História Make me yours - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens Jackson, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Mark, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Alfa, Jikook, Jimin!ômega, Jungkook!alfa, Ômega
Exibições 2.971
Palavras 3.603
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Genteee, voltei, mas agora com uma fic do universo abo. Bom, se você não conhece, sugiro que dê uma pesquisada, eu acho um universo magavilhoso (PS: eu amo lobos hehe).

Aliás deixa eu agradecer a essa capa maravilhosa que a @tchimin fez pra mim, e nas notas finais vou deixar um link da fic delicinha abo jikook dela!

Ah, pessoal, pra quem não me conhece pode chamar de Tia Moy, Tia Moya, Moy, Moyashii, Unnie, o que quiser :3

E essa fic provavelmente não será muuuuito grande, mas eu prometo escreve-la com muito amor e dedicação o/

Boa leitura.

Capítulo 1 - Vamos, pequeno, venha comigo


Fanfic / Fanfiction Make me yours - Capítulo 1 - Vamos, pequeno, venha comigo


Jungkook

Um mês. Já fazia um mês que o meu ômega estava nas mãos daqueles felinos nojentos, e eu não iria ficar nem mais um dia parado nesse castelo apenas esperando que outras pessoas o trouxessem de volta.

- Mas Vossa Alteza, o senhor não deve sair do castelo enquanto estamos em guerra! - uma das nossas empregadas se coloca a minha frente, tentando me parar.

- Vai mesmo confrontar o príncipe de Lua Cheia? - rosno e ela se encolhe, logo em seguida me dando passagem.

Caminho a passos rápidos até o estábulo antes que um certo comandante entre em meu caminho. Paro em frente à baia do meu cavalo preferido, o mais ágil e o mais resistente como também o mais selvagem. Talvez fosse por isso que nunca acreditei que fosse amar um ômega carinhoso, delicado e submisso.


- Feliz dezoito anos, querido! - minha omma diz sorrindo enquanto empurra um garoto para dentro do meu quarto. - Aí está o seu presente!

- E quem seria esse? - pergunto enquanto avalio o garoto.

Ele era um pouco menor do que eu e tinha cabelo preto, mas não conseguia ver os seus olhos que estavam encarando o chão. Quanto ao seu físico, não era gordo nem magro ou seja exatamente do jeito que me agrada, e parecia ter coxas grossas, só precisava que ele tirasse essa calça de moletom para tirar a dúvida.

- Seu nome é Park Jimin, ele é um ômega bem obediente e educado. - ela lhe faz um afago na cabeça. - Eu mesma que o escolhi.

Era a primeira vez que a omma me dava algo assim de presente, e sinceramente, acho que vou gostar desse meu novo brinquedinho. Uso um pouco do meu olfato de alfa e sorrio ao sentir o seu cheiro, que era uma mistura de caramelo com chocolate, doce de fato.

- Então ele é meu? - umedeço os lábios.

- Sim, pode pensar nele como um servo particular, querido. - ela segura firme em seu cabelo e força a cabeça dele para o lado, deixando seu pescoço à mostra.

Todo o meu corpo esquenta ao sentir o meu lobo despertar, cutuco com a língua os caninos que surgem e omma dá uma risadinha, mas sempre colocando a mão em frente à boca, para ela seria deseleganto não o fazer.

- Só vou te pedir para esperar pelo menos um tempo antes de marcá-lo. - afirma agora séria. - Pois se você não gostar dele, podemos trocá-lo.

Ok, às vezes a omma se mostrava muito fria, porém quem eu seria para julgá-la se eu estava adorando a ideia de ter um ômega totalmente meu e submisso a mim, mas sem termos nada sério, ou seja eu o teria quando quisesse e ainda poderia ter outros.

- Obrigado, omma. - dou um pequeno sorriso e ela logo entende que quero conhecer melhor o garoto.

- Diviiirta-seee. - ela cantarola e sai do quarto fechando a porta atrás de si.

- Pois bem, Park Jimin, você não acha desrespeitoso não olhar o seu dono nos olhos? - pergunto e em segundos ele ergue o rosto.

Oh, olhos de coloração caramelo, muito interessante. Permaneço em silêncio apenas mantendo os nossos olhares fixos, e dou me por satisfeito quando sinto-o menos assustado, era fácil saber isso... sendo um alfa e tendo um ótimo olfato, saber os sentimentos dos ômegas era simples.

- Quantos anos? - indago.

- Vinte, senhor. - sua resposta vem mais firme do que eu esperava.

O garoto era dois anos mais velho do que eu, não parecia nem um pouco, ele tinha uma face tão angelical, tão pura... que eu logo iria corromper.

- Não me chame de senhor. - aproximo-me e toco em sua bochecha que era levemente cheia. - Quero que me chame de amo Jeon.

- Como desejar, sen... amo Jeon. - suas bochechas coram levemente com o pequeno deslize.

Ahh, este garoto vai me levar a loucura se continuar sendo tão certinho. O que devemos fazer, Jungkook? Meu lobo começa a ficar inquieto então eu sorrio, dessa vez mostrando os meus caninos e o garoto parece surpreso.

- Me diga, Jiminnie, o que lhe ensinaram sobre servir um alfa? - sussurro em seu ouvido e ele estremece.  

- Nunca falar sem ter permissão, obedecer apenas e somente ao meu dono, aceitar punições sem reclamar e agradar exclusivamente ao alfa. - diz cada uma delas devagar e sem guaguejar.

- Muito bom. - rosno em seu ouvido e ele estremece mais uma vez. - Você é sensível, Jiminnie. - deixo a voz um pouco mole, pois ômegas adoram isso. - Até onde você é obediente, hein?

Como esperado, sua boca se mantém fechada... Amaterasu* do céu, este garoto é realmente muito interessante, mas eu quero levá-lo ao limite. Afinal eu sou o filho do rei da província Lua Cheia, conhecido também como o alfa que consegue fazer qualquer ômega, seja homem ou mulher, ultrapassar as barreiras.

- Tire a roupa. - mando e me afasto para captar a sua reação.

Primeiro, ele parece meio indeciso sobre a minha ordem, depois que percebe que realmente quero aquilo, começa a corar, mas retira a blusa de frio por cima da cabeça, revelando um abdômen definido e braços levemente fortes... já quero mordê-lo.

Sua calça é jogado para o lado e meu lobo fica ainda mais agitado, umedeço os lábios mais uma vez ao ver como suas coxas eram, como eu pensava, grossas e deliciosamente atrativas. Subo o olhar vendo a vergonha e o medo gravados em seus olhos.

- Se eu pedir que tire tudo, que fica nu pra mim, você o faria? - jogo o desafio e me aproximo novamente.

- S-Se assim o sen... amo Jeon desejar. - posso ouvir seu coração martelando contra o peito.

Deveria mandá-lo tirar tudo, mas eu sabia que eu o marcaria hoje mesmo e a omma me pediu calma. Suspiro em seu pescoço antes de roçar os caninos no mesmo, Jimin arfa deixando-me ainda mais sedento por ele.

- Hoje não... ainda não. - murmuro com a boca em sua bochecha. - Mas você vai dormir assim daqui em diante, entendeu?

- Sim, amo Jeon. - seu cheiro fica ainda mais forte, sinal de que está excitado.

Percebo que está a morder o lábio inferior, rapidamente puxo seu lábio com o polegar e mordo-o forte. Ele geme e minhas mãos se cravam em sua cintura antes de puxá-lo de encontro ao meu corpo.

- Só eu posso morder esses lábios de agora em diante, Jiminnie. - rosno. - Entendeu? 

- S-Sim, amo Jeon. - solto o seu lábio e deixo umas das minhas mãos se aventurar pela sua parte traseira.

Solto uma risadinha ao constatar o quão grande e gostosa era a sua bunda, ele novamente cora, mas se mantém ao meu domínio.



- O que pensa que está fazendo? - seu tom rude me faz querer arrancar a sua cabeça, mas me controlo.

- Estou indo buscar o meu ômega. - afirmo encarando-o.

Seus olhos frios como o gelo me encaram de volta, mas não me abalo, afinal eu e Yoongi nos conhecemos desde pequeno. Ele bufa e passa a mão pelo cabelo platinado, depois solta os braços ao lado do corpo e eu já sabia o que ele iria dizer.

- Não preciso da sua ajuda. - resmungo e seguro a rédea, puxando o cavalo para fora do estábulo.

- E você acha que vou deixar o futuro rei de Lua Cheia ir sozinho numa missão suicida? - continuo andando sem lhe dar ouvidos. - Além de que como você pretende enfrentar o inimigo junto do seu querido, porém inútil ômega? - paro para encará-lo e ele cruza os braços sabendo que havia ganhado a discussão.

- Não fale assim dele. - rosno. - E vá logo com isso!

Yoongi dá a sua usual risada seca e começa a encilhar um cavalo preto, aproveito para montar e em menos de um minuto, o comandante está ao meu lado, montado e pronto para uma pequena batalha.

- Espero que saiba a merda que está fazendo, Vossa Alteza. - posso notar o tom sarcástico em sua voz.

- Apenas não me atrapalhe. - começo a trotar em direção às terras inimigas. - E não morra.

- Digo o mesmo. - seu tom é como uma ordem silenciosa.

#

Já estávamos na metade do caminho quando ouço um barulho de cascos se movendo rapidamente, para ser mais específico, havia um cavalo se aproximando em um forte galope. Provavelmente deveríamos nos preocupar já que havíamos acabado de entrar em território inimigo, contudo o característico cheiro de maracujá de um dos membros da minha família nos fez suspirar.

- Aigo! Como vocês podem ir numa aventura sem mim?! - Taehyung faz uma careta. - Sério, na hora que o Hobi me contou que vocês tinham saído para ir atrás do ChimChim...

- Quem diabos é Hobi? - ergo uma sobrancelha, cortando-o. - E não chame o MEU ômega de ChimChim.

- Aish, que primo chato eu fui arrumar. - resmunga ao cruzar os braços, mas logo volta a segurar as rédeas assim que seu cavalo relincha.

- Podemos continuar ou as donzelas querem conversar sobre mais alguma coisa? - Yoongi continua com sua cara de peixe-morto.

- Vamos logo. - reviro os olhos e voltamos a trotar.

E o caminho poderia ter sido ótimo se um certo primo não tivesse começado a emitir sons desagradáveis.

- Ai ai ai ai ai ai.

- Pelo amor de Amaterasu! - Yoongi paro o cavalo com tudo e o mesmo quase empina. - Você pode parar de gemer, Taehyung?

- Mas esse trote dói. - meu primo faz um bico.

- Também, você pega logo o pior cavalo para isso! - o platinado revira os olhos. 

- Não seja mau comigo, Yoongi hyung! - ele faz um bico ainda maior.

- Eu voto para deixa-lo para trás. - afirmo com o rosto neutro.

- Acho melhor você voltar, garoto. - o comandante suspira cansado. - Você não vai conseguir nos acompanhar e seus "barulhos" podem chamar atenção indesejada.

- Eu consigo acompanhar em silêncio. - quando Taehyung colocava algo na cabeça era difícil tirar, então apenas aceitamos em silêncio, deixando-o todo sorridente. - Estou com saudades do cheiro do meu ChimChim.

- Ele não é seu nem ChimChim. - rosno.

Meu primo ri jogando os fios ruivos para trás ao colocar a mão na testa, eu realmente odiava o fato dessa criatura ser mais velha do que eu, pois ele se achava no direito de ter intimidade com o meu ômega.


Acordo com algum infeliz batendo na porta do meu quarto, abro os olhos e vejo Jimin sentado na cama encarando a porta, mas ele não parecia ter acabado de acordar. Rosno assim que escuto a voz do maldito que está a me encher.

- Acorde, Jungkookie! - a voz grossa e irritante de Taehyung parece estar socando o meu cérebro. - Venha cumprimentar o seu primo que acabou de chegar!

- Enfia o meu cumprimento no cu, Taehyung! - grito e Jimin me fita assustado. - Aish, entre logo, infeliz!

- Ohhhh, eu também te amo, priminho! - Tae entra e se prepara para se jogar na cama, mas para assim que vê o meu ômega. - Que belo ômega.

Sendo um alfa também, Taehyung o olhou com desejo, algo que meu lobo não gostou nem um pouco... para ser sincero, ele odiou.

- Que cheiro gostoso. - Tae apoia as mãos na cama e se estica até o ômega que permanece parado. - Quero te provar.

- Taehyung! - rosno e ele se afasta. - Ele é meu!

- Você com ciúmes de um ômega? - Tae sorri, aquele sorriso único. - Eu vivi para ver esse dia.

- Idiota. - resmungo. - Agora vá embora, deixe-nos!

- Waahhh! - ele começa a choramingar. - Mas achei que você fosse dividí-lo comigo ou que fosse passar um tempo com o seu priminho!

- Que parte do "ele é meu" você não entendeu? - reviro os olhos e me levanto.

- A parte do "meu". - ele ri. - Sério, nem uma vez? Uma única?

- Não! - meus caninos voltam a aparecer e o Tae se afasta. 

- Já entendi. - ergue as mãos num sinal de que desistiu. - Mas vamos caçar hoje, não é? 

- Sim, depois que eu tomar café. - aviso-o e depois o empurro para fora. - Agora quero paz!

- Paz, aham sei! - ele resmunga com a porta já fechada. - Boa sorte, ômega do cheiro gostoso.

- Eu juro que se você continuar aí, eu arranco a sua cabeça, Kim Taehyung! - abro a porta e vejo-o correndo como um pato desengonçado.



Admito que o ruivo sabia como me irritar, mas ele era uma das poucas pessoas em que eu confiaria a minha vida. 

#

Entrar na fortaleza inimiga foi suspeitamente fácil, mas eu logo esqueci qualquer suspeitas ao ouvir os gritos de dor vindos do subsolo. Não pensei duas vezes antes de correr atrás dos sons horríveis de alguém sendo torturado, e enquanto descia as escadas, só conseguia rezar para que ele estivesse vivo.

Havia apenas dois guardas antes das portas que davam até os gritos, ambos sibilam como gatos raivosos, rosno em resposta e eles se encolhem dando-me espaço para passar antes que consigam se recompor. Entro num corredor largo e cheio de celas, deixando os dois guardas se entenderem com o Yoongi.

Outro grito, agora muito mais próxima faz os meus caninos surgirem e meu lobo acordar nervoso. Continuo correndo até que finalmente eu o sinto, seu cheiro tão doce enche as minhas narinas depois de semanas sem senti-lo, e um sorriso teria cobrido o meu rosto se os gemidos de dor não fossem dele... do meu ômega.

Chuta a porta com força, fazendo-a cair num estrondo. Três malditos felinos estavam naquela sala, um deles tinha suas mãos imundas dentro da boca do Jimin, com os dedos em volta de seus caninos. O outro estava com dois fios em mãos que ligavam a um aparelho que provavelmente dava choque, e o terceiro fazia anotações em uma prancheta.

Os três arregalaram os olhos e engoliram em seco, provavelmente já sabendo que a morte estava próxima. Não vou dizer que foi bonito, muito menos que me senti bem ou mal, eu estava apenas aliviado por tê-lo de volta. Jimin estava inconsciente e respirava fraco, porém estava em meus braços e nada mais o tiraria de mim.

- Você nunca mais vai sair do meu lado, pequeno. - jogo com cuidado a sua franja para trás.

Seu rosto estava cheio de arranhões feitos por garras finas, e eu quase desejo que os felinos voltem a vida só para que eu possa torturá-los um pouco mais. Respiro fundo notando como seu cabelo preto está grande, mas sem brilho algum, tão maltratado quanto o dono.

- O que fizeram com você, ChimChim? - Taehyung diz desesperado, ajoelhando-se ao meu lado.

Em uma situação normal, teria lhe chamado a atenção mais uma vez, porém toda a minha atenção estava ao pequeno corpo em meus braços. Meu peito dói ao ver como emagreceu, sua clavícula saltada pela falta de massa e suas bochechas rasas deixando-o com um semblante triste.

- Fizeram um belo estrago. - Yoongi resmunga e logo pede um pequeno "foi mal" ao ver o meu olhar mortal para o mesmo. 

- Nós vamos cuidar de você, pequeno. - digo ao me permitir olhar os machucados por completo.

Marcas de garras e roxos por todo o seu corpo, e apenas uma peça inferior lhe cobria, também notei mais sinais de que passara fome. Estou para me descontrolar e matar o reino inteiro quando seu corpo começa a tremer, Jimin choraminga e de repente seus olhos se abrem.

Sua respiração se acelera quando os seus olhos se encontram com os meus, e então ele se afasta, rolando para longe de todos nós. Olho para os outros lobos que estão tão chocados quanto eu, o ômega se encolhe em um dos cantos da sala e chora baixinho, tampando o rosto com as mãos.

Levanto devagar, fazendo sinal para que os dois permaneçam quietos e parados, agacho-me em frente ao menor que volta a tremer.

- P-Por favor... não machuca mais o J-Jimin. - não era a primeira vez que o menor dizia aquilo.


- Esse seu ômega duas caras! - Minji grita já ficando vermelha de raiva. - Eu estava bebendo o meu suco, aí ele pegou o copo da minha mão e jogou no chão!

Meus olhos observam a cena, realmente havia um copo quebrado bem perto do Jimin e o corte em sua coxa deveria ser de algum caco que voou. Repreendo-o com um olhar ele se encolhe.

- E por que ele faria isso? - Tae pergunta com um rosnado. 

- Pode perguntar para a Tia Sohyun. - Minji diz por fim e se retira do local.

- Omma? - encaro-a.

- Não vou negar... seu ômega teve um comportamento inesperado. - afirma séria. -  Talvez ele não seja tão obediente assim.

- Jimin. - rosno e vou até ele. - Por que fez isso?

- Eu juro que não fiz nada. - seus olhos se enchem de lágrimas.

- Pare de mentir! - grito e ele começa a chorar. - Não pense que chorar vai te salvar dessa.

- Você sabe que precisa castigá-lo, querido. - omma coloca a mão no meu ombro antes de se retirar.

- Jungkook, você sabe que ele não é assim. - Tae vem ao socorro do ômega.

- Cale a boca, Taehyung, que do meu ômega cuido eu! - rosno e meus caninos surgem.

- Vai se arrepender disso. - suspira cansado e também sai da cozinha.

- Jimin jura que não fez nada. - continua chorando. - Por favor não machuca o Jimin.

Suas pequenas mãos tentam me alcançar, mas eu dou um tapa nas mesmas e ele arrelaga os olhos assustado. Faço-o levantar e o puxo até a área de fora do castelo indo em direção a área de treinamento, tiro a camisa do mesmo que treme de medo

- Jimin...

- Virou retardado pra falar em terceira pessoa?! - grito e ele se encolhe. - Vire-se. - viro-o de costas e o amarro no poste. - Agora você vai contar até dez... cinco por malcriação e cinco por mentir, entendeu?

Antes que ele responda já lhe desfiro o primeiro golpe da chibata, o ômega grita e depois diz "um" num choramingo.

- Mais alto! - dou a segunda.

- Dois! - ele grita.

- Melhor assim. - rosno e continuo com a punição.

- Três! Quatro! Cinco! - ele mal respira enquanto conta.

Não era a primeira vez que punia alguém, mas era a primeira que me sentia extremamente incomodado. Ver as suas costas marcada e vermelha do sangue não deveria me fazer querer parar, parte de mim queria acreditar que ele jamais seria malcriado, mas ele havia feito algo muito errado além de mentir.

- Seis! Sete! Oito!

Como ele pôde mentir? Trair a confiança que depositei nele! Rosno sentindo o lobo furioso.

- Nove! Dez! Onze!

E aquele idiota do Taehyung ainda o defendeu! Quem eles acham que são? E como ele pode pensar que estou gostando de um ômega desse?

- Doze! Treze! Quatorze!

- Eu jamais teria algo com você! - grito descontando toda a minha raiva de uma vez.

- Quinze! Dezesseis! Dezessete! Dezoito! Dezenove! V-Vinte! - sua voz sai fraca e o choro permanece constante. - Por favor... não machuca mais o Jimin.

Então eu solto o chicote e percebo que o puni muito mais do que o necessário, suas perninhas gordinhas tremem do esforço em se manter esticado assim como os seus braços. O sangue escorre de suas costas sujando a sua calça e eu sei que ele precisa de mim, mas não consigo me mexer... não consigo ajudá-lo... apenas saio sem olhar para trás.



- Ninguém aqui vai te machucar, pequeno. - tento me acalmar para passar confiança ao ômega. - Olhe para mim.

Ele tira as mãos do rosto e posso ver o medo gravado em seus olhos, ofereço-lhe um pequeno sorriso ao estender-lhe a mão, seu olhar alterna entre mim, minha mão e os dois atrás de mim. 

- Temos que ir embora, Jungkook. - Yoongi me apressa, cheirando o ar. - Logo, logo vão desconfiar.

- Eu sei. - respondo. - Vamos, pequeno, venha comigo.

Ele nega quase atravessando a parede de tão assustado, e o seu medo só piorou quando tanto Yoongi quanto Taehyung se aproximaram. Eu podia jurar que ele estava a ponto de ter um ataque de pânico.

- Você quer ficar aqui com esses felinos, garoto? - Yoongi estava sendo rude demais.

- Não está ajudando. - prendo o rosnado que quer sair.

- Ei, ChimChim, você está com fome? - Tae usa seu melhor sorriso. 

O ômega assente timidamente, mas se mantém grudado a parede.

- Então vamos comer. - o ruivo lhe estende a mão, do mesmo modo que fiz a segundos atrás. - Venha, ChimChim.

E ele foi, devagar e receoso, mas aceitou as palavras e a mão do meu primo. Em parte, eu estava aliviado por podermos finalmente tira-lo das mãos dos felinos, mas eu estaria mentindo se dissesse que não doeu ver o meu ômega de mãos dadas a outro alfa. Na verdade o que mais machucou foi saber que Jimin confiou em Taehyung ao invés de confiar em mim.


Notas Finais


* Amaterasu - Nas minhas fics com lobos eu costuma usar o Amaterasu como o Deus deles.
Ex: Pelo amor de Amaterasu.

Só pra deixar claro, ainda não super Blood Sweat & Tears, e graças ao dance pratice eu fiquei pior, poque gente... COMO AS COXAS DE PARK JIMIN FICARAM AINDA MELHORES? HÃ? ISSO É UM JOGO COMIGO? HSUAHUSH
se for continua, pq eu adoooro kkkk

Eu sou meio lokinha mesmo e adorooo conversar, então meu tt tá aqui oh @ParkMoyashii

Agora uns links interessantes hehe

Uma oneshot minha JiKook, bem fluffy: https://spiritfanfics.com/historia/minha-salvacao-ou-minha-perdicao-6740157

Bom, agora me digam aí:
O que gostaram?
O que não gostaram?
E o que esperam do próximo cap?

AHHH, essa fic será postada toda terça e sexta, eu juro de dedinho <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...