~Yuuki-onna

Yuuki-onna
Gabi
Nome: Gabriella
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Jacarei, São Paulo, Brasil
Aniversário: Indisponivel
Idade: Indisponivel
Cadastro:

Ficha - Love Daddy - Interativa


Postado

My Daddy is Eros
Mostrar Spoiler: Gwendolyn Padget


Nome
Gwendolyn "Gwen" Padget.

Idade
20 anos.

Data de nascimento
06/02.

Aparência



Alta (um metro e setenta) e também um tanto magra. Por conta de ser bastante branca, quando se sente muito empolgada ou fica por muito tempo no sol, seu nariz passa a sangrar. Seus olhos são verde musgo, porém usa lentes de contato azul. Cabelos normalmente curtos e escuros, costuma usar franja estilo tigela, o que cai bem com seu formato de rosto.

Interprete
Kimbra Lee Johnson.

Nacionalidade
Neozelandesa.

Personalidade
Gwen não pode ser definida pelo tipo de garota comum. Talvez o mais estranho adjetivo não conseguisse descrevê-la. Apenas ao observar suas roupas, você poderá notar a sua excentricidade; na verdade, seu todo exala o diferente. Seu sorriso é uma dos mais contagiantes que já puderam ser vistos, isso devesse ao fato dela sorrir sempre quando está interessada em algo (o quê frequentemente ocorre, pois é facilmente impressionável).
É o tipo de pessoa que faz amigos com facilidade; não é seletiva, anda com qualquer tribo/grupo que lhe atrair porque consegue se adaptar facilmente em qualquer lugar que está e muitas vezes, é ela quem forma os grupos, já que faz do tipo de garota cativante que todos poderão achar estranha de início, mas logo se adaptarão as façanhas que a mesma realiza.
Parece ter um parafuso a menos em sua cabeça, mas isso não interfere em sua postura. Apesar de conseguir cativar as pessoas com muita facilidade, Gwendolyn apresenta um comportamento moderado, somente revelando esse seu lado mais excêntrico por completo, durante suas falas, que, às vezes, podem parecer um tanto estranhas, mas, se formos parar para pensar, se encaixam perfeitamente naquele ditado momento.
O conhecimento é sem dúvidas sua melhor arma. É através deve que consegue tudo que quer. Mas a morena não é simplesmente uma formadora de opinião em redes sociais, Gwendolyn leva seus discursos morais a sério, isso a faz assumir uma postura pouco mais madura quando discursa sobre determinado assunto. Sua oratória é apaixonante, digna da leitura de um dos melhores poemas da história. E é através dessa sua habilidade que consegue influenciar as pessoas a seguirem o caminho que ela propôs.
É apaixonada pelos clássicos da literatura, essa sua paixão fez com que escolhesse seu novo caminho na vida: especializar-se em sua língua, cursando a faculdade de letras, especialmente na área do jornalismo, onde sente-se mais completa. O fato de sentimento de "preenchimento" deve ao seu movimento de sempre querer contar a verdade nua e crua, sem enrolações e também descobrir fatos curiosos que possam fazer alguma contribuição mental para si própria.
No primeiro encontro com a garota, ela pode parecer um tanto quieta, dificilmente abrindo sua boca para dizer alto. Mas caso a chama de seu "falatório" estiver acesa, aguarde, por não haverá papas na língua, especialmente se não escutar algo de seu agrado.
Gwendolyn é um livro aberto; não importa-se em contar sobre ela, especialmente dos seus assuntos mais íntimos, os quais a maioria das pessoas que têm convívio com ela acabam escutando, já que mesmo sem ser questionada, acaba por contar vários de seus assuntos pessoais, que acabam virando públicos.


Gosta
Mitologia (de várias culturas), variados tipos de livros, leite com chá, tudo que envolva alguma modalidade da arte, estudar, qualquer assunto contemporâneo.

Não gosta
Pessoas desinteressadas, falta de ética e moral, comidas apimentas, café, retrocesso.

Qualidades
Cativante, empolgada, alegre, divertida, excêntrica, humanista e liberal.

Defeitos
Passional naquilo que faz, às vezes, irritante, faladeira e, em determinados momentos pelo desejo de ser direta, pode mostrar-se um tanto grossa.

Manias
Quando está muito concentrada ou nervosa, costuma morder suas cutículas, o que deixa seus dedos com algumas feridas.

Vícios
Seu maior vício é o conhecimento. Pode soar clichê, mas Gwen declara com sua clássicas frases, que sim, é viciada no conhecimento e esse vício pode levá-la a cometer certas loucuras.

Segredos
Como fora dito anteriormente, ela não se preocupa em declarar seus segredos publicamente, tanto é que Gwen faz isso por si só, no entanto, seguem os segredos:

- Já sentiu-se sexualmente atraída por uma planta;
- Já participou de uma comunidade vampirística (não de vampiros de verdade, claro), onde bebeu sangue humano;
- Apesar de ser apaixonada pelos ramo da arte, sente-se desolada pelo fato de ser uma péssima desenhista;

História
Gwen viveu no interior junto de sua avó que era professora na única escola que aquela cidadezinha possuía. Ela tinha certos problemas com o ambiente urbano que a faziam passar mal, portanto, por orientação médica, seus pais decidiram em mandá-la para a casa de sua avó, onde poderia viver sua vida mais tranquilamente.
Como existiam poucas escolas na região e poucos professores, sua avó dava aula para todas as séries do fundamental em uma única sala; para não deixar a menina sozinha, sua avó levava-a junto para a classe, onde passava o tempo prestando atenção em tudo que sua querida avó explicava para seus alunos de diversas séries. Aos 6 anos já sabia ler muito bem e aprendeu a fazer contas de subtração e adição com números grandes.
Quando entrou na escola (aos 7 anos), colocaram-na direto no 3º ano, e não parou por ai; era uma das melhores alunas de sua classe. Concluiu seus estudos precocemente, havia se formado aos 16 anos de idade e não fazia ideia do que poderia cursar numa faculdade pública. Passava o resto do dia cuidando de sua avó já aposentada, vivendo sua vida pacificamente. Até quando aconteceu um empecilho: sua avó havia tido um AVC e ficou hospitalizada por um bom tempo. Nesse período que decidiu seguir medicina, por isso voltou para a cidade grande, mas agora suas debilitações na saúde haviam se suprimido.
Apesar de achar medicina uma profissão muito honrosa e bonita, Gwen, não foi capaz de prosseguir com o curso, pois sentia-se presa, as coisas eram muito exatas; percebia que o curso não a completava. Necessitava falar, declarar, estudar o lado humano das pessoas, por isso, decidida, escolheu Letras como porta chave para esse mundo que tanto buscava.
Atualmente está no 2º ano da sua faculdade de Letras, pretendendo após concluí-la trabalhar como editora ou jornalista.

Família

Nome: Anastasia Padget
Relação: Ambas sempre conviveram muito bem e sempre foram muito unidas. A avó era uma das poucas pessoas que compreendiam as loucuras que passavam por sua cabeça, tanto que é a idosa era a única que conseguia controlá-la por completo, já que, durante sua infância, Gwen foi uma criança muito travessa que costumava agir por si só (faz isso até hoje) sem preocupar-se com os outros ou muito menos pedir permissão.


Nome: Evon Padget
Relação: Evon, como seu pai, sempre fora um homem bastante empolgado e de bem com sua vida; esse seu comportamento influenciou e muita na maneira a qual ele e sua filha se relacionam; sua relação é um tanto carinhosa e ambos parecem como melhores amigos, agem como adolescentes quando juntos, e isso parece irritar pouco seu outro pai, que é bastante reservado.


Nome: Drick Padget
Relação: Drick, como seu pai, é um homem reservado e intelectual. Ele fora um dos responsáveis por construir o ideal intelectual em sua filha. Quando juntos, Gwen parece largar aquele seu lado "louco" e passa a agir mais seriamente. As conversas que possuem nunca apelam ao humor, sempre são muito formais um com o outro; raramente haverá piadas de níveis baixos em suas discussões.

Medos/Traumas e Fobias
Gwen tem medo de que as pessoas não falem com ela, a ignorem, isso devido ao período que ficava na cidade, quando seus pais tinham de trabalhar e a deixavam e casa.

Deus
() Dionísio

( ) Ares

(x) Eros

() Hermes

O que acha sobre as garotas serem levadas como serviçais
Na verdade, para a garota, aquela seria um dos mais importantes momentos de sua vida. Isso deve-se pelo fato dela ser apaixonada por mitologias. Entrando em contato com os deuses que ela tanto venera, é praticamente impossível sentir-se infeliz com aquilo, apesar de ter de realizar trabalho serviçal, o que ela acha um tanto errado, afinal seres humanos são livres. Mas se for levado por outro aspecto, Gwen não considera esse fato como um aprisionamento de si própria, afinal, estaria realizando um desejo de anos.

Como conheceu a Lara
Gwen estava a caminhar em algum "X" local (que você poderá escolher), até que avistou a garota. Parou a sua frente com seu típico semblante "Quem é você?" disse: Você parece Afrodite.

Relação com a Lara
Gwen passará a chamá-la de "Afrodite" isso devido ao fervor que via em seus olhos ao encontrar com Lara. Será muito sociável, sempre cumprimentando-a com seu sorriso cativante quando a visse. Tentaria ficar próxima a ela (isso tentará fazer com todas as garotas) e muitas vezes realizará questionamentos filosóficos a ela, isso devido ao fato de considerá-la capaz de respondê-los com perfeição, apesar de que apenas Gwen sabe as respostas das coisas que pergunta, pois sua realidade é completamente diferente da realidade dos outros.

Relação com seu Deus
Gwen sempre questionou a si mesma de onde vinha Eros, afinal, aquela divindade parecia surgir por acaso, segundo a lenda. Em seu primeiro encontro, uma das primeiras coisas que irá dizer será: " Mas de onde você veio? O Caos te pariu?". Nos primeiros dias, o que irá mesmo interessá-la é de onde veio Eros, e ela vai oportuná-lo várias vezes, observando-o em tudo que faz, até finalmente encontrar alguma pista.
Após vários dias, finalmente, E PELA PRIMEIRA VEZ, se declarará como derrotada e irá dizer aquilo ao rapaz, que desistiu de descobrir de onde ele veio. A partir daquele ponto, ela passará a questioná-lo por quê ele não é uma criança, como a própria lenda diz. Persistirá nisso por certo tempo, tratando-o feito uma criança, o quê poderá irritá-lo em certos aspectos. Finalmente concluindo que não era uma criança, a morena passará a tratá-lo normalmente, mas ainda sim, levantará alguns questionamentos quando enxergar nele algo que não condiz ao mito.
Gwen será semelhante a uma pesquisadora interessada em sua pesquisa, desejando tocá-lo sempre que possível, observando todos os seus comportamentos (também suas intimidades), o quê possivelmente poderá despertar - quem sabe - algum desejo sexual?
Quando ficarem pouco mais chegados, irá pedir para usar o tão falado arco e flecha e pedirá para que o Eros o teste em si própria.

Relação com os outros Deuses

Dionísio - Pelo fato de Dionísio ser visto com um deus festeiro, a morena agirá da mesma maneira próximo a ele, pedindo por festas ou coisas do tipo. No entanto, em determinado momento, quando notar que tal ficar próximo de alguma garota, fará a seguinte pergunta: " E as orgias, como andam? ".

Ares - Por saber do comportamento facilmente irritável dele, Gwen fará o possível para irritá-lo, afinal, um de seus desejos é despertar a fúria de Ares. Desse modo, muitas vezes fará perguntas um tanto que idiotas, na intenção de fazê-lo gritar ou qualquer coisa do tipo.

Hermes - Tendo conhecimento do comportamento travesso e da lábia que possui, a morena ficará atenta quando socializa-se com tal, pois não tem total confiança naquele deus, pois o enxerga como alguém de atos imprevisíveis e isso a irrita.

[Relação com as meninas
Gwen irá revelar-se exageradamente sociável, buscando formar amizades duradouras com as mesmas, já que aquelas seriam uma das poucas "companhias normais" que poderia encontrar naquela casa. Apesar de não ser muito afetiva, revelará um lado pouco mais meigo, sempre buscando expressar quanto elas se preocupa com as garotas, especialmente quando tais precisarem de ajuda, ou às vezes, de um ombro amigo para desabafar as mágoas que as dominam, com seus conselhos loucos.

Roupas




Mostrar Spoiler: De banho









Mostrar Spoiler: Fantasia










Casa
Quarto

(Sem cama? Sim, sem cama)

Closet

(Essa bagunça? Sim, essa bagunça)

Banheiro


Como reagiria se

Se apaixonasse: Apesar de mover-se muitas vezes pelo conhecimento, quando apaixonada, Gwen largaria daquela sua pose de intelectual, revelando-se ser a típica garota comum de sua idade que pode se apaixonar. Associará aquele sentimento ao fato de Eros ter te flechado. Possivelmente, aquilo a faria chorar, afinal, sabe que muitas vezes, a paixão pode machucar; é a pior das dores, por isso, não compreenderá o fato de seu corpo submetê-la aquele tipo de dor. "Estou virando masoquista?", dirá.

Descobrisse que seu Deus está apaixonado por você: Ela pensará: " Por que o amor (Eros) está apaixonado por mim? Isso não é muito confuso? ". Esse seu pensamento a fará refletir por certo tempo, mas no final, seu semblante será um tanto orgulhoso, afinal, para Gwen, ter o próprio "amor" apaixonada por si própria, seria um dos melhores sentimentos amorosos/eróticos que deve retribuir, já que esta seria uma oportunidade rara, segundo sua opinião.

Ele te maltratasse: Depois de ler o Quincas Borba, quando tinha aproximadamente 12 anos, a garota interpretou a filosofia do humanitismo como verdadeira, a dor é uma ilusão, no entanto, apenas a dor física, a dor emocional existe. E para ela, a pior dor é privá-la do conhecimento. Caso agredida, certamente reclamará da dor, mas suas tentativas para impedi-lo serão poucas; isso também deve-se ao fato de ter aceitado ser serviçal facilmente, pois, afinal de contas, acredita que esse seja seu papel como serviçal, submeter-se ao mestre.

Ao descobrir que vai ser levada como serviçal: De início, ficará pouco revoltada, mas quando descobrir que será um deus, rapidamente mudará sua postura, aceitando aquilo facilmente, pois está realizando um de seus desejos: conviver com um deus.


É virgem?
Não. (sua virgindade foi perdida com uma mulher, e Gwen parece não se importar em declarar isso abertamente)

Algum animal de estimação?
Não.

Algum objeto valioso?
Não. " O valioso é o intocável (conhecimento) "

Tatuagem
Não.

Algo mais?
- Diz que já se sentiu atraída sexualmente por uma roseira;
- É vegetariana;
- Seus pais são adotivos.
- É panssexual, apesar de afirmar pertencer a outro gênero que ela mesmo criou.

Seguem algumas de suas frequentes frases:
" Eu sou gnosessexual " (quer dizer que ela se sente atraída pelo conhecimento)
" Qual a probabilidade de eu achar isso muito legal? Infinito porcento! "
" Sim, eu tenho orgasmos por conta daquilo que leio. "
" Vamos ser como estátuas gregas e andar nus por aí! "

Algumas coisas que acharia interessantes para ele dizer a Eros:
"Se o amor é Eros, Eros é um substantivo ou uma pessoa?"
"Você conhece Platão? Ele é seu fã!"
"Pensei que Eros fosse... menor?"



Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...