História Dear Enemy - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~BecHoney

Postado
Categorias Bella Thorne, Justin Bieber
Personagens Bella Thorne, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Bella Thorne, Brigas, Criminal, Dear Enemy, Drama, Evangeline, Gangster, Justin Bieber, Máfia, Policial, Ryan Butler
Visualizações 39
Palavras 1.891
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá amores! Mais uma história, esperamos que estejam conosco até o fim dessa jornada.
Amei os comentários anteriores, isso e maravilhoso!
Boa leitura.

Capítulo 2 - Corpos Colados


Fanfic / Fanfiction Dear Enemy - Capítulo 2 - Corpos Colados

5 anos depois, Atualmente.

Justin Bieber

— Não é tão simples assim. — disse, endireitando minha postura. — Para algo desse porte, eu exijo pelo menos, uns quatro milhões. — bebi um pouco de minha vodka. — Isso se não for mais.

— Dois. — ele realmente estava tentando me assustar com aquela cara de velho dele? O máximo que ele conseguiu foi desgosto, espero que ele saiba disso.

— Cinco. — sorri cínico — É pegar ou largar. É uma ótima carga, você tem sorte que eu estou praticamente te dando ela de graça, se não quiser. Melhor para mim, aquela carga deve valer uns seis. — talvez não valesse realmente isso. Talvez ainda falte um pouco para chegar a valer cinco milhões, tipo três milhões, mas a droga é minha e, bem, vendo como quiser.

— Você já está muito rico…

— Exatamente. — disse o interrompendo — Quanto mais, melhor. — sorri.

— E ele está fazendo por um ótimo preço. — disse Chaz se intrometendo, e eu apenas assenti. — É da melhor qualidade, me diz aí, Ry… — ele parou de falar assim que olhou para Ryan e viu que ele estava com uma feição chocada em seu rosto, olhando para uma pessoa na entrada da área VIP, então Chaz olhou para quem ele estava olhando e lá havia uma mulher ruiva brigando com o segurança que não a deixava entrar.

— E então? — disse o homem à minha frente e eu apenas ignorei sua pergunta e me virei para Chaz.

— Quem é essa?

Evangeline. Nossa ex chefe e ex namorada de Ryan. — ele disse, sem ao menos desviar o olhar dela.

— Eu vou lá falar, para ele deixar ela entrar — disse Chris se levantando e falando com o segurança que logo a deixou entrar, e ele veio acompanhado dela, mas não falaram nada entre si.

— Já era hora. — ela disse se jogando no sofá, bem ao meu lado, e agindo normalmente. — E aí? Quais as novas? — e finalmente olhou para mim. — E você? — perguntou para mim.

— Justin Bieber. — disse simples — Evangeline, certo? — assentiu.

— E você é o novo chefe, não é? — assenti. — Já ouvi falar de você, e muito bem por sinal. Você já estava fazendo o seu império, sabia que eles eram bons e logo os chamou. Boa escolha, eles são ótimos. — olhou em volta.

— Cinco milhões até amanhã. Vaza — disse para o homem à minha frente e ele logo fez isso. Sabia que ele ia aceitar minha oferta.

— Como vai? — a garota disse para Ryan que apenas bebia de sua bebida, e ele logo virou para ela.

— Bem. — sorriu cinicamente. — E você?

— Bom, nada demais. Vejo que está ganhando muito bem, olha só pra isso aqui… — olhou ao redor, analisando o ambiente — Bom, mais um pouco de trabalho duro e conseguiríamos isso.

— Justin é bem melhor que você. Não se iluda assim.

— Só porque eu sou mulher?

— Não, ele é muito mais calculista, inteligente, estrategista e sangue frio que você. Você age por impulso e não adianta dizer que é porque é mulher, porque existem muitas mulheres fodas por aí — sorri com isso e me levantei. Eu estava entre os dois e realmente não estava afim de escutar a discussão dos dois. Chaz, que estava do meu lado e que percebeu isso, logo se levantou e foi sentar no outro sofá, fiz o mesmo e me sentei ao lado dele.

— O que essa vadia quer? — eu disse e me encostei no sofá.

— Acho que não deu muito certo. — disse Chris. — Ela tentava se aliar com outros, mas não rolava. Deve estar tentando voltar para a equipe.

— E ela é tão merda quanto Ryan disse?

— Não, ela é muito foda. Ele está apenas com raiva dela.

— Falando de mim? — ela disse se sentando ao meu lado.

— Vejo que gostou de se sentar do meu lado — disse, e ela revirou os olhos, soltando uma risada debochada.

— Nossa, querido. — levantou as mãos em sinal de rendimento. — Me desculpe, se não tem outro lugar para me sentar.

Olhei pelo local, onde nos encontrávamos, e voltei a olhá-la, arqueando a sobrancelha.

— De frente para nós, tem um outro sofá vazio. E não tem outro lugar? — falo, soltando uma gargalhada.

— Pensando por outro lado, até achei você gatinho. — mordeu seu lábio avermelhado com um batom, que chama bastante atenção. — Mas, meu assunto não é com você. — se afastou, e foi até Ryan que ainda estava longe de nós, sentando-se ao seu lado.

O som da música me fazia balança a cabeça de acordo com a batida. Segurava um copo de whisky com algumas pedras de gelo dentro, bebericava de vez em quando. Agora me encontrava no andar de baixo da boate, onde todos dançam grudados nos outros, beijos sendo distribuídos, e por aí vai. Minha cabeça já martelava, querendo saber o que Ryan e sua ex conversam tanto no andar de cima. Balanço meu corpo ao escutar uma batida mais alegre, beberico meu whisky e solta um suspiro. Andei até o barman, já que estava perto do bar, e pedi outra dose de whisky, mas dessa vez pedi sem gelo. Não quero ficar lúcido, quando fizer algo indecente.

(...)

Já me encontrava no décimo copo de whisky, mas sei que já ingeri outras bebidas, porém essa é a única bebida que lembro que pedi, enquanto estava no bar. E até agora, não vi Ryan e Evan… Eva… Evangeline. Sim, ela mesma, ainda não a vi descer da área VIP. Não estava a esperando, só queria saber mais sobre ela. Já que a mesma foi chefe da equipe, claro, ela deve saber de mais coisas. E também por Chris dizer que ela é boa no que faz, me deixando elétrico.

— Me dá mais-s. — falo embolado.

Ouço risadas ao meu lado, e ainda olhando o barman, ele nega. Essa boate e minha, e ele está negando para o seu chefe? Me endireitei no banco, e o olhando sério agora, me encosto no balcão. Ainda ouvia risadas, e isso já estava me incomodando.

Respiro fundo.

— Eu sou o dono desse lugar, meu caro. — tentei não falar embolado, o que deu certo. — Agora você vai me servi ou dose, ou e rua pra ti. — sorri cínico. Logo ele põe uma garrafa em minha frente, soltando resmungos e se afasta atendendo outra pessoa. Tiro a tampa da garrafa a deixando no balcão, e saí para o meio da balada, onde tocava uma música que eu conhecia bem. Frick My Shit.

Dançava de acordo com a batida, até que vejo uma ruiva andando em minha direção. Não dando importância, continuo a dançar, mas paro assim que sinto suas mãos tocando meus braços com leveza. Dei de ombros, e ponho minha mão sobre sua cintura a fazendo colar seu corpo ao meu.

I said I'm about to fuck who I'm dancing with

I'm-I'm about to fuck who I'm dancing with

I'm about to fuck who I'm dancing with

Shoutout to the fucking Dj for playing this shit

Agora dançávamos ainda mais colados. Seu braço estava em minha nuca, enquanto sua outra mão está com minha garrafa e ela bebendo. Uma de minhas mãos está em sua cintura e a outra puxando seu cabelo. Eles eram tão brilhosos. Pego minha garrafa de sua mão, bebendo em uma só golada, que desceu rasgando em minha garganta.

The baddest girls in La in the bay

And I do em even when I'm on break

So if fall off today

Still steal a famous Nigga hoe

I'm a young fly Nigga fa' sho

Ok now put your ass, on my dick and pose on the shit

Virei a tal garota ruiva, deixando sua bunda virada para mim. Pego em sua cintura dando uma apertada forte. Eu sentia que não estava lúcido, era isso que eu queria. A ruiva rebolava de forma lenta, me deixando louco. Mordo meu lábio quando ela se esfrega em mim. Solto todo o ar preso que resta em mim, e a puxo para mais perto. Deixo ela rebolando, enquanto bebo minha garrafa, da qual não sei o desde que a peguei com o barman. Mas, a bebida é forte, ela me fez ver pessoas peladas dançando, principalmente garotas, muitas garotas com peitos gigantes. Isso é bom demais.

Cant do it such as fast

Come on girl make it juicy

Dancing on me african booty booty

call her Judy

Tonight its going down

I only came out here for work

Assim que percebo que minha bebida acabou, resolvo dar para alguém ao meu lado, e que saiu com a mesma. Ela está vazia quem iria querer ela? Deixo de lado, voltando a atenção para ruiva. Ainda não sabia seu nome, mas nem quero saber. Virei ela novamente, puxando seu rosto e deixando a milímetros do meu, desço meu olhar para a sua boca. De imediato, ataquei seus lábios avermelhados, beijando o mesmo com fervor. Tinha o gosto de alguma bebida, mas não sei o nome. Ela beija bem, muito bem pra quem totalmente está bêbada. Ela sabia onde tocar, onde mexer, tudo. Isso me deixava mais louco do que estou.

A música ainda tocava, nossos corpos ainda mais colados, mas veio um ser do capeta e tirou a ruiva de meus braços com tamanha brutalidade. Só tive tempo de olhar, e ver que ela estava sendo levada para meu escritório. Nada contente com o que acabou de acontecer, os segui, assim que eles entraram, eu nada fofoqueiro, abro uma brecha na porta. Consegui ver claramente quem pegou a ruiva, e também quem era essa tal ruiva. Era Ryan e Evangeline.

— Evangeline, escuta o que eu tenho a dizer. — Butler respirou fundo, chegando mais perto dela, e apontando o dedo em sua cara.

Vish, se fosse comigo, já teria lhe dado um tiro, só por apontar o dedo na minha cara.

Voltando a olhar pela brecha, mas meus olhos estavam tão desfocados que não conseguia ver quase nada. Porém, consegui ouvir:

— Só porque eu te superei, não quer dizer que você possa ficar se esfregando nos meus amigos, para os enganar. — ouvi a risada extremamente debochada dela, bem afrontosa ela. — Você nunca, nunca mesmo, vai ter o que teve quando estávamos juntos. Você é um lixo de pessoa, e um lixo como mulher!

— Exatamente, não temos nada, e eu posso fazer o que eu bem entender, e em nenhum momento vi Justin reclamar de mim. — Evangeline disse, ainda com a voz debochada. — E mesmo que que você não tenha me superado: eu superei. — minha visão voltou ao normal, e a vi chegar mais perto dele. — Não fui um lixo, quando você me fodia, não é, Ryan?

Não ouvi mais nada, mas escutei passos e resolvi me afastar. Vejo a porta se abrir e por elas os sair, Ryan estava mais à frente quando chamei por Evangeline, nisso ele também se aproximou.

— Quer entrar na equipe? — perguntei, a olhando, mas sentia o olhar de Butler em nós.


Notas Finais


GENTEEE!! VOCÊS não tem noção do quão animada estou para essa fic. O que acharam da Evangeline? Estou amando ela. Espero que tenham gostado.
Comentários serão sempre bem-vindos!

Nossa outra história:
https://spiritfanfics.com/historia/only-once-9566890


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...