinhos, adoram brincar e tentar fazer magia, como quaisquer crianças bruxas de suas idades.

Alguns bruxos sabem sobre sua mãe ser uma bruxa abortada — sua mãe é uma escritora no mundo trouxa —, e quando vão a algum lugar no verdadeiro mundo deles, Dylan é vítima de cochichos por causa de Florence, mas ele não deixa por isso, avança para cima dos que o fazem passar por um tremendo sentimento de desconforto quando estão falando dele e de sua mãe, porque infelizmente, ou felizmente, bruxos abortados são casos excepcionais, e sua mãe, foi um dos casos comentados. Tanto que, a família Hansen, quando moravam no mundo bruxo, em um lugar mais afastado, se mudavam constantemente durante Um (1) ano, já que, de algum jeito, as vizinhanças acabavam sabendo sobre o caso de Florence, e Aleck, achou melhor ir morar no mundo trouxa por algum tempo, mas decidiram ficar.
Dylan sabia que era sangue puro porque já pesquisará sobre sua família, e todos eles eram do sangue mais puro, exceto alguns mais antigos, que era Mestiços. Outra vez, Aleck deixará escapar que seu pai era um covarde, e que, não merecia o sangue puro correndo em suas veias, e o assunto encerrará ali quando Florence foi andando rapidamente para seu quarto com lágrimas nos olhos.

Quando Dylan recebeu sua carta de Hogwarts, Aleck estava discutindo com ele sobre ter cuidado por onde anda, já que, alguns momentos antes, Dylan estava correndo pela casa com seu velho planador — já que sua mãe e Aleck raramente lhe davam presentes —, e esbarrara sem querer em seu tio, que decidiu aproveitar e brigar com o garoto. Até que uma carta foi jogada por de baixo da porta, e ansiosamente, Dylan foi pegar a carta, vendo o brasão de Hogwarts em frente, sabia que aquela era sua carta, e seu momento de esquecer os piores períodos da sua vida, deixar somente as lembranças boas, e ir fazer outros momentos em Hogwarts, no seu verdadeiro mundo.

∴ Família: ∴
Mãe — Representada por Amy Lee

Florence Liv Hansen — 39 anos — Escritora no mundo dos trouxas
Florence é inegavelmente, uma mulher sensível e solitária. O coração soterrado pelas lembranças de seu único e verdadeiro amor.
Ama muito seu filho, porém não consegue olhar para ele sem se lembrar de seu antigo Edgar, o verdadeiro pai de seu filho. Dylan é a cópia de Edgar. E mesmo depois de tanto tempo, Florence tem certeza que seu coração sempre estará marcado com seu passado.

Tio — Representado por Ian Bohen

Aleck Robert Hansen — 41 anos — Auror
Egoísta, frio, ambicioso e arrogante são as palavras certas para descrever Aleck. Apesar de ser um bruxo com uma personalidade horrenda, gosta de caçar, e achou melhor a opção de ser um auror, porque ele se aventuraria, ao mesmo tempo que ganhava seu divertimento, ganhava dinheiro. Se casou a algum tempo com Rose, teve dois filhos, mas acabou se separando, e seus dois filhos acabaram sobre custódia de sua antiga esposa, mas algumas vezes, eles os visita.
Seu outro divertimento, o mais favorável a ele, era ter controle sobre as pessoas, mais precisamente em seu pequeno sobrinho, Dylan. Aleck não pensava duas vezes antes de repreender o garoto e sempre achar algo de errado no que ele fazia, pois seu principal objetivo era fazer com que Dylan fosse que nem ele, não como sua mãe. Queria que o garoto seguisse seus passos, que se orgulhasse de ter o sangue puro, que fosse um Sonserino soberbo, a sua cópia exata.

∴ Par? ∴
Sim.

∴ Gosta de: ∴
Ler | Estar com amigos | Fotografar
Ser quem realmente é | Perfeccionismo |
Feitiços | Mistério | Animais

∴ Não gosta de: ∴
Seu tio | Ignorância |
Hospitais | Falso moralismo

∴ Duas casas para as quais gostaria de ir: ∴
Grifinória | Corvinal

∴ Qual a sua varinha? ∴
Pena de Fênix, 22 cm, Madeira Negra, meio grossa.


∴ Qual seu patrono? ∴
Lontra.

∴ Gostaria de jogar Quadribol? Se sim, em que posição? ∴
Sim, como Artilheiro.

∴ Entraria para o Torneio Tribruxo? ∴
Não.

∴ Algo mais? ∴
Seu pai, Edgar, nunca se casou com sua mãe, por isso, nem Florence e nem Dylan possuí seu sobre-nome. *Seu pai desapareceu quando Dylan tinha um pouco mais que Um (1) ano de idade*

∴ Está ciente de que, se aceito, seu personagem me pertence e posso fazer o que quiser com ele? ∴
Sim, com certeza!

∴ Frase-chave: ∴
I'm a wizard, bitch!


Ficha: Sol Lucet Academy — Alasca Louise Myers
FICHA ACEITA
Tate Langdon

Nome:
Alasca Louise Myers

Apelido:
Lou

Idade:
19 anos | Dez de Janeiro de Mil Novecentos e Noventa e Sete | Capricórnio

Nacionalidade:
Australiana

Aparência:




Alasca é dona de uma beleza e calmaria inexplicável. Olhar para ela é como ver o sol nascendo em um novo dia depois de uma forte tempestade na madrugada.
Seus cintilantes olhos castanhos escuros transmitem tranquilidade e sinceridade, suas risadas exalam contagia, o sorriso mais sincero não se iguala ao de Alasca.
Sua pele é morena, mas bronzeado artificialmente. O nariz fino e arrebitado, perfeitamente encaixado em seu belo rosto. Lábios grossos, porém, pequenos, delineados naturalmente nas laterais. Seus cabelos longos são naturalmente castanhos, mas Alasca atualmente pintou as madeixas de loiro. Seu físico corporal é consideravelmente desejável, não é nem muito cheia e nem muito magra, seios fartos, pernas grossas e cintura fina. 1,63 de altura, e 58, massa corporal.
Alasca parecia uma boneca, ou um raro cristal, somente que, se tocar, se desfazeria em pedaços.

Photoplayer:
Jade Amélia Thirlwall

Personalidade:
O que mais chama atenção em Alasca é o fato dela ser uma pessoa muito doce, gentil e fofa. Por isso, ela tem uma grande facilidade em chorar, e não se controla; isso já aconteceu de Alasca começar a chorar em frente a pessoas desconhecidas, por algum fato que ocorrerá anteriormente, todavia, ela odeia chamar atenção, ao chorar, não pensa em desespero, e odeia quando acham isso dela. Ser do jeito que é para chamar atenção.
Durante o ensino médio e uma parte do ensino fundamental, Alasca foi uma garota muito solitária, e tímida, algo que não gostava em sua personalidade. Já tentou mudar o jeito de ser para ser aceita pelos outros, mas ainda assim, odiava a pessoa que ela criava para si mesma, portanto, se desfazia daquela máscara.
Alasca nunca foi de confiar facilmente nas pessoas, adorava isso em si, porque já nova, tinha coerência do mundo lá fora. Se preocupa muito facilmente, e em momentos extremos, até chora. É extremamente ansiosa, tanto que se ficar, pode dar mal-estar. É realmente muito boa em dar concelhos, tanto que, se não fosse para o Sol Lucet Academy, ser terapeuta estava em seu segundo plano.
Apesar disso, gosta de ser estritamente profissional nas coisas que faz. E quando Alasca está com pessoas que realmente confia, ela é muito amigável, brincalhona, e sempre fazendo alguma careta fofa ou piada para fazer os outros rirem.
Alasca se considera uma mulher perdida, ainda procurando o seu verdadeiro eu.

História:
Desde cedo, Alasca já sabia sentir o que era a solidão. Na escola não tinha amigos com quem ficar porque ninguém se interessava nela, em seu bairro onde morava, as crianças eram livres demais, porém a timidez de Alasca sempre a impediu que ela fosse até eles perguntar se ela poderia brincar com eles. Mas ainda assim, tinha o total apoio de seus pais, que sempre a ajudará nela em tudo, e o espaço vazio de não ter amigos, seus pais o preenchia com amor de uma família estrutural. Todavia, ela sentia que faltava alguma coisa, e o espaço vazio que nem amigos, e nem seus pais puderam preencher, o amor pela arte preenchia.
Em um dia qualquer, chegando em sua casa, Alasca encontrou seus pais discutindo com uma mulher, subiu rapidamente para seu quarto, mas ainda assim, ela escutava tudo, do quão alto eles falavam. Acontece que, aquela mulher, veio até sua casa para dizer ao seu pai, Troye, que sua mãe, Anabeth, estava saindo com seu marido, e que a tal mulher, ainda possuía fotos de sua mãe saindo com outro homem, provando.
Foram dias tempestuosos pelas quais Alasca passou, observava sua família desabar completamente. Troye se separou de Anabeth rapidamente, por mais que sua ex-esposa se alegava com qualquer desculpa, ele achou melhor a separação. Felizmente, eles conseguiram se resolver, porém ainda separados, Troye acabou ficando com a guarda de sua única filha. Aos meses que se seguiram, Troye virou um homem infeliz, aproveitava quando Alasca não estava em casa para trazer mulheres em sua casa, algumas noites saia, dizendo para Alasca não se preocupar que era alguma questão de trabalho, mas nos dias seguintes, ele chegava totalmente fora de seu consciente, e Alasca sabia que seu pai havia bebido até se perder.
Depois de toda essa tragédia, ela ainda tinha alguns momentos felizes, apesar de toda a casca grossa que seu pai criou por si, ainda é o mesmo pai gentil e amoroso que foi, e ainda é, quando está com Alasca.
Já sua mãe, acabou se mudando para o litoral da Austrália. A mãe e a filha ainda se falam por telefone, chamam por skype, e quando é época do verão, Alasca visita sua mãe, que também não mudou sua personalidade. Ainda assim, cansada de tudo, Alasca decidiu que não queria continuar vivendo ali, pelo menos por um tempo, queria aliviar sua mente, descansar seus defeitos, ter momentos calmos só para si, e por isso, decidiu que terminaria o ensino médio, trancaria sua conta na faculdade, e iria para algum lugar, ficar sozinha por um tempo, vivendo com o dinheiro de sua conta bancária.

Alasca sempre gostou da Arte, acha que herdou isso de seu pai, já que o mesmo é pintor e um bom desenhista, mas sua paixão pelo desenho decolou quando estava começando o ensino médio. E seu colégio, havia cursos, na qual todos os alunos era obrigado a se inscrever em um. Alasca iria para Teatro, porém, de última hora, se inscreveu em Arte, para dar orgulho ao seu pai. Em Arte, havia três colunas; Desenho, Pintura e Artesanato, ela decidiu escolher desenho, porque assim, acabaria aprendendo pintura também. E desde então, Alasca vem passando seus horários vagos pintando e desenho, seu quarto é pintado de várias cores, pois ela sempre amou as cores vibrantes que pareciam dar alegria a ela. Vários desenhos e até algumas telas de pintura que a mesma fez estavam presos nas paredes de toda a casa.
Um dos poucos amigos de Alasca, Jacob, vendo que sua melhor amiga estava passando por uma situação difícil e que, provavelmente não faria nada enquanto estivesse com a conta da faculdade trancada, falou de uma academia na qual um dos cursos era Desenho, e que valeria a pena para ela, pois seu irmão mais velho tinha feito. Já totalmente interessada do lugar que seu amigo lhe indicará, acabou se inscrevendo alguns dias depois.
Sol Lucet Academy parecia ser o lugar perfeito para ela tirar todo o peso de consciência, aproveitar sua vida longe das rotinas que lhe cansavam.

É novato?
Sim

Curso:
Desenho | Fotografia

Desenho
Desenho

Fotografia



Sexualidade:
Alasca não gosta de rótulos, portanto acha que o amor é mais forte que as questões que a sociedade propõe

Família
Mãe - Representada por Ciara

Anabeth Cheryl Decker - 39 anos - Arquiteta
É consideravelmente uma boa mãe. Apesar de que, se afastou bastante de Alasca quando se separou de seu ex-marido. Quando conversam pelo telefone ou skype, é como se nunca tivessem ficado dias sem se falar, como se elas se vêem todos os dias. Por quê para ela, o amor entre mãe e filha ainda permanece estável, pensa que nem mesmo a distância pode superar isso.

Pai - Representado por James Franco

Troye Jackson Myers — 40 anos — Advogado
Troye foi a causa por Alasca gostar de desenho/pintura. Ser pintor de telas não era seu emprego real, gostava de fazer quando tinha tempo de sobra com sua filha, aproveitando assim, ensinando-a.
Depois da separação com Anabeth, Troye se perdeu em suas mágoas. Mas em meio a sua perdição, ainda havia o brilho deixado por Alasca.
Sem dúvidas que, Troye sempre foi o mais unido com sua filha, lhe dera todo o carinho, que infelizmente, completou com a bebida e noites sem dormir se preocupando com o trabalho. Ainda assim, por vezes, ele da a Alasca devida atenção, e espera que ela lhe perdoará pelos erros que ele cometeu por ter ferido toda essa confiança entre pai e filha.

Sonhos:
Se tornar uma artista com emprego estável | Ser conhecida pelo seu trabalho | Morar no Canadá | Ir ao espaço

Gostos/Desgostos:
Gostos
Desenhar | Ler | Animais | Cores
Música Indie | Frio | Coroas de Flores
| Pessoas que demonstram sentimentos | Fotografar

Desgostos
Pessoas vazias | Ficar só |
Escuridão | Chamar atenção | Sair
| Carne | Chorar em frente aos outros | Falar em público

Manias:
Gaguejar quando fala muito | Esfregar as mãos | Piscar os olhos quando está nervosa | Abaixar a cabeça quando está falando com alguém por muito tempo

Medos:
Não realizar seus sonhos | Gefirofobia — medo de pontes | Coulrofobia — medo de palhaços | Entomofobia — medo de insetos

Quer Par?
Sim. Alasca pode ser extremamente tímida quando está com seu parceiro(a), principalmente quando recebe elogio vindo dele(a). Não é ciumenta, mas desconfia facilmente. Quando realmente gosta de alguém, sabe dar a devida atenção, amor e carinho para a pessoa sem nem mesmo perceber isso. Também pode se apegar facilmente, podendo ser bastante "grudenta".

Estilo:


Alasca ama cores, principalmente cores suaves, tanto que leva isso para seu guarda-roupa. Gosta de roupas xadres e quadriculadas também, no estilo punk. Ladylike é o seu estilo favorito, transmite a sua feminilidade, são roupas de tecidos suaves e detalhados, o que combina muito com Alasca. Vintage e acessórios como, óculos, colares e braceletes é outro estilo retrô que ela nunca deixaria de usar.

Algo mais?
Não


Ficha: Horoskripture: A Morte do Amanhecer — Scott Lowell Hauschild
FICHA ACEITA
Nome completo:
Scott Lowell Hauschild

Apelido:
-

Idade e data de nascimento:
Dezessete anos | Dois de Janeiro de Mil Novescentos e Noventa e Nove

Sexo:
Masculino

Sexualidade:
Scott não gosta de rótulos, portanto, acha que o amor importa mais que as questões que a sociedade propõe

Nacionalidade:
Estadunidense — Nasceu em Filadélfia, Pansilvânia.

Aparência:


Scott possuí pele clara e alva, olhos castanhos escuros quase negros. O que mais chama a atenção em Scott, são seus cabelos loiros naturais e cacheados, dando a sua aparência parecido como a de um belo anjo. Nariz fino e arrebitado. Lábios grandes porém finos e sem cor, um maxilar reto e queixo grande.
Scott também está sempre mostrando um semblante triste em seu rosto.

Photoplayer:
Evan Peters

Personalidade:
Scott sempre foi uma pessoa muito independente, mas também muito desorganizado com seus materiais. Tem uma falta de sensibilidade impressionante, por quê, apesar de ter sentimentos muito abaláveis, aparenta não mostrar o que está sentindo. É muito precipitado e frio com as pessoas, e até mesmo com desconhecidos, mas Scott, vê isso como uma protecção a si mesmo.
Ele acredita sim, no amor, só ainda não sentiu essa percepção com a família, e, em suas palavras, prefere ser destemido a ser amado, já que sua confiança para com a humanidade de hoje em dia é inexistente. Outro ponto; Confiança. Ao mesmo tempo que Scott não tem facilidade para confiar nas pessoas, pede também que não confiem nele, já que o mesmo é incrivelmente desleal, a não ser com as pessoas que realmente o conhece. Ele se vê como egoísta, já que prefere pensar somente em si acima dos outros.
Quando realmente quer algo, é estritamente profissional e determinando a conseguir o que quer. Sempre foi bastante isolado, não é de conversar muito, principalmente com os colegas de escola, só dialoga com eles quando realmente precisa. Foram poucos que conseguiram quebrar a parede que ele construiu em torno de si.
Mas novamente, Scott usa toda essa carcaça como forma de protecção, pois sua família nunca lhe mostrou o que é o amor, sua lista de remorso e desapontamento é escrito desde que ele se lembra quando menor. Todavia, ao mesmo tempo que pode ser um escudo, pode ser realmente sua personalidade real.

História:
Scott nasceu em Filadélfia, Pensilvânia. Se mudou para Clifton Forge com 10 anos, quando sua mãe havia finalmente conseguido um emprego digno, em suas palavras, já que a mesma trabalhou em um bordel por anos. Scott, desde cedo, já aprendia a se isolar das pessoas, já que seus colegas sabiam que seu pai havia abandonado ele e sua mãe, e que ela, era uma prostituta, isso acarretava em vários deboches para com Scott. Por isso, preferia fingir que não escutava o que falava dele e de sua mãe, simulando que não sentia nada sobre o bullying que seus antigos colegas faziam com ele.
Ainda em Filadélfia, quando estava só em casa, Scott se descobriu fã da pintura, por isso, começou a desenhar e pintar telas em seus horários vagos. Uma qualidade que ele ama em si. Mas o salário de sua mãe, Celine, era muito baixo, e ele raramente comprava telas, por isso, veio a começar pintar as paredes de sua casa. Sua mãe, nunca entendia os desenhos que seu filho pintava, mas também nunca questionou, o que realmente magoava e irritava Scott, já que ela nunca pareceu se importar com ele.
Scott não tem muitas lembranças de seu pai, já que o mesmo os abandonou quando ele tinha somente 4 anos. Em um dia qualquer, chegando da escola, Scott entrou em casa, ouviu o que parecia ser o choro de sua mãe, e em silêncio foi até seu pequeno quarto, não queria incomoda-la, mas acabou por ouvir a conversa. Aconteceu que seu pai havia falecido, por assassinato. Quando sua mãe lhe contou isso, mesmo já sabendo, Scott não demonstrou quaisquer sentimentos, mas por dentro, realmente ficará triste, pois não contia lembranças de seu pai, e tinha esperança de que algum dia ele iria voltar.
Depois que Scott e Celine se mudaram para Clifton Forge, Scott continuou sendo a mesma criança que era antes, só que ainda mais fechado, porque agora com 11 anos, estava em uma escola nova, e ele é péssimo para se relacionar com os outros. Ainda assim, conheceu, hoje em dia, seu melhor amigo, Tyler Dennehy, alguém tão parecido e ao mesmo tempo diferente dele. Depois de muita insistência vindo de Tyler, eles começaram a ter uma relação bem mais amigável, até chegar no que são hoje. Apenas Tyler o entende como ninguém mais entende.

Posição na escola:
Scott é popular na escola, conhecido por sua beleza e peculiaridade, mas pouco se importa com isso.

Está na escola há quanto tempo?
Desde os onze (11) anos.

Família:
Mãe — Representada por Sarah Paulson

Celine Ária Hauschild — Empreendedora — 41 anos
Celine é inegavelmente uma péssima mãe. Sua relação com Scott nunca foi firme, e só piorou quando seu ex-marido lhes deixou, pensa que foi culpa de Scott, já que isso aconteceu depois de alguns poucos anos que ele nasceu. Nunca foi de perguntar o que aconteceu na escola para Scott, nunca foi nas reuniões, não comprava brinquedos e não dava nem um boa-noite para ele quando menor, apenas o alimentava e lavava suas roupas. Quando ambos conversam é quando realmente precisam, mesmo assim, são dialogadas poucas frases.

Melhor Amigo — Representado por Harry Styles

Tyler James Dennehy — Estudante — 17 anos
Apesar de ser seu melhor amigo, Scott o considera parte de sua família — não é como se ele considera sua mãe parte dela.—, sua única família. Tyler é mais que uma mãe e um pai ou um irmão para Scott. Foi com Tyler que Scott soube realmente o que era confiança e amor entre duas pessoas, saber pensar mais um pouco no outro do que só em si. Tyler é provavelmente o único que quebrará as barreiras de seu amigo. Tyler é inegavelmente a única pessoa com quem Scott sentiu afeto.

Maiores medos:
Perder Tyler — já que ele considera que já perdeu sua mãe;
Cacorrafiofobia — medo de fracasso ou falhar;
Malaxofobia — medo de amar — por já ter perdido sua mãe e seu pai, não gostou do sentimento da dor;

Hobbies:
Pintar | Escrever poemas quando está triste ou muito pensativo;

Gostos | Desgostos
Gostos:
Pintar | Músicas Indies | Frio
| A música Mad Hatter da Melanie Martinez
| Ficar Só | Teatro

Desgostos:
Perder | Bebidas alcoólicas |
Contato físico | Falar em público |
Ficar perto de sua mãe — se sente desconfortável
| Comidas calóricas | Cores vibrantes

Habilidades físicas:
Scott é um ótimo pintor de telas, gosta de expor seus sentimentos quando pinta

Habilidades mentais:
Memoriza facilmente

Relação com:
– Nathan: Entre os quatro, Nathan foi o que mais conversou com Scott, já que ambos sentam juntos em uma das aulas, mas apenas conversas sobre a matéria
– Eric: Conversaram pouco, e quando estão perto, trocam olhares
– Dylan: Nunca conversaram, mas além de acha-lo um idiota (na verdade, Scott pensa isso sobre os quatro) também gosta do cabelo de Dylan por achar diferente
– Bradley: Nunca conversaram também, mas acha o mais insuportável.

Relação com seu possível par:
Como Scott é uma pessoa que não demonstra sentimento facilmente, isso dificulta bastante a relação, mas sabe demonstrar carinho e afeto em certos momentos sem nem perceber isso por realmente gostar da pessoa.

Possui animal de estimação?
Não, Scott acha que não consegue tempo para si mesmo, então não conseguiria tomar conta de algum animal.

Algum problema de saúde/limitação?
Scott tem asma

Como se sentiu depois de ter recebido a notícia dos alunos mortos?
Principalmente surpreso, não sentiu medo, mas ficou ansioso, e curioso para saber mais

Alguma mania?
Fechar as mãos em punhos | Revirar os olhos
| Cantar a mesma música várias vezes — Mad Hatter

Algo a acrescentar?
Scott fuma cigarro as vezes, não é um vício, apenas quando está muito nervoso
Scott não ama Tyler de forma romântica
Scott não gosta de Bradley, Dylan, Eric e nem de Nathan, porque somente ao vê-los, ele se lembra dos seus antigos colegas de classe, que faziam bullying com ele por causa de sua mãe e pai.


*Uma coisa que eu quero esclarecer*
Fiz o outro personagem, o Tyler, melhor amigo de Scott, e se os dois passarem, ficarei imensamente feliz, já que precisamente os dois são muito envolvidos. Se apenas um passar, apenas coloque o personagem que não passou como um personagem secundário mas que também não faz parte da história, por quê, como eu já havia dito, ambos são muito envolvidos um com o outro.


Ficha: Horoskripture: A Morte do Amanhecer — Tyler James Dennehy
FICHA ACEITA
⇢ Nome completo: ⇠
Tyler James Dennehy

⇢ Apelido: ⇠
-

⇢ Idade e data de nascimento: ⇠
Dezessete anos | Dois de Fevereiro de Mil Novescentos e Noventa e Nove

⇢ Sexo: ⇠
Masculino

⇢ Sexualidade: ⇠
Bissexual, apesar de achar os garotos mais convenientes que as garotas, mas sente atração por ambos os sexos

⇢ Nacionalidade: ⇠
Britânico — Inglaterra, Londres

⇢ Aparência: ⇠


Tyler é dono de belos olhos verdes, que podem variar de tons quando está triste ou com raiva. Seus cabelos são volumosos e cacheados, da cor do chocolate, que quase constantemente estão desarrumados. Quando sorri, duas covinhas aparecem dos dois lados de seu rosto. Algo que também chama muito atenção em Tyler, é o seu maxilar afiado. Lábios grandes e cheio, porém finos e rosados. Sua pele é clara, mas não chega a ser branco, um nariz desproporcional, fino e arrebitado está encaixado em seu rosto.
Seu corpo é bastante grande, contendo músculos, tendo 1,83 de altura, e 71kg, massa corporal.

⇢ Photoplayer: ⇠
Harry Styles

⇢ Personalidade: ⇠
As palavras que maior define Tyler é: inteligente, extremamente bonito e trapaceiro. Usando assim sua beleza para conseguir o quer, se relacionando com ambos os sexos se lhe trazer algum benefício. Não é fácil abalar seus sentimentos, tendo um boa direção sentimental, todavia, quando adquirem sua raiva, não consegue controlar seus impulsos. Controle. Um ponto que Tyler tem de menos. Tem um pávio curto, perdendo sua paciência rapidamente, não é fácil controla-lo quando, principalmente, Tyler está nervoso. Seu tom de voz também é muito autoritário, fazendo com que os que estiverem em volta dele se afastarem rapidamente. É bastante determinado quando quer algo. Sendo assim "Quando quero, consigo". Apesar de que, Tyler odeia confusões e usa seu "controle sentimental" para não se perder.
Normalmente, costuma ser gentil, Tyler não é precipitado com quem não conhece, sabe reconhecer seus limites. Quando está com seus colegas de classe, sempre está mostrando seu jeito mais brincalhão, provocando risadas de todos. O que sem dúvidas, é o que mais gosta nele; ter o poder de fazer os outros rirem.
Também sempre foi um bom argumentador, sabendo defender quem merece.

⇢ História: ⇠
Tyler nasceu em Londres, Inglaterra no dia Dois de Fevereiro de Mil Novescentos e Noventa e Nove. Teve que se mudar para Clifton Forge porque seu pai, Steven, havia chegado a falência, e seu irmão, Derek, que já morava na cidade, foi o único que ajudou, porém o mesmo já faleceu.
Aconteceu que, seus pais tinha vários problemas na relação. Sua mãe sempre foi agressiva com Steven, gritava e o-xingava diariamente, e por vezes, o batia com objetos. Já Steven não podia fazer nada, se sentiria um covarde caso batesse em sua mulher, não tinha nem tempo para tirar Tyler de sua visão para que o menino não visse a briga que eles provavelmente teria.
A cada dia que se passava, Tyler sentia o amor por sua mãe se dissipando; por vezes chegava a chorar pelo seu pai que não merecia um inferno como Elena em sua vida, e até hoje, não entende porque ela fazia aquilo. Via e escutava tudo o que acontecia naquela casa. Já cansado, sempre que outra briga começava, Tyler ia pro seu quarto rapidamente pegar seus fones de ouvido. Passava horas do seu tempo ouvindo e cantando músicas, para abafar os sons vindo do outro quarto.
Em meio a uma discussão entre Elena e Steve, ela acabou tropeçando e caindo em um estábulo, já que seu pai estava reconstruíndo um quarto somente para ele. O resultado foi que Elena acabou se ferindo, e fez um escândalo, tanto que um dos vizinhos acabou por chamar a polícia. Toda a família foram levados a delegacia, onde Elena mentiu toda a história, e em um julgamento, recontando novamente, dizendo que Steven havia empurrado Elena, que acabou por sair com legitima defesa, e como punição para Steven, ela ficou com todo seu dinheiro e se mudou, sem nem se lembrar de Tyler, que apenas observava sua família desabar em destroços. Família que já não existia a muito tempo.
Tyler, para acalmar seu pai, cantava para ele. Seu pai sempre lhe dizia que se ele quisesse, poderia ir longe no mundo da música, fato que esse era totalmente verdade.
Hoje em dia, Tyler perdeu o contato com sua mãe, e toda a família dela, mas ele não se importa, motivado pela raiva, prefere nunca mais vê-la, e está feliz que ela deixou sua vida.
Esse breve caso que aconteceu foi enterrado pela família Dennehy, poucos sabem, e preferem manter assim.

⇢ Posição na escola: ⇠
É popular na escola por estar sempre com um violão ou com Scott, mas como seu amigo, não gosta da fama, então não se importa.

⇢ Está na escola há quanto tempo? ⇠
Desde os onze anos

⇢ Família: ⇠
Pai — Representado por Brad Pitt

Steven Jhonny Dennehy — Bancário — 41 anos
Com certeza a pessoa com que Tyler mais se sentiu seguro. Sua união com ele sempre foi a mais firme, e não há nada nesse mundo que pode abalar isso.
Steven sabe exatamente como Tyler é, sabe quando o mesmo está mentindo e sabe como subordina-lo, a relação entre os dois é completamente aberta, não há segredos. Tyler sente que teve toda a sorte por tê-lo como pai.
Ultimamente, com o trabalho e colégio de Tyler, ambos dialogam pouco, mas quando conversam esquecem todo o resto, e tentam aproveitar o máximo do tempo, tendo somente para ambos.

Mãe — Representada por Amy Lee

Elena Amber Kendrick — Atualmente, advogada — 39 anos
Sem dúvidas, uma péssima mãe. Planejou sua gravidez para que Steven não se separasse dela, e que possivelmente, ficasse com o dinheiro do mesmo. Quando conseguiu o que queria, não foi uma verdadeira mãe para Tyler. Preferia que seu filho ficasse mais com o pai do que com ela, já que para a mesma, Tyler era um estorvo.
Em um dos seus ataques de fúrias, acabou sem querer, se machucando, e para aproveitar, mentiu toda a história, se passando por vítima, e obrigando Tyler a não contar a verdade no julgamento.
Hoje em dia, é advogada, e não mantém contato com Tyler.

⇢ Maiores medos: ⇠
Pirofobia — medo de fogos de artifício
Tripofobia — medo de objetos com padrões irregulares de furos
Gefirofobia — medo de pontes e viadutos

⇢ Hobbies: ⇠
Tocar violão | Desenhar | Caminhar |
Fazer os outros rirem | Fotografar – principalmente de lugares a onde vai
| Principalmente, cantar


⇢ Gostos | Desgostos: ⇠
Gostos:
Cantar | Comida salgada | Toucas | Caminhar
| Bandanas | Banana – fruta | Roupas pesadas
| Música Indie – música favorita: Ultraviolence | Escuro |
Filmes românticos – embora ele nunca irá admitir isso

Desgostos:
Calor Excessivo | Pessoas mesquinhas |
Regras | Doce – acha muito enjoativo | Tocar no assunto – sua mãe
| Bebidas alcoólicas | Barulho | Desordem | Amarelo – cor

⇢ Habilidades físicas: ⇠
Tocar violão | Cantar | Desenhar

⇢ Habilidades mentais: ⇠
Tyler tem grande capacidade em concentração.

⇢ Relação com: ⇠
– Nathan: Não sabe sabe o porquê, mas não gosta de Nathan, e evita qualquer tipo de conversa com ele. E mesmo que nunca admitisse, é como se Nathan o intimidasse.

– Eric: São colegas em quase todos os horários, por isso conversam bastante, nada muito íntimo. Não se consideram amigos

– Dylan: Apesar de terem trocado poucos diálogos, Tyler o considera o mais engraçado/legal do quarteto.

– Bradley: Tyler acha inegavelmente o mais atrativo do grupo, se não, do colégio. Conversam poucos, mas sem dúvidas de que Tyler não consegue ter controle sobre seus pensamentos ao estar perto de Bradley.

⇢ Relação com seu possível par: ⇠
Tyler gosta de ter a relação aberta, mas também odeia casais grudentos, preferindo manter no limite do carinho. Não é ciumento, mas desconfia facilmente.

⇢ Possui animal de estimação? ⇠

Sim, um São Bernardo. Alpha –seu nome - pronuncia-se "alfa"– está com Tyler desde pequeno. Steven o adotou para Tyler quando o cachorro era ainda pequeno, quando o homem viu que seu filho precisava de um "companheiro" que já não seja os seus amigos.
Por ser um cachorro de uma raça considerada uma das mais perigosas, Alpha não abandona sua natureza, mas com Tyler é como se seu temperamento mudasse, tornando se um bom cachorro obediente e companheiro. É um cão de guarda, quando está com Tyler perto de algum estranho, torna-se incrivelmente protetivo com seu dono. Muitas vezes, Tyler o deixa dormir em seu quarto, mas sempre que o adolescente acorda, Alpha está deitado sobre sua cama.

⇢ Algum problema de saúde/limitação? ⇠
Tyler tem ataque de pânico

⇢ Como se sentiu depois de ter recebido a notícia dos alunos mortos? ⇠
Ficou impressionado, ao mesmo tempo que parecia indiferente, queria saber mais sobre o ocorrido

⇢ Alguma mania? ⇠
Franzir as sobrancelhas | Morder o lábio inferior — principalmente quando está concentrado | Esfregar as mãos uma na outra | Passar as mãos sobre os cabelos

⇢ Algo a acrescentar? ⇠
Quando Tyler está triste, a noite, ele sobe até o telhado de sua casa, ficando por lá para olhar o céu.
Tyler fala 3 línguas diferentes, francês, espanhol, e claro, inglês. Quando está com raiva, ele xinga em francês, para que ninguém possa entender.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...