História Ele só queria atenção - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, V
Tags Death Fic, Jikook, Jimin, Jimin!bottom, Jimin!uke, Jungkook, Taehyung, Vkookmin, Vmin
Exibições 422
Palavras 4.260
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Só de ler o título, os olhos já lacrimejam SHAUHSUH

Então, pessoal, não esqueçam de ler as notas finais. E eu escrevi esse capítulo escutando os 7 solos do BTS de WINGS.

Boa leitura.

Capítulo 15 - As Crianças do TaeTae



Quinze anos depois


O cheiro característico da carne quase pronta atiçou os sentidos do mais velho, que fechou os olhos, jurando que já podia sentir o gosto da carne macia e saborosa de encontro a sua língua. Sorrio e começou a cantarolar enquanto a comida não ficava pronta, estava sozinho em casa, mas não se sentia só. Pois enquanto o seu coração continuasse a bater, jamais estaria completamente só.

Como sabia que a carne ainda demoraria a ficar pronta, caminhou até o quarto, decidido a arrumar a bagunça que ele e o moreno fizeram na noite passada. Arregalou os olhos e sentiu as bochechas esquentarem, o quarto estava uma zona... as roupas de ontem estavam jogados por todo o quarto e até mesmo uma camisa acabou se enroscando no lustre, permitiu-se rir ainda envergonhado. Não importava há quanto tempo estavam juntos, o Park sempre ficava tímido ao ver  o estado que eles deixavam o cômodo onde se amavam fervorosamente.

Começou pegando as roupas e colocando-as no cesto de roupa suja, depois arrumou a cama, mas não sem antes permitir-se sentir o cheiro do moreno que estava impregnado no travesseiro. Sentia-se como um adolescente apaixonado, Park sempre fora ligado nos pequenos detalhes e a idade não havia o mudado. Então seus olhos encontraram o porta-retrato, o objeto que fora seu maior parceiro nos dias que chorava sem parar... nos dias após a morte do ruivo, entretanto agora ao olhar a foto dos três juntos, um sorriso nostálgico contornou os lábios carnudos do mais velho.

Na fotografia era um dia quente de verão, Jimin tinha seu eye smile perfeitamete desenhado em sua face enquanto era espremido como um sanduíche pelos mais novos, Jungkook sorria como um coelho tamanha a felicidade em ter a sua primeira viagem ao exterior com os seus hyungs. Já Taehyung mostrava quase todos os dentes no seu grande sorriso quadrado, sentia-se repleto de amor e agradecido por esse momento maravilhoso.

E enquanto uma das mãos gordinhas do menor seguravam o retrato, a outra pousou em cima do próprio peito, sentindo o coração bater... Jimin mal notara o que estava fazendo, essas pequenas e significativas ações já haviam se tornado um hábito, tanto seu quanto de Jungkook que às vezes dormia com a cabeça encostada no peito do mais velho, só para que pudesse escutar os batimentos do mesmo.

- Minnie? - reconheceu a voz do marido, colocou o retrato no lugar e saiu do quarto.

Atravessou o corredor e parou na entrada da sala, mas não encontrou o mais novo, ergueu a sobrancelha e supôs que o mesmo estivesse na cozinha. Já estava quase entrando na mesma quando sua cintura foi fortemente abraçada e empurrada por uma criança.

- Appa Ji! - a voz infantil fez o menor rir enquanto olhava para os pequenos olhinhos do seu filho. - Appa Ji!

O menino soltou a cintura do pai enquanto pulava pedindo colo, o que não demorou a ser atendido, Jimin o ajeitou com as pernas ao lado de seu corpo e beijou a testa do pequeno, que sorria todo feliz. Park estava tão envolvido com o próprio filho que nem notara a presença do marido, que os observava com um sorriso apaixonado no rosto. Jungkook ainda se perguntava se era possível se apaixonar mais e mais a cada dia.

- Appa Ji, o Appa Ju pintou o cabelo. - a criança batia palmas do mesmo jeitinho fofo que o mais novo fazia.

- É mesmo, meu amor? - o menor realmente estava surpreso e ficou maravilhado ao ver o ex-moreno agora com os fios tingidos de vermelho.

Não era tão vermelho quanto o do mais velho, porém havia deixado o Jeon radiante. Jungkook se aproximou dos dois e deu um beijo na bochecha do filho antes de dar um beijo nos lábios do seu marido.

- Ficou lindo! - Jimin o elogiou. - É uma homenagem para ele, não é?

Viu o mais novo assentir corado, desde que Taehyung se fora, os dois haviam combinado que o aniversário do mesmo tinha de ser tratado como uma época feliz e não um momento de tristeza. Não que eles comprassem um bolo ou cantassem parabéns, porém aproveitavam o dia para se recordarem das melhores lembranças e para passearem pelos locais mais importantes, donos das melhores momentos do casal a três.

- Appa Ji! Dá atenção pra mim também! - o pequeno fez um bico e cruzou os bracinhos a fim de chamar a atenção do seu pai, que rio antes de voltar a observar o filho. - Quero beijinho. - pediu ainda emburrado.

Jungkook segurou a risada, pois sabia que o seu filho poderia fazer greve, Taemin era muito grudado no Park.

- Ah, você quer beijinho? - o menor encheu o pequeno de beijinhos até que o mesmo pedisse ajuda do outro pai.

- Appa Ju! - esticou os bracinhos levemente gordinhos na direção do Jeon, que o pegou do colo do mais velho.

Podia-se dizer que o pequeno Taemin era bipolar, uma hora queria atenção de Jimin, mas do nada pulava para o lado do maior. O menino tinha apenas dez anos, seu cabelo era castanho claro e seus olhos meio caramelos que nem do Park, o casal o havia adotado com dois anos e meio, e rapidamente se tornaram uma amorosa família.

- O que você fez para jantar hoje, Minnie? - Jungkook ainda usava aquele apelido, pois gostava das lembranças que o mesmo trazia. - Está com um cheiro muito bom, hyung.

- Estou fazendo carne com batata na panela. - respondeu se dirigindo até o fogão para verificar o processo.

- Foi o Tae hyung que te ensinou, certo? - o mais novo viu o menor assentir e sorrir, mas não teve tempo de falar algo a mais, pois Taemin estava carente de atenção e mordeu o nariz do pai. - Aish, Taemin!

- Vamos brincar, Appa Ju! - o pequeno mordeu o bochecha do pai, mas ao invés de receber uma bronca, Jungkook o jogou para cima, pegando-o logo em seguida.

E os dois podiam estar rindo agora, porém o mais velho quase teve um ataque ao ver o marido lançar o filho para cima.

- Jeon Jungkook! - aproximou-se com uma colher de madeira em mãos, apontando-a para o mais novo. - Você quer me matar?

- Jamais, hyung. - tanto pai e filho começaram a rir da cara toda emburrado do mais velho. - Não seja assim, Minnie. - deixou a voz sair doce enquanto via marido virar de costas num claro sinal de que estava bravo.

Jungkook sabia o que era necessário para desfazer o bico na cara do menor, por isso pediu ao filho que fosse até o marido, colocou Taemin no chão e encorajou-o a seguir até a frente do pai. O pequeno ergueu o rosto e cutucou de leve a barriga do pai.

- Appa Ji, você tá bravo? - perguntou, mas não obteve resposta nem mesmo um olhar. - Desculpa eu.

Não estava nem havia ficado nervoso com os dois, porém queria ver como eles resolveriam a situação e estava se esforçando para não pegar o filho no colo e enche-lo de beijos.

- Appa Ji. - cutucou mais uma vez e viu o olhar do pai cair em si. - Eu te amo.

E aquilo foi o máximo que o Park podia fingir, agachou-se em frente ao filho, abraçou o pequeno e lhe deu um beijo demorado na testa, fazendo Taemin rir. 

- Vocês são muito sapecas. - deu um tapinha na bundinha do filho que riu mais ainda com a atitude do pai. - Você está rindo de mim, Jeon Taemin?

- Não. - o pequeno tentou esconder o riso com as mãos.

- Ahh, você está! - o mais velho começou a fazer cócegas no filho que tentou escapar dos braços do pai.

- Appa Ju! - gritou por ajuda assim que percebeu que não conseguiria fugir.

Mas o que Jimin não esperava era ter seu corpo puxado para trás, sentiu as mãos geladas e finas do mais novo lhe apertarem a barriga e soltou uma gargalhada, tão logo seu filho decidiu ajudar o pai a "tortura-lo". Mas o momento teve fim quando a campainha ecoou pelo pequeno apartamento, Jimin suspirou aliviado e permitiu-se descansar no chão gelado enquanto Jungkook ía atender a porta.

- Taemin. - chamou o pequeno que estava sentado ao lado da cabeça do pai. - Appa Ji também te ama.

O Jeon mais novo bateu palmas e se jogou em cima do pai, agarrando o pescoço do mesmo, então Jimin se sentou com o filho no colo e juntou os narizes, sorrindo para um dos seus maiores tesouros, que era Taemin. Para o mais velho, o filho era um símbolo do amor dos três, mesmo que o pequeno não tenha conhecido o ruivo. Levantou-se ainda com o filho em seu colo e saiu a procura do marido, que já estava demorando muito, então seu sorriso se tornou um bico enciumado ao ver Jungkook conversando com a vizinha.

Mas Jimin não deixaria aquela mulher oferecida tirar proveito do seu marido, colocou-se ao lado do mesmo, que olhou para os amados com um pequeno sorriso. No fundo o mais velho sabia que Jeon jamais o trairia ainda mais com a moça casada, isso mesmo, a mulherzinha tinha um marido e ficava querendo roubar o seu, não que ele a culpasse... afinal quem resiste à Jeon Jungkook, não é mesmo?

- Appa Ju, quem é essa mulher? - o filho virou a cabeça para observar a vizinha, e fez uma cara bem feia ao ver que a mesma tinha uma das mãos no braço do seu pai. - Tira! - o pequeno se esticou dando um tapinha na mão da mulher que se afastou no susto. - Appa Ju é nosso! - e finalizou mostrando a língua para a intrusa.

No mesmo instante a mulher inventou uma desculpa e se despediu, e assim que a porta foi fechada, Jungkook virou-se para os seus amados e quis rir ao ver a cara enciumada de ambos. Taemin virou a cara como quem "não quer mais papo" enquanto Jimin parecia uma criança emburrada, não se aguentou e riu dos dois, contudo isso só os deixou mais bravos.

- Não sejam assim, meus amores. - aproximou-se deles fazendo a cara mais safada possível. - Vocês sabem que eu amo vocês.

Não demorou para que Jimin caísse no truque do mais novo e deixasse um sorriso escapar, levando logo em seguida uma bronca do filho.

- Não é assim, Appa Ji! - colocou as mãos nas bochechas do pai, amassando-as. - Faz bico!

O casal não se aguentou de rir devido a atitude infantil do pequeno, então Jeon abraçou os dois, amassando o filho que se esforçava em manter a cara emburrado, mas logo parou assim que seu pai lhe chamou para brincar.

- Vamos brincar do que, Appa Ju? - perguntou ao ser colocado sentado no sofá. - Appa Ji vai brincar com a gente?

- Eu vou terminar o jantar, meu amor. - Jimin bagunçou o cabelo do filho para depois depositar um beijo na cabeça do mesmo. - Mas podemos ver um filme juntinhos depois, o que acha?

- Você promete? - o pequeno balançava as perninhas de um modo gracioso.

- Prometo, meu amor. - sorriu ao se levantar e dar de cara com o marido. - Não aprontem muito, hein? - pediu.

- Pode deixar, Minnie. - puxou o menor pela cintura e lhe deu um beijo bem gostoso, antes de serem interrompidos por um Taemin enciumado. - Que tal brincarmos de lego?

O pequeno logo esqueceu-se do motivo de estar bravo e bateu palmas, Jungkook sentou-se no chão e colocou o filho a sua frente enquanto abriam uma das muitas caixas de lego que Taemin possuía. O menor permitiu-se observa-los pela porta da cozinha, sorrindo ao ver como Jungkook se tornara um ótimo pai... e ele tinha tanto medo de dar errado, pensou.

#

Quando Taemin finalmente adormeceu, seus pais o levaram até o quarto e lhe observaram dormir por alguns minutos, hipnotizados com o pequeno ser que havia lhes dado os melhores dias de suas vidas. E enquanto Jimin pensava no quanto o seu "bebê" havia crescido, Jungkook se perguntava se não seria possível que Taemin mantivesse a mesma idade para sempre.

- Vamos dormir, Minnie? - beijou a bochecha do marido antes de retirar-se do quarto.

O mais velho respondeu um baixo "aham", mas antes de sair do quarto, aproximou-se do filho e beijou-lhe a testa enquanto desejava bons sonhos ao pequeno. Depois ligou o abajur para que o filho não acordasse e se visse num quarto escuro, encostou a porta e caminho até onde o mais novo deveria estar.

- O que acha de tomarmos um banho juntos hoje, Minnie? - viu o marido se aproximar de si, vestindo apenas uma cueca azul escura e com um sorriso malicioso em seu rosto.

- Eu acho uma ótima ideia, Jungkook-ah. - murmurou com um sorriso e tão logo sentiu os lábios finos do marido lhe beijarem.

Jimin arfou ao sentir a mão fria do agora também ruivo apertar a sua cintura, despiu-se com pressa enquanto o mais novo os guiava de costas até o banheiro, às vezes esbarravam em alguns moveis ou até em sapatos jogados de qualquer jeito pelo chão, fazendo que ambos dessem risada, mas logo voltassem a se beijar.

- Pra que tanta pressa, Jungkook-ah? - o mais velho estava se divertindo ao ver a agilidade do maior em lhe tirar as roupas.

- Não é pressa, hyung. - o mais novo mordeu o lábio inferior do outro. - É desejo! - apertou a bunda agora nua do marido enquanto os puxava para dentro do box, ligando o chuveiro logo em seguida.

Jungkook podia até estar ansioso em estar dentro do mais velho, porém nunca se esquecia de como as preliminares eram importantes, além de que amava ouvir o menor gemer pedindo para que o mais novo o tomasse logo. Sentiu os dentes do mais velho lhe morderem o ombro e arfou em resposta, Jimin sorriu maliciosamente antes de descer uma trilha de beijos pelo peito, abdômen e finalmente chegando ao membro semi ereto do marido. 

O olhar intenso do mais novo possuía um brilho de luxúria, Park umedeceu os lábios sem quebrar o contato visual com o maior e o pôs na boca, vendo o mesmo abrir a boca deixando um gemido abafado escapar. Abocanhou-o por inteiro e fechou os olhos ao sentir os fios de cabelo serem puxados, tão logo Jungkook se entregou aos seus desejos carnais e movimentou-se, fodendo devagar a boca do menor. E por mais que a água tentasse refrescar o seu corpo, Jeon se sentia prestes a entrar em combustão, e foi por isso que puxou o mais velho para cima, amassando os lábios do mesmo num beijo desesperado.

- Eu quero estar dentro de você, hyung. - gemeu arrastado enquanrto beijava o pescoço do seu amado.

- Então o que está esperando? - o menor provocou e jogou a cabeça para o lado, deixando o pescoço totalmente exposto.

O mais novo levou aquilo como um desafio e sorriu antes de marcar a pele clara e lisa do menor, ouvindo-o arfar em deleito totalmente tomado pelo prazer. Voltou a apalpar a bunda farta do mais velho e com cautela adentrou dois dedos no menor que o beijou em resposta, pois assim como o Jeon, o Park sentia que seu corpo estava queimando e queria descontar a sua frustação em alguém. O beijo estava um pouco mais rude do era acostumado, mas naquele momento pouco se importava com isso, já rebolava de encontro aos dedos longos do mais novo que também aproveitou para masturbar o marido com a mão livre. Então o mais velho soltou a boca do maior apenas para poder jogar a cabeça para trás e gemer, extasiado com tantos toques. 

- P-Por favor. - pediu com os olhos fechados e os dedos cravados nos ombros do marido.

- Por favor o que, Jiminnie hyung? - deixou que a voz sensual atingisse o seu amado em cheio, apenas esperando pelo tão esperado pedido. - O que você quer, Minnie?

- Eu q-quero você, Jungk-kook-ah! - disse rápido com um leve toque de vergonha.

- Eu vou dar o que você quer, hyung. - deu uma risadinha antes de virar bruscamente o menor e puxar a cintura do mesmo, fazendo-o ficar empinado.

Deu um fraco tapa na bunda do mesmo, deixando uma leve marca avermelhada, viu as costas do amado se arquearem e posicionou a glande na pequena entrada, provocando-o.

- Vá logo com isso, Jung... - gritou ao ser profundamente preenchido.

A água que parecia fria em contato com a sua pele quente escorria por suas costas enquanto seu corpo era arrematado para frente e para trás. E lá estava o Jimin que o mais novo amava trazer a tona, o Park que gemia pedindo por mais e falava coisas desconexas, palavras que o mais velho nunca diria em público. E assim como fora pedido, Jungkook deu o que o seu hyung queria, estocando-o rapidamente e um pouco mais forte, acertando vez ou outra a próstata alheia. 

- J-Jungkook-ah. - sabia que o mais velho estava perto do ápice, então com uma das mãos apertou uma das nádegas do marido enquanto a outra alcançava o membro antes esquecido do menor. - Jeon Jungkook! - gritou ao se desfazer na mão do maior.

Os espamos pós orgasmo fizeram o Park ter de se apoiar com mais firmeza na parede, porque se não cairia. Ouviu o gemido abafado do mais novo e abriu os olhos, virando um pouco a cabeça para ver o estado que se encontrava o marido, Jungkook tinha agora ambas as mãos segurando firmemente a cintura do Park e sua boca estava entreaberta deixando os sons sexuais saírem sem dó. Arfou com a cena enquanto gemia baixinho por estar muito sensível devido ao recém orgasmo. Então um dos olhos do mais novo se abrirem e um sorriso sacana surgiu em seus lábios, Jungkook amava a sensação de ser comprimido pelas paredes internas do mais velho.

- Jungkook-ah. - a voz rouca do menor fez o mais novo se arrepiar, e segundos depois gozar dentro do marido, que sorria vitorioso.

Park Jimin podia ser um anjo, mas sabia ser um puta provocador quando queria, esse pensamento fez o maior rir enquanto sentia o corpo exausto. Bem devagar saiu de dentro do amado e o ouviu gemer manhoso, acariciou as coxas fartas do outro antes de vira-lo para si.

- Agora deixe-me cuidar de você. - brincou e ganhou um sorriso meigo em troca.

Claro que o casal não demorou muito no banho, afinal ambos estavam bem cansados, porém Jungkook não permitiria faltar um momento de carinho para o seu amado. E só depois de esfregar cada pedacinho do Park e beijar todo o rosto do mesmo, foi que Jeon se deu por satisfeito e permitiu que o mesmo saísse para se secar enquanto o mais novo terminava de se lavar. Ao terminar, o mais novo desligou o chuveiro e viu o marido colocar uma cueca e uma de suas blusas para dormir, tinha de admitir que ele ficava adorável com as roupas do maior que ficavam grandes para si. Trocou-se rapidamente colocando apenas uma cueca antes de abraçar o mais velho por trás e lhe beijar o pescoço, Jimin fechou os olhos e deixou que o marido os levasse até a cama... Park amava quando o mais novo era demasiado carinhoso.

Deitaram-se na cama um de frente para o outro, os olhos do Jimin mal conseguiam ficar abertos e isso fez com que o mais novo sorrisse diante o cansaço do seu marido, puxou-o para mais perto de si e sentiu o mesmo se acomodar em seu peito, aprontando-se para dormir.

- Você lembra do dia em que adotamos o Taemin? - a voz do mais velho se fez presente no silêncio. - Ele parecia tão assustado. - ergueu o rosto fitando o marido.

- Parecia mesmo. - assentiu ao se lembrar de como o pequeno garotinho demorou a falar com o casal. 

- Me dói pensar no que ele passou nos anos que ficou abandonado na rua. - murmurou.

- Não se preocupe, Minnie. - acariciou a bochecha gordinha do marido e ofereceu um sorriso reconfortante. - Taemin nunca mais irá sofrer na vida nem nada lhe faltará.

- Tem razão. - o menor deu um breve selinho do mais novo antes de voltar a se acomodar no peito do marido.

- Minnie. - chamou-o e sem reclamar, o mais velho o fitou curioso. - Ás vezes eu fico pensando se o Tae hyung me acharia um bom pai.

Naquele momento, Jungkook estava expondo as suas inseguranças para a pessoa que mais amava e mais confiava, ciente de que o mesmo teria a resposta ou a cura para as suas aflições.

- Você sabe que sim. - deu mais um beijo rápido no maior antes de continuar. - Tenho certeza que ele se orgulha de você, Jungkook-ah.

- De nós. - corrigiu com os olhos marejados. - Eu te amo tanto, Minnie. - abraçou o menor para depois beijar-lhe a testa. - Você e o Taemin são tudo pra mim. - confessou ao deixar algumas lágrimas de felicidade lhe escaparem.

- E vocês dois são os meus tesouros. - Park afirmou enquanto limpava as lágrimas que haviam escorrido pela bochecha alheia. - Os meus mais preciosos tesouros que eu guardo num lugar especial... aqui dentro. - apontou para o próprio coração. - Junto do TaeTae.

O beijo que se seguiu foi repleto de carinho e amor, e apenas teve fim pois a porta do quarto foi bruscamente aberta, dando a visão de um Taemin assustado... não demorou para que o mesmo se jogasse na cama e se encaixasse no meio dos pais.

- O que foi, meu amor? - Jungkook perguntou ao cobrir os três.

Mas o pequeno não conseguiu responder já que o som do trovão cortando o céu o assustou, fazendo o mesmo se encolher entre os pais. O casal não havia reparado que começara a chover se não já teriam buscado o filho que morria de medo de fortes chuvas.

- P-Posso dormir com vocês? - perguntou baixinho.

- Claro que pode, meu amor. - Jimin respondeu, fazendo carinho nas madeixas levemente claras do filho.

- O Appa Ju vai proteger você e o Appa Ji. - o mais novo comentou para acalmar o filho.

- Tá bom. - Taemin grudou no peito do Park e recebeu um beijo na testa.

O casal trocou um olhar repleto de amor para depois observarem a pequena e amável criança que era o filho deles, sempre souberam que seria um desafio criar o pequeno, porém nunca quiseram desistir, pois cada avanço era uma felicidade só, Jimin até podia jurar que sentia o coração esquentar de amor. Ahh, eles ainda se lembravam perfeitamente de quando Taemin disse o primeiro "eu amo vocês, Appa Ji e Appa Ju", aquele com certeza foi o dia mais maravilhoso na vida daquela família. E mesmo que Taemin não entendesse ao certo o que ocorrerá até os seus três anos, sabia que agora tinha um lar e pais que o amavam, por isso todas as noitas agradecia ao seu anjinho da guarda... um certo anjo ruivo com um sorriso único e muito bonito, e um nome muito parecido com o seu. Mas apenas o Jeon mais novo podia vê-lo.

- Appa Ju. Appa Ji. - o pequeno esperou que os pais lhe fitassem. - Podemos ter uma irmãzinha?

O casal se surpreendeu com a pergunta do pequeno, já que o mesmo era bem ciumento.

- Uma irmãzinha? - o Jeon mais velho não conteve o sorriso com a possibilidade de terem uma filha.

- Isso. - o filho assentiu meio animado, esquecendo-se completamente da chuva que castigava lá fora.

- Podemos sim, meu amor. - o menor fez um afago na bochecha do filho. - Agora durma, pequeno Jeon.

Não sabia o motivo, mas Taemin amava quando seu Appa Ji o chamava de "pequeno Jeon", fechou os olhos deixando que o sono tivesse efeito. Acomodou-se nos braços do Park e bocejou para logo depois sorrir... Taemin de algum modo estava feliz por poder dividir a atenção e o amor dos pais com alguma outra criança. Afinal fora o seu anjinho ruivo que lhe contara que o Appa Ji sempre quis uma menina e que o Appa Ju queria mais um filho, além de ter dito ao pequeno Jeon algumas vantagens em se ter uma irmã mais nova.

- Amo vocês, Appa Ji e Appa Ju. - murmurou antes de dormir, fazendo o casal sorrir.

- Nós também te amamos, meu amor. - o maior deu um beijo nos seus dois amores e viu como o mais velho parecia cansado, decidiu então lhe fazer um afago para que o mesmo logo dormisse.

Velou pelo sono dos seus amados por algum tempo, para enfim permitir-se dormir com um sorriso contido em seus lábios sabendo que daqui a pouco a família teria mais um integrante. Mas o que o casal não sabia era que Kim Taehyung sempre os estaria protegendo... seja das estrelas ou de dentro do coração do Park ou como o anjo ruivo que sorria, feliz em apenas poder observar a linda família que eles haviam formado.

- TaeTae sempre estará com vocês, minhas crianças.


Notas Finais


Bom, eu acho que o filho deles charmarem Taemin nem era muita surpresa, já que foi o próprio Tae que sugeriu o nome.
Agora sobre o capítulo final, eu queria algo bem fofo e ao mesmo tempo tocante em certos pontos, porque a vida deles tinha de seguir, mas eu queria mostrar como eles decidiram seguir, afinal cada pessoa tem o seu modo.

Bom, eu vou fazer alguns EXTRAS ainda, mas eles podem demorar xD

Uma oneshot JiKook bem fluffy: https://spiritfanfics.com/historia/minha-salvacao-ou-minha-perdicao-6740157

Uma ABO JiKook com um toque de mistério: https://spiritfanfics.com/historia/make-me-yours-6765332

E novidade no canal, acabou de sair paródia de Blood Sweat & Tears, deem uma conferida >.<
https://youtu.be/l5CQ2FPJfIM

Obrigada pelo carinho e por acompanharem a fic até o final, Tia Moy ama vocês <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...